Skip to content

Acéfalos

31 Julho, 2008

Tudo à volta de Magalhães* é mais do que ridículo, cheira mesmo a mentira. Desinformação total, como há muito não se via.

1. No comunicado oficial do governo diz-se: «será o primeiro computador portátil com acesso à Internet montado em Portugal». A sério?  Então a JP Sá Couto não fabrica os portáteis Tsunami? E a Solbi e… O Pinho anda mal informado……
E diz ainda Sócrates que terá o «ultimo processador da Intel». Mas isso também não é verdade.

2. O dito «lançamento mundial» é uma treta. O computador existe e é comercializado desde 2006 sendo fabricado sob licença e vendido em mais de 30 países. Que seja criada um marca branca para os palops, compreende-se, mas porque se lhe dá patrocínio?

3. A Intel nem sequer escolheu Portugal para este «projecto». Foi o governo que escolheu a Intel.
Embora não se explique nem ninguém pergunte, porquê a Intel e não um qualquer outro seu concorrente?  «Oh Cravinho, não dizes nada? »

4. Fábrica da Intel em Portugal? Não, diz o presidente da empresa.

5. Neste vídeo da RTP Rodrigues dos Santos faz uma bela peça de marketing.
Repare-se como ele apresenta os «criadores» e os «autores de desenvolvimento»….. De seguida, quando Sá Couto fala em produto da Intel, ele, oportunamente, interrompe e pergunta: «Quando diz que é da Intel quer dizer que não é 100% português?» Repararam na pergunta? Na verdade, se alguma dúvida houvesse é se o computador terá alguma coisa de português para além de ser montado em Matosinhos e ter um ou dois programas de software nacional.

E eles (jornalistas) comem tudo, eles comem tudo tudo, eles comem tudo o que se lhes dá.

*O domínio magalhaes.pt está indicado no site do governo do Plano Tecnológico como sendo de apresentação do projecto. No entanto, o site está registado em nome da IBERWEB desde 2005.

Anúncios
111 comentários leave one →
  1. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 16:05

    Brilhante em conteúdo e título.
    Como é possível uma fantochada destas?

    Gostar

  2. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 16:06

    estes políticos e jornalistas de sarjeta do socialismo são dum total subdesenvolvimento intelectual e cívico aflitivo.
    pensam que somos todos ignorantes e estúpidos.
    PQO

    Gostar

  3. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 16:10

    E desconfio que a compra da empresa MobiComp de Braga pela Microsoft também tenha a ver com isto.

    Gostar

  4. honni soit qui mal y pense permalink
    31 Julho, 2008 16:12

    Eles comem tudo, eles comem tudo … o que venha do PS a NOVA UNIÃO NACIONAL

    A Mãezinha de todos os condicionamentos, regulamentos, certificações … AQUELES QUE MOLDAM,E MANIPULAM A LIBERDADE DE TRABALHAR NESTE PAÍS .

    Quem não vai ao castigo … não mama

    Gostar

  5. joao permalink
    31 Julho, 2008 16:14

    Rua do Passal 13, Braga, Todos os links da pagina Magalhaes vão lá ter. Que mais haverá por lá?

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 16:18

    A iniciativa pode ter méritos, sempre é melhor gastar o dinheiro nisto que em estádios de futebol.
    Agora o que é inaceitável é mentir-se desta forma aos portugueses. Se a iniciativa pode ter méritos por si porque não dizer a verdade simplesmente ? Está bom de ver que queriam avançar com isto e conseguiram negociar com a In tel a montagem das máquinas em Portugal. Óptimo, porque não explicar então as coisas dessa forma em vez de um descontrolo total na propaganda que se tivessemos uma imprensa digna desse nome transformaria isto tudo num gigantesco pesadelo mediático ?

    Gostar

  7. Gabriel Silva permalink*
    31 Julho, 2008 16:19

    «sempre é melhor gastar o dinheiro nisto que em estádios de futebol.»

    o responsável pelas duas despesas é o mesmo. Gastar é mesmo com ele.

    Gostar

  8. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 16:23

    A propaganda é das empresas. Entao a pt, a sonae, a zon,etc.. estao todos envolvidos e interessados no acessos à internet. O público e a sonae, os media e as empresas, etc… etc

    Gostar

  9. 31 Julho, 2008 16:25

    Volto a perguntar: podem dois negócios destes fazer-se sem concurso público?
    1) A compra da licença à Intel;
    2) A escolha da JP Sá Couto para a produção da máquina em Portugal.

    Isto passa no Tribunal de Contas?
    Ou nem sequer vai lá?

    Gostar

  10. 31 Julho, 2008 16:26

    O anónimo do 4. desconfia mal.

    Se este tipo de equipamentos low-cost tivessem software Microsoft a correr, deixavam de ser low-cost.

    Será que isto não é evidente para mais ninguém?!

    Claro que a única opção é ter um software de origem open-source. Se os paizinhos quiserem que comprem um Windows para as crianças.

    Os criticos do programa são engraçados: por um lado não deviamos ter gasto este dinheiro, por outro o computador devia vir mais bem equipado.

    Querem fazer algo verdadeiramente contra a corrente? Comprem Windows e instalem nos pc’s dos putos. Vão ver a Intel bem zangadinha por ainda não ser desta que conseguiram destronar a Microsoft de ser o standard do mercado.

    Por outro lado: que mal tem que a nova geração use Linux? Ainda me lembro do DOS 7, passar para Windows 3.1 e na altura não éramos tão resistentes à mudança.

    Gostar

  11. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 16:27

    Eu simplesmente adoro, o nome escolhido!
    Creio que nao podia ser melhor.
    Dar de novo a volta ao mundo, cada criança. Uma bola.. um Magalhaes nas maos de uma criança.
    Fantástico!

    Gostar

  12. 31 Julho, 2008 16:30

    Pois é. Mas pensam que a informação é só manipulada pelo actual governo ? Pensem duas vezes. A falta de capacidade ou de vontade dos jornalistas em pensarem, investigarem quer nas noticias que o governo planta quer naquelas que a oposição planta sempre ao serviço dos grupos económicos que lhes estão subjacentes é precisamente um dos problemas das democracias ocidentais TODAS. Porque hoje é com o Magalhães amanhã será com, sei lá o Adamastor. Hoje é aqui com o Magalhães “ontem” foi nos Estados Unidos com o Iraque. O problema meus caros é que os jornalistas têm filhos e têm tvs e jornais e revistas que têm de vender sendo privadas. Sendo públicas são avaliados pelo que os deixa bem vistos aos olhos dos patrões … e devemos condená-los por isso ? Devemos claro. Mas que os entendo, entendo. Não pensem que é só neste país ou deste governo. Isto infelizmente é um problema a nível mundial.

    Gostar

  13. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 16:34

    O que é que tem a ver a intel com o linux?
    O meu pc tem processador intel e é microsoft, ora

    Gostar

  14. 31 Julho, 2008 16:38

    Fernando Vasconcelos,

    Embora concorde com o que diz, permita-me discordar da última frase.

    O que aponta não é um problema. É antes um enorme desafio à inteligência de cada um de nós e nesse sentido acho que o debate de ideias (em locais como este blog por exemplo) é a forma futura de criar opinião.

    Há poucas semanas vi um espectáculo da apresentadora Ellen De Generes (conhecida apresentadora gay, do show Ellen e que tem um espectáculo de stand-up gravado para a HBO) que se chama Here and Now e nesse espectaculo ela refere exactamente o quotidiano do nova-iorquino desta forma: como estando constantemente a ver as notícias e a comentá-las em fóruns dos diversos canais. Ainda que ela use o exemplo para satirizar a falta de tempo e o stress, julgo que é óbvio que nunca o Homem discutiu tanto as suas opiniões num regime de liberdade e que em nenhuma altura do mundo, dominámos partes tão significativas e diversificadas das diferentes formas de conhecimento.

    (Ainda que seja apanágio do blog dizer que o JM não percebe nada de energias renováveis!) 😉

    Gostar

  15. 31 Julho, 2008 16:40

    Anonimo 14.

    Apenas referi esse ponto, porque insinuou que a Microsoft estaria na jogada ao comprar uma fábrica em Braga. Pela minha forma de ver o assunto, é precisamente o contrário. A Intel está a tentar roubar mercado futuro à Microsoft, talvez com o futuro lançamento de um sistema operativo baseado em Linux com custos muito inferiores. (Não sei se o RedHat é propriedade da Intel.. mas é nesse sentido que falo).

    Gostar

  16. 31 Julho, 2008 16:42

    Akula, tente limitar-se aos assuntos que eventualmente domine… 😉
    O hardware Intel corre Linux e MS.

    Gostar

  17. 31 Julho, 2008 16:49

    Ouça, até corre Solaris.

    Mas eu falei chinês?!

    O que eu disse foi: A Intel para produzir um equipamento low-cost tinha de incorporar no produto um OS que fosse open-source.

    Outra coisa que disse foi: se isso é problema para alguém, os pais que comprem o Windows e instalem no computador dos miúdos.

    Ainda outra coisa que disse foi: talvez a Intel tenha estrategicamente preparada uma aliança para produzir uma versão comercializável de Linux, mais user friendly, num futuro próximo. Logo que estas crianças passem a utilizadores mais experientes.

    O Tiago consegue ver onde é que eu disse tal enormidade?!

    Gostar

  18. Luis Correia permalink
    31 Julho, 2008 16:50

    Software

    Intel announced that its device would run either Linux or Windows XP Professional. Intel is not using Windows XP Embedded as initially planned. Intel has been actively working with various international and local Linux distributions in various countries.

    Intel has worked with Mandriva to customize their Linux distribution for Classmate PC.

    Currently the Intel powered classmate PC has been shown to run the following Linux distributions:

    * Mandriva Linux
    * Metasys (International Syst in Brazil)

    Fonte: Wikipedia http://en.wikipedia.org/wiki/Classmate_PC

    Gostar

  19. honni soit qui mal y pense permalink
    31 Julho, 2008 16:51

    Tiago Azevedo Fernandes Diz:
    31 Julho, 2008 às 4:25 pm
    Volto a perguntar: podem dois negócios destes fazer-se sem concurso público?
    1) A compra da licença à Intel;
    2) A escolha da JP Sá Couto para a produção da máquina em Portugal.

    Isto passa no Tribunal de Contas?
    Ou nem sequer vai lá?

    não vai lá , mas se for está isenta … é como a NOVA EXPO ( DISPENSADA DA CONTRAÇÃO PÚBLICA – MAMARACHO ONTEM EM VIGOR DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS)

    O CCP desde ontem em vigor é no entanto a maior aberração burrocrática da tugalândia … deliberadamente hermético apenas para alguns entenderem suas regras … e daí tirarem vantagem

    País pobre , onde nada se produz a não ser serviçinhos … mais um de consultodoria ao monstro CCP

    Gostar

  20. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 16:51

    “A iniciativa pode ter méritos, sempre é melhor gastar o dinheiro nisto que em estádios de futebol.”

    Lanço aqui o desafio: quem decidiu construir aquele número de estádios?

    1-D.Afonso Henriques
    2-D.Branca
    3-Mr.Fax

    Que grande questão foi você levantar. Há coincidências fantásticas!

    Gostar

  21. Luis Correia permalink
    31 Julho, 2008 16:51

    Software

    Intel announced that its device would run either Linux or Windows XP Professional. Intel is not using Windows XP Embedded as initially planned. Intel has been actively working with various international and local Linux distributions in various countries.

    Intel has worked with Mandriva to customize their Linux distribution for Classmate PC. [1][2]

    Currently the Intel powered classmate PC has been shown to run the following Linux distributions:

    * Mandriva Linux
    * Metasys (International Syst in Brazil)

    Fonte: Wikipedia http://en.wikipedia.org/wiki/Classmate_PC

    Gostar

  22. Luis Correia permalink
    31 Julho, 2008 16:56

    Intel announced that its device would run either Linux or Windows XP Professional. Intel is not using Windows XP Embedded as initially planned. Intel has been actively working with various international and local Linux distributions in various countries.
    Intel has worked with Mandriva to customize their Linux distribution for Classmate PC.
    Currently the Intel powered classmate PC has been shown to run the following Linux distributions:

    * Mandriva Linux
    * Metasys (International Syst in Brazil)

    Fonte: Wikipedia

    Gostar

  23. Luis Correia permalink
    31 Julho, 2008 16:58

    Peço desculpa pelos comentários duplicados porque não me estavam a aparecer aqui.

    Gostar

  24. 31 Julho, 2008 17:01

    Luis Correia,

    E não são só esses os exemplos. Também na gama de processadores para servidores da Intel (o Itanium) a Intel está criar condições para a utilização em massa do Red Hat Enterprise.

    É por isso, que defendi aqui que talvez o principal objectivo da Intel seja um objectivo de longo prazo. Uma vez que a aposta até está a ser feita em mercados emergentes, ou seja, oferecendo ao utilizador como primeira experiência, um ambiente Linux.

    Disse-o porque pelo que vou lendo desses mercados, não me parece que a Intel esteja muito preocupada com o que vai arracadar ou não com um computador low-cost. Mas parece que é a isso que os grandes criticos se estão a agarrar.. como se a Intel fosse a fabriqueta ali da esquina a tentar vender alcatifas ao metro.

    Gostar

  25. 31 Julho, 2008 17:05

    Akula: o que é o que hardware tem a ver com o software? Se a Intel quer promover OS de baixo custo, pode fazê-lo em qq plataforma. Se a MS quiser promover o Windows, até o pode dar de graça para o Magalhães. São questões independentes.

    Gostar

  26. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 17:10

    Após o conselho de ministros o Ministro da Cultura estava com muito má cara.

    Gostar

  27. 31 Julho, 2008 17:17

    Tiago,

    Certamente concorda que num computador low-cost, que funcionará como standard nas escolas, dificilmente o seu sistema operativo será alterado, por duas razões:

    1) O utilizador comum não o sabe fazer ( e tem medo de o fazer)
    2) Se as escolas do ensino básico adoptarem o Magalhães como standard informático, o normal será que todos “falem” o mesmo interface.

    Também julgo que percebe que o fluxo de R&D que era “1) Fabricar Hardware 2) Criar software que possa tirar partido do hardware” foi alterado e é agora uma miscelânea, existindo imensos exemplos de hardware que é construído à medida para funcionar com determinado software. Se assim não fosse como é que a Intel tinha “convencido” a Apple a alterar a sua arquitectura por forma a introduzir nos seus computadores, processadores Intel?

    O que tem hardware a ver com software? Tudo.

    Gostar

  28. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 17:18

    Após o conselho de ministros, Jorge Lacão estava com cara de enterro.

    Gostar

  29. 31 Julho, 2008 17:21

    Akula:

    O acordo, tanto quanto se anunciou, não obriga à instalação de nenhum SO. Pode ser Linux, pode ser MS. O que eu digo é que não faz sentido pensar nisto como uma estratégia da Intel para combater a Microsoft, primeiro porque não são concorrentes, segundo porque se a Microsoft se sentisse ameaçada poderia perfeitamente oferecer o Windows de graça para o Magalhães, e lá ia a estratégia do Intel por água abaixo.

    Gostar

  30. 31 Julho, 2008 17:24

    “Após o conselho de ministros, Jorge Lacão estava com cara de enterro”.

    A confirmar-se, boas notícias.

    Gostar

  31. 31 Julho, 2008 17:26

    Quanto ao Pinho, recorde-se que:

    1. Declarou há mais de 12 meses, o “fim da crise”.

    2. Declarou a propósito do “negócio Embraer”, que “o Governo é uma Direcção Comercial de luxo”.

    Apesar de estas serem apenas duas “pérolas”, o “Engenheiro” não o afastou. Como não afasta o Linota.

    Miséria. Portugal tem o Pinócrates que merece.

    Gostar

  32. 31 Julho, 2008 17:30

    Tiago,

    Eu compreendo isso. Mas o Magalhães traz efectivamente um SO instalado. E é Linux. E ninguém (salvo uma ou outra excepção) vai mudar. A Microsoft até podia oferecer, mas o standard vai ser Linux. O negócio já está feito.

    E o que eu disse, julgo que não é muito descabido. No último ano a Intel comprou a VMWare (software de acesso remoto e que será fundamental na próxima revolução informática) comprou a Havok (que fabrica o motor que a maioria dos grandes videojogos utilizam – Halo – Half Life.. etc) e outras companhias por forma a desenvolver futuramente processadores que encaixem na perfeição com o software que é desenvolvido.

    Por isso, mais uma vez: não me espantava que a Intel estivesse a estender um dos seus tentaculos para num futuro próximo invadir também a área dos OS.

    Gostar

  33. 31 Julho, 2008 17:34

    AKula: “VMWare (software de acesso remoto”

    ?!
    http://en.wikipedia.org/wiki/VMware

    Gostar

  34. Gabriel Silva permalink*
    31 Julho, 2008 17:38

    «o Magalhães traz efectivamente um SO instalado. E é Linux.»

    Não, na compra pode optar por Linux ou XP. Ver em http://www.classmatepc.com.
    Por exemplo na Amazon vendem apenas versão xp

    Gostar

  35. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 17:39

    Akula,

    A Intel desenvolve os processadores em parceria estratégica com a Microsoft, coordenando a evolução hardware/software.

    Gostar

  36. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 17:41

    O anónimo do 4. desconfia mal.
    Se este tipo de equipamentos low-cost tivessem software Microsoft a correr, deixavam de ser low-cost.
    Será que isto não é evidente para mais ninguém?!

    A Intel está a tentar roubar mercado futuro à Microsoft, talvez com o futuro lançamento de um sistema operativo baseado em Linux com custos muito inferiores. (Não sei se o RedHat é propriedade da Intel.. mas é nesse sentido que falo).

    Eu não faço ideia se existe relação com a tal compra da Microsoft, é apenas um pensamento. Porque como a máquina corre 2 sistemas operativos é provável que a Microsoft chame um figo a isto e eu no lugar deles para vender o produto desenvolveria software adicional interessante e gratuito, talvez educativo. Como a contrapartida para a Intel ganhar o negócio foi fazer a montagem em Portugal não me admirava nada que para a Microsoft poder entrar também no bolo também tivesse que entrar com uma contrapartida qualquer, por exemplo, especulação minha, a compra de uma empresa nacional. Não se esquecam do facto do Pinho não ter resistido a fazer também um pouco de propaganda sobre essa compra de uma simples empresa pela Microsoft, nunca cheguei a perceber porquê o interesse do Pinho no negócio.

    Agora quanto à Intel, não concordo consigo, a Intel precisa da MS e a MS precisa do Intel, de contrário a máquina não correria o Windows se eles não quisessem. E só se fossem doidos é que fariam tal opção.

    Quanto ao low-cost, ainda não percebemos o conceito disto tudo, é dificil avaliar sem estamos na posse dos dados todos. Eu desconfio que é um low-cost camuflado com contratos de fidelidade a um operador 3G. E como vimos no E-Escolas, só o escalão mais desfavorecido era verdadeiramente low-cost e atractivo, o resto era propaganda com um computador comprado a crédito camuflado de mensalidades de telecomunicações, algo que até várias empresas replicaram sem ajudas do governo.

    Gostar

  37. 31 Julho, 2008 17:42

    “No último ano a Intel comprou a VMWare”

    Não. A VMWare está cotada no Nasdaq, e tem como principal accionista o líder de “data storage”, EMC.

    Gostar

  38. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 17:43

    Garanto-vos que a MS jamais assistiria passiva à entrada em circulação de 500 mil computadores em Portugal com sistema operativo concorrente. Jamais.

    Gostar

  39. 31 Julho, 2008 17:46

    Me parece que José Sócrates tem uma certa atracção pelos computadores, da “banda larga” e, segundo aquilo que penso, para a ele, os computadores são o futuro do desenvolvimento e da economia de Portugal.

    Ora o novo computador (um briquedo de crianças) foi baptizado com o nome de “Magalhães” o ilustre navegador portugês, ao serviço do Rei de Castela, que deu a volta ao mundo, navegando pelas águas dos oceanos, bem merecia que o nome de “marketing”, de “Magalhães” fosse dado a outro computador e não a um “toy” para os miúdos brincarem e mais tarde “espatifarem”.

    Não estamos em alturas que um Primeiro Ministro, quase em delírio venha para a frente das câmaras de televisão, anunciar um computador que pode remediar mas não satisfaz!

    Dá-me a impressão que no pensamento de José Sócraes, os portugueses continuam a ser uns “parolos”.

    Segundo o preço que foi anunciado do novo “brinquedo” custa 150 euros, que será um negócio da “China” para o fabricante.

    Pelos meus cálculos esse objecto não fica, fabricado em série, por mais de uns 50 euros (se ficar!).

    Mas o fabricante já fala em milhões e e emprego para cerca de mil pessoas.

    E ainda mais! O “Magalhães” é totamente português o que quer dizer que todos os componentes são produzidos em Portugal.

    Não me acredito!

    Os computadores “Magalhães” são como a “Coca-Cola” que se engarrafa em todo o mundo e os “pós”, para depois misturar na água chegam da América.
    Felicidades para “Magalhães”!

    Gostar

  40. 31 Julho, 2008 17:51

    Gabriel Silva Diz:
    31 Julho, 2008 às 5:45 pm

    Nada de novo. O DE até confunde biliões com milhões. Euros com dólares.

    O Magalhães é igual ao carro eléctrico que vai andar nas estradas de Portugal em 2010, em mass market!

    Gostar

  41. Gabriel Silva permalink*
    31 Julho, 2008 17:54

    ah, sim, aquele dos 30% de imposto inexistente…..

    Gostar

  42. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 17:56

    Ora o novo computador (um briquedo de crianças) foi baptizado com o nome de “Magalhães”

    Sejamos sérios, não é de facto um brinquedo nem custa 50$ a fabricar. Leia as características e perceberá porquê.

    O HACAO, perdão, o Magalhães do Vietnam, está à venda desde há uns meses nas lojas locais por $340 USD e nas escolas por $250: http://www.linuxdevices.com/news/NS4217198426.html

    Gostar

  43. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 17:56

    Sócrates terá aquela doença chamada “mania das grandezas”?

    Gostar

  44. 31 Julho, 2008 17:57

    Tiago,

    Peço desculpa: a ideia era escrever …para acesso remoto, em vez “de” acesso remoto. O que interessa na ideia que quis passar, é que é uma software house líder em soluções de máquina virtual.

    Gabriel,

    Se o governo já tem um preço fixado ( o que varia é o preço da comparticipação), parece-me razoável pensar que já existe um custo de aquisição negociado e que esse é fixo. Ora, é óbvio que existirão Magalhães à venda com outro SO. O que não me parece é que os tais 500.000 que estão ao abrigo do programa, tenham essa opção. Também me parece que estes 500.000 serão mais facilmente escoados que o produto estando nas prateleiras da Worten ao preço de 140 ou 150 euros com Windows.

    J,

    Ok. Peço desculpa por não ter o cuidado de saber qual era a total do stock da VMWare. A Intel comprou 218 milhões de dólares em acções, talvez não seja o sócio maioritário.

    Anónimo 39,

    A questão que levantei é exactamente essa: eu não me intitulei sabedor da estratégia da Intel. Agora, que ainda não se ouviu falar de Microsoft no caso é um facto e também não me parece (como a si) que sejam pessoas de perder 500.000 novos utilizadores de uma assentada.

    Gostar

  45. 31 Julho, 2008 18:03

    Isto passa no Tribunal de Contas?
    Ou nem sequer vai lá?

    não vai lá , mas se for está isenta … é como a NOVA EXPO ( DISPENSADA DA CONTRAÇÃO PÚBLICA – MAMARACHO ONTEM EM VIGOR DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS)

    O CCP desde ontem em vigor é no entanto a maior aberração burrocrática da tugalândia … deliberadamente hermético apenas para alguns entenderem suas regras … e daí tirarem vantagem”

    Ora talvez isto tudo junto justique finalmente para o PR a demissão do Governo… 😉

    Gostar

  46. 31 Julho, 2008 18:04

    Não, um “brinquedo de crianças” são os computadores do Noddy, do Homem Aranha, da V-Tek e mesmo esses permitem aprender as letras os números e as operações lógicas básicas. Custam é 70 ou 80 euros.

    Agora: ter um pc, com acesso à internet com banda larga, um teclado com todas as funções dos convencionais, um sistema operativo e um ecrã com aquela qualidade por 50 euros e ainda assim, conseguir ver algo de mau nisso… é muito mais engraçado do que injusto.

    Gostar

  47. Luis Correia permalink
    31 Julho, 2008 18:14

    Para quem estiver interessado aqui está a análise à 2a geração deste portátil feita pela ZDNet:

    http://education.zdnet.com/?p=1602

    Gostar

  48. 31 Julho, 2008 18:19

    Nada parece deter o Sócrates nas suas trapalhices.
    Torna-se, aliás, cada vez mais difícil desmascará-lo. Tem do seu lado os Rodrigues dos Santos e Josés Albertos Carvalhos em que abunda a comunicação social portuguesa. Seres iliteratos até à medula (e, no entanto, o primeiro é tido por escritor!), não fazem apenas propaganda do Governo: impedem activamente que tal propaganda seja denunciada.
    O País precisa urgentemente de uma grande vassoura que não se limite a correr com o Sócrates…

    Gostar

  49. 31 Julho, 2008 18:25

    O infrene situacionismo é de tal (des)ordem, que até – repito, até – nesta “democrática” world-wide-web – se replicam à exaustão fortes indícios do sindroma-de-estocolmo.
    Se não, como explicar o continuado e abusado refúgio da grande maioria dos comentadores, em diversíssimos domínios on-line – sejam eles da comunicação (dita) social, sejam eles blogues da esquerda ou da direita, – em pseudónimos e/ou anonimato. O que, bem vistas as “coisas”, reflecte a carência de honestidade intelectual de tais “comentaristas”, além do que os mesmos acabam por dar trela larga ao animal-feroz…
    Assumam-se, porra!

    Gostar

  50. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 18:25

    A maior piada é o bota-abaixo a tudo
    Já nem é para ligar

    Gostar

  51. 31 Julho, 2008 18:36

    estes políticos e jornalistas de sarjeta do socialismo são dum total subdesenvolvimento intelectual e cívico aflitivo.pensam que somos todos ignorantes e estúpidos.

    Está a ver mal o problema.
    Noventa por cento da população recebe toda a informação através das tv’s e das folhitas que são distribuidas nos comboios e metro e processa apenas uma pequena parte dela.
    Cinco por cento compram também A Bola e/ou Record.
    E por isso eles continuam descansados, não é o senhor eu e os outros que lemos os blogs que lhes fazem incómodo.

    Gostar

  52. Gabriel Silva permalink*
    31 Julho, 2008 18:36

    H. Ramos
    a diferença de preço final para Portugal é apenas a quantia de impostos a ser utilizada em favor de determinada empresa de montagem de computadores.

    Gostar

  53. 31 Julho, 2008 18:42

    H. Ramos
    a diferença de preço final para Portugal é apenas a quantia de impostos a ser utilizada em favor de determinada empresa de montagem de computadores.

    Exacto… A questão é que o computador escolhido custa 25% + que uma alternativa perfeitamente viável.

    E concursos, não há?

    Gostar

  54. 31 Julho, 2008 18:53

    “Torna-se, aliás, cada vez mais difícil desmascará-lo. Tem do seu lado os Rodrigues dos Santos e Josés Albertos Carvalhos em que abunda a comunicação social portuguesa”.

    Olhe que não.

    O crescimento do PIB não vai em tagarelices.

    O rendimento disponível dos portugueses também não vai na “música” dos avençados da ReTePe.

    As expectativas dos portugueses são das mais baixas desde a década de 70.

    O algodão não engana. Naturalmente, que Joseph Goebbels teve o seu efeito, mas as tropas do Fuehrer não aguentaram tanto aventureirismo.

    Gostar

  55. 31 Julho, 2008 18:55

    “E concursos, não há?”

    Para quê, isso demorava muito tempo e o “Zé porreiro pá”, tem pressa….

    Gostar

  56. Luis Correia permalink
    31 Julho, 2008 18:55

    Já agora só como curiosidade leiam esta carta aberta de François Bancilhon (Mandriva Linux) a Steve Balmer (CEO da Microsoft):

    http://blog.mandriva.com/2007/10/31/an-open-letter-to-steve-ballmer/

    Gostar

  57. lucklucky permalink
    31 Julho, 2008 19:29

    É o jornalismo preguiçoso, esquerdista fascinado pelos holofotes dos Programas,Projectos,Cimeiras com a papinha já feita pelas agências de comunicação bastando fazer copy paste.

    Gostar

  58. Anónimo permalink
    31 Julho, 2008 20:00

    Até o Piscoiso parece ter desistido de defender o Sousa.
    o navio está a afundar…

    Gostar

  59. 31 Julho, 2008 20:27

    Seria por isso que o “senhor” pigarreava tanto…?! Dificuldades, certamente, com a habitual logorreia, porém e agora, muito mais elaborada (trapalhona)… Só pode ser!

    Gostar

  60. A. R permalink
    31 Julho, 2008 23:23

    Muito silício poucas sinapses.

    Gostar

  61. Bonifácio permalink
    31 Julho, 2008 23:25

    Acéfalos são os meninos de recados saídos das faculdades e jornalismo. Estes bostinhas nada sabem, e menos ainda querem saber. Mas os directores das redacções são escolhidos a dedo pelos seus patrões meta-capitalistas. Enganar o povo, emburrecer as massas, acabar com as classes médias e financiar tudo o que é projecto estatizante e internacionalista é o objectivo dessa gente. Não há nada de acidental nas acções da verdadeira elite. Os palhaços que se revesam nos cargos executivos são apenas marionetas que vão cumprindo as ordens dos king-makers em troca de muito pouco. Alguém acha que o Sócrates manda?

    Gostar

  62. Marco Alves permalink
    31 Julho, 2008 23:58

    O “Magalhães” parece incomodar muita gente…

    Gostar

  63. necrophorus permalink
    1 Agosto, 2008 00:24

    o que é um patrão meta-capitalista?

    Gostar

  64. J. Oliveira Fernandes permalink
    1 Agosto, 2008 00:46

    E no meio de tanta conversa não há ninguém que seja capaz de congratular-se com o facto de haver uma empresa portuguesa, desconhecida de muitos, capaz de atrair a CONFIANÇA de gigantes como a Intel e a Microsoft (e a Samsung e mais alguns), com os quais já tem uma relação de alguns anos? E que se calhar quem escolheu a empresa foi a Intel e não o Sócrates? E que o papel do Sócrates é o de garantir mercado para os Magalhães serem exportados para os ditadores que nos vendem petróleo e com isso os 500 000 para as criancinhas portuguesa vão ficar a custo zero?

    Gostar

  65. Anónimo permalink
    1 Agosto, 2008 01:27

    Marco Alves Diz:
    31 Julho, 2008 às 11:58 pm

    O “Magalhães” parece incomodar muita gente…
    ———————————————————–

    Se incomoda, ainda bem. Porque quem mandou dizer tantos disparates considera os portugueses uns atrasados mentais. Se de facto há quem se incomode, bom sinal, se calhar ainda não somos um hospício. E repito, a iniciativa até pode ter mérito, mas quando vem embrulhada desta forma mentirosa perde a confiança de quem tenta encontrar esses méritos.

    Gostar

  66. Anónimo permalink
    1 Agosto, 2008 01:31

    Bastou invocar os “sistémicos” seguidistas no coment.62 e ei-los em força a partir do 65.

    Gostar

  67. 1 Agosto, 2008 02:35

    “CONFIANÇA de gigantes”

    Que confiança? Nenhum dos gigantes está a investir nada, pelo contrário, estão é a receber encomendas…

    Gostar

  68. 1 Agosto, 2008 03:33

    Vejam o Asus EEE PC 901
    http://en.wikipedia.org/wiki/ASUS_Eee_PC
    e comparem com o Classmate 2 da Intel.

    Gostar

  69. Ferrinhos e Rodriguinhos permalink
    1 Agosto, 2008 05:26

    J. Oliveira Fernandes Diz:
    1 Agosto, 2008 às 12:46 am

    E no meio de tanta conversa não há ninguém que seja capaz de congratular-se com o facto de haver uma empresa portuguesa, desconhecida de muitos, capaz de atrair a CONFIANÇA de gigantes como a Intel e a Microsoft (e a Samsung e mais alguns), com os quais já tem uma relação de alguns anos? E que se calhar quem escolheu a empresa foi a Intel e não o Sócrates? E que o papel do Sócrates é o de garantir mercado para os Magalhães serem exportados para os ditadores que nos vendem petróleo e com isso os 500 000 para as criancinhas portuguesa vão ficar a custo zero?
    ————————————
    LOL
    A JP Sa Couto limita-se a fazer a assemblagem dos componentes do “Magalhaes”, não constrói nada de raiz, apenas compra os componentes e faz a montagem do PC. Coisa que já fazem há anos com os computadores da marca “Tsunami”.
    A Intel e a Microsoft esfregam as mãos de contentes por venderem mais uns milhares de componentes e licenças para os mansinhos dos Portugueses. Mas vamos exportar o quê? Ja imaginou um consumidor de Angola ver o seu pc avariar e mandá-lo para portugal para ser reparado? LOL
    E será que não existiam alternativas mais baratas? Relembro que o hardware da AMD e da VIA é bem mais barato do que o da Intel. E porque é que vão existir versões com Windows XP quando podem ter distribuições de Linux gratuitas?

    Gostar

  70. Ferrinhos e Rodriguinhos permalink
    1 Agosto, 2008 05:29

    http://www.theinquirer.net/gb/inquirer/news/2008/07/31/500k-classmate-pcs

    Craig Barrett should be smiling as much as the PM, Intel has just scored a big deal for itself.

    Gostar

  71. OLP permalink
    1 Agosto, 2008 11:49

    Por aqui transversalmente se vai vendo que se por acaso alguém quiser fazer jus ainda que aproximada á verdade das coisas, quase de imediato é apelidado de bota-abaixo.
    Depois deste qualificativo seguem-se outros um pior que o outro.
    Creio mesmo que vai defenindo a “moral” de muitos a quem os meios justificam os fins.
    Não importa que a verdade seja dita interessa sim o fim.
    Se a iniciativa politica, empresarial, tecnologica, educacional pode ter muitos aspectos positivos porquê então fazer este autentico embuste?
    Porque chamar o “primeiro computador portugues” quando não o é?
    Disseminado por 30 paises sendo que 70% da tecnologia aplicada é importada e 30% de incorporação nacional sob licença, chamam de portugues??
    Os carros de Palema podem ser chamados assim?
    O Sirocco poderia se chamar Diogo Cão?
    O investimento que o governo faz neste produto talvez até venha a ser um dos melhores que ao longo de décadas (este e outros) esbajam.
    Porque envenená-lo á partida com um mentira pegada?
    Porque não dizer…estamos a investir uns milhões no futuro usando o melhor que soubemos e tentando dar mais hipoteses ás nossas crianças.
    Não há pc que valha tanta mentira.Não há criança que mereça isso.

    Gostar

  72. nunoanjospereira permalink
    1 Agosto, 2008 12:43

    Por detrás de cortina estão os professores que, em jeito de piada, este Agosto, vão ter formação para leccionar ao 1ºCEB, Linux, visto que já receberam formação em blended learning. Irão os pais sugerir aos filhos que usem o corrector automático para não terem erros nos exercícios ortográficos? Computadores resistentes ao choque nas mãos de uma criança de 6 anos, quero ver tal coisa. Esta notícia pareçe-me apenas o 1º episódio.

    Gostar

  73. Carlos Correia permalink
    1 Agosto, 2008 15:20

    A ideia não é combater a microsof, a ideia é destruir os esforços de negroponte para o OLPC. O criador do MIT Media Lab criou esta inovação

    http://laptop.org/laptop/

    http://www.laptopfoundation.org/en/index.shtml

    A Intel foi um dos parcceiros até ver a AND ser escolhida como fornecedor. Saiu do consorcio e criou o classmate, que esta a tentar impor aos paises em desenvolvimento.

    Socrates acaba de aliar-se, SEM CONCURSO, à Intel, para destruir o projecto de Negroponte. Um numero de propaganda foi suficiente. A JP Sa Couto, que ja fazia os Tsumanis, tem assim, por ajuste directo, todo o mercado nacional do primeiro ciclo.

    Tudo se justifica em nome de um numero de propaganda terceiro-mundista

    Gostar

  74. ordralfabeletix permalink
    1 Agosto, 2008 23:22

    “E ainda mais! O “Magalhães” é totamente português o que quer dizer que todos os componentes são produzidos em Portugal”

    Efectivamente os componentes vão ser produzidos em Portugal, numa nova fábrica JP Sá Couto/Intel em Perafita/Matosinhos. E essa é a novidade. A JP já produz os Tsunami, que segundo o que foi divulgado na imprensa, tem já 10% de quota de mercado em Portugal, apenas atrás da HP e da Toshiba. Mas nos tsunami a JP limita-se a instalar componentes importados. Com o Magalhães os componentes serão produzidos entre nós.

    Segundo parece a JP ficará a ganhar não tanto com o Magalhães mas com o facto de passar a ter capacidade para produzir os seus próprios componentes nos seus Tsunami. para além de aproveitaram a boleia de sócrates para penetrarem na América Latina e África (aliás a Tsunami já está em Angola).

    E já agora, num blog liberal é pena que não se debrucem a investigar o sucesso de uma empresa como a JP Sá Couto. Que nasceu num vão de escada e chegou aonde chegou.

    Gostar

  75. ordralfabeletix permalink
    1 Agosto, 2008 23:24

    Ferrinhos e Rodriguinhos Diz:
    1 Agosto, 2008 às 5:26 am

    LOL. O Ferrinhos e Rodriguinhos fala do que não sabe com o rei na barriga. Os componentes vão ser produzidos cá.

    Gostar

  76. ordralfabeletix permalink
    1 Agosto, 2008 23:28

    “E concursos, não há?”

    Então a Intel escolhe a JP para parceiro e é preciso concurso? E a Embraer também fez concurso para fabricar aviões?

    Lembro o que acima foi dito:

    “E que se calhar quem escolheu a empresa foi a Intel e não o Sócrates? E que o papel do Sócrates é o de garantir mercado para os Magalhães serem exportados para os ditadores que nos vendem petróleo e com isso os 500 000 para as criancinhas portuguesa vão ficar a custo zero?”

    Gostar

  77. Gabriel Silva permalink*
    1 Agosto, 2008 23:33

    ordralfabeletix,

    «uma nova fábrica JP Sá Couto/Intel »

    a Intel só vai vender os chips, não vai fazer fábrica nenhuma. Licenciou o design, o conceito e o hardware. Ouça a entrevista com presidente da intel, link no texto acima.

    A nova fábrica só existirá se conseguirem vender «para África, America Latina e Europa», onde por acaso, o dito portátil já é vendido.

    «Com o Magalhães os componentes serão produzidos entre nós.» eh, eh, acredita em cada uma. Terá um ou dois programas de softawere nacionais da prólogica.

    Gostar

  78. Gabriel Silva permalink*
    1 Agosto, 2008 23:42

    «e é preciso concurso?»

    sim, deveria fazer quando o governo decide financiar a aquisição de 500 mil computadores de um marca em detrimento de outras. era o mínimo que se exigia.

    Gostar

  79. ordralfabeletix permalink
    1 Agosto, 2008 23:55

    “Ouça a entrevista com presidente da intel, link no texto acima.”

    Qual? Aquela em que ele diz que “uma das vantagens deste Programa Magellan é que os computadores são fabricados por uma empresa local”?

    Será o que o Gabriel sabe mais sobre este assunto do que os envolvidos? Nas próximas semanas serão lançados Magalhães com componentes importados, mas a grande aposta da JP é precisamente a produção dos componentes.

    Lembre-se que é mais fácil falar com o CEO da JP do que com o CEO da Intel. Basta ir até ao fundo da Av. da Boavista, onde há uma bela cruz, para melhor se informar.

    Gostar

  80. Anónimo permalink
    2 Agosto, 2008 00:20

    mas a grande aposta da JP é precisamente a produção dos componentes.

    Isso é ridiculo. Vamos continuar com a farsa ? Não me diga que vão produzir CPU’s, processadores gráficos, discos, memórias, drives, ecrãs LCD, etc, etc ….

    Enfim !

    Gostar

  81. Anónimo permalink
    2 Agosto, 2008 00:33

    Então a Intel escolhe a JP para parceiro e é preciso concurso? E a Embraer também fez concurso para fabricar aviões?

    Os aviões da Embraer não são para o Estado distribuir às criancinhas.

    Gostar

  82. Marco Alves permalink
    2 Agosto, 2008 00:41

    Ordralfabeletix,

    Não ligues,este pessoal só acredita quando a fábrica lá estiver a funcionar…

    Também não sei qual é a parte do texto,
    “Na primeira fase de produção, 30% da tecnologia do novo computador será nacional, mas até ao final do ano o Magalhães deverá incorporar apenas tecnologia nacional, com excepção do microprocessador, que será da Intel.”
    que este pessoal não entende…

    Gostar

  83. Anónimo permalink
    2 Agosto, 2008 01:07

    Não ligues,este pessoal só acredita quando a fábrica lá estiver a funcionar…

    Se quer realmente estar bem informado sobre o assunto, quem na verdade fabrica os componentes com fábricas em Taiwan e na China é esta empresa:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Elitegroup_Computer_Systems

    Se acha que até ao fim do ano se monta uma fábrica ( e uma fábrica bastava?) em Portugal com tecnologia para produzir, motherboards, memórias, discos, circuitos WiFi, placa de rede, de video, audio, ecrãs lcd e baterias, esteja à vontade para acreditar nisso. Mas vocé é verdadeiramente um crente. Se até ao fim do ano produzirmos os plásticos já não será nada mau.

    Gostar

  84. Marco Alves permalink
    2 Agosto, 2008 01:17

    Anónimo,

    “Se até ao fim do ano produzirmos os plásticos já não será nada mau.”

    A minha crença diz-me que você deve estar a torcer por isso.

    Gostar

  85. Anónimo permalink
    2 Agosto, 2008 01:39

    Marco Alves Diz:
    2 Agosto, 2008 às 1:17 am
    Anónimo,
    “Se até ao fim do ano produzirmos os plásticos já não será nada mau.”
    A minha crença diz-me que você deve estar a torcer por isso.

    Eu ? Quem me dera a mim que não fosse assim. Agora eu não acredito em milagres de propaganda.
    Pronto, vou ser mais optimista, acrescente aos plásticos as cablagens e transformador onde temos algumas capacidades. Se forem espertos compram à Qimonda de cá as memórias e mais alguma coisa a uma ou outra empresa. Com isso tudo deve chegar aos 30% de incorporação, percentagem medida em termos de peso da máquina obviamente, não em termos de tecnologia de ponta.

    Gostar

  86. lucklucky permalink
    2 Agosto, 2008 01:40

    Estranho se é tudo tão benéfico por que é preciso o Governo…?

    A propósito isto é um investimento da Intel http://www.tomshardware.com/news/IBM-cloud-computer,6029.html
    O “Classmate” é um investimento dos contribuintes Portugueses que ficam sem acções nenhumas em troca. Logo pode-se dizer solidariedade dos contribuintes com a Intel/JP Sá Couto…

    Gostar

  87. OLP permalink
    2 Agosto, 2008 09:28

    A EMBRAER vai fabricar aviões?
    Essa é outra típica do nosso jornalismo governista.
    vejam lá bem o que a EMBRAER vai fabricar em portugal?~
    Avioes? onde?
    Componentes sim…se chegar a meia duzia será muito.
    Com a maior facilidade se troca as palavras de forma a induzir em erro as pessoas e depois de tão repetida acaba por entrar no comum das conversas.
    Das duas uma, ou é resultado do novo acordo ortográfico ou é má fé.
    Aviões é que não são.

    Gostar

  88. MATIAS LUCAS permalink
    2 Agosto, 2008 16:46

    Peço desculpa de nada saber sobre o Magalhães e a Informática, mas eu defenderia aquele computador da maçã ratada, que há muitas lá para o lado de Alcobaça e daria o meu aval para que a empresa Couto continuasse a produzir a sua famosa pasta dentífrica.

    Gostar

  89. 3 Agosto, 2008 00:20

    O caso do Magalhaes ( Computador ), é nitidamente uma situação de aproveitamento político. A quem vai encher os bolsos, a gente aínda não sabe, mas saber-se-á! As operadoras de redes móveis, são as mais beneficiadas, a Intel agradeçe, a Sá Couto também… e os politicos somam pontos, em especial Sócrates.
    Em minha opinião, o Sr. Primeiro Ministro José Sócrates desta vez, merece os parabéns vendeu bem o produto e a ideia, mostrou que entende de marketing de massas.
    Está de parabéns, porque apesar dos contornos pouco claros desta negociata, está a levar por diante um projecto que fazia falta a Portugal. A aposta neste plano tecnológico,e a sua implementação tem mérito!
    Mas que é um grande negócio é! Como aqui os ganhos são repartidos, os miúdos poderão ter computador, e beneficiará Portugal com este combate à info-exclusão! O que se traduzirá num futuro próximo a mais e melhor acesso à informação.
    Parabéns, José Sócrates.

    Gostar

  90. Luís permalink
    3 Agosto, 2008 11:48

    A burrice definitivamente não tem tamanho….. Aqui em Portugal só se produzem “de raiz” memórias RAM e “Flash” na Quimonda (Infineon). Se são usadas ou não no Magalhães não sei. Não se produz nenhum tipo mais de peça para computador. Quanto a componentes electrónicos, transístores, condensadores, etc, não se fabricam cá em Portugal. Assim como não se fabricam na maior parte dos países. Nenhum computador, televisão, telemóvel é totalmente americano, inglês, chinês, etc, etc,etc. Nenhum!!!! Não é por isso de deixam de ser 100% de determinado país, é só uma maneira (estúpida, mas que qualquer pessoa com 2 dedos de testa devia ser capaz de detectar) de fazer publicidade.
    Quando ao “ajuste directo” da JP Sá Couto, foi muito bem feito só pelo facto de ser uma empresa portuguesa. Prefiro que o dinheiro e os empregos fiquem cá em Portugal. Mas isto é só uma opinião ….

    Gostar

  91. Bruno permalink
    3 Agosto, 2008 17:17

    @ Luís

    Mas por acaso a JP Sá Couto é a única empresa portuguesa a trabalhar com informática? Concursos públicos e transparentes SEMPRE!

    Gostar

  92. 3 Agosto, 2008 19:06

    Com o Magalhães os componentes serão produzidos entre nós.

    Ignorância ou má-fé, das duas três. Mesmo que a Intel cá passe a ter uma fábrica digam-me lá:
    1. vai produzir pastilhas de silício e processadores?
    2. vai produzir discos rígidos (ou SSD)?
    3. vai produzir TFT?
    4. vai produzir memórias e motherboards?
    5. vai produzir teclados e ratos?
    6. vai produzir placas rede, placas gráficas e outras afim?
    7. vai produzir o chassis do computador?
    8. vai produzir fontes de alimentação?

    Poderia continuar mas esta amostragem já serve para evidenciar que em nenhuma fábrica da Intel são produzidos *todos* estes componentes. Nem sequer a maior parte deles. Vamos, por cá, assistir à excepção? Como não acredito em sucesso instantâneo, contrariamente ao ME, antecipo que apenas veremos incrementada a actividade de assemblador da JPSC. Se estiver errado, tiro o chapéu perante o maior sucesso tecnológico a que o país alguma vez assistiu e passarei a temer a China, por passarmos a ser um sério concorrente a Taiwan.

    Gostar

  93. 3 Agosto, 2008 19:10

    Quanto à questão do concurso público, desde quando o uso de dinheiro dos contribuintes dispensa concurso público?! Ah!, ok, isso já era feito nas obras públicas.

    Gostar

  94. 4 Agosto, 2008 11:44

    Uma tristeza. Tratam-nos como se fossemos imbecis.

    Gostar

  95. 6 Agosto, 2008 02:43

    Bem, o verdadeiro magalhães nasceu na Costa da Caparica, há 24 anos. Chamava-se Timex 2048, sendo assemblado em Portugal, com componentes portugueses. Desde então que não há novidades nesse campo.

    http://lists.paradigma.pt/pipermail/tce/2008-August/000265.html

    Gostar

  96. 7 Agosto, 2008 18:37

    A única coisa boa da negociata “Magalhães” é que vai sair muito mais barata (aos nossos impostos) que o TGV e vai, sem a menor dúvida, ser mais útil. Alguns dos putos vão concerteza aproveitar a oportunidade para contactar mais cedo com o mundo civilizado… E sempre há mais “algum” que uns senhores metem no bolso e depois podem gastar para animar a economia… (“easy comes easy goes…”).

    Agora, gostava que alguém, duma vez por todas, compilasse uma lista dos componentes “made in Portugal” que vão ser montados em Matosinhos. Hardware? À parte alguns parafusos e/ou anilhas, duvido…
    Software? Bem o “Caixa Mágica” é uma localização do SO Linux … Que mais?

    Alguém é capaz de listar estes 100% de componentes portugeses? Ou será que são só 0,01% nos componentes? E os 100% são mesmo só na “MAROSCA”??

    Gostar

  97. Bruno permalink
    12 Agosto, 2008 00:08

    @Vitor Domingos

    Eu ainda tenho um e a funcionar !

    Gostar

  98. Pai Natal permalink
    20 Outubro, 2008 20:18

    Pois..mm a tuga..
    -Este governo nao faz nada!
    -Mas este governo esta a distribuir pcs!
    -São uns gatunos e andam a gastar o nosso dinheiro.
    -Sim mas é para o nosso bem, ou se calhar deviamos mm era compra-los nos como ate agora.
    -São uns mentirosos.
    -Pois os outros governos não mentem é só o nosso, melhor mm era que construissem mais estádios e comprassem ferraris para todos, agora mentir? mm a custa de um portátil preferia 1000 vezes que não me mentissem.

    Nunca se vê a parte boa..
    Para mim eles que mintam o que quiserem..há um portátil grátis para o meu filho? óptimo!antes isso que o dinheiro ser empregue em luxo para meia dúzia de bem colocados..

    Gostar

  99. Joaquim Ambrósio permalink
    30 Agosto, 2011 13:27

    JP Sá Couto no seu melhor!???

    Vejam http://imageshack.us/photo/my-images/204/capturaecrae.png/

    Em amarelo simplesmente erros.
    Em vermelho o novo acordo e o antigo…. (mix)
    Em azul erro de construção.

    É só a 1ª página do seu novo site.

    Nota: A JP SÁ Couto assembla PC/Portáteis/Netbooks não os fabrica.

    Gostar

Trackbacks

  1. Acerca do Magalhães e da fábrica da Intel (2) « O Insurgente
  2. Quinta do Sargaçal – China líder em energias renováveis +
  3. III.1 - Ainda a comunicação presidencial « bem-vindo à esfera
  4. III.1 - Ainda a comunicação presidencial « bem-vindo à esfera
  5. Software Livre no SAPO » Blog Archive » Porquê tanto ruído sobre o Magalhães?
  6. O ‘Magalhães’ e a retórica. « as folhas ardem
  7. Magalhães II
  8. Magalhães II | Michael Seufert

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: