Skip to content

O poder das Lojas

7 Janeiro, 2012
by

De repente, ficou meio mundo alarmado com o peso da maçonaria nos partidos, como se fosse um problema de hoje. Desde sempre que os partidos são dominados por lojas maçónicas, Opus Dei e outras seitas mais ou menos semi-secretas, mais ou menos litúrgicas. Na prática, tudo redunda em grupos de interesse, os chamados poderes fácticos que vêm há décadas dominando o poder e o orçamento.

As “virgens púdicas” já começaram com os habituais apelos ao proibicionismo, criação de novas incompatibilidades, declarações de interesses (quais? a Maçonaria e a Opus Dei são organismos para-religiosos, portanto não devem ter interesses económicos…), em breve procurarão regulamentar o funcionamento interno dos partidos. Na realidade, o problema reside aqui: no stalinista “centralismo democrático”, modelo que todos os partidos emularam na perfeição do PCP. Só que o funcionamento interno dos partidos não pode nem deve ser regulamentado, muito embora haja tentações para tal: já tivemos o triste exemplo da proibição legislativa da votação de pessoas por braço no ar, visando objectivamente o PCP.

Esta recém divulgada omnipresença das lojas maçónicas em diversos órgãos de poder, só nos vem comprovar que o Estado afinal não “somos todos nós”. O Estado é um organismo bem mais complexo, mas com objectivos muito claros, o de servir sempre os poderes fácticos que a todo o momento o dominam. Se isto foi agora tão mediatizado, é porque terá havido “zanga de comadres”, coisa habitual quando os recursos escasseiam. O que não será mau, reconheça-se…

About these ads
69 Comentários leave one →
  1. licas permalink
    7 Janeiro, 2012 11:37

    _______muito embora haja tentações para tal: já tivemos o triste exemplo da proibição legislativa da votação de pessoas por braço no ar, visando objectivamente o PCP.______
    _________________
    FALSO, este aqui julga que nós somos PAROLOS e descomhecemos que EXISTE UMA REAL COAÇÃO
    quando votamos de maneira que todos os presentes ficam CIENTES.
    Se o stalinismo trabalha desta maneira, ESTÁ-LHE BEM NO SEU DNA.
    DEMOCRACIA É OUTRA COISA DIFERENTE !

  2. 7 Janeiro, 2012 12:13

    O Partido Comunista explica as votações do seus deputados com a frase “o colectivo decidiu “.
    Será que os deputados do PS e do PSD deveriam justificar os seus votos com um “a loja decidiu ” ?

  3. 7 Janeiro, 2012 12:33

    Pressões sobre o poder são naturais; fazem parte da ordem natural das coisas. O que fazem os sindicatos? O que fazem as ordens profissionais? o que fazem as várias corporações? O que fazem os empresários, nomeadamente, os que andam na esfera dos negócios públicos? o que fazem os grandes clubes? E grupos informais de amigos, conhecidos, etc., etc…. com ou sem grandes e intensas ligações ao poder? Naturalmente, o que fazem grupos de pessoas ligadas à maçonaria? à Opus? A outros grupos, de intesses ou não directramente de interesse, mas que juntam pessoas que, naturalmente, se concertam em defesa de ocasionais interesses próprios? E os sub-grupos dentro dos partidos, relativamente ao poder partidário vigente?
    O problema não está nas pressões sobre o poder… em democracia, o poder serve para isso e para ser exercido sem se permeabilizar a algum desses múltiplos interesses. O problema estará no próprio poder que, se se deixa aprisionar por um desses grupos de interesse em particular, é porque é fraco. O problema está nas próprias instituições e nos mecanismos do seu prórpio funcionamento (de controle, de independência interna, etc., etc.). Isto é, se é que há problemas, como toda a gente agora diz.

  4. zazie permalink
    7 Janeiro, 2012 12:51

    É memso um problema de satalinismo.
    .
    Ia mais longe- um verdadeiro problema satânico.

  5. ovigia permalink
    7 Janeiro, 2012 13:09

    Razão tinha JFK no seu discurso sobre as sociedades secretas e a democracia, pagou com a vida tal ousadia, essa e a de ter colocado a FED (conglomerado de bancos privados – The Federal Reserve is a Private Financial Institution http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=8518 ) na ordem ao ter emitido moeda sem passar por esta escumalha.
    Mas claro, para alguns isto são tudo fantasias, maçonaria, opus dey, bilderberg, cfr, trilateral, skull&bones e milhentas mais são tudo organizações inócuas e que só pretendem fazer o bem e defender os interesses dos cidadãos….
    Já não há paciência para tanta verborreia!

    “The very word “secrecy” is repugnant in a free and open society; and we are as a people inherently and historically opposed to secret societies, to secret oaths and to secret proceedings”
    –JFK

    http://www.jfklibrary.org/Historical+Resources/Archives/Reference+Desk/Speeches/JFK/003POF03NewspaperPublishers04271961.htm

    https://en.wikiquote.org/wiki/Talk:John_F._Kennedy

    Debt-Free United States Notes Were Once Issued Under JFK And The U.S. Government Still Has The Power To Issue Debt-Free Money

    http://theeconomiccollapseblog.com/archives/debt-free-united-states-notes-were-once-issued-under-jfk-and-the-u-s-government-still-has-the-power-to-issue-debt-free-money

  6. 7 Janeiro, 2012 13:26

    E da Opus Dei, ninguém fala? E só agora é que descobriram que havia grupos de interesses com representantes nos governos? Então não se lembram da malta das celuloses no ministério da Agricultura? Não se fala da ligação do atual ministro da saúde a grupos privados com interesses na saúde? Não houve uma constante (e chocante) comunicação entre as construtoras e os governos? Isto só prova que quem devia fiscalizar, não o faz. Porque o problema não está na pressão- está na cedência à pressão.

  7. António Joaquim permalink
    7 Janeiro, 2012 13:35

    Com que então está mais uma vez contra o mercado. O homem, defina-se por favor.

  8. 7 Janeiro, 2012 13:46

    Quem é que está contra o mercado?

  9. Pine Tree permalink
    7 Janeiro, 2012 13:55

    Camaradas.
    Admito que vois sois jovens e ingénuos e só agora descobris aquilo que o pessoal mais idoso conhece de há muito. Carneiro amigo, andamos todos ao mesmo! E a melhor forma de enriquecer é apoderar-se do que os outros produzem. Seja na Sicília, seja em Portugal. O sistema político é pura forma e os verdadeiros sacadores adaptam-se aos rituais. Sempre foi assim e sempre será. O problema para nós é que o parasita está a matar o hospedeiro. O nosso parasita é estúpido e isso é um drama para qualquer nação. Quando o parasita é inteligente há progresso. Mas parasita é parasita, ponto final.

  10. Tolstoi permalink
    7 Janeiro, 2012 14:08

    O homem do CDS (leia-se Nuno Magalhães) está fora do sítio, então o tão inspirador Bagão
    Social cristão anda distraído. Bem na verdade verificámos uma verdadeira OPA das lojas sobre as lideranças parlamentares.

  11. zazie permalink
    7 Janeiro, 2012 14:08

    “Parasita é parasita”.
    .
    Exactamente, pine Tree. Mas os neotontos gostam mais de lobbies que sabotem a democracia, apesar de argumentarem que gostam por defesa da liberdade da mesma.

  12. anti-comuna permalink
    7 Janeiro, 2012 14:13

    Como sair da crise. Criar produtos inovadores com potencialidades comerciais e passiveis de exportação.
    .
    .
    “SITMe (Serviços Integrados para Transportes Metropolitanos) é o nome do sistema de Internet e televisão digital desenvolvido por um consórcio liderado pela Xarevision – no qual participaram o INESC TEC e as Faculdades de Engenharia (FEUP) e de Economia (FEP) da Universidade do Porto -, para os autocarros da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP). Este sistema já se encontra disponível para os utilizadores na linha 207 (Campanhã/Mercado da Foz) da STCP. Entrevista de Tânia Calçada ao programa Praça da Alegria da RTP1.”
    .
    Com video: http://www2.inescporto.pt/utm/noticias-eventos/tv-radio/sitme-rtp1-praca-alegria-20111227

  13. anti-comuna permalink
    7 Janeiro, 2012 14:34

    Caro LR, é verdade isto:
    .
    .
    “O Estado é um organismo bem mais complexo, mas com objectivos muito claros, o de servir sempre os poderes fácticos que a todo o momento o dominam. Se isto foi agora tão mediatizado, é porque terá havido “zanga de comadres”, coisa habitual quando os recursos escasseiam.”
    .
    .
    Só que, antigamente, estes poderes fátuos, eram mais “idealitstas” mas hoje procuram obter vantagens económicas, pois em teoria, a democracia está bem implantada. E estes novos poderes económicos subvertem o próprio funcionamento da sociedade, são anti-liberais e até violam os tais principios/landmarks da própria maçonaria. (Para os quais foi criada.)
    .
    .
    A corrupção ligada à maonaria em Inglaterra levou a que os maçons tenham sido obrigados à declaração dos seus interesses. (Coisa banal hoje em dia, por exemplo, no sistema financeiro e até é mesmo necessário para evitar fraudes financeiras, comportamentos anti-mercados e até anti-liberais.) O caso mais emblemático foi o da Loja P2, que dominava parte da mafia italiana. (E utilizo Mafia num sentido mais lato, talvez não tão correcto como devia, mas no sentido do crime organizado.)
    .
    .
    O caso da Loja P2:
    .
    “P2 é a designação mais comum para a Loja Maçónica italiana Propaganda Due (Propaganda Dois)
    .
    A questão P2 veio a público com a incriminação de Michele Sindona no Escândalo do Banco Ambrosiano, no qual o Banco do Vaticano tinha muitas acções. A Loja P2 esteve envolvida na Operação Gladio – Gladio era o nome das organizações paramilitares nos bastidores da OTAN. Entre 1965 e 1981, tentou condicionar o processo político italiano através da penetração de indivíduos da sua confiança no poder judicial, no Parlamento, no exército e na imprensa.
    .
    Além da Itália, a P2 também tinha actividades na Suécia no Uruguai, no Brasil e especialmente na “Guerra Suja” da Argentina (com Raúl Alberto Lastiri, Presidente por escasso período de Julho de 1973 até 12 de Outubro de 1973; Emilio Massera, que foi membro da Junta Militar de 1976 a 1978, líderada por Jorge Rafael Videla e José López Rega, Ministro das Obras Sociais no governo de Péron e fundador da Aliança Anticomunista da Argentina).”
    .
    in http://pt.wikipedia.org/wiki/Loja_P2,_Propaganda_Dois
    .
    .
    O problema actual da maçonaria é isto: “Entre 1965 e 1981, tentou condicionar o processo político italiano através da penetração de indivíduos da sua confiança no poder judicial, no Parlamento, no exército e na imprensa.”
    .
    .
    O problema reside aqui nisto: a maçonaria transformou-se numa rede organizada de desvirtuamento do processo democrático das sociedades liberais. O que contradiz até os tais landmarks da “velha” maçonaria.
    .
    .
    Até poderíamos ir mais longe e tentar perceber se a Mafia (mas a original, a siciliana) não foi um produto dos movimentos de sociedades secretas exportadas de Espanha para a Sicilia e sul de Itália. Teses abundam sobre as origens da mafia sicialiana, mas tem em comum com a maçonaria o mesmo modus operandi (omertá, por exemplo), as mesmas liturgias de acesso e funcionamento das lojas e até a etsrutura vertical de poder.
    .
    .
    A maçonaria não foi criada para isto. A Ongoing parece ser uma criação maçonica e estará em guerra com outros grupos maçons, ligado ao grupo Impresa. (Um processo semelhante ao que se passou durante as guerras maçónicas que atingiram a Moderna, aqui há uns anos atrás.) A questão está em saber se estes grupos funcionam dentro da legalidade e sem desvirtuarem o processo democrático. Parece que os nossos serviços secretos estavam ao serviço de lojas maçónicas e de alguns grupos empresariais. Será isto legal? Democrático?
    .
    .
    Uma coisa é certa. Ninguém está na maçonaria para dar de comer aos pobres. Uma das coisas que mais me chamam à atenção este tipo de novos grupos de influência com métodos semelhantes ao crime organizado (e até á Máfia siciliana) foi o carácter elitista dos seus membros. Na maçonaria encontramos membros de várias profissões, mas quase nunca profissões ditas do Povo: operários, metalúrgicos, camponeses, meros empregados-de-escritório, etc. Mas gente com algum poder de decisão: juízes, políticos, militares, gestores, empresários, etc. Porquê, deixo aqui aberta a questão.
    .
    .
    Caro LR, estas seitas não nos deviam preocupar quando dentro das suas actividades normais não tentassem violar os princípios democráticos que regem as nossas sociedades. Mas quando estas seitas tentam criar um Estado dentro do Estado, estamos perante uma violação grave do funcionamento da sociedade democrática e liberal a que aspiramos. E quando uma seita cria até ela mesmo serviços de informação e segurança (violando um dos princípios basilares de uma sociedade democrática, que impedem a que determinados grupos usem determinados instrumentos de controlo social), estamos perante um forte atentado à Liberdade democrática. Se for verdade que há aí seitas religiosas com serviços de informação privados em funcionamento, estamos perante uma potencial ilegalização e combate sem tréguas a este tipo de seitas criminosas.

  14. Tolstoi permalink
    7 Janeiro, 2012 14:35

    Então o Carlos Candal sempre tinha razão; agora estou intrigado, vejam, se um deputado pertencer à maçonaria e for do lóbi Gay será que reforça a sua posição por ter um universo mais abrangente. Para este o avental até pode ser um adorno giro.
    Bem estou farto desta mariquice toda; as pessoas têm de assumir-se, lá o que fazem nas lojas deste que respeitem os tais bons costumes guardem na discrição, mas que se assumam.
    Não é aleatório o facto de os partidos do chamado arco (avental) governativo terem todos lideres ligados à maçonaria, só acredita neste acaso quem for muito ingénuo ou parte interessada.

  15. certo permalink
    7 Janeiro, 2012 14:37

    “Desde sempre que os partidos são dominados por lojas maçónicas, Opus Dei e (Opus Gay) e outras seitas mais ou menos semi-secretas, mais ou menos litúrgicas.”
    E porém hoje é uma vergonha, sabido como os gajos, pais de filhos se passeiam por ali de avental, diz um com certo acerto, em busca de sensações, despertar de algum segredo, que diz que tem missas negras, chuva dourada e ritos satânicos variados, sendo que por vezes, queixam-se alguns e algumas, as expectativas são algumas vezes demasiadas.
    Que eu conheço tipos intriguistas, sem caráter e mais nada que parece terem facha de maçons, de opus gay e assim dei, além de mais vícios sectários. E não é lá coisa de se ver agradável .

  16. balde-de-cal permalink
    7 Janeiro, 2012 14:51

    no pequeno oriente, constituído unicamente popr socialistas do largo dos ratos, é grão-mestre um ex-presidente da sociedade lusa de negócios do bpn
    Vasco Lourenço falou em gangs ou P2.

  17. certo permalink
    7 Janeiro, 2012 15:05

    De repente, sociedades secretas

  18. 7 Janeiro, 2012 15:13

    Um dia destes vamos ter o governo a queixar-se das pressões do grupo da canasta de que a minha tia Maroncelli de Brites faz parte, só porque uma parceira dela é prima de um deputado.

  19. Tolstoi permalink
    7 Janeiro, 2012 15:14

    Certo
    Conheço o filme, mas colocado assim quase parece um filme promocional.
    As garotas são interessantes, digamos, sob o aspecto intelectual.

  20. Tolstoi permalink
    7 Janeiro, 2012 15:17

    Olálá , o Piscoiso também lá anda.
    Boa, realmente os critérios de admissão são pouco exigentes , já tínhamos percebido isso com a admissão do Vara.

  21. anti-comuna permalink
    7 Janeiro, 2012 15:27

    Aqui há uns meses, alguns encanitaram-se comigo (uma palavra do sul, hein? eheheheh) porque eu dizia que o CDS actual é controlado pela maçonaria. Quase que me comiam vivo. Mas hoje há que ler-se isto:
    .
    .
    “Fico preocupado em saber que os três líderes dos grupos parlamentares democráticos pertencem à Maçonaria. No caso do meu Partido, o CDS, a tal preocupação acresce desilusão. Estou certo que esta desilusão é partilhada por um grande número dos seus membros e eleitores, que ficam baralhados e confundidos, ao ponto de questionarem a sua confiança no Partido.”
    .
    Filipe Anacoreta Correia, in http://cachimbodemagritte.com/3405850.html
    .
    .
    E depois vai mais longe:
    .
    .
    “Há para aí um argumento extraordinário. Diz que não temos o direito de tornar público o que é secreto. Os maçons teriam direito a preservar a sua natureza secreta e, por isso, não poderiam ser obrigados a publicitar a sua pertença, sob pena de ameaça à Democracia. É o que se chama virar o bico ao prego. Senão vejamos: a actividade administrativa é por natureza – e por imperativo legal – pública. E por maioria de razão o deve ser a política. Os políticos estão obrigados a tornar público o que é secreto, por exemplo o seu património e as suas ligações profissionais. E também devem estar obrigados a registar outros interesses. Em nome da transparência e do interesse geral. Dizer o contrário disto, mais do estar a acima da Lei, representa a pretensão de ser Lei.”
    .
    Filipe Anacoreta Correia, in http://cachimbodemagritte.com/3405653.html
    .
    .
    Ele põe o dedo na ferida. Parte da maçonaria quer-se acima da lei. Mais que à margem da lei. E isto explica-se por duas coisas, que os ditos “profanos” não conseguem conceber: a maçonaria não reconhece as Leis do Estado como acima das leias da maçonaria. Originalmente, este principio maçónico, tinha como objectivo evitar que o Estado (e seus poderes de então, não democráticos e muito menos liberais) dominasse a própria maçonaria (inimiga desse mesmo Estado e dos seus poderes e autoridades). Mesmo hoje, o Liberalismo deve muito a esta ideia difundida pela maçonaria, e registe-se que, então, os poderes do Estado eram muito menores do que os de hoje.
    .
    .
    Só que hoje, parte da maçonaria (as pessoas têm que compreender que a maçonaria não é um, mas vários e muito diversos, de diverso perfil e objectivos) viola os princípios democráticos quando se nega a reconhecer a Constituição como o grande baluarte que condiciona as suas próprias leis, tribunais, regulamentos internos, etc. A maçonaria começa a cometer os mesmos erros daqueles que combateu durante séculos.
    .
    .
    Faz hoje sentido pertencer à Maçonaria?

  22. 7 Janeiro, 2012 15:29

    as lojas à bulha pela “mercadoria” que é hoje escassa ? bem visto. nem tudo é mau na crise , pois não : pode ser que essas lojas todas de brinquedos prós meninos tb abram falência.

  23. António Lemos Soares permalink
    7 Janeiro, 2012 15:33

    O grande problema das maçonarias é, a meu ver, saber até que ponto se podem coadunar estas organizações secreteas e hierarquizadas com as sociedades abertas e democráticas da actualidade. Uma pergunta óvia que decorre desta questão inicial, é a de saber se os deputados e se os ministros que são maçons ou que ocupam outros cargos destacados na economia, alguma vez teriam capacidade pessoal (leia-se profissional e académica) para alcançar os altos postos do Estado que ocupam, sem o secreto apoio das lojas que praticam um verdadeiro tráfico de influências e interferem com o normal debate democrático. Penso que a resposta só pode ser negativa e os últimos 200 anos de História de Portugal são a melhor prova do que digo.

  24. certo permalink
    7 Janeiro, 2012 15:54

    Tá bonito, dispois que uns maçons (pedreiros, na maioria) se organizaram em sociedades secretas para lutarem pelos seus direitos ante a velhacaria da corte e classes privilegiadas, deram-se uns iluminados, já não pedreiros, é claro, nem pobre algum, se não doutores, juízes, advogados, comentaristas e mais letrados, em copiar-lhe a arte, sem outro motivo que a sacanice abstrata. E querem que os levemos a sério, nós, o rei e pobres de hoje em dia de classe.
    Pois não passa de sacanice dos mais fortes, pandilha de intriguistas, sem caráter, que se topam à légua, tantas vezes levados da expetativa que segredos, negócios, praxes, que não se coadunam com a vida democrática .

  25. 7 Janeiro, 2012 15:55

    É claro que interferem no debate democrático, tal como os sócios do Benfica ou grupo da canasta da minha tia.
    Mas isso é normal em democracia.
    Penso eu de que.

  26. certo permalink
    7 Janeiro, 2012 16:01

    E se ao menos nas lojas se castigassem, à conta das malandrices…

    http://educar.wordpress.com/2012/01/07/a-culpa-e-da-troika-apontamentos-historicos-1/

    Mas não, é a intriga, são os negócios .

  27. António Lemos Soares permalink
    7 Janeiro, 2012 16:14

    Olá Piscoiso, espero que esteja tudo esteja bem consigo. Os sócios do BENFICA não interferem com o que quer que seja que diga respeito à coisa pública. Penso que o grupo de canasta da sua famosa tia, tambem não. É essa a diferença.

  28. e-ko permalink
    7 Janeiro, 2012 16:27

    lojas há muitas, é como os chaéus, seus palermas!…

  29. 7 Janeiro, 2012 16:28

    Ora essa!
    Então os sócios do Benfica não pressionarão para que benfiquistas façam parte do governo e dos altos cargos da administração pública?
    No mínimo as coisas correrão mais céleres em decisões favoráveis ao clube, ou se arquivam as inconveniências.
    E que diz Benfica diz qualquer outro clube de qualquer modalidade.
    Canasta incluída.

  30. ikonoklasta permalink
    7 Janeiro, 2012 16:29

    corrijo: chapéus; sim, porque sou a e-ko

  31. ikonoklasta permalink
    7 Janeiro, 2012 16:49

    pois, como dizia a cima, lojas há muitas… temos as lojas amargos de boca onde sabe bem pagar tão caro… temos as lojas do gato em papel pardo…
    .
    e, ao que parece, há franchisados da maçonaria menos recomendáveis do que outros e nem sempre os mais melómanos são mais recomendáveis… sai um requeim para a loja Mozart e seus membros mais ou menos secretos.
    .
    tão prevertido poderá ser o papel da maçonaria como o da opus dei, são es elites políticas que têm de ser renovadas, já que as eleites económicas têm o poder da herança quase divina do nome e da propriedade privada.

  32. 7 Janeiro, 2012 16:55

    A maçonaria não tem objectivos políticos expressos.
    E os seus membros devem obediência aos seus superiores maçónicos. Como é, se há conflito entre a ordem do superior e os interesses públicos?
    A questão da obediência, que alimentou polémicas infinitas em relação à igreja católica nem sequer tem sido abordada!
    Bastaria esta questão para ver a infiltração da maçonaria no estado como algo de extremamente grave.
    Ao invés, parece que se tenta agora transformar a maçonaria numa sociedade caritativa de meia dúzia de ingénuos excêntricos. Não é, nunca foi: a 1º república portuguesa é obra sua e não foi uma boa obra: houve perseguições, até à expulsão do território nacional de pessoas apenas por serem religiosas, assistiu-se à distribuição em larga escala das benesses estatais pelos correlegionários, etc.

  33. 7 Janeiro, 2012 17:20

    Corrige-se: a maçonaria tem um projecto político expresso, que seria a realização de um “estado iluminista”, a concretização do ideário da revolução francesa. Mas esse estado já existiu e faliu, depois de ter instaurado o terrorismo contra a população e cometido alguns genocídios.

  34. Buiça permalink
    7 Janeiro, 2012 17:28

    Sem caír no disparate de tentar resolver todas as futuras e passadas incompatibilidades com uma só regra, diria o seguinte:
    1- Antes de começarem os trabalhos da comissão parlamentar sobre as actividades das secretas e sobre pessoas com quem ele tem relacionamento pessoal ou “maçónico”, este deputado (como outros…) teve a oportunidade de pedir escusa e ser substituído por outro deputado do mesmo partido para o efeito.
    2 – Não o fez. Que eu saiba nenhum o fez.
    3 – Todos aqueles que depois de começados os trabalhos (recordo que não é uma comissão qualquer, é tudo confidencial, debatem-se segredos de Estado, etc.) sejam culpados de terem relações ou interesses comuns com os que tiveram de investigar/”julgar”, devem ter vergonha na cara e demitir-se.
    Cumps,
    Buiça

  35. António Lemos Soares permalink
    7 Janeiro, 2012 17:46

    Discordo de Piscoiso. Esse tipo de argumentação era o mesmo que era utilizado pelos opositores da Democracia parlamentar que governaram até 74. A Canasta da Sr.ª sua tia ou os sócios do BENFICA podem, de facto, ter interesses no Estado, mas de maneira ocasional. No entanto, não actuarão de maneira ostensiva, sistemática e organizada como fazem os membros da Maçonaria. Repare: se não tivessem interesses escondidos; não se escreveiam em tais organizações. Organizações que estão de todo ultrapassadas pelo tempo e que são claramente anti-democráticas como são os partidos de extrema-esquerda e de extrema-direita.

  36. 7 Janeiro, 2012 17:51

    Não há dúvida de que a balsemónica comadre, quando se zanga, leva uma porção de basbaques atrás.

  37. Carlos permalink
    7 Janeiro, 2012 18:01

    “virgens pudicas, se faz favor

  38. Arlindo da Costa permalink
    7 Janeiro, 2012 18:22

    Bem fez o Dr. Álvaro Cunhal ao proibir a presença ou participação de militantes do PCP nesses antros de corrupção, tráfico de influências, corrupção e crime organizado.
    Alguém acredita que essa corja que anda nessas lojas maçónicas é por puro altruismo, humanitarismo ou culto da democracia?
    Se querem fazer o bem então que se inscrevam nos Bombeiros, na Cáritas ou na Cruz Vermelha.
    A P2 em Itália – responsável por crimes, falcatruas, assassinatos, desfalques,etc, não foi proibida em Itália?

  39. castanheira antigo permalink
    7 Janeiro, 2012 18:29

    O estado está em toda a parte , tudo regulou tudo taxou , centralizou a economia de maneira que nada cresce sem ser na sua alçada .
    Há , no entanto uma excepção que é a maçonaria , uma seita secreta com rituais estranhos , onde o “todo poderoso ” estado não regulou nem taxou . Mais grave , ainda, foi essa irmandade secreta quem tomou conta do estado e o domina .
    O estado tem demasiado poder , impede a liberdade individual e consequentemente a criatividade e o desenvolvimento . Dominado ainda por cima por organismos secretos só se pode esperar o pior , pois se os verdadeiros objectivos da maçonaria fossem os que são apregoados , não teriam a necessidade de ser secretos.
    Contra tudo isto sómente o estado mínimo seria a verdadeira solução e o verdadeiro interesse dos portugueses.

  40. ikonoklasta permalink
    7 Janeiro, 2012 18:33

    este, que também é maçom, recidiva:
    .

    http://www.jn.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=2227198&page=-1

  41. 7 Janeiro, 2012 18:34

    Concordo com o António Lemos Soares.
    Se não houvesse interesses escondidos, não seriam associações secretas.
    Ainda que “partout”, o secretismo seja a alma do negócio.

  42. afédoshomens permalink
    7 Janeiro, 2012 18:40

    «a Loja Mozart irá expandir o seu negócio, no seguimento da fuga recente de muitos dos seus membros, e irá comercializar os seus serviços num espaço arrendado para o efeito no Cascais Shopping.

    O negócio principal continuará a consistir na compra e venda de influências, podendo estender-se ao aliciamento de árbitros de futebol e ao desbloqueamento de telemóveis. Efectivamente, Luís Montenegro declarou que “como em todos os negócios, é importante diversificar e a Assembleia da República já se tornou pequena para um negócio desta dimensão»

    assim diz António Fernando Nabais

  43. Fredo permalink
    7 Janeiro, 2012 18:52

    Se eu bem percebi o post, resumo-o assim:
    .
    1ª parte — Deixem lá essas Opus Dei e Maçonaria em paz porque já funcionam há muito tempo, portanto está tudo bem.
    .
    2ª parte — Devemos deixar as organizações, partidos, clubes, fazerem o que quiserem, que nós não temos nada que ver com o funcionamento interno dessas organizações. Pretendentes ao poder do país podem usar truques stalinistas, clubes de futebol podem continuar a comprar árbitros, que nós, as pessoas de bem, não nos devemos imiscuir.

  44. afédoshomens permalink
    7 Janeiro, 2012 18:54

    manuel antónio pina comme il fault
    Parece que o Ministério Público abriu, após queixa de um “grupo de cidadãos”, um inquérito às declarações de Otelo, que, em entrevista à Lusa, terá dito: “Para mim, a manifestação dos militares deve ser, ultrapassados os limites, fazer uma operação militar e derrubar o Governo”.

    Não disse contudo que os “limites” tenham sido ultrapassados neste momento mas, sim, em 1974: “Esse limite foi ultrapassado em 1974 e culminou com a “Revolução dos Cravos”.

    Otelo é, como se sabe, um criminoso. Cometeu um imperdoável crime na madrugada de 25 de Abril de 1974, que hoje seria punido com 5 a 15 anos de prisão. O MP não abriu, porém, qualquer inquérito. Talvez, que sei eu?, porque não tenha sabido ou nenhum “grupo de cidadãos”, dos muitos que não gostaram da coisa, se tenha queixado.

    Agora, que os tempos vão de feição, já apareceu quem se queixasse. Tudo indica que dando as declarações de Otelo como “instigação pública a um crime”, punida pelo artº 297º do Código Penal, se não pelo 326º. Estranho é que o MP, vinculado pelo seu Estatuto, “a critérios de legalidade e objectividade” e não de conveniência política, não tenha também aberto um inquérito às declarações de Belmiro de Azevedo segundo as quais “quando o povo tem fome, tem o direito de roubar”, puníveis, com muito menos boa (ou má) vontade, pelo mesmo artº 297º e em que a acção penal não depende sequer de queixa. Mistérios públicos do Ministério Público…

  45. certo permalink
    7 Janeiro, 2012 19:00

    Bem dito, Arlindo Costa, do princípio ao fim, que fosse por bem fazer, também creio, batizavam-se bombeiros, mas nenhum altruismo move essa gente, além da cunha e mintriga, tão certo como dizem minhas tias que outras tias lho disseram de um parceiro .

  46. certo permalink
    7 Janeiro, 2012 19:04

    Mas chega já de má língua, ou ainda vemos as secretas dar de frosques para algum dos países frios .

  47. certo permalink
    7 Janeiro, 2012 19:07

    Depois, é claro, nós não temos um combate à corrupção, bem ao contrário, como se diz nesse vídeo

    http://citadino.blogspot.com/2012/01/o-fiscalista-tiago-caiado-guerreiro-na.html

  48. Tolstoi permalink
    7 Janeiro, 2012 19:56

    Os poderes fácticos ao contrário do que o LR afirma não são sempre os mesmos, variam, e todos somos agentes de mudança.
    A sociedade é dinâmica e o pensamento evolui, vivemos numa sociedade onde é desejável que haja equilíbrios.

  49. 7 Janeiro, 2012 20:52

    Escreveu o comuna Pina no socratino JN, conforme transcrito em comentário acima:
    “Otelo é, como se sabe, um criminoso”.
    É, sim senhor! E até foi condenado em tribunal a 18 anos de prisão maior (por dezenas de homicídios, designadamente de crianças). Só não cumpriu a pena porque o seu camarada Soares o amnistiou.

  50. certo permalink
    7 Janeiro, 2012 21:18

    “Otelo é, como se sabe, um criminoso. Cometeu um imperdoável crime na madrugada de 25 de Abril de 1974″ de que ninguém se queixou, faltou dizer, ó dizes tu, e nem podia, se crime era a podridão de que ele e os mais nos livrou. Como hoje se diria, com sem falta de argumentos, que uns mafiosos nos roubaram tanto, tanto, que nos puseram de gatas a pagar por muitos anos o que os sacanas meteram em ofshores, bens imóveis e luxos, sem nenhum ir para cadeia. De modo que bem pensa de novo o Otelo, faltou dizer, ó tu dizes, de má-fé, ó retorcido .

  51. 7 Janeiro, 2012 22:20

    Olha, incerto, vai mas é apanhar onde apanham as galinhas.

  52. António Lemos Soares permalink
    7 Janeiro, 2012 22:52

    errata: escreveriam.

  53. António Lemos Soares permalink
    7 Janeiro, 2012 22:53

    Por fim, Mr. Piscoiso concorda comigo.

  54. tric permalink
    8 Janeiro, 2012 00:14

    35 anos a liderarem a III- Republica, tal como a I, e resultado está à vista…é só porcaria que tem Governado Portugal!!!

  55. Tolstoi permalink
    8 Janeiro, 2012 00:27

    Rectifico acima “Hajam equilíbrios”
    Certo
    O facto de Otelo ter sido capitão de Abril, não o deve ilibar de crimes posteriores,
    sobretudo se gravosos. A visibilidade das pessoas só lhes aumenta a responsabilidade.

  56. Arlindo da Costa permalink
    8 Janeiro, 2012 05:46

    Otelo, um criminoso?
    Assaltou algum banco? É administrador dalgum banco? É por acaso algum ex-ministro conhecido?
    Estou confuso…

  57. 8 Janeiro, 2012 10:08

    Não, limitou-se a mandar matar, como ficou provado em tribunal, que o condenou a prisão maior.
    Isso, pelos vistos, não tem arlindicamente qualquer importância.

  58. afédoshomens permalink
    8 Janeiro, 2012 10:56

    Assaltou algum banco? É administrador dalgum banco? É por acaso algum ex-ministro conhecido?

  59. aremandus permalink
    8 Janeiro, 2012 10:59

    Assaltou algum banco? É administrador dalgum banco? É por acaso algum ex-ministro laranjinha? é o dias loureiro?
    é oliveira e costa?
    é celeste cardona?
    é teixeira pinto?…
    é duarte lima???
    é preciso ter morro para cuspir no nosso pai da liberdade!

  60. Tolstoi permalink
    8 Janeiro, 2012 14:59

    Aremandus
    Tenha cuidado porque está a misturar nomes sem critério.
    Não se atira para o ar uma rajada para ver as aves que caiem, deve-se apontar e bem.

  61. Tolstoi permalink
    8 Janeiro, 2012 15:02

    Arelindo
    Não consegue distanciar-se do filtro da impregnação ideológica, existem homens bons
    em todos os quadrantes políticos mas maus também.
    Tente ser objectivo, Otelo é no mínimo um irresponsável, só assim se pode considerar um homem que assinou ordens de prisão em branco.

  62. licas permalink
    13 Janeiro, 2012 11:55

    Uma coisa é certa. Ninguém está na maçonaria para dar de comer aos pobres.

  63. licas permalink
    13 Janeiro, 2012 11:58

    Arlindo da Costa
    Posted 8 Janeiro, 2012 at 05:46 | Permalink
    Otelo, um criminoso?
    Assaltou algum banco? É administrador dalgum banco? É por acaso algum ex-ministro conhecido?
    Estou confuso…
    ________________________

    Estás é com os copos Arlindo: Otelo Saraiva de Carvalho integrou (chefiou?)
    um bando que assassinava pessoas . . .
    A TAL JUSTIÇA POPULAR !!!

  64. licas permalink
    13 Janeiro, 2012 12:01

    Quanto ao Otelo ser pai da democracia concordo______
    ENQUANTO PÔDE ANDOU SEMPRE A FOD.-LA.

  65. licas permalink
    13 Janeiro, 2012 12:12

    Vocês sabem tão bem como eu porque
    foram ilibados os da seita : não se conseguiu apurar
    quais tinham sido os elementos que assassinaram.
    É assim como 5 ou 6 cada um usando metrelhadoras para
    * põr um frango num passador*
    ___et violà____
    quantos eram? pergunta o Juíz.
    estava efectivamente no local?
    disparou ou a arma encravou?
    atirou para o ar?
    havia luz suficiente para se aperceber que o alvo era humano?
    AND SO ON . . .

  66. licas permalink
    13 Janeiro, 2012 12:41

    Informem-se , os mais novos que não viveram o TERROR:
    pt.wikipedia.org/wiki/Forças_Populares_25_de_Abril

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 34.909 outros seguidores

%d bloggers like this: