Skip to content

A Caça aos Especuladores

29 Abril, 2010
by

João Miranda, neste post, sugeriu um exercício interessante. Penso que posso dar uma ajuda, explicando o que é um especulador. Não me refiro ao especulador institucional, que existe para dar liquidez aos mercados, assumindo riscos que outros não querem ou não podem assumir e ganhando ou perdendo conforme as suas apostas. Refiro-me aos especuladores que atacam Portugal e que tanto preocupam o primeiro-ministro, o ministro das finanças e a sua entourage, a malta do PC e do Bloco e até o Dr. Pedro Passos Coelho.

Com ajuda da wikipedia, analisemos em detalhe estes especuladores.

Speculatoris Gambosinus

Os gambozinos especuladores são seres imaginários malévolos que, segundo a superstição popular, vivem no campo, conspiram em bancos de investimento embora algumas espécies alguns deles já se tenham adaptado e hoje também se possam encontrar nos recantos sombrios e húmidos dos parques de algumas cidades das agências de rating. No dicionário imaginário de esquerda são descritos como uma espécie de pássaros ou peixes capitalistas gananciosos, embora haja quem ache que possam ser parecidos com o pirilampo gajos gordos de cartola, relógio de ouro e que fumam charutos, com o dragão marinho gajos pouco escrupolosos tipo Bush (Phycodurus eques) (Equus asinus)  ou até com o ouriço o Zeinal Bava ou o António Mexia.

Há quem ache que são seres da família dos vegetais que vivem debaixo da terra dos vampiros; no começo do século XX XXI houve quem os descrevesse apenas como “pequenos bolbos de uma espécie de lírio” um bando de saqueadores que podem ser comidos a quem devíamos partir os dentes. A ideia que se faz destes seres varia conforme a imaginação de cada um.

O glossário escutista popular define estes seres como um “animal de características especiais, nocturno, financeiro esquivo que ganha milhões e que é muito difícil de caçar apanhar. Normalmente caçam-se nos acampamentos se a UE se unir contra eles.

A caça aos gambozinos especuladores faz-se geralmente de noite, nos meios de comunicação social é muito popular em Portugal, e em várias regiões da Grécia e Espanha, como na Galiza, onde a estação de caça o discurso anti-especulador está aberta aberto o ano inteiro, e não requer nenhuma licença especial nenhum conhecimento especial para a prática desta actividade. A caça ao gambozino especulador não visa a obtenção de alimentos magoar ninguém mas a conservação de tradições tentativa de manter um estado insustentável, é por isso considerada um desporto uma crença.

Tradicionalmente são usados sacos de sarapilheira para os capturar. discursos violentos e pedidos de regulação para os apanhar. É tradição organizar caçadas aos gambozinos perorar contra os ditos e convidar pessoas ingénuas para ir junto. Frequentemente são levados nestas caçadas irmãos ou sobrinhos mais novos; é por isso visto como um desporto de família nacional.

About these ads
246 Comentários leave one →
  1. Eu, aqui o gajo permalink
    29 Abril, 2010 11:57

    Muito bom, muito bom.

  2. 29 Abril, 2010 12:00

    Perfeito, João.

  3. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:13

    Naaa! Não há especuladores maldosos:

    http://caldeiraodebolsa.jornaldenegocios.pt/viewtopic.php?t=72952

    Pois…

    anti-comuna

  4. 29 Abril, 2010 12:18

    Anti

    O que é que estás à espera para comprar BCP?

  5. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 12:20

    coitados dos honestos especuladores, a serem maltratados pelos irracionais!
    nada como visitar o Blasfémias e ler os seus jovens liberais para perceber o significado de Vampiros.

    ps:
    entretanto jcd vai dar-nos a sua opinião sobre o link do Anti-Comuna…

  6. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 12:22

    ««Naaa! Não há especuladores maldosos:»»

    Maldosos porquê? Por venderem quando alguém está a comprar? Por estarem mais bem informados que os tolinhos que fazem transações sem saberem o que andam a fazer?

  7. 29 Abril, 2010 12:23

    Portela

    Essa dos vampiros é boa. Vou alterar no texto “zombies” por “vampiros”… Já está.

  8. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:25

    “Maldosos porquê? Por venderem quando alguém está a comprar? ”

    Por manipulação do mercado.

    Esqueci-me. Vale tudo, até arrancar olhos. ehehehehehh

    anti-comuna

  9. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 12:29

    ««Por manipulação do mercado.»»

    Manipulação porquê? Alguém é obrigado a comprar ou a vender? Se os traders estão no mercado têm que estar informados sobre os fundamentais. Não podem andar a correr atrás da informação dos outros (que pode estar errada).

  10. 29 Abril, 2010 12:29

    Mas achas mesmo que os cortes de rating a Portugal são surpresa? A mim só me surpreende demorarem tanto. De um país com as nossas contas públicas, que apresenta um orçamento vergonhoso e um PEC inútil, esperas o quê?

    Já agora, porque não falas da contraparte? Essa, está a apostar contra quê?

  11. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:30

    Há quem pense que está a defender os mercados livres, ao fechar os olhos a comportamentos criminosos.

    Mas na mesma wiki pode-se ler:

    “Market manipulation describes a deliberate attempt to interfere with the free and fair operation of the market and create artificial, false or misleading appearances with respect to the price of, or market for, a security, commodity or currency.”

    In http://en.wikipedia.org/wiki/Market_manipulation

    Mas pronto. Vale tudo, até arrancar olhos, não é?

    anti-comuna

  12. 29 Abril, 2010 12:30

    Caro Anti-Comuna (#8),

    O BCP é dos títulos com maior liquidez e free float do mercado português, portanto será aquele mais difícil de manipular. Ou será que os especuladores não correm riscos quando shortam?

  13. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:31

    “Se os traders estão no mercado têm que estar informados sobre os fundamentais”

    Sim? E daí?

    O que quer Vc. dizer com isso?

    anti-comuna

  14. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:32

    “Ou será que os especuladores não correm riscos quando shortam?” Correm, mas se manipularem, não. os riscos caem a pique.

    De que vale ter um grande free float, se surgir um gigante e criar acções do nada? E destruir o banco? Acha bem?

    anti-comuna

  15. Outside permalink
    29 Abril, 2010 12:38

    Decisions made me as I am.

    Decisions made you as you are.

    Decisions decicions decisions

    Declaração de valores de JM:

    “Maldosos porquê? Por venderem quando alguém está a comprar? Por estarem mais bem informados que os tolinhos que fazem transações sem saberem o que andam a fazer?”

    One can only go where thy spirit allow. The rest…the rest is stardust.

    The rest ? Fuck the rest ? I do love my reflex !!!

    P.S: Obviamente que vale tudo !!! Tudo em nome da gula !

  16. 29 Abril, 2010 12:42

    O que estás a sugerir é “inside trading”. O que os links sugerem é que alguém da S&P informou antecipadamente os gestores do fundo que o rating de Portugal iria cair naquele dia (o que pode acontecer, porque é impossível manter os chinese walls 100% sem furos e é fortemente condenado pelos reguladores americanos).

    Mas para um investidor sofisticado que siga com atenção os fundamentais de cada país e as publicações os métodos de avaliação da S&P, não é difícil perceber quando é que há alterações de pressupostos que levarão à queda dos ratings.

    Isto é, não é estranho os ratings cairem. Pode ter havido informação prévia a um investidor o que é criminoso. Se assim aconteceu, quem perdeu? A contraparte daquele fundo que até pode pedir uma investigação ao vendedor. Mas a situação final de Portugal seria exactamente a mesma.

  17. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 12:43

    ««Sim? E daí?»»

    Daí que se estão informados sobre os fundamentais, não estou a ver como podem ser manipulados. Se alguém shorta sem motivo, perde dinheiro porque os outros aproveitam para comprar barato e quem shorta nunca conseguirá recomprar muito abaixo do preço que shortou.

  18. 29 Abril, 2010 12:44

    “De que vale ter um grande free float, se surgir um gigante e criar acções do nada? E destruir o banco? Acha bem?”

    Como? Criar acções do nada, como? Destruir o banco, porquê? O banco fica exactamente na mesma, depois das vendas terem sido realizadas e o número de acções é também o mesmo. Estás a falar de quê?

  19. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:45

    Eu penso que, além de saberem mal como funcionam os mercados, têm uma ideia de funcionamento deles mais teórico que real. E nem se apercebem dos prejuízos económicos de algumas ideias que defendem.

    Sabem como funcionam mal e julgam que devemos acreditar na bondade de todas as operações do mercado. Não sabem como funciona o mercado, vivem sob teorias e depois querem convencer os demais, que têm razão.

    É o mesmo espírito do adepto da bola, que acha que vale tudo para que o seu clube ganhe. Até arrancar olhos.

    Mas, enquanto esta forma de pensamento liberal existir, os anti-liberais ganham os debates públicos. Pudera! Aproveitam os lirismos de alguns para lhes mostrarem que estão errados. Ora bolas. Glup!

    anti-comuna

  20. 29 Abril, 2010 12:45

    Grande post, Jcd. Parabéns!

  21. 29 Abril, 2010 12:46

    Não são malévolos. Fazem o que têm de fazer. O problema é que vocês querem estados inocentes que não façam o que têm de fazer: defender-se dos especaludores para defenderem os nossos interesses. E isso faz de nós estúpios.

  22. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 12:47

    ««De que vale ter um grande free float, se surgir um gigante e criar acções do nada? E destruir o banco? Acha bem?»»

    Se o banco é sólido, tanto melhor. O tal gigante vende milhões de acções abaixo do preço real. Isso é bom para quem compra. Não estou é a ver porque razão o tal gigante haveria de conseguir ganhar dinheiro contrariando os fundamentais num mercado em que os outros agentes sabem o que andam a fazer.

  23. 29 Abril, 2010 12:47

    “Eu penso que, além de saberem mal como funcionam os mercados, têm uma ideia de funcionamento deles mais teórico que real. E nem se apercebem dos prejuízos económicos de algumas ideias que defendem.

    A mim, o que me parece, é que também andas muitas vezes à caça de gambosinos.

  24. 29 Abril, 2010 12:48

    “O problema é que vocês querem estados inocentes que não façam o que têm de fazer: defender-se dos especaludores para defenderem os nossos interesses. E isso faz de nós estúpios.”

    Daniel

    e como é que isso se faz?

  25. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:48

    “Daí que se estão informados sobre os fundamentais, não estou a ver como podem ser manipulados.”

    Podem. Mas não lhe explico como. Vai ter que queimar pestanas para o entender. Sugiro-lhe que leia alguma legislação que concerna a regulação dos fundos de pensões, controlo de riscos da banca, etc. E vai chegar lá.

    Depois ainda há outros aspectos que têm a ver com o próprio funcionamento dos mercados, que no fundo, é uma forma de roubar quem investes, especula e anda de um modo honesto nestas coisas.

    E note, que eu shorto. E preciso mesmo de shortar para controlar riscos e até especular. Mas não preciso de ser criminoso para o fazer.

    anti-comuna

  26. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 12:48

    ««defender-se dos especaludores para defenderem os nossos interesses»»

    Daniel,

    Se os especuladores estão errados quanto ao valor real dos activos, os estados têm uma solução simples: colocar ordens opostas às dos especuladores.

  27. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 12:49

    ««Podem. Mas não lhe explico como.»»

    Pois. Provavelmente porque não tem uma boa resposta.

  28. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:51

    “Se o banco é sólido, tanto melhor. O tal gigante vende milhões de acções abaixo do preço real. Isso é bom para quem compra.”

    Eh pá, ó JM, Vc. é capaz de melhor.

    Deixe-se de lirismos e pergunte aos agentes do mercado se isto funciona como nas teorias.

    Basta um susto para que um banco estoire. Basta notícias falsas para um banco estoirar, mesmo que seja sólido, antes de rumores falsos, análises falsas, manipulações de mercado, etc.

    Vc. tem que ler mais um bocado sobre o assunto. Ainda está na fase da aprendizagem. ehehheheh

    anti-comuna

  29. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:53

    “Provavelmente porque não tem uma boa resposta.”

    Então não existem regras legais que impedem o financiamento a determinadoas agentes, cujo risco é atestado pelas agências. E que uma má análise destas agências pode estoirar com um banco ou um país?

    Bolas, Vc. ainda está no bê, abá. Glup!

    anti-comuna

  30. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 12:55

    E duvido que tenham compreendido o que quer dizer acções criadas do nada. Se entendessem, até usando as teorias genralistas da oferta e procura e teorias de gestão…

    Pronto. Vou pregar para outra freguesia, que é preciso iniciar tudo de inicio.

    anti-comuna

  31. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 12:58

    jcd: “Pode ter havido informação prévia a um investidor o que é criminoso”

    estamos a melhorar!

  32. 29 Abril, 2010 12:59

    “Basta um susto para que um banco estoire. Basta notícias falsas para um banco estoirar, mesmo que seja sólido, antes de rumores falsos, análises falsas, manipulações de mercado, etc.

    Pode acontecer (como com o Bear Sterns, embora o comportamento da administração, tenha ajudado muito) mas convenhamos que não é assim tão fácil. Se fosse, acontecia todos os dias. Se fosse possível ganhar dinheiro sempre que alguém inventa umas notícias falsas, o que teríamos mais por aí seriam bancos falidos.

  33. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 13:00

    pergunta jcd como nos podemos defender dos especuladores criminosos…
    nos USA parece que eles resolvem isso depressa: prisão

  34. 29 Abril, 2010 13:01

    “E duvido que tenham compreendido o que quer dizer acções criadas do nada”

    Por acaso percebo muito bem o que quer sugerir, mas acho que o seu conceito está muito enviesado. Criar contratos sobre acções não é o mesmo que criar acções.

  35. 29 Abril, 2010 13:03

    “pergunta jcd como nos podemos defender dos especuladores criminosos…
    nos USA parece que eles resolvem isso depressa: prisão”

    Ah, sim? E quem é que quer prender desta vez?

  36. Tuga preto que está cá desde o terramoto de 1755+1 para o GS permalink
    29 Abril, 2010 13:03

    Os nossos políticos também andam a vender os Portugueses a descoberto.Só falta mesmo o ministério das colónias por nossa conta no novo império do todos iguais, todos diferentes.Mas com direitos!

  37. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 13:13

    Anti-Comuna

    Não percebo nada do que está para a aí a dizer. E já agora, qual foi o banco ou instituição que foi à falência por causa dos mercados? Conhece algum caso?

  38. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 13:13

    O JCD deu aulas de finanças na universidade, não deu?

    “Por acaso percebo muito bem o que quer sugerir, mas acho que o seu conceito está muito enviesado. Criar contratos sobre acções não é o mesmo que criar acções.”

    Parece que ainda não ensinam o que é criar acções do nada. Uma chatice.

    anti-comuna

  39. Boicote Fiscal para acelerar a morte do Monstro permalink
    29 Abril, 2010 13:18

    Os piores especuladores são os especuladores sociais que shortam com o dinheiro dos outros e manipulam e distorcem os mercados da democracia !!!!

  40. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 13:19

    Estou a gozar à brava com o baile que o anti-comuna está a dar ao jcd.
    Parabéns ANTI.

  41. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 13:20

    Ao menos o Miranda tem o pudor de se calar.

  42. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 13:20

    Mais uma vez a patetice continua.

    “Não são malévolos. Fazem o que têm de fazer. O problema é que vocês querem estados inocentes que não façam o que têm de fazer: defender-se dos especaludores para defenderem os nossos interesses. E isso faz de nós estúpios.”

    Faz, pior que estúpidos. Criminosos. A continuação do endividamento é o caminho para a bancarrota que vai destruir não só os Políticos criminosos, o regime, mas muita gente boa.
    Já agora os cidadãos, com os filhos e netos que estão ser endividados pelo Estado e os seus Políticos devem defender os seus interesses como?

    Pobrezinho do anti-comuna, continua tonto. O rating da republica portuguesa já há muito deveria ser junk. A única coisa de que podem acusar os “especuladores” é de não terem começado a “especular” mais cedo, de terem sido optimistas com Portugal. Talvez o buraco onde estaríamos seria menor.

  43. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 13:24

    Anti-Comuna

    Essa atitude só lhe fica mal. Se está a querer falar de nake sl , tb vai estar a fazer figura de maluquinho. E se realmente percebe muito disso, então sabe bem pq o digo.

    Cumprimentos

  44. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 13:27

    Naked, perdão.

  45. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 13:27

    “Se está a querer falar de nake sl , tb vai estar a fazer figura de maluquinho. E se realmente percebe muito disso, então sabe bem pq o digo.”

    Então explique. Diga de sua justiça.

    anti-comuna

  46. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 13:29

    Piscoiso,

    Agora deu-lhe para fazer comentários anónimos?

  47. 29 Abril, 2010 13:30

    “Parece que ainda não ensinam o que é criar acções do nada. Uma chatice.
    anti-comuna

    Bem, estás numa de toca e foge. Cá fica a questão fundamental: Em que é que o banco é afectado pela “criação” dessas acções?

  48. 29 Abril, 2010 13:32

    Piscoiso disfarçado de anónimo dixit:

    “Estou a gozar à brava com o baile que o anti-comuna está a dar ao jcd.”

    Principalmente porque não percebes patavina do assunto.

  49. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 13:34

    Anti-comuna,

    Criação de acções via short selling é irrelevante porque elas têm sempre que ser recompradas anulando-se o efeito. Quem abre posições short contra os fundamentais arrisca-se a não conseguir recomprar a baixo preço. Basta que existam traders que saibam o que andam a fazer para que quem faz short selling contra os fundamentais perca dinheiro.

  50. tina permalink
    29 Abril, 2010 13:36

    O que é interessante observar é que aqueles que falam em ataques especulativos, são também aqueles que acusam a UE de ter procedido mal em não ter dado ajuda imediata à Grécia e ter deixado passar a ideia de que a Grécia estava com dificuldades em pagar a dívida. Ora, se existe essa razão tão plausível como podem chamar especulação ao facto de os “especuladores” estarem simplesmente a reagir aos sinais dados pela UE?

    O que eu sugiro é que para a próxima a UE funcione à porta fechada e não hesite em dar ajudas massivas (tudo à porta fechada) aos estados-membros faltosos.

  51. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 13:38

    Eu dou um cenário ficticio. Se alguém conhecer algum real em Portugal, não é mera coincidência.

    Imagine-se uma instituição bancária, com uma política de gestão sólida e atenta aos riscos. Tem capitais próprios altos, as suas necessidades de financiamento relativamente cobertos para os próximos meses. E até consegue credor de liquidez no eurosistema.

    Sendo credor de liquidez no eurosistema e com margens em queda, devido ao cada vez maior custo de funding mas juros cobrados cujo benchmark é a euribor, os gestores tomam uma decisão. Vamos comprar dívida de país ABC, financiamo-nos no BCE e cobramos o spread existente. Aparentemente os riscos são baixos face aos retornos permitidos, que poderão elevar bastante os lucros anuais.

    Só quer têm um azar. As ditas obrigações do país ABC levam um corte das agência de rating e deixam de ser elegidas para colaterizar o crédito obtido no BCE.

    E como um azar nunca vem só, as taxas de juro desse país disparam em flecha, com o rumor que esse país vai fazer um default.

    E, por azar maior ainda, o país desse banco leva logo um downgrade de dois graus, que irá afectar o próprio banco.

    E esse banco, sólido, começa a tremer. Os seus accionistas sabem que o banco abriu uma posição que lhe pode exigir assumir perdas que estoiram com o banco.

    Os credores do banco sabem que este caiu numa armadilha e pode falir, se houver risco de contágio de um país para outro.

    Uns espertos decidem fazerem análises catastrofistas sobre o banco. Mas antes venderam muita dívida do próprio banco, apostando na queda.

    Os accionistas e os credores do banco começam a desconfiar da queda dos seus activos. E sabem que para haver um estoiro, é uma questão de dias, basta que haja fuga aos depósitos e corte nos financiamentos. E começam a gerar uma bola de neve, com vendas generalizadas.

    Por fim… O banco estoira, porque ficou sem liquidez face a uma ameça de falência.

    Dias depois o BCE anuncia que afinal vai permitir a colaterização das ditas obrigações do país que gerou a potencial perda do banco. E o próprio país anuncia que não vai haver default nenhum.

    Et voilá. Acontecem coisas do caneco, não é?

    anti-comuna

  52. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 13:40

    “Criação de acções via short selling é irrelevante porque elas têm sempre que ser recompradas anulando-se o efeito.”

    Está seguro do que afirma?

    anti-comuna

  53. tina permalink
    29 Abril, 2010 13:42

    “Estou a gozar à brava com o baile que o anti-comuna está a dar ao jcd”

    eu não percebo nada da discussão excepto que as respostas do jcd me fazem rir muito.

  54. tina permalink
    29 Abril, 2010 13:44

    “Piscoiso,

    Agora deu-lhe para fazer comentários anónimos?”

    ahahahaha, apanhado em flagrante. Mais depressa se apanha um Piscoiso do que um coxo.

  55. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 13:47

    Claro que têm de ser recompradas. No caso do Naked Short Selling, se está a falar do “failed to deliver” isso não significa o fim da operação. A operação continua em aberto até a recompra.

  56. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 13:48

    ahaha, este Piscoiso é uma peça…

  57. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 13:48

    anti-comuna,

    Se um banco fizer apostas erradas é óbvio que estoira. E depois?

  58. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 13:51

    Caro Anti-Comuna,

    Já viu se eu agora lhe respondesse “Posso, mas não lhe explico pq”?

  59. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 13:53

    #46. e #48.

    O cinismo e a hipocrisia desta gente não tem limites, pois o Piscoiso tem o avatar bloqueado pelo jcd.

  60. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 13:55

    #59

    Também lhe bloquearam a assinatura?

  61. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 13:56

    “A operação continua em aberto até a recompra.”

    Tem a certeza?

    E o naked de obrigações? Como se faz? E quais os seus efeitos?

    Caro JM,

    “Se um banco fizer apostas erradas é óbvio que estoira. E depois?”

    E se a compra dessas obrigações for mentira e apenas um rumor do mercado, para estoirar com o banco, acompanhado de forte pressão vendedora, tanto das acções como das obrigações?

    Os efeitos não são os mesmos?

    anti-comuna

  62. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 14:00

    #60.
    Qual assinatura?

  63. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 14:00

    “Já viu se eu agora lhe respondesse “Posso, mas não lhe explico pq”?”

    Está à vontade. Eu ao JM tenho elevada consideração. A si é apenas um nick. lolololol

    anti-comuna

  64. tina permalink
    29 Abril, 2010 14:01

    Ou seja, o que é uma reacção natural dos investidores, na boca das vítimas passa a ser um ataque. No entanto, elas próprias seriam também as primeiras a vender obrigações de Portugal se as tivessem.

  65. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 14:02

    ««E se a compra dessas obrigações for mentira e apenas um rumor do mercado,»»

    O banco vem a público e desmente o rumor e anuncia a compra de acções próprias. Ganha dinheiro com o rumor. Perde quem acreditou no rumor.

  66. tina permalink
    29 Abril, 2010 14:03

    Não acredito que tenham bloqueado o Pisocoiso. Normalmente os blasfesmos não bloqueiam os comentadores só porque eles têm um péssimo sentido de humor.

  67. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 14:05

    “O banco vem a público e desmente o rumor e anuncia a compra de acções próprias. ”

    Com que dinheiro? Se ele começa a ser vítima de fuga de depósitos? E já ninguém lhe empresta dinheiro?

    anti-comuna

  68. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 14:08

    Anti-Comuna,

    Se o banco é assim tão sólido consegue crédito noutra instituição.

  69. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 14:11

    “Se o banco é assim tão sólido consegue crédito noutra instituição.”

    Na teoria é bonito, na prática não. Não é o que acontece na corrida aos bancos? Só empresta quem tiver garantias reais, e o banco não as tem, ou os malucos. ;)

    Tem que estudar as crises bancárias e vai perceber que isto é tudo um mundo de ilusões alimentadas pela confiança. Basta uma dúvida para além do razoável, para despoletar uma estoiro.

    anti-comuna

  70. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 14:18

    #66. Cara Tina,
    Eu explico:
    Nos posts de “HM” e “jcd” está bloqueado o email “piscoiso@netcabo.pt”, que é o que faz aparecer o bonequinho do avatar, neste caso a minha foto.
    O nick “Piscoiso” continua a ser possível, mas sem o retrato, ao que me recuso, enquanto a utilização dos avatares for uma funcionalidade aberta livremente. Recuso, porque a imagem da foto é uma forma de diferenciar dos parasitas do nick.
    Cumprimentos.

  71. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 14:19

    (…) Ah, sim? E quem é que quer prender desta vez? (…)

    se fosse possível, podiamos começar por aqueles que os defendem …

  72. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 14:23

    “E esse banco, sólido, começa a tremer.”

    Anti-comuna, você escreve a narrativa, e depois nega os supostos factos que escreveu. Não disse que o banco tinha investido num país que se veio a verificar estava em sarilhos? Então porque é que escreve “banco, sólido” depois desse facto acontecer.

    Se o Banco investiu uma parte importante dos seus depósitos num país que deu o berro deixou de ser sólido.

  73. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 14:29

    Então não é apenas um rumor, mas um rumor sério, de que a Grécia pode fazer um default generlaizado, que está a contagiar as economias europeias?

    Não é um rumor, sério, que depois é sustentado por análises de vários quadrantes, que está a incendiar os mercados?

    Então é apenas um rumor que está a levar outros países para o colapso, como Portugal?

    E esse rumor gera uma série de acontecimentos em cadeia, que pode concretizar-se com base e apenas num rumor?

    Está tudo a dormir.

    Então se a nossa banca tem cerca de 8 mil milhões de obrigações gregas e se levarem um default de 50%, como alguns profetizam, não leva ao colapso do nosso sistema financeiro?

    E então os investidores internacionais não têm o dedo no gatilho, prontinhos a disparar sobre os portugueses, podendo gerar uma bola de neve, com efeitos devastadores?

    E depois admiram-se como é possível determinados especuladores ganharem dinheiro com manipulações, análises más ou enviesadas, provável corrupção das agência de crédito, captivas dos mesmos especuladores?

    Santa paciência. Está tudo a acontecer à frente dos vossos olhos e ninguém quer ver.

    anti-comuna

  74. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 14:30

    “isto é tudo um mundo de ilusões alimentadas pela confiança.”

    Doh! Empresa de Azeite SA vende Azeite que envenena 100 pessoas. Vai à falência. As outras dezenas de milhares de lotes estavam todos bons, mais os milhões de litros produzidos até então. Lá se foi uma empresa “sólida”.

  75. luikki permalink
    29 Abril, 2010 14:31

    qual é a diferença entre os gambuzinos e o banco central europeu que mandou imprimir milhares vde milhões de notas de €€ para injectar “liquidez” no mercado?

  76. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 14:31

    “Se o Banco investiu uma parte importante dos seus depósitos num país que deu o berro deixou de ser sólido.”

    Deixa-o de o ser quando os pressupostos de base mudam com uma mera previsão e análise de uma mera agência de crédito. Está a ver como as agências têm importância? Mesmo que desconfiemos delas?

    É que depois isto são movimentos que ganham vida própria, para além do facto que deu origem ao movimento.

    anti-comuna

  77. jose silva permalink
    29 Abril, 2010 14:33

    OK, AC já percebi.

    Quem beneficia com a venda do BCP ? O BES, o BPI ? Será retalhado ?

    Francamente, apesar de conhecer muitos depositantes no BCP, a falência do banco era um bom desfecho para o estado de negação reinante.

  78. JoaoMiranda permalink*
    29 Abril, 2010 14:34

    ««Então não é apenas um rumor, mas um rumor sério, de que a Grécia pode fazer um default generlaizado, que está a contagiar as economias europeias?»»

    Não é um rumor. É uma probabilidade real. Ou alguém acredita que as contas públicas da Grécia são sólidas? A Grécia só não tem um risco maior porque existe a probabilidade de um bailout europeu.

  79. Outside permalink
    29 Abril, 2010 14:34

    “Santa paciência. Está tudo a acontecer à frente dos vossos olhos e ninguém quer ver.”

    Cada macaco no seu galho Anti…e esse realmente não é o meu galho!!

    Conclusão: Fiquei/ficarei kO devido a cegueira!

  80. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 14:38

    Qual rumor Portugal deve mais de 100% do PIB, com mais a dívida privada em cima, crescimento de 1% ao ano com a dívida publica não escondida a crescer a 11,6% nos últimos 12 meses e ainda quer meter mais 8,3% este ano. E você chama a isto rumor!

  81. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 14:38

    “Não é um rumor. É uma probabilidade real.”

    É um rumor. A probabilidade existe sempre e é para isso, que teóricamnete, existem as tais agências de rating, para aferir essa probabilidade. Não é assim?

    Só que a mudança de percepção pode fazer com que ocorram os ditos fenómenos. Uma espécie de previsão que faz com que aconteça, não apenas nos factos inerentes à previsão, mas na previsão em si.

    Uma vez eu disse-lhe que o Soros merecia um Nobel, por ele tentar explicar isso em linguagem económica. Lembra-se?

    anti-comuna

  82. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 14:39

    #48.Jcd disse

    29 Abril, 2010 às 1:32 pm
    Piscoiso disfarçado de anónimo dixit:

    “Estou a gozar à brava com o baile que o anti-comuna está a dar ao jcd.”

    Principalmente porque não percebes patavina do assunto.

    Aparentemente jcd só conhece Piscoiso desta caixa de comentários.
    Até pode ser que Piscoiso não seja formado em Economia mas em Engenharia, como será jcd.
    Sobre a pluridisciplinaridade, não creio que esta caixa de comentários possa aferir grande coisa, até por uma reserva de privacidade na net, que o bom senso e a segurança aconselham.
    Mas pode ficar com os loiros.
    eheheh

  83. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 14:40

    “E você chama a isto rumor!”

    E se a Grécia concordar em pagar a totalidade das dívidas, comprometendo-se a cortar na despesa e o BCE permitir a monetarização da nova dívida? Se calhar é apenas um rumor e uma previsão que saiu falhada, não é?

    anti-comuna

  84. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 14:45

    “OK, AC já percebi.

    Quem beneficia com a venda do BCP ? O BES, o BPI ? Será retalhado ?”

    Ninguém. Talvez os compradores externos.

    A banca toda estoira, estoira o Estado, famílias, toda a gente.

    É esse o espectro actual de Portugal. Nem precisamos de estar ao mesmo nível da Grécia. Basta que ela estoire. Vai tudo a eito.

    anti-comuna

  85. 29 Abril, 2010 14:52

    “O cinismo e a hipocrisia desta gente não tem limites, pois o Piscoiso tem o avatar bloqueado pelo jcd

    Quanto muito pelo filtro de spam. Não sei como se ‘bloqueiam avatares”.

  86. 29 Abril, 2010 14:54

    “Nos posts de “HM” e “jcd” está bloqueado o email “piscoiso@netcabo.pt”, que é o que faz aparecer o bonequinho do avatar, neste caso a minha foto.”

    Como já lhe disse, não é verdade, nem sei como é que isso se faz. O problema é que esse e-mail está considerado como ‘spam’ pelo filtro automático do WordPress – e até nem é difícil de compreender porquê.

  87. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 14:55

    “Deixa-o de o ser quando os pressupostos de base mudam com uma mera previsão e análise de uma mera agência de crédito. Está a ver como as agências têm importância? Mesmo que desconfiemos delas?”

    Doh again! Os críticos do jornal do hardware são de opinião que o IPAD é não é bom, o Mercedes X cai para o lado em curvas apertadas num teste de uma revista de automóveis. O respeitado crítico de cinema diz que o filme do realizador ZXS é uma trampa…

    “É que depois isto são movimentos que ganham vida própria, para além do facto que deu origem ao movimento.”

    Deve andar inspirado por la palisse recentemente, mais conjunto de banalidades óbvias. Sooo?!
    Agradeçamos o facto de tomarmos conhecimento desse facto que deu origem ao movimento atempadamente.

    Se um amigo lhe dá feedback de uma situação você não é capaz de mudar uma decisão que já tinha tomado sobre um qualquer produto ou serviço?

    Dá ideia que você anda à procura de uma pistola mágica que congele a situação.

  88. 29 Abril, 2010 14:56

    (…) Ah, sim? E quem é que quer prender desta vez? (…)

    se fosse possível, podiamos começar por aqueles que os defendem …

    Os defensores dos gambosinos. Está bem visto.

  89. 29 Abril, 2010 14:57

    “Então não é apenas um rumor, mas um rumor sério, de que a Grécia pode fazer um default generlaizado, que está a contagiar as economias europeias?

    A Grécia não tem como pagar os juros da dívida. Isto é um rumor?

  90. 29 Abril, 2010 14:59

    .
    Talvez. Mas acaba tudo no grande Leilão permanente no meio de tanta certeza cientifica onde tudo matematicamente falha ao sabor do acaso. A Feira da Ladra. Riqueza o que é isso quando se emite moeda a pontapé ‘thin air’ ??
    .
    Ganha, quem tem a chave da porta da tipografia e a ficha para ligar a impressora à electricidade. Um grande casino. Até ver.
    .

  91. 29 Abril, 2010 14:59

    “E se a Grécia concordar em pagar a totalidade das dívidas, comprometendo-se a cortar na despesa e o BCE permitir a monetarização da nova dívida? Se calhar é apenas um rumor e uma previsão que saiu falhada, não é?”

    E tem alguma dúvida que se a Grécia o fizer e aprovar legislação que o permita, os ratings da Grécia recuperam?

  92. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 15:04

    “E se a Grécia concordar em pagar a totalidade das dívidas, comprometendo-se a cortar na despesa e o BCE permitir a monetarização da nova dívida? Se calhar é apenas um rumor e uma previsão que saiu falhada, não é?”

    Não não é, porque você adicionou um novo facto posterior á previsão. Que é a Grécia pagar a totalidade das dívidas cortando nas despesas.

  93. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 15:06

    “E tem alguma dúvida que se a Grécia o fizer e aprovar legislação que o permita, os ratings da Grécia recuperam?”

    Não tenho dúvidas nenhumas. Mas até lá, para que tal aconteça, outros podem estoirar com base na incerteza, desconfiança e rumor.

    É isso que explica as tais profecias que se auto-cumprem.

    Ora, basta meia dúzia de bancos de investimento, com posições em bastantes activos que ganhem com o estoiro da Grécia, ou apenas o rumor, que os pode levar a fazerem determinadas análises, comprarem as agência de crédito, bombardear os investidores com dúvidas e incertezas, etc.

    Eu respondi às questões do texto original. Eu vejo eles a fazerem isso, Vcs. parecem calimeros, crentes que ninguém o faria. Não o fariam porquê? Se têm muito a ganhar e quase nada a perder, se esta criminalidade até defendida por alguns calimeros?

    É isso que vos devia fazer pensar. Meditar nas consequência económicas de determinados actos. E tentar combater as más práticas e corrigir os excessos dos mercados. Senão, entre cinzas, lá surgirá outro tolinho como o Lenine recauchutado com nova propaganda. Tipo Chavez.

    E pronto, penso que demonstrei que há muita gente a dormir e que, sem o saber, está a contribuir para determinada criminalidade, que só prejudica a sociedade e faz enqieucer alguns.

    anti-comuna

  94. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 15:09

    Estou convencido que alguns dos liberais do Blasfémias trabalham em economia virtual!

  95. jose silva permalink
    29 Abril, 2010 15:13

    excelente ac !

    Embora eu ache que mesmo correndo o risco de chavização, é preferível o estouro. Assim quem tem de emigrar emigra de vez e perde de vez qualquer esperança.

  96. 29 Abril, 2010 15:18

    A propósito de short selling aqui no burgo, vale a pena olhar para este boneco que o Anti-Comuna aqui há uns tempos antecipava. 200 pontos de diferença entre o BPI e o BCP é obra!

  97. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 15:20

    “Não tenho dúvidas nenhumas. Mas até lá, para que tal aconteça, outros podem estoirar com base na incerteza, desconfiança e rumor.”

    Estranho, eu só vejo Pessoas, Empresas, Países a estoirarem com base na confiança, certezas e rumores optimistas. E você acha que ainda é pouco.

  98. 29 Abril, 2010 15:22

    “E tem alguma dúvida que se a Grécia o fizer e aprovar legislação que o permita, os ratings da Grécia recuperam?”

    Não tenho dúvidas nenhumas. Mas até lá, para que tal aconteça, outros podem estoirar com base na incerteza, desconfiança e rumor.

    Outros que não façam o mesmo. Mas como é que alguém pode não desconfiar de Portugal, neste momento? O que nos tem aguentado é a suposição que a UE aguentará o barco. Bastou alguma hesitação por parte da Alemanha e as dúvidas crescem: ninguém acredita que Portugal faça o que tem a fazer se a isso não for obrigado.

    O que eu queria era que me apresentasse um país com boas contas a estoirar por causa de boatos ou por acções de “ataques especulativos”.

  99. Euroliberal permalink
    29 Abril, 2010 15:25

    Uma nova hipótese: e se além do ataque de especuladores interessados no estouro de vários países e instituições da zona euro (manipulando para isso as agências de rating para agravarem o pânico dos mercados), houver ainda um desígnio anti-europeu de circulos financeiros americanos e londrinos que pretendem destruir o euro (rival do dólar como moeda de reserva internacional) e minar as possibilidades crescentes de Frankurt ultrapassar Londres como praça financeira europeia ?

    Um índício para ajudar: essas três agências de ranking não são todas americanas ? E não têm dado provas de desonestidade extrema e de terem uma agenda nacional (afinal o Lehman Brothers quando faliu tinha um AAA…) ?

    A camonada à beira da falência pretende levar com ela os “aliados” europeus (assim pensam os ingénuos neoconeiros europeus, sob a capa de defesa da lógica não regulada dos mercados) para ganhar mais uns balões de oxigénio e atrasar o fim inexorável do lixo verde…

    Esta crise tem todo o aspecto de uma crise artificial. O ataque ao euro só interessa a quem ? Ao dólar, é claro. Mas ninguém vê ?

  100. 29 Abril, 2010 15:28

    .
    No meio de tanta Ciência e Certeza, o Dinheiro (ouro) e o Crédito foi do Ocidente para o Oriente. A Economia do Oriente arrasa a do Ocidente. Desemprego, Falências em massa e Pobreza sempre crescer.
    .
    Romper isto, a hecatombe do Ocidente, eis o busilis. Até este momento ninguém das Elites e da Governanças do Ocidente ainda foi capaz de resolver. O resto são tretas.
    .

  101. Carlos permalink
    29 Abril, 2010 15:29

    “Um índício para ajudar: essas três agências de ranking não são todas americanas ?”

    Nao nao sao. O maior accionista da Fitch é a francesa Fimalac.

  102. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 15:30

    “O que eu queria era que me apresentasse um país com boas contas a estoirar por causa de boatos ou por acções de “ataques especulativos”.”

    Em teoria, as boas contas não existem. Basta um evento que as destrua. Como um credi crunch. Ou até mesmo um terramoto.

    É claro que, quem se põe a jeito, sujeita-se. Foi sempre isso que su disse que poderia a acontecer a Portugal. Não endireitar o país quando o podia. Depois, quando acontecem os “eventos black swan”, como alguns gostam agora de o dizer, os estoiros acontecem.

    E é isso que o Lucklucky anda a combater. Só que ele é radical demais, claro. Uns são oitenta, outros 8.

    Mas, como Vc. bem refere, só se afoga quem se mete na água.

    anti-comuna

  103. 29 Abril, 2010 15:31

    O rumor, em tempo de guerra, pré-guerra ou pós-guerra, ao longo da história, tem sido frequentemente olhado pelo Estado (exército, polícia e tribunais) com grande severidade. Com frequência, os tribunais foram mesmo desnecessários para aplicar a sentença a quem era acusado de os propagar.

    Não estamos em guerra, agora (pelo menos num sentido literal), na bolha imobiliária, na bolha das dotcom, no S&L ou nos bailouts da Chrysler ou da Lockheed para falar de alguns acontecimentos relevantes dos últimos 40 anos onde o rumor foi algo de muito relevante na “saída” de cada uma destas crises e, diriam os “austríacos”, na preparação da “entrada” na seguinte, obviamente de maiores dimensões e mais nefastas consequências.

    Se é inegável que o rumor é relevantíssimo para toda a actividade de especulação (seja levada a cabo por profissionais do trading ou protagonizada por um(a) dono(a)-de-casa numa corrida a uma promoção no Lidl) a verdade é que nem todos ganham. Por vezes, quase todos perdem. E hoje em dia os grandes tubarões raramente perdem porque entretanto criaram um conceito extraordinário: o do “risco sistémico”. Com ele, todo o bail-out é permitido. Não importa qual a sua dimensão.

  104. Euroliberal permalink
    29 Abril, 2010 15:35

    A Fitch é americana. Desconheço a estrutura accionista, mas essa empresa francesa tem mais de 50% ?

    “Fitch Ratings was founded as the Fitch Publishing Company on December 24, 1913 by John Knowles Fitch. Located in the heart of the Financial District in New York City, the Fitch Publishing Company began as a publisher of financial statistics whose consumers included the New York Stock Exchange. Soon Fitch Publishing Company became the recognized leader in providing critical financial statistics to the investment community through such publications as the “Fitch Bond Book” and the “Fitch Stock and Bond Manual”

  105. 29 Abril, 2010 15:37

    Por falar em BCP, o que acha o Anti-Comuna de Santos Ferreira ter optado por manter a operação na Grécia? Será que ele não deu atenção aos rumores?

  106. Carlos permalink
    29 Abril, 2010 15:38

    Fitch Ratings is headquartered in New York and London and is part of the Fitch Group. In addition to Fitch Ratings, the Fitch Group also includes Fitch Solutions, a distribution channel for Fitch Ratings products and a provider of data, analytics, and related services. The Fitch Group also includes Algorithmics, a world leading provider of enterprise risk management solutions. The Fitch Group is a majority-owned subsidiary of Fimalac, S.A., headquartered in Paris, France.

    Em vez de ir ao wikipedia vá ao site oficial. Tem tanto de americana como de Europeia.

  107. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 15:41

    #86. jcj
    “O problema é que esse e-mail está considerado como ‘spam’ pelo filtro automático do WordPress”

    É mentira, porque nas caixas de comentários dos posts que não sejam “HM” e “jcd” o email “piscoiso@netcabo.pt” não é bloqueado e o avatar aparece.
    Ou será que os restantes blasfemos, excepto “HM” e “jcd” não estão no WordPress?
    Um bocadinho de honestidade não lhe ficava mal. Ou será ignorância?

  108. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 15:43

    “Por falar em BCP, o que acha o Anti-Comuna de Santos Ferreira ter optado por manter a operação na Grécia? Será que ele não deu atenção aos rumores?”

    Não gosto de falar casos particulares, quando ainda por cima é um activo que negoceio frequentemente. Não leve a mal, mas não quero e nem posso comentar.

    anti-comuna

  109. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 15:44

    Eduardo F. para o anti-comuna pelo menos aqui a definição de rumor é: Não se dizer a toda a gente que se tem fé no Governo Grego.

  110. tina permalink
    29 Abril, 2010 15:44

    jcd, ia-me esquecendo de dizer que o post está brilhante e extremamente divertido.

  111. Euroliberal permalink
    29 Abril, 2010 15:45

    Carlos, está bem, mas como sabe há europeus que só vêem o sol da terra, O Império do Dólar Furado. E que fariam tudo para destruir o euro (até são eurocépticos) e a coesão europeia. Sobretudo se ganhassem pessoalmente com isso.

    Logo o facto de europeus deterem uma posição numa agência de rating, não é para mim garantia de credibilidade dessas agências. Aliás, o anti-comuna, que me parece muito bem informado, também referiu há tempos a possibilidade da existência de tal conspiração…

  112. 29 Abril, 2010 15:51

    Para os mais distraídos, para os que clamam contra esses abutres do rating, para os piscoisos deste sítio que acham naturalmente patriótica a acção do governo do Bloco Central chefiado por Mário Soares e, por arrastamento, só podem avaliar como muito boa a prestação do então Ministro das Finanças (mesmo com impostos retroactivos), convirá lembrar que Ernani Lopes é presidente de uma agência de rating nacional – a SAER.

    Querem saber a opinião dele? «Há um produto muito raro e porque muito raro, muito caro, e a esse chama-se bom senso».

    É esta a razão – a rarefacção do bom-senso – que leva a conventional wisdom a supor que as regras do orçamento do Estado obedecem a leis que nada têm a ver com o orçamento de uma família. Esta é a maior mistificação dos séculos XX e XXI tornada possível pela disseminação à escala mundial dos bancos centrais. Quanto mais tempo irá durar?

  113. Ganda Nóia! permalink
    29 Abril, 2010 15:56

    Piscoiso e Euroliberal,vamos todos falar das tias e do tempo atmosférico?
    É que não percebemos nada disto e só dizemos asneiras.
    Ahaha!

    PS-Ficamos a saber que há engenheiros sociais por aqui.
    Ahaha!

  114. Romão permalink
    29 Abril, 2010 16:05

    Um bom exemplo do que o Anti-comuna exemplificava ainda há pouco:

    http://news.bbc.co.uk/2/hi/business/10091952.stm

    “Uma pessoa disse-me que ouviu dizer que” e de repente estoira um petardo financeiro. Se há naturalmente convulsões de mercado que resultam de bolhas especulativas e/ou surpresas sobre o real valor dos produtos (o subprime, por exemplo) neste caso em apreço, pelo contrário, parece haver um corpo por detrás da mão invisível. E tem a ver com a política e com o poder.

  115. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 16:06

    “Aliás, o anti-comuna, que me parece muito bem informado, também referiu há tempos a possibilidade da existência de tal conspiração…”

    Só não tenho provas. Mas tenho quase a certeza absoluta.

    O estoiro do euro, dava biliões a ganhar alguns (é preciso ver que o mercado da dívida é o maior do mundo) e politicamente favorecia o dólar e os USA.

    Se eu tivesse provas concludentes…

    anti-comuna

  116. 29 Abril, 2010 16:08

    jcd

    O email piscoiso@netcabo.pt nunca poderia ser bloqueado pela WordPress, uma vez que Piscoiso está registado na WordPress com esse email e tem lá um blogue http://piscoiso.wordpress.com/
    O bloqueio que fez ao email, estende-se agora ao IP, não lhe permitindo a resposta pelo servidor da netcabo.
    Conforme deve ter percebido, se é que tecnicamente não sabe, o direito de resposta só lhe vai ser bloqueado fechando a caixa de comentários.

  117. Ganda Nóia! permalink
    29 Abril, 2010 16:11

    Deixa lá,Coiso.No teu blog aquilo é uma censura danada.Não entra ali verdade alguma.
    Pior que aquilo só na Coreia do Norte.
    Ahaha!

  118. 29 Abril, 2010 16:15

    “É mentira, porque nas caixas de comentários dos posts que não sejam “HM” e “jcd” o email “piscoiso@netcabo.pt” não é bloqueado e o avatar aparece.
    Ou será que os restantes blasfemos, excepto “HM” e “jcd” não estão no WordPress?
    Um bocadinho de honestidade não lhe ficava mal. Ou será ignorância?”

    Não, não é mentira. Nunca o bloqueei pela simples razão que não sei como se faz. Se soubesse, já estaria bloqueado há muito, para evitar as palermices e as desconversas com que costuma poluir as caixas de comentários. Mas estou muito feliz porque o filtro de spam me substitui: todos os seus comentários que pensa bloqueados, estão retidos no filtro.

  119. 29 Abril, 2010 16:25

    eheheh
    #118.
    O filtro de spam do jcd funciona por telepatia!
    Ou tem um empregado a quem deus orden: “Ó pá, bloqueia aí o Piscoiso”.
    Mas como, sem fechar a caixa de comentários?
    Ridículo.

    #117.
    Nos meus blogues todos os insultos e injúrias são apagados, sejam lá de que clube forem.
    Higiene.

  120. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 16:29

    “O que é que estás à espera para comprar BCP?”

    Mas quem vai comprar o BCP não é o BPI?

  121. 29 Abril, 2010 16:34

    “O filtro de spam do jcd funciona por telepatia!”

    Não sei como funciona, mas suponho depois de marcar uma dezena de comentários como spam (e no caso em discussão há centenas que fazem parte da categoria), os que se seguem vão lá parar automaticamente.

  122. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 16:37

    Anti-Comuna

    Diz que demonstrou aqui muita coisa e que está toda a gente a dormir. O engraçado é que você vive de teorias da conspiração. Veio falar com toda a arrogância do mundo sobre o naked como se fosse grande especialista e pelo que escreveu vejo que não compreende nada do assunto. Eu tb não sei nada de Engenharia, mas não venho para aqui chamar os outros de ignorantes sobre a matéria.
    Se conseguir demonstrar aqui um caso de ILEGAL de naked, principalmente sobre obrigações governamentais, dou-lhe os parabéns. Até não passa de mais um maluquinho que passeia pelas caixas de comentários.

    Quanto à diferença dos spreads dos cds entre BPI e BES é muito fácil perceber porquê. É que o mercado sabe bem o que o BES tem no balanço, bem como sabe o que o BES andou a meter nos últimos anos nas contas das empresas, bem como sabe quem são os únicos bancos portugueses market makers de dívida pública Portuguesa, bem como sabe que CDSs é que foram metidos pelo BES nas empresas para colmatar problemas derivados de outros produtos metidos à força para diminuição de spreads de financiamento, bem como sabe outras coisas que aqui não posso dizer…

  123. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 16:37

    “Não gosto de falar casos particulares, quando ainda por cima é um activo que negoceio frequentemente. Não leve a mal, mas não quero e nem posso comentar.”

    eu tamém, em por cheque e atm, quando a conta não está a descoberto. pela conversa deves ter indíce psa 20 ng, tamém acho chato comentar doenças broncológicas aqui.

  124. 29 Abril, 2010 16:45

    #122.

    Por mais que considere os meus comentários como spam, não vou deixar de os fazer, seja com que nick e avatar for.
    Coartar-me da liberdade de expressão só o consegue fechando os comentários.
    Deixe-me no entanto dizer-lhe que o termo “spam” está conotado com publicidade, que não faço. Se lhe dá uma conotação de comentários incómodos e inconvenientes, caímos simplesmente na CENSURA discricionária.
    Quanto ao resto, pauto os meus comentários pelo estipulado no regulamento http://blasfemias.net/sobre/

  125. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 16:46

    ““A operação continua em aberto até a recompra.”

    Tem a certeza?

    E o naked de obrigações? Como se faz? E quais os seus efeitos?”

    Sim, tenho.
    Como se faz? O que quer dizer com isso?

  126. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 16:46

    Já deixei um link csobre isto:

    “Se conseguir demonstrar aqui um caso de ILEGAL de naked, principalmente sobre obrigações governamentais, dou-lhe os parabéns. Até não passa de mais um maluquinho que passeia pelas caixas de comentários.”

    Aposto que ninguém o leu.

    E diz que nunca aconteceu no passado? Olhe, pergunte ao José Silva como as coisas se passam no clrearing, que trablhou nessa área 15 anos. Ele até lhe pode explicar melhor que eu, como eles fazem os cruzamentos nos balanços.

    “Quanto à diferença dos spreads dos cds entre BPI e BES é muito fácil perceber porquê. É que o mercado sabe bem o que o BES tem no balanço, bem como sabe o que o BES andou a meter nos últimos anos nas contas das empresas, bem como sabe quem são os únicos bancos portugueses market makers de dívida pública Portuguesa, bem como sabe que CDSs é que foram metidos pelo BES nas empresas para colmatar problemas derivados de outros produtos metidos à força para diminuição de spreads de financiamento, bem como sabe outras coisas que aqui não posso dizer…”

    Ai sim? ehehehehheh

    Olhe para os CDSs. Eles respondem por mim.

    anti-comuna

  127. tina permalink
    29 Abril, 2010 16:56

    O que é interessante observar é que para a esquerda é culpa é sempre de outros. Primeiro, os défices excessivos são devido à crise e não as suas políticas despesistas. Em seguida, a crise dos rating é devida aos ataques especulativos e não ao facto de as pessoas duvidarem, na verdade, e com toda a razão, que eles sejam capazes de pagar a dívida. Coitados, são sempre umas vítimas, nunca têm culpa de nada. A coincidência é que estas vítimas são sempre de esquerda.

  128. PH neutro permalink
    29 Abril, 2010 16:59

    “127

    Apoiado,damal.

  129. PH neutro permalink
    29 Abril, 2010 17:00

    “estas vítimas são sempre de esquerda.”

    Dizem eles…lol.

  130. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 17:03

    Anti-Comuna

    Está a falar do link do caldeirão de bolsa? Só pode estar a brincar não?

    Não percebi. estou a olhar para os cds. E? O que é que isso contraria o que eu disse?

    Que confusão vai nessa cabeça…

  131. 29 Abril, 2010 17:05

    Eu gosto analisar as corridas aos bancos.

    Um banco quando sofre uma corrida ao banco vai à falência ou precisar de intervenção por causa da corrida ao banco.

    Análise?

    Porque é que teve uma corrida ao banco? porque pessoas correram ao banco.

    Os banqueiros e políticos sempre venderam a ideia do banco “coitadinho” que fica na mão de pessoas irracionais…

    É como a dívida pública.

  132. Anónimo não coiso permalink
    29 Abril, 2010 17:09

    Mas o Passos Coelho não era o liberal? Não andava sempre a reclamar que devia haver menos Estado e que se devia deixar funcionar o mercado? Que o Estado não devia intervir?
    E agora vem assumir as dores de parto neste aborto socialista?!
    Que raio,então o mercado não está a funcionar?
    Palavra que política não é para mim.

  133. João Bernardo permalink
    29 Abril, 2010 17:10

    Dou os parabéns a jcd, permitindo esclarecer-me sobre o que se passa hoje na alta finança, e é pena que estas discuções não apareçam na nossa televisão.

  134. João Bernardo permalink
    29 Abril, 2010 17:12

    Afinal não dou os parabéns.

    Mando-o sim, jogar na Playstation, que é onde ele deve ser campeão.

    CD

  135. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 17:16

    “However, Brazil was also deeply affected by the fact that it represented around a 40% share in emerging market portfolios, as well as by specific hedging strategies used by investors suffering losses in Russia and elsewhere. A new unanticipated channel for contagion – not too much discussed in the literature – was through the Brady bonds. Goldfajn and Gupta (2003) gives econometric evidence that the most likely location of transmission of contagion from Russia to Brazil was the short-selling in offshore Brady markets. An interesting parallel can be drawn with Hong Kong, where short-selling in the stock exchange by offshore speculators was used as an instrument to attack the currency during the East Asian financial crisis.

    Goldfajn and Gupta (2003) also shows that foreign investors’ withdrawals from Brazil played a major role during the Russian crisis, and that they were not reversed; this was in contrast with the period during the Asian crisis where withdrawals from Brazil by foreign investors were smaller and reversed a few months later.

    Important regulatory points can be made drawing on this Brazilian experience. Though US securities law includes restrictions on repeated use of short-selling by a broker by limiting the price (“tick”) at which the second short sale of a security can be made (through the “Tick Rule”), this could not be applied off-shore, as no reference price is fixed to any exchange. Similarly, margins on short sales, also repeatedly tend not to apply to offshore trading. This creates, as Franco highlights, a specific regulatory asymmetry, between domestic and offshore markets that amplified contagion from the Russian crisis.

    Further, the aggregate short-selling of Brazilian bonds seemed very high relative to amounts of bonds available. Indeed, reportedly a number of actors – including large international banks – were selling short bonds that they did not have. Brazilian investment banks complained that when they attempted to follow provisions approved under International Securities Market Association Rules to force delivery – which would imply short sellers having to buy the bonds to cover their positions,- they were threatened by these large international banks that if they did this, their credit lines would be cut. It can be argued that another regulatory asymmetry arises here as a large market maker (an international bank) is favored over a small player (a national bank) challenging a short sale that was damaging to market integrity.

    Gustavo Franco correctly argues the need to regulate transactions in secondary markets, in cases where these are subject to manipulation and unfair practices. Such regulation would be complementary to regulation of hedge funds. This should be done globally whether such activity occurs offshore or onshore.

    In http://www.stephanygj.net/papers/Brazil_July31_07.doc

    “2. Controversy over naked short selling

    Several companies have sued the DTCC over delivery failures in their stocks, alleging culpability for naked short selling. Furthermore, the issue of the DTCC’s possible involvement has been taken up by Senator Robert Bennett and discussed by the NASAA and in articles—disagreed with by DTCC—in the Wall Street Journal and Euromoney Magazine. [2] [3] The DTCC contends that the suits are orchestrated by a small group of lawyers and executives to make money and draw attention from the companies’ problems. [3]

    Critics blame DTCC as being in charge of the system where it happens, say that DTCC turns a blind eye to the problem, and that the Securities and Exchange Commission has not taken sufficient action against naked shorting. [3] DTCC says that it has no authority over trading activities, cannot force buy-ins of shares not delivered [4] , and suggests that naked shorting is simply not widespread enough to be a major concern. “We’re not saying there is no problem, but to suggest the sky is falling might be a bit overdone,” DTCC’s chief spokesman Stuart Goldstein said. The U.S. Securities and Exchange Commission (SEC), however, views naked shorting as a serious enough matter to have made two separate efforts to restrict the practice. [3] The DTCC says that the SEC has supported its position in legal proceedings. [4] [5] [6] DTCC General Counsel Larry Thompson calls the claims that DTCC is responsible for naked short selling “pure invention.” [6]

    In July 2007, Senator Bob Bennett, Republican of Utah, suggested on the U.S. Senate floor that the allegations involving DTCC and naked short selling are “serious enough” that there should be a hearing on them. [7] The committee’s Chairman, Senator Christopher Dodd, indicated he was willing to hold such a hearing. [7] The North American Securities Administrators Association, representing state stock regulators, filed a brief in a suit against the DTCC, arguing against federal preemption as a defense to the suit. NASAA said that “if the Investors’ claims are taken as true, as they must be on a motion to dismiss, then the entrepreneurs and investors before the Court have been the victims of fraud and manipulation at the hands of the very entities that should be serving their interests by maintaining a fair and efficient national market.” [8]

    Critics also contend that DTCC and SEC have been too secretive with information about where naked shorting is taking place. [3] DTCC says it has supported releasing more information to the public. [4]”

    In http://wapedia.mobi/en/Depository_Trust_%26_Clearing_Corporation#2.

    Penso que isto deve chegar, não?

    anti-comuna

  136. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 17:16

    Se se quisesse eliminar esse risco, bastava alterar o nível de reservas. Quando é para poder emprestar à fartazana é porreiro não ser obrigado a ter níveis altos. Quando corre risco de falência por causa de uma corrida, já é um Deus nos acuda.

  137. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 17:25

    Pizarro, a resposta a uma sua pergunta, que lhe ficou por responder:

    “Naked Short Sales Hint Fraud in Bringing Down Lehman

    The biggest bankruptcy in history might have been avoided if Wall Street had been prevented from practicing one of its darkest arts.

    As Lehman Brothers Holdings Inc. struggled to survive last year, as many as 32.8 million shares in the company were sold and not delivered to buyers on time as of Sept. 11, according to data compiled by the Securities and Exchange Commission and Bloomberg. That was a more than 57-fold increase over the prior year’s peak of 567,518 failed trades on July 30.

    The SEC has linked such so-called fails-to-deliver to naked short selling, a strategy that can be used to manipulate markets. A fail-to-deliver is a trade that doesn’t settle within three days. ”

    In http://www.bloomberg.com/apps/news?pid=20601109&sid=aB1jlqmFOTCA

    Dirá que a falência deles era ienvtável. Não sei. Sei é que este tipo de actividades destroiem ainda mais qualquer possibilidade de uma companhia sobreviver.

    E agora vou beber o meu bagacinho da praxe.

    anti-comuna

    No caso do short das obrigações, a coisa só precisa ser feita de molde a que haja tempo para comprar as obrigações antes do deadline para o sttle. Entretanto, quando se afoga o mercado com dívida inexistente, ele crach e é fácil comprar de novo. Não havendo esse naked short, implica sempre o empréstimo, que limita as quantidades vendidas, que retira menos probabilidades de serem manipuladas. Embora haja alguns estudos que até negam que esta prática aumente a volatilidade, mas que eu duvido.

    anti-comuna

  138. jose silva permalink
    29 Abril, 2010 17:25

    Uso dos sistemas de clearing e settlement para manipular os mercados:

    For more information on the DTCC and its “business activities”, see:

    *****Net Settlement And The Shortfalls Of Clearinghouse Guarantees*****
    Naked Short Selling The Euro
    *****What You Need To Know About Wall Street*****
    Great Lecture On (Naked) Short Selling
    *****Wall Street Selling Imaginary Treasuries*****
    *****Wall Street Addicted To Selling Non-existent Shares*****
    *****WHAT IS NAKED SHORT SELLING?*****

    http://www.marketskeptics.com/2010/04/europe-becoming-of-focus-of-dtccs.html

  139. jose silva permalink
    29 Abril, 2010 17:30

    entre a operação de bolsa e sua liquidação 3 dias depois há um mundo de oportunidades !

  140. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 17:34

    Anti-Comuna

    Não, claro que não chega. Até pq se isto é apresentar textos de um sítio qq para provar o que quer que seja, arranjo-lhe já uns cinco ou seis com contraditório. A verdade é que nem sequer se consegue determinar muito bem quando é que há ou não naked short selling ilegal. Ele é não é detectado directamente, mas geralmente pela quantidade de situações “failed do deliver”. O problema é que estas situações podem ser derivadas de outros motivos, que não o NSL. Aliás, os últimos dados divulgados sobre esta situação, é que em média 99% das operações são liquidadas sem qualquer problema. Só 1% é que há situações de incumprimento nas settlement date, não sendo, como já disse, prova cabal de que se esteja em presença de NSL.

    Bem, por hoje tenho de ir.

    Cumprimentos

  141. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 17:35

    O mais engraçado, é que é uma actividade tão antiga que até tem basras. Até nos tempos em que elas eram fisicas se faziam naked shorts, quanto mais agora, que é tudo electronico. lololololol

    Esta gente acredita que é possível obter altas rentabilidades a fio, nalgumas actividades, sem nada por trás. ahahahahhah

    Santa ingenuidade. Nunca viram nada. Até em Portugal há naked shortselling!

    anti-comuna

  142. Outside permalink
    29 Abril, 2010 17:35

    À margem:

    Vai la beber o bagacinho que o mereceste bem. (já deves ter os dedos dormentes a explicar o raciocinio)

    Por mim, que sou leigo nesta área, fiquei com um melhor conhecimento devido às tuas explicações/exposições.

    Por mim, apesar de discordarmos diversas vezes, mereceste o meu respeito caro Anti. No meio desta algarviada económica/bolsista deu para vislumbrar os seus valores.

    Por mim, em essência, no fundo do fundo, é isso que conta..valores, ética, carácter.

    Cumprimentos, fique bem.

  143. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 17:38

    “Até pq se isto é apresentar textos de um sítio qq para provar o que quer que seja, arranjo-lhe já uns cinco ou seis com contraditório.”

    Venha daí. Venha que eu gosto de ler.

    Olhe, já agora dê uma vista de olhos ao chamado escândalo clearstation, que vai para lém do cleraing, mas mete corrupção e até lavagem de capitais escuros. Isto de ser electronico, hoje em dia, é só vantagens. Até o Leeson criou contas falsas para mostrar movimentos inexistentes ou fazer settle ilegal, dentro do banco. lololololol

    anti-comuna

  144. 29 Abril, 2010 17:40

    Caro Anti-Comuna #139,

    É pobre essa linha de pensamento. Também nos anos 30 se proibiu o short selling para proteger aquelas companhias alvo dos especuladores, ou seja, as que detinham activos muito sobrevalorizados. Não o mercado como um todo mas sim aquelas companhias.

    É nas reservas fraccionárias que está o problema, como bem assinala o Caro Pizarro, e em persistir na ilusão do graal do boom permanente (através da elimição da “escassez” de capital com que Keynes sonhava). Deu, está a dar e sempre dará problemas. Cada vez maiores. Já se esqueceram do Japão? Está há 20 anos na trampa e de lá não consegue sair. O Krugman não consegue explicar a coisa e nem mesmo a receita Friedmanita resultou…

    Mas nós, portugueses, vamos dar uma nova lição ao mundo. É pelo menos o que se deduz da “caixa” do Público de hoje. Só pode.

  145. lucklucky permalink
    29 Abril, 2010 17:51

    “O estoiro do euro, dava biliões a ganhar alguns (é preciso ver que o mercado da dívida é o maior do mundo) e politicamente favorecia o dólar e os USA.”

    Mais la palisse. O estoiro de qualquer coisa dá milhões a ganhar a outrem. Se o café da esquina vai á falência o dois quarteiroes adiante tem mais clientes, E? O Euro terá ou não razão para existir dependendo do comportamento das partes que lá estão. Não é só a Grécia que é insustentável, são todos porque a crescer a 1% ninguém poderá ter defices de 3% sequer.

    Os aumentos inconscientes e criminosos da dívida na zona Euro já fazem que cada crise por mais diminuta que seja se torne em crises de sobrevivência. Por isso se não for desta o Anti-comuna prepare-se porque virá cá muitas vezes bradar contras os terríveis americanos.

  146. tina permalink
    29 Abril, 2010 18:06

    A UE esperava que os países mais pobres da Europa acompanhassem o passo dos países mais ricos. Não acompanharam, os planos sairam furados e agora estão todos a ir juntos ao fundo. Ou os países com problemas saiem do euro ou ninguém se safa.

  147. tina permalink
    29 Abril, 2010 18:09

    Mais valia esperar que as economias evoluíssem e depois reunificar novamente em volta do euro. A UE está a pagar pela adesão precipitada de países que não estavam preparados. A carroça à frente dos bois, como se costuma dizer, como tantos avisaram. Chamaram-lhes eurocépticos e não sei que mais.

  148. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:12

    Viraram o capacho do Marx e descobriram o Hayek. Em qualquer dos casos o capital substitui a cruz. É o terço da mão invisível.

  149. 29 Abril, 2010 18:14

    Caro Anti-Comuna,

    Você até pode ter razão em muito daquilo que diz e é evidente que os tipos que andam no trading são tudo menos anjos celestiais. Nada de diferente no entanto de qualquer outro negócio.
    Mas a questão de fundo é outra. É que podemos, tal como escrevi numa posta abaixo, estar à beira do estouro da bolha da dívida pública. E por muita manobra que façam os especuladores e as agências de rating, já ninguém consegue esconder tamanhos desequilíbrios. Como diria o Soreman, a economia não mente.

  150. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:14

    O que me faz confusão nisto é haver quem pense que “ninguém” ou nada está por detrás do funcionamento dos mercados: aquilo é o motor imóvel aristotélico em auto-regulação permanente, para lá do bem e do mal.

  151. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:15

    A verdade é que ninguém hoje sabe se a Grécia ou Portugal estoiram porque não é possível sabê-lo pelos mercados: é uma decisão política.

  152. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:18

    Um país foi à falência? Foi assim que o Mercado o quis. Ámen.

  153. tina permalink
    29 Abril, 2010 18:18

    Portanto, tudo isto já foi previsto no passado, os especialistas na matéria avisaram e agora aparece toda a gente com desculpas, a crise, os especuladores, etc. A crise não fez mais do que expôr todas as fraquezas da UE. Uma União que nunca teve líderes fortes e iluminados, que tivessem imposto um ritmo lento mas seguro. Um projecto destes não pode ser gerido por funcionários públicos como tem sido ultimamente.

  154. 29 Abril, 2010 18:18

    Quando vi o post ate pensei que podia ser bom. Quando carreguei para ler mais, arrependi-me de estar a perder tempo com palhaços e palhaçadas.

  155. 29 Abril, 2010 18:19

    Ah, e nem li os comentários, deve ser cada personagem também…

  156. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:21

    Eu às vezes tenho a sensação de que esta malta por vezes encontra-se tão concentrada no equivalente económico do estudo da partícula X que se esqueceu do que existe do lado de cá do LCD.

  157. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:25

    Quem tem dúvidas que a salvação da Grécia está nas mãos da Chanceler Merkel – ou, mais concretamente – dos auspícios dos eleitores do Estado da Rino-Westfalia do Norte?

  158. tina permalink
    29 Abril, 2010 18:29

    O que é engraçado é que ao princípo, quando era só a Grécia, a maioria dos politicos europeus armou-se em forte, estavam dispostos a ajudá-la, os especuladores serão vencidos. Agora já andam a sussurrar uns aos outros senão era melhor que esses países incómodos saíssem do euro. ahahahaha!

  159. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:31

    Cavaco não intervém porque quer ser reeleito e isso está acima dos interesses do país (e na verdade, para além de mostrar um par de tomates, pouco mais poderia fazer do que dar uma merecida reprimenda).

    Merkel decide ao sabor das sondagens na Rino-Westfalia do Norte e, como boa alemã, não quer apagar as velas sem ter medido e pesado o bolo.

    O Sarkozy não quer o FMI ao barulho por causa do fantasma do Strauss-Kahn.

    O Gordon Brown nem tem poder, de momento, para regular o mercado da pastilha elástica.

    Portanto sim, estamos basicamente nas mãos do “mercado”, e como têm estado a verificar, isso não é necessariamente bom.

  160. 29 Abril, 2010 18:33

    “Quem tem dúvidas que a salvação da Grécia está nas mãos da Chanceler Merkel – ou, mais concretamente – dos auspícios dos eleitores do Estado da Rino-Westfalia do Norte?”

    A salvação da Grécia está nas mãos dos gregos. Podem ter agora um balão de oxigénio, mas se não mudarem, serve de pouco.

  161. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:34

    Detesto dar razão ao Rui Tavares, mas justiça seja feita: a crónica dele de hoje diz o essencial sobre isto.

  162. 29 Abril, 2010 18:35

    Romão

    Parece que a culpa é da Merkel, do Cavaco, do Sarkozy, do Brown e dos mercados. Os governos de Portugal, da Espanha e da Grécia são uns inocentes no meio disto tudo, não?

  163. 29 Abril, 2010 18:36

    “O que me faz confusão nisto é haver quem pense que “ninguém” ou nada está por detrás do funcionamento dos mercados: aquilo é o motor imóvel aristotélico em auto-regulação permanente, para lá do bem e do mal.”

    Ninguém? Antes pelo contrário, há muita gente por detrás dos mercados. Milhões de pessoas. Algumas são gambosinos.

  164. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:39

    #165.

    JCD. Tudo bem: esse o ponto final e (acho que) todos concordamos onde devemos chegar. Há dívida em excesso em todo o lado e basta uma oscilação para reverberarem ondas de choque pelas praças mundiais. Mas isto nem é só um problema da Grécia nem estamos de acordo (o nem falámos disso), fundamentalmente, sobre o modo como deve ser feita a reestruturação dos modelos sobre os quais assenta a nossa economia.

    Um mundo que se alimenta de futuros pode sobreviver? É que perdemos uma boa oportunidade para mudar qualquer coisa agora mesmo.

  165. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 18:41

    “É que podemos, tal como escrevi numa posta abaixo, estar à beira do estouro da bolha da dívida pública. ”

    Caro LR, certo. Mas não podemos perdoar aos que nos empurram para o abismo, por usarem armas ilegais.

    Não podemos passar uma esponja pelo que mal andamos nós a fazer, estes anos todos. Mas também não podemos deixar que nos empurrem, quando eles usam armas ilegais.

    Vc. sabe perfeitamente que eu fartei-me de dizer aqui, que isto podia acontecer. Por nossa culpa. Mas agora não podemos deixar que nos enterrem. Senão, então é que nos espatifamos todos, porque acamos por sermos suicidas. Gastamos quando não deviamos. E quando estamos sob fogo, muitas vezes de forma ilegal, nós até batemos palmas para a degola que elesnos fazem.

    Nós ainda nos podemos salvar. Se o podemos, lutemos para essa salvação ser possível. Que é evitar sermos vítimas de criminosos e fazer tudo por tudo, para obrigar os nossos políticos irresponsáveis a governarem a pensar no futuro dos portuguese e não no poder pelo poder.

    Apenas isto.

    anti-comuna

  166. Pizarro permalink
    29 Abril, 2010 18:46

    Quanto ao caso da Lehman, a conclusão não teve nada a ver com o short selling. O problema é que por vezes, o naked short selling ocorre DEPOIS da instituição ir à falência e não antes. Aliás, essa foi uma das conclusões sobre a falência da Lehman:

    ” Upon the examination of the issue of whether “naked short selling” was in any way a cause of the collapse of Bear Stearns or Lehman, securities experts reached the conclusion that the alleged “naked short sales” occurred after the collapse and therefore played no role in the collapse.” Esta é aliás uma situação muito usual, por causa do próprio funcionamento do mercado e da escassez de liquidez no momento subsequente à declaração de falência.

    Cumprimentos

  167. tina permalink
    29 Abril, 2010 18:47

    “A salvação da Grécia está nas mãos dos gregos. Podem ter agora um balão de oxigénio, mas se não mudarem, serve de pouco.”

    E o jcd acredita que eles mudarão? Eu não, nem por instantes. É como acreditar que Sócrates ou os socialistas passarão a governar bem. Impensável, não é? A única salvação é a UE impôr uma supervisão económica mais apertada, para além do défice, como parecem ser essas as propostas que estão a avançar. Se estes países não se sabem governar, a UE terá de fazer isso por eles.

    • 29 Abril, 2010 18:54

      “E o jcd acredita que eles mudarão? Eu não, nem por instantes.”

      Ai mudam, mudam. Quando não tiverem dinheiro para pagar salários, o que pensa que vai acontecer?

  168. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:48

    #167.

    De todo.

    Espanha, Portugal, Grécia e restante Europa estão sobre-endividados e o mundo funciona na lógica do comer hoje o que se vai produzir amanhã, pagando depois de amanhã ou deixando a factura para o que vem a seguir. A própria política condiciona de forma pérfida a responsabilidade sobre as dívidas que se contraem no presente. Quem vem a seguir culpa o anterior e passa ao próximo.

    Agora pensar que “isto é um problema dos gregos ou dos portugueses” é não ter noção de que a união europeia é um projecto que transcende os 3% de PIB europeu que o problema de momento representa.

    O que falta na Europa, paradoxalmente, não é economistas: falta à Europa políticos que sejam capazes de manter o projecto europeu (se é de manter) e, nesse caso, aliviar a pressão sobre a Grécia, sobre Portugal ou sobre Espanha.

    A não haver coragem política os que hoje entregam os vizinhos aos seus destinos estarão um dia também eles entregues ao “orgulhosamente sós” de que tão pouca gente se pode orgulhar.

    • 29 Abril, 2010 18:51

      “O que falta na Europa, paradoxalmente, não é economistas: falta à Europa políticos que sejam capazes de manter o projecto europeu (se é de manter) e, nesse caso, aliviar a pressão sobre a Grécia, sobre Portugal ou sobre Espanha.”

      Políticos que não fazem contas, já temos muitos. Deram nisto. Quem é que decidiu durante 36 anos gastar sempre acima das possibilidade, sem um único ano de equilíbrio? Não foram os políticos?

  169. 29 Abril, 2010 18:49

    Anti

    Por muitas manipulações que se façam nos mercados de derivativos, por muitas apostas sobre o que vai acontecer com cada título, ninguém pode sozinho manipular consistente e permanentemente os mercados de dívida soberana – as únicas entidades que têm pode para o fazer são os governos através das medidas que anunciam e provam ser capazes de tomar.

    Quantos milhões de investidores são detentores de dívida pública portuguesa? Se uma maioria acreditar que um título está subvalorizado, logo ele subirá – com grandes ganhos para quem acreditou e grandes perdas para quem se enganou.

    Claro que os mercados respondem aos pareceres das agências de rating credíveis – a maior parte dos investidores não fazem análise fundamental por uma questão de custo – mas o que está em causa e aquilo a que alguns insistem em chamar ‘ataque’ é a um processo de ajuste de preço feito por milhões de investidores em função do que em cada momento se sabe sobre cada título. Não são especuladores, chanfrados ou criminosos – são gestores de fundos que apenas gerem no melhor interesse dos seus clientes.

    No dia em que a S&P anunciou a descida de ratings, milhares de gestores alteraram os limites de ordem de compra e venda. Foi a essa movimentação que muitos chamaram “ataque dos especuladores”. Pois, eram gambusinos.

  170. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:50

    Eu às vezes tenho a sensação de que preferem ter razão a ter dinheiro.

  171. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:51

    Vão todos pôr a cabeça no cepo para certificar com o sangue o efeito Cassandra?

  172. 29 Abril, 2010 18:51

    Romão (#163),

    Claro que os políticos que você refere estão noutro mercado – o dos votos – e não percebem nada de mercado de capitais. Tudo o que fizerem nesta área será para complicar. Ou seja, todo este problema – a bolha da dívida pública – decorre da irresponsabilidade dos governantes de gastarem aquilo que não têm por via de um excesso de intervencionismo na esfera económica e despesa pública sempre crescente. Neste momento, está toda a gente a olhar para a Grécia, Portugal e Espanha. Mas em breve alastrará para Itália, Reino Unido, França, USA, todos eles com défices monstruosos. E não foram os especuladores ou as agências de rating que causaram tais desequilíbrios.

  173. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:53

    #177.

    E o JCD não vê que isso poderia ter sido evitado mediante uma posição Europeia comum e coerente? E que o problema poderia ser resolvido intramuros sem precisarmos de engordar bolsos alheios?

    Ou têm de cair países como se estivéssemos num double-blind clínico?

  174. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:56

    #181.

    Claro que sim.

    Claro que é um efeito dominó. Nisso dou-lhe toda a razão e ao JCD quando culpa os políticos pelas más políticas que nos levaram até aqui.

    Não pode é depois confiar que o “Mercado” diga o que tem de ser feito: essa decisão será sempre política (boa ou má) e só podemos esperar que haja homens e mulheres à altura da tarefa que aí vem.

  175. 29 Abril, 2010 18:57

    Realmente, a UE cometeu um grave erro.

    Quando Portugal quebrou o Pacto de Esatabilidade, logo no início, devia ter actuado com rispidez e sem contemplações. Mas não, deixaram andar. Toda a gente viu que aquilo não era para respeitar.

  176. Romão permalink
    29 Abril, 2010 18:58

    #177.

    Os mesmos políticos que fizeram esta cama são os únicos capazes de arranjar outra. Ou entrega os países e as políticas a quem? Aos mercados?

  177. 29 Abril, 2010 18:59

    Zazie

    Se desejar vir para aqui fazer comentários construtivos e participar no debate, seja bem-vinda. Para insultos e ignorância, por favor fique de fora ou vá para o seu blogue.

    Obrigado.

  178. 29 Abril, 2010 19:01

    “Os mesmos políticos que fizeram esta cama são os únicos capazes de arranjar outra. Ou entrega os países e as políticas a quem? Aos mercados?”

    Mas por acaso foram os mercados que fizeram e executaram os últimos 36 orçamentos do estado? Foram os mercados que mandaram Guterres aumentar a despesa pública em 55% em meia dúzia de anos?

    Estamos a sofrer as consequências de má gestão pública, contínua e persistente. E a culpa é de terceiros?

  179. 29 Abril, 2010 19:03

    Zazie

    os seus poucos comentários construtivos não são apagados. Por favor não nos obrigue a bloquear-lhe o acesso outra vez.

  180. tina permalink
    29 Abril, 2010 19:03

    Quem tinha razão afinal eram todos aqueles que questionavam a constituição europeia por ainda não estarmos prontos para ela. Os SIM ficaram a rir na altura. Agora podem ver como realmente foi prematuro, como os alicerces da UE ficam expostos com uma simples crise.

  181. Romão permalink
    29 Abril, 2010 19:05

    Como imaginar que nesta situação se aprovem contratos de auto-estradas, se diga que a ligação TGV Madrid-Lisboa é prioritária, que se perdoem dívidas a Angola e se empreste mais dinheiro para que eles possam pagar dívidas aos construtores portugueses porque o ano foi mau para o negócio do petróleo?

    Como é que se explica que Passos Coelho, o arauto sebastiânico da mudança, se reúna com um incompetente de primeira apanha para decidir o que já estava decidido e faça disso gala?

    Com políticos destes, formados nas jotas ao invés da Faculdade e do mundo, temos gente a brincar aos monopólios e às revistas cor-de-rosa.

  182. 29 Abril, 2010 19:07

    Romão,

    “Os mesmos políticos que fizeram esta cama são os únicos capazes de arranjar outra. Ou entrega os países e as políticas a quem? Aos mercados?”

    Esta cama anda a ser feita desde o pós-II guerra. E cada político novo que veio só soube fugir em frente. Não julgue que serão os actuais ou quaisquer outros que aí apareçam que tirarão da cartola soluções miraculosas. E a solução é só uma: os Estados abdicarem do intervencionismo económico e gastarem (muito) menos.

  183. Romão permalink
    29 Abril, 2010 19:08

    #184.

    JCD. Não enviese. A questão não é reconhecer quem fez merda, porque isso já sabemos, e a culpa não é só política: é de uma país semi-analfabeto com reduzidíssima exigência social e ética e que prefere um aldrabão com “obra feita” que um homem honesto.

    Há maus médicos e bons médicos. Não é por haver maus médicos que vai entregar a medicina à indústria farmacêutica?

  184. 29 Abril, 2010 19:09

    Caro Romão,

    Fui marxista-leninista-maoísta entre os 16 e os 18 anos. Curei-me depressa, pois. Na faculdade, ensinavam-nos – em exclusivo – a cartilha keynesiana, nas variantes mais ou menos neo. Passámos horas à volta da “curva de Philips” (uma espécie de hockeystick do aquecimento global) que pretendia estabelecer uma necessária relação de trade-off entre desemprego e inflação. Tretas.

    A faculdade era um monumento à ortodoxia. Não tolerava qualquer pensamento desviante. Cavaco era parte integrante da ortodoxia, na sua especialidade – Finanças Públicas – com muito evocação de cálculo diferencial e perorações múltiplas sobre multiplicadores (“automáticos” ou não). Na altura, a fina flor da intelligentsia apodava de ignorante quem afirmasse que a inflação era, como sempre foi e será, um fenómeno monetário…

    Entretanto Thatcher e logo depois Reagan chegam ao poder. A economia da inflação estagnada (stagflation) abre caminho à consagração, entre os seus pares, primeiro a Hayek e depois a Friedman. Keynes já não era o senhor absoluto da ciência económica. Mas o germe lá estava e lá ficou: são as suas teorias (tantas vezes bizarras e desprovidas do mais elementar bom senso) que sempre justificam as intervenções dos governos. E se essas intervenções não resultarem é porque o remédio não foi dado na dose indicada, havendo que reforçá-la numa espiral incessante (ver a história do Japão nos últimos 20 anos).

    É por isso que a intervenção do Estado, na realidade, não retrocedeu, mesmo com Thatcher e Reagan, apenas diminuiu o ritmo do seu crescimento. Clinton e Blair rapidamente floresceram na melhoria da competitividade conseguida pelos seus antecessores.

    E se assistimos à bolha das dotcom, a que se seguiu a crise do sub-prime e aos bail-outs massivos subsequentes de trillions de dólares, chancelados com a etiqueta Keynesiana com Obama (mas também com Bush e o ex-G&S Paulson ), será só para assistirmos ao explodir da próxima bolha cujo “sopro”, de acordo com os “austríacos” será colossal, ou, em alternativa, à estagnação prolongada (sounds familiar?).

    É a escola austríaca com Menger, Mises, Hayek e Rothbard, entre muitos outros, como o espanhol Huerta de Soto, a única que proporciona uma explicação para os ciclos económicos. A única, Caro Romão. O Krugman continua a afirmar, por exemplo, que a crise de 29-33 era impossível de antecipar…

    E que se saiba que a Zazie – que disto nada percebe nada mas não consegue ficar calada -, quando diz que foi o Roubini (e mais 11,25 economistas) que foi dos poucos que conseguiu prever a crise, esquece-se que há centenas de economistas da escola austríaca que não fizeram outra coisa que avisar que aí vinha borrasca da grossa.

    • 29 Abril, 2010 19:22

      “É a escola austríaca com Menger, Mises, Hayek e Rothbard, entre muitos outros, como o espanhol Huerta de Soto, a única que proporciona uma explicação para os ciclos económicos. A única, Caro Romão.”

      Não sei se é a única, mas foi a que saiu por cima nesta crise.

  185. 29 Abril, 2010 19:10

    Romão,

    “Como imaginar que nesta situação se aprovem contratos de auto-estradas, se diga que a ligação TGV Madrid-Lisboa é prioritária, que se perdoem dívidas a Angola e se empreste mais dinheiro para que eles possam pagar dívidas aos construtores portugueses porque o ano foi mau para o negócio do petróleo?”

    Lá está, puro intervencionismo na esfera económica. E a razão não é nenhuma necessidade premente de TGVs ou de novas estradas, mas de servir as corporações que dominam os agentes políticos.

  186. Romão permalink
    29 Abril, 2010 19:11

    #188.

    Concordo: gastarem muito, muito menos.

    Agora não é aproveitar a tesão do mijo das crises para privatizar tudo quanto respira.

    Volto a dizer: problema não é (só) os políticos mas toda uma sociedade a gastar muito mais do que aquilo que tem e pode ter.

    • 29 Abril, 2010 19:20

      Aproveitar? Já o deviam ter feito há muito. A participação intensiva do estado na economia é uma das origens da situação incomportável em que estamos. Desde os elefantes brancos de há 3 década, aos prejuízos acumulados nas empresas públicas, somado ao actual descalabro de dezenas de empresas municipais, tudo se somou para a nossa dívida actual. Ou pensa que pode continuar a injectar todos os anos fortunas so sector empresaria do estado.

  187. 29 Abril, 2010 19:16

    Romão,

    “Agora não é aproveitar a tesão do mijo das crises para privatizar tudo quanto respira.”

    Não tem outro remédio. E o que é que respira? A RTP? As empresas de transportes? A saúde ou a educação públicas?

  188. 29 Abril, 2010 19:16

    Tem piada …

    «O que eu não sabia (espero que Pedro Passos Coelho também não), é que ao mesmo tempo em que se anunciavam estas tímidas medidas* de contenção do deficit, o Governo assinava a concessão de uma Auto Estrada, do Pinhal Interior, que custará mais de 1,4 mil milhões de Euros ao contribuinte. Se nesse encontro, tivesse sido acordado o cancelamento desta adjudicação bem como as já anunciadas, teria consequências muito mais positivas, no travão dos especuladores do que 10 encontros bilaterais entre Passos Coelho e José Socrates.

    (…9 Passos Coelho ficará para sempre, conivente com esta adjudicação. Devia ter imposto condições e não o fez. Deveria ter escolhido a dureza e optou pela conciliação. O contribuinte irá ser onerado nos próximos 20 anos de um investimento cuja utilidade é praticamente nula para o País e para a região.»

    * Governo antecipa medidas do PEC para controlar subsídio de desemprego (de quem perdeu o emprego)

  189. 29 Abril, 2010 19:18

    O país está a atravessar alguma crise?

    Governo vai manter Alta Velocidade Lisboa-Madrid

    O Governo vai manter a ligação em Alta Velocidade entre Lisboa e Madrid. Segundo apurou o Negócios, este projecto não está entre os que hoje poderão ser adiados ou cancelados pelo Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações.
    http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=422859

  190. Romão permalink
    29 Abril, 2010 19:19

    Eduardo,

    Não é preciso dizer-lhe que percebe muito mais de economia e finanças do que eu. O Eduardo sabe-o e provavelmente o resto do mundo também.

    Outra coisa é a evidência segundo a qual os mercados não funcionam se não houver sistema político: diria até que são avessos a anarquias.

    Outra evidência (parece-me, corrija-me se estiver enganado) é que existem (no mundo virtual da economia e da informática que a suporta) muitos mais títulos, produtos e derivados do que os seus correlatos físicos. De cada vez que alguém pergunta – mas o que é que se está a vender ou a comprar, de facto, dentro do “Philips hi-grade polyphonic asset compilation” – e quer satisfazer a sua curiosidade até ao fim, é capaz de provocar um estouro algures numa praça.

    Como funcionar com este desfasamento entre o que se vende e o que existe?

    No que toca a política: a intervenção dos políticos tem mais a ver com a qualidade do que com a quantidade, penso eu.

  191. Outside permalink
    29 Abril, 2010 19:22

    Ainda desconhecia a sua censura selectiva JCD !

    Não está na estrutura ou veracidade dos comentários o seu critério.

    Está na posição, na oposição que os comentários lhe trazem.

    Lamentável. Nem HM ou JM o fizeram.

    Não se incomode que não volto a comentar a sua caixinha de doçarias.

    • 29 Abril, 2010 19:25

      Outside

      Este tipo de comentários não servem para nada e estragam a discussão. Num post como este, não apagá-los significa matar o debate.

  192. tina permalink
    29 Abril, 2010 19:22

    “Governo vai manter Alta Velocidade Lisboa-Madrid”

    Depois queixam-se de “ataques especulativos”!…

  193. 29 Abril, 2010 19:24

    Caro Romão,

    «Viraram o capacho do Marx e descobriram o Hayek. Em qualquer dos casos o capital substitui a cruz. É o terço da mão invisível.»

    Sou economista de profissão, mas sempre me interessei por filosofia e epistemologia. Cheguei a Hayek por duas vias: à boleia de Popper e da sua “Sociedade Aberta” para chegar ao “A caminho da servidão”; por outro, à procura de uma explicação intelectualmente satisfatória dos ciclos económicos e que fornecesse uma chave de explicação não-marxista para as “supostamente inevitáveis depressões cíclicas em que o capitalismo é fértil”.

    Já se perguntou alguma vez, fugindo à conventional wisdom se os “falhanços de mercado” não são antes, e em primeiro lugar, falhanços dos governos e dos seus braços armados que são os bancos centrais? Não quer dar uma hipótese a Rothbard e ler a sua magnum opus “An Austrian Perspective on the History of Economic Thought”?

    Quanto a religiões, essa é a especialidade da Zazie, não a minha. Eu sou ateu.

  194. Romão permalink
    29 Abril, 2010 19:26

    #193.

    Ouça, não pode. Eu tenho um familiar a fazer quimioterapia. Uma das moléculas envolvidas custa 3000 Euros por mês. Ninguém pode suportar esse custo excepto uma classe muito privilegiada de pessoas com muito dinheiro. Privatiza-se a saúde e deixamos morrer quem não pode pagar? Não pode ser. Não andámos séculos a lutar para desembocar levianamente nisto.

    Tenho uma amiga com Esclerose Múltipla. Trata-se com Interferão (caríssimo, suportado pelo Estado). Participa em conferências pela Europa fora: muitas das pessoas que conhece – de alguns países da Europa Ocidental – encontram-se pior de cada vez que as reencontra porque os governos não comparticipam o medicamento.

    Comecem a cortar custos, já. Mas não deitem fora o bebé com a água do banho.

    • 29 Abril, 2010 19:34

      Romão

      Uma coisa é o acesso à saúde, outra é a gestão do sistema. Outra coisa ainda é o limite até onde se pode ir. Os recursos são limitados e serão tanto mais limitados quanto menos riqueza se criar na economia – e quanto mais taxada for, menos cresce. Encontrar o equilíbrio e optimizar o sistema é uma tarefa difícil. Não acredite que possa ser encontrado por uma qualquer Ana Jorge ou similar. Talvez agora ainda existam 3000 euros por mês de recursos reservados para o seu familiar. Num estado falido, pode ter a certeza que não existiriam.

  195. Romão permalink
    29 Abril, 2010 19:30

    #201.

    Por isso mesmo (o que enuncia sobre governos e bancos centrais) é que digo que o problema gerado pela política tem de ser resolvido pela política (com maior ou menor intervencionismo, não saberei dizer, certamente com mais qualidade).

    Reltivamente ao livro, vou aceitar a sua sugestão de leitura e encarrilar o título na lista dos to-read.

  196. Romão permalink
    29 Abril, 2010 19:32

    #193.

    A RTP não tem razão de ser. As empresas de transporte nem necessitariam de ser privatizadas se não houvesse manipulação tarifaria e desorçamentação.

  197. helenafmatos permalink
    29 Abril, 2010 19:34

    Clicando aqui vê-se o assunto sob outra pesrpectiva

    http://www.libertaddigital.com/economia/marx-fue-un-implacable-especulador-en-bolsa-1276391406/

  198. 29 Abril, 2010 19:38

    Romão (#203),

    Mas o Estado vai em breve deixar de lhe pagar isso tudo. Pela simples razão de que gastou demais, não consegue extorquir mais impostos ao cidadão e qualquer dia não consegue colocar dívida. E isto acontece com o nosso Estado e com quase todos os outros.

  199. 29 Abril, 2010 19:43

    Caro Romão,

    «Outra coisa é a evidência segundo a qual os mercados não funcionam se não houver sistema político: diria até que são avessos a anarquias»

    Caro Romão, não me tenho em excessiva conta: das três ou quatro vezes que “joguei” na bolsa arrependi-me sempre e sofri prejuízos significativos.

    Mas uma coisa tenho para mim como certa: tratando-se de caso de polícia, nomeadamente quando a actuação de uns, dolosamente, provoca prejuízos na esfera de outrém, é ao aparelho estatal que cabe agir, sancionando o prevaricador.

    Assim, é preciso distinguir entre duas situações:

    – se um dado especulador apostou num cavalo errado e perdeu bilions, desde que não tenha cometido nenhum crime pré-tipificado, deve ser deixado à sua sorte, não pode esperar que o Estado, ou seja, nós todos, o vamos socorrer. Vai muita gente sofrer para além dele? Provavelmente. Mas o bail-out, a prazo, irá ficar muito mais caro para todos nós. Lembra-se o Romão daquela empresa que persiste em fazer automóveis que ninguém quer, a Chrysler?

    – se um dado “especulador” usou informação privilegiada para comprar ou vender títulos e daí retirar vantagens ou, pura e simplesmente, resolveu montar ainda outro esquema Ponzi, mais ou menos sofisticado, só há uma solução: cadeia. E, também aqui, muita gente irá sofrer.

  200. 29 Abril, 2010 19:48

    Caro Romão,

    «Por isso mesmo (o que enuncia sobre governos e bancos centrais) é que digo que o problema gerado pela política tem de ser resolvido pela política (…)»

    Absolutamente de acordo. Valerá a pena ler (ou reler) Jefferson.

  201. Mr. Ed permalink
    29 Abril, 2010 20:17

    “Se desejar vir para aqui fazer comentários construtivos e participar no debate, seja bem-vinda.”- escreveu jcd num comentário que entretanto apagou.

    eheheh

    Comentários destrutivos é o que há mais nesta caixa.

    A questão é que são censurados comentários que não sejam destrutivos do que o autor pretende destruir, ou que não sejam construtivos do ponto de vista do autor.

    replay

  202. Medina permalink
    29 Abril, 2010 20:24

    É um notório que o Anti-comuna deu uma lição a esses dois blasfemos.

  203. smile permalink
    29 Abril, 2010 21:36

    Genial, genial, genial
    Sócrates é um génio afinal
    Recorrendo a velha técnica
    Da heróica Deu-La-Deu
    Que enganou os castelhanos
    Atirando pão das muralhas
    Feito com as últimas migalhas
    Sócrates juntou os últimos milhões
    Para lançar uma nova auto-estrada
    Que não serve para nada
    Com esta golpada
    Colocou os especuladores em debandada
    Com os dentes partidos, feridos e combalidos

  204. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 22:11

    Helena, Vc. não deve saber disto, mas o Marx não foi apenas especulador como foi um génio. Por compreender parte do funcionamento dos mercados é que ele foi comunista. Compreendeu como funcionava parte do sistema mas a cura para curar os erros do sistema é que eram um desastre. Mas lá para o fim da vida dele ele até, me parece, deixa de ser comunista e passa a acreditar que era impossível eliminar o capitalismo.

    De certa forma, Soros, o conhecido especulador implacável dos dias de hoje, é uma espécie de neo-marxista. Por compreender como funciona o sistema, é que ele pretende limites à propria especulação. E tentou explicar uma teoria económica, de como é possível o mercado se auto-destruir, no seu funcionamento normal. O Soros é caracterizado como neo-comunista nalguns círculos intelectuais americanos.

    Eu penso que o Soros merecia um Nobel pela sua tentativa, mesmo que falhada, em tentar explicar o funcionamento dos mercados. Ele não deverá ter chegado lá sózinho, pois é preciso ver que ele partilhou ideias com um escol de pensamento económico baseado na dita Escola de Lausanne, que no fundo, criou a primeira ideologia de correcção aos mercados livres não marxista. Ele é contemporáneo do famoso criador da escola que advoga o IVA, o Kaldor, que também publicou trabalhos na área de funcionamento de mercados. E este Kaldor inspirou-se num outro economista, por acaso italiano, talvez o verdadeiro primeiro economista liberal.

    Portanto, não é surpresa que o Marx tenha especulado nos mercados. Ele compreendia-os melhor que a generalidade dos intelectuais da época. Só que, como um bo médico no diganóstico, falhou redondamente na cura da doenças e falhas do sistema.

    anti-comuna

  205. Anónimo permalink
    29 Abril, 2010 22:15

    JCD

    Muito bom

  206. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 22:20

    Redução do rating português considerada “duvidosa” no Financial Times Deutschland
    29.04.2010 – 09:44
    A redução da nota da dívida de Portugal pela agência de “rating” Standard & Poor´s foi hoje considerada “duvidosa” pela edição alemã do Financial Times, que sublinha que a economia portuguesa teve uma forte recuperação nos últimos meses.

    200 comentários depois parece que os nossos jcd´s continuam fora de jogo …

  207. 29 Abril, 2010 22:31

    “Financial Times, que sublinha que a economia portuguesa teve uma forte recuperação nos últimos meses.”

    Ao menos podia ter um mínimo de sentido crítico naquilo que publica…

  208. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 22:37

    “Ao menos podia ter um mínimo de sentido crítico naquilo que publica…”

    E teve. Analise exportações, produção industrial e investimento. A nossa economia está a ter uma perfomamnce acima do que é haitual, nos últimos anos.

    Esta mania de não se ser isento na análise dos dados, destroi a própria análise.

    anti-comuna

  209. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 22:38

    a discussão não tem sido sobre o crescimento, ou a falta dele, da economia portuguesa.
    aqui do que se trata é da credibilidade, ou da falta dela, das vossas agências de rating e o caríssimo poderia ter aproveitado o seu comentário anterior para se referir à questão principal : “A redução da nota da dívida de Portugal pela agência de “rating” Standard & Poor´s foi hoje considerada “duvidosa” pela edição alemã do Financial Times”

  210. 29 Abril, 2010 22:49

    Anti, está a brincar, não? Desemprego mais alto de sempre, crescimento anémico… para si isto é uma ‘forte recuperação’?

  211. 29 Abril, 2010 22:53

    “A redução da nota da dívida de Portugal pela agência de “rating” Standard & Poor´s foi hoje considerada “duvidosa” pela edição alemã do Financial Times”

    Óptimo. Temos aqui um combate de credibilidades Edição alemã do Financial Times vs S&P. Se a edição alemã do Financial Times tem razão, os títulos de dívida portuguesa vão recuperar. Talvez seja boa ideia apostar numa posição longa. Força.

  212. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 22:53

    e pronto, abriram uma nova frente – com um novo post!
    deixemos as agências e vamos lá bater no Mendonça :-)

  213. Insidetrader permalink
    29 Abril, 2010 22:59

    Quantos tempo vai durar este comentário?

    Até fico com vergonha com a censura que o JCD e o Gabriel Silva praticam.
    Qualquer comentário discordante “não é construtivo” e é apagado.

    Já só falta apagarem os comentários do anti-comuna. O que não seria a primeira vez.

  214. 29 Abril, 2010 23:05

    Anti

    Espero que esteja a ouvir António Lobo Xavier. Fazia-lhe bem.

  215. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 23:09

    “Anti, está a brincar, não? Desemprego mais alto de sempre, crescimento anémico… para si isto é uma ‘forte recuperação’?”

    O desemprego alto é um sintoma de que a economia está em parte a curar parte dos seus males. E, ainda por cima, é um indicador lagger, que se esperar que demore a baixar, se a produtividade subir mais rápidamente. É mau haver desemprego, devido ao problema social em si, mas é um sinal que pode ser positivo se o tecido produtivo estiver a reestruturar-se.

    O crescimento anémico não é muito diferente do dos parceiros europeus, cujo nosso ciclo está cada vez mais sincronizado e integrado.

    Analise os dados e vai ficar surpreendido com a revitalização. Se tem pernas para andar? É isso que os próximos meses iremos ver. Se era possível ajudar esta retoma interessante? Era, com um governo diferente e não este, que é uma lástima.

    Mas, aí é que Vcs. não compreendem, a S&P baixou em duas notações, não com base em riscos potenciais mas mais preventivos. Dito de outra forma: em vez de atentarem aos dados, foram xanófobos e colaram-nos aos espanhois, irlandeses e gregos.

    Os alemães, se calhar porque sabem analisar isto de um modo mais isento, apreceberam-se do erro da S&P. Que se baseeou no que vê nos demais PIGS mais o passado mais recente, em que Portugal falhou altos crescimentos, por causa da desgraça de desgoverno que temos.

    A S&P, se analisasse com isenção os números, esperava para saber se os números eram sustentáveis e baixa apenas um grau. E esperava para ver. Mas não. Fechou os olhos ao disparo das nossas exportações e produção industrial e colou-nos aos demais PIGSs.

    Os alemães é que estão correctos, não a S&P.

    anti-comuna

  216. 29 Abril, 2010 23:09

    Caro Anti-Comuna,

    «E este Kaldor inspirou-se num outro economista, por acaso italiano, talvez o verdadeiro primeiro economista liberal.»

    Está a referir-se a Pareto?

  217. Portela Menos 1 permalink
    29 Abril, 2010 23:09

    ALX é uma pessoa a ouvir, aliás, o maior empregador do país deve ser ouvido, não vá o Engº mudar-se para a Polónia!

  218. 29 Abril, 2010 23:11

    “Os alemães é que estão correctos, não a S&P.”

    Então força. Compre títulos soberanos de Portugal. Só pode ganhar.

  219. 29 Abril, 2010 23:14

    Caro Anti-Comuna,

    Temo que esteja a tomar a realidade pelos seus desejos. Sendo verdade que a capacidade exportadora está a mostrar uma surpreendente resiliência, a verdade é que as perspectivas de crescimento são mais fracas do que se esperava. E não são só as agências de rating que têm essa opinião. Até o próprio Banco de Portugal as acompanha. E é o fundamento, anunciado, da baixa de notação da S&P.

  220. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 23:16

    “Está a referir-se a Pareto?”

    Não. Umberto Ricci. Mas o Pareto foi importante, mas deu em fascista. Ou pelo menos as ideias dele foram aquelas que influenciam Mussolini e mais tarde do Roosevelt e o Hitler.

    Mas o Ricci é que foi o grande economista que melhor tentou tornar a ciência económica numa arma para corrigir os erros do sistema capitalista.

    anti-comuna

  221. 29 Abril, 2010 23:16

    Querem saber o que é o “estado de negação”? Ouçam o António Costa na quadratura.

  222. 29 Abril, 2010 23:22

    Caro Anti-Comuna,

    «talvez o verdadeiro primeiro economista liberal» [Umberto Ricci]

    Então o Adam Smith? O Stuart Mill? O Bastiat? O Menger?

  223. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 23:22

    “Sendo verdade que a capacidade exportadora está a mostrar uma surpreendente resiliência, a verdade é que as perspectivas de crescimento são mais fracas do que se esperava. E não são só as agências de rating que têm essa opinião. Até o próprio Banco de Portugal as acompanha. E é o fundamento, anunciado, da baixa de notação da S&P.”

    Mas eu não preciso das análises alheias para formar as minhas opiniões. Costumo fazer as minhas próprias análises e estão de acordo com o que os alemães pensam.

    E ao contrário do que Vc. pensa, tirando a OCDE, elas levam em conta potenciais fortes medidas de austeridade, que baixam o crescimento económico previsto. Dito de outra forma, as medidas que eles preconizam são elas próprias condutoras do tal baixo crescimento económico que preconizam.

    Daí que a política económica devia ser atacar já a despesa, em especial os gastos com salários, congelar investimentos de longo prazo, como as megalomanias do TGG (que são pró-ciclcicas e geram nova crise pertubadora no futuro) e reduzir o défice não atacando na procura interna gerada pelo investimento e consumo. Se o consumo for forte, como o banco de Portugal está a registar, aí sim, atacar com força na despesa do Estado, de molde a baixar a procura interna pela componente da despesa estatal.

    Mas os mesmos critérios que me diziam que iamos ter um crescimento craco, após o rectificativo de 2005, que matou a retoma portuguesa, são os mesmos que me mostram uma economia portuguesa surpreendentemente forte e que nada tem a ver com os demais PIGS.

    Os alemães estão a ver o mesmo que eu. Mas eles não são enviesados por questões internas portuguesas. Como eu o tento fazer.

    anti-comuna

  224. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 23:26

    Eu quando falo de liberal, falo de pensadores modernos, após a Rev. Industrial. O Adam Smith estava no bom caminho e nada tem a ver com o que hoje destacam dele. Ele era poderosamente contra os carteis que impediam a tal mão invisivel. Hoje usa-se as suas ideias para permitir criar carteis e oligopólios, em nome da dita mão invisivel.

    Há uma citação dele castiça, mais ou menos assim:

    “Quando gente do mesmo oficio se reune em relativo segredo, para discutir assuntos económicos, fazem-no sempre contra o interesse geral às custas dos demais cidadãos. Conspiram para proteger os seus próprios interesses.”

    anti-comuna

  225. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 23:27

    “Então força. Compre títulos soberanos de Portugal. Só pode ganhar.”

    O JCD já shortou os nossos títulos soberanos? eheeheheh

    anti-comuna

  226. 29 Abril, 2010 23:29

    Caro Anti-Comuna,

    «Mas os mesmos critérios que me diziam que iamos ter um crescimento craco, após o rectificativo de 2005, que matou a retoma portuguesa, são os mesmos que me mostram uma economia portuguesa surpreendentemente forte e que nada tem a ver com os demais PIGS.»

    Wishful thinking, muito provavelmente. Mas cá estaremos para ver se a razão está do seu lado. Oxalá que esteja. Ou já se esqueceu que o governo permanece, teimosamente, em “estado de negação”? E que a oposição passou, agora, a estender o tapete a Sócrates. Ele, PPC, que queria que MFL votasse contra o PEC ainda não há dois meses atrás! Estará tudo doido, ou só sou eu?

  227. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 23:37

    Já agora, caro Eduardo, Vc. pegou aí em autores anglosaxónicos. Mas saiu um livro sobre história do pensamento económico moderno, de um italiano, que reescreve parte das crenças actuais, que foram sobretudo os pensadores ingleses que mudaram a dita ciência económica. E ele pega nos economistas italianos e mostra como eles é que realmente terão sido os país da ciência económica, tal como a conhecemos.

    Eu não li o livro, mas acho que foi publicado recentemente, com o título sugestivo, mais ou menos assim: “Goddbye, anglo-saxon econmists”.

    Mas gostava de o ler. Se a minha mulher mo trazer de Itália, se calhar até vou ler em italiano. Embora não consiga ler bem em italiano. Deve ser interessante mesmo.

    anti-comuna

  228. anti-comuna permalink
    29 Abril, 2010 23:41

    “Wishful thinking, muito provavelmente.”

    Penso que não. Por vezes os governos, mesmo governando mal, têm a sorte de terem um povo que faz milagres. Quer um exemplo? A Alemanha no tempo do Schroeder fez uma revolução económica, apesar da porcaria de governo.

    Da mesma forma, os nossos empresários, gestores e trabalhadores, podem estar a conseguir reestruturar a eocnomia, mesmo tendo um governo que os prejudica. Ou seja, como diria o Buffett: há empresas que são grandes vacas leiteiras mesmo com idiotas na sua liderança. ahahhahahaha

    anti-comuna

  229. 29 Abril, 2010 23:48

    Caro Anti-Comuna,

    Infelizmente, não é preciso ser um grande conhecedor da obra de Vasco Pulido Valente para intuir que os portugueses são muito diferentes dos alemães. E não é para melhor no que toca ao trabalho e à disciplina (pelo menos quanto estão em território nacional).

  230. 29 Abril, 2010 23:57

    Caro Anti-Comuna (#235),

    Já há ainda mais tempo ainda que estão devidamente referenciados os escolásticos espanhóis como antecessores mais longínquos dos economistas da escola austríaca. Sem desrespeito, naturalmente, pelos italianos até porque considero Pareto um autor fundamental nomeadamente nas matérias relativas à economia do bem-estar (os “óptimos” de Pareto), com todas as implicações político-filosóficas que daí decorrem no papel do Estado e na “ordenação” das preferências individuais para relevar as preferências sociais.

  231. anti-comuna permalink
    30 Abril, 2010 00:03

    “Infelizmente, não é preciso ser um grande conhecedor da obra de Vasco Pulido Valente para intuir que os portugueses são muito diferentes dos alemães. ”

    Olhe que o nosso povo não deve ser muito diferente dos alemães, em muitos aspectos.

    As lideranças portuguesas é que nada têm a ver com as alemãs. Mas o nosso povo tem algumas características semelhantes aos alemães. Olhe, é um povo relativamente conservador, trabalhador e esforçado. Mas, claro, se os inentivos são errados, é natural que alguns seus predicados sejam corrompidos.

    Mas olhe que eu encontro muitas semelhanças entre o nosso povo e o alemão. Mas, posso ser eu, claro.

    anti-comuna

  232. 30 Abril, 2010 00:19

    Caro Anti-Comuna,

    «Já agora, caro Eduardo, Vc. pegou aí em autores anglosaxónicos»

    A bem do rigor, assinale-se que o notável Frédéric Bastiat nasceu em Baiona.

  233. ,.,. permalink
    30 Abril, 2010 15:20

    .
    Pois tá bem, a Dª Branca também criava ‘bubles’ e jogava na ‘bolsa’ dos shorts e dos longs. E era analfabeta, lixou-se porque não tinha a carteira profissional de ‘hedge fund’ ou ‘banqueira’. Existiu antes do tempo ::)))

  234. ,.,. permalink
    30 Abril, 2010 15:27

    .
    para deitarem abaixo a Dª Branca a Comunicação atacou-a lançando o pânico. Os de agora nem foi preciso, cairam sozinhos. Se tivessem lançado o pânico os actuais ‘banqueiros do povo” e os #hedge funds” desapareciam assados pelas populações. Atenção, o que ainda poderá acontecer. Há quem pregnostique que os Bancos Centrais até 2012 vão para o ‘museu das velharias’. É preciso muito cuidado a lingua. Tenham juizinho que a coisa não está preta, está pretissima.

  235. ,.,. permalink
    30 Abril, 2010 15:29

    .
    arrasaram a Dª Branca lançando o pânico publicamente. Corrida ao Banco ‘Dª Branca’. Os de agora nem foi preciso. Cairam sozinhos. Se tivessem lançado o pânico os actuais ‘banqueiros do povo” e os “hedge funds” desapareciam assados pelas populações. Atenção,ainda poderá acontecer. Há quem prognostique que os Bancos Centrais até 2012 vão para o ‘museu das velharias’. É preciso muito cuidado com ‘linguagens cientificoides’. Juizinho que a coisa não está preta, está pretissima.

  236. Harry Lime permalink
    1 Maio, 2010 20:13

    Este thread confirmou aquilo que ha’ muito eu sei (desde as fenomenais cenas de pancandaria nas caixas de comentarios do Portugal Contemporaneo envovlvento o PA, o Jaq): o Anti-Comuna domina estes assuntos como um campeao.

    Percebe a teoria profundamente, mas consegue tempera-la com base em anos de pratica nos mercados. E’ um campeao!

    Rui Silva

  237. ferreira permalink
    1 Maio, 2010 23:35

    Assunto: Broncas
    Para:

    Mais uma das Broncas do nosso 1º…

    José Maria Martins…..

    O Homem passou-se mas concordo em absoluto com Ele…

    Segunda-feira, Março 08, 2010
    Há que investigar a riqueza de José Sócrates e investigar as lojas maçónicas do GOL Todos sabem que eu não morro de amores por José Sócrates.

    Desde logo não consigo perceber como José Sócrates é tão rico, mas aufere mensalmente menos que eu!

    Sócrates sempre foi uma pessoa pobre.
    Não passava de mero funcionário de uma Câmara Municipal. Com um vencimento baixissimo.
    Depois não passava de mero deputado, com um vencimento baixo e que não dá para grandes voos.
    Nem como secretário de estado ganhava algo que se visse.
    De repente, José Sócartes e a sua família, aparecem como as debutantes nos bailes da Associação Comercial do Porto! Ricos, anafados!
    Sócrates é imensamente rico, cliente da loja mais cara dos Estados Unidos, a comprar fatos de 50 mil dólares – isto num país em que há 40% de pobres! – a mãe que era empregada doméstica, passa a rica proprietária!
    Uma ofensa ao Povo Português!|
    Depois temos Vale e Azevedo como vizinho de Sócrates, no mesmo prédio, e as manobras no Reino Unido para evitarem a extradição de Vale e Azevedo!
    Isto aliado ao facto de se saber que o PM do Reino Unido é amigo do casal pai da miúda desaparecida no Algarve e que houve um ataque à PJ portuguesa, inacreditável, é obra!
    Sócrates tem sido o pior PM da história portuguesa, mas a PGR tem agido como se sabe.

    Todas as trapalhadas de José Sócrates têm esbarrado na PGR, dizendo até alguns que há protecção.
    Por mais indícios que haja, Sócrates safa-se sempre.

    Tudo aponta para manobras da Maçonaria – uma organização criminosa no sub-mundo português – e o apoio do homem que negociava em marfim de sangue e em diamantes de sangue, que é Mário Soares, mais o filho aviador que caiu na Jamba.

    Portugal está um lodaçal. Portugal é uma república de criminosos onde qualquer irmão da Maçonaria está livre.

    António Vitorino fugiu aos impostos e deixou de ser ministro, mas é comentador!
    Murteira Nabo parece que fugiu aos impostos, mas é importante!

    Sócrates nem tem uma licenciatura limpa, verdadeira, mas é engº!
    Licencitaura de fim de semana, numa universidade gerida por gente que está acusada de crimes de organização criminosa, burla, falsificação de documentos!!!
    Na Assembléia da República Sócrates já era engº antes de ter qualquer curso, embora viciado. Até o site oficial do governo dizia que Sócrates era licenciado em “engenharia”!
    Pobres assessores de Sócrates que nem sabem a diferença entre engenharia e engenheiria!

    A PGR existe?
    O PGR sabe o que está a fazer?
    Basta de vigarices!

    Os portugueses têm de deixar de ser carneiros.
    Os políticos são apenas individuos!

    O Procurador-Geral da República, que é um homem da confiança do PS, não pode impedir a Assembléia da República de conhecer os seus despachos.

    Ou o PGR é o único na União Europeia que faz o que quer e age como quer sem controlo?
    Basta o PGR arquivar sem ninguém poder reagir?
    Que porcaria de ordem política e jurídica é esta?
    Não pode ser.
    O PGR deve é demitir-se ou ser demitido.
    O Presidente da República não pode aceitar isto!
    Basta de andar em Andorra a engraxar os pobres emigrantes portugueses que são escorraçados de Portugal pelas políticas miseráveis dos políticos portugueses!
    Eu se fosse PR demitia já o PGR. Obrigava o PM a retirar-lhe a confiança e demita o PGR. E depois demitia Sócrates! “Obviamente, demito-o”.
    Até porque tenho uma enorme consideração pelos magistrados portugueses, que estão ofendidos pela manutenção do PGR.
    Ninguém tenha disso dúvida!
    Para mim, como membro do Povo e como advogado, o PGR tem de mostrar os despachos, até para ser responsabilizado, se for caso disso.
    Do ponto de vista legal, o PGR está sujeito às normas que punem quem decide contra direito, favorecendo outrem.

    Liquido e cristalino!

    Temos de conhecer os despachos!
    O PGR foi juiz do STJ mas como PGR não é livre para decidir de uma forma ou de outra.
    Mesmo as decisões do STJ são sindicáveis no Tribunal Constitucional e no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem!
    Então o PGR pode decidir como quer e pensa que nada nem ninguém o pode questionar?
    Estamos no Zimbabwe ou quê?

    Portugal virou estado ditatorial?

    Sócrates não pode pensar que faz tudo e tem a PGR mais os magistrados maçóns a protegê-lo.!
    Se assim for há que agir e alterar isto.
    A PGR tem de fazer o que fazem em Itália : Investigar a máfia das lojas maçónicas.
    Porque se assim não for vamos ter graves problemas.
    Demissão do PGR, já!|

    E a Ministra do trabalho que parece estar feita com o casino estoril bem como o Ministro da Economia
    Pois o despedimento terrorista que foi feito aos 112 trabalhadores do Casino Estoril sem que houvesse investigação das entidades competentes todos fecharam os olhos boca etc… e depois na assembleia da républica a Ministra diz estar em dialgo para se resolver este caso o que é falso nunca a ministra falou seja com quem devia falar é este o governo de Sócrates despedir o máximo de pessoas e ao mesmo tempo preocupar com a escala do desemprego

    E quem investiga o gabinete do miguel judice parece estar metido em tudo o que cheira a vigarice.

    Nós vamos todos ficar pior que a Grécia .

Trackbacks

  1. Oportunidade perdida « O Insurgente

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 34.864 outros seguidores

%d bloggers like this: