Skip to content

Para quando a Avenida António Oliveira Salazar?

8 Junho, 2013

Não tenho nada contra a existência de uma avenida Álvaro Cunhal. Aliás parece-me bem mais apropriado termos uma avenida Álvaro Cunhal do que uma Rua Che Guevara. O que fico à espera é da inauguração da Avenida António de Oliveira Salazar, de quem se pode dizer ipsis verbis aquilo que  o presidente da CML declarou sobre  Álvaro Cunhal na inauguração da avenida que leva o nome do dirigente do PCP  . Basta substituir Álvaro Cunhal por António Oliveira Salazar e está pronto:  ” Falo no seu exemplo de seriedade pessoal, da coragem na adversidade, da audácia na ação, da capacidade de resistir e de persistir, da clareza nos propósitos e objetivos, da firmeza e da tenacidade na luta”,  (…) Segundo António Costa, “qualquer que seja o juízo que se tenha” das ideias e do legado político de Álvaro Cunhal, “ninguém lhe pode negar a entrega total e pessoalmente desinteressada àquilo em que acreditava, a coerência firme e inflexível, a militância constante e determinada, a fidelidade e a devoção aos seus princípios ideológicos e políticos”. “Ao atribuir o nome de Álvaro Cunhal a uma avenida da nossa cidade, a Câmara Municipal de Lisboa cumpre a sua responsabilidade institucional na construção de uma memória coletiva aberta, plural, tolerante e atualizada”, defendeu, acrescentando mais tarde que o líder histórico do PCP “era uma figura imprescindível no espaço público da cidade de Lisboa”.

Advertisements
114 comentários leave one →
  1. Luís Marques permalink
    8 Junho, 2013 20:51

    Vem aí tormenta

    Gostar

    • 8 Junho, 2013 20:55

      A tormenta salazarista durou desde 1926 a 1969. De 1969 a1974, ainda a tormenta salazarenta embora Marcello Caetano a tivesse aligeirado q.b..

      Gostar

      • 8 Junho, 2013 21:07

        E acabou com a desgraça a que a primeira república tinha conduzido o país!

        Gostar

      • 8 Junho, 2013 22:40

        1926? Salazar esteve no golpe de 1926? não sabia. Nem eu nem a maioria dos historiadores. Parabéns pela descoberta.

        Gostar

      • 9 Junho, 2013 14:28

        Com crescimento do PIB de 10% ao ano.
        Na década de 60 Portugal era um dos países do mundo que mais crescia.

        Gostar

    • 8 Junho, 2013 21:06

      vc., “Luis Marques”, é uma lebre de HMatos ? Ou é a própria ? É que quase sempre que ela coloca um post, vc. antecede ou intercala os comentários avisando que “vem aí tormenta” ou algo no género…

      Gostar

      • comunista corno permalink
        8 Junho, 2013 22:44

        e tu és o quê?

        Gostar

      • 9 Junho, 2013 17:05

        Já todos sabemos quem é “Luis Marques”! Não é verdade senhora de Matos?

        Gostar

  2. 8 Junho, 2013 20:52

    Esse discurso de ACosta foi escrito por HMatos, para ter um pretexto para este post.
    ACosta não o quis, mas HMatos colocou-lhe um pózinho na narina e, coitado, teve de lê-lo. Neste momento está arrependido.
    “Em meu nome pessoal”, não me afecta uma Av. António Oliveira Salazar numa capital de distrito. Por que não, HM, um distrito com o nome “Oliveira Salazar” ?

    Gostar

  3. 8 Junho, 2013 21:13

    Por que não, já que a ponte com o seu nome foi banida no 25A, mostrando como a revolução se preparava para dispor das obras alheias. E assim chegámos a “isto”!

    Gostar

    • 8 Junho, 2013 21:32

      Também não me oponho às romarias à casa onde nasceu Salazar e ao cemitério em Santa Comba Dão.
      Há anos, aqui no Blas, defendi um Museu AOSalazar (em SCDão ?), onde se possa preservar, conhecer e estudar o que deixou e fez.

      Gostar

    • 9 Junho, 2013 14:30

      A ponte sobre o Tejo (o melhor será não haver nada com nome de políticos vivos), construída sem empréstimos e ppp

      Gostar

  4. Luís Marques permalink
    8 Junho, 2013 21:16

    Estimado MRJB, não seja maníaco, o meu nome é Luís Manuel Carvalheira Gomes Marques, BI 5178118 do Arquivo de Lisboa. E sim, gosto do que escreve a Helena e geralmente não gosto do que você, e outras siglas parecidas, escrevem.

    Gostar

  5. 8 Junho, 2013 21:37

    José cavaco,
    AOSalazar acabou com (alguma) desgraça da I República, e nos anos 1930 iniciou uma desgraça bem pior !, que não só dirigiu, manteve, mas também reforçou.

    Gostar

  6. 8 Junho, 2013 21:40

    Salazar era tão “desinteressado”:
    Até morrer, em 1970, continuou a receber visitas como se fosse ainda Presidente do Conselho, nunca manifestando sequer a suspeita de que já o não era – no que não era contrariado pelos que o rodeavam
    Porque carga de água se há de dar nome de rua a pessoa que detestava a “rua”.

    Gostar

    • André F. permalink
      9 Junho, 2013 12:39

      Se a justificação dada para dar o nome de um anti-patriota agente de regimes totalitários que pretendia atirar o país para mais uma ditadura a uma avenida é a construção de uma memória colectiva aberta que inclui alguém que exibia devoção aos seus princípios ideológicos e políticos, não seria justo incluir também aquele que determinou o destino do país durante meio século?

      Gostar

    • licas permalink
      9 Junho, 2013 15:39

      Este ainda deve de andar na escola a aprender a ler (e interpretar) textos.
      Por isso não entendeu o desinteressado significando *isento de cupidez*.
      Eu também detesto os *arruaceiros* da rua. . .

      Gostar

  7. 8 Junho, 2013 21:42

    E VIVA SALAZAR!!!

    Gostar

  8. caramelopipi permalink
    8 Junho, 2013 21:43

    VIVA SALAZAR!

    Gostar

  9. 8 Junho, 2013 21:53

    Completamente de acordo : o extraordinário e, VIVA ABEL SALAZAR !!

    Gostar

  10. Trinta e três permalink
    8 Junho, 2013 22:05

    Pois é, Helena Matos. Só em países atrasados é que estas coisas acontecem: http://de.wikipedia.org/wiki/Wohnhausanlage_Friedrich-Engels-Platz
    .
    Por acaso, nunca por lá vi uma praça Adolfo Hitler que até era filho da casa…

    Gostar

    • 8 Junho, 2013 22:12

      Há anos visitei uma boa casa-museu AHitler numa cidade austríaca (não me recordo o nome). E há uns dois anos, uma extraordinária exposição sobre o ditador em Berlin.

      Liked by 1 person

      • Trinta e três permalink
        8 Junho, 2013 22:27

        Sim, as contas com o passado estão feitas. Apesar de não serem muito abertos a falar nesse período.

        Gostar

    • Maria Antónia Braga permalink
      9 Junho, 2013 23:16

      Quem quer comparar Hitler e Salazar ? Por favor especifique os elementos de comparação.

      Liked by 1 person

  11. 8 Junho, 2013 22:08

    Que adversidade(s) enfrentou Salazar para revelar coragem na adversidade? Que audácia revelou ele na ação? E qual capacidade de resistência? A quê? De qualquer modo não faltam para aí Ruas Salazar http://www.publico.pt/sociedade/noticia/salazar-sobrevive-na-toponimia-nacional-em-20-localidades-portuguesas-1376410. Quanto à Rua Che Guevara… hmmm… parece que a tia-avó do primo dum amigo dele era da Buraca.

    Gostar

    • 9 Junho, 2013 14:33

      A guerra civil de espanha, a 2ª guerra mundial serão coisa menores.
      O Passos, o Seguro ou o Portas resolviam a coisa enquanto trincavam uma sanduiche.

      Gostar

  12. Portela Menos 1 permalink
    8 Junho, 2013 22:08

    a sra. HFMatos nunca foi a Santa-Comba-Dão 🙂
    entretanto pode marcar presença em Braga para homenagear esse grande português, Cónego de nome e Melo de apelido, um assumido amigo de bombistas no tempo do PREC.

    Gostar

  13. Grunho permalink
    8 Junho, 2013 22:09

    É chato dar o nome a uma avenida de Avenida Filho da Puta.

    Gostar

  14. tric permalink
    8 Junho, 2013 22:16

    já falta pouco…

    Gostar

  15. Portela Menos 1 permalink
    8 Junho, 2013 22:16

    “Mesquita Machado que decida colocar a estátua no jardim da própria casa e não no largo que de todos nós é pretensa e onde não a queremos ver”, sugeriu António Lopes.
    .
    http://www.publico.pt/local/noticia/dezenas-de-cravos-plantados-em-protesto-contra-estatua-do-conego-melo-em-braga-1596865

    Gostar

  16. 8 Junho, 2013 22:26

    Ficámos a saber o que a D. Helena pensa de Salazar, fica o registo.

    Gostar

  17. 8 Junho, 2013 22:32

    Eu não quis alongar-me sobre o post, mas nas entrelinhas entre “Não tenho nada contra”(…) e “Rua Che Guevara” está lá todo o ressentimento por causa da inauguração da AV. ACunhal…
    Não tem “nada contra”, parece-lhe “bem”, mas veio imediatamente colocar este post ! — obviamente tem direito à sua indignação.

    Gostar

  18. tric permalink
    8 Junho, 2013 22:33

    Gostar

  19. 8 Junho, 2013 22:33

    Há diferenças significativas: Salazar nunca foi um traidor e nunca foi um lacaio da URSS e de potências internacionais. Pelo menos por isso já merecia mais o nome numa praceta, quanto mais não fosse. Mas como neste país o esquerdalho domina a vida pública, da escola aos meios de comunicação, são assim as coisas, glorifica-se o traidor. O problema não está só na avenida, está também nas exposições feitas em espaços públicos, por exemplo, onde se destacam escolas. Porque aos comunas, como não basta os programas marxizantes das humanidades e línguas, ainda convém ir fazendo a lavagem cerebral aos miúdos no ensino. Na escola onde estou tivemos uma rica exposição sobre este grande “democrata”, que só não implantou uma ditadura muito pior do que o Estado Novo porque não pôde. Mas isso é um pormenor, claro.

    Liked by 1 person

    • 8 Junho, 2013 23:13

      João,

      Sabes porque falas assim??? Falas assim porque homens como Cunhal lutaram para que sejas livre até a dizer palermices.
      Sabias que no tempo do Botas não podia falar contra o botas???

      Atina porra

      Se vires por ai a Helena diz-lhe que fazer a apologia do fascimo é crime, ela ainda vai parar á prisão das Monicas

      Gostar

      • Churchill permalink
        8 Junho, 2013 23:29

        Bolota
        Não sejas estúpido pá
        Se o Cunhal e os amigos têm tomado conta disto ninguem abria o bico, tal e qual o Salazar.

        Liked by 1 person

      • Duarte de Aviz permalink
        9 Junho, 2013 02:06

        Bolota, recomendo-te a leitura do LIvro do Rui Mateus. Procura no google que ha uns sitios onde podes fazer a descarga do ficheiro de borla. Outra coisa, Se queres ser levado minimamente a serio neste forum muda o nome ou deixa de escrever patetices.

        Gostar

      • licas permalink
        9 Junho, 2013 11:22

        Do Bolota ( Junho 2013 23:13) ameaça com o polícia os concidadãos
        por motivo de opinião (à boa maneira Stalinista/Stasi/Pide), e ainda não quer perceber
        da tentativa dos comunistas de instituir aqui uma República Popular, contra
        a vontade inquestionável da maioria de nós.
        Por isso odeiam o militar que se opôs à catástrofe: OBRIGADO general Ramalho Eanes,
        eternamente agradecido, como todos nós.

        Liked by 1 person

      • 9 Junho, 2013 13:34

        Lutaram para quê? pois, pois, ó Bolota. Deves andar a fumar umas coisas maradas que andas com os neurónios todos queimadinhos.

        Gostar

      • beirão permalink
        9 Junho, 2013 19:13

        E tu, o comuna de merda, se Cunhal de alguma forma conseguisse o poder em Portugal, tu, meu idiota tonto, não só não abrias o bico, como, pior do que isso, se não te enfiassem um tiro nos cornos, enviavam-te acorrentado para uma daquelas famosíssimas prisões da Sibéria de onde nunca ninguém saiu vivo. Que cretinos estes esquerdalhos de trampa.

        Liked by 1 person

      • lucklucky permalink
        10 Junho, 2013 00:45

        Cunhal não lutou para alguém ser livre, lutou para impor uma ditadura pior.
        A terrinha da tua família iria para o Kolkhoze, a tua casa passaria a ser propriedade do Complexo Municipal e compravas carro inscrevendo-te no Automóvel Clube Popular Revolucionário – se conhecesses alguém da nomenklatura talvez conseguisses um Lada em menos de um ano…

        Hoje na melhor das hipóteses estarias a receber finalmente autorização para te ligares à NET com algumas questões sobre o teu comportamento político mesmo se te tivesses inscrito numa qualquer agremiação do regime…e o teu ordenado daria para te ligares assim umas 10 horas por mês. À primeira frase de questionamento político tinhas umas visitas…

        Liked by 1 person

  20. 8 Junho, 2013 22:39

    HMatos, não estou a ironizar : escreva uma petição e peça assinaturas para uma petição que enviará para a Assembleia Municipal e para ACosta. Certamente sabe que como cidadã pode intervir nessa AMunicipal.
    Outra “coisa” : se encontrar oposição na AM, lembre-os que o Museu da Resistência não avançou por causa de opositores (há relativamente pouco tempo), esse mesmo, no edifício da PIDE-DGS, na António Maria Cardoso.

    Gostar

  21. 8 Junho, 2013 22:41

    Adenda : defenda também o Museu da Resistência, na AM.

    Gostar

  22. Portela Menos 1 permalink
    8 Junho, 2013 22:46

    HFMatos como ensaísta – e com a honestidade intelectual inerente – nunca escreveria um post destes, que só se admite na âmbito da sua posição de provocadora “abrantina” do actual regime passista.
    .
    http://pt.wikipedia.org/wiki/António_de_Oliveira_Salazar
    .
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Alvaro_Cunhal

    Gostar

    • 8 Junho, 2013 23:21

      ” Devido aos seus ideais comunistas e à sua assumida e militante oposição ao Estado Novo, esteve preso em 1937, 1940 e 1949-1960, num total de 15 anos, 8 dos quais em completo isolamento ”

      Portela,

      Convem acrescentar que o estado novo era Salazar e que a Helena enquanto historiadora está a comportar-se como uma patega qualquer o que nem é novidade.

      Gostar

  23. JDGF permalink
    8 Junho, 2013 23:03

    Para quando a Avenida António Oliveira Salazar?
    Tem de esperar pela queda do regime que vigora desde 25 de Abril. Convém não esquecer que o Estado Novo caiu nesse dia e que AOS foi o seu símbolo e o ícone apeado.
    Não desespere porque PPC diz estar a trabalhar para a ‘mudança’ de regime.
    Caso não seja rapidamente apeado então tudo será possível.
    Trata-se, portanto, de um post prematuro.
    Será também a antecipação de uma vontade?.

    Gostar

  24. 8 Junho, 2013 23:23

    João,
    esqueci-me de lhe responder : acima, Vc. faz-me o reparo sobre Salazar e, 1926.
    Tem razão nisto : Salazar entrou em 1928 como ministro das finanças. Mas eu quis sinalizar, referir-me, ao Estado Novo que vigorou desde 1926 e passou por várias fases até 1974.

    Gostar

    • Pedro Oliveira permalink
      9 Junho, 2013 03:43

      Vai ler história (uma a sério, não a propaganda habitual)… O Estado Novo foi fundado com a Constituição de 1933. De 1926 a 1933 era a Ditadura Nacional.

      Gostar

  25. 8 Junho, 2013 23:29

    Há aqui dois pontos, que com vossa licença, foram esquecidos.
    Primeiro António Costa esté em campanha para as autárquicas e pode e deve fazer inaugurações, e esta tem muitos adeptos.
    Segundo, o que é que uma pessoa que more naquela avenida pode fazer para reclamar de lhe terem mudado a toponímia se (pode acontecer) não gostar do nome do senhor?

    Gostar

    • 8 Junho, 2013 23:36

      Em Paris, um jovem de 19 anos, dirigente de um dos sindicatos de estudantes (que há décadas existem em França) e militante do Partie de Gauche, foi espancado por militantes das Juventudes Nacionalistas Revolucionárias, um dos muitos gruposculos franceses de extrema-direita. ~

      fado,

      Vai-te foder

      Gostar

      • 9 Junho, 2013 00:13

        Você é um bocadinho burro, mas não tem culpa. O que é que o caso que cita tem a ver com o que eu escrevi?

        Gostar

      • 9 Junho, 2013 13:36

        estúpido, não foi espancado. Ele e os que estavam com ele atacaram quatro skins que se defenderam. O antifa teve azar, ele e os skins que agora vão passar uns anos na cadeia apesar de haver testemunhas que mostram que as coisas não são como a comunicação social merdosa afirma.

        Liked by 1 person

    • 8 Junho, 2013 23:37

      Mais que óbvio : ACosta está em pré-campanha eleitoral. Mas não creio que necessite duma coligação com a CDU para derrotar o putativo candidato multiusos FSeara.
      Obviamente : um residente naquela avenida ou área, pode reclamar na câmara e na Assembleia Municipal, com ou sem petição. E pode propôr um nome alternativo, “sei lá”, por exemplo António Oliveira Salazar ou Américo Thomaz, ou Silva Pais, ou Rolão Preto.

      Gostar

  26. 8 Junho, 2013 23:31

    Agora, caros e caras,
    vou afagar as mágoas nuns copos (com amigas/os) por causa de Maria Sharapova ter perdido o Torneio de Roland Garros.
    Boa noite e VIVA SAL, Ilha do

    Gostar

    • licas permalink
      9 Junho, 2013 16:06

      Tenho cá um palpite que o da Rua a
      vencer a Revolução mandaria reabrir a acima aludida Escola de Reeducação
      para *endireitar* os fascistas . . .

      Gostar

      • 9 Junho, 2013 19:30

        Licas,

        Acho que não percebeste…

        ” Devido a…e à sua assumida e militante oposição ao Estado Novo, esteve preso em 1937, 1940 e 1949-1960, num total de 15 anos, 8 dos quais em completo isolamento ”

        Isto é apenas um facto e vocês são só ses e mais ses, em resumo tretas.

        Gostar

      • Tintim permalink
        9 Junho, 2013 23:47

        Ai, o camarada Bolotinha quer factos? Tenho aqui um facto para ti: 7 milhões de mortos com a Grande Purga imposta pelo camarada Estaline, esse saudoso herói do camarada Cunhal. E isto e só uma pequena parcela daquilo que o comunismo trouxe ao mundo. Se quiseres mais factos, lê um livro do Aleksander Soljenitsin.

        Liked by 1 person

  27. 8 Junho, 2013 23:38

    a minha resposta, 23:37,
    era para o fado

    Gostar

  28. eramasfoice permalink
    9 Junho, 2013 00:35

    Há tanto cabrão a dar nome a ruas que é apenas mais um. Cunhal não mandou matar camaradas do partido que fraquejaram na pide?

    Gostar

    • 9 Junho, 2013 05:24

      Não!

      Gostar

      • Churchill permalink
        9 Junho, 2013 08:40

        É claro que não!
        Suicidaram-se todos!
        .
        E o arquivo da Pide foi para a União Soviética por interesse histórico.
        .
        E o pai Natal vai com o lobo mau e avozinha no comboio ao circo.

        Liked by 1 person

  29. Joaquim Carreira Tap permalink
    9 Junho, 2013 00:44

    E assim se fazem as coisas.

    Gostar

  30. Pseudónimo 1 permalink
    9 Junho, 2013 00:45

    Rua Álvaro Cunhal, os vereadores do PC terão feito algum favor a Costa?
    Chamar democrata a Cunhal é ser hiperbenovolente ou ter um conceito de democracia
    muito lato.

    Gostar

  31. Portela Menos 1 permalink
    9 Junho, 2013 00:52

    uma rua com o nome do meteorologista Gaspar acaba com a polémica 🙂

    Gostar

  32. Joaquim C. Tapadinhas permalink
    9 Junho, 2013 01:08

    Talvez não fosse este o local mais apropriado para homenagear Álvaro Cunhal.Podiam ter escolhido a Alameda da Fonte Luminosa, onde o PS realizou o grande comício contra a ascensão do PC e do Cunhal. Se houvesse possibilidade de mudar, a coisa ficaria temperada com a quantidade de hipocrisia suficiente.

    Gostar

    • Churchill permalink
      9 Junho, 2013 08:41

      Ou então aquela ruela no Intendente que liga o gabinete do Costa à zona das meninas

      Gostar

      • 9 Junho, 2013 11:48

        Churchil

        Acho que ainda não percebeste, estupido é quem te fez as orelhas pá.

        ” Se o Cunhal e os amigos têm tomado conta disto…”

        É isso, Se, se e mais ses. Queres factos ou nã vale a pena???? Só 1: O batatinha que sem ter nada a ver com Abril tem-nos empurrado contantemente para a ruina.
        Não deves estar de acordo, o cullpado foi Cunhal…

        Gostar

  33. 9 Junho, 2013 04:14

    Minha senhora: vá à merda!

    Gostar

  34. YHWH permalink
    9 Junho, 2013 08:07

    E que tal, para começar, o beco «Rosa Casaco» próximo da morada da Helena?!…

    Gostar

    • helenafmatos permalink
      9 Junho, 2013 10:22

      Vivo razoavelmente longe do local onde residia Rosa Casaco. Mas aconselho-o a visitar o bairro onde residia Rosa Casaco pois não só é muito bonito como constatará que à semelhança do que sucedia em muitas vivendas de habitação social construídas pelo Estado Novo, PIDES e anti-fascistas (sobretudo intelectuais, artistas, actores…) residiam em ruas comuns, irmanados na dádiva da casinha!

      Liked by 1 person

      • A. Santos permalink
        9 Junho, 2013 23:13

        E até parece que se costumavam divertir juntos, jogavam às cartas, etc. e tal… no Aljube, em Peniche, em Caxias, no Tarrafal e em S. Nicolau.

        Gostar

  35. Churchill permalink
    9 Junho, 2013 08:45

    Em toda esta discussão há um ponto que apesar de tudo me agrada.
    É que foram fazer um culto de personalidade ao indivíduo que dizia se contra o mesmo.
    Ou seja, com esta palermice estão a desrespeitar a memória do tipo. Não é por acaso que nas câmaras comunistas mais famosas não há esta rua e há dezenas de Bento Jesus Caraça!

    Gostar

  36. 9 Junho, 2013 10:46

    Há 20 localidades com Salazar na toponímia.
    Na Atalaia a rua Oliveira Salazar até entronca com a rua Salgueiro Maia.

    Gostar

  37. Juromenha permalink
    9 Junho, 2013 11:20

    Lógica enviesada face ao (frustrado) Quisling á portuguesa…

    Gostar

  38. 9 Junho, 2013 11:29

    outros virão depois de nós que irão mudar o nome da avenida , é uma questão do tempo passar

    Liked by 1 person

  39. A. R permalink
    9 Junho, 2013 12:22

    Uma afronta contra a democracia esta da Avenida Álvaro Cunhal. O avençado de moscovo tudo fez para instalar uma em Portugal: pelo meio arruinou a economia portuguesa que levou da pujança à banca rota.

    Liked by 1 person

    • Eleutério Viegas permalink
      9 Junho, 2013 14:17

      Os moradores foram consultados? Felizmente não tenho que escrever este nome asqueroso cada vez que escrevo a minha morada, mas acontece a qualquer um… E, de facto era um agente soviético infiltrado.

      Liked by 1 person

    • licas permalink
      9 Junho, 2013 16:20

      Só desculpo a indiferença àqueles que não passaram
      pelo inferno de 1975 . . .
      Obrigado General Ramalho Eanes por ter remetido os
      soldados aos quartéis. (os comunas odeiam-no verdad!).

      Liked by 1 person

    • Slint permalink
      9 Junho, 2013 23:43

      Quem arruinou a economia portuguesa foram os teus amigos Soares, Cavaco, Guterres, Barroso, Santana, Sócrates e agora Coelho. Queixa-te antes de qualquer um desses.

      Gostar

  40. Manuel Alves permalink
    9 Junho, 2013 12:46

    Noutros tempos, houve Portugueses competentes e respeitadoras dos interesses do bem público que trabalharam afincadamente e em apenas 40 anos, deixaram OBRA, PAGA COM DINHEIRO PORTUGUÊS mas, em muitos casos, foi “pérolas a porcos”.

    Apenas uma “pequena” Lista:

    Na Região de Lisboa:
    1) Bairro Social do Arco do Cego
    2) Bairro Social da Madre de Deus
    3) Bairro Social da Encarnação
    4) Bairro Social de Caselas
    5) Bairros para Polícias
    6) Bairro de Alvalade
    7) Aeroporto Internacional da Portela
    8) Instituto Superior Técnico
    9) Cidade Universitária de Lisboa
    10) Biblioteca Nacional
    11) Instituto Nacional de Estatística
    12) Laboratório Nacional de Engenharia Civil
    13) Metropolitano de Lisboa
    14) Ponte Salazar
    15) Captação e encanamento das águas do Alviela
    16) Plantação do Parque florestal de Monsanto
    17) Estádio Nacional do Jamor
    18) Estádio 28 de Maio
    19) Auto estrada da Costa do Estoril
    20) Hospital Escolar de Santa Maria
    21) Instituto Ricardo Jorge
    22) Instituto de Oncologia
    23) Hospital Egas Moniz
    24) Assistência Nacional aos Tuberculosos com obrigatoriedade de rastreio anual à população estudantil, Comércio e Função Pública
    25) Electrificação da linha do Estoril
    26) Exposição do Mundo Português que permitiu a criação da Praça do Império, hoje Sala de visitas de Lisboa.
    27) Monumento aos Descobrimentos
    28) Regularização da Estrada Marginal Lisboa-Cascais.
    29) Criação da Emissora Nacional de Radiodifusão
    30) Criação da Radiotelevisão Portuguesa
    31) Criação da Companhia Aérea de bandeira (TAP)

    Espalhadas pelo País e Ilhas Adjacentes:
    32) Várias Escolas do Magistério Primário.
    33) Escolas primárias do Plano dos Centenários em quase todas as Freguesias do País.
    34) Liceus Normais em todas as capitais de Distrito.
    35) Escolas Comerciais e Industriais espalhadas pelo País
    36) Cidade Universitária de Coimbra (Faculdade de Medicina, Faculdade de Letras, Faculdade de Ciências, Biblioteca Geral e o reordenamento urbano envolvente)
    37) Hospital de S. João no Porto
    38) Ponte da Arrábida
    39) Ponte Marechal Carmona
    40) Construção de grandes aproveitamentos hidroeléctricos com dezenas de grandes Barragens (por exemplo Rabagão, Cávado, Douro, Mondego, Tejo, Zêzere).
    41) Construção de várias barragens para regadio, e recreio, nomeadamente nas Beiras e por todo o Alentejo.
    42) Melhoria geral da rede Rodoviária.
    43) Melhoria geral da Rede Ferroviária e modernização geral das viaturas do Caminho de Ferro Nacional.
    44) Melhoria e ampliação, ao nível de todo o território, da rede telefónica nacional, Correios e Telecomunicações em geral
    45) Bases aéreas (Ota, Montijo, Monterreal, Beja, etc.)
    46) Base naval da Marinha (Alfeite)
    47) Navio hospital “Gil Eanes” de apoio à Frota Bacalhoeira
    48) Criação das Casas do Povo
    49) Criação das Casas dos Pescadores
    50) Construção ou beneficiação de muitos e diversos Hospitais
    51) Plano de colonização interna que permitiu grandes desenvolvimentos agrários como, por exemplo, Pegões.
    52) Construção de dezenas de Palácios da Justiça
    53) Construção e remodelação de diversos Edifícios Prisionais e Prisões-escola
    54) Construção da Central Termoeléctrica do Carregado
    55) Criação dos “Livros únicos” para o Ensino Primário e Secundário, o que proporcionou grandes economias às Famílias
    55) Criação das Pousadas de Portugal espalhadas por todo o Território
    56) Criação da FNAT
    57) Instituição do ABONO DE FAMÍLIA
    58) Instituição da ADSE

    Quando me dizem que tudo isto foi feito à custa da exploração ultramarina, eu respondo:
    E o que lá ficou edificado?
    E o Povo de lá, não ficou com uma língua universal, não ficaram muitos dos autóctenes com cursos escolares primários, médios e universitários ministrados e pagos por Portugal?

    Não ficaram Angola e Moçambique dotados de dezenas de CIDADES COMPLETAS onde se incluíam toda a espécie de edifícios habitacionais, Mercados, Redes de abastecimento de águas e redes de efluentes, Escolas primárias, Liceus, Universidades, Hospitais e até unidades completas de Radiodifusão?

    Não ficaram disseminadas pelos territórios inúmeras Pontes, Barragens grandiosas como Cambambe e Cabora Bassa, só para citar duas, inúmeras Estradas, diversas Linhas de Caminhos de Ferro, Portos de mar e modernos (à época) Aeroportos, etc. ?

    Para quem recebeu um País na Bancarrota, que atravessou as épocas difíceis da Guerra Civil de Espanha e da 2ª Guerra Mundial e teve ainda de enfrentar a Guerra do Ultramar, em três frentes, tendo deixado o País A CRESCER A 6% AO ANO, durante a sua última década de governação e mais de 600 toneladas de ouro nas reservas do Estado, é Obra!

    Comparem com os dias de hoje, depois de quase 40 anos de LIBERDADE e DEMOCRACIA!

    Gostar

  41. 9 Junho, 2013 13:58

    Álvaro Cunhal, Mário Soares ou Sá Carneiro entre outros e cada qual à sua maneira, lutaram contra a ditadura em Portugal e só por isso merecem o meu respeito.
    .
    Por outro lado, diria: Passos Coelho – RUA!

    Gostar

    • licas permalink
      9 Junho, 2013 16:23

      À sua maneira . . . Piscoiso não é parvo em se ter alistado/remunerado
      nos ratos do Largo . . .É que imbecis ainda têm mais dificuldade em ganhar a vida . . .

      Gostar

  42. Eleutério Viegas permalink
    9 Junho, 2013 14:15

    Este aí acima, profissional do comentário ainda vai ver a Avenida Passos Coelho, se ele, “piscoiso”, não morrer antes… De facto é de gente que resolve não desistir do que tem que ser feito que precisamos.

    Quanto à avenida cunhalista, já existia há mais de 2 anos… Esta inauguração traz água no bico… O pretinho incompetente-mas-muito-querido-dos-jornas não está certo da vitória e precisa dos comunas?

    Gostar

  43. 9 Junho, 2013 14:57

    Eleutério Viegas (14:15)
    Estou-me nas tintas para a toponímia utilizando o nome Passos Coelho.
    Há resmas de ruas com nomes que a maioria das pessoas nem conhece.
    Por outro lado, há ruas com o nome de pessoas, que se fossem vivas não gostariam.

    Gostar

  44. 9 Junho, 2013 16:22

    De acordo com ideia de Nuno Pinto, há que chamar ao bairro onde a avenida Álvaro Cunhal foi inaugurada, bairro Gulag.

    http://ab-logando.blogspot.pt/2013/06/bairro-gulag.html

    Gostar

  45. licas permalink
    9 Junho, 2013 16:32

    Eu sempre fiz confusão entre Gulag e Goulash (o guisado Húngaro).
    Exactamente agora descobri a semelhança quando os patrões de Cunhal
    mandaram os tanques a Praga (1968) para fazer dos Checolovacos matéria-prima
    __________para hamburgueres . . .
    (e o Cunhal, GARGANTA FUNDA, caladissimo do *feito* dos camaradas da URSS).

    Gostar

  46. licas permalink
    9 Junho, 2013 16:36

    Mas qual é a admiração: também há a RUA das Petas . . .
    Parece-me que me enganei, das Pretas , não é?

    Gostar

  47. licas permalink
    9 Junho, 2013 16:42

    Já sabem da História: Berlinguer, então SG do PC Italiano,
    perdeu a paciência e rompeu definitivamente com Moscovo.
    (há episódios da História que nem de comentários precisam:
    nua e cruamente DIZEM TUDO).

    Gostar

  48. licas permalink
    9 Junho, 2013 17:04

    Sabem, MAIS HISTÓRIA:
    O consabido *respeito* dos Stalinistas pela voz do povo
    levou-os a manter reféns por muitas horas os deputados
    na Assembleia da República .
    À sua maneira (como diz o inimputável Piscoiso) permaneceram
    fiéis ao seu ideário e hábito que toda a história do Comunismo ilustra . . .

    Gostar

  49. João Lima permalink
    9 Junho, 2013 17:55

    Pela clareza das ideias e pela determinação das palavras, quero publicar o meu regozijo, enfim, anónimo, pelas intervenções de Helena F. Matos, que procuro acompanhar neste espaço. Em contraponto à indigente e asfixiante MEDIAnia, temos uma voz inteligente, clara e audível. E justa.
    Basta, é claro, de Terras Prometidas à iluminada esquerda já de há dois séculos, fadada em monopólio para a condução ao progresso da História, que a absolverá da incompetência, das patranhas e dos crimes.

    Gostar

    • João Lima permalink
      10 Junho, 2013 15:31

      A minha participação em comentários na blogosfera tem sido insignificante. Seguramente,
      em quantidade. De certeza, em qualidade. Não entendo, mesmo assim, o porquê e o significado do “Tome Nota: O seu comentário aguarda moderação.”, desde ontem, pelas 17.55 horas. Peço, simplesmente, esclarecimento. Obrigado.

      Gostar

  50. licas permalink
    9 Junho, 2013 18:19

    Eu, agora, deu-me para isto : ensinar História . . . FEITIOS :::
    _______________________________________
    Que Álvaro Cunhal seja suspenso”
    DOSSIER | 20 AGOSTO, 2008 – 23:00

    No dia 5 de Novembro de 1968, Álvaro Cunhal reúne-se em Praga com os comunistas portugueses. A meio da reunião tensa, Cunhal expulsa da sala, aos gritos, o jovem Álvaro Bandarra, que procurava apresentar as razões para criticar a invasão soviética. Flausino Torres dirige-se então a Cunhal: ” Jamais voltarei a apertar-te a mão! Mandaste sair aquele jovem. Pois tu é que deves abandonar o grupo, a direcção do grupo [o Partido]!(…)”. Depois, escreveu uma carta ao Comité Central do PCP pedindo um inquérito e a suspensão de Cunhal do Partido.
    Camaradas do C.[omité] C.[entral]
    No dia 5 de Novembro de 1968, pela tarde, alguns camaradas residentes em Praga foram convocados para uma reunião com o Secretário-Geral. Nela se discutiram algumas questões (algumas por imposição dos convocados) relativas à ocupação da Checoslováquia; suas repercussões na Direcção e no corpo do P.[artido] C.[omunista] Português; assim como suas consequências em organismos de unidade.
    Acerca da conversa dessa noite – realizada numa sala da Cruz Vermelha à Rua Zitna – entre as 20 e 15 e as 23 e 30, registem-se algumas observações e conclusões:
    1.º – Para os documentos em que o Partido Comunista Português define a sua posição acerca dos acontecimentos que começaram a processar-se na Checoslováquia em 20 de Agosto passado, foram procuradas bases e informações apenas do lado do agressor. Ora isto tem um nome: parcialidade, desonestidade;
    2.º – As ‘provas’ em que procuraram fundamentar-se os ‘crimes anti-socialistas’ do Povo, do Governo, do Partido Checoslovaco, não oferecem o mínimo valor – como se tem provado pelas contraprovas já difundidas na Rádio, Televisão, Imprensa checoslovacas;
    3.º – A atitude do Secretário Geral para com os camaradas por ele convidados foi a do maior desrespeito – pois em altos gritos (que ecoavam pelo edifício, pois a porta da sala foi por ele aberta) de ditador alucinado chegou ao ponto de pôr fora da sala um deles;
    4.º – Essa atitude não revelou a mínima consideração e estima da verdade e dos estudos – pois que a argumentos e documentos irrefutáveis respondia apenas com cara de troça, com sorrizinhos escarninhos, com argumentos os mais falaciosos e sofísticos, com perguntas e palavras de provocação as mais exemplarmente pidescas;
    5.º – O teor da Declaração da Direcção do Partido, a sua falta de bases concretas e racionais (o Secretário Geral chegou a afirmar que não havia condições de impressão para a apresentação das provas!), mostram claramente que a Direcção e particularmente o redactor dos documentos não se fizeram e fazem cercar de informadores e estudiosos com um mínimo de capacidade intelectual e moral – mostram claramente que tudo dependeu e depende do arbítrio de indivíduos sem limites de poder e sem controlo;
    6.º – Que tais declarações, comprometendo todo o Partido, lançam nódoas não apenas em seu autor e na Direcção do Partido, mas no conjunto dos militantes – que por vezes têm ‘corado de vergonha’;
    7.º – Que o documento do Executivo datado de 23 não podia ter sido elaborado em Portugal (como informou o Secretário Geral) – a não ser que já estivesse preparado antes, o que não deixa de ser gravíssimo.
    Conclui-se, portanto, que a actividade de agente de propaganda pró-socialismo autoritário a que o Sec.[retário] Geral do Partido se tem consagrado ultimamente, é criminosa politicamente e indigna de um homem sério; o seu papel de advogado internacional da conquista militar, da ocupação militar, política e económica; de justificação da sujeição de todo um povo, governo, partido, à tirania mais abjecta (aquela que se chama socialista, fraterna e amiga) -, é incompatível com o cargo que desempenha dentro do P.[artido] C.[omunista] Português.
    Conclui-se que um Dirigente que trata seus camaradas como coisa sem valor, no próprio momento em que estes procuram desfazer um erro; que lhes responde com gritos de possesso, com esgares de farsa de feira, com incontrolada agitação (punha-se em pé, abria a porta, sentava-se, dobrava-se sobre a mesa …), com palavras e guinchos de fingida dignidade ofendida – conclui-se que tal Dirigente é incapaz de comportar-se, dentro e fora do Partido, com a superioridade necessária.
    Tomando em conta os factos decorridos na noite de 5 de Novembro; tomando em conta os processos de elaboração dos documentos da Direcção do Partido; tomando em conta a atitude do crê ou morres que temos presente
    Proponho:
    1.º – Que se faça um inquérito ao seu procedimento durante a conversa na Cruz Vermelha;
    2.º – Que se convoque para data o mais próxima possível um amplo Congresso de militantes do Partido – em que tomarão parte não apenas os convidados da Direcção, mas todos os que quiserem nele participar, comprometendo-se a Direcção a proporcionar-lhes as necessárias condições;
    3.º – Que até às decisões desse Congresso, Álvaro Cunhal seja suspenso de todas as suas actividades – para que no divisionismo do mundo socialista, na desorientação do Povo e dos militantes portugueses, não tome parte um português com a sua responsabilidade.
    Flausino Torres, Carta ao Comité Central do PCP (de acordo com o rascunho existente no seu espólio), s-d [Novembro de 1968]
    Extraído do livro “Flausino Torres, Documentos e fragmentos biográficos de um intelectual antifascista”, de Paulo Torres Bento, editado pela Afrontamento
    portanto, acima , quando chamei ao gajo Garganta Funda cometi uma injustiça à sua memória (desculpai , ainda não tinha conhecimento do episódio supra
    IREMOS APELIDÁ-LO de . . . GRITADOR HISTÉRICO ou
    PULHA COMPROMETIDO COM ASSASSINOS? Escolham

    Gostar

  51. murphy permalink
    9 Junho, 2013 19:58

    Respeito o Sr. Cunhal como respeito qualquer ser humano. Mas, atendendo ao seu apoio a um Estaline e seu regime sanguinário, ou à invasão de Praga (apenas 6 anos antes do 25 e Abril), por ex., é uma mistificação completa a imagem que muitas redacções, e até os livrinhos de história da escola pública, constroem à volta da figura.
    Se cada um colocar a ideologia de lado, só pode concluir que, nisto de ditaduras Salazar, perto de Cunhal, era um menino…
    http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/06/episodios-negros-da-comunicacao-social.html

    Gostar

  52. jose permalink
    9 Junho, 2013 22:06

    Se, se “branqueiam” os Ditadores da Esquerda Internacionalista, que nos queriam subjugar à URSS – Álvaro Cunhal, José Saramago e, por aqui me fico – porque não, os ditos Ditadores Nacionalistas, que à sua maneira, queriam o bem e Independência de Portugal, face aos interesses, Capitalistas e Comunistas?

    Gostar

  53. jojoratazana permalink
    10 Junho, 2013 02:23

    Post de uma ignora, apoiado por alguns abrunhos.
    Cantem lá todos em coro, Oh tempo volta para trás.

    Gostar

  54. zezito permalink
    10 Junho, 2013 11:38

    Relativamente à acção política de Cunhal na vida portuguesa, está há muito espalhado um grande equívoco, que importa esclarecer.
    Durante a longa ditadura salazarista, Cunhal não lutou pela Liberdade nem pela Democracia.
    Cunhal lutou (com imensa coragem determinação, e sacrifício deve assinalar-se…) pela instauração de um regime político idêntico ou semelhante ao dos países do bloco de Leste nos quais vivera e bebera a ideologia leninista-estalinista. Quando se encontrou com alguma dose de poder em Portugal, esteve relativamente perto de ter alcançado o objectivo da sua luta durante uma vida de heroísmo e de sacrifício.

    Gostar

  55. licas permalink
    10 Junho, 2013 15:04

    Exacto, zezito.
    E aparece um imbecil jojoratazana (10 Junho, 2013 02:23)
    a inocentar o Álvaro Cunhal das afirmações e imposições que
    pretendeu empregar na tristemente (histórica, sim) reunião de Praga (nov.1968)
    justificando a invasão da checoslováquia, o assassinio dos protestadores,
    a perseguição a Dubcek . . .
    Parece incrível que *ratazanas* dos esgotos ainda possam ter quem os oiça
    e aplauda . . .

    Gostar

    • Ribas permalink
      11 Junho, 2013 12:22

      O mal estacionário caprichava-se por não se entenderem. Se um tinha amor ao País o outro amava a agonia de se ver encorralado. Portugal ao lado da Rússia é como comparar um pacote de acúcar a um saco de arroz. Tinha 18 anos em 1974 e um curso industrial. A minha politica era o trabalho e só o trabalho. Até este dia, não senti a repressão. Fascismo, no uso da palavra -existia e notava-se. A porta do vizinho estava sempre aberta e um bocado de pão sempre se servia ao pedinte. Hoje nada disso existe. O povo atual está frio, não sorri porque está amargurado. A ditadura instalada, quanto a mim, foi bem pior no pós abril e eu sofri na pele. Foi em 28/4/1974 na EMEL, em 24/9/1974 em Luanda, em 2006 pelo Tribunal,que manda a PSP invadir-me a casa quando escrevi que a justiça portuguesa era ignóbil, em 2010, outro Tribunal me penalisa em 150 dias de multa porque escrevera que o meu país estava falido porque havia incompetentes funcionários públicos com os quais eu não poderia colaborar… e nada mais digo

      Gostar

  56. imperador permalink
    10 Junho, 2013 23:46

    Concordo que AC tenha uma rua com o seu nome , o país deve-lhe muito , a agricultura e as unidades colectivas de produção, a industria naval e as grevesinhas, Tudo foi bom. Gratas saudades Que descanse em paz, fez o que pude e sabia .

    Gostar

  57. rtyygf permalink
    6 Agosto, 2014 00:27

    ò Manuel Alves, esqueceu-se de um pormenor sem importância:

    Nos anos 1960, Portugal bateu um recorde que nem se viu na 1ª República: perdeu população pela primeira vez desde que havia registos, há uns 100 anos.

    Era um país tão bom, mas tão bom, e crescia tanto e tanto, que os portugueses se pisgavam… e esta, hem? Que fenómeno estranho!

    É obra.

    Gostar

Trackbacks

  1. Avenida Álvaro Cunhal |
  2. Inaugure-se a Alameda Helena Matos! – Aventar
  3. Avenida António Oliveira Salazar | O Insurgente

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: