Skip to content

É uma medida de Hollande, portanto é boa

6 Novembro, 2012
by

França sobe IVA para descer TSU às empresas

Curioso que a França, uma potência tecnológica, pretende descer os custos salariais. Pretenderão competir na base dos baixos salários? Estarão a ser assessorados por António Borges?

Convenhamos que Passos Coelho foi (seria) bem mais liberal: restringia o financiamento dos “capitalistas” apenas aos respectivos trabalhadores, deixando abertura para negociações ao nível de cada empresa que, no limite, poderiam deixar tudo na mesma. Hollande vai pôr todos os consumidores, trabalhem ou não, a financiarem compulsivamente o “grande capital”.

“Não à TSU, queremos o nosso IVA!” – lema que sugiro desde já para as grandiosas manifestações que certamente se irão realizar por toda a França.

Anúncios
59 comentários leave one →
  1. FilipeBS permalink
    6 Novembro, 2012 15:51

    😀 AHAH! Bem apanhado! A hipocrisia dos me(r)dia é demais…

    Gostar

  2. Fenris permalink
    6 Novembro, 2012 15:52

    Porque parece desnecessário demonstrar que subir, por exemplo, o IVA em 1% a todos (incluindo empresários) é absolutamente diferente de transferir 5 ou 6 ou 7% dos empregados para os patrões, há que dizer o seguinte: este post não poderia estar arquivado em outro lado que não “Cretinismo”.

    Gostar

  3. J R permalink
    6 Novembro, 2012 15:52

    É um panorama bem diferente…
    Em Portugal queria-se baixar a TSU a favor das empresas e a custo dos trabalhadores. A “negociação” salarial só seria possivel em ultima instância se a empresa deixasse (coisa que muitas empresas neste mundo de cão não iriam permitir). Cortava-se às pessoas, dava-se às empresas.
    Em França, baixa-se a TSU a favor das empresas e a custo do consumo. As pessoas continuam a ganhar o mesmo, podem gerir o seu dinheiro como entenderem mas tendo em conta que os preços vão subir. Mas acredito que muito boa gente prefere este panorama ao anterior… É mais arriscado para o Estado, pode haver uma quebra no consumo que faz com que a receita do IVA não seja tão elevada.
    São duas situações suficientemente diferentes para não poderem ser comparadas como é proposto aqui, não?

    Gostar

  4. Portela Menos 1 permalink
    6 Novembro, 2012 16:11

    a honestidade intelectual do Blasfémias anda pelas ruas da amargura.

    Gostar

  5. JEM permalink
    6 Novembro, 2012 16:16

    Então não é que o Hollande do crescimento e contra a austeridade, grande amigo do Seguro,vai descer a TSU das empresas, como queria fazer o Passos Coelho ultra-hiper-mega-neoliberal!

    Mas que dissonância cognitiva insuportável! Aposto que esta notícia vai passar bem despercebida nos media nacionais. Isto destrói a sua narrativa oficial!

    Gostar

  6. JDGF permalink
    6 Novembro, 2012 16:23

    Pretender comparar o ‘ajustamento’ da TSU em França com o que propos Passos Coelho em 7 de Setembro é um exercício de pura demagogia. Só a título exemplificativo convinha recordar que em Julho a salário mínimo beneficiou de um aumento de 2% (já agora o seu valor é de 1425,67 €).
    Não podemos andar a brincar com os números… caso contrário corre o risco de alguém aparecer a oferecer-se para trocar!

    Gostar

  7. JEM permalink
    6 Novembro, 2012 16:24

    Hollande e Passos Coelho ambos pretendiam descer a TSU das empresas.
    O financiamento deste corte seria pago:

    – Em Portugal, pelos trabalhadores, sendo que a empresa lhes poderia devolver o corte em aumentos salarias
    – Em França, pelos consumidores. Isto é, pelos … trabalhadores…. e também pelos desempregados e pensionistas. E as empresas não poderão compensar os seus trabalhadores pela redução do seu poder de compra.

    Subir o IVA prejudica aqueles que têm taxas de poupança mais baixas, isto é, aqueles que utilizam o seu rendimento quase todo para consumo: os mais pobres! Subir o IVA tem ainda um efeito … recessivo (lembram-se da curva de Laffer?!!!)

    A solução de Hollande para financiar a baixa da TSU é mais dura com os mais pobres e mais recessiva no mercado interno do que a de Passos Coelho.

    Os nossos comentadoristas da tanga que bajulam o Hollande e puseram em causa a medida de TSU de Passos Coelho deverão estar com a cabeça à roda…

    Gostar

  8. 6 Novembro, 2012 16:25

    A direção certa é esta, mas vai ser necessário ir muito mais longe…
    http://existenciasustentada.blogspot.pt/2010/09/8-impostos.html

    Gostar

  9. Portela Menos 1 permalink
    6 Novembro, 2012 16:30

    França sobe IVA para descer TSU às empresas
    Passos queria baixar salários para descer TSU às empresas
    .
    qual é a parte que não dá para perceber?

    Gostar

  10. Yoda permalink
    6 Novembro, 2012 16:30

    Analisando friamente os números, parecem-me medidas com impactos sobre o rendimento dos trabalhadores perfeitamente equivalentes, sem dúvida. Por amor de deus… estamos a falar de uma medida com um impacto global (em montante) sobre o rendimento da população pouco superior a 2 vezes o impacto das alterações à TSU, isto numa economia 13 vezes maior.

    Gostar

  11. ZÉ DA LOTA permalink
    6 Novembro, 2012 16:36

    Porra…..querem comparar o que não é comparável…..realmente!

    Gostar

  12. 6 Novembro, 2012 16:39

    Yoda,
    .
    Os trabalhadores podem ter interesse directo em subsidiar as empresas em que trabalham, pois daí poderá decorrer menos desemprego. Restringida a medida ao universo empresarial, ela seria de aplicação diferenciada e com ajustamentos vários consoante cada caso particular. Os custos e benefícios eram sempre internalizados ao nível de cada empresa.
    Compensar a descida da TSU com aumento do IVA é pôr todos os consumidores a subsidiarem as empresas, tenham ou não a ver directamente com elas. Os custos estariam fora das empresas, os benefícios futuros estariam só nestas. é claramente mais injusto.

    Gostar

  13. Grunho permalink
    6 Novembro, 2012 16:54

    Conclusão:
    O Passos é um FdP e o Hollande é outro.

    Gostar

  14. Fenris permalink
    6 Novembro, 2012 16:55

    Engraçado 1) a ideia, desajustada (não lhe vamos chamar parva) de que as empresas, que muito justamente visam a maximização do lucro e não a redistribuição de sacrifícios, iriam preferir pagar mais do que podiam aos seus empregados;
    Engraçado 2) sendo certo que o Salário Mínimo Nacional é entendido e definido como o mínimo de subsistência, por que não malhá-lo com 7% de desconto?
    .
    E depois o Jorge Palma é que bebe…

    Gostar

  15. 6 Novembro, 2012 17:05

    Estou perfeitamente de acordo que se facilite,ainda mais,a vida aos mexias e ulriches deste planeta e faço ainda uma proposta ao ministro das finanças no sentido de criar uma taxa especial a pagar por todos os maiores ded 8o anos.

    Gostar

  16. André permalink
    6 Novembro, 2012 17:11

    Mas ouça, eu sou a favor da descida da TSU para as empresas e também sou a favor da subida do IVA. Não sou é a favor da subida dos custos de trabalho (seja para o empregado ou para o empregador). Por isso, concordo plenamente com o Hollande.
    Para mais, durante a polémica da TSU eu defendi abertamente a subida de outros impostos para poder descer a TSU às empresas. Sim, o Hollande tem essa vantagem em relação a Portugal, é incomparavelmente mais inteligente.

    Gostar

  17. JDGF permalink
    6 Novembro, 2012 17:11

    O IVA em França -que Sarkosy subiu em Janeiro 2012 para 21,2% – como se depreende pela argumentação não terá prejudicado os mais fracos. Haja coerência!

    Gostar

  18. carlos moreira permalink
    6 Novembro, 2012 17:14

    quem escreveu o post inicial só pode desonesto ou está a atirar areia para os olhos dos menos informados

    Gostar

  19. carlos moreira permalink
    6 Novembro, 2012 17:19

    em 2014 possivelmente, iva em França passará de 19,5% para 20%
    Cá no burgo é 23%
    e temos por exemplo electricidade e restauração á taxa maxima

    Gostar

  20. Yoda permalink
    6 Novembro, 2012 17:20

    LR,

    De facto podem. Aliás, podem fazê-lo neste preciso momento, basta que manifestem esse interesse junto da entidade patronal, diria eu. Não é necessário mexer na TSU. Ou estou enganado? Fazê-lo à força é que me parece desajustado (isto é um eufemismo, obviamente).

    Seja como for, comparando com aquilo com que pretende comparar, estaríamos a falar de um impacto, em contas grosseiras, próximo de um abaixamento de 1% na TSU compensado por um aumento equivalente do IVA. Não me parece que seja o suficiente para dar corpo às supostas vantagens que apregoa para uma solução equivalente à portuguesa, logo a sua argumentação tem pouco ou nenhum significado, justamente como esta medida, que tem igualmente pouco significado, independentemente da justiça ou injustiça que encerra.

    Gostar

  21. carlos moreira permalink
    6 Novembro, 2012 17:22

    a noticia
    http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=588461
    engraçado a taxa minima desce de 5,5% para 5%

    Gostar

  22. A C da Silveira permalink
    6 Novembro, 2012 17:42

    O Hollande, o farol do Tozé e da esquerda socretina portuguesa, é incriticavel em Portugal. É o salvador da França, da Europa, e de Portugal, quando o PS estiver no governo.
    O que os media em Portugal não falam, ou falam à “boca pequena”, é no OE da França para 2013: um corte na despesa publica de 30000 milhões de euros, e a divida publica já ultrapassou os 100% do PIB. Quer dizer: o mãos largas Hollande, já está a fazer um ajustamento à economia, antes de a isso ser obrigado. Temos de lhe reconhecer um mérito: está a pôr as “barbas de molho”!
    Os comentários que aqui têm sido feitos criticando a baixa da TSU do Passos Coelho, e enaltecendo a baixa da TSU do Hollande, são para nos rirmos um bocadinho. São os pacholas do costume, os que acham que o PEC4 é que nos tinha salvo da desgraça.

    Gostar

  23. carlos moreira permalink
    6 Novembro, 2012 17:54

    aqui melhor explicado por exemplo electricidade baixa taxa de iva de 5,5% para 5%
    restauração e hoteis passa para 10%
    Aqui como se sabe 23% em ambas
    http://expresso.sapo.pt/hollande-reduz-impostos-de-empresas-mas-desiste-da-tsu-a-francesa=f764727

    Gostar

  24. jonas permalink
    6 Novembro, 2012 18:12

    Pretende engrolar-nos, LR, indecentemente. O trabalhador francês ganha mais que o português, à partida, de modo que os custos salariais terão bastante mais aí por onde dar. Dispois, Hollande reduz assim também, que nos conste, os ‘custos’ com os mais ricos, como se não vê a tal nível, por cá, ao ponto que os gajos se queixam, desde quando não há já respeito pela malta gorda, em França?, desde 1789?, protestam eles, desde quando, pá ?

    Gostar

  25. jonas permalink
    6 Novembro, 2012 18:15

    O Hollande, o farol do Tozé e da esquerda socretina portuguesa, é incriticavel em Portugal. A C da ilveira
    O Hollande nem deve ser difícil de defender, comparado com o nosso mentiroso, desonesto, o incompetente passos, presunçoso, amigo pretenso de banqueiros, dado aos negócios de relvas, do pior que nos podia ter acontecido, um zero à esquerda e porém pavão .

    Gostar

  26. 6 Novembro, 2012 18:18

    Estarão a ser assessorados por Camilo Lourenço? E que tal a Lusa fazer o seu papel e perguntar ao senhor seguro se a França ficará em vantagem ou desvantagem competitiva em relação a Portugal? Ou se -24% x 14 meses no valor do imposto não teria nenhum efeito nas pequenas empresas às portas da falência. Claro, seria pedir muito. Já se nota que agora o defeito estava apenas na fonte dos 8%, mas disto quem pode falar são os hipermercados ou os barões das associações comerciais e industriais.

    Gostar

  27. 6 Novembro, 2012 19:59

    Bola Fora
    “Merkel pede mais cinco anos de austeridade e esforços” (in Publico)

    Mais uma bola fora da Chanceler, a juntar a tantas outras que a corrente dominante das economias do norte, tem persistentemente colocado fora, do que deveriam ser as linhas de jogo dos lideres europeus.

    Não está em causa a necessidade dos Estados, que engordaram demais e se endividaram demais, terem que passar por um programa de reforma (emagrecimento) e austeridade (poupança e libertação de meios para liquidação da divida acumulada). O que está em causa é considerar-se que esse é o único exercício, obstinadamente imposto, capaz de libertar a zona euro da asfixia das dividas soberanas.

    E no entanto, uma boa parte dos economistas mais proeminentes da Europa e do mundo, tal como em tempos avisaram das fragilidades no modelo de criação do euro, andam a avisar, há pelo menos dois anos, dos riscos de uma espiral recessiva , social, económica e política, que resultará de um modelo unico de austeridade intensiva, sem medidas compensatorias capazes de acalmar e estabilizar a confiança dos mercados financeiros, e dando espaço de manobra a que economias e Estados tenham o tempo e as condições de recuperação e de implementação das reformas necessárias.

    E que medidas compensatorias deveriam os credores implementar?

    Sumariamente:
    a) Dinamizar uma maior coordenação das dividas soberanas, escudando as economias mais frágeis dos movimentos bruscos e descontrolados do mercado. Uma mutualização parcial e gradual, acompanhada de um modelo mais equitativo do refinanciamento da divida e do acesso ao crédito de todos os competidores da euro zona.
    b) Aceitar temporariamente uma maior inflação, permitindo um crescimento nominal superior, e contribuindo assim para uma saída mais célere do actual nivel de endividamento;
    c) Manter sob a responsabilidade das economias nacionais a liquidação da parte mais significativa da respectiva dívida, como forma de pressão para a implementação das reformas necessárias e da redução dessa divida, eliminando o risco moral de “pagarem os credores pelos vicios dos devedores”.
    d) Criar os mecanismos de controlo ( que funcionem , ao contrário de como não funcionaram no passado!), para que se caminhe para o desejado objectivo de níveis sustentáveis de divida soberana de todos os Estados membros.

    Diz o ditado: “o que nasce torto , tarde ou nunca se endireita”. Ditado que se aplica como uma luva à história do euro, desde as frágeis fundações em que foi construido, até às mezinhas insuficientes com que os lideres políticos e económicos têm tentado debelar o mal profundo que dia após dia contribui para a lenta mas inexorável corrosão de todo o projecto da União Europeia.

    Diz também outro ditado:”mais vale tarde do que nunca”. Ditado que precisaríamos de ver aplicado a este propósito, antes que seja tarde demais.

    Gostar

  28. PiErre permalink
    6 Novembro, 2012 20:06

    Tendo em conta que, desde sempre, o povo português é um povo civilizado, cordato, amável, pacífico, sereno, manso, e, sobretudo, altamente patriótico, o Governo só teria a ganhar se tornasse os impostos facultativos e voluntários.
    Assim o Estado decerto obteria muito mais receitas, pois certamente muitas pessoas estariam dispostas a pagar de livre vontade muito mais do que pagam por obrigação. Não é o meu caso, é certo, mas um entre milhões não faz diferença. Além disso, podem sempre contar comigo para dar apoio moral às grandes e justas causas…

    Gostar

  29. Fincapé permalink
    6 Novembro, 2012 20:55

    Pelos vistos, Passos Coelho, que não subiria impostos, quando subiu o IVA esqueceu-se de descer a TSU.
    As memórias já não são o que eram e esquecimentos qualquer um pode ter. Uf!

    Gostar

  30. A. R permalink
    6 Novembro, 2012 21:31

    Chego a ter compaixão pela esquerdalha. Sai-lhes tudo mal. Coitados … mas até merecem.

    Depois de ver a Obama fêmea a fazer flexões e soprar numa corneta ver um porco a resolver a equação de Schorodinger não me deixa surpreendido.

    Gostar

  31. Portela Menos 1 permalink
    6 Novembro, 2012 21:53

    só ainda não percebi como é que os inteligentes da direita ainda consideram este PS de esquerda.

    Gostar

  32. PiErre permalink
    6 Novembro, 2012 22:04

    Já não há direita nem esquerda no mundo político. Todos são socialistas e, portanto, estatistas.

    Gostar

  33. General permalink
    6 Novembro, 2012 23:29

    Todas as medida da Real Alteza D.Passos de Massamá acessoradas por D.Relvas de Tomar e executadas por D. Gaspar de Manteigas são más , porque eles são maus !

    Gostar

  34. JCA permalink
    7 Novembro, 2012 01:13

    .
    China Is Quietly Becoming Gold Superpower
    http://www.washingtonsblog.com/2012/11/china-becoming-gold-superpower.html
    .
    Se assim for, os primeiros a estoirar seriam/serão,
    .
    a Alemanha, o eixo franco-alemão, a União Eurpeia e o Euro são os primeiros a gripar, e mais depressa que se supunha.
    .
    Nós vamos no embrulho porque se está no que se chamam ‘arco do poder, complementares e afins a favor contra’ a ‘encher pneus’ de grande por essas ditas ‘Instituições’ fora.
    .
    Não explico mais não só por inoportuno com também por respeito pela liberdade da elite em poder que implica mesmo o direito de assumir as responsabilidades pelos resultados que proclama, e no caso, vai ser mesmo por falta de margem para não e.
    .
    principalmente porque o Povo já está desinquieto de mais e não é preciso que eu também ‘dê para esse peditório’, chegam bem os que andam com as ‘latas na rua a pedir para esse peiditório’. Nem dou para bota-abaixos
    .
    É a vida

    Gostar

  35. Wall Streeter permalink
    7 Novembro, 2012 07:22

    CRETINISMO é pretender como equivalentes um aumento no IVA e um aumento da TSU.

    Gostar

  36. Luis permalink
    7 Novembro, 2012 09:52

    Não houve nenhuma redução das contribuições sociais. São subsidios fiscais às empresas.

    Gostar

  37. JCA permalink
    7 Novembro, 2012 10:25

    .
    Desde 2008 que a derrocada insoluvel em curso na Economia, Poder de Compra, OffShores, Empregados, Empregadores, Exportações, Subsituição de Importações por Produção Nacional, Saúde, Educação, Pensões e Reformas, Funcionalismo Publico, Apoio no Desemprego etc
    .
    se deve EXCLUSIVAMENTE ao modelo fiscal que irracionalmente teimam em manter e cada vez mais se afunda e afunda as Familias, Empregados, Empregadores, Funcionarios Publicos, Pessoal Militar e Militarizado. Uma ‘geral’.
    .
    O resto são tretas de demagogos a ‘meterem àgua por todos os lados’, incapazes de INOVAREM, de pensarem NOVAS soluções politicas,
    .
    chico espertices de puros oportunistas e arrivistas, que cada vez mais prejudicam e empobrecem as Familias, Empregados, Empregadores, Funcionarios Publicos, Pessoal Militar e Militarizado
    .

    Gostar

  38. JCA permalink
    7 Novembro, 2012 10:44

    relembro passados quase 5 anos (publiquei em 2008):
    .
    9 REFORMAS pacificamente revolucionárias’ MAIS 3 ADICIONAIS para instaurar o LIBERALISMO AVANÇADO com sustentação dos DIREITOS CIVILIZACIONAIS IRREVERSÍVEIS DOS PORTUGUESES (universalidade da Educação, Saúde, Pensões, Idade de Reforma razoável e Solidariedade com os Desempregados) para PORTUGAL se resolver e solucionar,
    .
    mas estão muito atrasadas as mais PRIORITÁRIAS e DE FACTO ESSENCIAIS ‘IMPOSTOS E FISCALIDADE’ + ‘AMNISTIA FISCAL’ + ‘SEGURANÇA SOCIAL’ (empatadas por ortodoxias e micro lobies que estão a prejudicar os Cidadãos, Famílias e Empresas Portuguesas em muitos milhares de milhões),
    .
    que fabricarão o NOVO, um TECIDO ECONOMICO LUCRATIVO, que reacenderá aceleradamente a Economia, Criação de Riqueza, Emprego e estancamento da Emigração tirando-nos do ‘caótico’ e do ‘sem futuro, sem esperança, sem confiança, sem acreditar’.
    .
    É um Programa do CAPITALISMO, embora pareça Marxista na ainda acanhada Democracia Portuguesa:
    .

    -APROVAÇÃO PELA AR e EVENTUAL INCLUSÃO POSTERIOR NA CONSTITUIÇÃO (embora não necessária):
    .
    1) RACIO máximo PIB/Carga Fiscal
    .
    2) RACIO máximo PIB/Despesas do Estado (*) (APROVADO)
    .
    (*) Provocadora da Reforma séria da estrutura de Governança, da Burocracia Publica e do Orçamento Geral do Estado. A ultrapassagem destes racios só viabilizada por 2/3 ou 3/ 4 de votos da AR.
    .
    -BANCA EM PORTUGAL e GARANTIA DOS DINHEIRO DOS DEPOSITANTES:
    .
    3) SEPARAÇÂO ABSOLUTA da Banca Comercial de quaisquer actividades especulativas nomeadamente Sociedades de Investimentos Financeiros ou Hedge Funds, para protecção absoluta das Poupanças e Dinheiro dos Depositantes para regresso da confiança nos Bancos.
    .
    4) TAXA PARA GARANTIAS BANCÁRIAS calculada sobre todos os negócios e receitas da Banca robustecendo financeiramente o Fundo de Garantias Bancárias para devolver a qualquer momento os Depósitos dos Cidadãos, Empresas e Entidades Publicas que confiaram no Banco que ficou inviabilizado, faliu ou fechou (APROVADO HOJE NO PARLAMENTO EUROPEU)
    .
    .
    -IMPOSTOS E FISCALIDADE:
    .
    5) ABOLIÇÃO de todos os Impostos substituindo-os por um único: INU – Imposto Nacional Único colectado sobre tudo o comprado e facturado dentro de Portugal (**)
    .
    (**) Pagamento dos Ordenados Brutos aos Empregados pelas Entidades Patronais.
    .
    6) AMNISTIA Fiscal para estancar o estado de falência do Tecido Económico Nacional e a insolvência dos Cidadãos, já praticado antes e depois do 25 de Abril.
    .
    .
    -SEGURANÇA SOCIAL:
    .
    7) ABOLIÇÃO dos Descontos mensais de Empregadores e Empregados substituindo-os pelo IUSS – Imposto Único de Segurança Social colectado sobre tudo o comprado e facturado dentro de Portugal (***)
    .
    (***) Pagamento dos Ordenado Brutos a todos os Empregados pelas Entidades Patronais.
    .
    8) Instauração da PENSAO NACIONAL UNICA, igual a 2 ou 3 vezes o SMN-Salario Mínimo Nacional, universal e igual para todos os Reformados Portugueses (****)
    .
    9) Criação do Fundo Nacional de REFORÇO DA PENSÃO NACIONAL UNICA, gerido pelo Estado, para quem queira depositar mensalmente um valor incerto a qualquer momento para assegurar um reforço publico do valor mensal da Pensão Nacional Única atingida a idade de reforma até ao falecimento (****)
    .
    (****) Na transição do velho para o novo Sistema, passariam para o Fundo de Reforço da Pensão Única, os valores já descontados por Empregados e Empregadores correspondentes à diferença entre o valor da Pensão Única e a Pensão em vigor no momento da Inscrição na Segurança Social
    .
    .
    -MEDIDAS ADICIONAIS PARA REFORÇO DA SUSTENTAÇÂO DOS DIREITOS CIVILIZACIONAIS IRREVERSIVEIS DOS PORTUGUESES na Civilização Europeia avançada no Mundo:
    .
    a) Idade de reforma cerca dos 55 anos para desempastelar POSTOS DE TRABALHO PARA OS JOVENS, NOVOS LICENCEADOSe DESEMPREGADOS: admissão obrigatória de jovens ou desempregados até ao limite do ordenado que o reformado auferia.
    .
    b) Libertar os Encarregados de EDUCAÇÃO, a tool de admnistração dos dinheiros dos impostos de todos geridos pelos Governos, o ‘CHEQUE-EDUCAÇÃO’ de valor fixo e igual para todos:
    .
    cada um endossa o Cheque-Educação à Escola que LIVREMENTE escolhe para os filhos seja publica ou privada ou cooperativa (*****).
    .
    (*****) Na Educação não há lugar a P.P.P’s ou outras invenções politicas mais ou menos monopolistas arrasadoras da Economia e da Livre Concorrência, destruidoras das regras de mercado capitalistas em prejuizo dos impostos pagos pelos Portugueses.
    .
    c) SAÚDE, a tool de admnistração dos dinheiros dos impostos de todos geridos pelos Governos, o ‘CHEQUE-SAUDE’ de valor fixo e igual para cada tipo de prestação e ato medico ou hospitalar: cada um endossa o Cheque-Saude ao prestador do serviço de Saúde que LIVREMENTE escolhe, seja publica ou privada ou cooperativa, que escolha para Si ou para os seus (******).
    .
    (******) Na Saúde também não há lugar a P.P.P’s ou outras invenções politicas mais ou menos monopolistas arrasadoras da Economia e da Livre Concorrência, destruidoras das regras de mercado capitalistas em prejuizo dos impostos pagos pelos Portugueses)

    Gostar

  39. 7 Novembro, 2012 10:58

    Faz lembrar os tótós e os doentes paranóicos e cínicos ( políticos….”jornalistas”….”intelectuais”…e outros casos graves) que andaram por aí a dizer
    Hollande abre a boca e diz: CRESCIMENTO……..e logo, de forma mágica, o PIB sob no mínimo 10%
    e diz: AUSTERIDADE…NUNCA………..(mas sobe logo os impostos)
    esses desgraçados (as) mentais espalharam essas atoardas como se fossem certezas científicas
    coitadinhos(as)
    mas temos q os aturar nas TVs…rádios…jornais………e muitas vezes á custa dos impostos de quem trabalha
    desgraçado Ocidente………com opinion makers tão nojentos…….que intoxicam tão descaradamente o zé povinho

    Gostar

  40. António permalink
    7 Novembro, 2012 11:18

    Eu só queria essas taxas de iva em Portugal…

    Gostar

  41. 7 Novembro, 2012 12:42

    É curioso não é? Muito bem apanhado, este exemplo de hipocrisia e populoso socialista ‘a la francaise’.

    Vou partilhar na pagina facebook do Antologia.

    O Autor

    Gostar

  42. Tiradentes permalink
    7 Novembro, 2012 14:31

    Os socialistas, portugas ou francius só são de esquerda quando os revisionistas falam da direita. No momento em que ganha a esquerda socialista eles passam a ser fássistas …ora então.
    Também não se pode bem considerar de esquerda partidos que convivem bem com eleições e com representatividade através do vot pois isso é apenas uma criação burguesa e reccionária.
    Esquerda esquerda não atura essas coisas e caso pudesse metia-os a todos no campo pequeno, isto na falta da sibéria.
    à porta teríamos o portelita armado da sua kalash para não deixar fugir os sabotadores das suas ideias .

    Gostar

  43. Fernando S permalink
    7 Novembro, 2012 14:47

    Tudo isto mostra que o berreiro que se fez em Portugal contra a dita medida de baixa da TSU foi um autentico delirio e um disparate que nos vai sair caro. Mesmo um socialista como Hollande, à frente de um pais bem mais desenvolvido e numa situação bem menos dificil do que Portugal (“merci Sarkozy !”), esta a fazer uma parte do caminho de ajustamento que outros paises mais desenvolvidos, como a Alemanha e os paises escandinavos, fizeram antes e que um pais menos competitivo como Portugal teria agora todo o interesse em fazer rapidamente e em força para tentar recuperar algum do tempo perdido. Como se a França precisasse mais do que Portugal de uma baixa do custo do trabalho !… (certo, os salarios são superiores em França … mas também a produtividade do trabalho e a eficiencia global da economia !!)
    .
    Ja agora, o financiamento da baixa da TSU pelo aumento da cotização dos trabalhadores para a SS era mais eficiente e menos penalizador para os baixos rendimentos do que é o aumento da TVA. Mais eficiente porque o choque fiscal era maior e, por isso, mais favoravel para as empresas e para o emprego. Mais socialmente aceitavel porque, ao contrario do que se passa com o aumento da TVA, nem os salarios mais baixos nem os pensionistas nem os desempregados eram afectados.

    Gostar

  44. JCA permalink
    7 Novembro, 2012 14:57

    .
    E entretanto os xinas cagam-se a rir das “”elites”” da Europa e dos EUA. Nada contra, no reino dos cegos quem tem olho é rei e quando não se tem cão caça-se com gato. E o ouro e o money cai lá que “nem tordos”
    ,
    e estas nossas ‘elites’ que se proclamam elites, estadistas de alto coturno ‘acima de nós não há mais ninguém, somos unicos’,
    .
    os ‘filosofos”, os ‘ideologos’, os ‘politicos que o sonho quando falam era serem jornalistas, falam tal qual como jornalistas’ , a ‘rapaziada do tango’ estão “academicamente, cientificamente, catedraticamente’ a fazer merda até dizer chega. A unica coisa que gritam como ‘elite superior’ é ‘emprestem-nos mais dinheiro, baixem-nos os juros, aumentem os prazos de pagamento’, precisamos de continuar ‘a ganhá-lo aos balurdis no fim do mês sem resolver nada, não sabemos como fazer, nunca soubemos criarriqueza, nem como se faz, somos teoricos, nem que arrebentemos com os Direitos Civilizacionas (impropriamente chamados por eles de ‘estado social’), o nosso é que está acima da Nação e dos ‘escravos’ que tiveram o azarde nascer na nerda que criámos e é noss’
    .
    Pois é.
    .
    A visita da Merkel anda um bocado atrapalhada por aqui, embora não seja santa nenhuma. Puxa paraos seus, coisa que por cá não sucede, não ‘merkels de direita’, nem de ‘esquerda’ nem dessa coisa cinzenta que chamam de ‘centrão’ que nem fornica nem sai de cima, o chamado emplastro dos que não ‘levantam o facies da cadeira’ num para quê ‘estar-me a chatear’ mas que depois desatam a gritar na rua contra aquilo que se deve APENAS á sua inercia, ronha e manha de calões, embora não todos.
    .
    Pois é. Mudar tá quieto, não vale a pena há sempre alguém que pague a conta, seja batendo com os costaços no Desemprego, seja obrigar milhares de Empresas a fecharem as portas à força do modelo e da carga fiscal para sustentar os tais etc etc
    .
    Obviamente que este ‘projeto, este rumo das elites para Portugal’ ardeu. Mas eles pensam enquanto o pau e vem’ folgam as costas. Só que sonham, já não há pau nem costas a irem e virem. Resta-lhes a saida final: chantagearem o Euro e a União Europeia ou requereem a pensão de reforma e darem lugar a NOVOS que saibam defender a Democracia e a Liberdade,
    .
    ou a cruel, já nem num Hotel um gajo pode estar à vontade que ao que dizem até alugam quartos ao lado para nos ‘chegarem a roupa ao pêlo ou partirem-nos a tromba” porque anormalizámos tudo porque somos a ‘elite’
    .
    Francamente a macro situação já ultrapassa tudo, ainda não perceberam que descontrolaram e não controlam nada ? Dasse
    .

    .

    Gostar

  45. Fernando S permalink
    7 Novembro, 2012 15:02

    De notar que o anterior presidente frances, Nicolas Sarkozy, no final do seu mandato ja tinha tomado uma medida de baixa do custo do trabalho financiada por um aumento da TVA. Esta medida foi anulada por François Hollade logo que chegou ao poder, ainda a tempo de o ajudar a ganhar as eleições legislativas que tiveram lugar um mes depois. Hollande acaba por voltar atras com uma medida muito semelhante, mas com o inconveniente de ter perdido ainda mais tempo, de baixar menos o custo do trabalho (13,5 mil milhões de Euros com Sarkozy ; 7 mil milhões com Hollande), da medida começar a ser aplicada mais tarde (Outubro de 2013 com Sarkozy ; Janeiro de 2014 com Hollande). Mas mais vale tarde e pouco (França) do que nunca e nada (Portugal). Mercemos continuar na cauda da Europa !!

    Gostar

  46. JCA permalink
    7 Novembro, 2012 15:15

    .
    E curiosamente nem sou adepto da violência porque a vida proporcionou.me sobreviver na guerra e depois ter visto ao vivo tantas guerras o que me exponenciou o pacifismo até ao limite máximo, mesmo no limite maximo, entendido que a guerra surge sempre do hiper abuso dalguns desorientados emocionais que se arribram do poder aventureiramente,
    .
    simplesmente isto,
    .
    e a simplicidadade é o maximo da sofisticação, lá o disse da Vinci há uns bons 500 anos.
    .
    ou ainda não aprenderam tanta livralhada leram sem se libertarem dos alfarrábios ou não são capazes e andam por lá a armarem-se à custa de ‘cabular e copy and past que traduzem e mudam paragrafos e palavras para se armarem aos cucos com o que nunca foram capazes, copiam’. O que vai dar ao mesmo,
    .
    verdade. verdadinha é que ninguém tem que os aturar, sequer embasbacar-se com eles. Foi chão que já deu uvas, enquanto o ‘papel, money’ chegava para todos, menos que para uns que para outros, mas ia chegando para todos. Mas isso acabou.
    .
    Ou há unhas ou não há. E estão muito pelo sabugo com a rapaziada do mais do mesmo, do costume, sempre os mesmos. Nada contra eles, até a favor deles porque a fatura pode ser-lhes muitissimo pesada mas estou convendido que pensam que não, como o costume, o hábito.
    .

    Gostar

  47. JCA permalink
    7 Novembro, 2012 15:29

    .
    Sem ofensa a ninguém, vamos lá partir a loiça,
    .
    desculpem lá mas Sarkozy’s para um lado e Hollande’s para o outro, não vejo aqui nenhum comnetário a explicar a “França” que exatamente neste momento é muito além de explicações ‘Sarkozy’s, Hollande’s e raparigada de casórios e não casórios afins’,
    .
    o resto é perder tempo com ‘romances, folhetins e “revistas de parque mayer” tipicos de certas elites provinciano tugas em bicos de pés para tentar dar nas vistas ou ‘pescar para ver se alguém lhe passa cartão’,
    .
    no interesse de Portugal interessa discutir ‘França’ e não amizades ou beija-mãos a Sarkozy´s e Hollande’s, a menos que assumamos que já não passamos dum protetorado tão longe dum membro da União Europeia ou sócio do Euro,
    .
    mas se assim for assumam,
    .
    não andem a tentar enganar o que supoem ser embasbacados ou ignorantes porque perdem, se já não perderam, o seguro de vida.
    .
    Agradecia que me esclarecessem não por uma questão de não saber,
    .
    isto não melhora, cada vez está pior, é ‘só musica’ ouve-se na esplanada do ‘café’
    .

    Gostar

  48. Fernando S permalink
    7 Novembro, 2012 15:58

    JCA : “…não vejo aqui nenhum comnetário a explicar a “França” que exatamente neste momento é muito além de explicações ‘Sarkozy’s, Hollande’s e raparigada de casórios e não casórios afins’ … o resto é perder tempo com ‘romances, folhetins e “revistas de parque mayer” tipicos de certas elites provinciano tugas em bicos de pés para tentar dar nas vistas ou ‘pescar para ver se alguém lhe passa cartão’,…”
    .
    Venha então essa explicação de quem não é “élite provinciano tuga em bicos de pés” !!…..

    Gostar

  49. Francisco Colaço permalink
    7 Novembro, 2012 23:17

    JCA,
    .
    Nas vésperas do congresso, saíram da China uns estimados USD 200.000.000.000, ou mais de um PIB anual português, postos a salvo pelos ricaços do sítio em bancos d’alhues. Talvez lá tenham um Hollande “soissante-quinze” ou então, e se calhar é esta a razão, não confiam no que vai sair do congresso. Que sabem eles que eu e outros sinófilos não sabemos?
    .
    Como já é público, posso dizer o que sabia já há duas semanas. O Warren Buffet e outros miliardários americanos têm vendido as acções americanas discretamente, colocando-as no mercado antes e durante as eleições. Hoje houve já uma queda de cerca de 2,5% na bolsa de Chicago, apenas até ao momento, e isto vai cair ainda mais nos próximos dias. Espero que me engane.
    .
    Não se esqueça que ter ouro não é riqueza nenhuma se não houver quem dê nada por ele. Coloque uma pessoa com todo o ouro do mundo numa ilha deserta, negando-lhe a possibilidade de comércio, e ele será, pesando estar numa montanha de ouro, o mais pobre de todos os homens.

    Gostar

  50. Francisco Colaço permalink
    7 Novembro, 2012 23:26

    Finalmente,
    .
    NEW YORK (CNNMoney) — A sell-off on Wall Street gained momentum Wednesday, with the Dow closing below 13,000 for the first time in three months, as investors focused on how President Obama plans to avoid the fiscal cliff after he won re-election Tuesday night.
    .
    A weak outlook for economic growth in Europe and European Central Bank president Mario Draghi’s warning of a slowdown in Germany also weighed on the market.

    .
    Quem sobe (pois há quem suba): saúde e retalho. Tudo o que é industrial anda pelos 5% de queda.
    .
    Como lhe digo, JCA, acha mesmo que os americanos foram espertos em reeleger o pascácio que os colocou de calças na mão com dívida PÚBLICA de 102% do PIB (recebeu-a do Bush há quatro anos a cerca de 65% do PIB). Será que o Obama, depois de dois anos, também foge para Paris estudar filosofia? 😀

    Gostar

  51. JCA permalink
    8 Novembro, 2012 01:00

    .
    Francisco basta viajarmos até aos primeiros 40 anos do seculo passado, quase a ‘papel quimico’ o que se passa hoje mas bem mais alargado, para perceber que Roosevelt é que safou a coisa, em especial como meteu na ordem a Banca. Para não perturbar as àguas fico-me por aqui.
    .
    Sobre “USD 200.000.000.000, ou mais de um PIB anual português” ao mesmo tempo por exemplo só aqui dos nossos vizinhos ao lado saiam contentores de Euros (mesmo contentores e parece que nãp chegava) no sentido inverso … No ‘deve e haver’ …
    .
    Não tenho nada a favor nem contra os xinas, quem tem unhas é que toca viola e não tem culpa que os outros a roam até ao sabugo enquanto voam por cima de ninhos de cucos. Portanto …
    .
    Sobre o ouro não serve para padrão moeda porque aparece muito mais VIDA a nascer que essa coisa a que chamam ouro a aparecer debaixo dos calhaus. até lhe ´chamam raridade. Moeda é uma coisa, ouro é outra, são diferentes, uma é Vida, a outra são calhaus mortos.
    .

    Gostar

  52. JCA permalink
    8 Novembro, 2012 01:34

    .
    Fernando S “Venha então essa explicação de quem não é “élite provinciano tuga em bicos de pés” !!…..”
    .
    a que assume o que fará e não o que não fará.
    .
    sem desprimor por qualquer Partido ou Instituição onde como em qualquer outro sitio há de tudo sejam Situação ou Oposição incluindo a que discursa o que não faria mas mas não dize o que faria deixando subjacente que apenas não sabe o que há-de fazer, sem qualquer extrapolação ou justiicação da minha parte a favor ou contra qualquer circunstancia do momento atual. São outros temas fora destadefinições perguntadas
    .
    Se não concordar com a simplicidade da explicação replique para forçar mais luz neste tema
    .

    Gostar

  53. Portela Menos 1 permalink
    8 Novembro, 2012 02:01

    Tiradentes, Posted 7 Novembro, 2012 at 14:31
    .
    um discurso um bocado “aziático” que passa com uma ida à farmácia de serviço.

    Gostar

  54. Francisco Colaço permalink
    8 Novembro, 2012 08:17

    JCA,
    .
    Quando até o George Soros (sim, o tal dem.íssimo Soros!) acabou de vender quase tudo ou tudo o que tinha em bancos, e o tem feito desde antes das eleições, e continuava ontem, será que ele sabe algo que eu não sei? Isto é o que me pergunto.
    .
    Sei disto desde há duas semanas, de um tipo qualquer que me pediu para não o revelar, para não colocar a sua própria posição em perigo. Ontem de manhã ficou tudo público e por isso já posso falar livremente.

    Gostar

  55. JCA permalink
    8 Novembro, 2012 13:37

    .
    Francisco, é.
    .

    Gostar

  56. Fernando S permalink
    8 Novembro, 2012 14:06

    JCA : “Se não concordar com a simplicidade da explicação replique para forçar mais luz neste tema”
    .
    Não é uma questão de concordar ou não concordar…
    O meu amigo fez um ponto de ordem sobre a metodologia da discussão dizendo que o que estava a ser discutido era tipico das ““élites provinciano tuga em bicos de pés” e que o que era preciso era uma explicação sobre a França …
    Mas não vejo nenhuma explicação sua, simples ou complexa, nem sobre o porque é que falar das medidas de politica economica de Hollande e Sarkozy em França e fazer um paralelo com a situação em Portugal é tipico das ““élites provinciano tuga em bicos de pés”, nem sobre o que é que interessa verdadeiramente discutir no que respeita à França ….
    .
    De resto, o JCA também não explica o que é que entende por uma “elite” (?!…) que “assume o que fará e não o que não fará”.
    Ha quem, como eu, acha que é importante que haja “choques” fiscais a favor das empresas para promover a competitividade e que estas medidas não devem ser financiadas por empréstimos e aumento da divida mas sim através do corte de despesas publicas e, na medida no necessario, do aumento temporario de outros impostos e contribuições que incidem naturalmente sobre as familias em geral (caso do imposto sobre o rendimento e do IVA) ou sobre certas categorias profissionais (caso das contribuições para a SS).
    E ha quem pense que, pelo contrario, são necessarias medidas favoraveis ao poder de compra das familias, eventualmente completadas por outras medidas fiscais a favor das empresas, mas tudo isto sem austeridade e financiado por déficit e endividamento do Estado.
    O post que deu inicio a esta discussão chama a atenção para as medidas agora decididas pelo governo frances e que vão no sentido de uma baixa de impostos sobre as empresas financiada por mais austeridade, cortes nas despesas publicas e aumento de impostos sobre as familias. Estas medidas, mesmo que possam ser ainda timidas e incompletas, vão no bom sentido e vão no sentido da medida dita da TSU que o actual governo portugues, com a concordancia da Troika, tentou implementar mas que suscitou uma forte oposição de diversos sectores da sociedade portuguesa.
    Nos seus comentarios aqui em cima não vejo o JCA “assumir” uma posição sobre este assunto, nem em termos do que não fará (faria) nem em termos do que fará (faria) !!

    Gostar

  57. 8 Novembro, 2012 16:45

    mas não subiram já o iva cá ? acho que sim , e bastante , portanto , estando tomada metade da medida nada os impede de imitarem o hollande à letra e descerem a tsu como queriam , não é ?

    Gostar

  58. Fernando S permalink
    8 Novembro, 2012 18:23

    Me : “mas não subiram já o iva cá ? acho que sim , e bastante , portanto , estando tomada metade da medida nada os impede de imitarem o hollande à letra e descerem a tsu como queriam , não é ?”
    .
    Não, não é …
    Em Portugal o IVA foi aumentado para reduzir o défict.
    Quando o programa da Troika começou chegou a falar-se de um aumento ainda maior do IVA para financiar uma descida da TSU. Mas, na altura, o governo portugues preferiu moderar a subida do IVA e previligiar o combate imediato ao déficit (o qual, efectivamente, desceu em 2 anos de cerca de 10% para cerca de 5% do PIB ; em contrapartida o desemprego aumentou ainda mais do que o previsto).
    Mais recentemente o governo de Passos Coelho procurou financiar uma baixa da TSU aumentando a contribuição dos trabalhadores para a SS. O que seria neutro em termos orçamentais. Mas, face à forte oposição interna, esta possibilidade foi abandonada. Chegou ainda a estar em cima da mesa a possibilidade de financiar a medida através de um aumento de impostos sobre o rendimento das familias, de todas as familias tributaveis. Sempre de modo neutro em termos orçamentais.
    Mas a oposição a qualquer “presente ao capital” (?!!…) manteve-se e, para mais, perante a decisão do Tribunal Constitucional contraria a maiores cortes das despesas publicas com vencimentos e pensões, e tendo em conta as previsões mais negativas relativamente à conjuntura, o governo acabou por reservar o aumento adicional de impostos para o esforço de combate ao déficit. Ou seja, deixou de haver margem para uma baixa da TSU.
    Em França a situação é diferente. A margem do governo frances é maior, tanto no que se refere a cortes imediatos nas despesas publicas como no que se refere à possibilidade de aumentar certas taxas do IVA, à partida mais baixas do que em Portugal. No fim de contas, quer porque a situação das finanças publicas da França é bem menos grave do que a de Portugal, quer porque os governos de Sarkozy foram adiando ao maximo uma politica de austeridade mais forte, a margem para financiar uma baixa do custo do trabalho sem agravar o déficit orçamental é maior em França.
    Dito isto, e mesmo assim, uma baixa do custo trabalho é ainda mais necessaria em Portugal do que em França e o abandono da possibilidade de o fazer ja com o orçamento para 2013 foi uma oportunidade perdida e um grande erro “nacional”. O pais precisa de baixar ainda mais o custo do trabalho e tem de encontrar os meios e a modalidade para o fazer o mais rapidamente possivel.

    Gostar

Trackbacks

  1. A cretinice bovinotécnica do blogue Blasfémias é infinita « perspectivas

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: