Saltar para o conteúdo

Terror na deseducação *

25 Março, 2008
by

Já se sabia que era assim. As imagens ‘apenas’ comprovaram os milhares de relatos que há muito nos dizem do inferno vivido em plena sala de aula por tantos professores. Após décadas de experimentação do ‘eduquês’, aquilo que vimos é a escola pública que temos. Não há réstia de autoridade. Ninguém conhece o seu lugar. Todos estão confusos acerca do que é uma sala de aula. Este quadro, em conjunto com os eternos conflitos na Educação, constitui uma apologia do ensino privado.

Mas foi com outros olhos de mágoa que vi aquele filme de terror – o ‘Carolina’ foi a Escola onde minha Mãe ensinou durante muitos anos. Ao ver a professora apoucada, a agitar-se pela autoridade que lhe foi negada, sem poder oferecer o par de bofetadas que aquela menina mimada e abrutalhada merecia, dei por mim a agradecer o facto de minha Mãe já cá não estar para se afligir por isto.

* Correio da Manhã, 24.III.2008

21 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    25 Março, 2008 11:41

    Nunca se viu tamanho exagero por causa de uma miúda. Ao menos que a dita tivesse dado 2 murros e 3 pontapés na professora, para ao menos se ter que contar!

    É tudo de uma hipocrisia tamanha.

    Gostar

  2. Anónimo permalink
    25 Março, 2008 11:41

    “filme de terror?”

    só se for para bebés.

    Gostar

  3. Anónimo permalink
    25 Março, 2008 11:42

    Hoje li uma notícia que o MP ia investigar aquilo. É preciso nao ter mais que fazer!!!

    Gostar

  4. Pi-Erre permalink
    25 Março, 2008 11:53

    O apparatchik anónimo já anda por aqui a defender a nomenklatura. Coitado do infeliz…

    Gostar

  5. Anónimo permalink
    25 Março, 2008 12:04

    O apparatchik anónimo sou eu? Ó coisinha doente e maníaca, estou a defender precisamente o que? Esta coisa do telelé tem alguma coisa de política?
    Se tem é porque sao doentes mentrais e tarados.

    Gostar

  6. Jonas permalink
    25 Março, 2008 12:27

    Apesar de se sentir chocado, garanto-lhe que a cena mesmo assim é um bocado soft. A diferença é que aí houve um telémovel a filmar e alguém que colocou a cena no youtube, porque na maior parte das vezes não há registos audio-video, e ouvindo não se acredita.
    Não foi por qualquer razão que 100 mil professores fizerem uma marcha de descontentamento.

    Gostar

  7. Beirão, o Velho do Restelo permalink
    25 Março, 2008 12:33

    Assim o CAA contribui para melhorar esta porcaria das novas oportunidades.

    Gostar

  8. 25 Março, 2008 13:04

    É.
    O filme uá está seleccionado para o próximo Fantasporto.

    Gostar

  9. 25 Março, 2008 13:22

    terror na (des)educação = filho de peixe…

    Leituras sugeridas: [aqui] e [aqui]

    Gostar

  10. Pi-Erre permalink
    25 Março, 2008 13:45

    Anónimo Diz:
    25 Março, 2008 às 12:04 pm
    O apparatchik anónimo sou eu?

    Exactamente, és tu mesmo. E enfiaste a carapuça, fica-te mesmo bem.
    Mas já não tens cura, não penses.

    Gostar

  11. 25 Março, 2008 14:55

    Bem visto CAA!
    Neste caso tenta-se menosprezar o incidente “Carolina” para esconder o estado lastimável do ambiente que se vive nas escolas públicas, autênticos laboratórios de delinquência futura. O caso “Carolina” é uma amostra muito ténue e soft daquilo que se passa em algumas escolas. Também nesta vertente, o nosso ensino está nos últimos lugares do ranking europeu.

    Gostar

  12. Anónimo permalink
    25 Março, 2008 15:02

    Cerlos, sinceramente. O melhor é ir visitar algumas escolas!

    Gostar

  13. 25 Março, 2008 15:17

    Por detrás do anónimo não se esconde o Walter Lemos, não ?

    Gostar

  14. 25 Março, 2008 15:26

    O CAA indigna-se com muito pouco. A situcao era facilmente evitavel para a professora se tivesse expulsado a aluna da sala.

    Gostar

  15. Anónimo permalink
    25 Março, 2008 16:56

    Mas alguém no seu perfeito juízo acha que a aluna acataria uma ordem de expulsão da sala de aula?

    Se não acatou se quer uma ordem de entrega do telemóvel para ficar na sala! A professora ainda bem tentou zelar pelos superiores interesses da aluna, para que ela ficasse e aprendesse. Bastava entregar o telemóvel, enfim, cumprir as regras.

    Juro-me cansado de ver tanta gente a tentar desculpar e branquear o indesculpável. Cansado de ver tanta gente a falar do que não sabe.

    Gostar

  16. Goncalo permalink
    25 Março, 2008 16:59

    Eu não percebo tanta parvoice!!!!
    Aquilo a que eu assisti foi uma briga entre um adulto e uma menor. Ainda por cima esta pessoa adulta rouba o objecto de mais valor da vida da menor como todas as pessoas(adultas) sabem!!!Se tivesse roubado o namorado as consequencias de certo que não seriam tão graves.No meu tempo acontecia precisamente o contrario e eu nunca roubei nada a ninguem !!
    Tenham juizo MEUS SENHORES

    Gostar

  17. António Lemos Soares permalink
    25 Março, 2008 17:16

    Meu caro amigo Dr. Carlos de Abreu Amorim;

    Outra vez de acordo! Está, de facto, tudo confundido no nosso País.
    Este fim-de-semana, reencontrei um antigo aluno da minha Mãe e meu amigo. Recordo-me das suas “façanhas” na minha Escola, para onde foi transferido de uma outra e que o tornaram uma “lenda” entre os seus colegas! Era um traquina de primeira! Entrou na memória de todos os que, no início da década de 80, lhe viram entrar nas maiores aventuras imagináveis numa Escola, do sempre conservador, interior de Portugal! Pois bem, nunca lhe vi faltar ao respeito à sua Professora ou a quem quer que fosse!
    Como tudo se alterou em Portugal…!

    Gostar

  18. Goncalo permalink
    25 Março, 2008 17:55

    “sem poder oferecer o par de bofetadas que aquela menina mimada…”
    Oferecer???? Eu acho que a menina não
    gostaria deste tipo de oferta.
    A ‘prof’ deveria apenas de arrumar as suas coisinhas e sair da sala.
    SIMPLES. Voltava novamente caso estivessem reunidas as condições necessarias para efectuar o seu trabalho, que não é de forma alguma a de EDUCAR NINGUEM mas apenas transmitir algumas informações relacionadas com as disciplinas.
    O resto seria tratado pelos seguranças,directores etc…

    Gostar

  19. Luis Moreira permalink
    25 Março, 2008 18:37

    A questão não é ser muito ou pouco, com telem ou sem ele.É só poder acontecer!

    E aí se calhar ambas são mais vítimas que outra coisa, o que não quer dizer que não se deva tratar o problema com a firmeza necessária!

    Gostar

  20. Anónimo permalink
    25 Março, 2008 18:51

    Nao haja dúvida que o video estava bem produzido. A ideia de colarem por cima aqueles comentários de ” a gorda”, “a velha” como se estivessem a dizer aquilo na sala e a filmar, deu uma dimensao maior.

    Gostar

Trackbacks

  1. Quando a indignação é um pobre substituto da razão « Ágora Social

Deixe uma Resposta para maria_maia Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: