Skip to content

A propaganda nunca resiste à realidade

17 Outubro, 2017

ESte gráfico que tirei do facebook do Vítor Cunha mostra como é uma mistificação dizer que esta tragédia é apenas a versão um pouco ampliada das tragédias dos anos anteriores. Para nãi falar da patranha do “Depois deste ano, nada pode ficar como dantes” proferido pelo primeiro-ministro. Se voltássemos aos anos anteriores sendo que eles não foram bons já não era mau. O que tem de mudar em relação ao “dantes” é precisamente a incompetência do Governo. Na maior parte dos dias essa incompetência traduz-se numa uma vergonha inútil que se entretém com o teor do sal, os livros para meninos e as mudanças de sexo. Nos dias que sobram essa incompetência torna-se criminosa

22489833_10210734775513114_2215752536185730955_n

Anúncios
67 comentários leave one →
  1. Alain Bick permalink
    17 Outubro, 2017 10:33

    lamentamos os mortos
    e ficamos mais poluídos

    El País
    Reforestar España equivaldría a retirar 41 millones de coches de la circulación
    Las emisiones caerían un 70% de aquí a 2030 con plantaciones masivas de árboles, según un estudio

    Gostar

    • sam permalink
      17 Outubro, 2017 11:18

      E com os incêndios as emissões aumentam em 245%. Nem é preciso um estudo.

      Gostar

  2. Leunam permalink
    17 Outubro, 2017 10:34

    TODOS OS PORTUGUESES ao Terreiro do Paço!

    Choramos as mortes de mais de 100 mortos, nossos irmãos!

    Queremos justiça.

    Demissão dos incompetentes.

    Liked by 1 person

  3. 17 Outubro, 2017 10:53

    E esqueceu-se dos restantes dias-

    repor ordenados à Função Pública para os ter para o voto e encomendar sonsagens de popularidade quando os boys fazem merda.

    Liked by 1 person

  4. LTR permalink
    17 Outubro, 2017 11:08

    Costa também já está na fase em que já não engana ninguém. O seu sucesso ou a sua desgraça evidenciará o estado de dependência em que o país se encontra, e se a generalidade da população se vergou ou não perante o sistema mafioso ao ponto de achar que tudo passa por ter cartão rosa e estar integrado nas redes que atam o Estado, aceitando estes custos e miséria intelectual.

    Gostar

    • 17 Outubro, 2017 12:29

      O Costa diz que o diabo nunca mais vem quando o diabo é ele mesmo.
      Ele que está a transformar Portugal num Inferno.

      Ou o derrubamos ou ele nos derruba a nós todos.

      Todos à manif exigir o fim do regime Costa!

      Liked by 3 people

      • Os corruptos que se cuidem permalink
        17 Outubro, 2017 16:04

        Há que organizar alguma coisa, sim! Que espécie de gente somos? Na Galiza, vieram para a rua exigir responsabilidades! De que somos feitos, porra?

        Gostar

      • 17 Outubro, 2017 16:25

        Lá estarei !

        Gostar

  5. Vitor permalink
    17 Outubro, 2017 11:18

    Uma das razões que explicam a inércia e ineficácia criminosa do Governo na proteção das vidas e bens das vítimas dos incêndios deste fim de semana foi o facto de o Governo ter andado entretido em reuniões, comissões e grupos de trabalho com o BE e o PCP na aprovação de medidas a favor dos aumentos salariais e demais privilégios dos enfermeiros e restantes funcionários públicos. Sabe-se que muitos membros do Governo passaram dias e noites reunidos com a corja do BE e do PCP, esquecendo as obrigações do Estado na defesa das vidas e bens das populações afetadas pelos incêndios. É gente do interior, idosa, que costuma votar no PS, voto certo, sempre no mesmo partido, gente sem capacidade reivindicativa, onde o Estado quase não chega.
    O Governo social comunista governa apenas a pensar nos seus eleitores, repor privilégios de funcionários públicos, manter metade do país a viver à custa da outra metade e afetando recursos do Estado para repor privilégios, retirando os recursos de onde eles são precisos: proteção contra calamidades naturais, defesa dos bens e das pessoas. O que vimos há 4 meses e agora é o avanço da governação social comunista e o enraizamento do socialismo como forma de governar, roubar quem produz riqueza e distribuir privilégios pelos improdutivos que votam PS, BE e PCP.

    Liked by 1 person

    • 17 Outubro, 2017 12:41

      Isso mesmo. O SR tem toda a razão no que escreve. Nem mais.
      Os portugueses que aguentam Portugal têm que se revoltar contra a tirania desta Esquerda parasita e corrupta que manda em tudo.
      Ainda ontem num debate na TV sobre os fogos, quando a jornalista perguntou quem decretou o fim da fase “Charlie” de combate aos fogos, nenhum dos comentadores teve coragem de dizer que a responsável por isso é a Ministra da Administração Interna.
      Comentadores com medo de dizer a verdade porque sabem que “Quem se mete com o PS leva”.
      Estamos com a Liberdade de Expressão destruída pela Esquerda que domina tudo.
      Se não nos defendermos agora por vias legais temos que nos defender mais tarde à mocada.

      Liked by 2 people

      • André Miguel permalink
        17 Outubro, 2017 13:39

        “Se não nos defendermos agora por vias legais temos que nos defender mais tarde à mocada.”

        Ainda não perceberam que este regime, tendo sido instaurado pela força, só cai pela força? O Socialismo nunca acabou a bem. Leiam História.

        Gostar

    • Tiro ao Alvo permalink
      17 Outubro, 2017 17:04

      Tem razão, o “monstro”, como lhe chamou o Cavaco, estava açaimado, mas os esquerdistas andaram a combinar retirar-lhe o açaime, esquecendo-se que o “monstro” é “monstro” que mal se encontre liberto vai devorar os libertadores, o que não teria nada de mal se não fossemos todos prejudicados – é que as ferradelas dos “monstros” demoram anos e anos a cicatrizar.
      Vamos viver tempos difíceis!

      Gostar

  6. 17 Outubro, 2017 11:27

    Um dia se contará a história da rede criminosa que provocou 500 ignições num dia .

    Gostar

  7. 17 Outubro, 2017 11:28

    O gráfico tem uns erros (culpa minha). Os dados vieram todos do relatório da comissão técnica independente – http://www.parlamento.pt/Documents/2017/Outubro/RelatorioCTI12Out2017.pdf (página 36).

    Gostar

    • 17 Outubro, 2017 12:19

      Erros e omissões . Claro que todas involuntárias

      Gostar

      • 17 Outubro, 2017 12:53

        Por acaso foi mesmo para apanhar idiotas como o senhor doutor. É que o doutor tem a mania de julgar as intenções dos outros desde que não julguem as da igreja do sotôr. Foi uma demonstração bonita.
        E agora, já sabe o que é que o atropelou?

        Liked by 2 people

  8. 17 Outubro, 2017 11:29

    E qual o ano em que houve mais de 500 ignições num dia ?

    Gostar

  9. 17 Outubro, 2017 12:15

    Faltam duas curvas, no gráfico: a da humidade média do ar e a do número médio de dias sem chover em cada mês (acumulado desde o dia 1 de julho de cada ano).
    Claro está que essas curvas não lhe interessam.
    Treinadores de bancada é o que há mais em Portugal!

    Gostar

    • 17 Outubro, 2017 12:57

      Também falta no gráfico a imensa devoção do sotôr. Mas não cabia.

      Liked by 2 people

      • 17 Outubro, 2017 16:57

        Eu, pelo menos li o relatório. Pg. 53 reza o seguinte:

        5.1. Condições pirometeorológicas
        5.1.1. Situação antecedente
        A primavera de 2017 foi quente e seca em Portugal, incluindo o mês de abril mais seco desde 1931 (IPMA 2017a). Há que destacar as ondas de calor ocorridas em abril (a mais significativa desde 1941) e em maio (de 20 a 27). Na região em causa a precipitação de outubro de 2016 a junho de 2017 alcançou 600-800 mm, ou seja 50-75% da média para o período 1971-2000 (IPMA 2017b). Nos dias de 2017 que antecederam os incêndios as estações do IPMA na região registaram um total de 282 a 407 mm de precipitação, respetivamente na Lousã e em Proença-a-Nova; a última precipitação superior a 1 mm havia ocorrido 19 dias antes do dia de início dos incêndios, exceto na Lousã (11 dias).

        Claro está que este texto só lhe suscita o comentário que “se não fosse um governo de esquerda isto era canja para apagar”!

        Gostar

      • 17 Outubro, 2017 17:50

        Leu? Esse foi o clipping que distribuíram para comer papalvos (eu também os recebo).

        Liked by 1 person

  10. Aónio Lourenço permalink
    17 Outubro, 2017 12:44

    O povo sai em massa à rua na Galiza contra o governo pois os fogos ceifaram a vida a 4 pessoas. Esses aí no burgo mataram (por incúria, incompetência, partidocracia e desleixo) cem pessoas e nem ver a populaça nas ruas! O pinhal de Leiria onde sempre brinquei e que por lá estava desde D. Dinis, ardeu em cerca de 80%. Os portugueses não passam de mercenários, só saem à rua para pedir mais no final do mês. Está tudo sobre controlo, o Costa encomendará mais um “focus group” que lhe dirá que o povo pia mas é manso, haja uns euros para distribuir na função pública e nas pensões.

    Liked by 4 people

    • Tiro ao Alvo permalink
      17 Outubro, 2017 17:11

      Tem razão. E o Pinhal de Leiria era mesmo de pinheiros e não de eucaliptos. E não é propriedade de privados…

      Liked by 2 people

  11. Aónio Lourenço permalink
    17 Outubro, 2017 13:07

    O grave, o grave mesmo, é terem enchido os comandos da proteção civil com os amigalhaços do partido. Isso é indesculpável. Colocar umas cunhas na repartição de finanças ou num ministério já é sabido, é prática em Portugal, mas quando estão vidas humanas em jogo, é criminoso. Mas afinal, qual a competência técnica do indivíduo que estava à frente do comando distrital de Leiria aquando de Pedrogão Grande? Era advogado, mas do PS. Há outros com licenciatura em História, outro em desporto e lazer, bla, bla. Ainda bem que o PS não tomou conta da TAP, qualquer dia colocavam boys do partido aos comandos dos aparelhos.

    https://www.publico.pt/2017/06/29/sociedade/noticia/governo-mudou-metade-do-comando-da-proteccao-civil-em-abril-1777307

    https://www.rtp.pt/noticias/pais/operacionais-substituidos-por-boys-do-ps_v1013240

    Liked by 1 person

  12. Aónio Lourenço permalink
    17 Outubro, 2017 13:09

    Em qualquer caso, como não poderia deixar de ser, HM entre na famosa falácia lógica da falsa dicotomia, como se o sal e as mudanças de sexo tivessem alguma coisa a ver com fogos florestais.

    Gostar

    • sam permalink
      17 Outubro, 2017 13:28

      Tem, Aónio. Porque os recursos não são infinitos. E muito menos no Estado português. Alocar pessoas, dinheiros e energias em bizantinisses só pode dar nisto: um Estado falhado, incapaz de cumprir uma das missões fundamentais para que foi criado.

      Que importa a quantidade de sal no teu pão quando a tua prioridade passa a ser não morrer queimado em Portugal? Que interessa verdadeiramente se na tua certidão de óbito ou na tua lápide constas como senhor ou senhora? Acorda.

      Liked by 2 people

      • Aónio Lourenço permalink
        17 Outubro, 2017 23:17

        Regular o sal na comida demora cinco minutos. É dizer que passa de X para Y. Mais grave é a prevenção aos incêndios ter recebido do orçamento 25 milhões de euros quando só entre aumentos de funcionários públicos e todas as benesses sociais extra custaram mil milhões. Não se esqueça que este foi o governo das activações.

        Gostar

    • lucklucky permalink
      17 Outubro, 2017 14:46

      Tem tudo que ver.

      Quando a lógica de um Regime-Governo é ter cada vez mais funcionários públicos para coisas inúteis ou pouco importantes mas que servem para demonstrar Poder e Intimidar a Cultura que é criada é dedicada a fabricar utilizadores das camisolas do Che, a definir o sal na comida, a obrigar velhotes a gastarem as suas poupanças para entrarem num curso caro para poderem colocar herbicidas nas suas propriedades, é para a Comissão de Igualdade de Género a censurar livros para crianças, é para a RTP criar mais um canal de propaganda.

      No meio deste caldo Cultural Marxista é evidente que o combate aos incêndios, a defesa e a segurança as primeiras razões para a existências de um Estado ficam muito longe da Cultura do complexo político-jornalista urbano.

      Note-se que cultura incluí a educação -seja pelos média, seja pela escola.

      Isto não é novo e está bem implantado no centro do Marxismo mundial: EUA.
      A crise hoje nas forças armadas americanas não é por acaso.

      Liked by 1 person

  13. Expatriado permalink
    17 Outubro, 2017 13:14

    Artigo de opinião 100% certeiro:

    “O fogo de Pedrogão-Grande, que matou 65 pessoas, não foi há quatro dias, nem há quatro semanas. Foi há quatro meses. Quatro meses em que não mudou o tempo seco, em que persistiram as temperaturas altas, e em que os ventos foram recorrentemente fortes. Que fez o governo, nesses quatro meses, para prevenir a repetição da tragédia? Avisou e organizou as populações? Criou perímetros de segurança em volta de estradas e povoações? Bastar-lhe-ia metade do zelo que a câmara de Lisboa exibiu, nos últimos meses, a decorar pracinhas e a enfeitar pracetas. Mas não. Cumprindo o calendário, fechou postos de vigia e retirou meios do terreno. E foi assim, sempre em seca extrema, com grande calor e previsão de vento forte, que uma grande parte do país entrou no fim de semana como um carneiro no matadouro.

    Nunca terá havido tragédia mais anunciada. “…

    http://observador.pt/opiniao/estado-de-calamidade-permanente/

    Liked by 1 person

    • Expatriado permalink
      17 Outubro, 2017 13:18

      E termina com esta triste verdade:

      …”Os oligarcas não parecem preocupados. As comunidades rurais do interior não fazem opinião: que sejam “resilientes” e “proactivas”, como disseram a ministra e o secretário de Estado, isto é, que se desenrasquem sozinhas. Os funcionários públicos, pelo contrário, fazem opinião. Mas desses cuida um Orçamento feito à medida para apagar, quando os vencimentos forem pagos, qualquer recordação do mais trágico e vergonhoso colapso da governação em tempos recentes. É assim que vai ser? Cabe aos portugueses dizer se é.”

      Até quando?

      Liked by 3 people

  14. Expatriado permalink
    17 Outubro, 2017 13:38

    Em 1916 arderam 150 hectares no Pinhal de Leiria. Em 2017, com meios de combate supostamente mais sofisticados, arderam 9000.

    Leiam e aprendam com a História senhores e senhoras do governo e ANPC.

    http://observador.pt/2017/10/16/ha-101-anos-um-grande-incendio-consumiu-o-pinhal-de-leiria-foi-assim/

    Só um povo embrutecido aceita tal descalabro das funções primordiais de qualquer governo.

    Liked by 1 person

    • André Miguel permalink
      17 Outubro, 2017 13:49

      Não é embrutecido, se assim fosse já muitos destes filhos da puta que nos (des)governam tinham levado nas trombas. É mesmo empobrecido e analfabeto, ninguém dá um grito ou murro na mesa de insatisfação porque precisa das migalhas do sacrossanto Estado. Exemplo: a CM de Pedrogão Grande é PS.
      Cada vez mais se aplica ao país “tudo no Estado, nada fora do Estado”. Quem disse isto? Pois é…

      Gostar

      • Expatriado permalink
        17 Outubro, 2017 14:19

        Também é isso!!

        Gostar

      • Tiro ao Alvo permalink
        17 Outubro, 2017 17:32

        A Câmara de Pedrogão Grande, que agora é do PS, é chefiada por um trânsfuga do PSD que se fez reeleger por aquele Partido.
        Convém dizer que a actuação daquele senhor, inexplicavelmente, nunca foi posta em causa pela comunicação social, apesar do município não dispor do Plano de Emergência contra incêndios, como está estabelecido na lei, instrumento imprescindível para a boa coordenação dos meios disponíveis, cabendo-lhe a ele, presidente da Câmara, a responsabilidade de iniciar e conduzir as primeiras acções do combate ao incêndio que ali deflagrou em Junho, e que, se levadas a cabo com eficácia, poderiam ter evitado aquela enorme tragédia.
        Não obstante tudo isto, o senhor aparece frequentemente nas TV a rir de satisfação.

        Gostar

  15. piscoiso permalink
    17 Outubro, 2017 14:14

    Pode haver incompetência, mas para evitar cenas destas, cujas causas estão num terrorismo incendiário ou num conjunto de condições atmosféricas/terreno, são necessários meios que nem os EUA possuem, pois os incêndios devastadores e com mortes também por lá estão acontecendo.
    Nem é por isso que querem a demissão de Trump.

    Gostar

    • Expatriado permalink
      17 Outubro, 2017 14:24

      Tudo serve de cortina de fumo, não é? Lamento que este país de quase 900 anos tenha tantos filhos da *uta a defender o indefensável!!

      Gostar

      • piscoiso permalink
        17 Outubro, 2017 14:26

        É uma pena que haja expatriados filhos da *uta.

        Gostar

      • Expatriado permalink
        17 Outubro, 2017 15:01

        Quantos testes de ADN já fizeste para saber quem é o teu pai? Está difícil, não é? Se nem a tua mãe faz um cálculo aproximado de em qual das “raves” aconteceste…

        Cometeu o erro de não aproveitar o SNS para um aborto à borla e agora têm de ser outros a te aturar.

        Gostar

      • 17 Outubro, 2017 16:31

        Repito, o desgoverno não renovou há pouco tempo, os contratos com helicópteros e aviões de combate a incêndios !
        Os pequenos cerebelos pensaram que depois da tragédia de Pedrógão, o país entraria numa fase sem incêndios…

        Liked by 1 person

    • SALOIO permalink
      17 Outubro, 2017 15:15

      seriam necessários meus que nem os EU tem !? Pode ser…., mas como explica que mesmo os poucos que temos tivessem sido reduzidos a metade apesar dos sucessivos alertas ? http://www.tvi24.iol.pt/videos/sociedade/protecao-civil-estava-avisada-que-as-temperaturas-altas-iam-continuar/59dcaeee0cf2a3bc49b3496b

      Liked by 1 person

      • SALOIO permalink
        17 Outubro, 2017 15:17

        Onde se lê meus leia-se meios

        Gostar

    • lucklucky permalink
      17 Outubro, 2017 15:20

      100 mortos não tem nada que ver com condições atmosféricas/terreno.

      Tem que ver com falta de informação, decisões e comunicações fiáveis.

      Mais a merda carreirista/partidária que vai nas cabeças dos tipos da ANPC, Ministros e todo o complexo Político Jornalista.
      Cultura Institucional bem demonstrada pelas fases estarem ligadas ao calendário e não ao estado do tempo, por um Heli estar a 41km e não a 40km já não poder ser chamado numa emergência.

      Muito mais importante que ter meios aéreos a combater fogos seria ter meios aéreos a informar do progresso fogos comunicando diretamente com o posto de comandos e FAC.
      Isto pode ser feito com helis, aviões ou UAV’s.

      Não tem nada que saber já desde a segunda grande guerra se definiu os princípios do Close Air Support.

      Desde há 20 anos que tropas na frente de combate podem receber imagens do reconhecimento aéreo -dia e noite-.E assim adoptar a melhor posição para combate.

      Uma guerra está sempre a mudar a sua natureza e a estratégia e meios têm de ajustar-se ás necessidades não com a inflexibilidade da cultura institucional dos privilegiados do Estado Social.

      Quanto mais Estado Social, mais Marxismo Cultural mais o Estado vai falhar naquilo para que nasceu em primeiro lugar: proteger as populações dos elementos, da violência e defesa do território.

      Liked by 2 people

    • 17 Outubro, 2017 16:24

      Quem se mete com as empresas de aeronaves de combate a incêndios, leva!

      http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/2017-06-23-Portugal-tera-pago-tres-vezes-mais-em-contratos-para-combate-a-incendios

      Faz lembrar o outro que se meteu com as corporações de juizes… também levou e continua a levar!

      Só um ditador consegue combater eficazmente a corrupção generalizada…
      O Salazar conseguiu anular quase toda a baixa e média corrupção, porque era ditador.

      Nesse tempo, os medalhados pelo Estado, com medalha de ouro, tinham que pagar do seu bolso a medalha que iam receber…

      Gostar

      • Expatriado permalink
        17 Outubro, 2017 17:12

        Em 2006 quem era o MAI, quem era? Quem era governo em 2010?

        Será isto alguma “cereja no topo do bolo?”

        …”Esta não foi a primeira vez que se soube detalhes de como este alegado cartel de empresas terá atuado em Portugal. Em agosto de 2016, o “El Mundo”, tendo por base interrogatórios do processo, escreveu que estes empresários tinham um “coordenador de influência” em Portugal que tinha uma rede de contactos com “as instituições de Portugal” e marcaria reuniões obter informação confidencial acerca dos concursos. “…

        Hmmm, quem será o tal “coordenador de influência” com uma rede de contactos com “as instituições de Portugal” capaz de marcar reuniões para obter informação confidencial dos concursos? Seria o porteiro?

        Isto até podia dar num “Processo Maharaj”. Talvez…

        Liked by 2 people

      • lucklucky permalink
        17 Outubro, 2017 19:34

        Continua a burrice. A maior parte dos fogos são desleixo e falta de cuidado.

        Liked by 2 people

  16. 17 Outubro, 2017 15:18

    Chamo a atenção para a quantidade alarmante de artistas do agitprop que foram bruscamente lançados nas redes nas últimas horas, com a retórica de ser baixa política mencionar os mortos. Baixa política é esta manobra de silenciamento e branqueamento.

    Liked by 1 person

  17. LTR permalink
    17 Outubro, 2017 16:03

    Por acaso gostava de ver a cara dos deputados do PCP e BE na moção de censura do CDS a levarem com as frases que disseram no passado sobre demissões!

    Liked by 1 person

  18. Expatriado permalink
    17 Outubro, 2017 16:20

    Eles matam de várias maneiras

    “Em 2016, 2.605 doentes morreram à espera de cirurgia, dos quais 231 eram doentes oncológicos.”

    http://observador.pt/2017/10/17/acesso-ao-sns-degradou-se-entre-2014-e-2016-e-ministerio-falseou-dados-sobre-cirurgias-acusa-tribunal-de-contas/

    Liked by 1 person

    • 17 Outubro, 2017 16:26

      De que esteve à espera a iniciativa privada para salvar estes doentes?
      Talvez uma PPP…

      Gostar

      • Expatriado permalink
        17 Outubro, 2017 16:43

        Talvez estivessem convencidos que o determinado na CRP fosse cumprido pelo(s) governo(s)…

        Liked by 1 person

  19. Manuel permalink
    17 Outubro, 2017 16:41

    A insegurança está instalada no país, não foi preciso terrorismo urbano. Penso que não chega demitir a Ministra, Costa não quer governar e orienta-se por sondagens, assim, esperemos pela próxima tragédia. Sinceramente, penso que o regime democrático começa a dar sinais de estar dominado por um Estado capturado e em colapso. O Estado gasta 50% do PIB para se auto-alimentar e depois não responde a nada. Vejam o demagogo a falar no cadastro, ordenamento florestal, controlo das terras abandonadas e deixa arder 80% do Pinhal de Leiria. E as esganiçadas e o seu apóstolo(ouvi-o na sic) sempre a atacar o eucalipto e a propriedade privada e sobre Leiria, silêncio. Estou muito triste e pessimista, receio por mim e pelos portugueses.

    Liked by 1 person

    • 17 Outubro, 2017 17:50

      Ainda desconheço o local, mas lá estarei no Domingo contra a canalhada !

      Gostar

    • lucklucky permalink
      17 Outubro, 2017 18:16

      A esquerda vai aproveitar a tragédia que criou para fazer a tão ambicionada “reforma agrária” = leia-se tirar terras ás pessoas para eles e os seus interesses e amigos.

      Liked by 1 person

  20. Procópio permalink
    17 Outubro, 2017 17:39

    Procópio PERMALINK
    16 Outubro, 2017 23:33
    Um dia teremos que adiar o blog para fazermos algo.

    MJRB PERMALINK
    17 Outubro, 2017 00:41
    Provavelmente “isto” não vai lá só com palavreado escrito…
    A fotografia do Hélio correu mundo. Se não atuarmos seremos engolidos não só pelo fogo mas peça incúria. A incúria mata e o celinho protege-a.
    Temos que nos manifestar contra o hipócrata primeiro, contra a mafia logo a seguir e os aventais a seguir, sem descanso.
    O diagnóstico está feito.

    Vitor PERMALINK
    17 Outubro, 2017 11:18.
    Há que agir.
    O povo sairá à rua antes que o queimem e esmaguem a partir de S. Bento e da central de negócios.

    Gostar

  21. Procópio permalink
    17 Outubro, 2017 17:45

    https://sol.sapo.pt/artigo/584779/habituem-se-a-morrer
    Não nos habituaremos a que façam connosco o que o ministro da saúde faz com as listas de espera, suprime.

    Gostar

  22. 17 Outubro, 2017 17:48

    Há minutos, um jornalista perguntou ao AC-DC se iria pedir desculpas aos portugueses. Resposta da criatura, blá,blá.blá, “é tempo de arregaçar as mangas” e mais umas frases feitas, opacas, ocas. Não tem carácter algum para pedir desculpa !

    Liked by 1 person

  23. Arlindo da Costa permalink
    17 Outubro, 2017 18:57

    O problema é estrutural.

    E as alterações climáticas são cada vez mais severas.

    Para o ano poderá ser muito pior. A segurança começa em cada um de nós. Eu se estivesse à espera que o governo me salvasse o coiro estava morto a esta hora.

    Gostar

    • António C. Mendes permalink
      17 Outubro, 2017 19:09

      Héhéhéhé! PESSOAL, ARRE LINDO DIXIT!!!

      “A segurança começa em cada um de nós. Eu se estivesse à espera que o governo me salvasse o coiro estava morto a esta hora.”

      Fosca-se!

      Gostar

  24. Euro2cent permalink
    17 Outubro, 2017 20:23

    Por muito menos do que isto o camarada presidente Sampaio demitiu um governo doutra cor,

    Adiante, ou atrás, o título é interessante …

    > A propaganda nunca resiste à realidade

    … e por acaso acho que é ao contrário – desde que os merceeiros tomaram conta disto no século XVIII, e ligaram a máquina publicitária a todo o vapor, que a realidade parece um monte de areia a esvair-se sob um jacto de água.

    Não me surpreenderia que em breve passássemos todos a andar com as mãos no chão a fazer o pino, e a comentar como os antepassados eram tão atrasados que não tinham descoberto esse meio genial de locomoção.

    Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: