Skip to content

«Acordo a 26» que não é acordo nenhum

16 Dezembro, 2011

Com que então há pessoas que acham que a cimeira europeia foi um sucesso. E acham mesmo que as decisões são para aplicar.
Nada de mais enganador.
O Sarkozy deixa-se enganar a si mesmo e fala do nascimento de uma «Nova Europa»: «c’est une autre Europe qui est en train de naître»(*). E curiosamente,, ele acha mesmo que em 15 dias conseguem fazer o novo tratado e tê-lo aprovado até Março, a tempo das eleições presidenciais francesas de Maio.
Pois se há uma coisa que já se sabe é que precisamente a França não terá na sua constituição a limitação de deficite que exige para os outros (*).
Na Irlanda, como é habitual, terá de haver um referendo. Pelo menos um. Até dar o resultado «certo»… Mas não será a tempo das presidenciais francesas certamente.
Ficou também acordado que passará a haver «sanções automáticas» em caso de ultrapassagem dos 3% de deficite.  A sério?  Não. Não são bem automáticas: «salvo decisão em contrário dos Estados-Membros da área do euro, deliberando por maioria qualificada». Portanto, nas maiorias qualificadas, basta um país de dimensão média (da Espanha para cima) se opor para que a coisa já não avance. Na prática esses países tem direito de veto sobre sanções sobre si mesmos. A haver automatismo será só para os países pequenos. Tudo muito lindo….

Decidiram também que em casos urgente, o Mecanismo Europeu de Estabilidade será accionado por decisão, não de todos os estados, mas por uma maioria qualificada de 85% . Da Finlândia já se sabe que não terá o acordo. Mas outros Estados se seguirão. Que país aceitará que se utilizem os recursos dos seus contribuintes em beneficio de terceiros sem a sua autorização?

Mas quem leva a sério tais decisões? Só mesmo que vive num mundo ficcionado.

E que dizer da impossibilidade jurídica de pretender, por intermédio de um novo Tratado, aumentar poderes e funções de orgãos (comissão, conselho, tribunal) instituídos por outro Tratado o qual não vai ser alterado?

Certamente esta cimeira ficará na história como um moment0, espera-se que único, de pura irrealidade,  de surrealismo e de ficção.

About these ads
31 Comentários leave one →
  1. lucklucky permalink
    16 Dezembro, 2011 11:28

    É a história de sempre da cultura de mandarins deste continente replicada e aumentada ao nível Unionista: ALL ANIMALS ARE EQUAL, BUT SOME ANIMALS ARE MORE EQUAL THAN OTHERS.

  2. neototo permalink
    16 Dezembro, 2011 11:40

    Quando fala Sarkozy deixa-se enganar a si mesmo e fala do nascimento de uma «Nova Europa e mais do mesmo que quando falam estes neos NEOX? De 2 décadas para atrás nem conhecem os seus origens portanto as suas mamacinhas…

    Nao se incomodora´no seu caixao a mamacinha Tatcher que tamto renegam (esquencedo-a) dela os seus fans (aticos)? 3 Veces, 4, ou mais , Ai Senhor…

    “Relutância de Margaret Thatcher para a reunificação são conhecidos. Mas essa posição, que foi baseado em seu medo de que poderia descarrilar o processo de reforma que estava dirigindo Mikhail Gorbachev na União Soviética ou arrastar a Alemanha unida a uma posição de neutralidade que colocaria em risco a segurança europeia, também se escondeu profunda desconfiança dos alemães agora definir realçado por uma longa série de documentos da época publicado pelo Foreign Office. Sua posição causou atrito enorme com o serviço diplomático no Reino Unido, temendo a perda de influência britânica na Alemanha e na Europa.

    Cerca de 250 minutos, telegramas e comentários internos que circulou no ministério entre abril de 1989, quando a crise se torna aguda na RDA, e 30 de novembro de 1990, quase dois meses após a reunificação, iluminar a profundidade do que o ressentimento, que envolveu também o presidente francês, François Mitterrand. Mas enquanto Mitterrand foi capaz de exibir publicamente um mais moderado, a Dama de Ferro levou meses para perceber que a reunificação era inevitável.

    Thatcher jogado à questão alemã tantas vezes sobre os britânicos fizeram a integração europeia: primeiro, tentando pará-lo, em seguida, tentar adiá-la e, finalmente, bandwagon para tentar moldá-la de acordo com sua conveniência.”

    http://www.eltriangular.info/historia/el-dia-que-cambio-el-mundo-thatcher-contra-berlin

  3. trill permalink
    16 Dezembro, 2011 12:13

    62 milhões de euros em luvas

    http://psicanalises.blogspot.com/

  4. esmeralda permalink
    16 Dezembro, 2011 12:19

    Houve de tudo um pouco neste projecto europeu! Em alguns casos até houve demais! Lá vamos nós falar de desvios, corrupção, derrapagens, esbanjamento, viver à custa de verbas que sabíamos que íamos pagar… Lembro-me de ouvir comentários, no tempo das vacas gordas, dizendo “quando tivermos de começar a pagar isto, é que vão ser elas”! Não inventei. Ouvi muitas vezes! E Bernard Connoly, afastado por discordar do tal projecto do euro, escreve muito do que devíamos ter começado por aprender no livro “O desafio europeu passado, presente e futuro”!!!! Mas como só tivèmos quem aprendesse a gastar, a corromper e que as dívidas não são para pagar….

  5. afédoshomens permalink
    16 Dezembro, 2011 12:24

    daniel oliveira,lúcido , como poucos:
    «A ver se nos entendemos: a nossa dívida, nas condições atuais, é impagável. Não é matéria de confronto político. É matemática. Teríamos de crescer como nunca, no meio de uma recessão, e, ainda por cima, a cumprir limites de défice lunáticos. Não há como. E nem todo o discurso “mobilizador” pelo nosso empobrecimento resolve este dilema. Não vamos pagar toda a dívida que temos. Ponto final. Acham que só porque fomos muito submissos até o incumprimento ser inevitável os credores se vão comover e fazer “uma atençãozinha”?»

  6. afédoshomens permalink
    16 Dezembro, 2011 12:30

    Ibidem:
    O que faz uma empresa endividada? Vende as máquinas e despede os trabalhadores que lhe permitem produzir para pagar dívidas e promete que as continuará a pagar nas próximas décadas (sem se perceber como o fará)? Ou vai ter com o banco para renegociar o que deve de tal forma que salve a empresa e cumpra os seus deveres com quem lhe emprestou o dinheiro? Qual destas saídas é responsável? Aquela que, para dar ao devedor um ar muito sério, cria as condições para não o ser ou o que olha com realismo para a situação em que se está? O paralelo só não é válido por uma razão: uma empresa pode abrir falência e acabar com a sua existência. Um País não. Espera-se.

  7. tina permalink
    16 Dezembro, 2011 12:39

    O objectivo de um acordo destes é obrigar países como a Grécia, ou países governados por socialistas como Sócrates e Zapatero, a portarem-se bem. Assim apaziaguava com algumas garantias aqueles que contribuem com mais fundos estruturais ou emprestam mais dinheiro. Tranquilizava acima de tudo o povo alemão, que sem um tratado destes, irá optar por sair da UE. E fazem eles senão bem. Até porque pelos vistos, os outros parecem passar bem sem eles, sem tratados, sem pagar dívidas, etc.

  8. afédoshomens permalink
    16 Dezembro, 2011 12:42

    «Tranquilizava acima de tudo o povo alemão, que sem um tratado destes, irá optar por sair da UE.»
    se idiotice pagasse imposto,escusavamos de estar neste aperto,Tina!
    então os boches até já usuraram treze mil milhões com a dívida dos pigs e afins! Voce não lê jornais?

  9. Buiça permalink
    16 Dezembro, 2011 12:58

    Os chefes de Estado de 26 países Europeus decidiram comprometer-se com:
    – Não ultrapassar 0.5% dos respectivos PIBs em défice estrutural (não inclui extraordinários ou efeitos de curto prazo)
    – Validar previamente junto da UE as propostas de Orçamento para evitar mal entendidos contabilísticos e verificar se está a ser cumprido o compromisso
    – Antecipar para junho do próximo ano o mecanismo de ajuda (para quem precisar)
    – Qualquer coisa sobre sanções automáticas.
    Exceptuando o último ponto, que não existe, são medidas positivas.
    Paralelamente está-se a avançar com regulação Europeia nos mercados financeiros, taxas sobre transacções financeiras, trazer a negociação do euro exclusivamente para países dentro da zona Euro (e não na City por exemplo) e capitalização dos Bancos até junho do próximo ano.
    Apesar de todo o “spin” de quem está de fora destes 26, do “senhor mercados”, etc. a Europa avança, ao seu ritmo.
    Agora cada um dos 26 tem a sua forma de explicar/ratificar os compromissos internamente, de acordo com as democracias internas de cada um, depois é suposto haver um texto de acordo no final de Janeiro para discutir, e assinatura até final de Março.
    Compreende-se que nos países em que os governos reportam ao FED ou ao BoE e a alternância entre 2 “partidos” seja um pro-forma, faça confusão que haja zona Económicas maiores que as deles onde os governos ainda respondem, em primeiro lugar, perante os seus parlamentos e eleitores. Mais confusão ainda lhes faz o Banco Central não poder dar murros na mesa e decidir tudo sozinho.
    Temos imensa pena.
    Mas preferimos assim.
    Cumprimentos,
    Buiça

  10. Golp(ada) permalink
    16 Dezembro, 2011 12:59

    Recebido pot mail:
    .
    POLITICOS e REGALIAS – PARABÉNS, Brasil
    QUANDO EXISTE VONTADE EM FAZER UMA DEMOCRACIA COMO DEVE SER, ACTUA-SE. DE CONVERSA ANDA O POVO CHEIO.
    .
    A Lei da Ficha Limpa foi promulgada e aprovada rapidamente. Por que ? O povo exigiu , e a meu ver, a Presidente…quis.

    Lei de Reforma do Congresso de 2011 (emenda da Constituição do Brasil)

    1. O congressista será assalariado somente durante o mandato. E não terá aposentadoria proveniente somente pelo mandato.

    2. O Congresso contribui para o INSS. Todo o fundo (passado, presente e futuro) atual no fundo de aposentadoria do Congresso passará para o regime do INSS imediatamente. O Congresso participa dos benefícios dentro do regime do INSS exatamente como todos outros brasileiros. O fundo de aposentadoria não pode ser usado para qualquer outra finalidade.

    3. Congresso deve pagar para seu plano de aposentadoria, assim como todos os brasileiros.

    4. Congresso deixa de votar seu próprio aumento de salário.

    5. Congresso perde seu seguro atual de saúde e participa do mesmo sistema de saúde como o povo brasileiro.

    6. Congresso deve igualmente cumprir todas as leis que impõem o povo brasileiro.

    7. Servir no Congresso é uma honra, não uma carreira. Parlamentares devem servir os seus termos (não mais de 2), depois ir para casa e procurar emprego. Ex-congressista não pode ser um lobista.

  11. tina permalink
    16 Dezembro, 2011 13:31

    Bom resumo, Buíça. São tudo medidas sensatas, que se já estivessem em vigor no tempo de Sócrates, tinhamos evitado ir à bancarrota.

  12. 16 Dezembro, 2011 13:35

    Mas o que requer maioria qualificada é a decisão de aplicar sanções, ou é a decisão de não aplicar as sanções supostamente automáticas? É que as implicações são muitop diferentes.

  13. tric permalink
    16 Dezembro, 2011 14:25

    Passos Coelho, o trólaró do Euro I !! José Seguro, trólaró do Euro II !!! Paulo Portas, o trólaró do Euro-III !!! Jerónimo de Sousa, o trólaró do Euro IV !!! Francisco Louça, o trólaró do Euro V !!! um Verdadeiro Regime de Trólarós…agora os franceses e ingleses, começaram a brincar para ver qual era a melhor…Palhaçada Total esta Europa!!!
    .

    http://economia.publico.pt/Noticia/franca-ataca-solidez-do-rating-britanico-e-gera-reaccao-de-londres-1525339

  14. tric permalink
    16 Dezembro, 2011 14:32

    este Regime é mesmo…tanta história por causa do feriados e agora os deputados da Republica Judaica Portuguesa vão de férias… lol trabalharam muito, não é verdade…

  15. lucklucky permalink
    16 Dezembro, 2011 14:37

    “Exceptuando o último ponto, que não existe, são medidas positivas.”
    .
    Evidente que usar o “défice estrutural” e não o défice total é mau.
    Além disso não é votado pelas pessoas.

  16. Arlindo da Costa permalink
    16 Dezembro, 2011 15:55

    Uma vergonha, o que o Primeiro-Ministro disse hoje no Parlamento.
    Ele que emigre de vez para a Alemanha ou peça exílio político à chanceler Merkel.
    Isto já é subserviência de mais.
    Tenho vergonha de ser português!

  17. Lionheart permalink
    16 Dezembro, 2011 17:24

    Continuamos à espera que o governo português defina uma política para os portugueses para além de salários mais baixos, impostos mais altos e trabalho durante mais tempo. Por isso convinha que não concordasse com mais cedências de poderes aos credores, porque se o país agora está entalado, era bom que este governo não tomasse a situação como permanente. Competências que hoje não se podem usar, amanhã vão fazer falta. Há gente a ficar escandalosamente CONFORTÁVEL com a situação e depois não estranhem que algum dia têm uma “Maria da Fonte” nas ruas…

  18. Arlindo da Costa permalink
    16 Dezembro, 2011 17:36

    Hoje a autoridade financeira da bolsa de Nova York anunciou que vai processar os responsáveis dos bancos hipotecários públicos Fannie Mae e Freddie Mac vão ser PROCESSADOS.
    E em Portugal?
    O que eu vejo é o ESTADO CORRUPTO E AGIOTA a processar e a penhorar os pequenos contribuintes e as pequenas empresas por não pagarem ou um imposto ou uma multa.
    Até já querem penhorar as viaturas daqueles que não paguem as portagens!
    E os responsáveis pelo BPN, BPP, sobreiros, submarinos, freports, Madeira, etc, etc, etc,
    Estão a fazer a Árvore de Natal? Não vamos chateá-los?

  19. afédoshomens permalink
    16 Dezembro, 2011 17:44

    doutor A. da Costa, este governo habituou-nos a ser permissivo com os fortes e prepotente com os fracos.
    a coisa tem de ser, não à bengalada por que não é o padrado, como no tempo de Eça que temos de abater, mas à coronhada. pessoalmente ocupo-me de um que me irrita imenso-o que tem a boca de boneco nenuco, dos que pedem chupeta e comanda a cambada de deputados laranjas

  20. licas permalink
    16 Dezembro, 2011 18:05

    Não vamos ficar impressionados POR ESTA CLAQUE TRAULITÁRIA . . .
    (ELES ESTÃO TÃO DECECIONADOS por terem perdido as Eleições . . .)

  21. Zebedeu Flautista permalink
    16 Dezembro, 2011 18:07

    De facto no meio da verborreia habitual do Arlindo foca um aspecto importante. A forma como as finanças face ao não pagamento das portagens penhoram logo o automóvel infractor. Se o cidadão for pobre e o carro for baratinho face à justiça kafkiana mais vale deixar que lhe confisquem o automóvel sem recorrer da decisão. Atrevo-me a dizer que nem no tempo do Sr.Prof.Dr.Salazar o cidadão estava submetido a atropelos destes. Nem o património dos que se viam perseguidos e privados dos seus direitos políticos era esmagados desta forma pela bota opressora do Estado Corporativo.
    .
    Concordo que se inscreva limites ao défice na Constituição quando o divida já ultrapassa os 60% do PIB pois não vejo como nas próximas décadas uma Europa em decadência possa sustentar endividamentos maiores. No entanto mais importante que isso é garantir limites à forma como o Estado prossegue o confisco do cidadão para se ir pagando a divida.

  22. anti-comuna permalink
    16 Dezembro, 2011 18:11

    Como sair da crise. Exportar. Exportar muito.

    Esta empresa prevê crescer pelo menos 20% em 2012 graças sobretudo às exportações.

    “Bluepharma: um exemplo de sucesso nas exportações

    Presente em 20 países, de onde se destacam em volume de vendas a França, a Alemanha, o Chipre, Itália, Espanha, Israel, EUA, Suíça, Austrália e Áustria, a Bluepharma, a empresa dirigida por Paulo Barradas, quer entrar ainda no Brasil, América Latina, Japão, Rússia, Singapura, Malásia, Taiwan, Hong Kong, África do Sul, Angola e Moçambique, avança o Diário Económico.

    Em 2010, a empresa atingiu mais de 16 milhões de euros de facturação, dos quais perto de 12 milhões de exportações, ou seja, 73%. Para este ano, a empresa prevê atingir mais de 18 milhões de euros, sendo que perto de 13 milhões, serão provenientes de exportações, representando 70%.

    Em 2012, a previsão é que as vendas para o exterior atinjam entre 75% a 80%, com um volume de negócios entre os 25 e os 30 milhões de euros.”

    in http://www.rcmpharma.com/actualidade/industria-farmaceutica/16-12-11/bluepharma-um-exemplo-de-sucesso-nas-exportacoes

  23. anti-comuna permalink
    16 Dezembro, 2011 18:25

    Como as empresas tugas estão a adaptar-se melhor do que se pensa às dificuldades vividas em Portugal.
    .
    .
    Este artigo foi bem lemnbrado pelo CCz aqui: http://balancedscorecard.blogspot.com/2011/12/o-poder-dos-anonimos.html
    .
    .
    Os pessimistas do costume que meditem nestes números.
    .
    .
    “Acontece que, segundo os últimos números, elaborados pela Coface Portugal, as contas das maiores empresas exportadoras sediadas em Portugal apontam para um reforço significativo das vendas para os mercados externos.
    .
    Números que demonstram uma clara antecipação do declínio do mercado nacional, mas também do espaço comunitário já que se trata dos resultados das empresas em 2010. Senão, vejamos. As 500 maiores empresas exportadoras sediadas em Portugal conseguiram vender para os mercados internacionais perto de 10 mil milhões de euros a mais em 2010, quando comparado com o ano anterior. ”
    .
    .
    “Daquela lista de 500 empresas, 65 vivem exclusivamente dos mercados externos. Ainda não está impressionado? Então fique com mais dois indicadores. Se tivermos em atenção as empresas que vendem mais de 50% da sua produção para os mercados externos, o número dispara para as 398. Ou seja, temos mais 49 empresas com vendas superiores a 50% nos mercados internacionais do que no ano de 2009. Se a isto juntarmos um outro número divulgado recentemente pelo Diário Económico, que dava conta que as empresas portuguesas mantêm relações comerciais com 163 países, ficou, com certeza, definitivamente impressionado. ”
    .
    .
    “Vendas fora da Europa já representam 50%
    .
    As maiores exportadoras nacionais venderam cerca de 35,3% dos seus produtos e serviços para mercados extra-comunitários, como referido na caixa anterior. Contudo, o estudo da Coface identifica, por empresa, um montante de 9,6 mil milhões de euros, ou seja apenas 350 empresas que declaram as suas vendas fora do espaço comunitário. Uma análise mais cuidada aos dados da multinacional francesa permitem aferir que é a empresa Vellax Food Logistics a liderar as vendas com 1,12 mil milhões de euros, seguindo-se-lhe a Namisa Europa e a Petróleos Portugal com 1,1 mil milhões e 1,04 mil milhões, respectivamente. Destaque-se ainda que existem 123 empresas com mais de 10 milhões de euros de vendas em países fora da Europa.”
    .
    .
    in http://economico.sapo.pt/noticias/empresas-exportadoras-reforcam-negocios-no-estrangeiro_133758.html
    .
    .
    Estes números da Coface demonstram várias coisas.
    .
    Primeiro. Portugal tem um tecido produtivo mais competitivo do que quase todos têm como adquirido.
    .
    Segundo. O euro não impediu que as empresas conseguissem direccionar a sua produção para o exterior, tanto dentro da Zona Euro como para fora da Europa.
    .
    Terceiro. Foi preciso haver medidas de austeridade para acordar muitas empresas para a inevitabilidade de exportarem e internacionalizarem as suas actividades.
    .
    .
    Quarto. A forma como estas empresas têm conseguido no exterior indiciam um potencial salto na produtividade enorme e correspondente crescimento económico, logo que as condições financeiras e económicas estabilizem.
    .
    .
    Quinto. Isto demonstra que não é apenas desejável as políticas de austeridade como até no futuro maior o sucesso do nosso tecido produtivo se existirem restrições à procura interna. Ou seja, dar facilidades em demasia ao nosso tecido produtivo, apenas as acomoda e impede que cresçam no exterior, peça fundamental para tirar Portugal do buraco em que se encontra.
    .
    .
    Sexto. Estes números vêm confirmar o enorme dinamismo das nossas exportações, desmentindo todos aqueles profetas da desgraça, quem em vez de reconhecerem o excelente resultado conseguido, apenas de limitam a dizer de Portugal, influenciados pela propaganda contra os portugueses vinda do exterior.
    .
    .
    Sétimo. Estes bons resultados deveriam ser usados para convencer as nossas empresas que ainda não exportam para avançarem com processos de internacionalização e exportação, pois em principio estão mais bem preparadas para competir no exterior do que aquilo que todos julgam.
    .
    .
    Portugal vai-se safar e as exportações serão peça fundamental para a sua salvação. E os nossos empresários, trabalhadores e gestores estão de parabéns, por conseguirem obter bons resultados e estão a ajudar bastante Portugal a tentar sair da crise. Bem hajam!

  24. Zebedeu Flautista permalink
    16 Dezembro, 2011 19:11

    Vamos lá a despachar e a ir no pelotão da frente! Portugal não pode ser o carro vassoura.
    .

    http://economico.sapo.pt/noticias/novo-tratado-em-vigor-so-com-nove-paises_133971.html

  25. calisto permalink
    16 Dezembro, 2011 19:11

    Hoje, o sr Passos Coelho, cada vez mais encostado à parede, vem declarar que afinal o FED do sr Greenspan tem culpas no cartório, porque mandou emitir moeda de uma forma desrregulada. Hum….hum…bitaites merkelianos!

    Ontem, o sr Passos Coelho fantasiou efabulando o Pote e, por isso salivava então abundantemente conforme Pavelov, gritando consequentemente, que a culpa era do Sócrates.
    Mais depressa se apanha um mentiroso, que um coxo!

  26. Zebedeu Flautista permalink
    16 Dezembro, 2011 19:32

    O Sr. Passos tem razão nisso do FED. Os badalhocos dos yankees continuam a exportar inflação e a recapitalizar a banca falida à conta da especulação nas commodities. Entretanto eu nem o aquecimento posso ligar. Há que agilizar a criação da federação europeia, criar um sistema de misseis defensivos com tecnologia europeia e um exercito de reserva europeu à semelhança do Suíço. Entretanto estreitar laços com a Rússia e a China na geopolítica mantendo politicas de não ingerência em todo o mundo.
    .
    Se a Europa se aguenta e o euro se mantêm com a politica actual do BCE e o Grande Líder Obama for reeleito daqui a 5 anos o desmantelamento das mais de mil bases espalhadas pelo mundo é inevitável. Daqui a 10 anos se querem mais pitrol do que o que tem no seu território tem de pagar em malas de euros.

  27. JCA permalink
    16 Dezembro, 2011 19:41

    .
    É a vida como dizia o outro:
    .
    .
    Más ex jefes de Siemens ante la Justicia por corrupción en Argentina

    http://www.dw-world.de/dw/article/0,,14765528,00.html

    .
    La corrupción de Siemens en México

    http://www.zocalo.com.mx/seccion/opinion-articulo/la-corrupcion-de-siemens-en-mexico/

    .
    Siemens, un leading case para la RSE

    http://rseonline.com.ar/2008/12/siemens-sobornos-corrupcion/

    .
    Teorias da conspiração:
    .
    Explosive Interview Jim Willie “JP Morgan Crashed MF Global to Avert COMEX Failure, they stole all the accounts that were going to take delivery”

    http://sherriequestioningall.blogspot.com/2011/12/explosive-interview-silver-doctors-with.html

  28. Zebedeu Flautista permalink
    16 Dezembro, 2011 20:36

    Hoje estou paranóico. Vou jantar e a seguir ver sites sobre como sobreviver 3 anos sem dinheiro.
    .

    http://theeconomiccollapseblog.com/archives/50-economic-numbers-from-2011-that-are-almost-too-crazy-to-believe/comment-page-1#comment-91369

  29. JCA permalink
    16 Dezembro, 2011 20:45

    Outras sensibilidades:

    Debt crisis: Brussels accord on the verge of collapse
    .
    Germany’s attempt to save the Eurozone was hanging in the balance as Hungary and the Czech Republic claimed it would be damaging and protesters in Warsaw demanded Poland stands firm against Angela Merkel.
    .
    Amid fresh warnings that Europe is triggering a 1930s-style global depression, the German chancellor faced open rebellion against the key plank of her Brussels accord. The leaders of Hungary and the Czech Republic told a joint conference in Budapest they were ready to reject the planned treaty changes and implied move towards a centralised tax system. Czech prime minister Petr Necas said he was “convinced that tax harmonisation would not mean anything good for us”.
    .
    Hungarian prime minister Viktor Orban said that central Europe had the potential to become the most competitive region in Europe. “The only kind of co-operation we can have with the eurozone is one which does not damage Hungary’s competitiveness,” he said.
    ..
    Poles marched under banners that read: “We want sovereignty, not the euro.” They were protesting against the Brussels deal that could see EU countries, including those outside the eurozone, face penalties for breaking tough centralised spending laws. Britain used its veto in Brussels, sparking an intense backlash. Ireland and Sweden are also nervous about the fiscal pact, but Germany and France still expect the other 26 members, minus the UK, to approve it.
    .

    http://www.telegraph.co.uk/finance/financialcrisis/8959632/Debt-crisis-Brussels-accord-on-the-verge-of-collapse.html

  30. JCA permalink
    17 Dezembro, 2011 05:30

    .
    Enquanto os ‘aprés nous le deluge’ da’Austeridades, Catastrofismos, Crises & Cª Lda”, mais teorias da conspiração,
    .
    “INACREDITAVEL: George Seres pode ter metido ao bolso $2 BILIÕES do dinheiro roubado aos clientes da MF Global
    How George Seros ended up with MF Global’s client money”

    http://peterlbrandt.com/how-george-soros-ended-up-with-mf-globals-client-money/

    .

  31. JCA permalink
    17 Dezembro, 2011 05:57

    .
    Leitura de curiosidades de teóricos e académicos:
    .
    Um ensaio incomum para pôr o futuro do Euro em sérias duvidas (inclui mapa de genes dos povos europeus)

    http://www.sovereignman.com/expat/guest-post-so-long-thanks-for-all-the-stress/?a_aid=CRX

    .

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 34.865 outros seguidores

%d bloggers like this: