Skip to content

Os Filhos de Ninguém

30 Outubro, 2017

Compreendo a tristeza dos casais que querem ter filhos e não podem. Compreendo a dor das mulheres desprovidas de útero que jamais poderão conceber. Não compreendo que se meta no mesmo saco, casais homossexuais ou pessoas solteiras e se crie legislação que os permita procriar tolerando que a criança cresça sem DIREITO à figura materna ou paterna tão fundamental ao seu crescimento.

Estamos a criar a geração dos filhos de ninguém. Os fins justificam os meios numa sociedade cada vez mais egoísta. Chamam a isso evolução. Mas na verdade é a desumanização em curso. É a degradação acelerada de valores que gerações futuras terão de pagar a  um preço muito alto. Dizem que é para acabar com a discriminação. Dizem que é uma luta por igualdade de direitos. E os direitos da criança onde ficam nisto tudo? Que igualdade vem a ser esta?

Alguém já questionou as crianças que são objecto dessas experiências? Alguém já se preocupou em saber o que pensam elas destas decisões onde não são tidas nem achadas? Claro que não. Nada pode pôr em causa o desejo egoísta dos adultos LGBT e feministas.

Só mesmo quem não passou pela experiência de ser pai ou mãe NÃO SABE da importância que ambos têm no crescimento equilibrado e saudável dos seus filhos. NENHUM consegue substituir o outro porque ambos complementam a sua formação enquanto indivíduo. As meninas agarram-se à figura paterna na infância onde o pai é seu herói, seu porto de abrigo para depois na adolescência o “substituírem” pela mãe que passa a ser a figura com a qual se identificam e que procuram sempre que são assoladas por dúvidas ou se metem em problemas. Pelo contrário os meninos na primeira fase da vida são todos “da mamã” para depois já pré-adolescentes procurarem  identificar-se com o pai, seu modelo de homem, sua referência, seu conselheiro. A NATUREZA comanda. Não vale a pena inventar ideologias para aliviar as consciências gays. Não funciona assim.

Num testemunho emocionado (veja aqui), Millie Fontana com 23 anos, criada com duas lésbicas, explica a crueldade a que foi submetida por egoísmo dos adultos. O quão violento foi crescer ao ser-lhe negado a existência de um pai. O quanto a afectou ter pais AMBOS mulheres. O medo de dizer o que sentia por receio de lhe chamarem homofóbica. Apesar do amor com que foi criada, o facto de ter sido privada da figura paterna, deixou-lhe marcas. Alguém se rala com este tema? Alguém já investigou as consequências da Procriação Medicamente Assistida  junto destas crianças? Claro que não. Não é politicamente correcto.

A adopção deveria ser a ÚNICA possibilidade, por uma razão muito simples: a criança institucionalizada não tem absolutamente nada. Vive desprovida de afectos, de um lar. Ora, viver com pais do mesmo sexo não a vai perturbar mais do que viver sozinha num completo abandono. Sem no entanto lhe negar qualquer possibilidade de conhecer seus pais biológicos (deveria ser proibido não lhe facultar esse direito) e até poder conviver com os mesmos, esta adopção é positiva e é louvável. Pelo contrário aqueles que nascem da PMA , nascem da mentira. E isso é eticamente muito errado e profundamente perturbador no seu crescimento.

Porque há uma agenda LGBT e feminista para cumprir, rouba-se uma geração no seu direito a ter uma família tradicional porque agora defender o tradicional é discriminatório. Mutila-se a criança no seu direito à igualdade menosprezando por completo os sentimentos dela. Depois incute-se o sentimento de culpa que as impede de dizer o que sentem, que as castram do direito de dizer que não estão bem porque se o fizeram serão homofóbicas. Mais, também não poderão queixar-se dos pais gays porque ao fazê-lo alguém lhes lembrará que isso é… descriminação. E neste ciclo vicioso crescerão revoltadas entregues a um silencio doloroso que não sabemos ainda como terminará porque nem sequer queremos ver reconhecido que existe este problema. 

E todos que tiverem a coragem de abordar o  tema serão  classificados de homofóbicos por defenderem os direitos dos filhos de ninguém. Como é o meu caso.

Isto faz sentido?

 

 

 

 

 

Anúncios
40 comentários leave one →
  1. Procópio permalink
    30 Outubro, 2017 17:41

    Isto não faz qualquer sentido, é mais uma distopia com que se pretende iludir os tolos, chamar à atenção para as causas fracturantes e ganhar alguns votos miseráveis.
    A seu tempo toda essa legislação será anulada e nenhuma criança será sujeita a situações que só podem transtornar a sua relação equilibrada na sociedades onde a maioria não exibe comportamentos singulares. Por outro lado a ciência está em vias de esclarecer as alterações epigenéticas que estão na base de variações que devem ser respeitadas, mas que não se devem sobrepor aos princípios mais elementares da convivência na sociedade.
    Brinquem mas não abusem.

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      30 Outubro, 2017 18:24

      Bom, acontece q se tivesse lido o texto, tem 1 link em q mostra q há gente em Portugal capaz de colocar esta possibilidade em prática. Mais: temos os malucos do BE a governar com Costa. Nada garante q esta realidade não aconteça aqui como já acontece noutros países. Por ultimo não estou a falar de Portugal pprque sabe.os q AINDA NAO É PERMITIDO. Estou a falar de 1 realidade q já existe por mundo fora. Ouviu o testemunho que deixei no texto? É fantasia? Valha-me senhor! Já não sabem o q inventar pra me atacar.

      Liked by 1 person

  2. oscar maximo permalink
    30 Outubro, 2017 17:48

    Concordo, mas acho que a adopção por casais gays deve ser um ultimo recurso, e preterido, em geral, a favor de outros casais. Verifica-se mais conflitos e violência doméstica neste tipo de uniões, o que de certeza não é bom para a criança.

    Liked by 1 person

  3. Os corruptos que se cuidem permalink
    30 Outubro, 2017 19:08

    Não sei se não vale mais só que mal acompanhado. As crianças institucionalizadas podem não ter nada, mas casos haverá em que isso é, apesar de tudo, melhor que o carrossel de emoções e anomalias de uma relação homossexual.
    Concordo, portanto, com a Cristina em praticamente tudo o que assinala. Uma sociedade distópica, sim. Negar a natureza, neste plano da construção da personalidade, dos modelos e dos afectos, é desumano e desumanizante. É inacreditável como os políticos e a sociedade em geral conseguem aceitar isto em nome não se percebe bem do quê e para fazer a vontade a este bando de mutantes egoístas. E agora, venha de lá a inquisição atrás de mim…

    Liked by 1 person

  4. 30 Outubro, 2017 19:09

    Excelente. O politicamente correcto que domina a doutrina vigente usa as crianças como um fim para impor a agenda LGBT. As emoções e sentimentos das crianças não contam para nada. Elas são meramente instrumentais para a causa dos adultos. Infelizmente vivemos numa sociedade indolente e anestesiada, que prefere encolher ombros a manifestar a sua discordância ou defender os seus valores. A destruição da família sempre foi um objectivo de longa data dos LGBT. As futuras gerações não nos irão perdoar por termos permitido a sua escravização ( abolição de pais e mães, abolição de identidade género, etc ) por uma minoria.

    Liked by 1 person

  5. Alain Bick permalink
    30 Outubro, 2017 19:16

    Gregório de Matos

    De dous ff se compõe
    esta cidade a meu ver,
    um furtar, outro foder.

    Gostar

  6. 30 Outubro, 2017 19:22

    “Damage control”…”Damage Control”… É preciso apagar as pegadas da infiltração

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      30 Outubro, 2017 20:54

      Sempre q fores desrespeitador para comigo, vai ser assim. Estavas avisado.

      Gostar

    • 30 Outubro, 2017 21:22

      Eu sou o desrespeitator, por não alinhar na Calúnia pública de que fez parte ? Veja lá, se não absorveu antes, inconscientemente num desses mestrados das “ciências” sociais, a estratégia de Lenin: Acuse-os do que vocês fazem, chame-os do que vocês são. Ou de Trotski : A nossa Moral e a deles.

      Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        30 Outubro, 2017 21:40

        Bem meu caro já vi q sofres Alzheimer e tens a mania da vitimização, mas aqui não cola. Capice? Portanto, vamos la repetir, ou me respeitas ou mando pró lixo.

        Gostar

  7. Filipe Costa permalink
    30 Outubro, 2017 19:52

    No futuro, um miudo vai perguntar âs duas mães porque é preto, podiam ter escolhido um chinoca, ou um Indiano, porquê um preto? Ou branco? Porque não verde marciano?

    Gostar

  8. maria permalink
    30 Outubro, 2017 19:57

    D.Cristina, Casais? Eu chamo-lhe parelha de imbecis. Casal é um macho e uma fêmea. Bonito, 2 marmanjos irem para a cama com crianças que se apercebem de tudo quando entram nas escolas.
    Temos de aturar doentes psicopáticos.

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      30 Outubro, 2017 20:52

      Ahahahahahahahahah

      Gostar

      • 30 Outubro, 2017 23:40

        …E se essas crianças tiverem o grande azar de ter uma ou um (ou mais, como as coisas tendem a ser) prof gay, estarão então duplamente lixadinhas.

        Liked by 2 people

  9. 30 Outubro, 2017 20:33

    Lamento camarada CM , mas isto de ser Marxista às sextas sábados e domingos e Conservador no resto da semana, não abona muito à sua credibilidade. Não que não já haja também por aqui “conservadores”, apologistas do Lulismo e coisas assim…
    É que sabe os fornos ideológicos, de onde o sai o pão dos mestrados de “violência doméstica” (seja lá para o quê isso serve), são os mesmos de onde saem os “mestrados” da “ideologia de gênero”( que também não serve para nada, a não ser, lavagem cerebral militante). Os padeiros são os mesmos, e ambos os pães, fazem parte de um cesto completo da agenda politica de subversão da sociedade chamada de “interseccionismo”.

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      30 Outubro, 2017 20:50

      Mg, deve ser por ter nick de marca de carro, salta-lhe parafusos. Vá descansar antes que lhe salte a junta de colaça. A pessoa q descreve, não sou eu. Sou cidadã com opiniões próprias q não segue agendas. Boa noite.

      Gostar

    • 30 Outubro, 2017 22:24

      Com todo o “respeito, Dona Cristina, mas está equivocada. É antes, o nome de uma legendária arrasadora Maschinengewehr.
      Todos nós, Dona Cristina somos peões mais ou menos manipulados, que achamos que a informação que obtemos é a correcta, e que pensamos pela nossa cabeça. Achamos que não estamos a ser empurrados por propaganda nem influência de interesses ocultos, subversivos, mesmo até quando pensamos que os estamos combater. Pergunte a alguém aqui, se acham que pensam pela sua própria cabeça, Todos dirão que sim, e até verá que a afirmação mais convicta virá do camarada Arlindo.
      Se acha que estou errado, então deixo-lhe a reflexão, no que a levou a agir tão rapidamente na alteração da foto do seu perfil. Acha que o que o fez, foi pela sua própria cabeça ? Pense melhor…
      Mas devo dizer-lhe que está mais bonita, muito mais parecida com a sensual Anna Chapman ;).

      Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        31 Outubro, 2017 08:54

        Mudei a foto só pra não dar mais hipótese a imbecis de me destratar. Sou sim. Corto males pela raiz. Quanto ao seu amigo juiz saiba q não o ofendi. Ele sim, ofendeu aqueles q são alvo de agressões por adultério ao minimizar o acto. Está lá no acórdão. Publiquei aqui na intergra 1 dos meus comentários. Vá ler

        Gostar

  10. Carneiro permalink
    30 Outubro, 2017 21:07

    Mas que brava tentativa de pegar num tema tão caro ás direitas para limpar o grande espalhanço do passeio de braço dado com os Antifas do Soros.
    O tema que aborda está sistematizado de forma muito menos atabalhoada em vários fora. (Aquela de perguntar ás crianças, não lembra ao diabo…)

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      30 Outubro, 2017 21:41

      Olha outro que anda aflito a querer pegar e não sabe como.

      Gostar

      • Carneiro permalink
        30 Outubro, 2017 22:31

        Hesitei se hoje deveria dizer alguma coisa. Decidi dizer, só para que fique dito. Mas não a voltarei a incomodar.

        Gostar

  11. Euro2cent permalink
    30 Outubro, 2017 21:38

    rouba-se uma geração

    E as restantes. As “conquistas do progresso” são irreversíveis.

    Devia saber, ainda há uns dias veio alinhar por essa equipa.

    Gostar

  12. José Domingos permalink
    30 Outubro, 2017 21:48

    Excelente. A agenda da esquerda é acabar com os pilares da sociedade. Com as crianças não se brinca, mas como é do costume esquerdo, apregoam uma moralidade, que não praticam.
    Não conheço nenhum casal gay, que tenha adoptado meninas, assim como também não conheço um casal de lésbicas, que tenham adoptado meninos. Curioso.
    Por exemplo, falam muito da escola pública, mas têm os filhos nas privadas.
    Eu com as calças do meu pai, sou um homem, falam muito mas é para os outros.

    Liked by 1 person

  13. Os corruptos que se cuidem permalink
    30 Outubro, 2017 22:07

    Não é a regra, lá isso não é.

    Gostar

  14. carlos alberto ilharco permalink
    30 Outubro, 2017 22:19

    É um assunto muito complicado, não sei dar opinião.
    Do que vejo na Caras e na Lux os pretinhos do Beauté (agora divorciado) parecem muito felizes, especialmente quando vestidos de cor-de-rosa.

    Gostar

  15. 30 Outubro, 2017 23:19

    Cá vai ironia (com parabéns à Cristina Miranda): Mas este post tem a ver com algum problema recente por ninguém querer adoptar o JSócrates ?

    Liked by 2 people

  16. 31 Outubro, 2017 00:51

    A margem do tema

    Eh pá! só agora reparei que a Cristina Miranda fez uma “plástica”. 😉

    Gostar

    • 31 Outubro, 2017 02:26

      Para não lhe causar distrações, a CMiranda fez muito bem em não permitir a ampliação do seu rosto. E colocou um “plástico” preto na foto.

      Gostar

  17. Manuel Soares Traquina permalink
    31 Outubro, 2017 10:06

    Posso subscrever?

    Gostar

  18. Manuel permalink
    31 Outubro, 2017 11:08

    Excelente post da Cristina.

    Liked by 1 person

  19. Aventino permalink
    31 Outubro, 2017 14:28

    Sim, poderiam adoptar crianças com idade superior a 18 anos. Antes disso nada feito!
    A realidade é tramada não é?

    Eu gostaria de adoptar um idoso para avô.
    A minha mulher adorava adoptar um aspirador.
    O meu filho vai adoptar uma professora..
    O meu gato anseia adoptar um peixe vermelho.

    O Costa vai adoptar a Catarina para que esta lhe arranque a caruma das orelhas!
    O Marcelo queria adoptar outra postura mas não consegue.

    Liked by 2 people

    • Euro2cent permalink
      31 Outubro, 2017 19:16

      adoptar crianças com idade superior a 18 anos.

      Era uma coisa que os romanos faziam, assim dava menos trabalho e sabiam o que estavam a adquirir …

      Liked by 1 person

  20. Blitzkrieg permalink
    31 Outubro, 2017 19:32

    Muito bom! Parabéns pela clareza.

    Liked by 1 person

Trackbacks

  1. Os Filhos de Ninguém – PortugalGate

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: