Skip to content

E como se entra para a Comissão de Utentes?

29 Agosto, 2016

Utentes alertam para a degradação do serviço do Metropolitano de Lisboa

Pois, se pagar 7,48 euros de renda por este edifício no centro de Grândola não é favor o que será…

28 Agosto, 2016

Jerónimo de Sousa: Património do PCP não se deve “a favores do Estado”

confimp_ineseixas 09.02.08 (8).jpg

Camarada Maduro não te esqueças desta personagem no filme que vais fazer

28 Agosto, 2016

sem título

27 Agosto, 2016
by

ng7448529Fui hoje passear pela cidade de Anadia. Fiz a estrada interior que liga essa cidade ao Luso, um dos sítios mais encantadores de Portugal, onde o tempo felizmente não passa, e onde, há anos, várias vezes me cruzei com o general António de Spínola, no Grande Hotel. Era um homem cabisbaixo e taciturno, de poucas ou nenhumas palavras, visivelmente marcado pela vida. Do Luso tomámos a estrada que leva a Monsarros, que passa por Vale de Avim e, um pouco mais adiante, por Vale do Boi, até chegar novamente ao ponto de partida. Não esperava ver o que vi. Praticamente ao longo de toda a jornada de quase 30 km, de um e do outro lado da estrada, milhares de árvores queimadas, centenas de hectares destruídos, o chão preto de terra em cinzas, aqui e ali ainda fumegante. A única sensação que tive foi a de total insegurança. Com excepção de alguns poucos homens notáveis que ainda se dispõem a arriscar a vida para combater os incêndios, Portugal – os governos e os poderes públicos – pouco ou nada faz pela segurança dos cidadãos e da propriedade privada e pública. É perante coisas destas que percebemos a nossa imensa vulnerabilidade, enquanto país e comunidade. Que não dispomos de recursos para coisa nenhuma, nem sequer para defender o que é nosso e nos defendermos a nós mesmos. Que é assim há muitos anos e assim continuará a ser. A treta infindável dos governos e governantes – que vão tomar medidas e que, para o ano, é que vai ser – devia envergonha-nos a todos: porque é mentira, porque eles e nós sabemos que é mentira e porque, ainda assim, continuamos a deixar que nos enganem. A verdade dos factos é que Portugal não dispõe de meios de prevenção necessários e suficientes para evitar ou debelar qualquer tragédia que nos aconteça. Somos um país falido e sem recursos, que vive da clemência do estrangeiro. Por isso, sempre que um governante volte a dizer-lhe que as coisas não estão assim tão más e que até vão melhorar, mande-o passear a Anadia. Ele, provavelmente, não terá vergonha. Mas você certamente que terá por viver num país assim.

Lançamento de “Manual Modernista para a Modernidade”

27 Agosto, 2016

ModernistaConvido os leitores do Blasfémias – incluindo os críticos sem tendências homicidas – a visitarem a Feira do Livro do Porto no dia 6 de Setembro às 18h00, para que possam ouvir a apresentação que o Carlos Guimarães Pinto fará no lançamento do meu livro “Manual Modernista para a Modernidade”, editado pela Ideia-Fixa. Estarei disponível para sorrir e cumprimentar todos – mesmo bloquistas – assim como pronto para assinar todos os livros que mandei o meu amigo rico comprar os meus amigos decidirem livremente adquirir.

Página do evento no Facebook.

Sinopse
Está tudo mal. A sociedade nem percebe os graves problemas que tem. É um mistério termos chegado ao século XXI com uma civilização tão quebrada e desprovida de um sentido claro de direcção. É necessário rasgar com o passado. O nosso futuro é inadiável: temos direitos e queremos exigi-los já, todos ao mesmo tempo, incluíndo os que se contradizem entre si. Tanto nos indigna a queda de uma ponte como os milhares de pessoas impossibilitadas de viver em felicidade por lhes ser vedado o casamento com árvores. Há gente que se ri de nós, das nossas causas, da nossa vontade em proporcionar-lhes um mundo melhor, quer o queiram, quer não. Ainda vemos a espécie humana como binária, composta por dois géneros. O fascismo bate-nos à porta e atendemos com simpatia. Precisamos que o Estado resolva os nossos problemas, ora pela força, ora pela mudança de mentalidades que a dispensa. Este manual permite que compreenda os problemas prementes da humanidade para que se torne num Moderno contestatário, capaz de exercer a sua superioridade perante o resto da sociedade rumo à plena igualdade.

Cuidado com as ideias que parecem excelentes

26 Agosto, 2016

Comissão Europeia está a preparar um pacote de reformas que poderá levar “gigantes” como o Facebook e a Google a pagar aos jornais pelas notícias que são distribuídas nas suas plataformas.

Há anos que os franceses andam em guerra com o Facebook e a Google. O resultado não podia ser pior: é dificílimo encontrar conteúdos em francês. Mesmo pesquisando em francês. Aliás boa parte do que acontece em França só é notícia quando chega aos sites ingleses.  Em parte porque os jornalistas não sabem francês. Mas não só.

 

Já entrevistaram o professor Boaventura?

26 Agosto, 2016

Vice-ministro do interior da Bolívia foi “brutalmente assassinado”

Este é o momento para entrevistar o professor Boaventura, essa extraordinária figura que se multiplica por observatórios disto e daquilo. Há largos anos que o professor Boaventura justifica actos como aquele que agora puseram fim à vida deste ministro boliviano. Chama-lhe justiça indígena e segundo o professor Boaventura levará a uma transformação pluralista, descolonizadora e democratizadora da sociedade. É certo que os anteriores executados não faziam parte de um governo tido como amigo pelo professor Boaventura mas tb por isso será importante ouvir o professor Boaventura, grande divulgador da justiça comunitária.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 45.698 outros seguidores