Saltar para o conteúdo

Alta-ajuda

17 Maio, 2018

matrioska-2

 

O desporto entrou numa espiral de violência e António Costa já se encontra a tratar do problema. Não do problema da violência, claro, mas do problema de ainda não ter conseguido arranjar bons empregos para todos os amigos do Partido Socialista. A generalidade dos gurus do pensamento positivo e da auto-ajuda destaca a importância de conseguirmos transformar os acontecimentos negativos em oportunidades, mas nunca ninguém conseguiu aplicar tão bem essa panaceia como o nosso primeiro-ministro. E é por isso que vamos poder contar, a breve prazo, com uma Alta Autoridade contra a Violência.

A ideia parece-me positiva, principalmente por se tratar de uma Alta Autoridade. Toda a gente sabe que os pequenotes têm dificuldades acrescidas quando se trata de pancadaria, pelo que uma Baixa Autoridade contra a Violência seria sempre de evitar. Por outro lado, no que se refere a empregos públicos bem remunerados, é também uma boa aposta. Não é impossível que, a médio prazo, os próprios elementos da Alta Autoridade contra a Violência se envolvam em zaragatas internas, e isso permitirá, desde logo, a criação de uma Alta Autoridade contra a Violência na Alta Autoridade contra a Violência.

 

Anúncios
20 comentários leave one →
  1. JgMenos permalink
    17 Maio, 2018 14:27

    Mais quadros para a PJ seria uma vulgaridade; Alta-Autoridade é outra coisa, solene, impressionante, só o nome já faz efeito.

    Gostar

  2. LTR permalink
    17 Maio, 2018 15:26

    Penso que falta uma outra questão na análise: em todos os casos difíceis, António Costa utiliza de uma tática comum, que é arranjar soluções de resultado diferido no tempo, apenas verificável daqui a anos. E faz o mesmo com promessas de devoluções e pagamentos, ao mesmo tempo que procede a cortes e subidas de impostos em negação ostensiva. Quando não é possível arranjar nada, vai de viagem ou oculta-se do espaço mediático. Isto não é política. Isto é uma demonstração de caráter. Já foi feito com a reforma da segurança social “para 100 anos” no tempo de Guterres/Ferro Rodrigues/Vieira da Silva, com a Proteção Civil e com a floresta. Quando falha, faz de novo outra revolução. Já não consigo perceber se ele tem graves problemas de coeficiente de inteligência ou se faz dos outros atrasados mentais.

    Liked by 1 person

  3. José Domingos permalink
    17 Maio, 2018 15:36

    Isto não vai dar nada. No futebol não se toca, pensamos e votamos com a carteira, o resto é conversa para encher chouriços.
    A questão dos jobs for the boys, é sempre dos outros, o ps não, digamos que têm o direito hereditário de o fazer e depois são de esquerda, o que lhes dá a autoridade moral para o fazer

    Gostar

    • LTR permalink
      17 Maio, 2018 16:06

      Querem taxos mas depois os ministros desaparecem sempre, a começar pelo da administração interna e quem fala é o Costa, como o Maduro na Venezuela.

      Liked by 1 person

  4. Mario Figueiredo permalink
    17 Maio, 2018 16:16

    O Socialismo e a sua praxis como já é difícil de observar em outros países do mundo ocidental. A crise não é crise. O obstáculo não é obstáculo. São sempre bem vindas e uma excelente oportunidade engrossar o peso do estado e estender o seu papel de controlador. Até mesmo quando não existe um problema; quando existe apenas a falsa percepção de um problema, gerado de forma artificial pelos media — uma das muitas razões porque o socialismo é tão fascinado pelos meios de comunicação.

    Temos pois assim mais um organismo do estado. Um grupo de bandidos são o pretexto que basta para adicionar mais uns poucos funcionários públicos e reforçar o regime socialista naquele que é um dos últimos bastiões do socialismo marxista na Europa. Não basta fazer impor a lei e deixar os sistemas judicial e penal a inibir, moderar e reabilitar o comportamento criminoso, bem como as instituições, neste caso desportivas, com os meios que têm à disposição. Aliás, o sistema judicial em particular quer-se fraco, ineficaz e até mesmo minado de desconfiança, de forma a mais facilmente justificar o alongamento do braço do estado. Porque em nenhum estado de direito poderia alguma vez existir um organismo estatal para combater a violência sem que isso revele a falência do “direito” em “estado de direito”.

    Ao estado socialista não compete fazer cumprir a acção judicial e fazer um ultimato às instituições desportivas para agirem em conformidade com as suas responsabilidades sociais sob pena de verem revogadas licenças, ou direitos. Nem pensar. O estado socialista simplesmente aproveita a situação para engordar um pouco mais.

    Este era o estado lá para 2011. Imagine-se como já deve estar nos dias de hoje: http://desmitos.blogspot.pt/p/organismos-do-estado.html

    Liked by 1 person

    • Mario Figueiredo permalink
      17 Maio, 2018 16:33

      Um bom socialista vê uma situação como a de Alcochete e de imediato acusa o estado. “É culpa do estado!”, diz ele. Por exemplo, o DN — o principal pasquim socialista cá do burgo — já ontem nos fazia lembrar a todos nós em tom gravoso como este governo já à um ano que andava a falar em fazer alguma coisa em relação à violência no desporto e nada fez. Mau, mau governo!

      Entretanto, se os bons socialistas estão calados ou existe a ideia que possam não ser ouvidos, a governação se encarrega de se culpar a si mesma. É por isso que vimos o circo todo montado com figuras do governo e extra-governação tais como o Marcelo e o Ferro Rodrigues (aka estou-me-cagando-para-o-segredo-de-justiça), a se pronunciarem de forma gravosa sobre Alcochete, para garantirem que este é um problema político e que precisa de decisões políticas. O PR em particular foi inestimável na sua condenação à “vexame nacional”. Isto é até um caso internacional, veja-se. Não importa se miúdos andam a fazer massacres em escolas nos Estados Unidos, ou se que aqui ao lado na vizinha Espanha existem agricultores a praticarem escravatura. Alcochete é caso de vergonha nacional. E portanto também por isso um caso político.

      E percebe-se bem porque é que estes socialistas querem que o problema seja seu.

      Gostar

  5. 17 Maio, 2018 16:41

    Subscrevo todos os anteriores comentários.

    Só mais esta, que eu não esperava de todo porque estamos só a 24 horas do anúncio dessa tal “autoridade”, mas que também não me surpreende: há um gajo já delirado porque expectante por ser convidado para integrar essa “autoridade”. Nome ? Quereis ópereta “socialista”…fiquemos por um pimba.

    Gostar

  6. 17 Maio, 2018 16:41

    Ah ! o post é óptimo ! Certeiro !

    Gostar

  7. Vitor permalink
    17 Maio, 2018 17:15

    O setor de futebol é financiado com milhões/dezenas (centenas?) de milhões de euros de dinheiro público anualmente. Isto é feito de forma direta (apoios publicos) e indireta (isenções fiscais). Supostamente a justificação de se atribuírem estes apoios e isenções aos clubes e às SADs é o facto de serem instituições de interesse público que promovem valores desportivos e éticos. Olhando para o estado do futebol português não sei se este investimento estará a ter retorno. Penso que uma reavaliação de todos os apoios e isenções atribuídos a estas instituições se impõe num país que impõe uma das maiores cargas fiscais de sempre sobre os seus cidadãos. Talvez seja uma boa altura para se reverem as prioridades fiscais.

    Liked by 1 person

    • 17 Maio, 2018 17:45

      Permita-me que o corrija:
      1) Instituições de Utilidade Pública.
      2) Há apoios do Estado, disfarçados ou não.
      3) Os clubes e SAD’s estão obrigados a declarar resultados à autoriddade fiscal do Estado e, à CMVM. Diferença: há umas “espertices” de que os tugas são peritos, para dubriliar…
      4) Não há retorno. Os clubes estão falidos, fazem época desportiva após outra colocando os problemas debaixo do tapete sobre o qual de quando em quando passam excitados governantes… Ironia: consta que o Paços de Ferreira cumpre com todas as obrigações fiscais, ordenados em dia, etc., desceu de divisão… E a Liga, e o Estado, que atiram leis punitivas para quem não cumpre, permite que estes continuem nas competições ?…
      5) Os apoios, as prioridades, os perdões, os esquecimentos(!) fiscais vão continuar; os governos precisam do mundo e do submundo do futebol.
      6) A maioria dos cidadãos querem é “bola”, pagam impostos e não bufam…

      Gostar

    • JCA permalink
      17 Maio, 2018 18:00

      .
      Sou a favor de isenções fiscais não ponograficas,
      .
      não sou a favor da falta de transparencia, cada eleitor têm o direito de saber e escrutinar nas Contas Gerais do Estado quanto é que cada ‘isento’ recebe por essa via dos Impostos dos outros;
      .
      ou seja, um mecanismo transparente, justo e sério:
      .
      os ‘isentos’ deveriam pagar todos os Impostos como qualquer outro contribuinte
      .
      e a seguir a Autoridade Tributária e Aduaneira num prazo fixo obrigatorio procederia á fiscalização do enquadramento legal caso a caso, passava o cheque de reembolso e registava para o total anual oferecido a cada isento surgir listado nas Contas Gerais do Estado sem excepções.
      .
      Apenas uma questão de não obscurantisno, escrutinio publica e transparencia pois nada contra a existencia da figura politica ‘isenção fiscal’.
      .

      .

      Gostar

  8. 17 Maio, 2018 17:19

    Sou contra a Altas Autoridades. É só motoristas e modormias, salários principescos para os gestores, secretárias boazonas, portáteis dos fininhos para todos. Porque não um Observatório? Já existe? Então um Novo Observatório.

    Gostar

  9. JCA permalink
    17 Maio, 2018 17:37

    .
    é o ´Cavalo de Troia´?
    .
    dizem para aí, terrorismo nos incendios que ‘limparam o sarampo’ a cento e tal, terrorismo no futebol, terrorismo no ‘desfalque’ de bancos etc … é terrorismo por todo o lado …. na bola, nos bombeiros, na proteção algures e nenhures, nas bancas etc ,,,….. afinal ‘onde está o baú’? )))
    .
    No pasa y nunca paso nada; chegou o calor, praia e umas jólas fresquinhas, amanhem-se, está na cara, depois chama-lhe ´leoes e futebois’ dizem os ‘fake news’, os ‘conspiracionistas’, os catastrofistas’ ?!?
    .

    Gostar

  10. Arlindo da Costa permalink
    17 Maio, 2018 17:55

    Há que por cobro no vandalismo, terrorismo, corrupção e crime organizado que grassa no futebol português.

    Gostar

    • 17 Maio, 2018 18:35

      Mas há ainda muitos empecilhantes pintoscunhascostasmonteiroscandidasnorronhasrodriguesalmeidas(re)nascimentos

      Gostar

    • A. R permalink
      17 Maio, 2018 21:07

      Que tal por cobro ao empregadorismo do Cesar dos Açores?

      Gostar

  11. 17 Maio, 2018 18:33

    Só me dá vontade de rir, já é á descarada! É só taxos e mais taxos… está em descontrolo e não há quem ponha fim nisto! O país já transborda de arlindos!

    Liked by 1 person

  12. Juromenha permalink
    17 Maio, 2018 20:55

    América Latrina dos pobrezinhos…

    Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: