Saltar para o conteúdo

Covid19: porque os média nos escondem informação? (Parte 1)

25 Abril, 2020

Diz o Polígrafo no seu clip promocional: “Todos os dias lemos e ouvimos muitas notícias e tantas afirmações. Mas em quem podemos acreditar? Onde acaba a verdade e começa a mentira? A resposta é simples: na Comunicação Social do “mainstream” não é de certeza.

Já vem de longe a minha percepção de que os média nos escondem informação. Quando cruzamos o que é dito por toda a imprensa internacional e nacional com testemunhos e artigos dos VERDADEIROS  especialistas nas áreas em discussão, ficamos horrorizados com a quantidade de desinformação, manipulação e sobretudo de ocultação de informação. Porquê? Simples:  1. por falta de investigação; 2. por agenda política. É factual.

E porque os média actuam tão descaradamente desta forma? A resposta a isso também é muito simples: VERIFICAR o que é dito nas TV’S dá muito trabalho de investigação, – e sabendo que a maioria da população age como um grupo de carneiros preguiçosos -, encontram um terreno fértil para a manipulação de informação ao serviço do “establishment” (aquele que os financia). 

Antes que a brigada do politicamente correcto (marxistas, direita Haddad, carneirada incapaz de pensar por si) comece a despejar artilharia pesada (insultos e ameaças), alerto que todo o conteúdo destes artigos (este é a 1ª parte), não são de opinião, mas sim,  um levantamento de depoimentos dos  cientistas, médicos e investigadores da área de epidemiologia, altamente credenciados e com larga experiência, onde pode encontrar todos os links com dados oficiais e artigos científicos que lhe servem de base.

São inúmeros os epidemiologistas de todo o mundo  que alertam, desde o início da pandemia, para os erros dos políticos com as medidas de resposta ao SARS COV2 enganosas. Mas curiosamente não lhes foi dado voz. Pelo contrário, foram silenciados. Por quem? Claro, adivinhou: a comunicação social.

Neste artigo cronológico está toda a informação ocultada pelos média sobre a pandemia, ao detalhe e com links. Tire uns minutos para o ler com atenção. O conteúdo é factual.

Mas destaco algumas intervenções, feitas à revelia dos média e dos governos, e  às quais não é possível ficar indiferente:

Dr. Knut Wittkowski (PhD e ScD Rockefeller University-Centro de Ciências Clínicas Translacionais):

Em entrevista este especialista afirmou que perante um vírus respiratório, a medida mais eficaz é PROTEGER TODOS OS GRUPOS de risco, isolando-os, porque são os que correm mais risco de desenvolver pneumonia e deixar o resto da população saudável,  infectar-se. Porque o isolamento TOTAL da população prolonga a vida do vírus. Porquê? PORQUE TODAS AS DOENÇAS  respiratórias só são travadas com 80% da população em contacto com o vírus e a maioria nem dará por isso e se der, serão sintomas leves. Fazer um planalto da curva, só prolonga o problema.

Que as crianças resistem bem e por isso devem estar em contacto umas com as outras para rapidamente ganharem imunidade e só depois permitir contacto com grupos de risco, porque o vírus entretanto estaria extinto.

Que tivemos 2 SARS vírus antes, ou seja, não é o 1º coronavírus que nos atinge e não será o último. Vírus respiratórios actuam sempre da mesma forma: se os deixamos evoluir, temos 2 semanas de evolução, atinge o pico nas outras 2 e vai embora. Se os novos casos não estão a subir dramaticamente, já estamos em declínio. Se não tivesse havido intervenção politica, a epidemia já teria passado.

Sobre o distanciamento social, diz que não há dados  que digam este SARS é fundamentalmente diferente. As doenças respiratórias acabam na primavera porque as pessoas passam mais tempo na rua e  o vírus na rua não tem tantas hipóteses de progredir. Por isso, estar mais tempo confinado alimenta o vírus e torna-o activo. A China não teve bom resultado devido ao confinamento, que veio tardio. Teve porque inicialmente não sabia do que se tratava e por isso não tomou medidas drásticas no imediato. Assim, a maioria população ganhou imunidade antes do confinamento. Diz ter analisado os dados da China e Coreia do Sul sobre distanciamento: na China o pico foi em 1-5 Fevereiro mas as escolas fecharam a 20,  ou seja,  2 semanas depois. Na Coreia do Sul, a quarentena foi auto-proclamada em 23 Fevereiro, e o distanciamento a 29,  semanas depois do pico. Ao instalar o distanciamento na última fase de desenvolvimento do vírus, interromperam a conclusão do processo. Daí a reincidência de casos.

Afirma que vai haver uma 2ª onda por causa destas medidas de contenção. Se a população estivesse toda exposta, não haveria 2ª onda. O pânico e medo alimentado pelos média fez com que houvesse distanciamentos precoces. O vírus, diz,  vai regressar em força.

Dr. Sam Vaknin (PhD em Física):

Sobre Antony Fauci – a celebridade médica por detrás da gestão do COVID19 nos EUA –  diz que o mesmo publicou vários artigos científicos onde calculou a taxa de mortes com SARS COV2 igual a 0,1% e que 2 dias depois, foi dizer nos média que seria 1%. Ou seja, entre pares fala de 0,1% e nos média 1%. Usa uma percentagem que SABE SER ERRADA, exagerada em 10 vezes mais. E questiona: “porque está ele a enganar o público?”

Diz que a verdade sobre COVID19 não deve ser procurada junto de autoridades médicas enviesadas e muito menos funcionários do Governo, mas sim académicos independentes. A verdade até à data revela que, SARS COV2 não é pior que uma gripe severa. Recomenda ouvir Prof. John Ioannidis e Prof. Jay Bhattachanya da Universidade de Stanford que acaba de publicar a taxa de mortalidade em que o COVID19 é idêntico às gripes severas de 2008/2009.

Sobre vacina diz que, contra o facto de todas as vacinas contra os coronavírus serem pouco eficazes, é dito às populações que devem ficar em casa para haver tempo na descoberta de vacina e assim, mesmo que contraiam COVID19, seja numa variante suave. Ora, mesmo sendo bem sucedidos, a vacina não é mais do que uma pandemia controlada para criar imunidade de rebanho. Causamos uma doença suave nas pessoas para que fiquem imunes. Assim, o vírus tem problemas em propagar-se. Neste momento o vírus é bem sucedido porque ninguém esteve exposto até hoje a esta variante de SARS e assim, infecta quase todos. Enquanto ele for bem sucedido, a infectar-nos, o vírus não tem razões para mutações. Vai passando de pessoa para pessoa sem mutações. Este, em particular, faz 2 mutações por mês o que é nada em comparação com os vírus da família Influenza ( estes fazem mutações de 4 a 6 vezes por mês). Portanto, este vírus não está em mutação porque não está sobre pressão selectiva (é a pressão exercida pelo fracasso). Quando o vírus fracassa na sua propagação porque a maioria está imune, isso cria uma selecção natural pois as variantes mais fracas do vírus morrem e as variantes mais fortes, que passaram por mutações, conseguem infectar porque as pessoas não têm anticorpos para essas versões que se mutaram. Por isso, a melhor estratégia é a imunidade de rebanho. Se expusermos fatia a fatia da população e gradualmente, estamos a forçar o vírus a adaptar-se e mutar-se. É o que acontece quando fazemos quarentena universal. Forçamos o vírus a mudar e recombinar-se e tornar-se aquilo que ele não é neste momento: agora é uma gripe severa; se continuarmos a negar corpos para serem infectados, o vírus torna-se vicioso. Não é necessário sacrificar humanos: basta isolar os mais frágeis e expor os restantes com sistema imunológico saudável para que se propague e replique. Temos de o deixar viver, caso contrário será ele a impedir-nos de viver.

Diz que já podemos ir tarde: bebés e adolescentes já morreram o que pode indicar mutação,  e torna o vírus mais abrangente em faixas etárias até agora protegidas. Isto pelo facto de ele não ter encontrado hospedeiros fáceis e começa a infectar qualquer um. Exemplo: pessoas que ficam bem e passado 9 dias recaem. Isto é um sinal que o sistema imunitário “falhou” a detectar o vírus porque ele torna-se “mais inteligente”. Diz que confinamento TARDIO já demonstrou uma taxa de infecção moderada a alta por milhão, mas com menor taxas de mortalidade. São estes países onde morre menos gente. Aqui, apesar do número elevado de infectados, as mortes são as mais baixas. Diz que felizmente para a Humanidade, o luxo de ficar em casa não é para todos.

Explica que este vírus é de uma família de centena de vírus sobre as quais temos muito conhecimento e por isso o pânico não se justifica de todo. Que o pânico gerado é propositado. Nunca se viu tal na História da Humanidade. Que é preciso estar em contacto com um paciente altamente sintomático pelo menos 30 min. para infectar. Mas que ninguém diz isto. Pelo contrário, os “doutores” do governo dão a entender que pela simples passagem por alguém infectado,  se contrai a doença. É falso.

Que entretanto os hospitais se tornaram vectores de transmissão pois 40% dos COVID19 são contraídos no hospital. Em análises aos dados da Itália, 70 a 80% de pessoas que foram ao hospital não deveriam ter ido. Os hospitais receberam doentes suaves de covid19 que acabaram por infectar doentes internados.

E denuncia: a primeira coisa que se faz em epidemiologia é pegar num grupo de 10 000 indivíduos aleatoriamente e testá-los para verem se têm SARS COV2. É básico. Todos os países o deveriam ter feito. Chama-se “estudo aleatório duplo-cego com grupo controle”. Ninguém o fez e já vamos no 5º mês de pandemia. Nunca tal se viu em toda a Historia da Humanidade. E reitera: quando o fim é travar, curar e cuidar, e não influenciar a pandemia para fins políticos, os testes aleatórios não são a última etapa, mas sim, a PRIMEIRA. E deixa uma pergunta: se a maioria dos vírus infecta 90% da população, porque não se mede a população infectada, se isso muda completamente o cálculo do que devemos fazer ou não? A resposta é simples: porque isso revelaria que o distanciamento  social é inútil e acabaria a narrativa.  

André Dias (PhD em Modelação de Doenças Pulmonares):

“A questão é: quantas pessoas estão a morrer. Só isto diz mais que todos os artigos que se possam ler. A mortalidade – como se demonstra no site Europeen Mortality Monotoring – euromomo.eu – está neste momento muito abaixo de um pico de gripe.

ENTREVISTA QI - COVID 19 - grafico momo

É normal haver gripe até Maio. É um surto tardio. Em tempo real temos em Portugal o site da DGS – evm.min-saude.pt – onde verificamos uma mortalidade com números banais que estão a anos luz dos picos da gripe.

ENTREVISTA QI - dados mortalidade port.

Não há razões para suspender a Constituição. A média de idade de mortes é muito alta. Na China é uma curva perfeita. A quarentena não teve efeito nenhum. É uma infecção banal mas que já fez disparar os alarmes da OMS.

Há uma relação directa na mortalidade com a qualidade do ar. Whuan é a mais poluída  do mundo e no inverno intensifica porque queimam carvão para se aquecerem. Por isso, os alarmes soaram em Outubro.

Por outro lado, a OMS publicou dados de letalidade sem dizer que tinham muito ruído porque os teste virológicos, se não forem feitos no pico da infecção, dão valores negativos e a OMS sabe disso. Mas não o diz. Pelo contrário avançam que a letalidade em Whuan é de 13% e entregam essa informação ao governo chinês. Em resposta o governo reage à bruta porque são políticos. Passou-se o mesmo com a gripe suína onde diziam que era 30% de letalidade, mas conforme foram mudando os testes, acabou em menos de 1%. Com o covid19 é o mesmo. Torna-se óbvio não tem efeito nem pânico justificável.  É o cenário da gripe suína. 

Os média passam a imagens à exaustão sobre a China e o medo instala-se. Não há qualquer base científica para fechar tudo. É uma decisão política por medo.  Há países como Portugal que partem de imediato para fechar tudo ignorando o Conselho Nacional de Saúde quando Jorge Torgal disse: “o novo SARS é menos perigoso que uma gripe”.  Mas o RU não. O 1º Ministro recebeu um conselho de base epidemiológica e disse: “não vamos fechar.” Mas o erro foi de não falar que o medo é real. E no dia seguinte, é cilindrado e, sendo o político que é, não vai fazer nada que lhe destrua a carreira. Já na Suécia, a decisão não foi política. Foi técnica, científica, porque a decisão passou exclusivamente pelas entidades de Saúde. O medo existe mas o risco não. É exagerado. O Imperial College é uma Universidade de referência, mas o Instituto de Epidemiologia parece que não.

O grupo do Imperial College tem um passado tenebroso por causa da FMD (foot and mouth disease). Foram abatidas centenas de milhar de ovelhas e vacas por via de um modelo que era lixo. A mudança do RU deu-se, essencialmente, por uma carta aberta de matemáticos a fazer uma avaliação catastrófica. Ou seja, pessoas sem a mínima formação em epidemiologia, que nunca viram uma infecção na vida, fizeram exponenciais que dão 12 milhões de infectados só em Portugal e nem sequer temos essa população. Essa carta catastrófica despoletou um  medo irracional. Quando a Suécia tiver mais mortes que numa época de gripe, devemos dizer que foi um erro. Até lá, é uma época de gripe.

A Itália tem a pior morbalidade. A poluição é a pior da Europa no vale da Lombardia. Portanto, a mesma receita que em Whuan. O número de mortes em Bérgamo nunca ultrapassou o que seria expectável. Os serviços funerários colapsaram, não por terem muitos corpos para cremar, mas sim,  porque estavam muito mais lentos a fazerem o seu trabalho. Tinham mais corpos do que o normal não por causa do vírus mas porque o sistema de saúde obrigava a concentrar tudo em Bérgamo –  por ser uma doença de notificação obrigatória  contagiosa -, e por isso, tinham de ser encaminhados todos para o hospitais centrais. Daí o recurso a camiões militares. Com imagens destas “ad nauseum”, vende-se o medo. Em Madrid, o colapso das funerárias prendeu-se com o congelamento por medo, medo de tratar desses mortos.

Os discursos políticos vão-se alinhar e dirão que se não se achatasse a curva, se não tivéssemos feito “lockdown”, teria morrido o tal meio milhão que avançou o Imperial. A verdade é que vão morrer menos do que numa época de gripe mas dirão que foi por causa das medidas. Em resposta os epidemiologistas vão dizer: “Então mostrem as curvas – que são as distribuições normais – onde se vê as medidas”. Não vão ter a mínima hipótese. O efeito social foi fortíssimo. Nada dizia que iria ser catastrófico. Porém, os governos não vão voltar atrás e dizer: “enganámo-nos”.

O ciclo são 15 dias: 2 semanas para cima, duas para baixo (na Itália ficou mais tempo por causa da morbilidade pulmonar). Há ainda o factor primavera que não deixa passar da semana 19. Isto porque os raios UV destroem os vírus, independentemente de onde vêm. São o seu pior inimigo. Têm uma camada de lípido que desintegra com os UV e a cadeia DNA, desfaz-se. Sair à rua faz cair a infecção. Em casa, não.

Os políticos dizem: “não podemos arriscar ter 80% da pessoas infectadas com 1% a morrer.” Mas há um detalhe: uma infecção pulmonar nunca chega aos 80%. É impossível. Falta-lhes o essencial da epidemiologia neste raciocínio: saber que as doenças pulmonares respiratórias, são lineares, são probabilísticas e que é a própria infecção que determina como ela vai evoluir. E esta interacção nunca foi levada em conta.

Os jornalistas precisam de vender e amplificar.  Isto é vender o medo. Deu-se voz a matemáticos e silenciou-se os cientistas. A opinião de quem tem formação não é valorizada. A OMS, na rede de avaliação epidemiológica, usa as redes sociais para tentar tirar “palavras sintomas” e avaliar se há algo anormal – usam o Twitter – mas este está pejado de “bots”. Não estão a tirar nada de valor,  mas sim, ruído. Já foram avisados para não o fazerem, mas continuam. Depois vem a publicação de dados na página oficial: letalidade 13% (sem referir ruído). Ficou aberta a porta para os jornalistas alarmistas. Esta percentagem dá 80% de pessoas infectadas quando é impossível infectar 80%. Mas não interessa. Então vende-se isto: 80% de infectados e 13% morrem (4 milhões) colocado na 1ª página da OMS. A OMS tem obrigação de não publicar números assim.

Fechar escolas foi um erro colossal. Sabia-se desde o dia 1 que o risco para crianças era inexistente. As crianças são a 1ª barreira imunológica.  Mas elas são mais do que isso: são aspiradores, são vassouras de vírus. Não há riscos. Não vão ficar doentes. Ficam imunes rapidamente. Em 2-3 dias são infectadas, um pouco de tosse e ficam imunes. A partir daí “aspiram” (limpam) o vírus. Colocava-se funcionários e professores de risco em quarentena, mas mantinha-se actividades onde elas pudessem conviver entre elas. Foi nada mais que uma decisão política.

O Centro Helmholtz na Alemanha é um colosso da investigação biomédica e o Dr. Gerald Krause em entrevista afirmou: “vamos matar mais pessoas por suicídio que por vírus”. Os 1º resultados da Alemanha dos testes serológicos indicam que 14% da população poderá estar imune. Isto tem um peso político colossal. Não é um peso estatístico, porque a amostra não é aleatória, mas diz uma coisa brutal em termos políticos: o número de infectados, quando se declarou a quarentena, era provavelmente altíssimo e por isso a quarentena não fez nada mas sim, acelerou a infecção. Ou seja, não só os políticos fizeram borrada da grande como tornaram isto pior. Porque a partir do momento em que temos 10 a 15% de infectados, o que se está a fazer é colocar uma pessoa infectada em cada casa e as probabilidades de infecção disparam. Mas isto, é igual ao litro, porque o número de infectados NÃO DIZ NADA SOBRE LETALIDADE. 

Prof. Sucharit Bhakdi (especialista em microbiologia médica):

Disse em entrevista que culpar o novo SARS por mortes é errado e perigosamente enganoso pois existem outros factores importantes tais como a saúde pré-existente e qualidade do ar, classificando as medidas adoptadas de isolamento,  como grotescas, inúteis, auto-destrutivas e suicídio colectivo.

Que a Itália tem a pior poluição da Europa; a China a pior do Mundo. Preocupámo-nos com o COVID19 porque temos medo que 1 milhão de infectados venham a representar 30 mortes/dia, durante os próximos 100 dias, mas não dizem que 20, 30, 40, 100 pacientes positivos com o NORMAL coronavírus (a gripe sazonal) estão neste momento a morrer.

Os contactos socais prolongam a vida na Terra. Assim, encurta-se a vida de biliões. Morrerão mais por falta de atendimento do que desta doença. 

(Continua)

105 comentários leave one →
  1. Jorge permalink
    25 Abril, 2020 17:30

    Jorge Capela
    São sempre muitas teorias e, não passam de possibilidades! Conforme diz a sabedoria popular, depois de eu comer, não faltam colheres! Sim, até pode ser! mas, conforme diz a sabedoria popular, mais vale prevenir que remediar! e, criticar tem um fundo de não verdade, que nunca será confirmado.
    É possível que estejamos mais preocupados com o não colapso do SNS, do que, propriamente com as consequências mortais!. Mas, não podemos esquecer que, para as crianças andarem na rua e terem a sua vida normal, nomeadamente aulas e creches, estariam adultos a tratar da sua estadia.

    Gostar

  2. Jorge permalink
    25 Abril, 2020 18:08

    Cara Cristina

    Deixo este link para sua análise.
    Conferência de Imprensa do Dr. Erickson com dados reais do estado de Nova York, análise comparativa e extrapolação.
    Ele aborda ainda os casos Sueco e Norueguês, para aferir dos efeitos das medidas mais ou menos restritivas de confinamento.

    Agora compare com o modelo do Imperial College of London, que nos foi “vendido” para justificar o estado de emergência.
    https://expresso.pt/coronavirus/2020-04-03-Covid-19.-Quarentena-permite-evitar-50-mil-mortes
    De acordo com o mesmo,e em termos mundiais, se nada fosse feito, seriam de esperar 7 mil milhões de infetados e 40 milhões de mortos.
    (e os autores ainda fazem a ressalva de que estas previsões são uma provável subestimação nos contextos de menor rendimento)
    Com medidas restritivas e atempadas, o impacto poderia reduzir-se para 8 a 10 milhões de mortos.
    Neste momento já atingimos 200430 mortos no mundo, cuja causa de morte foi “registada” como Covid.
    Iremos assistir por via das aspas que anteriormente coloquei, a uma descida muito significativa das restantes causas de mortalidade (e não me refiro a acidentes, os quais decaem por razões óbvias).

    Este tema tem imensas pontas por onde pegar.
    Desde os ataques ás liberdades individuais e colectivas,(a que mais me preocupa), á desinformação absoluta por parte dos auto-intitulados órgãos de comunicação social, á ausência de contraditório e de programação de base científica na tv pública.
    Está pois colocada em causa a liberdade de imprensa.
    Se os meios de comunicação social não cumprem a sua função (assegurar pelo menos o pluralismo de ideias), porque razão a Alta Autoridade para a Comunicação Social não intervém?
    Acresce a censura de determinados temas abordados nas redes sociais, que no fundo se resumem a todas as opiniões não enquadradas na narrativa oficial.
    Num estado de direito, cuja constituição salvaguarde a liberdade de expressão, nenhuma farmácia, por exemplo, poderia recusar atendimento a quem se afirmasse contra a vacinação. Ou estou enganado?
    Porque razão a Anacom não cumpre com a constituição e impõe no mercado nacional a supressão de censura como condição de acesso ao mercado?
    Deveria igualmente ser investigada a aquisição de equipamentos médicos em massa, obviamente sem concurso público, e que ainda se encontram (e irão continuar) embalados.
    Nos Estados Unidas, é oficial (está documentado) a prática de classificar como mortes por covid, pessoas que nem sequer foram testadas, constituindo este facto um cheque em branco para qualquer aprendiz de ditador.
    É que depois do verão, tenho a certeza de que os números irão subir de forma oportuna para nos fazer crer que abusámos das nossas liberdades.
    E com que critérios estão a ser classificados em Portugal? Alguém sabe? Alguém se questiona?
    Num estado de direito, decisores públicos, media e law enforcement estariam muito preocupados com a sua responsabilização cível e criminal, por todos os prejuízos causados aos portugueses (particulares e empresas), com base em pressupostos falsos.
    E tantos outros temas…que ficarão para uma próxima oportunidade.

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      27 Abril, 2020 14:59

      Obrigada. Por acaso já vi isso tudo e está já na segunda parte deste texto já publicado. Dou voz a esses e mais especialistas da área.

      Gostar

      • Jorge permalink
        27 Abril, 2020 15:46

        Obrigado Cristina, pelo serviço público que pratica nos diversos fóruns onde intervém, apesar dos custos que tal acarreta.
        Mas, se quer que lhe diga, estou pessimista com tudo isto.
        Independentemente da censura (com a qual conto de antemão), esperava que, perante a supressão dos direitos individuais (e já agora com tempo de sobra para investigar), os portugueses se interrogassem mais para além das aparências e da histeria promovida pelos órgãos de comunicação social.
        Para quem viveu a infância nos anos 80 e a juventude nos anos 90, com níveis de liberdade substancialmente maiores, é desmoralizador olhar para o país que iremos deixar aos nossos filhos.
        Se nada for feito, não será nada mais do que um estado policial.
        Entretanto, porque é sempre positivo e enriquecedor ouvir perspectivas alternativas, de verdadeiros especialistas, recomendo aos leitores Blasfemos a entrevista do Dr. Rashid Buttar ao London Real hoje pelas 17h, através de uma nova plataforma designada “Digital Freedom Platform”, criada para contornar a censura a que foi sujeito pelas redes sociais tradicionais.
        A cereja no topo do bolo será dia 3 de Maio com a terceira entrevista (e com certeza a mais explosiva), de David Icke ao Brian Rose (London Real).
        Apesar de torcer o nariz a algumas das suas teorias (o cepticismo nunca fez mal a ninguém), foi com a segunda entrevista dele que abri os olhos para o que poderia, de facto, estar-se a passar.

        Liked by 2 people

  3. 25 Abril, 2020 18:09

    Lá vem o Knut das “criancinhas vassoura” que tínhamos de importar para o efeito. E mailos epidemologistas florestais e Andrés Dias que tais.

    Não basta o facebook?

    Gostar

    • Carlos Rosa permalink
      26 Abril, 2020 02:19

      Isto cheira a fim de Regime.
      Cantigas que se cantavam em 1973/74 estão atuais.
      Ainda hoje quando via as comemorações do 25 de Abril na AR só me lembrava da cantiga:

      “Cravo vermelho ao peito,
      a muitos fica bem;
      sobretudo dá jeito,
      a certos filhos da mãe.”

      Adaptava-se.

      Gostar

  4. Weltenbummler permalink
    25 Abril, 2020 18:38

    a comunicação social do rectângulo está ao serviçomda esquerda para esta poder mabter o poder. é agit-propcom desinformação e contra.informação
    sou a favor da selecção natural, mas essa solução do passado apavora os politiqueirose e estes rebentaram com a economia da próxima década. kosta não sabe o que fazer com o dinheiro dos outros
    resultado: o virus fica endémico

    Gostar

    • 25 Abril, 2020 18:56

      Por acaso também sou pragmática. Acho que toda esta palhaçada de epidemolistas de facebook podiam, no mínimo, ir limpar hospitais porque a selecção das espécies tende a proteger os mais brutos e mais toscos.

      Sempre se poupava mão-de-obra mais útil e eles tinham préstimo com a esfregona.

      Gostar

  5. pitosga permalink
    25 Abril, 2020 18:39

    Com respeito, começo pelo desagradável: não é morbilidade; é morbidade (de morbus). Não conheço um médico que o saiba.

    Aquilo a que chamamos avanços da Medicina não foram mais do que avanços em Saúde Pública. Ricardo Jorge e Curry Cabral não são venerados como deveriam ser.
    Fármacos, sulfamidas e antibióticos têm tido um papel mínimo.
    A propósito, as sulfamidas adquiriram o estatuto de fármacos indispensáveis depois de um trabalho que mostrou a cura de sépsis puerperal em nove — 9 — nove mulheres. Ainda hoje esta sépsis mata. Não foram precisos estudos duplamente cegos em 20.000 pessoas…

    Pasteur e a sua fé na imunidade levou à criação de vacinas que são boas para gente de posses. Vivi em Campo de Ourique e os miúdos que eu via na rua, descalços e ranhosos, nunca estavam doentes.

    Filho de Médico e com um excelso pediatra [Jácome Delfim] levei com as vacinas todas, à época. Estupidamente, acreditei na OMS quando propalou que a Varíola estava erradicada e a minha filha mais nova não foi vacinada contra esta doença, após nascer. Temia-se que uma vacinação mais tardia daria complicações neurológicas. Após o 11 de Setembro, os EUA vacinaram toda a gente contra a varíola, e não houve contrariedades.

    Os vírus corona que possam afectar o homem, são conhecidos há uns 40 anos. Como causadores de constipações,

    (continua, espero)
    Cumprimenta

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      27 Abril, 2020 14:56

      A palavra mobilidade existe no dicionário e significa o mesmo q morbidade. Pode-se dizer das duas formas

      Gostar

  6. Jorge permalink
    25 Abril, 2020 19:06

    Quando referi Nova York, queria dizer estado da Califórnia.
    Peço desculpa pelo lapso.
    Tratam-se do Dr. Artin Masihi e do Dr. Dan Erikson, médicos em Bakersfield, California.

    Liked by 1 person

  7. Jornaleca permalink
    25 Abril, 2020 19:21

    Em relação à Itália, é do saber da cara autor o seguinte?

    a. O elo de ligação não é tanto a dita poluição, entre a Itália e a China. O elo é o político: o comunismo disfarçado. E o socialismo, claro.

    A China proibiu às pessoas em Wuhan de circular na China comunista, devido ao vírus, mas autorizou a saída das mesmas para o estrangeiro. Claramente um acto de guerra. Elas viajaram para Europa, especialmente para Milão e assim. Existem ligações directas entre o norte da Itália e Wuhan, que continuaram a existir muito tempo, independente da tal doença.

    b. Existem relações económicas fortes entre a região do norte da Itália e a região de Wuhan na China comunista.

    c. Mais de 300.000 (trezentos mil) trabalhadores chineses comunistas e malandros trabalham no norte da Itália, a preço de mão de obra da mais barata que se pode imaginar. Isto dentro da UE!! 90 por cento desses estão a trabalhar como escravos no sector da moda, que é uma das mais que dá lucro. Alguns até falam de quase 500.000 trabalhadores chineses.

    d. O desemprego, dos jovens até aos 35 anos, em Itália é de 40 por cento!! Eu repito: QUARENTA POR CENTO!! Um país que não resolve isto, está profundamente doente. A doença é o vírus do comunismo e socialismo.

    e. Quem levou o vírus de Wuhan para a Itália foram os comunistas abertos e disfarçados em Itália, que o mais tardar, a partir do ano de 2014, começaram a vender o país aos chineses comunistas. Foram os próprios “italianos” (a esquerda podre, comunistas) que facilitaram, de propósito, contra as leis italianas e da UE, não as respeitando, caladinhos, implicitamente, a entrada de mão de obra da mais barata que se pode imaginar.

    Porque precisavam de dinheiro. Por isso, no lugar de fechar as fronteiras com a China e fazer controlos eficazes, deixaram-o de fazer muito tempo. E assim é que começou a coisa em Europa. Espalharam do norte o vírus de Wuhan (Corona).

    f. A UE torna a vida difícil às empresas italianas, também a essas. Muitos já não vêem como podem concorrer com o estrangeiro. E por isso aproveitaram e venderam muito. Os chineses compraram no período entre 2014 e 2016, quando os comunistas disfarçados governavam Itália, mais de 300 (trezentas) empresas italianas, no valor de 52 biliões de EUR.

    Das empresas grandes, os chineses comunistas controlam agora cerca de 27 por cento, das italianas. Muitas empresas de moda italiana estão agora nas mãos dos comunistas.

    Isto é curioso: a esquerda a explorar e a enganar a esquerda. Porque, os chineses nunca na vida iriam permitir o mesmo ao contrário.

    Qualquer intelectual a sério tem a obrigação de saber estes pormenores e distribuir os mesmos aos outross. Europa não pode permitir a venda de tantas empresas ao nosso pior inimigo actual: a China comunista.

    A Pirelli é comunista agora, em parte ou total. O maior produtor de barcos de luxo, ou o mais famoso, foi vendido aos chineses comunistas.

    O virús Covid19 entrou em Europa devido à maldade e estupidez comunista italiana e a loucura pelo dinheiro. As autoridades italianas, comunistas, esquerda podre, reagiram demasiado tarde. Também devido à pressão chinesa malvada. Lógico.

    Fonte:
    https://www.gatewaytosouthamerica-newsblog.com/italy-and-the-wuhan-virus-the-real-story-from-an-italian-writer/

    Gostar

  8. 25 Abril, 2020 19:21

    Marcelo, baboso e invertebrado, assumiu-se como o megafone de Costa, debita números e fala em “milagre português”. Os jornais e portais noticiosos , invertebrados e babosos, publicam os números, repetem a cantiga do “milagre português” e recordam qualquer fragmento noticioso levemente elogioso que venha lá de fora. Curiosamente, se todos estes acham os números extraordinários que baste para sustentar a tese do “milagre português”, calam-se bem caladinhos perante os números da Grécia.

    Gostar

  9. 25 Abril, 2020 19:27

    A Cristina nunca desilude…. a Universidade do Youtube está a bombar, o marxismo cultural deve ter invadido as universidades, é um milagre ter evoluído, e a minha biblioteca de tesourinhos deprimentes ganhou mais um item de qualidade.

    Gostar

  10. Andre Miguel permalink
    25 Abril, 2020 19:28

    Obrigado Cristina. Muito bom. É isto mesmo que sempre tenho dito: isto é um problema clínico, não político! Estamos a ser usados e manipulados sem fundamento científico algum. Isto é um crime de proporções épicas!

    Liked by 2 people

  11. Jornaleca permalink
    25 Abril, 2020 19:36

    Em relação à OMS (WHO) era bom dedicar um próprio artigo, aqui, cara autora. E era bom, que você o fizesse.

    Aqui basta realçar, que a WHO (OMS) é profundamente corrupta e não defende os nossos interesses, não aqueles do doente. Isto está mais que claro. E ninguém precisa de ser médico para o ver. Essa é que faltava ainda.

    O actual chefe da WHO é um comunista corrupto, culpado também, que as coisas se desenvolvem como estão a ser feitas.

    A Ilha Formosa reagiu muito bem, de maneira quase exemplar, e está ao lado da China. Para já, a Ilha Formosa representa e é só a verdadeira China. E a WHO (OMS) não respeitou os avisos claros deles. Pelo contrário. A Ilha Formosa está fora da WHO. E porquê? Por causa da pressão fascista dos comunistas chineses.

    Um exemplo triste: a Ilha Formosa deu material precioso (um milhão de peças) à Alemanha, onde eu estou, e nenhum político da esquerda veio agradecer por isso. Ninguém do governo alemão. Mas se a China comunista der uns pregos, beijam os pés aos comunistas e a mensagem está no dia a seguir nos jornais de propaganda.

    E muito mais. São empresas de lucro que financiam a WHO na maior parte (80 por cento??). Isto é um verdadeiro crime, que se está aqui a passar. Andam a brincar connosco, sim senhor.

    E o leitor merece ser informado sobre aqueles, que nos andam a enganar claramente: a direcção da WHO (OMS).

    Liked by 1 person

  12. Filipe Bastos permalink
    25 Abril, 2020 19:46

    Duas visões +- opostas: a da Cristina Miranda e a da zazie.

    À Cristina: admitindo que isto é uma grande fraude, afinal quem ganha com ela?

    E por favor não venha com a fantasia direitalha da “esquerda”: quem manda no país e no mundo não é a esquerda – é a BANCA, os sacrossantos ‘mercados’, o grande capital, as grandes empresas e mamões, o mantra do crescimento infinito.

    À zazie: vamos com 200.000 mortes – números oficiais – em quatro meses, no mundo inteiro. Isto quando num só dia normal, em todo o mundo, morrem 150.000; e num ano normal morrem 650.000 devido à gripe.

    Creio que ninguém discute que o covidas é pior que uma gripe normal; a questão é quão pior, pois os números são (ainda) ínfimos. Fala-se da gripe de 1918: compará-la ao covidas é comparar o Evereste ao Marques Mendes. A de 1918 matou 50 a 100 milhões em dois anos.

    Vi o vídeo do tal André Dias. O que ele constata parece bater certo com o que se vê, incluindo o caso da Áustria. Nada garante que o isolamento geral seja o mais adequado. E já causou decerto muitas vítimas colaterais por falta de assistência médica, além do muito sofrimento que se antevê.

    Liked by 1 person

    • 25 Abril, 2020 19:56

      Que eu saiba não escrevi nada e nem disse que sou visionária.

      Disse que estou farta de epdimelogistas florestais e outros que tais, de Facebook.
      E sim, já que querem ser úteis, peguem numa esfregona e limpem hospitais.
      Como referi, também acredito na selecção naturais- os mais brutos pouco têm a perder.

      Gostar

    • 25 Abril, 2020 20:00

      Na verdade, pela lógica deste pascácios, isto não está a acabar porque nunca começou. Foi sempre falsas contas de mortes por constipação.

      O dito confinamento foi de tal modo besta que até deviam ter permanecido as fronteiras abertas.
      Agora façam um favorzinho para não caírem no ridículo- vão buscar o que escreveram antes do Lockdown, sim?

      Gostar

    • 25 Abril, 2020 20:02

      Depois chamam cientista a todo o maluco que aparece- seja arquitecto florestal, ou informático, ou buescu, é tudo divinizado porque é científico.
      O das criancinhas vassoura é o mais engraçado. Podiam organizar ciganos a fazerem importação de crianças para cá, a ver se ficava o pais todo imunizado, já que a brava juventude da geração melhor preparada de sempre, deixou de procriar- prefere criar cães e apanhar bosta.

      Gostar

      • Jornaleca permalink
        25 Abril, 2020 20:24

        Correcto. Muito bem dito.

        E existe um termo a denominar essa verdadeira doença. Uma aproximação seria esta: scientism (termo inglês).

        O problema do ateísmo em geral. 99 por cento dos crentes não percebem um corno de ciência, do funcionamento dela. Das entraves e do simples facto, que nem a ciência consegue sobreviver, sem aquilo, que os ateus tanto odeiam: a crença total (na cegueira do cego).

        E isto abrange também aqueles que passaram por universidades. Esses muitas vezes são os piores.

        E nunca aprenderam a fazer a prova dos nove. Quem não conhece os limites da tal ciência, não e cientista. Impossível.

        Quer dizer, que qualquer ateu é muito pior, do que aqueles, que eles gostam fazer troça. A avózinha é muito mais inteligente que qualquer ateu. Muito mais. Claramente.

        O ateu acredita tudo, que tiver o rótulo “ciência” e nunca verifica nada. Nem burros actuam assim.

        Liked by 1 person

      • Filipe Bastos permalink
        25 Abril, 2020 20:31

        Tem a sua razão, Jornaleca, o que confirma o velho ditado sobre o relógio parado.

        Claro que isso não altera o facto de v. ser um alucinado que acredita nas histórias da carochinha a que chamamos religião, provavelmente o maior cancro da Humanidade, e que tenta impô-las aos outros como bom facho beato.

        Gostar

      • Jornaleca permalink
        25 Abril, 2020 21:07

        @Filipe Bastos, o grande trafulha malvado

        A sua ciência, que você não domina, já desprovou tudo isso, que você acaba de aqui dizer. Não sabe verificar roda de notapés? Claro que não sabe. É lógico. Se soubesse, não falava assim tonto como fala.

        E você comete aqui mais um erro mortal. Qualquer universidade boa dava-lhe um pontapé na parte traseira e punha-o na rua.

        Se nada sabe, nem de provas percebe algo, cale-se.

        O ateísmo e o islão são as religiões mais mortíferas e malvadas de todo o mundo, seu grande asno.

        Você nem sequer sabe definir correctamente.

        Gostar

    • Filipe Bastos permalink
      25 Abril, 2020 20:12

      Está a ser defensiva. Ninguém sério tem certezas sobre o que ainda não se conhece, mas os números parecem, até ver, confirmar que a reacção dos governos foi mais pela pressão política e pelo alarmismo dos media – cuja função é instilar e vender medo – do que por razões científicas.

      O Dias e outros limitam-se a constatar isto; ele até tem a decência de afirmar sempre que não é epidemiologista, apenas tem formação e experiência a analisar números.

      Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:15

        Tem o mundo inteiro a fazer o mesmo. Faça queixa aos extra-terrestres.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:16

        E outra coisa- peçam ajuda ao super-homem para andar com a terra para trás e podermos evitar o lockdown mundial.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:17

        Sabe uma coisa? eu adoro cabecinhas pragmáticas a chorarem por “ó tempo volta para trás”.
        Quando, na altura queriam isto e muito mais e ainda mais a sério e mais cedo.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:18

        Se não tivesse mais que fazer ia buscar o que todos os que agora militam contra o confinamento já feito, escreveram na altura, até antes de ser feito.

        Gostar

      • Andre Miguel permalink
        25 Abril, 2020 20:31

        Por uma vez concordo com o Filipe.

        E não, Zazie, nem tudo o mundo está a fazer o mesmo.
        Eu durmo descansado, sempre fui contra o confinamento, quer por ideologia, quer pelos números.

        Está a gostar da prisão domiciliária?

        Liked by 1 person

      • 25 Abril, 2020 20:38

        Eu tento manter a sanidade mental e, para isso, vou mesmo deixar de dar conversa a malucos.

        Passem bem e não se esquecem das esfregonas que o voluntariado aguarda por v.s

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:40

        A minha prisão domiciliária consiste numa média de 7 a 8 kms de marcha rápida por dia.
        Só por coisas.
        E até queria mais trabalho, de tal modo adoro estar presa em casa em tele-trabalho.

        Se souber, diga.
        Porque não me considero naquela idade, como dizia a outra v. amiga, em que “é expectável a morte”.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:42

        Mas maluquinhos e conversa de facebook, é toda v. e das cristinas das indignações desta vida.

        Não perdem pitada para o flash-mob de teclado.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:58

        Essa de ser contra o confinamento por uma questão de ideologia tem piada.

        Como não tenho ideologia tenho instinto de defesa.
        Ainda andava tudo na passeata com estrangeiros contaminados já eu usava máscara.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 21:01

        Que números?
        Juntou logo duas coisas que são a Academia de Lagado dos cientóinos- os números e a ideologia.

        Eu, por acaso, tirando o instinto vital que sempre funcionou muito bem, prefiro a História.
        A memória civilizacional é uma coisa muito útil.

        O problema é que v.s são os tais da geração do mundo que começou no dia em que nasceram. Só sabem o que dizem os cientoinos, os números e obedecem que nem cãezinhos à voz do dono ideológico.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 21:16

        Quanto a esta porcaria que nos caiu em cima nem encontro qualquer antagonismo entre o mal que faz em termos económicos e o mal que é em termos de saúde.

        Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

        Tive esperanças que as pessoas se apercebessem da fragilidade da nossa condição e que, pelo menos em termos espirituais, soubessem viver o momento com mais dignidade.

        No início ainda se notou alguma coisa. Outros povos têm dados exemplos mais bonitos, como o caso dos desgraçados dos italianos mas o diabo está sempre nos detalhes e os detalhes dos esquemas maniqueístas e dos números arregimentam sempre meio mundo para a perseguição recíproca.

        Imbecis.Não só não fazem nada de útil, como nem sabem nada de préstimo.
        O exemplo da brutal ignorância vestida de novo-riquismo científico está toda elencada pela lista de mercearia da Cristina Miranda.

        Tudo altamente científico- nem se dão conta que os loucos mais perigosos são mesmo os que se mascaram de bata-branca e excel para as estatisticas.

        Gostar

      • rui a. permalink*
        25 Abril, 2020 23:33

        Zazie,
        O valor representativo da democracia já era, se é que alguma vez já foi. Mas continua a ter um valor inestimável, que é negativo: serve para mandar embora, sem convulsões e de modo pacífico, aqueles que nos governam e de quem não gostamos. O Popper, de quem a esmagadora maioria dos liberais não gosta, ensinou-me isto há muitos anos. Continuo, hoje, a acreditar que esse é o maior valor da democracia.
        Abraço e espero que esteja bem.

        Gostar

      • 26 Abril, 2020 07:44

        Foi exactamente o que eu disse- o valor da democracia serve para os puxar cá para baixo.

        Saúde. Congratulo-me por confirmar que o Rui A é dos poucos que nunca perdeu nem valores, nem bom-senso e que também sabe usar a tal dona ideologia com parcimónia e apenas para casos onde pode contar.

        Saúddinha e ande de esfregona na mão sempre que lhe aparecer um/uma cretina eugenista à frente.

        Eu, que faço jardinagem, sempre percebi um pouco a função dos eugenistas da tal “selecção natural”- são a praga das ervas daninhas que se agarram às flores mais bonitas.

        Gostar

    • Filipe Bastos permalink
      25 Abril, 2020 20:27

      “Se não tivesse mais que fazer ia buscar o que todos os que agora militam contra o confinamento já feito, escreveram na altura, até antes de ser feito.”

      Aí dou-lhe razão; mas não sou um deles. Nunca me lerá a dizer que deviam ter confinado toda a gente mais cedo.

      Pelo contrário, nunca liguei nenhuma. Aqui entre nós, estou-me a borrifar para que o governo manda ou deixa de mandar. Nem preciso de tal ordem: sempre me afastei da carneirada.

      Suspeito, zazie, que estou longe de ser o único a pensar assim.

      Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:43

        Zazie dans le metro. Do Raymond Queneau- sou mulher, apesar de não ter conversa de mulherzinha loura-burra. Para essa já sobram os epidemologistas-florestais e outr@s que tais.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:46

        Eu defendi o mesmo que o João Miranda defendia na altura no Twiiter- fechem esta merda-já! e fechem a trampa das fronteiras!
        A sério, rápido, antes. As criancinhas podiam ter ficado a ter aulas que isso não adiantava nem atrasava.
        Agora as fronteiras, lembram-se quando finalmente as fecharam porque quem fechou foram os outros?
        Eu lembro-me. O politicamente correcto não permitia. Tal como não permite recambiar a porcaria de pseudo-refugiados contaminados, despejados a granel nos hosteis, pelos humanistas de sempre.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 20:48

        Disse eu! disse para fecharem as fronteiras logo!
        Mas não. Era o problema do turismo e nascemos para servir à mesa.
        Agora tramam-se que sem turismo não sabem fazer mais nada, a menos que sejam funcionários públicos e esses nem precisam de fazer nada.

        Vão ser aumentados e ficam em casa na engorda.

        Gostar

      • Filipe Bastos permalink
        25 Abril, 2020 21:19

        Acho que já noutra ocasião me referiu a Zazie dans le metro. Para quem cá anda há tanto tempo, basta pesquisar o seu nick, devia saber que na net cada um diz o que quer.

        Chamar-se zazie prova tanto como eu chamar-me Filipe; v. pode ser um camionista barbudo e eu uma dondoca mamalhuda.

        De acordo quanto ao politicamente correcto, os funcionários públicos e a vocação para servir a estranja. Veremos como vai ser sem a mama do turismo.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 21:23

        Oiça, eu não tenho de lhe dar satisfações.
        Se soubesse um pouco de literatura tinha logo percebido que sou mulher.
        Ando na blogo desde o Pastilhas com este nick e várias bloggers me conhecem.
        Passe bem

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 21:26

        Não vai ser. Essa é a tragédia.
        Sem turismo e sem banca para financiar o socialismo, já era.

        Acredito que possa ser uma recessão gigantesca como nenhum de nós viveu.
        Isso sim.
        E vai ser mundial, sendo que por cá nem resposta inteligente se pode ter porque a esquerda só sabe viver da banca e mete-se toda dentro do Estado porque nada sabe produzir.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 21:29

        Já andavam com o neo-prec mongo há muito- Agora vai ser tudo a querer nacionalizar e a criar o novo mundo, com empréstimo da UE e da maldita banca capitalista dos vampiros dos banqueiros.

        E vão aproveitar para muita solidariedade de “internamento em casa” dos tais velhinhos inúteis dos 60 aos 99 anos.

        Esse detalhe dos “velhos são os trapos” para aos 70 anos ser expectável a morte, é um detalhe muito giro e muito, muito comunista e “solidário”.

        Gostar

      • Filipe Bastos permalink
        25 Abril, 2020 21:36

        Não digo que não, mas que isto precisava de uma grande volta, também precisava.

        O problema é se vai ficar ainda pior, como tudo indica, graças aos pulhíticos que temos.

        Será preciso outra volta ainda maior: para mim, uma democracia semidirecta. Claro que agora parece utópica, mas muita coisa já o pareceu. Veja o voto feminino, por exemplo.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 21:58

        Ah, sim. A palhaçada da democracia directa viu-se agora como seria.
        Era giro. Tudo a votar em anormalidades e ninguém para comandar e agir.

        Eu não sou abrilista pelo que de democracia interessa-me a liberdade de expressão e a possibilidade de os puxar cá para baixo.
        Pouca coisa. Em situações destas preferia um bom Estado Novo.

        Isso sim. Por isso é que nem percebo tanta galinhice e tanto histerismo por causa dos cabeleireiros estarem fechados.
        A mim tem-me dado mais jeito as lojas de ferragens abertas, só por coisas.

        O problema não é haver ordens. É não haver inteligência e sabedoria nos conselheiros.

        Se há algo que me apercebi nitidamente é que andámos um século a acreditar na magia invencível do progresso da Ciência e da Medicina e esse progresso é tecnológico.

        Dizem que o bicho é igual aos outros das gripes que meio mundo já teve e depois confessam que nem esses sabem como entram no organismo e nem esses estudaram a sério.

        Quanto a este, sabem tanto que já admitem que vai ser melhor habituarmo-nos a viver com a coisa como na Pré-História…

        E, no entanto, o bicho existe, existe nos morcegos, passou para nós, não se sabe se por via de uma única indigestão chinesa, se muitas, se … se… se.
        Nessa altura a coisa nem se contagiava aos Ocidentais superiores.

        Agora que contagiou a granel e se espalhou por todo o mundo, deixam a populaça histérica no facebook a inventar as explicações científicas que não existem, nem por tradução automática de infinitos papers.

        Há muito que eu achava que isto de cientóinice ou era para causas megalómanas de “salvar o planeta ” e o cosmos, ou sobrava para turismo em congressos.

        Liked by 1 person

      • 25 Abril, 2020 22:04

        Como o saber ficou assim pelas ruas da amargura e a espiritualidade pela ideologia e estatística, sobram-nos os esquerdistas a darem taparem e a decretarem “etapas” e saltos em frente de 15 em 15 dias, a conselho dos sábios e os neontos aos gritinhos de revolta mimada a reivindicarem desobediência civil.

        Enfim… a IL está no Parlamento da Esquerda, por algum motivo.
        E a Direita estará solitária num ou noutro Ferraz da Costa ou Jaime Nogueira Pinto, de amostra invisível.

        Gostar

      • 25 Abril, 2020 22:16

        Quanto ao maniqueísmo de só morrem os velhos, isto é habitual e todos os anos acontece e a gripe mata mais, Deus queira que os sobreviventes que estariam a erguer a economia, não fosse o pânico mediático, não fiquem com as mazelas nos pulmões, coração e rins.

        O bicho existe, é novo, não temos armas para o vencer (as poucas que temos são cópias milenares do que sempre se fez (o isolamento, o confinamento, a barragem contra forasteiros, o arejamento) por muito que a angústia geral nos leve a negá-lo das mais variadas formas.

        Cada um espanta fantasmas do modo que melhor sabe.

        Gostar

      • Filipe Bastos permalink
        26 Abril, 2020 00:33

        A memória civilizacional que referiu acima é o que permite a alguns não exagerar o que é, até ver, apenas uma gripe um pouco pior.

        Basta recuar cem anos para ver o que é uma pandemia a sério; e mesmo essas duas catástrofes juntas – a pandemia e a guerra – mal afectaram o crescimento demográfico.

        Se uma pandemia com 100 milhões de mortes mal se nota, num mundo com quatro vezes menos gente, quanto mais esta. Isto sendo puramente pragmático, como a zazie gosta.

        E se a democracia directa é palhaçada, que diríamos há cem anos do voto das mulheres?

        Gostar

      • 26 Abril, 2020 07:58

        Não. A memória civilizacional é politicamente incorrecta e por isso estes imbecis não fizeram logo a primeira coisa útil- fechar fronteiras.

        Estamos tão desprotegidos como há 100, 200, 500, 600 anos. A diferença é a net e os recursos hospitalares.
        Tenho esperança que os verdadeiros epideologistas que fazem mesmo algo de útil em laboratório e não entram nesta lista merdosa da CM, porque são apenas militantes de estatística- consigam travar o bicho.

        A memória histórica o que mostra é comunidades limpas a fecharem-se a forasteiros e a não se deixarem contaminar.
        E mostra que sabiam fazer barragens e tampões, bem como confinamentos à séria e com patrulhs militares- se fosse preciso- para os contaminados não contaminarem mais gente.
        E depois não viviam do turismo- Se fosse preciso fecharem-se os limpos, também conseguiam ser auto-suficientes por um tempo.

        Ao contrário do que as alimárias da lista facebookiana dizem, os vírus sem químicos ou vacinas que os travem, só podem ser travados se não se lhes facilitar o hospedeiro.

        E isso, também ao contrário do que estes idiotas das estatisticas dizem e absolutos ignaros em História, não impede segunda vaga, porque isso é o bicho a lutar pela “Vida”. Tudo o que é Vida faz pela Vida e a maligna ainda mais, mas pode impedir que ele enfraqueça!

        A esperança pode ser essa. Por todos os exemplos do passado, as comunidades que melhor souberam atrasar a expansão do bicho entre elas, conseguiram que este fosse ficando mais fraco.

        Quando apanhavam não apanhavam doença tão forte.

        Claro que o bicho também faz o mesmo- e tenta mutações. Mas essas, como são naturais, são mais perfeitas que os nossos travões humanos e demoram mais tempo.

        Abrir esta treta, sim, como é óbvio- para aquilo que é preciso e proibindo aumentos estatais, proibindo os sindicatos e acabando com a imbecilidade das 35 horas na Saúde.

        Se descobriram agora que a gripe mata mesmo muito, e eu aqui na blogo fartei-me de o dizer porque desde 2017 que vivi todos esses surtos gripais em urgências hospitalares, fiquem também sabendo que as vivi sempre no meio de greves e reinvindicaçõezinhas de merda daqueles a quem agora batem palmas e descobriram que a profissão não é só picar ponto e andar em congresso ou publicidade farmacêutica.

        Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      26 Abril, 2020 00:10

      Filipe, ganham todos, menos os que trabalham e têm pequenas poupanças.

      Até começo pelos mamões, que sei que gosta de bater neles.

      Os mercados estavam em alta em Fevereiro.
      Os media começam a meter pânico nas pessoas.
      Os mercados caem abruptamente no fim de Fevereiro.
      Quem vendeu as suas acções no início de Fevereiro, e que ligações tem aos media? Não sei, mas era trabalho jornalístico mais interessante que entrevistar o Marcelo à varanda.

      Os governos, para acalmar o pânico da populaça, com demasiado tempo livre e acesso ao facebook, mandam fechar tudo. Imediatamente se percebe que vem aí uma recessão como nunca vista.
      Os governos, para corrigir a borrada que fizeram, prometem estímulos, apoios às empresas em lay-off, e toda uma série de medidas com o dinheiro do contribuinte.
      As acções sobrem acentuadamente.
      Quem comprou quando estavam baixas? Que ligações têm aos governos? Outra investigação interessante.

      Manda-se a economia para o charco. É preciso dinheiro para que os 10, 15, 20% de desempregados não façam isto descambar nuns anos 30 do século XX.
      Sobe-se impostos, mas não chega. Imprimir dinheiro também não dá. Venha dívida. Rendimento perpétuo para alguns, às custas do contribuinte.

      Mas a esquerda não fica sem se rir.

      A quantidade de gente que anda a defender que o Estado deva ter acesso aos dados de localização de GPS dos telemóveis das pessoas é assustadora. Mas pela liberdade de não ser seguido, a esquerda não se bate. Isso eles acham bem.

      A esquerda garante que, nos anos futuros, não há qualquer corte ou racionalização de recursos nos sistemas de saúde. Basta lembrar à carneirada o corona e como o serviço nacional de saúde foi heróico, e mais umas quantas lérias.

      A esquerda já conseguiu por em marcha uma campanha que passa a seguinte ideia “ah, agora as pessoas que querem que o Estado as deixe em paz vêm pedir ajudas”, omitindo que as ajudas só se tornaram necessárias devido aos confinamentos impostos pelo Estado. Esta conversa ouvia eu de antigos colegas da Universidade, engenheiros da geração mais bem preparada de sempre.
      Já ouvi, a propósito desta situação toda, que o comunismo funciona bem em crises.

      Está na hora de ir buscar a moca de Rio Maior.

      Liked by 2 people

      • Filipe Bastos permalink
        26 Abril, 2020 00:42

        Zé Tonto, como é habitual lúcido numas coisas, mas não noutras.

        Até vê como os mamões manobram governos e os media, e por extensão a carneirada, a seu bel-prazer; mas não vê que o problema não é falta de dinheiro? Que fazemos o dinheiro que quisermos, quando quisermos?

        Nada mudou, Zé: estão cá as mesmas pessoas, as mesmas fábricas, os mesmos materiais e recursos. O covidas não acabou com o sol, com o mar ou com o petróleo.

        É uma questão de quem controla os recursos; de quem controla o dinheiro. E uma questão de prioridades: é preciso uma pandemia para sabermos que a Saúde deve estar à frente de tudo o resto? Que raio de sociedade é esta?

        Sobre as “ajudas só se tornaram necessárias devido aos confinamentos impostos pelo Estado”: suponha que o confinamento era mesmo necessário. Que economia é esta, que capitalismo é este, que não resiste a estar dois ou três meses semi-parado?

        Liked by 1 person

      • Zé Manel Tonto permalink
        26 Abril, 2020 10:01

        ” como é habitual lúcido numas coisas, mas não noutras.”

        Faço o que posso, mas não sou perfeito.

        “estão cá as mesmas pessoas, as mesmas fábricas, os mesmos materiais e recursos.”

        10 a 15% da população em muitos países da Europa trabalha em sectores relacionados com o turismo. Uma boa parte deles vai para o desemprego. Só recuperam o emprego quando as pessoas começarem a viajar outra vez.
        Com o pânico que foi induzido nas pessoas, pode demorar muitos meses.

        Vai haver muitos agregados familiares a reduzir despesas e a adiar investimentos, daí passa para as empresas fazerem o mesmo.

        Vamos ver.

        “Que economia é esta, que capitalismo é este, que não resiste a estar dois ou três meses semi-parado?”

        O Filipe às vezes tem com cada uma. Sim, uma empresa que fique dois ou três meses fechada, sem nenhum dinheiro a entrar e com as despesas ao mesmo nível, não tem qualquer problema.
        O Filipe é empresário, conte-me quanto tempo consegue estar com as mesmas despesas e nenhum dinheiro a entrar.

        Liked by 1 person

      • Filipe Bastos permalink
        26 Abril, 2020 16:58

        Zé Tonto,

        “10 a 15% da população em muitos países da Europa trabalha em sectores relacionados com o turismo. “

        Tem razão, nem tudo está igual: o turismo e actividades relacionadas levam realmente uma grande pancada. É uma parte significativa da economia e da população.

        Por outro lado, havia turismo excessivo e demasiada dependência de sermos os criados dos países ricos. Algo tinha de mudar. Claro que é mais fácil dizer do que fazer.

        O Filipe é empresário, conte-me quanto tempo consegue estar com as mesmas despesas e nenhum dinheiro a entrar.

        Trabalho em tecnologia. Nem todos perderam com isto: há quem esteja a vender bem mais. Não é o nosso caso, mas também não estamos mal. Veremos daqui em diante.

        Se parasse 3 meses, como outros? Era difícil, mas aguentava. A questão é o sistema, o capitalismo que v. venera: esta dependência desesperada de ‘crescimento’, esta corrida em que qualquer pequena paragem é o desastre.

        Este sistema estava e continua a estar errado. Mas suspeito que nem com isto vamos aprender. Demasiada gente pensa como o Zé.

        Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        26 Abril, 2020 17:16

        “havia turismo excessivo”

        Isso é outro debate. A solução para isso, se é que isso é um problema, não passa por mandar metade dos trabalhadores do sector para o desemprego.

        “esta dependência desesperada de ‘crescimento’, esta corrida em que qualquer pequena paragem é o desastre”

        Crises sempre houve. Há periodos de crescimento e outros de abrandamento. Não é uma tragédia.

        Desta vez é diferente.

        Um economista português a trabalhar na reserva federal de S. Louis publicou um estudo que prevê 30% de desemprego nos Estados Unidos. Isso é mais que a Grande Depressão. No último mês, 26 milhões de pessoas por lá ficaram desempregadas.

        A recessão em Portugal nos tempos da Troika foram uns 7% acumulados em 3 anos. Agora poderá ser o mesmo em menos de um ano.

        Não me parece que se possa considerar isto uma pequena paragem.

        Gostar

      • Filipe Bastos permalink
        26 Abril, 2020 17:48

        Sim Zé, mas o que provocou calamidade tão profunda e inédita?

        Um asteróide colidiu com a Terra? Um mega-vulcão explodiu? Uma nova peste matou incontáveis milhões? O petróleo secou?

        Não: ficámos em casa dois meses. Nada mais.

        Repare que o desemprego, a tragédia e ranger de dentes que enunciou não é só do turismo: mesmo que amanhã tudo voltasse ao normal, bastaria esta mera paragem durante dois meses para provocar tudo isso.

        Tal como em 1929 o já então absurdo sistema financeiro lançou o mundo numa convulsão inaudita, sem que nada, absolutamente nada, tivesse mudado ou a justificasse.

        Quando alguém aponta o absurdo de tudo isto vem logo a conversa da Venezuela e do gulag: a boa, velha e falsa dicotomia que mantém tudo na mesma. E os mamões a mamar.

        Gostar

      • Jornaleca permalink
        26 Abril, 2020 18:09

        Ó @Zé Manel Inteligente,

        e depois? Um ser humano, que sabe falar português, publicou um estudo. LOL. E agora? Você não é certamente economista e vive também fora de Portugal, actualmente. Correcto?

        E está a discutir com um outro ser humano aqui, que nadinha percebe de economia. Que talvez seria pior até que este governo.

        Encontrar trabalho nos EUA é muito mais fácil, do que aqui.

        E como estavam os números em relação ao desemprego antes deste ataque de guerra chinês, através do vírus? Sabe? Por isso, não é nada preocupante.

        É lógico e nadinha tem de ver com esse período de dita “Grande Depressão”. As premissas são muito diferentes. Não é a mesma coisa.

        E é interessante, que a esquerda fascista nos EUA quer prolongar a ruina do país. E porquê? Só para o Trump não ganhar as eleições. Mais nada. E isto também é do interesse dos criminosos na China comunista. É mais que evidente. Qualquer cego o sabe.

        Liked by 1 person

      • Zé Manel Tonto permalink
        27 Abril, 2020 17:25

        Filipe, as vezes não o percebo. Qual o mal de parar dois meses?
        Tem mal agora, como teve mal sempre.

        Quando as sociedades eram caçadores recolectores, parar dois meses era falhar as caçadas e morrer de fome.

        Quando as sociedades eram puramente agricolas parar dois meses era perder uma colheita, e morrer de fome.

        Tem mal com sistema capitalista, tem mal com sistema comunista, e tem mal com qualquer sistema que queira inventar alternativo a esses.

        As pessoas não sabem se vão perder o emprego, contraem os gastos. As vendas de carros já baixaram, as pessoas estão à espera. Não me admirava que estejam a adiar obras em casa, e toda e qualquer despesa que possam adiar.

        Vamos esperar pelos dados do INE.

        Gostar

      • Filipe Bastos permalink
        27 Abril, 2020 22:07

        Teria certa razão, Zé, se actividades essenciais tivessem parado e tivéssemos agora de correr atrás do prejuízo. Ainda assim, um mínimo de cooperação e racionalidade deviam bastar para recuperar. Mas nem foi o caso.

        Os agricultores não ficaram em casa. Tudo continuou a funcionar: temos comida, bebida, luz, gás, água na torneira, internet, tudo.

        Só o resto – em boa parte os bullshit jobs do capitalismo – ficou em casa. Só dois meses. E mesmo assim é a tragédia que v. enunciou.

        Parece-lhe normal? Não devia ser normal. Mas OK, veremos os números.

        Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      27 Abril, 2020 14:50

      Filipe, só li o princípio deste seu comentário e PAREI na 1 frase: onde raio viu que este texto é UMA VISÃO MINHA?!! Nem com um parágrafo AVISANDO que NAO ERA UM TEXTO DE OPINIÃO você consegue ser sério na sua análise???! Mas afinal, se leram o texto NAO LERAM LOGO NO INÍCIO ESSE PARÁGRAFO???! Epa! Sem paciência pra gente desonesta. O texto TAL COMO REFERI é apenas pra dar voz A OUTRAS OPINIÕES escondidas pelos média. Mais: referi q era APENAS a primeira parte. NEM SEQUER AINDA tem QUALQUER CONCLUSÃO a isto mas… a malta da artilharia pesada já começou a bombardear feitos tontos como se eu fosse autora das declarações e tivesse manifestado a minha opinião!!?? Epa!!! Francamente. Isto é de gente pouco seria q vem para aqui só bater porque sim.

      Gostar

      • Filipe Bastos permalink
        27 Abril, 2020 22:12

        Cristina, no post v. diz: “…estes artigos não são de opinião, mas sim, um levantamento de depoimentos dos verdadeiros cientistas, médicos e investigadores … altamente credenciados e com larga experiência…”

        Se não é a sua opinião, também não somos levados a crer que esta seja muito diferente: qualquer um interpreta a sua posição como pelo menos conciliável com as opiniões que publicou. Em ponto nenhum as questiona.

        Dirá que ouvimos opiniões contrárias todos os dias, estas é que estão escondidas. Mais ou menos: volta e meia lemos críticas à resposta deste e doutros governos. Estarão talvez em minoria, mas existem.

        Se eu publicasse uma lista de opiniões a dizer que está de chuva, não me admirava se me dissessem que acho que está de chuva.

        Gostar

  13. Carlos Guerreiro permalink
    25 Abril, 2020 19:54

    “mas não dizem que 20, 30, 40, 100 pacientes positivos com o NORMAL coronavírus (a gripe sazonal) estão neste momento a morrer.”.
    A gripe sazonal é provocada pelo vírus Influenza (A e B). O vírus influenza é um género da família dos vírus Orthomyxoviridae, não tem nada a ver com os coronavírus (em comum só o facto de serem vírus RNA).

    Em relação ao gráfico do Euromomo apresentado pelo André Silva, verificar que o mesmo não está completo falta-lhe o pico e a queda em 2020 ( https://www.euromomo.eu/graphs-and-maps/ ). O pico em 2020 (14 semana) tem mais 16.000 morte na pior semana do que o pico de 2017 (2 semana). O que os gráficos não revelam é o total de mortos e isso seria importante para comparar a “gripe normal” e o coronavírus.
    A análise do André Silva é muito básica. Em 2020, a gripe ocorreu antes do coronavírus e a mortalidade semanal foi inferior à dos anos de 2017-2019. A mortalidade semanal em 2020 começa a subir na semana 11-12 que é quando nos anos anteriores já começava a baixar. A baixa da mortalidade do “período da gripe” não terá sido provocada pelo confinamento? Muito menos pessoas (especialmente crianças) foram aos serviços de urgência nesse período. No surto de gripe A houve muito menos infecções por adenovírus e VRS (e influenza) devido aos cuidados de lavagem das mãos e etiqueta respiratória (especialmente em crianças).

    “Sabia-se desde o dia 1 que o risco para crianças era inexistente. As crianças são a 1ª barreira imunológica. Mas elas são mais do que isso: são aspiradores, são vassouras de vírus. Não há riscos.” – esta frase é uma imbecilidade, verifique o número de mortos e a morbilidade em bebés do Adenovírus e VRS. E o influenza também é particularmente agressivo com bébes e crianças com patologia de base.

    Gostar

    • 25 Abril, 2020 20:05

      Eles são estúpidos. Nem sabem que para as gripes leva-se a vacina todos os anos e tomam-se antivirais.

      Para este é preciso rezar muito à Dona Ciência que a economia está pelas ruas da amargura.

      E, no entanto, as criancinhas só deixaram de ir à escola porque a outra avózinha que, não tarda nada, vai dizer que está na hora de regressarem, ficou toda chateada pela escola da netinha nem ter fechado.

      Gostar

      • 26 Abril, 2020 08:12

        Esse tal de André Dias foi promovido pelo nosso grande epidemiologista florestal de facebook. Tudo com minúsculas porque o homem é pequenino e não consta que saiba dançar.

        Gostar

    • JMS permalink
      25 Abril, 2020 22:50

      Não é André Silva. É André S. Dias. o André Silva é um nojo e faz parte do problema global com que nos deparamos.

      “Não confundir a merda com a erva de cheiro”.

      Ou

      “Não confundir a Estrada da Beira com a beira da estrada”. A frase mais profunda que ouvi a um gajo qualquer que parece que é primeiro ministro, proferir.

      Não esperemos grande coisa dum país “governado” por pantomineiros e mentirosos compulsivos.

      Gostar

      • 26 Abril, 2020 08:10

        Who the fuck is André Dias?
        Um palerma que está à espera que o presidente lhe telefone para dar conselhos por ter feito uma dissertação de modelação estatística em fumadores?

        Gostar

  14. Pedro Grangeio permalink
    25 Abril, 2020 20:19

    Obrigado, Cristina Miranda, por esta lufada de ar fresco neste ambiente viciado, de mentira constante que vivemos em Portugal.

    Liked by 2 people

  15. Jornaleca permalink
    25 Abril, 2020 21:27

    O acima mencionado doutor Gerald Krause é tratado pelo governo actual alemão (esquerdista e comunista) com um conspirador. Um maluco, que não sabe do que fala.

    Existe uma lista, com 120 peritos (professores, doutores), que todos criticam o governo alemão duramente e são contra o Lockdown. Desse lista faz parte o tal Gerald Krause. Todos nessa lista são tratados como conspiradores, apesar de serem reconhecidos peritos pelo mundo fora.

    É a esquerda fascista que assim argumenta, sem provas nenhumas, claro. Todos que não defenderem as posições da esquerda, são malucos, ou conspiradores. E as mentiras são espalhadas pelos meios de comunicação alemães, controlados só pela esquerda.

    Um professor de medicina de direito de Hamburgo, que também faz parte da lista dos 120, que trabalha em Hamburgo, veio a público, afirmar, que ninguém adoece com o dito Covid19, a não ser, que tivesse já uma doença (grave) prévia.

    Uma das melhores fontes a nível nacional e internacional, e imparcial, que não é financiada pelo governo alemão, mas de modo privado, e que tenta salvaguardar a verdadeira ciência. A esquerda odeia profundamente estes peritos. Se o seu marido falar alemão, ele de certeza, saberá traduzir para você o texto. Vale muito a pena. Lá encontra a lista dos 120 cientistas que estão conta o procedimento do governo alemão conduzido pela tonta Merkel.

    Fonte:
    https://www.eike-klima-energie.eu/2020/04/23/bericht-zur-coronalage-vom-22-04-2020-worauf-wartet-die-politik/

    O governo alemão trabalha em conjunto com o Robert-Koch-Institut. Que até ao dia 5 de Abril de 2020 desaconselhou fazer autópsias a aqueles que dizem ter falecido devido ao Covid19. Após protestos, tiraram aquilo da página da Internet. Mas autópsias continuam a não ser feitas, com raras excepções.

    Quer dizer, que nem na Alemanha, conhecem os números verdadeiros, daqueles que dizem ter morrido com ou devido ao Covid19. Os dados nunca foram validados. Para qualquer cientista honesto uma vergonha e um falhanço total.

    O governo alemão trabalha com três conselheiros, em cima do palco:
    Um tonto, que diz de si, ser virólogo.
    Um médico de animais.
    E um empregado bancário, perverso e homosexual, que não sabe um corno nadinha de saúde e é o ministro actual da saúde. Uma coisa totalmente doida, e pouco vista no mundo.

    Na Polónia, os ministros da saúde são todos profissionais de medicina, e altamente reconhecidos como tais. Não assim na Alemanha perversa e maluca, actualmente.

    A Alemanha actual cuspe em cima da ciência e anda a propagar a perversidade. Entretanto arruinando profundamente a actual economia.

    O maluco António Guterres, afirmou uns dias atrás, que só empregos verdes merecem ser salvados, após a crise do Covid19.

    E enquanto a OMS (WHO) for controlada pelos chineses, o futuro não poderá ser muito risonho.

    Gostar

    • Albino manuel permalink
      26 Abril, 2020 13:11

      Jornaleca

      É um idiota de primeira.

      A qualificação ideológica do governo alemão.

      O tonto que é o que todos respeitam.

      O presidente que sim, é veterinário. E daí? Eles não vêm mal.

      E a bichona que é ministro da saúde e um peso pesado da CDU. Vá mamar este e cale-se!

      Gostar

  16. Rui permalink
    25 Abril, 2020 22:16

    A nossa imprensa está a mendigar apoios do estado. Não vai publicar nada que possa pôr em perigo esse apoio…

    Liked by 1 person

  17. Albino manuel permalink
    25 Abril, 2020 22:25

    Sobre a água e o sabào não há nada? Quer dizer, aí pelo Puorto

    Gostar

  18. Jornaleca permalink
    26 Abril, 2020 00:09

    Citação:
    “Disgusting: Democrats threaten to expel Democratic lawmaker for surviving COVID-19 with hydroxychloroquine and thanking Trump April 25, 2020. Apparently, she was supposed to shut up and die. […]”

    Tradução:
    “Nojento: a esquerda [porca] norte-americanan (US-Pseudo-Democrats) quer expulsar um membro do partido deles, (uma advogada) para fora do partido, por ela ter sobrevivido a doença Covid19, com uma mistura, um medicamento, ao qual os ingleses chamam: hydroxychloroquine, e ter agradecido ontem ao presidente norte-americano, Donald Trump. […]”

    Aparentemente, queriam e preferiam que ela se calasse e tivesse morrido.

    Fonte:
    https://www.americanthinker.com/blog/2020/04/disgusting_democrats_threaten_to_expel_democratic_lawmaker_for_surviving_covid19_with_hydroxychloroquine_and_praising_trump.html

    Gostar

  19. Zé Manel Tonto permalink
    26 Abril, 2020 00:24

    O único confinamento que devia ter sido feito, não foi feito.
    Fechar a fronteira com a China logo em Janeiro.

    Todas as outras medidas são contra producentes, e eu manifestei-me contra, desde o início.

    Não posso deixar de realçar a ironia de, no 25 de Abril, os tiranetes que puseram o país sob prisão domiciliária, estarem a dar vivas à Liberdade.

    Esses ranhosos não reconheciam a Liberdade nem que esta lhes desse um estalo na tromba.

    Liked by 2 people

    • 26 Abril, 2020 08:13

      Pois devia!
      Nessa altura andavam tão negacionistas como agora andam…

      Gostar

    • 26 Abril, 2020 08:27

      E pedir-se indemnização à China em se provando que ocultaram.

      Porque esta malta que é toda senciente e sem fronteiras para “integrar o outro”.

      E estava-se nas tintas para aqueles mercados chineses onde se come todo o bichinho que por cá dava direito a pena de morte se não tivesse tutor a oferecer casa, cama roupa lavada e veterinário com direito desconto nos impostos

      Nem se pode falar em “vírus chinês” porque nós até comemos ostras cruas e lampreia e não somos racistas.

      Gostar

      • Jornaleca permalink
        26 Abril, 2020 09:30

        Pode sim senhora.

        Trata-se claramente dum vírus COMUNISTA chinês, que foi provavelmente solto de um laboratório, pertinho do mercado com os tais bichinhos.

        E a doença entrou, por maldade chinesa, no norte de Itália, no vale da Lombardia, através das fortes ligações económicas com a região de Wuhan. De aí espalhou-se por toda a Europa.

        O mesmo pode-se dizer do Irão. Também esses, têm fortes ligações económicas com a tal China comunista. Só que o Irão mente muito e encobre mais ainda. Eles não publicam os verdadeiros números.

        Quem der ao vírus comunista chinês outro nome, cede à escravidão chinesa, da esquerda porca e criminosa, de livre vontade. Para quê?

        Quem é que sabe por exemplo, que na China comunista, as turmas são agora vigiadas por câmaras, que controlam, se os alunos estão atentos e concentrados ou não?

        Quem é que sabe, que na China comunista os professores batem cruelmente nos alunos? Especialmente naqueles, que não querem aderir ao comunismo e ser livres?

        Quem é que se lembra, que na China comunista, não EXISTE liberdade de expressão NENHUMA? Que eles encobrem tudo? Que só o partido comunista é o dono da verdade?

        Quem é que sabe, que na China comunista não existe direito nenhum, justiça nenhuma? Se alguém criticar o Ferro Rodrigues chinês vai parar muito breve à prisão sem quaisquer direitos e a morte quase segura?

        Liked by 1 person

      • Filipe Fernandes permalink
        26 Abril, 2020 22:34

        Esta senhora nazie viveu à grande, teve sorte na vida apesar de ser uma académica medíocre, ah grandes anos 80 nas universidades em que qualquer merda ia dar aulas, e agora nem se preocupa com os milhões que têm a vida pela frente, só porque tem medinho de apanhar o vírus. É assim a solidariedade.

        Gostar

  20. Antonio Galvão permalink
    26 Abril, 2020 02:34

    Um artigo que põe grande parte da verdade a nu e que eu e muitos técnicos não aceitamos as medidas impostas por políticos ignorantes que acreditaram mais nos matemáticos do que nos cientistas de referência com o pânico instalado com o mundo confinado em casas sem condições e agora com o estigma dos idosos que em muitos países ninguém toma atenção as condições em que estão instalados.Vejjam o que ainda está a passar com os locais e condições para eles e curadores em Portugal. A DGS é o exemplo das ordens para as más práticas e atitudes de poder de que estão imbuidas

    Liked by 2 people

  21. Jornaleca permalink
    26 Abril, 2020 02:54

    No dia 11 (onze) de Março de 2020 publicaram a notícia, que investigadores da Ilha Formosa (China capitalista e competente), desenvolveram um teste, capaz de dizer em vinte minutos, se alguém tem o Covid19 ou não. Investigadores da Academia Sinica na Ilha Formosa, segundo a fonte. Isto foi já há mais de 45 (quarenta e cinco) dias.

    Agora aparece hoje num jornal britânico muito frequentado o seguinte, citação:

    “Scientists hail game-changing immunity test: Government orders 50 MILLION antibody testing kits that work in 20 minutes and could be ready by June as Boris Johnson returns to work on Monday”

    Em poucas palavras: um teste de 20 minutos, que dizem vai melhorar e MUDAR o jogo. Pode ser o fim deste terror comunista para algum tempo, pelo menos.

    https://www.dailymail.co.uk/news/article-8257233/Government-orders-50million-game-changing-immunity-tests.html

    Os nossos burros criminosos têm só boas relações com os nossos piores inimigos, da China fascista e comunista. No lugar de procurar ter muito boas relações com os chineses inteligentes e bons e altamente competentes, da Ilha Formosa. Mas não, o António Costa prefere deixar morror o pessoal.

    FUCK 25 de Abril!!

    Gostar

  22. Liberal de Bancada permalink
    26 Abril, 2020 06:59

    A Cristina e o Tilly alinham com o Bannon. Faz sentido; há que justificar a opção política do POTUS.

    Agora a Helena tem uma escolha para fazer. E se calhar o André, que andou aí a votar a favor de estados de emergência, também.

    Mas ó Cristina, tenha cuidado; os números da petição para fechar o 25 de Abril não são muito favoráveis à estratégia Bannon.

    Gostar

    • Jornaleca permalink
      26 Abril, 2020 07:26

      Um bom e competente jornal reconhece-se na maneira como trata o actual e excelente presidente norte-americano.

      No observador.pt existem muitos elementos a vender gato por lebre. A enganar o leitor com pesquisas que não valem um corno. Nada sabem, mas fingem. Nunca na vida vão conseguir o que Trump fez e mentem ao leitor.

      Os asnos não escutaram o Trump de novo e a esquerda parva diz-se mais inteligente do que ele, mas as provas dizem o contrário.

      A questão em jogo é, governar bem ou mal, e nenhuma esquerda até hoje soube governar bem. Nenhuma!!

      Por isso, os jornais portugueses não valem um corno. A não ser, que eles falem bem ou com respeito do adversário.

      Criticar é uma coisa, mas ataques ad hominem a derrota total de qualquer esquerda.

      Bannon vale mais do que toda a esquerda em conjunto.

      Os jornais portugueses era queimar os todos. Quem defende este regime é criminoso.

      Gostar

      • Liberal de Bancada permalink
        26 Abril, 2020 07:41

        Sim, queimar o Observador. É como o desinfectante, faz sentido. (Atenção, estou só a ser sarcástico).

        Eu gostava de ver um debate entre a Cristina e aquele senhor especialista em números do Observador que diz que o governo mente e esconde mortos.

        Gostar

      • 26 Abril, 2020 08:21

        A CM infelizmente é uma neófita política. Os neófitos são sempre assim- conseguem juntar os vícios do passado, aos exageros das descobertas tardias.

        Sem onda e sem chinfrim para o combate não tem nada a dizer, ou fala em “bullyiing” e outros neologismos de língua de pau.

        Mas sabe fazer resumos da imbecilidade que até tem direito a entrevista.

        E isso é útil porque também existem ingénuos que nem percebiam que esta treta é toda do Facebook e feita por uns copistas ignaros.

        Assim têm aqui o resumo para confrontarem com outras divulgações com mais status e imbecilidade equiparada à la Imperial College.

        Gostar

    • 26 Abril, 2020 08:15

      O André não existe. Vive em Inglaterra, é um puto de estatística que agora tem por lá @s don@s de casa de toda a parte a fazerem a onde para mandarem os outros trabalhar por eles.
      E são pessoas de tal modo amigas da liberdade que propõe que se for preciso deve ser proibido divulgar número de mortes em toda a parte.

      Gostar

  23. 26 Abril, 2020 08:26

    Conclusão: não se deve confundir pantomina com pandemia.

    Liked by 2 people

  24. José Carlos Menezes permalink
    26 Abril, 2020 10:13

    Tenho defendido isso em vários posts no facebook.
    Parabéns. Partilhei, veio dar crédito a muitos palermas e não palermas, muitos amigos de facto.

    Liked by 1 person

  25. Jorge permalink
    26 Abril, 2020 11:36

    Sugeria que vissem a conferência de Imprensa do Dr. Dan Erickson (está disponível por enquanto no youtube) com dados reais do estado da Califórnia, análise comparativa e extrapolação.
    Ele aborda ainda os casos Sueco e Norueguês, para aferir dos efeitos das medidas mais ou menos restritivas de confinamento.
    Agora comparem com o modelo do Imperial College of London, que nos foi “vendido” para justificar o estado de emergência.
    De acordo com o mesmo,e em termos mundiais, se nada fosse feito, seriam de esperar 7 mil milhões de infetados e 40 milhões de mortos.
    (e os autores ainda fazem a ressalva de que estas previsões são uma provável subestimação nos contextos de menor rendimento)
    Com medidas restritivas e atempadas, o impacto poderia reduzir-se para 8 a 10 milhões de mortos.
    Neste momento já atingimos 200430 mortos no mundo, cuja causa de morte foi “registada” como Covid. 40 vezes menos do que a previsão!!!
    Iremos assistir por via das aspas que anteriormente coloquei, a uma descida muito significativa das restantes causas de mortalidade (e não me refiro a acidentes, os quais decaem por razões óbvias).
    Este tema tem imensas pontas por onde pegar.
    Desde os ataques ás liberdades individuais e colectivas, (a que mais me preocupa), á desinformação absoluta por parte dos auto-intitulados órgãos de comunicação social, á ausência de contraditório e de programação de base científica na tv pública.
    Está pois colocada em causa a liberdade de imprensa.
    Se os meios de comunicação social não cumprem a sua função (assegurar pelo menos o pluralismo de ideias), porque razão a Alta Autoridade para a Comunicação Social não intervém?
    Acresce a censura de determinados temas abordados nas redes sociais, que no fundo se resumem a todas as opiniões não enquadradas na narrativa oficial.
    Num estado de direito, cuja constituição salvaguarde a liberdade de expressão, nenhuma farmácia, por exemplo, poderia recusar atendimento a quem se afirmasse contra a vacinação. Ou estou enganado?
    Porque razão a Anacom não cumpre com a constituição e impõe no mercado nacional a supressão de censura como condição de acesso ao mesmo?
    Deveria igualmente ser investigada a aquisição de equipamentos médicos em massa, obviamente sem concurso público, e que ainda se encontram (e irão continuar) embalados.
    Nos Estados Unidos, é oficial (está documentado por instruções do CDC – ver entrevista do Dr. Scott Jensen do Minnesota) a prática de classificar como mortes por covid, pessoas que nem sequer foram testadas, constituindo este facto um cheque em branco para qualquer aprendiz de ditador.
    É que depois do verão, tenho a certeza de que os números irão subir de forma oportuna para nos fazer crer que abusámos das nossas liberdades.
    E com que critérios estão a ser classificados em Portugal? Alguém sabe? Alguém se questiona?
    Determina-se a cremação de corpos para a “epidemia” não alastrar, ou para esconder provas?
    Num estado de direito, decisores públicos, media e law enforcement estariam muito preocupados com a sua responsabilização cível e criminal, por todos os prejuízos causados aos portugueses (particulares e empresas), com base em pressupostos falsos.
    E tantos outros temas…que ficarão para uma próxima oportunidade.
    Por último … leiam por favor “Scenarios for the Future of Technology and International Development”, elaborado em 2010 pela Fundação Rockefeller.
    Nomeadamente o capítulo relativo ao “Lock-Step” (começa na página 18 do documento).
    Inacreditável!!!

    Gostar

  26. 26 Abril, 2020 12:21

    A 15 de Março, a CM do “todos em casa, quarentena, vai ficar tudo bem” defendia o confinamento assim:

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      27 Abril, 2020 14:08

      Alto Zazie! 1° este artigo não é de opinião; 2° eu, tal como milhões de pessoas recebi informação dos média q nos incutiu um medo atroz; 3° com o passar do tempo e dos dados obtidos, outras vozes q inicialmente foram abafadas outra vez pelos médias, começaram por conta própria a contrariar as narrativas oficiais. Só quem não consegue pensar por si próprio, não acompanha o evoluir festa questão e não começa a despertar para outra realidade.

      Liked by 1 person

      • Zé Manel Tonto permalink
        27 Abril, 2020 17:29

        “2° eu, tal como milhões de pessoas recebi informação dos média q nos incutiu um medo atroz”

        Já tem idade para não acreditar no que vê na TV

        Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        27 Abril, 2020 20:22

        Este problema é Mundial. E numa primeira fase pensamos q o mundo sabe o q faz e porque está a agir de uma determinada forma. Até o tempo demonstrar q afinal nada disto é o q parece. Tão simples quanto isto. Por isso agora começa a ficar claro q há coisas q não batem certo. Muitas coisas. E mais o tempo mostrará. Isto é apenas o começo do puzzle.

        Gostar

      • 27 Abril, 2020 17:52

        Cristina. Fique cool. O que citou é merda e vigarice de cvs.

        Eu acredito na sua boa vontade. Toda a gente está com medo e uma forma de medo é também a negação do perigo disto.
        As pessoas precisam de esperança.

        Nada tenho contra isso. Só que esperança por idioteiras eu não a compro.

        Gostar

      • 27 Abril, 2020 17:54

        O que citou é a mera demonstração que está preocupada seriamente com as consequências disto.
        Todos deviam estar. E no isto entra a doença e entra os efeitos do confinamento.

        Agora os cretinos que comprou para achar que está a pensar pela sua própria cabeça é que são pior que ficar quieta e nem dizer nada.

        Gostar

    • Albino Manuel permalink
      26 Abril, 2020 12:46

      Henrique! Henrique! Anda cá! Estâo a falar de ti!

      Não, não é sobre eucaliptos! É sobre o covid e o teu amigo informático da Noruega.

      Gostar

  27. Amora de Bruegas permalink
    26 Abril, 2020 16:00

    Grata, mais uma vez pela excelente informação.

    Liked by 2 people

  28. Helder Alves permalink
    27 Abril, 2020 13:52

    Seria bom referir as fontes dos gráficos. Têm má leitura e não estão identificados. De resto, é um excelente artigo, que contribui para o apuramento da verdade. Numa altura em que o medo está a destruir mais que o próprio virus.
    Obrigado

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      27 Abril, 2020 14:01

      Tem de abrir os links do texto sobre o nome de cada um. Neste caso, Dr. André Dias. E tem lá os gráficos

      Gostar

  29. Jorge permalink
    27 Abril, 2020 14:53

    Volto a insistir.
    Leiam por favor “Scenarios for the Future of Technology and International Development”, elaborado em Maio de 2010 pela Fundação Rockefeller.
    Fica aqui um link:

    Click to access Rockefeller%20Foundation.pdf


    Nomeadamente o capítulo relativo ao “Lock-Step” (começa na página 18 do documento).
    É deveras importante para enquadramento do que actualmente se passa e nas páginas seguintes, descreve-se o que aí virá.
    Depois disso, a perspectiva sobre a actual “pandemia”, passa inevitavelmente a ser outra.
    O virus como mero instrumento. Imediatamente permite colocar em perspectiva o desempenho dos media e das autoridades de saúde.

    Gostar

    • Jornaleca permalink
      27 Abril, 2020 19:50

      Nada de novo. O chefe e dono da rede de televisão, CNN, que adora e reza a Buddha, quer reduzir a população mundial para só 500 (quinhentos) milhões de habitantes.

      A CNN apresenta todos os dias mentiras, manipulando, enganando, metendo medo, ao pessoal.

      Não á pessoal mais estúpido, do que aqueles, a trabalharem para a CNN.

      Rockefeller quer o mesmo. E a fundação dele nada vai conseguir, a não ser, enganar a quem quer ser enganado.

      Só que o Rockefeller era um grande burro, apesar de muito rico. Ele e as suas ideias vão fracassar claramente.

      Gostar

  30. 29 Abril, 2020 14:02

    Aqui está um video sobre essa materia.The Rockefeller Foundation – Scenarios for the Future of Technology and Int’l Development

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: