Skip to content

O estado das artes

22 Fevereiro, 2017

o-caso-da-cornucopia-cintra-marcelo-ministro-cultura

Foi já há algum tempo que a história veio a lume, mas não queria deixar de comentar o inesperado encerramento de um dos mais importantes e frequentados espaços culturais de Lisboa. Também foi notícia, mais ou menos na mesma altura, a decisão de Luís Miguel Cintra em acabar com o Teatro da Cornucópia, mas o fecho do Elefante Branco parece-me um assunto de maior gravidade e, por isso, mais merecedor de pormenorizada análise socioeconómica.

Há nestes dois encerramentos um facto intrigante que devemos sublinhar: quer a Cornucópia quer o Elefante resistiram à austeridade e filistinismo cultural do governo de Passos Coelho mas não às mãos-largas e gosto pelas artes do governo das esquerdas. Como não quero acreditar que as tão anunciadas reposições, de rendimentos e do Ministério da Cultura, tenham sido meras operações de propaganda, só posso concluir que foram os homens do FMI destacados em Lisboa durante o período do resgate que asseguraram a sobrevivência dos dois estabelecimentos nos últimos anos. Os grandes marotos, traumatizados pelo estado calamitoso das nossas finanças públicas, andaram a afogar as mágoas em champagne e Gil Vicente.

Estranhamente, talvez por julgar não conseguir acrescentar afectos a um lugar que por eles se tornou famoso, Marcelo Rebelo de Sousa não foi visto na pista de dança do “Trombinhas” no estertor do estabelecimento. E fica assim a dúvida se não teria sido possível, com essa mediação presidencial, ultrapassar os constrangimentos que prejudicaram o normal desenrolar da actividade. Esta ausência torna-se ainda mais estranha quando fomos testemunhas de toda a atenção que o Palácio de Belém prestou à candidatura de António Guterres à liderança da ONU. É que, com a sua clientela de políticos, governantes e diplomatas, e com a forte presença de trabalhadoras de várias nacionalidades, da América Latina à Europa de Leste, o Elefante Branco era, sem dúvida, o local português mais parecido com a Assembleia Geral das Nações Unidas. E, tal como no edifício nova-iorquino, muitas guerras tiveram nas suas mesas o seu prólogo. Guerras conjugais, principalmente. Mas nem por isso menos atrozes e arrepiantes. E muito mais palavrosas, para horror do beligerante masculino.

É também curioso que num país repleto de “elefantes brancos” sem qualquer utilização, se tenha optado por fechar aquele que ainda registava alguma procura. E não me venham falar de custos de manutenção. Por muita cowboyada que se fizesse no paquiderme lisboeta – e não faço a menor ideia do que lá se passava, uma vez que, à semelhança de todos os restantes homens do planeta, nunca lá fui –, não acredito que desse tanto trabalho a limpar como as 23 mil cadeiras vazias do Estádio de Leiria ou os 6 quilómetros de pistas abandonadas do Aeroporto de Beja.

Advertisements
12 comentários leave one →
  1. campus permalink
    22 Fevereiro, 2017 11:51

    Dois Espaços que fecharam.
    Cornucópia onde todos iam e que estava sempre vazio.
    Elefante Branco onde ninguém ia e estava sempre cheio.

    Liked by 2 people

  2. Artista Português permalink
    22 Fevereiro, 2017 11:57

    Se nunca lá foste, não sabes o que perdeste…era a única prova verdadeira pelo empenho humano na globalização! Mas não perdes pela demora. Nestes assuntos não há espaços vazios.

    Gostar

  3. Castrol permalink
    22 Fevereiro, 2017 12:08

    Um ingrato este presidente Marcelo!

    Tanto empenho para evitar o fecho da Cornucópia e sobre um dos maiores ícones da cultura Lisboeta, quiçá Ibérica, nem uma palavrita, nem uma selfie desfocada.

    Se querem avaliar o carácter de um homem (ou a falta dele), deem-lhe poder…

    Gostar

  4. Manuel Assis Teixeira permalink
    22 Fevereiro, 2017 12:44

    É bem verdade! Duas instituiçoes onde se puderam ver diariamente excelentes representacões por actrizes e actores de enorme categoria! Não entendo de facto porque é que a Cornucopia teve direito a Presidente e a Ministro e o Elefante Branco nem sequer um chefe de repartiçao! Ou mesmo o jovem Medina que está em todas! A cultura está de rastos… E o país nao será o mesmo sem aquelas duas casas…

    Gostar

  5. piscoiso permalink
    22 Fevereiro, 2017 15:15

    Qualquer instituição cultural que feche, é uma lágrima na face da minha tia Dulce Mello. O problema é o financiamento. O Estado financiador, de acordo com quem lá está, tem as suas prioridades eleitoralistas; e quando a Arte se vende ao Estado, é a arte do Estado.

    Gostar

  6. LTR permalink
    22 Fevereiro, 2017 16:52

    O PR nunca mais comenta o preço das botijas de gás!

    Gostar

    • piscoiso permalink
      22 Fevereiro, 2017 17:23

      Deve estar a preparar uma comunicação sobre o subsídio da lavagem de carros.

      Gostar

  7. Arlindo da Costa permalink
    22 Fevereiro, 2017 18:42

    Se o Estado tem ajudado negociantes e banqueiros corruptos porque não apoiar a cultura e até mesmo as artes circenses?

    Onde está o vosso liberalismo?

    Gostar

  8. André Miguel permalink
    22 Fevereiro, 2017 18:43

    Se Portugal é uma imensa casa de putas a céu aberto, para quê o Elefante Branco?!

    Liked by 1 person

  9. 22 Fevereiro, 2017 19:47

    A Cornucópia proporcionou muito do melhor teatro (com memoráveis actores e autores) feito em Portugal. Companhia de nível internacional. Lamento o encerramento.
    Pelo Elefante Branco passaram muitos e bons corpos (femininos, nada de confusões) e mamocas inesquecíveis. Alguns, também de nível internacional, ó se eram… A mim, não faz falta.

    Gostar

  10. Viriato de Viseu permalink
    22 Fevereiro, 2017 22:28

    Salvem o Elefante !!!

    Gostar

  11. campus permalink
    23 Fevereiro, 2017 15:58

    Je suis elefante…

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: