Saltar para o conteúdo

«Novo»?

28 Março, 2009

Acabadinho de chegar a presidente do sindicato dos magistrados e desde logo parece padecer dos velhos vícios. 

Curioso ver um magistrado «ameaçar» cumprir o seu dever, como seja o de denunciar «pressões» (suponho que ilegítimas, caso contrário, não estaria a fazer perder o nosso tempo, não é?). 

Bem melhor e mais saudável numa sociedade aberta, seria dizer logo o que tem a dizer (se é que tem), e deixar-se de octavismosmachadistas, ameaças ou insinuações. Ou acaso espera, com estas declarações, que suceda alguma coisa para não ter de falar? Estaríamos então apenas no não menos nubloso domínio das contrapressões….

Anúncios
22 comentários leave one →
  1. 28 Março, 2009 23:06

    O «olhem que me vou a eles» que nunca dá em nada é um vício infeliz e recorrente em Portugal: deixa-nos a pensar o pior posssível da contaminação promíscua entre os vários poderes. O Medo está instalado e é instilado todos os dias: ou liberdade ou emprego. Smith tem medo e tanto ele como a declaração do PM atiram palavras ao vento e poeira ao ar. Há pressões e medos e chantagens. Falta apontar o dedo e expor quem pratica o intolerável.

    Gostar

  2. 28 Março, 2009 23:15

    E não sabem estar calados?
    Falar menos e fazer e actuar mais?
    Ou os fala-barato da AR chegaram ás TV?

    Gostar

  3. jupiter permalink
    28 Março, 2009 23:16

    A coragem deixou há muito de ser apreciada no sítio.

    Gostar

  4. mussulo permalink
    28 Março, 2009 23:22

    eh pá vocês vão ter um problema bicudo para resolver com uma selecção que não marca golos, vai penalizar mais os xuxas que todas esssas questões intrincadas, eu trabalho no duro há 8 anos na merda da vossa capital bafienta, mas sei que a bola já deu, agora é só desemprego, crime droga e pouco mais, estou aqui estou a voltar para a minha terra com o meu patrão, porque aqui as obras param, só vejo rafeiros e velhinhos a pedir esmola.

    Gostar

  5. 28 Março, 2009 23:47

    Em causa inamovibilidade e autonomia dos magistrados

    Manuel Alegre apoia PCP no pedido de fiscalização sucessiva do Mapa Judiciário

    O PCP vai pedir ao Tribunal Constitucional a fiscalização sucessiva do Mapa Judiciário e conta com o apoio do histórico socialista Manuel Alegre, do Bloco de Esquerda e de quatro deputados eleitos pelo PSD (Pignatelli Queiroz e Nuno da Câmara Pereira do PPM e Pedro Quartin Graça e Luís Carloto Marques do MPT).

    O pedido comunista vem na sequência de um parecer pedido pelo Sindicato dos Magistrados do Ministério Público aos juristas Rui Medeiros e Lobo Moutinho que consideraram que há inconstitucionalidades por violação do estatuto de autonomia do Ministério Público no novo Mapa Judiciário. Em causa está a autonomia interna de cada magistrado que, segundo os especialistas, pode ser prejudicada com a política de nomeação e de rotatividade do diploma.

    http://www.ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1371206&idCanal=22

    Gostar

  6. 28 Março, 2009 23:51

    Lei Penal «favorece» corrupção

    Especialistas defendem que é preciso despenalizar quem paga para que haja medo de praticar o crime

    A Lei Penal portuguesa favorece a corrupção. A conclusão é do Centro de Estudos da População Economia e Sociedade (CEPESE) que está a estudar o fenómeno em cooperação com a Polícia Judiciária.

    Os especialistas garantem que é preciso despenalizar quem paga, para que políticos e funcionários corruptos tenham medo de praticar o crime.

    «Concluimos que, de facto, as simetrias das sanções induz a um comportamento de grande cooperação, de conluio, na realidade a um pacto de silêncio, porque essa é uma relação de confiança. No fundo, a simetria das sanções promove e assegura a confiança entre os dois, porque se alguma coisa correr mal, se houver um risco de denúncia de uma das partes, se houver o risco de traição, de burla, ambos são igualmente penalizados», afirma a investigadora do CEPESE Cristina de Abreu.
    http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/lei-penal-tvi24-pj-corrupcao-crime-conluio/1052889-4071.html

    —————————————————————————————

    Enriquecimento ilícito: PS explica oposição à criminalização

    Santos Silva diz que «não se deve inverter o ónus da prova»

    O ministro dos Assuntos Parlamentares e dirigente socialista Augusto Santos Silva disse este sábado em Gondomar que o PS se opôs a que o enriquecimento ilícito seja considerado crime, por defender que «não se deve inverter o ónus da prova», noticia a Lusa.
    http://www.tvi24.iol.pt/politica/santos-silva-ps-corrupcao-tvi24-enriquecimento-ilicito/1053048-4072.html

    Gostar

  7. Anónimo permalink
    29 Março, 2009 01:21

    As palavras de hoje do ministro Santos Silva parecem evidenciar certezas mais ou menos absolutas quanto ao destino deste processo.

    Gostar

  8. Luis Moreira permalink
    29 Março, 2009 01:37

    É o que quiserem, mas antes de tudo, é gravíssimo!O Presidente do Sindicato vir dizer publicamente, que há pressões no caso Freepor, devia ser tratado com seriedade e não como “mais um” ! Pela primeira vez há uma entidade independente que vem dizer que o caso Freeport está a ser “apagado”.E não pode ser “apagado” por nenhum de nós!Por quem será?

    Gostar

  9. 29 Março, 2009 02:59

    Não se espere nada de uma Justiça capturada pela autocomplacência corrupta do Bloco Central. Para isso é que sofrem os Torrão e outros. Malhar é isto. Malha-se nos que furam o manto de silêncio e tentam sacudir o torpor conivente geral.

    Gostar

  10. Anonimo permalink
    29 Março, 2009 04:46

    .
    Embora fóra de tema,
    .
    -Ruth Madoff took $2m from London office before collapse
    Serious Fraud Office investigates UK arm of Madoff’s business
    http://www.independent.co.uk/news/business/news/ruth-madoff-took-2m-from-london-office-before-collapse-1656149.html
    .
    -Bernard Madoff’s office in Mayfair, London ‘was billion-dollar piggy bank’
    http://www.timesonline.co.uk/tol/news/uk/crime/article5989473.ece
    .

    Gostar

  11. Anónimo permalink
    29 Março, 2009 10:50

    se existem pressões devem ser denúnciadas, deve dizer quem, como e aonde. sem explicações quem condiciona e pressiona é o calavão. deve ser uma nova reivindicação sindical da coligação que pretende acabar com o caso pela descredibilização total, desresponsabilizando a batota feita até agora.

    Gostar

  12. 29 Março, 2009 10:55

    29 Março 2009 – 02h00
    Processo: Sugerida tese de prescrição do crime de corrupção no licenciamento

    Magistrados pressionados para arquivar
    O arquivamento do processo Freeport, no todo ou em parte, está a ser discutido pela hierarquia do Ministério Público, e os magistrados que lideram a investigação têm sido pressionados para fechar o caso. A palavra final vai pertencer a Cândida Almeida, coordenadora do DCIAP, e a Pinto Monteiro, procurador-geral da República.

    Conheça todos os pormenores na edição de domingo do jornal ‘Correio da Manhã’
    http://www.correiodamanha.pt/Noticia.aspx?channelid=00000181-0000-0000-0000-000000000181&contentid=6A70335F-FADD-491C-A5C0-1F3CEF68DF09

    Gostar

  13. 29 Março, 2009 10:59

    João Miguel Tavares – Jornalista – : A CABALA EXPLICADA ÀS CRIANCINHAS
    Fevereiro 3, 2009

    Ah, como eu teria ficado mais feliz se José Sócrates, em vez de clamar contra os “poderes ocultos”, tivesse dito que desocultava as suas contas bancárias. Era tão fácil. Estou a imaginá-lo a aproximar-se do microfone, na sua última conferência de imprensa, e em vez de falar em “insídias” e “ignomínias”, dizer simplesmente: “Portugueses, nada tenho a esconder. Abdico voluntariamente do meu sigilo bancário. As minhas contas estão à disposição da Polícia Judiciária e do Ministério Público.” Era tão fácil, não era?

    http://www.livresco.wordpress.com/2009/02/03/joao-miguel-tavares-jornalista-jmtavaresdnpt-a-cabala-explicada-as-criancinhas/

    Gostar

  14. 29 Março, 2009 11:06

    Caso Freeport tem desde início uma escuta que envolve Sócrates – Chamada interceptada dois dias depois da abertura do inquérito em 2005 referia pagamento de €500 mil
    Março 17, 2009

    Uma escuta telefónica de 17 minutos, feita a uma pessoa envolvida no caso Freeport, inclui uma afirmação que liga o alegado pagamento de ‘luvas’ em troca da aprovação do outlet ao primeiro-ministro, José Sócrates. A intercepção remonta a 9 de Fevereiro de 2005, dois dias após a abertura do inquérito pelo Ministério Público do Montijo, apurou o Expresso, depois de ter autorização do Tribunal Constitucional para consultar esta semana os oito volumes do processo de fuga de informação que condenou o inspector Elias Torrão, da Polícia Judiciária de Setúbal.
    http://www.livresco.wordpress.com/2009/03/17/caso-freeport-tem-desde-inicio-uma-escuta-que-envolve-socrates-chamada-interceptada-dois-dias-depois-da-abertura-do-inquerito-em-2005-referia-pagamento-de-e500-mil/

    Gostar

  15. Anónimo permalink
    29 Março, 2009 11:16

    o pacheco disse que foi uma brincadeira de garotos, portanto irresponsáveis, mas que a investigação da mentira deve prosseguir e se possível culpabilizar o sócrates. caso isto não aconteça, é porque existem pressões, condicionamentos e falta de liberdade de expressão.

    Gostar

  16. Anónimo permalink
    29 Março, 2009 11:22

    #15 é uma escuta a anónimos familiares do soldado desconhecido.

    Gostar

  17. José Manuel Santos Ferreira permalink
    29 Março, 2009 11:55

    Nunca esteve tão actualizada esta máxima

    “Vocês sabem bem o que eu quero dizer”

    Gostar

  18. Anónimo permalink
    29 Março, 2009 12:10

    se calhar as pressões são para trabalharem e apresentarem resultados. o gajo foi eleito para sindicalista ou político? sindicatos comunas ao serviço dos interesses do psd não é original, mas seria interesante conhecer as contrapartidas.

    Gostar

  19. Tribunus permalink
    29 Março, 2009 18:22

    Friportus, com culpado ou não já deu um banho de merda ao socrates, que perdeu a dignidade, para ser primeiro ministro, com esta e as outras estórias para trás!
    O Santana Lopes foi corrido de primeiro, por muito menos!
    A Casa Pia, tenham culpa ou não os pedófilos, já estão condenados, vai para 5 anos, pelas pessoas dignas em Portugal!
    Quanto aos arquivamentos e processos que duram 20 anos, isso faz parte da tradição da justiça abrilesca! Veja a merda do caso Sá Carneiro! portanto o Procurador Geral da Republica, tem uma oportunidade de ouro, para correr com esta choldra ou demitir-se, por se considerar impotente com tanta choldra à sua volta!

    Gostar

  20. Anónimo permalink
    29 Março, 2009 21:25

    #20 falas em nome da fenprof

    Gostar

  21. JOSE FERREIRA DA SILVA permalink
    30 Março, 2009 13:52

    Com elites destas , que amaçam “aggarem-me senão vou me a eles ” esta tudo mal.

    Gostar

  22. Tribunus permalink
    30 Março, 2009 16:51

    Porque não denuncia, por quem foram feitas as pressões, que tipo de press~oes e pede a demissão, por não ser possivel exercer o seu cargo, nestas situações de fascismo?
    No minimo, tinha o nome numa rua, talvez numa avenida! ou e
    a cobardia do costume?

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: