Saltar para o conteúdo

E que tal investigar um pouco antes de escrever?

28 Abril, 2019

«A moda portuguesa mudou com o 25 de Abril. Sabe o que se vestia antes?
Portugal estava isolado e o que se passava no resto do mundo mal chegava cá. Um país a preto e branco, no estado de espírito e até na roupa. Enquanto que “lá fora”, as mulheres usavam as calças à boca de sino, as mini saias, os vestidos justos e as plataformas, por cá, quem usava calças eram praticamente só os homens e as mini saias e decotes eram censurados. Os looks das portuguesas antes da revolução eram então os vestidos cintados e abaixo do joelho, os saltos muito baixos, a gola alta, padrões florais e xadrez, mas muito discretos.
Basicamente o que fosse permitido pelo regime de Salazar

Há dias infelizes na vida de qualquer um. E entre aqueles que escrevem a infelicidade é acrescida pelo facto de tudo ficar registado para a posteridade. Mas este artigo é um sério candidato ao prémio de cada palavra cada asneira. Recomenda-se vivamente uma ida às bibliotecas.

Anúncios
45 comentários leave one →
  1. Oscar Maximo permalink
    28 Abril, 2019 11:16

    E não foi só a moda mudou com o 25 de Abril. Passou-se a usar pagers, telemóveis e GPS. E foi criada a Ponte 25 de Abril.

    Liked by 1 person

  2. 28 Abril, 2019 11:20

    Verdade reposta!

    Liked by 1 person

  3. 28 Abril, 2019 11:38

    Aquelas fotografias constantemente publicadas nos vinteecincodeabrissempresempresempresempresempre serão montagens?

    Gostar

    • 28 Abril, 2019 15:24

      Em grande parte são. Não esquecer que eu VI o Estado Novo e vivi nele. Sei do que falo. A Ponte Salazar foi aberta quando eu tinha 7 anos. A moda e as festas, o desenvolvimento da industria, das casas, do povo que foi viver nas cidades, foi como foi e não como a esquerdalha conta! Esquerdalha inclui MRS!

      Liked by 2 people

  4. JgMenos permalink
    28 Abril, 2019 11:42

    O cenário dos anos 30 é aquele em que a esquerdalhada se sente confortável para fala do Estado Novo.
    A vizinhança com a 1ª Republica fingem ignorá-la…

    Liked by 3 people

  5. Mario Figueiredo permalink
    28 Abril, 2019 11:44

    E se fosse só a moda… O discurso abrilista tem reescrito muita da história da 2ª República. Portugal — as suas personagens e história recente, os seus media, até os nomes das nossas suas ruas — faz lembrar a Angola do MPLA e a forma como este partido reescreveu a história da luta armada pela independência e todos os anos que se seguiram.

    Já muito dano foi feito. Apenas alguns resistentes procuram preservar a verdade da nossa história recente; o Porta da Loja sendo talvez o melhor exemplo. O resultado de tudo isto não o sei. Mas julgo acreditar que vão ser precisas mais uma ou duas gerações para nos libertarmos da narrativa de Abril e do socialismo educador.

    Liked by 4 people

    • 28 Abril, 2019 11:51

      «[…]vão ser precisas mais uma ou duas gerações para nos libertarmos da narrativa de Abril e do socialismo educador.»
      …e seria bom que isso se fizesse pacificamente.
      As eleições espanholas de hoje podem revelar-nos o nosso futuro próximo face ao destino a dar às democracias relativamente recentes da Península.
      A ideia que tenho é que os espanhóis se fartaram de educadores e de paizinhos do povo. Da forma como a Espanha reagir hoje se pode inferir daquilo que poderá ocorrer entre nós nos próximos tempos.

      Liked by 1 person

  6. Myrddin Emrys permalink
    28 Abril, 2019 11:59

    A menina de verde
    É você, Helena?

    Gostar

  7. 28 Abril, 2019 12:11

    Começa a ser muito difícil prever o passado em Portugal.

    Não vamos para Caracas. Seremos Caracas.

    Liked by 2 people

  8. 28 Abril, 2019 14:13

    A História contada à moda da esquerdalha.

    Liked by 2 people

  9. Luis permalink
    28 Abril, 2019 15:29

    O português sempre foi conservador em questões de imagem. Não houve em Portugal a moda dos dandies. As elites nunca tiveram a irreverência estética das elites francesas, italianas ou espanholas. Isto não tem a ver com política. Tem a ver com a cultura do povo. Mas também somos carneirada, de pancas. Quando era criança era inimaginável que um homem conseguisse um emprego com tatuagens visíveis ou que se depilasse. Hoje em dia, e cada vez mais, aumenta o número de viciados em tatuagens, e nas camadas mais jovens, um homem que não depile o peito é excluído (há 30 anos um homem de peito hirsuto era um «sex symbol» e o favorito das mulheres, afinal trata-se de um sinal de saúde hormonal e um indício de inteligência e fertilidade, mas agora é moda renegar a Natureza e a Biologia).

    Liked by 1 person

    • EMS permalink
      28 Abril, 2019 19:39

      Quer dizer, depende da tatuagem. Se dizer “Guiné 1968 Amor de mãe”, ou algo do género, se calhar até arranjava emprego.
      Mas mesmo hoje em dia é arriscado ir-se a uma entrevista de emprego com tatuagens visíveis
      Agora isso de associar peito peludo com uma suposta inteligência do seu portador é a primeira vez que oiço falar.

      Gostar

      • Luis permalink
        28 Abril, 2019 20:52

        É só procurar a informação no Google. A DHT, hormona responsável pelo desenvolvimento dos pêlos no peito e pernas dos homens, também está presente no cérebro, onde desempenha funções cognitivas. Os homens que são castrados quimicamente perdem capacidades cognitivas, e isso é notório a nível da memorização. Além disso, os caracteres sexuais secundários dos homens, como a barba, pêlos corporais, massa muscular, são sinais aos quais o lado mais primitivo do cérebro feminino responde…

        Gostar

  10. licas permalink
    28 Abril, 2019 15:33

    A brigada do reumático não desiste de contar mentiras
    sobre a Ditadura Nacional fundada e desenvolvida por Salazar-Caetano…

    Gostar

  11. licas permalink
    28 Abril, 2019 15:47

    Para eles a Polícia Política (PIDE), carrascos dos Direitos Humanos,
    a Censura Prévia dos jornais, a apreensão de livros julgados “subversivos”,
    a Legião Portuguesa ajudando à detecção de “perigosos” Democratas,
    a preocupação em manter a boca calada não vá o Diabo tecê-las, tudo isto e o mais
    que presenciei são meros episódios sem importância.

    Gostar

  12. Artista português permalink
    28 Abril, 2019 18:14

    Caramba! Estávamos a precisar de um Fernando Rosas no feminino. (Ou será transgénero?)

    Gostar

  13. EMS permalink
    28 Abril, 2019 19:42

    Eu em 1973 já sabia ler e escrever.
    Talvez por ter crescido num meio rural não me lembro de ver mulheres com calças sem ser nos filmes.
    E saia muito acima do joelho já dava para se atribuir certos rótulos á menina que a usasse

    Gostar

  14. Leunam permalink
    28 Abril, 2019 21:19

    As mentiras de Abril estão por todo o lado.

    Nas Escolas, nos Jornais, na Rádio e na Radiotelevisão paga por todos nós enfim, em cartazes e no discurso político de toda a esquerdalha que por aí pulula.

    Pela minha parte tenho desmascarado todos os mentirosos e propagadores de mentiras que posso.
    Vivi quase metade da minha vida do tempo do Estado Novo e nunca me canso de recordar tudo o que, como cidadão anónimo e originário de classe média baixa, recebi fruto do desenvolvimento que os anos de 45 a 70 o Estado Novo trouxe a Portugal.

    Ainda não há muito tempo, tive a grata satisfação de ver publicada aqui, pela mão amável de Cristina Miranda uma parte de um escrito meu que também o José da Porta da loja, fez o favor de Publicar, faz anos.

    Uma mentira dita muitas vezes passa a ser considerada verdade.
    É técnica muito grata à esquerdalha.

    Na minha infância e adolescência vivi e convivi com um povo rural do interior de Portugal e sempre me apercebi do RESPEITO e ESTIMA que o Povo em geral e os mais simples, em particular, tinham pelo nome de Salazar.
    Recordavam, os mais velhos, que bem os ouvi, os terríveis tempos passados desde a Implantação da República até 1930, com muita amargura, com a partida de muitos familiares para a emigração, com a fome e falta de trabalho endémicos e isso se foi revertendo, paulatinamente, até 45.
    E se não se melhorou a vida do Povo mais depressa, foi porque houve a Guerra de Espanha e a 2ª Guerra Mundial que muito atrasaram o Progresso sempre crescente que foi a nota principal do Estado Novo.

    Muitos dos que dizem mal do Estado Novo, beneficiaram, ainda HOJE beneficiam muitíssimo directa e indirectamente do que aquele regime construiu e deixou de herança a TODOS os Portugueses.

    Eu até compreendo que os “licas”, os “arlindos” e quejandos sintam uma pedra no sapato em relação à PIDE, mas se eles ou os familiares sofreram alguma repressão foi porque não obedeceram às leis vigentes à época, MAIS NADA.
    E quando alguém não obedece à Lei vigente, o que espera? Não é também assim agora?

    Sugiro a todos, que passem pelo Blogue o Novo Adamastor para se inteirarem, duma forma sistemática, das mentiras que HOJE por cá se propagam. É sublime.

    Liked by 2 people

  15. Leunam permalink
    28 Abril, 2019 21:49

    Corrigir por favor:
    Onde está “70” leia-se “25 de Abril de 1974”.

    Gostar

  16. licas permalink
    28 Abril, 2019 22:38

    Leunam PERMALINK
    28 Abril, 2019 21:19

    Ainda ninguém conseguiu provar que eu tenha mentido ao “retratar” a vida
    do cidadão (desculpe Leunam o que considera UM “PALAVRÃO”) sob Salazar.
    NEM UMA SÓ IMPRECISÃO. Tudo exacto
    Não, não sofri directamente torturas provenientes da antiga Polícia
    Política simplesmente porque optei pelo perfil baixo. Mas todos nós
    que não nos armámos em “heróis” tivemos, olaré…
    Não obedecer às leis emanadas de uma A.R. constituídas apenas por
    Salazaristas ??? Deixem-me rir !!! O Povo não ordenava népia…

    Gostar

    • Luis permalink
      28 Abril, 2019 22:46

      E agora, ordena o quê? Abstenção altíssima e os partidos do arco do poder defendem todos o mesmo, e defendem sempre os interesses dos «mesmos».

      Liked by 1 person

  17. licas permalink
    28 Abril, 2019 22:40

    Leunam PERMALINK
    28 Abril, 2019 21:19

    Por mais que o invoquem, ele não voltará…

    Gostar

    • 28 Abril, 2019 23:39

      Outro o substituirá! Também não queremos o mesmo, os tempos mudam e terá de ser mais assertivo e capaz de afrontar politicamente sem medo “Bruxelas”.

      Liked by 1 person

      • licas permalink
        29 Abril, 2019 07:37

        jorgercramos PERMALINK
        28 Abril, 2019 23:39

        Longe vá o agoiro !!! Tal como D. Sebastião, o Desejado,
        Bruxelas , e o resto da Europa democrática impedirão a loucura.

        Gostar

      • 29 Abril, 2019 10:25

        Bruxelas está já em processo de auto destruição. Em 10 ano nada restará desta tralha absurda e regulamentite aguda! Este vómito de leis para tudo!

        Gostar

      • 29 Abril, 2019 10:27

        licas: qual Europa democrática? … Itália? … Hungria? … Polónia? …. República Checa? … Austria? …. já sei: Espanha com o Vox e França co Le Pen !!!

        Gostar

  18. Marta permalink
    28 Abril, 2019 23:45

    Helena, se puder, veja os comentários a essa “reportagem” no Facebook do observador, dezenas de leitores a corrigir a especialista em life style. A realidade é uma maçada.

    Gostar

  19. Leunam permalink
    28 Abril, 2019 23:55

    licas

    “Por mais que o invoquem, ele não voltará…”

    Não esteja assim tão seguro disso.

    As mesmas causas podem gerar as mesmas consequências.

    De resto, o Dr. António de Oliveira Salazar está cá através da sua insigne e imorredoura Obra que colectivamente herdámos e tanto beneficiamos.

    E ninguém pode apagar o seu nome da História, por mais que os seus inimigos insultem a sua memória com mentiras e faltas de respeito.

    Gostar

    • licas permalink
      29 Abril, 2019 11:56

      jorgercramos PERMALINK
      29 Abril, 2019 10:27

      O teu pai , porventura, era agente da PIDE ou Comissão de Censura?
      Os benefícios do Salazarismo…

      Liked by 1 person

      • 29 Abril, 2019 19:24

        Os meus avôs eram industriais self made dos anos 20, e por conseguinte sempre foram favoráveis ao regime, o meu pai continuou as industrias e também foi sempre homem do regime, eu também. PIDEs … se houvesse problemas de segurança ligava-se ao Director do Distrito e ele mandava para lá homens … para nos guardar claro! Gostaste Likas? Com esta não contavas!

        Gostar

  20. xico permalink
    29 Abril, 2019 00:13

    capa da revista Plateia de 1964 com Madalena Iglésias de calças!!!!!!! https://images.app.goo.gl/ZZ7cB2pYwDEvkQNdA

    Liked by 1 person

    • 29 Abril, 2019 00:33

      Exatamente… Curiosa ainda outra modernice: o tabaquinho.
      Uma familiar minha iniciou-se nos cigarritos por causa das dores de dentes.
      Vai lá, vai… Felizmente as dores não lhe duraram muito.

      Gostar

  21. 29 Abril, 2019 00:29

    Estão a ver as pernas das meninas? O problema não seria, mesmo já entrados nos 70, o tamanho da saia. O que era repreensível era a ausência de meias…

    Gostar

  22. Arlindo da Costa permalink
    29 Abril, 2019 02:32

    No Afeganistão dos anos 60 e 70, as mulheres vestiam-se mais à ocidental (Europa e Américas) do que em Portugal Metrópole. País cinzento e opressor.

    À ocidental era em Luanda, Nova Lisboa, Lourenço Marques e Beira.

    Gostar

  23. Maria permalink
    29 Abril, 2019 03:03

    Leunam, subscrevo todos os seus comentários. Parabéns. Os comunistas são mentirosos relapsos. A Helena está de parabéns pelo tema que aqui trouxe ao desmascarar muitas das brutas mentiras que os comunistas não se cansam de repetir… para ver se com tanta repetição elas se tornam verdades indesmentíveis…, lá dizia o Lenin não era?

    Eu escrevi há pouco um comentário no Corta Fitas, mas não há meio de aparecer. Nele está tudo o que escreveria agora pois adaptar-se-ía por completo ao excelente tema em debate. Quem puder por favor leia. Se ele aparecer, o que espero.
    Maria

    Liked by 1 person

  24. 29 Abril, 2019 19:28

    Comentei no Portadaloja mas posso repetir aqui.
    Nos anos 60 ganhei o primeiro prémio de mini-saia num concurso organizado pelo hotel, nas termas do Luso.

    Na primária usei sempre calções curtinhos, por baixo de bata branca mini e foi assim que fiz o exame da 4ª classe na escola da Câmara do Bairro das Estacas (ao Areeiro).

    Liked by 1 person

  25. 29 Abril, 2019 19:30

    Ah, e no liceu continuei a andar de mini-saia e mini bata, com a mochila às costas onde tinha inscrito o meu lema: “Je fais ma loi”. Isto, tanto no Liceu Raínha Dona Leonor, como no Colégio Académico.

    É chato a realidade estragar os chavões da imbecilidade escardalha.

    Liked by 1 person

  26. licas permalink
    29 Abril, 2019 20:13

    Luis PERMALINK
    28 Abril, 2019 15:29

    “Os Portugueses foram sempre conservadores”
    Submissos, para conservar o “canastro”…
    Salazar apercebeu-se cedo, o que permitiu sucessivas “reeleições” fraudulentas.
    (tal como o venezuelano Maduro)

    Gostar

  27. licas permalink
    29 Abril, 2019 20:46

    jorgercramos PERMALINK
    29 Abril, 2019 19:24
    Retratas bem:
    ” Os meus avôs eram industriais self made dos anos 20, e por conseguinte sempre foram favoráveis ao regime, o meu pai continuou as industrias e também foi sempre homem do regime, eu também. PIDEs … se houvesse problemas de segurança ligava-se ao Director do Distrito e ele mandava para lá homens … para nos guardar claro! Gostaste Likas? Com esta não contavas!”
    Contava com algo parecido:
    Protegido no conforto de afastar concorrentes (a industria carecia de autorização prévia) e se por acaso surgisse conflito laboral um telefonema resolvia logo o caso, era uma maravilha o regime Salazarista, olá se era…

    Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: