Saltar para o conteúdo

Bloco Climáximo de Esquerda

9 Dezembro, 2019

Ou derrubamos o capitalismo, ou as alterações climáticas acabarão com a civilização humana.

É necessário derrubar o sistema capitalista, criar uma nova forma de estado alternativa ao capitalismo, com planeamento democrático.

O decrescimento económico não é uma miragem, mas uma necessidade, uma mudança planeada para responder às necessidades reais.

Atualmente, apenas existem dois partidos: o partido do capitalismo e o partido da sobrevivência.

Uma revolução ecossocialista é necessária para derrubar o capitalismo, não por causa do romantismo ou de uma visão mecanicista da história, mas sim por uma necessidade de garantir a sobrevivência e manutenção de condições materiais minimamente razoáveis para a continuação das civilizações humanas.

(João Camargo, a quem os orgãos de comunicação social chamam de “especialista em alterações climáticas”)

Greta_Climaximo_Camargo

Quer excendentes orçamentais? Deixe de pagar contas

9 Dezembro, 2019

Mas como é que eu não me lembrei disto? Andei este tempo todo sempre a fazer contas e planificações do meu orçamento doméstico para poder fazer face às despesas, sempre com muito controlo para não falhar com nada em casa; a trabalhar que nem uma “moura” para governar minha vida e eis que Centeno revela a sua fantástica estratégia que fez gerar “excedentes” milionários: cativar toda a despesa e pagamentos enquanto carrega forte nos impostos dos contribuintes que trabalham arduamente para  sustentar a máquina do Estado. Não é genial?

Com esta “brilhante” lição de economia aprendi que, se não pagar luz, água, gás, renda, compras de supermercado, gasóleo, créditos e outras responsabilidades; nem fizer manutenções de nenhuma espécie em casa com electricidade quando há curto-circuitos ou nas canalizações quando rompem  ou no telhado quando voam telhas;  nem  arranjos mecânicos no carro quando há avarias, mudanças de óleos ou pneus quando estão “carecas”;  nem comprar sapatos mesmo que rotos ou roupas mesmo que velhas e gastas, posso abrir conta na Suíça e com os juros pagar uma férias milionárias à família no Mónaco ou comprar um Lamborghini  ou uma mansão à beira mar como o visionário Al Gore!! Sou mesmo idiota.

Eu sempre desconfiei das capacidades de gestão do nosso “Ronaldo das Finanças” e denunciei-o no meu artigo de Março de 2017, “O défice de 2016 é um embuste” onde afirmei: “O défice que nos apresentaram é uma perigosa bomba relógio. Não há mérito nenhum nos 2,1%. Muito menos prova que usando outras políticas se consegue os mesmos objectivos como disse Marcelo. O que há são malabarismos grotescos, diria quase criminosos, de “chico-espertice tuga” que escondem o maior embuste, depois de Sócrates, fundamentado em mentiras, patranhas e ilusões para o iletrado cidadão. Uma falta de respeito por toda uma Nação a quem se pede constantemente sacrifícios fingindo ser pelo bem de todos. Uma mentira abençoada pelo PR que nos deveria fazer corar de vergonha. Infelizmente.”

Repeti-o no meu artigo de 16 Outubro 2017, “O monstro da dívida” quando escrevi:” O OE2018 volta ao ASSALTO habitual ao contribuinte. Faz falta dinheirinho para alimentar os esquemas habituais da governança e suas respectivas clientelas FAMINTAS a quem se promete mundos e fundos sem um chavo no bolso! O monstro da dívida, esse, cada vez mais gigantesco não se mata. Não se diminui. Controla-se, isso sim, o défice, como se o défice não tivesse nenhuma ligação à dívida pública e chama-se a isso “controlo” (sim, é o controlo contabilístico do empurra para debaixo do tapete). É para rir? Isto claro, até ao próximo colapso. Mas alguém acredita que com o tetra em bancarrotas os credores não nos tentem pôr os patins rapidamente? Não brinquem com coisas sérias. Porque só temos tido dinheiro para pagar as despesas do Estado graças à UE. Esqueceram-se?”

Voltei a lembrá-lo no meu texto “Não felicito Centeno“, em Dezembro de 2017,  quando afirmei: “Não, não o felicito porque por causa dele temos 3 Orçamentos de Estado às costas carregados de aumentos de impostos como consequência do seu eterno “amem” às clientelas da geringonça;  temos cativações grotescas que colocaram em risco a saúde, a educação, a segurança e o bem estar dos portugueses, e perspectivas de futuro com mais agravamentos de impostos para impedir um novo colapso das contas.”

Mas dou agora a mão à palmatória. O homem é mesmo um “grande génio”. Conseguiu o que ninguém consegue sem qualquer peso na consciência: défice zero e excedentes orçamentais só com uma brutal asfixia financeira de todas as instituições do Estado e aumento do roubo fiscal às famílias trabalhadoras deste país.

Isto não é para qualquer um. É só para gente muito corajosa ou estúpida. Quem arrisca colocar os serviços públicos de um país inteiro em falência técnica e empobrecer os portugueses que vivem dos seus parcos rendimentos só para agradar à Geringonça em 4 anos de legislatura, com o risco que daí advém para os  mais vulneráveis? Só mesmo um pequeno génio fantoche à espera de uma recompensa como o “Bobby” que faz tudo o que o dono manda por um croquete ou um osso.

Só tenho pena de nós, cidadãos, não podermos seguir a mesma dica – sem irmos presos – e suspendermos todos os nossos pagamentos ao Estado, já! Quem sabe assim, provando do seu próprio veneno, a “pulhítica” acabasse de uma vez no Parlamento por falta das verbas que alimentam esta casta nojenta que nos escraviza e ainda se regozija dos “grandes feitos” contabilísticos como se fôssemos todos parvos.

Com isto podemos então tirar a conclusão que o estado lastimável em que deixaram as escolas, os hospitais, os transportes públicos, as esquadras, a segurança nacional e muito mais,  que matou e ainda mata muita gente, é mesmo de propósito por um “excedente” fictício. “Bravo” Centeno! Ninguém faria pior.

Assim percebe-se melhor porque a regionalização se tornou o grande problema do país

9 Dezembro, 2019

Miguel Coelho: «As pessoas deviam saber que, com o actual sistema, em 2060 a pensão média será cerca de 30% a 40% do salário médio. As pessoas vão ter uma quebra abrupta do valor dos seus rendimentos mas não sabem disso. E deveriam saber.»

O país que não se vê das docas de Lisboa onde os altos representantes da nação vão falar sobre a “emergência climática”

9 Dezembro, 2019

Carlos Neves: «enquanto se discute uma pista de gelo em Lisboa, o Estado português envia para as serras técnicos superiores ao volante de carros velhos, para assegurar coisas fundamentais como vigiar a sanidade animal, as novas doenças que ameaçam as culturas»

Alguém consegue investigar e fazer uma notícia sobre o que estes números querem dizer?

8 Dezembro, 2019

«Mais de 20 mil alunos contam este ano letivo com tutores para melhorarem as notas. Estão em causa crianças do segundo e terceiro ciclo, que chumbaram na escola pelo menos duas vezes. No total, o programa Apoio Tutorial Específico tem um custo direto de 15 milhões de euros. Três mil professores estão integrados no programa, que arrancou em 2016 com 2728 docentes.

(…) a avaliação ao programa, feita pela Inspeção-Geral de Educação e Ciência, mostra que 32% dos alunos abrangidos faltaram a mais de metade das sessões com os tutores; e 9% dos alunos não foram autorizados pelos pais a frequentarem essas aulas

As pessoas estúpidas

8 Dezembro, 2019

As pessoas estúpidas querem recuperar a naturalidade dos gestos.  Querem comprar uma camisola este Natal sem ter de pensar em todos os dramas do mundo. Querem que comer seja simplesmente comer e não um manifesto em prol da saúde, do ambiente e do comércio um pouco justo ou muito injusto.
As pessoas estúpidas querem levar os filhos e os netos ao Jardim Zoológico sem antes terem de fazer mea culpa.

A importância das pessoas estúpidas tornou-se-me óbvia não sei se a culpa foi do marido de Penélope Cruz gritando “estúpido” na Marcha do Clima, em Madrid, se do marido da filha do dr. Louçã transformado em profeta do apocalipse ambiental. Mas de algum deles foi certamente pois ambos com o seu particular e bem sucedido modo de vida fizeram-me perceber a importância das pessoas estúpidas. Ou seja aquelas pessoas que, com os seus impostos em ordem e desejo de viver em paz e sossego, mantêm a funcionar um sistema que o senhor Bardem e o marido da filha do dr. Louçã declaram abominar.

Camargo sai do armário

7 Dezembro, 2019

Citações de um suposto ambientalista:

“Negociar o fim do capitalismo com capitalistas é impossível”.

“Pode negociar-se com empresas como a Exxon ou a Mobil, mas elas têm de ser fechadas. Pode falar-se com a EDP, mas ela tem de ser nacionalizada.”

“A única luta que pode conter o colapso climático é a luta anticapitalista e a única estratégia para ganhar a luta é revolucionária”.

JoaoCamargo-2JoaoCamargo-4JoaoCamargo-3