Skip to content

Esquimós

18 Setembro, 2008

Parece que Portugal vai mesmo vender o “Magalhães” à Venezuela. É um feito notável: vender chavismo ao Hugo Chavez. É quase como vender gelo aos esquimós.

Anúncios
35 comentários leave one →
  1. pintoribeiro permalink
    18 Setembro, 2008 16:54

    Eu ouvi dizer que íamos trocar magalhães por mandioca…?

    Gostar

  2. honni soit qui mal y pense permalink
    18 Setembro, 2008 16:58

    Fabuloso .Mas como o Magalhães era um colonialista vai chamar-se da coisa um “bolivar”.

    Gostar

  3. Mialgia de Esforço permalink
    18 Setembro, 2008 16:59

    Não é por mandioca, é por pitról:

    O video é simplemente imperdível. Um hino ao populismo!

    Mundo: Hugo Chávez anuncia compra de computadores portugueses
    18.09.2008
    Fonte: Público
    O Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, mostrou o computador Magalhães durante o seu programa de televisão, «Aló Presidente», e contou pormenores do acordo com o Governo português para a compra destes computadores. Chávez disse também que já chegou a Portugal o primeiro navio com um milhão de barris de petróleo venezuelano comprado ao Governo local.

    http://www.publico.clix.pt/videos/?v=20080918130103&z=1

    Gostar

  4. Santa Paciência permalink
    18 Setembro, 2008 17:09

    como português sinto-me envergonhado, profundamente envergonhado. que nojo.

    Gostar

  5. ... permalink
    18 Setembro, 2008 17:09

    Muito vocês gostam de criticar Chavez.
    Ele que já resistiu a um golpe de Estado levado a cabo pelos EUA e seus lacaios na América Latina.
    Tal como disse Lula (o tal que os americanistas também temiam por trazer com ele o socialismo) a Venezuela é dos países onde mais eleições se fazem.Também nunca vi um ditador a fazer um referendo, perder e aceitar o resultado.
    Mas para alguns americanistas, familiares de ex pide, a entidade reguladora das eleições mundiais é a casa branca…
    Já agora, parece-me incrível que o governo americano seja mais adepto das nacionalizações do que Chavez…quem diria!

    Gostar

  6. ... permalink
    18 Setembro, 2008 17:12

    Como português sinto nojo de termos participado na ocupação do Iraque e do Kosovo.
    Agora tomem lá a Ossétia e a Abecásia.
    Na Bolívia também há americanistas pelo meio a tentar a destabilização.
    O presidente da Bolívia pretende implementar uma medida que permita a distribuição equitativa da exploração de recursos naturais, mas os bandidos americansitas querem tudo para eles e lançaram aquele país no caos.
    Há países que apenas vencem quando têm os outros na lama.

    Gostar

  7. Gabriel Silva permalink*
    18 Setembro, 2008 17:14

    «Também nunca vi um ditador a fazer um referendo, perder e aceitar o resultado.»

    Pinochet, Mugabe, Surtho,

    Gostar

  8. Mialgia de Esforço permalink
    18 Setembro, 2008 17:14

    Reticências,

    Sempre que começar com a ladaínha dos “imperialistas, ex-pide, etc.”, inclua também os seus kamaradas que eram bufos da dita.

    Gostar

  9. Fernando permalink
    18 Setembro, 2008 17:18

    Muito bem, grande negócio, o Sócrates está de parabéns. Os que ficam enojados não se enojam com as vendas aos EUA? E com as de Angola?
    Porra, há gente mesmo do contra…

    Gostar

  10. honni soit qui mal y pense permalink
    18 Setembro, 2008 17:19

    … aqui voçê tá a dar-se mal

    vá lá para o causa nossa , ou para o arrastão … aí tem mais adeptos para as bojardas que debita

    Gostar

  11. Santa Paciência permalink
    18 Setembro, 2008 17:20

    “Ele que já resistiu a um golpe de Estado levado a cabo pelos EUA e seus lacaios na América Latina.”

    mais um que anda a estudar pelos novos manuais de História…

    Gostar

  12. Santa Paciência permalink
    18 Setembro, 2008 17:26

    “Os que ficam enojados não se enojam com as vendas aos EUA? E com as de Angola?”

    com as vendas aos EUA, não. mas quanto a angola, o que me enoja mesmo, não é tanto as vendas (de computadores) mas as compras das acções das nossas empresas pela filha do senhor que está no poder.

    é tão nojento, que não tem descrição.

    Gostar

  13. Yoda permalink
    18 Setembro, 2008 17:34

    Mialgia: Se eram bufos da dita não eram camaradas. E mesmo que assim fossem considerados, não mereciam consideração. Resumindo: a sua argumentação foi um bocado parva.

    Falando do post: sinceramente não vejo como pode o facto de a Venezuela comprar coisas a Portugal constituir um escândalo. Só se for pelo facto de o Presidente da Venezuela ser o Hugo Chávez. Sim, é mesmo por isso. Se fosse um dos ladrões que por lá passou antes já seria um acontecimento merecedor do habitual desprezo. É feio importar petróleo da Venezuela, mas nunca ouvi os iluminados participantes nas coisas deste blog a contestar o facto de Portugal comprar petróleo à Arábia Saudita. Parece que lá não há eleições… mas deve ser propaganda comunista, senão os EUA já teriam exportado para lá a liberdade.

    Por fim:

    “«Também nunca vi um ditador a fazer um referendo, perder e aceitar o resultado.»

    Pinochet, Mugabe, Surtho.”

    Não sei em que espécie de realidade alternativa vive o GS, mas Suharto (?) foi deposto por um processo tumultuoso de base popular e não por um referendo. Algo semelhante se poderá dizer de Mugabe, que não fez nenhum referendo. Quanto a Pinochet, há a dizer que sugerir que este resignou num acto de altruísmo e comparar a natureza desse acto à aceitação por parte de Chávez dos resultados do referendo é o momento humorístico do dia.

    Gostar

  14. piscoiso permalink
    18 Setembro, 2008 17:39

    Razoável seria vender o Magalhães aos esquimós.

    Gostar

  15. ordralfabeletix permalink
    18 Setembro, 2008 17:41

    “É quase como vender gelo aos esquimós.”

    Só não percebi se vender gelo aos esuimós é bom ou mau. Negócio.

    Ao Chavez parece que é bom. 300.000 computadores vendidos à Venezuela dá para “oferecer” os computadores às nossas crianças. E se se venderem mais 200.000 à Líbia, ainda melhor. Ou será que não estamos a precisar de exportaçoes?

    Gostar

  16. Gabriel Silva permalink*
    18 Setembro, 2008 17:42

    A frase que escreveu era:
    “«Também nunca vi um ditador a fazer um referendo, perder e aceitar o resultado.»

    Suharto, ditador, fez em 1999, um referendo sobre a independencia de Timor, perdeu e acabou por aceitar o resultado.

    Mugabe, ditador, fez em 2000 um referendo para uma revisão da constituição. Perdeu. E aceitou o resultado.

    Pinochet, ditador, fez em 1988 um referendo sobre o prolongamento do seu mandato como presidente. Perdeu. E respeitou o resultado.

    Qual é ao certo a sua dúvida?

    Gostar

  17. Mialgia de Esforço permalink
    18 Setembro, 2008 17:43

    Yoda,

    Baralhou-se todo, mas sinceramente estou sem pachorra para lhe explicar.

    Gostar

  18. Luís Lavoura permalink
    18 Setembro, 2008 17:48

    Muito engraçado. Mas eu acho bem que empresas portuguesas, sejam elas quais forem, exportem os seus produtos, seja para onde fôr. Para a Venezuela, para o Sahara Ocidental, para o Burkina Faso. Desde que lhes paguem, acho porreiro. O João Miranda acha mal que se exporte o Magalhães para a Venezuela? Se os venezuelanos pagarem, qual é o mal?

    Gostar

  19. Yoda permalink
    18 Setembro, 2008 17:50

    Suharto, ditador, fez um referendo sobre a independencia de Timor, perdeu e acabou por aceitar o resultado.

    Ele já não era presidente em 1999, se aceitou ou não o resultado é, portanto, irrelevante.

    Em relação ao referendo de 2000, Mugabe não respeitou os resultados, visto que a expropriaçãod e terras avançou e, aparentemente, não será julgado por crimes cometidos no exercício do poder, tal como o referendo previa.

    Claro que Pinochet respeitou o resultado… o que poderia fazer? Quando a guerra fria acabou foi para todos. Ele fez o melhor que poderia ter feito, já que gozou uma luxuosa reforma à conta do dinheiro que roubou ao povo Chileno e não se preocupou com mais nada e muito menos foi julgado. Bata-lhe palmas. Ficamos a saber que acha que ele teve uma atitude respeitável.

    Gostar

  20. Yoda permalink
    18 Setembro, 2008 17:51

    Mialgia: está explicado.

    Gostar

  21. Santa Paciência permalink
    18 Setembro, 2008 17:52

    Luís Lavoura, o seu cometário é de uma “chica-espertice” que até dói.

    bora lá enganar os gajos, desde que eles compre, porreiro pá!

    lamentável.

    Gostar

  22. Anónimo permalink
    18 Setembro, 2008 18:17

    A JP Sá Couto prestaria um serviço à nação se para além do “Magalhães” vendesse o “Sócrates”.

    Gostar

  23. lucklucky permalink
    18 Setembro, 2008 18:18

    “Ele que já resistiu a um golpe de Estado levado a cabo pelos EUA e seus lacaios na América Latina.”

    Ele por acaso já foi é preso por causa de uma tentativa falhada de Golpe de Estado.

    Ficámos também a saber que quem discorda de Chavez é lacaio dos EUA. Quem protesta contra o gangsterismo governamental, violência frentista ou mesmo os números aterradores de crime na Venezuela. A Venezuela é um País com pouca liberdade.

    Gostar

  24. ordralfabeletix permalink
    18 Setembro, 2008 18:24

    “Suharto, ditador, fez em 1999, um referendo sobre a independencia de Timor, perdeu e acabou por aceitar o resultado.”

    Em 99 era o Habibie o Presidente. Até acabou por perder as eleições. Quanto ao aceitar o resultado, se aceitou foi pena que não tivesse avisado o eurico Guterres e o General Wiranto. É que, se calhar, tinham-se poupado algumas vidas. E não tinha sido necessária a pressão da comunidade internacional.

    Gostar

  25. ordralfabeletix permalink
    18 Setembro, 2008 18:28

    “bora lá enganar os gajos,”

    Os gajos não se enganam facilmente. O Chavez tem muitos defeitos, mas deixar-se enganar não é um deles.

    “desde que eles comprem, porreiro pá!”

    O que é isso senão o mercado a funcionar?

    “de uma “chica-espertice” que até dói.”

    Isso quer dizer o quê? Que Belmiro de Azevedo e Américo AMorim são chicos espertos? Ou serão antes empresários de sucesso? E o Biil Gates e o Steve Jobs, são deuma chico espertice que até mata?

    Gostar

  26. Santa Paciência permalink
    18 Setembro, 2008 18:41

    ordralfabeletix,

    se não percebeu, pode sempre comprar um magalhães… mas não se engane e não compre o josé manuel.

    compre outro, com mais memória.

    Gostar

  27. Semcoiso permalink
    18 Setembro, 2008 18:44

    “Razoável seria vender o Magalhães aos esquimós.”

    Eu acho que seria melhor vender esquimós ao Magalhães.
    Ou ao Pedroso.

    Gostar

  28. Santa Paciência permalink
    18 Setembro, 2008 18:46

    “Os gajos não se enganam facilmente. O Chavez tem muitos defeitos, mas deixar-se enganar não é um deles”

    claro que não, ele vai comprar estes computadores todos para oferecer aos camponeses e agricultores. ouvi dizer que os magalhães são óptimos para plantar batatas.

    Gostar

  29. Miguel permalink
    18 Setembro, 2008 19:03

    “claro que não, ele vai comprar estes computadores todos para oferecer aos camponeses e agricultores. ouvi dizer que os magalhães são óptimos para plantar batatas.”

    Claro. Como pais super desenvolvido que somos temos de ajudar a pobre Venezuela, camponia, a evoluir.

    Gostar

  30. 18 Setembro, 2008 19:08

    Podíamos era ter “arranjado” um nome mais sintético… “magalhães” é difícil de pronunciar comó caraças, pior ainda em inglês. Bem, bem ficava só pelo “Fernão”, ou mais sintético ainda – “de” – e, assim como fizemos para o “Allgarve”, para não parecer coisa pouca… traduziríamos para, “from”! Dava para fazer uma séria de “slogans” bonitos e apaixonantes… por exemplo – “from” Portugal with love… etc, etc, etc… eheheheh!

    Gostar

  31. tina permalink
    18 Setembro, 2008 19:13

    Coitados dos venezuelanos, vão ter que utilizar computadores portugueses. Será que funcionam?

    Gostar

  32. Santa Paciência permalink
    18 Setembro, 2008 20:04

    “Podíamos era ter “arranjado” um nome mais sintético…”

    sim, qualquer coisa como trambolho.

    Gostar

  33. A. R permalink
    18 Setembro, 2008 22:27

    Pinochet saiu, gozou da sua reforma e deixou o Chile com a economia e a democracia mais saudável da América latina. Tudo por 1/6 das mortes do duo metralha. O duo Metralha de Cuba agarra-se ao poder com mais força que um carrapato, mantém o povo na mais profunda miséria e desigualdade, usa o país para pista de reabastecimento de aviões com droga, enriquece com o tráfico e fuzila os amigos do peito para esconder o crime. Quanto a Chavez anda nervoso com o caso Maletin, treina para a guerra crianças de 8 anos e está a ficar sem dinheiro (economia a caminho do deficit) para manter a sua clientela, seduzir sus cocaleros Correa e Morales e dar esmola a Cuba.

    Gostar

  34. Euroliberal permalink
    18 Setembro, 2008 23:41

    Chavez faz votar todos os venezuelanos, não apenas os que têm uma certa religião (coisa impossivel na ditadura sionista, onde só 40% dos residentes de jure vot), não tem presos políticos (iSSrael tem 11.000) não prende ou executa sumariamente oposicionistas (o regime apartheidesco-sionista executa centenas de oposicionistas por ano e chama-lhes targeted killings eufemisticamente).

    Quem é que é ditador e quem é democrata afinal ?

    Gostar

  35. pois é permalink
    19 Setembro, 2008 13:00

    Hugo Chavez

    Televisão pública da Venezuela transmite nova gravação de militares a planear golpe de Estado
    Hoje às 06:19
    O canal estatal «Venezuelana de Televisão – VTV» exibiu quinta-feira uma nova gravação de uma conversa entre militares alegadamente envolvidos num golpe de Estado, com apoio norte-americano, ao governo do presidente Hugo Chavez.
    No diálogo da nova gravação ouvem-se as vozes de três pessoas, identificadas como militares na reserva, que em manobras prévias a um alegado golpe de Estado, falam em assumir o controlo da estação de televisão do país e destruir as emissoras públicas.

    «Falei com os ‘gringos’ (norte-americanos) em Dezembro para lhes pedir apoio», diz um dos alegados oficiais, identificado como Eduardo Báez.

    A 11 de Setembro último, a televisão pública divulgou um vídeo, com a foto de três oficiais (um vice-almirante e dois generais na reserva), onde alegadamente se podia ouvir as suas vozes numa conversa sobre operações paralelas ao palácio presidencial de Miraflores, em Caracas.

    Nesse mesmo dia, as autoridades venezuelanas revelaram que várias pessoas foram detidas e outras interrogadas sobre um alegado plano para assassinar o presidente Hugo Chávez.

    O presidente garantiu também ter conseguido infiltrar elementos nos movimentos radicais opositores, pelo que descobriu que estes pretendiam abater o avião presidencial com mísseis terra-ar.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: