Saltar para o conteúdo

Quem ganha com a harmonização fiscal?

4 Janeiro, 2012

Luís Naves não deve estar a ver bem as consequências da harmonização fiscal na União Europeia quando escreve o seguinte:

O mercado único implica harmonização das taxas de IRC e o fim dos off-shore. É inevitável ou não haverá mercado único (como se vê pelo que fez a Jerónimo Martins, entre outras). Não vamos querer que alguns países, como a Holanda, vivam do trabalho dos outros.

Note-se que a Holanda é um país com uma base de capital muito superior a Portugal. É um país que tem uma população mais educada que a portuguesa. É um país que tem dois dos mais importantes portos europeus. É um país que tem dezenas de milhões de consumidores num raio de 500 km. Perante isto, o Luís Naves acha que a harmonização fiscal é do nosso interesse. É mesmo isso: temos custos de contexto maiores e vamos competir cobrando os mesmos impostos.

O Luís Naves diz ainda:

Comparar EUA e Europa é um disparate, pois nenhum país europeu quer ser como o Kansas. A liberdade de capitais com concorrência fiscal e livre circulação de trabalhadores (perdão, de colaboradores) daria origem na Europa às diferenças que existem entre Kansas e Califórnia.

O Luís Naves parece achar que a harmonização fiscal beneficiaria o Kansas e prejudicaria a Califórnia. Pelo contrário. Tendo a Califórnia melhores condições para oferecer às empresas (melhor base industrial, mercado mais desenvolvido, proximidade do mar, população), o Kansas só pode competir reduzindo os impostos. Se os impostos fossem iguais, o capital seria transferido para a Califórnia. Na Europa, a harmonização fiscal só beneficiaria meia lua que vai de Londres ao Norte de Itália no mapa abaixo. Porquê? Porque, para custos fiscais iguais, é aí que estão a melhores condições para investir.

10 comentários leave one →
  1. boabol permalink
    4 Janeiro, 2012 22:52

    Que ilustra o sombreado no mapa? Macro-Regiões?

    Gostar

  2. 4 Janeiro, 2012 22:58

    Mas que existem harmonizações que funcionam em perfeitíssima sintonia, lá isso existem:
    http://lishbuna.blogspot.com/2012/01/associacao-de-amizade-portugal-alemanha.html

    Gostar

  3. G_L permalink
    4 Janeiro, 2012 23:31

    Está-me a escapar alguma coisa. Se houver harmonização fiscal com custos mais baixos cá, Portugal atrairia capital. E mais: a lua a que se refere tem o mercado saturado, é oceano vermelho.

    Gostar

  4. silva permalink
    4 Janeiro, 2012 23:44

    No despedimento colectivo de 112 familias do casino estoril nada foi cumprido no artigo 362º
    e depois dizem que as pessoas não querem trabalhar .
    Artigo 362.º
    Intervenção do ministério responsável pela área laboral
    1 – O serviço competente do ministério responsável pela área laboral participa na negociação
    prevista no artigo anterior, com vista a promover a regularidade da sua instrução substantiva e procedimental e a conciliação dos interesses das partes.
    2 – O serviço referido no número anterior, caso exista irregularidade da instrução substantiva e procedimental, deve advertir o empregador e, se a mesma persistir, deve fazer constar essa menção da acta das reuniões de negociação.
    3 – A pedido de qualquer das partes ou por iniciativa do serviço referido no número anterior, os serviços regionais do emprego e da formação profissional e da segurança social indicam as medidas a aplicar, nas respectivas áreas, de acordo com o enquadramento legal das soluções que sejam adoptadas.
    4 – Constitui contra-ordenação leve o impedimento à participação do serviço competente na
    negociação referida no n.º 1. O governo está a dar apoio a este despedimento.

    É SÓ PREENCHER TEMPO NADA SE FAZ, NEM SE INVESTIGA…… é deixar andar até a maioria da população
    morrer para se dar a notícia que o desemprego baixou.

    A PODRIDÃO INUNDA POR DEBAIXO DA CAPA OU TITULO DE ( Doutor, Engenheiro, Arquiteto, Administrador, Ministro e muito mais……….

    Gostar

  5. Fincapé permalink
    4 Janeiro, 2012 23:50

    E os custos com pessoal não contam? É que, se assim for, descem-se os impostos e paga-se como aos da meia lua.

    Gostar

  6. Arlindo da Costa permalink
    5 Janeiro, 2012 00:02

    Portugal só tem futuro se baixar DRASTICAMENTE os impostos.
    Enquanto tiver esta medonha carga fiscal vamos empobrecendo ao som do fado do desgraçadinho.
    Quantos mais impostos, mais miséria.
    Olhem para o Zimbabué, que até já não tem nada para tributar, a não ser merda!

    Gostar

  7. Buiça permalink
    5 Janeiro, 2012 02:50

    Harmonização soa a colectivização.
    Qualquer dia ilegalizam a concorrência também.
    E depois proíbem a evolução das espécies.
    Não seria justo para com os menos aptos manter o status quo dos últimos milhões de anos…
    E contar os pontos na sueca? Uma violência para quem acaba com menos. Inaceitável.

    Uma ideia para IRC:
    -20% regime geral.
    -10% para exportadores nos próximos 10 anos convergindo para o regime geral nos 10 seguintes.
    -5% até 3 anos para quem crie mais de 50 a 100 postos de trabalho (4% de 100 a 200 e por aí fora até zero para mais de 500) e os mantenha durante 3 anos, depois passa a uma das categorias acima.
    -Se forem criados em empresa já existente a taxa bonificada aplica-se à proporção de novos empregos face ao total da empresa.
    -Absolutamente nenhuma dedução ou diferimento de prejuízos para abatimentos em anos seguintes.
    -Manter durante 30 anos em ambiente de liberalização total de contratação e despedimento, apenas combatendo ferozmente as tentativas de fraude aos objectivos.

    Mais de 80% dos projectos falham nos primeiros anos. Desde que se mantenham os incentivos à criação de emprego, quantos mais falharem mais rapidamente chegamos aos que vingam e esses chegam ao patamar em que proporcionam trabalho estável enquanto contribuem com os 20%de IRC para o funcionamento do país.

    Gostar

  8. anti-comuna permalink
    5 Janeiro, 2012 15:40

    Bem visto, caro JM. Estas gente quer mesmo que os clusters industriais europeus se concentrem à volta da renania. Nabos!

    Gostar

Trackbacks

  1. Leitura recomendada « O Intermitente (reconstruido)
  2. Coisas estranhissimas que se lêem nos blogs (2) « O Intermitente (reconstruido)

Deixe uma Resposta para Buiça Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: