Skip to content

A casta

18 Agosto, 2010

Mas que tolice a do PSD em querer ser oposição. A oposição em Portugal tem de existir para provar que o PS é democrata. Mas só por isso. O que queriam mais? Como é que umas criaturas que só podem ser pirosas, burrinhas e um bocadinho mal intencionadas – caso contrário seriam do PS ou quando muito do PCP, do BE ou do PP cujo perfil mediático muda em função da relação que circunstancialmente mantêm com o PS – podem ter a veleidade de achar que podem existir outros modelos que não o do PS ? Nem sequer é verdade que o PSD o ache ( e aí está boa parte do nosso bloqueio) mas basta que os sociais-democratas deixem de fazer de jarrão de flores na casa da democracia, obviamente PS, e vemos urgir de todo o lado uma espécie de preconceito de classe contra a possibilidade dos socialistas deixarem o poder.

A crise, os casos, o descalabro das contas, as trapalhadas… tudo isso os ‘pêésses’ podem até dar como verdadeiro mas isso são apenas acidentes de percurso numa circunstância que lhes parece tão natural quanto o sol nascer todas as manhãs: o poder é obviamente PS. O resto são actores indispensáveis no palavreado sobre a liberdade que o PS adora (cada vez mais o palavreado e menos a liberdade propriamente dita).  Assim o PCP ora é visto como um urso caturro-carinhoso, nos dias em que os dirigentes do PS descem a av. da Liberdade de braço dado com os comunistas, ora como uma força déspota e anquilosada naqueles dias em que os sindicalistas são mais fiéis ao partido do que ao patrão-Estado. O BE ora é o irmão meio charrado  ora o irmão que faz aquilo que nós, mais responsáveis, não podemos fazer. E o PP quando os submarinos o deixam vir à tona tem momentos de direita ultramontana  atávica e reaccionária ou de piedosa mas atrasadita democracia cristã, consonate viabiliza ou não viabiliza o que o PS quer. Mais ou menos os protagonistas vão cumprindo o seu papel.

O único que às vezes disparata é o PSD. Sendo que em boa verdade se limita a dizer que faria exactamente o mesmo que o PS mas doutro modo. É lá possível uma alma com juízo e  e bom gosto dizer que pensa diferente? Já basta que alguém vindo de tais bandas tenha tido a desfaçatez de se fazer eleger PR. Como é possível? Não se enxergam? O poder é PS coisa que nada tem a  ver com socialismo. Tem a ver sim com um sentimento de casta.

Anúncios
40 comentários leave one →
  1. 18 Agosto, 2010 11:14

    Cara Helena, sem querer ofender, este é um dos seus melhores posts dos últimos tempos. No entanto, o que diz do PS/PSD – a mesma coisa, com fats comprados em lojas diferentes -, insere-se nas comemorações da mamarracha dos cem anos. Naquela altura, tínhamos outros que tais, de nome Regenerador (PSD?) e Progressista (PS) e viu-se no que deu. Estamos na mesma esteira e desconfio que acabarão da mesma forma, ou pelo menos à “italiana”. lembra-se do Cretinno Bax, ou melhor, Bettino Craxi? Pois…

    Gostar

  2. 18 Agosto, 2010 11:23

    Um texto muito inteligente. Acerta no alvo com precisão.
    Estou convencido de que o Povo Português se viciou no socialismo – leia-se pouca vontade de trabalhar e ilusão de que haverá sempre uns tolos que nos pagarão os calotes – e o PS personifica bem o espírito desleixado, caloteiro e preguiçoso que tomou conta do nosso Povo desde que Cavaco Silva criou o monstro e engordou o Estado Social.
    Dificilmente, deixaremos de empobrecer. Há períodos assim na história dos povos: preferem viver de ilusões do que acordar para a realidade. Um dia chegará em que as formiguinhas da UE deixarão de pagar os nossos calotes. Mas o Povo Português julga que isso só acontecerá daqui a muitos anos.Está enganado. Pode acontecer de um momento para o outro.

    Gostar

  3. Licas permalink
    18 Agosto, 2010 11:31

    Saiu sarcástico muito embora verdadeiro. E sem qualquer saída . . . a compaação com a alternância no Poder dos Regeneradores ou Progressistas de antanho refletem que os Portugueses foram sempre, na sua gtande maioria, avessos aos extremismos : não será assim?

    Gostar

  4. piscoiso permalink
    18 Agosto, 2010 11:43

    É claro que o povo só pode estar enganado quando não pensa como nós.
    Há que mudar o povo, né?
    Onde é que já ouvi isso?

    Gostar

  5. gui permalink
    18 Agosto, 2010 11:49

    Esta compulsão para comentar palermices que nome terá, lá no catálogo das doenças do foro psíquico?

    Gostar

  6. helenafmatos permalink
    18 Agosto, 2010 11:53

    5. Na I República os homens bons da maçonaria psiquiatrizaram quem se lhes opunha. Portanto nada de novo na costa.

    Gostar

  7. 18 Agosto, 2010 11:54

    Na minha opinião acerta no que diz,mas não se espalhe.Olhe o Saraiva que fica arruinado.Será cobardia da minha parte?Paciência até um dia.

    Gostar

  8. Francisco Colaço permalink
    18 Agosto, 2010 11:58

    #6, Gui,

    A tal doença para «comendar» as palermices e trapalhadas do nosso governo é chamada socialismo, e corresponde socialmente aos efeitos da mosca Tsé-Tsé (indolência e sono, incapacidade de trabalhar e de tomar iniciativas, ter de ser alimentado à boca com a papinha feita).

    Por menos trapalhadas do que hoje se cometem, o Santana Lopes foi posto na rua. (afinal foi o Chico Buarque que quis conhecer o Sócrates, não foi?)

    Gostar

  9. nela permalink
    18 Agosto, 2010 12:07

    Gostei de ler o texto. Mas, ironias à parte, não é verdade que só o nome distingue os dois grandes partidos do centro?

    Gostar

  10. nela permalink
    18 Agosto, 2010 12:10

    Por acaso já nem me lembro por que foi o Santana demitido, mas o motivo deve ter sido gravíssimo.

    Gostar

  11. Licas permalink
    18 Agosto, 2010 12:12

    4.piscoiso disse
    18 Agosto, 2010 às 11:43 am
    É claro que o povo só pode estar enganado quando não pensa como nós.
    Há que mudar o povo, né?
    Onde é que já ouvi isso?
    ************************

    PISCOISO fez uma declaração de intereses : o Povo que pensa como eu, está certo

    Gostar

  12. jofly permalink
    18 Agosto, 2010 12:16

    Olha, os gestores que o limpem, que é que o ganham por de mais.

    Os gestores e os políticos dos partidos do poder, que é que gozam de reformas tais que até faz doer.

    Gostar

  13. joao permalink
    18 Agosto, 2010 12:20

    A Republica é dos portugueses mas o Estado é do PS

    Gostar

  14. 18 Agosto, 2010 12:54

    Mais uma vez e sempre que necessário, para quem não leu e, para quem não deseja ler mais do que duas linhas:

    “Não lhes chamaria fascistas mas sim que o PS sempre foi (não é de agora) e salvo muitas raras excepções, um partido de gente intolerante, genericamente incompetente, praticante do tráfico de influências e do compadrio, pseudo-democratas, etc. Só que agora, muito mais requintados (a experiência tem vantagens)”
    Anónimo, in Portugal dos Pequeninos, 10 de Agosto.

    Gostar

  15. 18 Agosto, 2010 14:44

    É mais ou menos isso que escreveu. Só faltou acrescentar que quem se mete com o PS, leva. Tenha cuidado que eles são perigosos.

    Gostar

  16. 18 Agosto, 2010 15:01

    Muito perigosos. de uma certa forma, bem mais perigosos do que os comunistas porque esses são verdadeiros e não enganam ninguém.

    Gostar

  17. JCA permalink
    18 Agosto, 2010 15:06

    .
    É, a Helena é lúcida. As soluções terão de vir do PS, resolver Portugal terá de renascer dos ovários do PS. O resto é paisagem. Nem conquistar o Governo ambicionam. Surgem aos olhos do País como esmolando só por ‘mais uns trocos’ que o PS tenha a generosidade de lhes vir a dar. Estão amarrados. É bom e cómodo andar no ‘sidecar’ da mota do Poder e mandar umas bocas pelo caminho para tentar mais umas esmolitas. Será que já não conseguem outras ambições ?.
    .
    Decalração de interesses: não milito no PS, nas ante/pen/ultimas me pus na bicha dos votos e não hesito ser critico do que entendo errado no PS. Mas encaro por uma questão de honestidade comigo mesmo deixar o Abstencionismo e Votar nas proximas à PR e nas seguintes ao Governo. Esgotaram-se as oportunidades não aproveitadas pela Oposição pelo espaço gerado pelo Abstencionismo.
    .

    .

    Gostar

  18. 18 Agosto, 2010 15:09

    16 # Ramiro

    E toda a gente sabe ao que andam. Ao passo que os socialistas, detrás daquelas capas de madre Teresa de Calcutá, escondem-se os maiores cretinos que há em Portugal e arredores.

    17 # JCA

    Ovários?

    Gostar

  19. JCA permalink
    18 Agosto, 2010 15:41

    #18,
    em sentido figurado, claro.
    .

    Gostar

  20. 18 Agosto, 2010 15:44

    19 #

    Ah bom 😉

    Gostar

  21. Licas permalink
    18 Agosto, 2010 15:48

    16.ramiro marques disse
    18 Agosto, 2010 às 3:01 pm
    Muito perigosos. de uma certa forma, bem mais perigosos do que os comunistas porque esses são verdadeiros e não enganam ninguém.
    ************************

    CERTÍSSIMO . . .

    Gostar

  22. 18 Agosto, 2010 16:24

    «Tem a ver sim com um sentimento de casta»
    Adito: do bloco central.
    “…políticos profissionais….que dispensam o que então chamara (Ostrogorski) «bandidos políticos», visto tais funções centrais poderem ser desempenhadas, com vantagem, por políticos profissionais sem cadastro oficialmente registado”

    Gostar

  23. 18 Agosto, 2010 16:42

    Um leitor do João Gonçalves, como MJRB o recordou acima, já tinha sido lapidar, mas a Helena Matos glosou (bem) o tema com particular acutilância.

    Gostar

  24. lucklucky permalink
    18 Agosto, 2010 16:49

    Saiu o boletim de Agosto

    http://www.igcp.pt/fotos/editor2/2010/Boletim_Mensal/08BolMensal_2010.pdf

    13,5 mil milhões Euros pedidos emprestados desde o inicio do ano até Julho. Mais 1350 Euros por Português- uma família com duas crianças passou a dever mais 5400 Euros em 7 meses.
    Dança-se ao ritmo de aumento de 64 milhões de endividamento/dia.

    lucklucky

    Gostar

  25. 18 Agosto, 2010 17:09

    Salvé! A Oeste nada de novo! A caminhada para o desastre continua, imperturbável e, assinale-se, impante! 13,5 mil milhões de euros! Mais 10,14% do que o saldo acumulado em 31 de Dezembro de 2009.

    Gostar

  26. Francisco Colaço permalink
    18 Agosto, 2010 17:16

    #26, Eduardo,

    São xuxas! Que se há-de fazer? Espero que o PSD se porte melhor no governo, e que haja eleições JÁ.

    Ah, o único ano em que a dívida desceu na década estava o PSD no poder. Há, portanto, esperança, embora não lá esteja a Manuela Ferreira Leite.

    Que mudaremos de vida, mudaremos. Este estado (pseudossocial) de coisas vai cair, para o bem e para o mal. Resta saber quando vai cair e quem vai tomar a iniciativa.

    Aposto no próximo trimestre.

    Gostar

  27. piscoiso permalink
    18 Agosto, 2010 17:33

    Castas há às resmas.
    Nem que seja a casta dos anti-qualquercoisinha.

    Gostar

  28. António Barreto permalink
    18 Agosto, 2010 21:09

    Poderá ser um sentimento de casta:

    Radica na convicção que habitualmente exibem de que são a principal referência democrática do País e que isso lhes dá o direito de fazer o que entendem para defender os seus interesses políticos, ainda que à revelia dos valores democráticos.

    Isto é; julgam que os atos antidemocráticos que, por vezes, praticam, são democráticos, porque, como grande referência democrática que julgam ser, lhes compete permanentemente – por inspiração Divina, digo eu – definir os valores da Democracia e espalhar a boa-nova aos ímpios.

    E que os ímpios sofredores, àvidos da luz e de alívios de seus males, logo compreenderão e agradecerão humildemente tamanha Graça!

    Gostar

  29. 18 Agosto, 2010 23:19

    Grande malha, Helena!
    Lúcido, contundente e muito divertido.

    Divertido é, também, verificar o aparecimento de alguns comentadores, quiçá marcando posição na fila de espera por ‘qualquercoisinha’ na cada vez mais próxima legislatura.
    😉

    Gostar

  30. Joaquim Amado Lopes permalink
    19 Agosto, 2010 01:02

    4. Piscoiso:
    É claro que o povo só pode estar enganado quando não pensa como nós.
    Há que mudar o povo, né?
    Onde é que já ouvi isso?

    Deve ter lido/ouvido muitas vezes em variadíssimos meios. Aliás, o próprio Piscoiso é um arauto desse princípio. Mas parece que só merece reparo quando é alguém do PE (Partido Errado = tudo o que não é Partido Serto) a dizê-lo.

    Gostar

  31. Nuno permalink
    19 Agosto, 2010 05:12


    helenafmatos

    A casta. Exactamente os que não ligam pevas a toda esta maricagem socialista.

    Nuno

    Gostar

  32. e-ko permalink
    19 Agosto, 2010 12:38

    castas… tiques… manias… há muitas!…

    Gostar

  33. piscoiso permalink
    19 Agosto, 2010 12:51

    Ó JAL (#30), arranje lá uma frase minha com esse princípio que lhe dou um rebuçado.
    Quanto aos rótulos partidários que distribui, são gratuitos.

    Gostar

  34. Licas permalink
    19 Agosto, 2010 12:51

    27.piscoiso disse
    18 Agosto, 2010 às 5:33 pm
    Castas há às resmas.
    Nem que seja a casta dos anti-qualquercoisinha.
    *********************

    Faltou a casta PISCOISICA : por qualquer coisinha que abiche,
    eu me vendo . . .

    Gostar

  35. António Barreto permalink
    19 Agosto, 2010 21:01

    # 29

    Errou a pontaria;sabemos que muitos de nós têm fraco estômago e preferem merecer cada segundo e cada cêntimo da sua vida.

    Porém, o tema merece ser tratado com maior profundidade:

    A verdade é que o sentimento de casta está enraízado nas elites nacionais como uma doença crónica, constituindo, muitas vezes, um dos maiores entraves ao progresso do país.Um pais de capelinhas e de “muros de berlim”, paradigmas da mediocridade que é urgente destruir. A incapacidade de evolução própria, leva muita alegada ilustre gente a impedir o progresso alheio, acedendo ou mantendo privilégios efectivamente injustificados.

    Até aqui, no Blasfémias, há comentadores que revelam tiques de casta.

    “…Áh ó! fora daqui que o mar é nosso! Vociferou o Nazareno em pleno mar da pesca,ao ver barco desconhecido lançar a rede.”

    Um tema interessante a pedir contributo de sociólogos, filósofos e historiadores.

    Gostar

  36. 19 Agosto, 2010 21:15

    Até aqui, no Blasfémias, há comentadores que revelam tiques de casta. AB

    pois há… limitei-me a dizer que castas, tiques e manias há muitos… para bom entendendor.

    infelizmente, isso de castas, é coisa para ainda durar mais uma ou duas gerações!…

    Gostar

  37. António Barreto permalink
    20 Agosto, 2010 20:05

    #36;

    Afinal é um ótimista! Parabéns.

    Gostar

  38. e-ko permalink
    20 Agosto, 2010 20:18

    sou, isto está a mudar em certos aspectos muito mais rapidamente do que parece. depois, aqueles núcleos duros, vão acabar por abrandar os costumes e os tiques… allez, duas ou três gerações, e ainda serei optimista… mas como as gerações envelhecidas terão já desaparecido e que a demografia dos autóctones, em particular nas classes a castas, será cada vez mais baixa, entre bielorrussos, brasileiros e outros lusófonos, as castas tenderão a desaparecer… um tratado de sociologia, neste comentário, não?

    Gostar

  39. António Barreto permalink
    24 Agosto, 2010 21:16

    Porém, esqueceu-se de um detalhe: Novas castas substituirão as velhas. É um dos paradigmas das sociedades humanas. Não tenha ilusões.

    Gostar

  40. e-ko permalink
    25 Agosto, 2010 00:49

    mas, ao menos, não serão as mesmas…

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: