Skip to content

A Ideologia do Ódio

23 Janeiro, 2018

Era imperioso voltar a este tema. Sobretudo depois das reacções de algumas senhoras ao meu texto sobre assédio sexual. A discussão instalou-se no seio de algumas leitoras que de repente atacam como se houvesse discordância sobre o essencial. Mas há dúvida que TODAS as mulheres do Mundo abominam a violência e o abuso sexual sobre as mesmas? Pelo visto, sim. E a razão é muito simples: a ideologia do ódio já chegou também aqui.

O marxismo cultural é das ideologias mais perigosas que existem pela forma como se infiltra nas sociedades sem que as pessoas alvo se dêem conta. Fracturam, segregam e criam caos com recurso ao radicalismo extremista, para criar um novo Mundo facilmente dominável e dependente. É assim com os movimentos LGBT, com a questão islâmica, com as minorias  e agora as feministas. Como se estas questões não pudessem ser resolvidas com discursos moderados e sensatos apelando à aceitação e integração sem ódios. O problema é que do lado dos radicais não há espaço para o meio termo. Para o equilíbrio. Ou é tudo ou nada. Propositadamente. E é aqui que surgem as crispações.

Quando me insurjo contra as feministas extremistas não é porque aceito o assédio sexual. Abomino o assédio em todas as suas formas, sobre todas as pessoas, sejam mulheres, homens, idosos, crianças, deficientes, mendigos ou gays. É sim, porque abomino a ligeireza de rotular tudo como assédio. Porque o assédio é uma forma criminosa de subjugação, já contemplado na nossa legislação, a que ninguém pode ficar indiferente. Mas, cuidado! Passar de uma sociedade de homem machista que oprime e desrespeita mulheres para uma sociedade feminista machista que persegue agora os homens, não é evoluir. É inverter papeis de domínio.

Não quero que no futuro meu filho seja vítima desta loucura e vê-lo um dia ser preso porque tentou seduzir sem maldade, alguém.  As fronteiras entre o galanteio e o assédio estão de tal forma ténues que o simples olhar para uma rapariga bonita que passa na rua já é condenado. Foi exactamente isso que eu vi no programa da SIC, “E se Fosse Consigo”, em que uma miúda contabilizava de forma negativa todos os homens que a observavam à sua passagem como se isso fosse algo de terrível. Mas agora o que é belo não pode ter reacção? O que andamos nós a ensinar à nova geração? A odiar? Por outro lado, que reacção teriam as senhoras se um homem desfilasse na passadeira vermelha de Hollywood com uma vestimenta que pusesse seu sexo à mostra tal como algumas atrizes? Achariam ou não, provocatório? E se todas olhassem para ele, seria assédio? E levanta logo uma outra questão muito pertinente: e se for uma mulher a olhar para outra mulher bonita à sua passagem, é assédio? A ambiguidade desta questão levanta problemas sérios porque apesar de eu ser mulher nada me garante que outra fêmea homossexual não se sinta violada pelos meus olhos. E é esta questão interpretativa do que é ou não assédio, que convém travar antes que se torne lei. 

Outra questão que não suporto ouvir é que as mulheres não violam, não agridem, nem são protagonistas de assédio sexual. É falso. Elas não só fazem isto tudo como usam o assédio para atingir fins, sejam económicos, sejam profissionais. E nisto são peritas.  Sejamos honestos. Dizem essas feministas para se justificarem que, a existirem, estas  mulheres são em número reduzido. Falso outra vez. O que a vida me mostrou é que, não há queixas de assédio sexual por parte dos homens porque eles simplesmente não o vêem como crime. Aceitam e gostam. Não entram nunca por uma esquadra adentro para se queixarem do assédio (e elas sabem disso). Daí o silêncio das estatísticas.

Mas não são os únicos neste silêncio. Em tempos fui perseguida até ao limite por uma mulher a quem me neguei dar atenção depois de uma entrevista de trabalho. Seguiram-se ameaças constantes, mensagens e telefonemas  a qualquer hora do dia e noite. Acabou por desistir. Mas ainda hoje guardo tudo no tlm por precaução. Noutro episódio, num vestiário de uma loja de roupa, fui descaradamente tocada pela modista que me apertava o vestido. Nunca mais lá voltei. Dizer-se que  o assédio é uma mera questão masculina é redutor. Desde a libertação LGBT somos todos alvos. E elas, também agem de forma patológica sobre as vítimas. E nós mulheres também nos calamos sobre o assédio feminino.

As mulheres tardam em perceber que o fenómeno do assédio sexual masculino só se combate na educação de berço. Que são ELAS que têm o poder como mães de mudar esta realidade e que se temos os homens que temos é precisamente devido à educação que receberam ou não receberam da parte delas.

Porque todo o menino que aprende a respeitar, amar e proteger as meninas, com o exemplo dos pais em casa, não se torna num predador sexual.

 

 

 

 

Anúncios
26 comentários leave one →
  1. Cristina frazao permalink
    23 Janeiro, 2018 09:00

    Concordo em absoluto.
    Piropos não é assédio.

    Gostar

  2. Democrata com larga experiência — Vende-se permalink
    23 Janeiro, 2018 09:00

    Cara Cristina,

    »As mulheres tardam em perceber que o fenómeno do assédio sexual masculino só se combate na educação de berço«…

    Qual a percentagem de mulheres (e homens) que actualmente terão a mínima noção do que é educação? Muito menos de berço. Agora junte educação e berço e o número de ignaros aumenta exponencialmente.

    Liked by 1 person

  3. JgMenos permalink
    23 Janeiro, 2018 09:21

    Os pastores-predadores que propõem instalar-se no topo da pirâmide do marxismo cultural requerem do rebanho a acrítica submissão a palavras-chave.
    Todo o tema é tratado à luz desse princípio.

    Gostar

  4. DNO permalink
    23 Janeiro, 2018 13:54

    Como eu gostei de ler este artigo!
    Finalmente uma análise séria e descomplicada sobre um assunto que se está a tornar desconfortável e excessivamente (mal) debatido.
    As mulheres assediam, sim, e normalmente dão-se bem com isso.
    E os piropos giros não são assédio.
    Comecei a notar que estava a ficar velha quando eles começaram a faltar…os piropos!
    Bom dia!
    DNO

    Liked by 2 people

  5. 23 Janeiro, 2018 14:45

    Blá blá blá, , as mulheres também cometem assédio, blá blá blá, eu estou preocupada é com o meu filho, (o outro raposo como tem duas filhas quer lá seu), blá blá blá, o marxismo cultural é um perigo, blá blá blá (deixa-me usar linguagem do marxismo cultural como se fosse verdade com “machismo” e feministas radicais, como se o outro “feminismo” não fosse “luta de classes” ) . Blá blá blá, os meninos são defeituosos à nascença e a única maneira de não se tornarem em predadores sexuais, é “educa-los”, a amar, a respeitar, e a proteger as meninas que essas são donzelas(____ ausência de referência à educaçãodas meninas) aka #HeForShe e viva a “igualdade”, acabemos com o ódio, e agora vai morrer a trabalhar seu porco machista e potencial estuprador, que eu tenho de ir acabar de ler o meu livro favorito as 50 sombras de grey.

    Gostar

    • Democrata com larga experiência — Vende-se permalink
      23 Janeiro, 2018 14:59

      Espero que os seus descendentes, independentemente de outro tipo de educação, tenham aprendido (aprendam, se ainda a tempo) a escrever correctamente.

      Gostar

      • Viriato de Viseu permalink
        23 Janeiro, 2018 20:59

        E a não ser idiota…

        Gostar

      • 24 Janeiro, 2018 00:04

        Os eunucos democratas com larga experiência, adoram uma festinhas no pêlo depois de um longo dia de trabalho, das suas marias capazes feministas lhes metem os cornos com os vândalos inspiradas pelos 50 shades ,e em casa lhe chamam machistas por não fazerem o suficiente nas lidas da casa. Isto até ao dia em que se cansam deles, pedem-lhes o divorcio, tiram-lhes os filhos que os consideram exclusivamente seus, e mandam-nos para as barras to tribunal, acusando-os com muitas falsas lágrimas de violência doméstica e de abusos sexuais aos filhos. Livram-se deles para sempre, destroem-lhes a reputação, e ainda garantem a sua escravidão financeira, ao qual são obrigados a pagar mensalmente as suas mordomias. Faça questão de “educar” os seus descendentes nessa grande e “larga experiência democrática” de “amar”, “respeitar” e “proteger” sempre as meninas, caso contrário de acordo com a sua estimada capaz se tornarão nuns predadores sexuais, e garanta continuação da sua espécie, como uma cambada de eunucos que são. Eu ensinarei os meus a não escrever correctamente. Ou será antes corretamente ?

        Gostar

  6. Arlindo da Costa permalink
    23 Janeiro, 2018 17:06

    «Marxismo Cultural»???? Que idiotice, Drª Cristina.

    Atribuir a Marx estas liberalidades do mundo «moderno» neo-liberal é de partir o côco.

    Não vá por aí. Você consegue melhor…

    Gostar

    • JgMenos permalink
      23 Janeiro, 2018 17:24

      O marxismo-cultural tem de Marx o princípio de que é preciso inventar o que está inventado, do leninismo que isto só vai à porrada, e do liberalismo mais básico bebe que toda a merda pode ser servida ao rebanho.

      Liked by 1 person

    • André Miguel permalink
      23 Janeiro, 2018 17:43

      Já o Arlindo consegue sempre pior…

      Gostar

  7. André Miguel permalink
    23 Janeiro, 2018 17:42

    Sempre quero ver que papéis é que as actrizes do #metoo vão arranjar… quem arrisca contratá-las depois deste berreiro? Hollywood vai ficar muito interessante. O que fica é que tudo aquilo em que o marxismo toca merdifica…

    Liked by 1 person

  8. PA, permalink
    23 Janeiro, 2018 18:24

    O Lobie gay a funcionar ao mais alto nivel. querem os homens todos paneleiros?
    99,9% das mulheres de certeza que não querem isso. DEIXEM OS HUMANOS EM PAZ

    Gostar

  9. Arlindo da Costa permalink
    23 Janeiro, 2018 18:25

    A ignorância e a iliteracia faz escola neste blogue.

    Marx. lá em cima, no Olimpo, deve estar a rir-se destes pobres de espírito 🙂

    Gostar

    • 23 Janeiro, 2018 19:08

      O inferno é lá em cima?

      Gostar

    • 23 Janeiro, 2018 19:17

      Marx era ateu. Primeiro surpreendeu-se e depois borrou-se de medo.

      A borrada ainda continua. Havia no senhor Marx ainda muita trampa.

      Gostar

      • Arlindo da Costa permalink
        23 Janeiro, 2018 20:23

        Marx era um sacana dum judeu, ó farsante. Até tinha aquelas barbas dos porcos dos judeus ortodoxos!

        Gostar

      • 23 Janeiro, 2018 22:39

        O Arlindo da Costa deve informar-se àcerca do seu ídolo. Já ouviu falar de materialismo dialético?

        É pena que eu verifique que até conheço melhor a essência e a filosofia do comunismo do que a totalidade dos comunistas. Não me espanta: ou são muito burros para a aprender ou ainda mais burros para a compreender.

        Gostar

  10. 23 Janeiro, 2018 19:16

    Cristina,

    O Marxismo Cultural quer uma coisa: a decadência do Ocidente. Leiam por favor a história de Balaão na Bíblia, no Livro de Números. Por alguma coisa se fala em Doutrina de Balaão.

    A China acaba de proibir a música (categoria tosca!) RAP. A Rússia proibiu há alguns meses vários sítios pornográficos. O KGB financiava vários grupos musicais ocidentais, os quais proibia na URSS, nos anos 70. Não lhe deixa dúvidas o médico que lhe receita o que ele mesmo se coíbe de tomar?

    Quando se percebe porque é que um burro fala na Bíblia (o jumento de Balaão), percebe-se quão burros são os que não lêem e não escutam.

    Gostar

  11. Expatriado permalink
    23 Janeiro, 2018 21:50

    Desde que o “boneco” não venha programado para mandar uns piropos, isto vai ser um sucesso com as gajas.

    http://observador.pt/2018/01/23/chegou-o-novo-robo-sexual-para-mulheres-tem-um-penis-bionico-e-abdominais/

    O Arlindocas é o primeiro na fila das encomendas .

    Gostar

    • 23 Janeiro, 2018 22:43

      O Arlindo não precisa. No PS e no BE a heterossexualidade é desencorajada, e pouco faltará até que seja proibida.

      Falta saber de que lado da Casa Pia ficará o Arlindo.

      Gostar

  12. maria permalink
    23 Janeiro, 2018 23:01

    Parabéns Cristina, por mais outro texto cinco estrelas. Completamente d’acordo com tudo quanto escreveu. Os piropos nunca foram sinónimos de assédios sexuais nem antes do 25/4 nem depois. Quem diz o contrário e os quer proibir devem ser mulheres lésbicas que odeiam os homens, só pode. E perante a personalidade por demais evidente das deputadas feministas e de outras feministas (todas elas comunistas) que estão por detrás do urgente debate e aprovação na A.da R. (tendenciosa ao máximo) desta matéria dúbia pela maioria dos deputados(?) todos estes comunistas, não se pode deduzir outra coisa.

    Força Cristina, continue a denunciar o que vai mal neste infeliz país dominado pela maçonaria comunista, que tudo quanto aqui vai escrevendo tem a aprovação de 90% dos portugueses de bem.
    Maria

    Liked by 1 person

  13. José Domingos permalink
    23 Janeiro, 2018 23:04

    Tanta indignação pelo assédio sexual, agora que atingem o topo da carreira.
    E as Mulheres, que têm que aturar o chefe o patrão o colega mais velho e a calar a vergonha, para manter o seu posto de trabalho, porque precisa de trabalhar, mas isso não interessa ao merdia jornalixo, ninguém sabe quem são.
    Existem milhares de “machos” latinos, que só assim é que conseguem ter algum tipo de relacionamento, uns merdas.
    Quantas mulheres não conseguiram emprego, não por terem melhores aptidões, mas por terem “aquecido” o futuro empregador, um baboso.
    Quantos impérios não caíram já á conta das mulheres.
    Não há inocentes nesta história.

    Gostar

  14. Arlindo da Costa permalink
    23 Janeiro, 2018 23:28

    O paneleirismo mundial é culpa do Marx. Digam isso ao Lenine e ao Jerónimo 🙂

    Ah palhaços! 🙂

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: