Skip to content

Gosto pela ilusão

17 Abril, 2012

Aprendemos alguma coisa com a bancarrota Sócrates? Acho que não. Veja-se este artigo de opinião de Rui Moreira, escrito em Abril de 2012. Apesar de Rui Moreira ser uma pessoa habitualmente sensata, continua a defender ideias absurdas que herdamos do socratismos como a obra pública para criar emprego ou a microprodução fotovoltaica. Por esta altura já devia ser evidente para toda a gente que o sector da construção civil tem que reduzir e reestruturar e que a energia electrica da microprodução fotovoltaica tem custos várias vezes superiores ao preço de mercado da energia. Apesar da bancarrota Sócrates, as pessoas desejam rapidamente voltar a este tipo de ilusões.

.

PS – Não deixa de ser interessante que as escolas da Parque Escolar não tenham paineis solares.  É uma solução que o Estado está a impor aos privados mas que não adopta nos seus próprios edifícios.

About these ads
26 Comentários leave one →
  1. henrique pereira dos permalink
    17 Abril, 2012 13:31

    Ninguém está a impôr fotovoltaicos aos privados e ainda bem. No caso penso que Rui Moreira confundiu a água quente solar (mais que justificada e com retorno garantido em sete a oito anos) com fotovoltaico. Os dois são painéis solares, mas um é competitivo e racional e o outro não.

  2. anti-comuna permalink
    17 Abril, 2012 13:35

    Boas noticias.
    .
    .
    “Distribuição: E.Leclerc Portugal inicia exportação de produtos portugueses para França
    .
    Lisboa, 17 abr (Lusa) – A cadeia de distribuição E. Leclerc Portugal anunciou hoje que começou, pela primeira vez, a exportar um “conjunto de nove produtos” portugueses para a casa-mãe em França, totalizando 800 mil euros nas últimas semanas.
    .
    Em comunicado, a empresa de origem francesa adianta que “nas últimas semanas seguiram 15 camiões de produtos portugueses, no valor de 800 mil euros”.
    .
    Com mais de 600 fornecedores portugueses, o E.Lecler começou, nesta fase, a exportar nove produtos portugueses, entre os quais o azeite Gallo ou a cerveja Super Bock, com o objetivo de apoiar as exportações portuguesas.
    .
    Ler mais: http://expresso.sapo.pt/distribuicao-eleclerc-portugal-inicia-exportacao-de-produtos-portugueses-para-franca=f719653#ixzz1sIvnb1w6
    .
    .
    Falta saber mesmo se isto é apenas marketing ou mesmo uma forte capacidade dos produtos tugas em entrar no mercado francês. A avaliar pelo enorme salto nas exportações tugas para França, esta cadeia de supermercados franceses, apenas segue o movimento. E tenta aproveitar a boa competitividade da produção tuga para espetar nos mercados franceses.
    .
    .
    Outro factos que pode estar a pesar, é na “guerra surda” entre franceses e espanhois (uma conflito histórico, como sabemos) que se está a agravar com a crise. Sem falar que os tugas espanlhados por França e seus descendentes, também poderão ter apetência pelos produtos portugueses, desde que ao mesmo nível ou melhor que os espanhois ou até mesmo franceses.
    .
    .
    Grão a grão, a coisa vai-se compondo.

  3. aremandus permalink
    17 Abril, 2012 14:02


    Vive la Vrrrance!

  4. J. Madeira permalink
    17 Abril, 2012 14:08

    Ao preço que está a electicidade talvez se justifiquem outros meios inovadores e limpos de
    produzir energia! Sobre a bancarrota está por fazer a sua completa história, por outro la-
    do não convém andar a citar o “Ilusionista” para não provocar saudades no povoléu!
    Repare-se que o discurso oficial já generaliza as culpas da situação a que chegámos, não é
    credível que, seja só para envolver o Pilatos de Belém!!!

  5. mmpf permalink
    17 Abril, 2012 14:16

    Parece-me que leu “em diagonal” o artigo em causa. Caso contrário não escreveria «Aprendemos alguma coisa com a bancarrota Sócrates? Acho que não. Veja-se este artigo de opinião de Rui Moreira, escrito em Abril de 2012». Sugiro-lhe uma nova leitura.

  6. 17 Abril, 2012 14:34

    pois , o senhor do artigo critica como foi gasto o dinheiro , mal e demais e sem ter em conta as despesas de funcionamento posteriores às luxuosas obras do parque escolar. aqui numa escola da minha zona o director já disse que não tem dinheiro para a conta da luz pós obras e que o ar condicionado vai envelhecer sem ser usado , é só para enfeitar..

  7. Ricciardi permalink
    17 Abril, 2012 14:52

    «Falta saber mesmo se isto é apenas marketing ou mesmo uma forte capacidade dos produtos tugas em entrar no mercado francês.» AC
    .
    Não é marketing. Mas é (boa) publicidade.
    .
    Rb

  8. anti-comuna permalink
    17 Abril, 2012 15:30

    Lembra-se dos gajos andarem para aí a dizer que Portugal não tinha a “sorte” da Irlanda? Que esta sim, era capaz de exportar e Portugal não? Olhe, em Fevereiro voltaram as más notícias para a Irlanda. As suas exportações caíram.
    .
    .
    “Seasonally adjusted exports fell by €1.053bn between January and February 2012 – from €8.3bn to €7.3bn – while imports fell from €4.5bn to €3.7bn during the same period, the CSO said.
    .
    The trade surplus declined by €197m as a result.
    .
    Exports were down 4% on the same time last year, with imports declining 10% year-on-year.
    .
    Read more: http://www.irishexaminer.com/breakingnews/business/fall-in-exports-imports-recorded-in-february-547811.html#ixzz1sJP9q1Px
    .
    .
    Pois é. A propaganda anglo-saxónica contra Portugal parece que era apenas isso. Propaganda. No entanto, Portugal lá se foi aguentando no crescimento das suas exportações e o “modelo deles” está a gripar.

  9. aremandus permalink
    17 Abril, 2012 15:30

    boas noticias:
    no caso dos submarinos o PGR diz que não há dinheiro para perícias e aguarda verbas do governo. Jacinto leite capelo rego vai adiantar algum….

  10. anti-comuna permalink
    17 Abril, 2012 15:32

    Vejam o que está a provocar a queda nas exportações Irlandesas:
    .
    .
    “Chemicals and related products accounted for €4,436 million (or 60%) of the total exports of €7,387 million in February 2012. Exports of Medical and pharmaceutical products fell by €326 million (14%) between February 2011 and
    February 2012 while the value of exports of Organic chemicals fell by €182 million over the same period.”
    .
    in http://www.cso.ie/en/media/csoie/releasespublications/documents/externaltrade/2012/gei_feb2012.pdf
    .
    .
    Coitados deles. Ainda estão pior que os gregos. As exportações de produtos médicos cairam… 14%!!!

  11. Pisca permalink
    17 Abril, 2012 16:02

    Ninguém reparou na ultima descoberta da Ministra Cristas ? Os hectares de tamanho variável ?

    Dizia a dita aquando do “leilão” dos 600 hectares que sobraram da reforma agrária, às solicitas tv’s presentes:
    – Tudo será distribuido até ao mais pequeno hectare …..

    (posso errar na forma mas o conteudo era este)

    Resumindo, com a ajuda da troika, da fé, da seca, da chuva a Ministra já descobriu os hectares de vários tamanhos, deve estar a confundir com os camiseiros, esses é que podem ser S, M, L e por aí fora, é melhor avisar a senhora

  12. RCAS permalink
    17 Abril, 2012 16:07

    “Aprendemos alguma coisa com a bancarrota Sócrates?” ( diz o João Miranda )…
    O João ainda acredita no Pai Natal, pelos vistos! Já parece a Leninha! estas duas cassandras, metem a cabeça debaixo da areia, e ainda acreditam que o Sócrates serve eternamente de peneira, para esconder não s´o que o rei vai nu, mas tambem tudo o que estes mafarricos que nos governam andam e vão comtinuar a fazer a este povo. Em plena crise, desde 2008 farto-me de olhar para todos os lados , tentando descortinar a “iniciativa privada” que forneça emprego e service de alavanca para a recuperação da economia, tal como foi feito nalguns paises da UE! Deve ser um problema de vista minha, só pode… É preciso ter lata! Autênticas avestruzes!…
    Na última semana de Março soaram as campainhas de alarme aos ouvidos deste governo
    governo. As consequências da recessão a que as medidas de austeridade nos
    conduziram e nos conduzem estão ao que parece incontroláveis. Tornou-se evidente para quem nos
    governa, o que já era evidente há bastante tempo: as medidas tomadas até aqui estão a provocar
    resultados desastrosos opostos aos desejados.
    E ficou claro que Portugal não vai «regressar aos mercados» no dia 23 de Setembro de 2013, como o
    ministro das Finanças, Vítor Gaspar, repetidamente afirmara.
    Vai ter de pedirnovo resgate, já implicitamente previsto pelos burocratas da troika.
    Acresce que todas as medidas tomadas, e as outras que etão para vir, são parte da “agenda ideológica”
    dos partidos no governo – um ajuste de contas há muitos anos adiado e que, agora sob o manto diáfono dos credores, está a ser executado! e de que maneira…
    Por isso, desde da Semana Santa, esperando o” perdão do Sernhor”, o governo iniciou, sem aviso prévio, e sem
    explicações, um novo pacote de medidas de austeridade, as quais estão para além do que consta no
    no memorando acordado com a troika para o primeiro resgate.
    As novas medidas, anunciadas avulsas, quase uma por dia, como quem não quer a coisa, sorrateiramente, ( será cobardemente? ) parecem resultar de um «concurso de ideias» lançado a todos os ministros.
    O pontapé de saída, foi dado pelo próprio primeiro-ministro ao declarar, ao contrário do que
    sempre tinha dito, que os subsídios de férias e Natal dos funcionários públicos e pensionistas só seriam
    repostos lá para 2015 e aos bochechos!
    Posteriormente rectificou a mira, e disse de sua justiça: «Serão repostos assim que possível o aque dilata a suspensão para o fim do prazo do segundo resgate. Mas este autêntico troca-tintas não para, e agora diz-nos que afinal será mês a mês!… em 2016, dirá perante a miséria em que o País se vai encontrar que a economia ainda não se encontra nas condições desejáveis e blá blá blá . Pela mão da ministra Assunção Cristas apareceu, caído do céu, um novo imposto sobrea «segurança alimentar» – (he he he he…) a recair certamente sobre o consumidor final, enquanto em surdina, pela calada da noite, se suspendiam as pensões de reforma antecipadas!
    O ministro Pedro Mota Soares (apesar de tudo simpatizo com este motinhas), para além de restringir
    substancialmente o Rendimento Social de Inserção, congemina a entrega ao sector privado de parte da Segurança
    Social. Tal como manda o Ultra – Liberalismo. As vítimas claro são sempre as mesmas!…
    Lá nas Franças o “Fantasma de Paris”, de fatinho guci continua hirónico : e o aldrabão e mentiroso era eu? háháháhá…
    João acredite… nem todos os Portugas são estúpidos, e os que por aqui andam neste blog ainda menos!

  13. Zebedeu Flautista permalink
    17 Abril, 2012 16:34

    Ponham mas é umas bicicletas estáticas com dínamo e obriguem os putos a pedalar que andam gordos que nem chibos. E os que se portassem mal é que deviam recuperar as escolas nem que fosse a chicotada para verem o que custa vergar a mola.

  14. Tiro ao Alvo permalink
    17 Abril, 2012 17:32

    O Henrique Pereira dos Santos tem razão, o Rui Moreira não está bem informado e confundiu painéis solares para produção de água quente, que quase não têm custos de manutenção e são um bom investimento, com painéis fotovoltaicos que são uma modernice e não competitivos, isto para além de serem quase inteiramente importados, incorporando pouca produção nacional.
    Quanto ao resto, não me parece que ele advogue o investimento público “às cegas”, como forma de dinamizar a economia. Pelo contrário.

  15. jose silva permalink
    17 Abril, 2012 18:17

    JM ao serviço do LFM

  16. Delfim permalink
    17 Abril, 2012 20:28

    Volta Socrates !estas perdoado.O mundo de facto mudou

  17. 17 Abril, 2012 20:55

    quem critica de forma cega e histérica a troika……
    devia ser obrigado a dar dos seus bolsos estes:

    http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=47072

    caso contrário, podem faltar salários, pensões, reformas, medicamentos, etc…….

  18. silva permalink
    17 Abril, 2012 21:14

    Estes politicos de trazer por casa destroem o país na nossa frente,Investiguem o despedimento coletivo do casino estoril

  19. Portela Menos 1 permalink
    17 Abril, 2012 22:32

    continuo sem saber se JM tem algum modelo económico para o país.

  20. 17 Abril, 2012 22:51

    Uma pequena lição para quem fala do PGR.
    o Dr Pinto Monteiro ultrapassou o limite de idade (SETENTA ANOS….70) PARA O EXERCÍCIO DE FUNÇÕES PÚBLICAS.
    obviamente, os media tugas “esqueceram-se” deste facto
    imaginem o homem com uma tesoura acortar as conversas do s´kas com o vara..
    imaginem ele e a super incompetente Cândida a tapar os crimes da licenciatura do sókas..
    os crimes do freeport.
    assim se percebe pq não se falou no aniversário do PGR………
    juridicamente, tudo o k o homem fizer agora pode ser anulado em tribunal.
    estranho…..muito estranho………é o governo ainda não ter substituido semelhante criatura.
    assim se vê o poder dos aventais….do GOL
    controlam a economia
    a justiça
    os media.
    enfim, corrupção aos molhos

  21. JCA permalink
    18 Abril, 2012 04:03

    .
    Pois a Europa e a Zona Euro arrogantes optaram por se enfiar num filme Global com ‘3 mosquitos= Portugal-Grecia-Irlanda” que em termos financeiros e de dividas eram isso mesmo, ‘mini-mosquitos’.
    .
    Tudo sugere que ‘fez a armadilha’ em que está armadilhada:
    .
    =Argentina Endangers Euro
    .
    “If Spain fails, it may mean the euro is not viable, and that Germany and France may also collapse
    .
    Argentina’s strike of yesterday has already caused the Spanish government’s 10-year bond yield to jump over the 6% mark; indicating the markets do not trust the Spanish government capability to solve the situation without a bailout. If the Argentinean government continues fighting its incompetence by robbing foreign companies, Spain will be the main victim; and with it, Europe. No wonder Spain’s Prime Minister said: ‘This is a hostile step by Argentina.’ ”
    .

    http://www.roytov.com/articles/repsol.htm

    .
    Comparativamente aos ‘3 mosquitos’ por exemplo também:
    .

    =Egypt ‘needs £7.5 billion bail-out to avoid bankruptcy’
    Egypt will need to seal a $12 billion (£7.57 billion) bail-out led by the IMF and EU to avoid bankruptcy but the package will impose painful austerity on the struggling economy, a senior EU diplomat warned on Monday.

    http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/africaandindianocean/egypt/9207426/Egypt-needs-7.5-billion-bail-out-to-avoid-bankruptcy.html

    .
    Por trás além das austeridades e blablás há pessoas, familias, crianças etc:
    .
    =Increasingly in Europe, Suicides ‘by Economic Crisis’

    http://www.nytimes.com/2012/04/15/world/europe/increasingly-in-europe-suicides-by-economic-crisis.html?_r=1

    .

  22. 18 Abril, 2012 07:25

    Para descontrair…

  23. Alexandre permalink
    18 Abril, 2012 09:55

    “continuo sem saber se JM tem algum modelo económico para o país.”

    Claro que sim. Um retorno às cidades estado governadas por um colectivo dos mais ricos, logo mais meritórios, que imponham a “liberdade” a todos os que lá queiram viver e usem e abusem de contratos “livremente” assinados que impedem o trabalho de se ir embora. Portanto, NeoFeudalismo.

  24. 18 Abril, 2012 10:38

    Tudo o que seja para entrar € nos cofres do Estado conta… Portanto, é por esta razão que só obrigam os privados a terem painéis solares em casa.
    É como a TDT… em Espanha foi gratuita, tem mais canais e com melhor qualidade. Em Portugal, é o monopólio… e, com isto, 25M€ já foram investidos em compras de descodificadores.

    Enfim…
    This is Portugal.

  25. José de Brito Pires permalink
    18 Abril, 2012 23:20

    Caro João Miranda,
    Creio que o seu comentário sobre a energía eléctrica (EE) produzida a partir de uma instalação fotovoltaica tem um erro de raciocínio, que é o de a associar aos subsídios que o estado deu através dos preços, aos produtores que poderiam entregar na rede pública EE a partir desta fonte de energia alternativa e renovável. Uma coisa é uma coisa e outra coisa é coisa. Assim, num país que tem 2500 horas de sol por ano, e tendo presente o custo decrescente destas instalações, faz sentido aproveitar estas duas circunstancias para produzir EE e consumi-la, em vez de comprar a um preço, que no mercado livre está inflacionado por especuladores que actuam neste mercado da mesma forma que na bolsa de valores. O preço actual da EE não reflecte directamente a escassez de água nas barragens nem o elevado preço do petróleo, já que a procura de EE na península ibérica baixou tanto no consumo doméstico como no industrial em consequência da recessão económica. Todos devemos ser livres de tomarmos a nossas opções, em termos de abastecimento de EE, desde que não estejamos à espera da ajuda do estado. Aconselho-o a olhar atentamente para a sua factura de EE , fazer umas contas, e pensar em outras alternativas como seja, pôr algum dinheiro de parte, e quanto tiver o suficiente, investir numa instalação de fotovoltaica.
    O autor deste comentário não é instalador, nem tem nenhum interesse particular nesta forma de produzir energia.

  26. Etedom permalink
    18 Abril, 2012 23:34

    Ó sr João Miranda o senhor tem mesmo os olhos laranjas!!!! Vou pedir ao Arco Ires para o visitar, vc precisa….

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 34.877 outros seguidores

%d bloggers like this: