Saltar para o conteúdo

Uma boa medida da Troika

21 Julho, 2011

Transportes públicos aumentam 15%

1. O preço dos transportes para os utentes vai aproximar-se do valor real.

2. Utentes passam a ter incentivo para seleccionarem melhor o local onde vivem e a localização do emprego que têm (efeito positivo desta medida terá que ser complementado com medidas que liberalizem o mercado de arrendamento)

3. Empresas passam a ter um incentivo para se localizarem nas cidades satélite, tornando-as mais autónomas e reduzindo os movimentos pendulares  (como os custos de transporte aumentam, o diferencial de salários entre o centro e a periferia vai aumentar)

4. O Estado reduz o subsídio à suburbanização dos grandes centros urbanos.

5. Empresas públicas de transportes deixam de destruir tanto valor.

6. Aquele mundo esquizofrénico em que se subsídia a mobilidade e o combate à desertificação dos centros históricos começa a acabar.

7. A conversa  “o local X não tem transportes” passa a  fazer menos sentido. A partir do momento em que se reconhece que o transporte público não é barato, pressão para expansão da rede pública e do respectivo buraco financeiro diminui.

80 comentários leave one →
  1. trill permalink
    21 Julho, 2011 13:46

    Desculpem lá*, mas não acredito no futuro da UE

    http://psicanalises.blogspot.com/

    Gostar

  2. anti-comuna permalink
    21 Julho, 2011 13:57

    Começou a corrida aos tachos. O Nogueira de Leite tem agora um tacho na CGD. lolololololol

    Gostar

  3. lucklucky permalink
    21 Julho, 2011 14:07

    Um dos grandes problemas são os preços falsos: Os preços da Educação, Saúde, Transportes, Energia estão todos manipulados pelo Estado, logo as pessoas – aka o mercado- não têm consciência do que custa cada coisa e decidem com base em preços falsos.
    Foi assim com a União Soviética. Com a continuação torna-se cultura, ou seja muito mais difícil corrigir.
    Vai acabar mal.

    Gostar

  4. 21 Julho, 2011 14:21

    lucklucky; «Um dos grandes problemas são os preços falsos: »

    A ADP tem um défice tarifário, por exemplo.
    Eu, posso até lavar o carro à mangueirada todas as noites…. os 11.30€ não mudam.

    R.

    Gostar

  5. trill permalink
    21 Julho, 2011 14:36

    “Começou a corrida aos tachos. O Nogueira de Leite tem agora um tacho na CGD”

    Ora aí tem: a tradição continua a ser o que era!

    Gostar

  6. Outside permalink
    21 Julho, 2011 14:42

    Realmente os posts deste blog são mesmo engraçados, atempados e contextualizados.
    Sobre o já previsível orçamento rectificativo, sobre a notícia do dia (Nogueira Leite na CGD – após a pasta das finanças lhe ter fugido – A COERêNCIA E AS MEMÓRIAS SELECTIVAS NO SEU MELHOR!!!)
    .
    .
    Postadas por cá…nem vê-las. O que me surpreende é as ovelhas que por cá ruminam ainda e que só teêm dois tempos…ou aplaudem ou insultam.
    Está porreiro está! já estou como o Anti-Comuna (com diferentes paladares) vou ali beber um medronhito para aconchegar que isto por aqui nem aquece nem arrefece.

    Gostar

  7. trill permalink
    21 Julho, 2011 14:45

    “Transportes públicos aumentam 15%”

    Desde que me roubaram o distribuidor do carro, ali na D Carlos I, bem junto aos edifícios da AR, passei a andar de transportes (aliás antes já andava, só que agora ando sempre) e vou-lhes dizer uma coisa: a Carris é uma grande m… Não vale o pouco que pagamos (como n tenho passe uso o cartãozinho verde, que expira passadouns tempos, e que só dá para umas viagens determinadas, porque se quiser ir ao outro lado, tenho de comprar um outro cartãozinho, oelo menos mais um, dependendo onde quira ir).

    Um dia calhou que no cartãozinho faltava um cêntimo para o valor da viagem (exactamente um cêntimo!), como estava com pressa e longe do quiosque onde aquilo se recarrega, deixei-me estar e n é que entram os picas que tranquilamente me dizem “não validou porque falta um cêntimo!”, “escreva aos admnistradores a explicar”, aconselharam enquanto passavam uma multa de cem euros (exacto! nos transportes de londres são 20 gbp’s, se pagos voluntariamente no momento, mas em pe, o velho portugal fascistóide e atrasado, onde os administradores ganham 50 vezes mais que o salário médio, são 100, cem meus senhores, euros)!

    Pausa: já continuo…

    Gostar

  8. trill permalink
    21 Julho, 2011 14:47

    Não, não continuo… Eu não sou o Santo Agostinho.

    Gostar

  9. trill permalink
    21 Julho, 2011 14:47

    e sobretudo não sou o Padre António Vieira.

    Gostar

  10. lucklucky permalink
    21 Julho, 2011 14:54

    “A ADP tem um défice tarifário, por exemplo.
    Eu, posso até lavar o carro à mangueirada todas as noites…. os 11.30€ não mudam.”
    .
    Há mais implicações.
    Olhe por exemplo para a Educação, como é supostamente “tendencialmente gratuita” os País não exigiram qualidade durante 3 décadas.
    Além das más decisões, a exigência diminui com custos enormes para todos.
    E ainda assim é o mercado a funcionar. A Escola Publica supostamente gratuita(preço falso) foi descendo de qualidade até o seu valor real se tornar equivalente a essa aparente gratuitidade.

    Gostar

  11. 21 Julho, 2011 14:59

    Quanto tempo demorarão as greves dos sindicatos a pedir aumentos?

    Gostar

  12. Outside permalink
    21 Julho, 2011 15:00

    Sómente mais uma observação desajustada certamente nestes campos:
    Sim, claro, é óbvio e factual que o português foi habituado a pagar a educação, a saúde, a água e a luz bem como os transportes ao preço da fruta (que por sinal está cara actualmente) mas discutir-se se o serviço é bem prestado, se a qualidade do serviço se encontra devidamente coerente com o pagamento/desconto à priori efectuado…isso, isso não é conveniente nem oportuno discutir.
    Palha e mais palha.

    Gostar

  13. trill permalink
    21 Julho, 2011 15:02

    a propósito da Carris (os 100 euros, foi mais, já não me recordo quanto lhes paguei exactamente, deixaram-me irritado, claro, uma vergonhosa chulice) , e dos aumentos dos preços, só quero acrescentar isto:

    se fossemos um país normal eu propunha que nos auto-suspendessemos da UE. O único problema para mim é que apesar de tudo confio mais na Oligarquia europeia do que nos Olitugas, corruptos e incompetentes. Não fosse isto, este “factorzito”, e a saída da UE seria a minha proposta, com o re-escalonamento reestruturado da dívida, evidentemente. Assim limito-me a mandar uns “bitates” porque sei que não há alternativa ao fardo da UE. Tudo o que vier de dentro será pior.

    Gostar

  14. trill permalink
    21 Julho, 2011 15:04

    e quando escrevo no blog que não acredito no futuro da UE, escrevo pois, mas com os dedos bem cruzados…

    Gostar

  15. Ricciardi permalink
    21 Julho, 2011 15:22

    Tudo muito certo.
    Apenas não encontro correspondencia entre os preços que se vão praticar e aquilo que os portugueses podem de facto pagar. A medida racional não é aumentar tarifas a um mundo imaginario de pessoas com poder de aquisicao inexistente, mas sim adequar os custos à realidade de vida das pessoas.
    .
    Mas enfim, reduzir despesa não passa pela cabeça dos governos que temos, sejam eles quais forem. A solução tem sido sempre a mesma, investir (gastar) em meios fora da realidade economico-social e depois aumentar preços a ver se safam a rentabilidade dos investimentos.
    .
    Eu queria ter uma empresa assim e poder fazer o que o governo faz. Aumente-se o preço que o cliente paga. Mas não tenho, infelizmente, tenho mesmo de vender um produto melhor do que a concorrencia, investir acertadamente e sem grandes sumptosidades, cvom máximo de eficácia.
    .
    Os governos não precisam de nada disso. Podem fazer das estacçoes de metro locais de arte. Chamar os melhores arquitectos (e mais caros) para fazer disparar os custos de investimento. Obras faraónicas. Tudo isso não interessa nada, o povo pagará sempre a melhor tarifa. É preciso é manter o nivel.
    .
    Temo que, medida atras de medidas deste tipo deprimam ainda mais a ‘mãozinha invisivel’. Sacar de quem não tem é apenas substituir consumo. As pessoas pagarão mais pelos transportes mas deixarão de comprar batatas ou ir ao cinema ou ao teatro ou coisa qualquer. Nada muda, excepto o estado aglutinar as economias do povo.
    .
    Parabens.

    Rb

    Gostar

  16. Pine Tree permalink
    21 Julho, 2011 15:23

    “Olhe por exemplo para a Educação, como é supostamente “tendencialmente gratuita” os País não exigiram qualidade durante 3 décadas.”
    A educação é um sector esquisito. As pessoas chegam a pagar mais para obter menos. Quando por lá passei, os alunos das universidades privadas, genericamente falando, queriam era frutas e vinho verde… No entanto pagavam. E não lhes interessava aprender, mesmo poucochinho.
    São coisas que hão-de acompanhar-me à cova sem as perceber.

    Gostar

  17. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 15:45

    Boa medida da Troika seria extinguir as reformas douradas dos politicos ou extinguir os privilégios de quem continua a auferir brutos salários na administração pública e que não fazem a ponta dum corno.
    Subor os transportes para quem EFECTIVAMENTE vai trabalhar, só mesmo nos países comunistas!
    Puta que pariu a troika !

    Gostar

  18. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 15:47

    Entretanto os nossos «liberais» tugas~foram todos a banhos.
    Temos o governo mais estatista e comuna desde o 25 de Abril, e agora não dizem nada!

    Gostar

  19. 21 Julho, 2011 15:50

    “.Utentes passam a ter incentivo para seleccionarem melhor o local onde vivem e a localização do emprego que têm (efeito positivo desta medida terá que ser complementado com medidas que liberalizem o mercado de arrendamento)”.

    Lindo! Poético, até. Num país onde se estimulou a aquisição de habitação e onde, hoje, o mercado está inundado de lixo, está-se mesmo a ver que as famílias têm todas as condições para “seleccionarem melhor o local onde vivem”. E o Pai Natal vai continuar a visitar-nos, via chaminé…

    Gostar

  20. Pi-Erre permalink
    21 Julho, 2011 15:52

    “5. Empresas públicas de transportes deixam de destruir tanto valor.”
    .
    Um pouco de humor torna um post mais engraçado.

    Gostar

  21. portela menos1 permalink
    21 Julho, 2011 15:53

    Há um recado para os “liberais blasfemios” na pagina 5 da ediçao de hoje do Publico (uma entrevista com Paul De Grauwe).

    Gostar

  22. 21 Julho, 2011 15:58

    “Utentes passam a ter incentivo para seleccionarem melhor o local onde vivem e a localização do emprego que têm” é um exemplo de como falha a teoria perfeita neo-liberal. como se os utentes fossem um computador cpaz de calcular na perfeição todas as variáveis, a diferença de preços na habitação, o custo dos transportes, etc., etc. A vossa teoria realmente é perfeita mas não têem em consideração que na prática falha porque tem que se incluir na equação um elemento que não é uma máquina, uma peça da máquina, um computador, um objecto sem percepções, sentimentos, um cérebro que não é perfeito.

    Gostar

  23. portela menos1 permalink
    21 Julho, 2011 16:12

    Longe de mim querer marcar a agenda dos editores do Blasfemias mas, com tanta indignacao sobre a despesa publica, os “LR, helenas, JM, jmf…” nao se indignaram com o tema das acumulacoes de remuneracoes dos politicos que governam a Madeira?

    Gostar

  24. lucklucky permalink
    21 Julho, 2011 16:27

    “A medida racional não é aumentar tarifas a um mundo imaginario de pessoas com poder de aquisicao inexistente, mas sim adequar os custos à realidade de vida das pessoas.”
    .
    Obviamente, mas isso implica acabar com uma data de regulação, implica as empresas cortarem nos gastos.
    Implicará a mudança das empresas publicas de transporte porque mais caro se arriscam a não ter clientes.
    Veja a Linha de Cascais. Em vez de um serviço mais frequente com equipamento mais leve tipo metropolitano, têm cortado comboios, colocado mais carruagens, precisamente o contrário do que deveriam fazer e inventaram um sistema cretino de compra de bilhetes onde se demora minutos a comprar um mero bilhete.

    Gostar

  25. lucklucky permalink
    21 Julho, 2011 16:34

    O que está errado aqui pelo Blasfemias, e já critiquei o aplauso ás portagens e também critico esta é que o aumento dos preços livres não vem acompanhado com descida de impostos.
    Ou seja não há garantia nenhuma que as contribuições para a CP, Carris etc diminuam.
    É mais uns milhões de dinheiro dos contribuintes que ficam livres para comprar votos.
    .
    Deveria ser Lei o Governo baixar Impostos sempre que se cortasse na Economia de Social de Estado e aumentasse a Economia Livre. Assim não há garantias algumas que tal se venha a passar.

    Gostar

  26. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 16:39

    Como disse eloquentemente o Lucklucky só se compreenderia esta medida (subida dos transportes) se houvesse uma contrapartida simétrica (descida de impostos).
    Pois é uma lei da física: o dinheiro não estica.

    Gostar

  27. 21 Julho, 2011 16:44

    lucklucky: «implica as empresas cortarem nos gastos.»

    A Vimeca dá lucro e os preços refletem o “serviço”. Mas agora tente fazer o mesmo que a Vimeca e reflectir o preço real do serviço público (neste caso a Carris) e vai ver que muito bochecho foi dado pelo Estado sob apoios, benesses, enfim, défice tarifário. Como o poder de compra não acompanhou nem um pouco esse “défice”, duvido que muitos dos idosos que utilizam esse serviço consigam acompanhar o aumento de 15%.

    Há medidas “liberalizantes” que por serem “liberalizantes” não são necessariamente “boas”.

    R.

    Gostar

  28. Slint permalink
    21 Julho, 2011 17:00

    Há 3 coisas que eu considero acima de todas as outras para haver qualidade de vida num estado. Saúde, Educação e Transportes.
    Ora estamos aqui presentes numa enorme contradição.. o governo actual afirma que quer mais utilização dos transportes públicos e agora faz uma destas. Votaram neles, agora aturem-nos, adoro quando estas coisas acontecem 🙂
    Considerar isto uma boa medida da troika é uma blasfémia(no pun intended) o autor desses motivos não deve viver em Portugal ou então vive num Portugal diferente dos restantes porque o que escreveu é completamente utópico, a única coisa que esta medida vai criar é ainda mais a utilização do transporte particular, fim.
    Se as empresas de transportes públicos têm buracos financeiros é apenas pro uma razão: incompetência da administração, menos férias em Cancun, menos ajudas de custo e mais trabalho e as coisas rapidamente voltavam aos eixos.
    Fechar linhas de comboio é um crime, construir TGV num país minúsculo como o nosso é um atentado à inteligência, que se expanda o serviço de Alfa Pendular ao resto do país com renovação de linhas e etc. que serve perfeitamente.
    EU pelo contrário defendo que os preços deveriam ser ainda mais baixos! não pagamos impostos? então para que pagar impostos e ter que depois pagar mais por serviços de interesse nacional?
    Li pessoas escreverem que as pessoas não sabem o valor custo das coisas ou seja defendem que o estado não deve ter controlo sobre nada, então assim para que pagamos impostos meus amigos? se querem tudo privatizado então não se pode cobrar impostos, seja naquilo que for.

    Gostar

  29. 21 Julho, 2011 17:14

    A falácia da redução dos cargos da gestão pública.
    O conselho executivo da CGD, que hoje integra apenas gestores executivos, passará a ter tambem administradores não executivos.

    Gostar

  30. ana ferreira permalink
    21 Julho, 2011 17:20

    O ponto 2 é… é de quem não conhece a realidade portuguesa, faltam-me as palavras.
    “Utentes passam a ter incentivo para seleccionarem melhor o local onde vivem e a localização do emprego que têm (efeito positivo desta medida terá que ser complementado com medidas que liberalizem o mercado de arrendamento).”
    Alimentaram o sonho do povo de ter casa própria e agora como é que se “transplantam” as famílias… e que vão habitar em casas arrendadas, e já agora como é que pagam as prestação da outra residência que não conseguem vender? Quanto ao emprego, noutra região, deve ser piada… não há pachorra.

    Gostar

  31. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 17:23

    Em Portugal já se paga para Portugal!
    O pessoal do Governo e os srs administradores públicos andam de BMW’s e dar-se-ão Mercedes com ar condicionado e pago pelos contribuintes.
    Acho que as pessoas devem deixar de andar em transportes públicos e nalguns casos nem devem sair de casa, pois endividar-se-ão ainda mais.
    Quem tiver juízo não andará, nem de metro, nem de comboio, nem de barco, nem de autocarro da Carris ou da STCP.
    Pomham essas merdas todas à mosca!

    Gostar

  32. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 17:25

    Corrigenda:

    Em Portugal já se paga para TRABALHAR!!!!!!!!!!!

    Gostar

  33. 21 Julho, 2011 17:36

    As pessoas vão começar a andar mais a pé.
    Ganham os sapateiros.

    Gostar

  34. trill permalink
    21 Julho, 2011 17:42

    “Se as empresas de transportes públicos têm buracos financeiros é apenas pro uma razão: incompetência da administração, menos férias em Cancun, menos ajudas de custo e mais trabalho e as coisas rapidamente voltavam aos eixos.”

    Os transportes da Carris andam sempre a apinhar de gente (o que é nojento), são pouco frequentes, e afinal não dão lucro?!

    Como é possível que não deiam lucro?!

    Gostar

  35. 21 Julho, 2011 17:48

    Trill: «Os transportes da Carris andam sempre a apinhar de gente (o que é nojento), são pouco frequentes, e afinal não dão lucro?!»

    A questão não é o lucro, a questão é a gestão. E neste caso há “má gestão”. Não consegue ter 60% de receitas superior à despesa.
    Actualmente na Europa temos dos melhores autocarros no serviço público. Não é preciso ir a Inglaterra para ver como são os autocarros do serviço público privatizado, basta ir à Margem Sul.

    Eu gosto da Carris, mas admito que a actual gestão vai penalizar os utentes, porque esta gestão não tem futuro…
    R.

    Gostar

  36. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 17:52

    O Nogueira Leite vai para a CGD….
    Mais um «liberal» para mamar na teta pública!
    O tipo não é capaz de abrir um tasco, mas falava que devíamos ser todos empreendedores, mas a primeira coisa que luta é pelo «osso público».
    O Sócrates é que tinha razão! Eles querem é o pote!
    Trabalhar, tá quieto, preto!

    Gostar

  37. Pi-Erre permalink
    21 Julho, 2011 17:57

    Trill
    “Como é possível que não deiam lucro?!”
    .
    Deiam?!!! Onde é foste buscar este palavrão, ó trill?
    Ao acordo pornográfico?

    Gostar

  38. Pine Tree permalink
    21 Julho, 2011 18:04

    ” O ponto 2 é… é de quem não conhece a realidade portuguesa, faltam-me as palavras.
    “Utentes passam a ter incentivo para seleccionarem melhor o local onde vivem e a localização do emprego que têm (efeito positivo desta medida terá que ser complementado com medidas que liberalizem o mercado de arrendamento).” ”
    *
    Certíssimo camarada!
    Sabe, quem morre nas guerras são os soldados e os soldados, tantíssimas vezes, são os civis que aplaudiram os governos bélicos. Há tantas descrições das manifestações em Berlim quando começou a 1ª Guerra mundial.
    O Zé aplaudiu quando os proprietários urbanos foram espoliados e, muitos deles, reduzidos à pobreza. O Zé convenceu-se de que a justiça não conta, o que conta é sacar o nosso.
    Agora o Zé é como o soldado que está encafuado na trincheira a sonhar com a conversada que deixou na sua terra e à espera da granada que o leve. Mas os runfões cheios de estrelas não querem saber disso e mandam-no saltar da trincheira contra o fogo da metralhadora. Acima de capitão ninguém se sujeita a isto.
    Dizem que fracos reis fazem fraca a forte gente. Engano: gente sem tino nunca é governada por forte rei.

    Gostar

  39. lucklucky permalink
    21 Julho, 2011 18:18

    “A Vimeca dá lucro e os preços refletem o “serviço”. Mas agora tente fazer o mesmo que a Vimeca e reflectir o preço real do serviço público (neste caso a Carris) e vai ver que muito bochecho foi dado pelo Estado sob apoios, benesses, enfim, défice tarifário. Como o poder de compra não acompanhou nem um pouco esse “défice”, duvido que muitos dos idosos que utilizam esse serviço consigam acompanhar o aumento de 15%.”
    .
    E? Se a Carris quiser sobreviver terá de baixar os preços, ser mais eficiente. Se os velhotes não podem pagar a Carris vai à falência.
    Aliás a Vimeca ou outra deveria ser livre se quisesse de fornecer serviços de transporte públicos em Lisboa e isso incluí carros, carrinhas,aluguer de bicicletas, riquechós o que quer que seja que dê para levar uma pessoa de A a B. E aqui inclui-se também destruir o mundo absurdo protegido dos taxis.

    Gostar

  40. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 18:34

    E para quando se acaba com o Governo em Portugal?
    A Bélgica está há mais dum ano «sem governo» e pelos vistos até está muito bem…
    Eis aqui uma medida para ser defendida neste blogue.

    Gostar

  41. 21 Julho, 2011 18:59

    lucklucky: «E? Se a Carris quiser sobreviver terá de baixar os preços, ser mais eficiente. Se os velhotes não podem pagar a Carris vai à falência.»

    Baixar preços (presumo que se refira ao valor dos passes, passagens individuais) não é o mesmo que uma “boa gestão”. Uma má gestão pode baixar preços. Aliás, a Carris tem dos preços MAIS baixos na Europa para o transporte público (neste caso refiro-me só aos autocarros).

    Experimente andar num autocarro em Paris ou em Inglaterra!

    Acho sim que as indemnizações compensatórias têm de terminar, os salários dos funcionários têm de ser revistos e a estrutura “empresarial” da coisa idem.

    Baixar mais o valor da “tarifa” é aumentar o défice tarifário, pago pelo contribuinte, directa ou indirectamente.

    R.

    Gostar

  42. Beirão permalink
    21 Julho, 2011 19:05

    Este sítio, que ‘não se governa nem se deixa governar’ (como dizia o outro há para cima de dois mil anos), que por força do Memorando de entendimento com a Troika tem de baixar as orelhas, parece que começa a ganhar algum juízo. Só é tarde o que nunca chega. Ainda bem que temos aí, chegado à má fila de fora, quem nos meta nos eixos e nos obrigue a viver de harmonia com as nossas possibilidades. Sim, porque isto de se fazer vida de ricos com o dinehiro dos outros, foi chão que já deu uvas. E, ouvidas esta manhã na rua as pessoas sobre os agrestes aumentos dos transportes públicos, todas acharam “um exagero”, mas, encolhendo os ombros, justificavam, torcendo o nariz: Que é que se há-de fazer? É preciso andar mais a pé… Claro! E quem diz os transportes, diz o resto. A malta já interiorizou que somos um pobre país periférico, que nos pelamos por uma boa vidinha de prais e de papo para o ar, trabalhar é o trabalhas que o trabalho é bom ‘prós pretos’, o que a malta quer mesmo é de sopas e descanso, e, por isso, exactamente por isso, tem de descer à terra e levar uma vidinha de pobre, a menos que, como fazem os alemães, queiramos sujeitar-nos a vergar a mola, a sério, produzindo e exportando, e aí, sim, talvez possamos vir a ter o nível de vida desses ricaços germânicos. Conclusão: o ‘pessoal foi na converseta dos aldrabões Guterres e Sócrates, que nos venderam o céu ao preço da chuva, e, agora, ficou lixado. Só podia ser!

    Gostar

  43. 21 Julho, 2011 19:28

    Caro JoaoMiranda, ou você não é de cá, ou muito pouco entende de transportes.

    Gostar

  44. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 19:29

    Óh Beirão, nesse filme onde fica o papel do Cavaco e dos comunas do PSD que desde 1980 estarraçaram tudo e tudo entregaram à fina flôr do entulho da burguesia tuga?????

    Gostar

  45. Fredo permalink
    21 Julho, 2011 19:30

    “Utentes passam a ter incentivo para seleccionarem melhor o local onde vivem e a localização do emprego que têm”
    .
    .
    As empresas até já estão a pensar no seu novo slogan para terem empregados baratinhos:
    “DIGA-NOS ONDE MORA QUE NÓS ABRIREMOS UMA SUCURSAL PERTO DE SI”
    .
    Por outro lado, as empresas de Patosbravos também já respondem com o seu slogan:
    “DIGA-NOS ONDE TRABALHA QUE NÓS CONSTRUIREMOS UM APARTAMENTO BARATO LÁ PERTINHO”
    .
    A dinâmica liberal faz milagres.

    Gostar

  46. lucklucky permalink
    21 Julho, 2011 19:32

    “Baixar mais o valor da “tarifa” é aumentar o défice tarifário, pago pelo contribuinte, directa ou indirectamente.”
    .
    Se nós dissermos que não pagamos a Carris, esta tem de se adaptar à capacidade dos clientes. E isso pode incluir não ser só uma empresa de autocarros. Se é uma empresa de transportes de pessoas o seu objectivo é transportar pessoas de A para B.

    Gostar

  47. 21 Julho, 2011 19:45

    No que toca ao aumento do preço dos transportes públicos, ele até se poderia aceitar se, ao mesmo tempo, os cérebros que governam o trânsito se preocupassem em lhes dar condições de fluidez – começando por libertar as faixas BUS e as paragens de quem as entope – utilizando-as indevida e impunemente.

    Nesse aspecto, é por tal forma escandalosa a cumplicidade objectiva entre quem faz e quem deixa fazer, que desafio os leitores do BLASFÉMIAS a tentarem ver a DT da PSP, a Polícia Municipal de Lisboa e/ou a EMEL a actuarem nos lugares e nas condições indicados [AQUI].

    Gostar

  48. Outside permalink
    21 Julho, 2011 19:57

    “Conclusão: o ‘pessoal foi na converseta dos aldrabões Guterres e Sócrates, que nos venderam o céu ao preço da chuva, e, agora, ficou lixado. Só podia ser!”
    Qual pessoal, Eu não fui, o Beirão foi ? e estou lixado, e Vc ? Lembra-se da expressão “no more jobs for the boys” e quem a proferiu quando iniciou funções ? Lembra-se do anterior PM ? Olhe que é fácil, ainda se encontra na vida política em funções…parece.
    O problema é transversal e culminou recentemente no “Inenarrável”. Agora que se pensava que finalmente se ia atacar a despesa, veja lá que se cumpre a tradição/fado deste paìs, há que aumentar a receita, à custa de quem ? Ah pois é…
    E continua e continua…
    http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/3233558.html
    http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/3233153.html
    http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/3236554.html
    Auditoria às contas ? Onde ? Quem ? Quando ? ah pois, tá bem…bom bom são estas postadas que mais parecem saìdas duma realidade paralela, um filme de ficção, um jogo tipo sin city.

    Gostar

  49. Francisco Colaço permalink
    21 Julho, 2011 20:11

    Lucklucky,
    .
    Há certas coisas que não podem depender da sorte ou azar do nascimento. Essas coisas são a educação e a saúde. Se o Lucklucky tivesse um azar de renegar o seu pseudónimo, como uma daquelas doenças prolongadas, caras e incapacitantes que o deixam à beira da morte por falta de tratamento, teria gosto em ter um serviço gratuito e universal de Saúde.
    .
    É pela via da educação que as pessoas podem quebrar o ciclo da miséria. A oportunidade da sua educação não pode depender de coisas meniais como a capacidade de os seus pais ganharem dinheiro para lhe providenciar uma boa educação, ou mesmo pelos caprichos dos mesmos. Imagino que tenha tido pais responsáveis e amorosos, que lhe providenciaram uma educação, com mais ou menos sacrifícios de sua parte, cuja o Lucklucky aproveitou e espero e intuo que o tenha realizado com distinção. Há no entanto pais que se estão a borrifar pouco mais ou menos para os filhos que fazem, e disso vejo eu todos os dias; vejo pais que preferem a taberna e o café que os filhos.
    .
    Meu caro, a educação em Portugal é cara, ao contrário do que pensa, por causa dos livros escolares. Estes poderiam ser propriedade da escola e alugados aos pais a 25% do valor de compra anual. Se durassem cinco anos, não fossem para rasurar e passassem de aluno em aluno dariam um lucro anualizado à escola de 3% (creio eu que esse era o número das contas que fiz, confira por favor). Diga-me agora se a matemática mudou de tal forma que os livros tenham imperativamente que mudar anualmente, sejam realizados para a rasura e tenham de ser comprados pelos pais? Tenho três filhos, sei do que falo, e pergunto-me se esse esbulho é justo para os pais que querem o melhor para os seus filhos. É uma taxa (e que taxa, duzentos e mais euros por criança!) que imagino, muitos pais tenham dificuldade em pagar.
    .
    O problema da saúde e da educação não são os preços, mas os lóbis. Metade dos médicos deveriam estar atrás das grades e a ordem dos médicos deveria ser dissolvida. Devem já ser aumentados os numerii clausi dos diversos cursos, criando mais médicos, para evitar a assolapação dos recursos do país. Os professores terão de ser avaliados à entrada, anualmente e confrontados com os resultados. As escolas têm de ser financiados por aluno, deixando aos pais escolher a escola que querem para os seus filhos. Ponto! Tem de ser assim.
    .
    Há coisas que, uma vez mal aplicadas, condenam o país à miséria. Impera pois que todos tenham oportunidades, e seja um custo social assumido (e bem gerido, e nem um e outro tem sido). Uma epidemia generalizada elimina um país; uma doença crónica não tratada elimina a capacidade de um ser humano produzir. Segurança alimentar impera: pessoas mal alimentadas não trabalham— e aceite isso de minha experiência em África. Educação miserável cria pessoas miseráveis. Nenhuma destas coisas pode estar à mercê dos caprichos e das prioridades de pais ou de contingências financeiras permanentes ou mesmo momentâneas.
    .
    O mercado funciona, mas não sabe ser justo. O mercado não existe. Existem interesses, e nem todos esses interesses são conciliáveis nem justos. Há que continuar o país e garanto-lhe que se hoje a educação é para os pais um quebra-cabeças, a sua resolução não passa por co-pagamentos dos pais, nem faseados, mas por liberdade de escolha na escola e financiamento por aluno e informação de escalonamento aos pais, que responsabilizaria os maltratantes deste subsistema: os vermilhóides, ignóbeis e corporativos professores. Não todos, há-os verdadeiramente bons e até muito bons. Infelizmente, nem os bons são premiados nem os maus excisados do pútrido sistema que o estado socialista criou.

    Gostar

  50. Outside permalink
    21 Julho, 2011 20:18

    Digno e justo comentário Francisco Colaço.
    “Education is the great engine of personal development. It is through education that the daughter of a peasant can become a doctor, that a son of a mineworker can become the head of the mine, that a child of farm workers can become the president of a great nation. It is what we make out of what we have, not what we are given, that separates one person from another.”
    Nelson Mandela

    Gostar

  51. 21 Julho, 2011 20:46

    se aumentar os transportes é assim tão bom, porque não se aumentou logo para o dobro ou triplo????

    Gostar

  52. Francisco Colaço permalink
    21 Julho, 2011 20:52

    Lucklucky,
    .
    O lucro anualizado é 4,5% no exemplo anterior dos livros escolares. Os pais pagariam um quarto do que pagam (c. 60 EUR/ano) em livros escolares, para o mesmo valor (os livros escolares são lixo após o uso. Quando é que abriu um dos seus livros do secundário se não por nostalgia?)
    .
    Outside,
    .
    Aprenda uma coisa sobre mim: não acredito em mercado; acredito em justiça. Acredito que os ladrões deste país, os socialistas, deveriam ser declarados ou culpados ou inimputáveis, e que o Largo do Rato deveria ser atochado, com o António José Seguro, o Vieira da Silva, o Almeida Santos e o António Costa lá dentro de preferência.
    .
    As sedes do BE e do PCP já deveriam ter sido entaipadas depois de cheias com bosta de vacas soviéticas e albanesas, por esta ordem. Com a escardalhada do costume lá dentro, no Perpétuo Mausoléu da Boca Torpe.
    .
    Se os sociais-democratas tiverem entretanto igual comportamento, contribuo com os 1,80 EUR (ao tempo lá chegará) de um litro de gasolina para deitar fogo à São Caetano à Lapa e ao Caldas.
    .
    Não sou anti-partidos, e até sou militante de um, assumidamente «de base» e sem cargos. Sou é bastante averso a estes protagonistas. A dissolução em ácido muriático seria uma solução para tantos escroques, e se pudéssemos incluir no auto-de-justiça uma amostra jornalistas canhotos, o José Miguel Júdice e o Peres Metello faríamos muito bem.

    Gostar

  53. trill permalink
    21 Julho, 2011 20:57

    Outra história verdadeira *

    http://psicanalises.blogspot.com/

    Gostar

  54. trill permalink
    21 Julho, 2011 21:14

    “Experimente andar num autocarro em Paris ou em Inglaterra!”

    1 (um) gbp utilizando um cartãozinho que se chama Oyster, cujo valor é devolvido com a devolução do dito cartãozinho (que não deixa as pessoas penduradas se faltar um cêntimo!). Pode levantar o cartãozinho só por um dia. Guarde o talãozinho que lhe devolverão o que pagou pelo referido cujo Oyster.

    o problema é que as pessoas não conhecem as realidades do chamdo “1º mundo” e acreditam na primeira coisa que alguém que adopta o tom de quem sabe fala, ou escreve, como se de facto soubesse.

    Gostar

  55. trill permalink
    21 Julho, 2011 21:22

    deiam está obviamente errado, mas em brasileiro é dêem
    portanto não foi ao acordo pornográfico que fui buscar o palavrão.
    de resto isso é no presente contexto irrelevante.

    Gostar

  56. insider permalink
    21 Julho, 2011 21:24

    o jm deve ser um génio…
    os desgraçados que foram viver para as periferias – aliciados pela banca e pelos mestres-de-obras – agora têm de pagar a factura…
    enquanto isso, será que os “administradores” (parecem todos homens) do stcp continuam a ter “casa de função” e motorista privatrivo?

    Gostar

  57. trill permalink
    21 Julho, 2011 21:24

    “A questão não é o lucro, a questão é a gestão. E neste caso há “má gestão”. Não consegue ter 60% de receitas superior à despesa.”

    estou totalmente de acordo c o Rogério.

    Gostar

  58. trill permalink
    21 Julho, 2011 21:26

    o que eu queria dizer é que apesar do mau serviço e dos utentes serem maltratados, a Carris dá prejuízo. Claro que alguém deve ganhar com isto. E nem são os utentes nem o Estado.

    Gostar

  59. Outside permalink
    21 Julho, 2011 21:46

    FC,
    Não é anti-partidos ? olhe que parece com essa fogueira monstruosa a arder e faltam tantos tantos e tantos nomes e responsáveis pelo/por este estado da Nação… nest pas ?
    Também não sou anti-partidos, apesar de não ter crença em nenhum desde há largos anos, apesar de sempre ir exercer o meu direito e obrigação ( A democracia é o pior de todos os sistemas com excepção de todos os outros) mas estes desabafos de nada interessam…interessa simplesmente a realidade, a História, os factos. (ponto)
    Todos na fogueira portanto excepto este corante, deduzido desta frase:
    “Se os sociais-democratas tiverem entretanto igual comportamento, contribuo com os 1,80 EUR (ao tempo lá chegará) de um litro de gasolina para deitar fogo à São Caetano à Lapa e ao Caldas.”
    Está a brincar comigo ? Não terão, ESPERO eu IGUAL comportamento (o pior dos piores é imbatível), mas teêm tido, desde há largos anos, sem qualquer pudôr, moral ou ética, SEMELHANTE comportamento. É uma questão de linguagem. (ponto)
    E mais lhe digo, para minha surpresa após o programa da troYca nos ter sido exigido, NÃO ESTÃO A IR POR CERTO CAMINHO !
    Prisioneiros entre males menores…
    Coisas simples perdidas nos dicionários e nos corredores em S.Bento: Honra, Sentido de Dever, Profissionalismo, Solidariedade e Justiça…enfim Dignidade !
    O resto ? do resto não reza a História, o resto somos todos nós…

    Gostar

  60. Arlindo da Costa permalink
    21 Julho, 2011 22:11

    Elogiar as medidas da troika é a última moda dos «liberais» tugas.
    Mal sabem eles, que 99% dessas propostas são contrárias ao mercado livre; preconizam mais rapina fiscal e mais vigilância, fiscalização, contrôle e coacção do Estado sobre os cidadãos.
    Mas não se pode esperar mais destes «liberais», uma vez que também são todos funcionários públicos ou dependentes do Estado (desde assessorias, fornecimentos,etc.)

    Gostar

  61. Francisco Colaço permalink
    21 Julho, 2011 22:21

    Outside,
    .
    Incluí alguns sociais democratas na dissolução de ácido. Mas se quiser faça um bouquet de nomes, apresente-os e verá talvez que corroboro a maior parte deles. Corrupção e mordomias são-nos em todos os partidos.
    .
    Embora me confesse desiludido ainda nutro alguma confiança neste governo de cromos. O primeiro mês foi decepcionante, mas tipicamente dão-se cem dias. Pois esperemos até Setembro e veremos o que emerge.
    .
    Quanto a moral pública, parece-me que algumas coisa estão a resvalar do fundo dos habituados à teta do Estado. Ainda é cedo para dizer, e só acredito mesmo quando as descendentes da Comissão para a Preservação da Casa Portuguesa do famoso artigo de 1982 for extinta, ou quando uma lista de 200 municípios e de 2500 freguesias a extinguir for publicada. Quero moral na vida pública, e que aqueles senhores se lembrem que há muitas mães coragem a lutar exangues por dar uma educação aos seus filhos enquanto os catraios do regime andam nas escolas inglesas pagas por vencimentos lautos retirados dos roubos (não lhe chamo outra coisa) à classe média.
    .
    Aprendi desde cedo a desconfiar de pessoas que se fazem fotografar de dedo à frente do rosto como se indicassem que o seu pénis se encontra ao nível da cabeça. Só posso atribuir a isso uma vontade de parecer inteligente, independentemente de essa inteligência existir ou não, por falta de auto-estima ou, pior, por não saber o verdadeiro sabor de uma queca. O actual titular da pasta das finanças, o Murteira Nabo e muitos outros idiotas que tais fazem-se fotografar assim, como se isso lhes grangeasse respeito. Na verdade, pode grangear respeito, mas apenas dos que gostariam também de ser fotografados assim pelas mesmas razões.
    .
    Uma coisa eu sei: Murteira Nabo na PT foi regabofe com as segundas tarifas mais altas do mundo, apenas a seguir à Indonésia, que até tem três mil ilhas para desculpa. Na GALP, é o que se vê, com a gasolina a 1,6 e mais. Ministro com dedo à frente da cara nas finanças faz impostos extraordinários como primeira medida, sem descer realmente a despesa. Acho, sinceramente, que apenas estendem o indicador por educação, enquanto pensam em erguer o dedo médio a todos os que os lêem.

    Gostar

  62. Francisco Colaço permalink
    21 Julho, 2011 22:24

    Outside,
    .
    Queria escrever (com erro intencional) sociais e democratas. Por erro, elidi o “e”. As minhas desculpas.

    Gostar

  63. lucklucky permalink
    21 Julho, 2011 22:34

    Francisco Colaço
    A Ensino é caro por muitas e variadas razões.
    Veja como só referiu os manuais. Algo que paga directamente. O resto não lhe toca directamente, vai em impostos. Logo critica aquilo que está perto e lhe vai ao bolso directamente mas não fala nada sobre o resto.
    Ou seja só o preocupa uma das parcelas do custo. A outra com preço falso varre para debaixo do tapete.
    A dos livros com preço verdadeiro já clama por eficiência e optimização.
    Para a começar a veja a simples relação Qualidade vs Preço.
    Explique como é que a cada vez mais investimento em Educação – A actividade mais economicista que existe, a Educação é vendida por supostamente trazer prosperidade- a Economia cresce cada vez menos.
    Ou este Ensino não presta ou afinal o Ensino não conta muito para a economia.
    E como o preço é falso as pessoas não têm consciência, a não ser 30 anos depois que andam a pagar gato por lebre e for tarde demais.
    Depois podemos ir à situação estrutural de um sistema do Sec.XIX baseado em modas intelectuais. Muitas crianças estariam melhor- para elas- a trabalhar nem que seja só um ano- do que a fingir que lêem os Maias, ou a fingir que vão à aula. Nem toda a gente é feita para estar numa sala de aulas.
    Como o sistema não tem opostos, concorrência e liberdade é um sistema corrupto.

    Gostar

  64. Francisco Colaço permalink
    21 Julho, 2011 23:10

    Lucklucky,
    .
    Apesar de compreender o que diz, eu não varro os custos para baixo do tapete: assumo-os como necessários para a manutenção dos níveis de prosperidade. Como assumo os investimentos em defesa, polícia, justiça, bombeiros, embora, convenhamos, não tem havido neste país e neste mundo investimento, mas apenas esbulho em favor de várias e lúgrubes clientelas— e isso não é um problema de princípios, é um problema de sistema e de polícia.
    .
    O que diz acerca das aulas é verdade: há os que não têm nenhum talento para o estudo. Aceito isso. Mas se o ensino for pago, essa destrinça é feita pelo nascimento e não pelo talento, e isso, meu caro, é a forma mais injusta de destrinça. Pesar a capacidade das crianças pelo talento dos pais em ganhar dinheiro ou mesmo pela responsabilidade dos pais em o gastar em prol dos filhos é criminoso. Se o propõe, suponho que devemos encontrar-nos um dia e vou levá-lo a dar uma volta comigo, aqui, neste país, que lhe mudará a mente. Acredite no que digo. Pelo menos irá apreciar ainda mais os seus próprios pais.
    .
    Verá uma criança cujo pai não queria que fosse à escola primária por ser mais útil a pastar as cabras da família. O energúmeno do progenitor arguía que os estudos não empregam ninguém e que havia muito desemprego entre licenciados. Verá uma família de dezassete filhos (não é exagero) onde a mãe gastava os seus subsídios com a bebida e os filhos se tratavam uns aos outros, alguns chegando a ser encontrados dormindo num galinheiro. Verá felizmente uma família cuja, apesar de a mãe trabalhar pelo ordenado mínimo e pouco mais, o filho, colega do meu filho, vai à escola e consegue notas decentes. Essa é uma mãe coragem como muitas outras há. mas basta uma para amostra.
    .
    Aplique o sacrossanto mercado e essas crianças não terão hipótese. Quem tiver essa visão da sociedade, meu caro, não a tente aplicar. Ver-me-á do outro lado de uma Snaiperskaia Vintovka Dragunova a administrar a pastilha, pois há limites que não irei deixar quebrar.
    .
    Se quer saber bem, houve um tempo na vida em que eu mesmo necessitei do ensino gratuito, por um ano, após a morte do meu pai, graças às delongas da justiça portuguesa, que bloqueou por nove anos a recepção da herança devido a um curador corrupto. A minha mãe nesse ano reconstituiu a sua vida financeira, a ponto de ter prosperidade, e não pouca, por esforço próprio, e veja lá!, sem Estado. Se eu tivesse de sair da escola com onze anos, por insuficiência, outro teria sido o melhor aluno de engenharia até hoje da Universidade Católica Portuguesa (não estou a brincar!). Deve perceber por isso que o assunto da educação gratuita me é extremamente caro. É um investimento social, tem de ser assumido como tal, e não deve ser o nascimento ou a sorte malvada que teima em colocar pessoas inteligentes mal posicionadas neste planeta que deve designar quem pertence às elites do futuro.
    .
    Para me atazanarem para aturar merdolas e idiotas simplesmente por direito de nascimento, basta-me quando ouço as taradices dos monárquicos a tentar puxar os seus caudilhos, e não me refiro ao tal chamado Dom Duarte em particular.

    Gostar

  65. Portela Menos 1 permalink
    21 Julho, 2011 23:41

    Francisco Colaço Posted 21 Julho, 2011 at 20:52
    (…) o Largo do Rato deveria ser atochado, com o António José Seguro, o Vieira da Silva, o Almeida Santos e o António Costa lá dentro de preferência.
    .
    As sedes do BE e do PCP já deveriam ter sido entaipadas depois de cheias com bosta de vacas soviéticas e albanesas, por esta ordem. Com a escardalhada do costume lá dentro, no Perpétuo Mausoléu da Boca Torpe.
    .
    Se os sociais-democratas tiverem entretanto igual comportamento, contribuo com os 1,80 EUR (ao tempo lá chegará) de um litro de gasolina para deitar fogo à São Caetano à Lapa e ao Caldas. (…)
    .
    Como FC acredita na justiça, faça o favor de nao se esquecer de avisar antes de acender a fogueira; pode ser que alguns ainda possam tratar do passaporte 🙂

    Gostar

  66. A. R permalink
    21 Julho, 2011 23:48

    Parabéns pela escolha de Nogueira Leite: demasiado competente e honesto para o lugar. O Pedro.Soares e o Purdey seriam suficientes: ao Purdey até davam jeito umas massas.
    Pago tanto de autocarro por andar 10km que portuenses ou lisboetas pagam para andar entre 50 a 100 km. Querem regalias? Que as paguem. A malta da província não tem que pagar o transporte do pessoal da cidade.

    Gostar

  67. Arlindo da Costa permalink
    22 Julho, 2011 00:06

    O que é que o N. Leite percebe daquilo?
    Não se vê que aquilo é um tachinho à medida do boy do partido?
    De Secretario de Estado do Guterres, o homem já tem passadeira vermelha para a maior teta do Estado Português!
    E o tolo do A.R acha isso um must!
    E se o homem é «demasiado honesto» para o lugar, por que é que ele vai para lá?

    Gostar

  68. 22 Julho, 2011 00:38

    um Vice de Vitor Constãncio, vai tomar conta do maior Banco Nacional!!?? é a meritocracia em ação…

    Gostar

  69. Leme permalink
    22 Julho, 2011 04:43

    15%? Por que não o dobro?

    Gostar

  70. A. R permalink
    22 Julho, 2011 09:00

    Como é possível que Vieira da Silva esteja a chefiar a comissão de acompanhamento troikista, ele um pai afundador do orçamento que tolos como o Arlindo Costa gostam tanto?

    Gostar

  71. 22 Julho, 2011 11:31

    Portela:
    Mas, não se esqueça de pagar os fósforos.

    Gostar

  72. 22 Julho, 2011 19:32

    Tentar enganar o mercado com preços artificiais é uma manobra milhões de vezes repetida e outras tantas vezes com péssimos resultados.
    A coisa consegue manter-se durante um período mais ou menos curto mas à la longue condenado ao fracasso, muitas vezes com péssimos resultados.

    Gostar

  73. ferreira permalink
    22 Julho, 2011 19:33

    Error
    Tentar enganar o mercado com preços artificiais é uma manobra milhões de vezes repetida e outras tantas vezes com péssimos resultados.
    A coisa consegue manter-se durante um período mais ou menos curto mas à la longue condenado ao fracasso, muitas vezes com péssimos resultados.

    Gostar

  74. Leme permalink
    23 Julho, 2011 04:43

    Esta malta está cada vez pior. Sem dúvida que merecia, em vez de um Sócrates e uma Socretinice à la socialista, um regime igualzinho ao da Coreia do Norte. Um Cunhal seria pouco para estes tontos.

    Gostar

  75. 23 Julho, 2011 14:05

    Agora percebo o porquê de o PCP mandar cagar a convocatoria da TROiKA.

    Gostar

  76. Francisco Colaço permalink
    24 Julho, 2011 11:30

    Ferreira,
    .
    Há custos sociais que temos de ter, para equalizar as hipóteses do malvado nascimento. Nem todas as crianças tiveram mães e pais que por eles se interessassem, ou até que tenham podido viver tempo suficiente para que os seus filhos terminassem o seu projecto educativo. Imagine o que lhe teria acontecido se os seus pais tivessem morrido quando tivesse dez anos, e não tivesse outra família com afluência que o acolhesse.
    .
    Por isso, a educação deve ser gratuita para todos, ricos e pobres, sem excepções. A saúde também. Uma e outra, quando falham, tiram o indivíduo do sistema produtivo. Arruinam-se vidas e existe uma perda mensurável para a sociedade. Ninguém deve deixar de estudar por insuficiência económica; ninguém deve ter de abdicar ou de protelar os cuidados de saúde essenciais por insuficiência económica.
    .
    O que acontece é precisamente isto: estamos a gastar demais com a educação e com a saúde. Estamos a gastar de tal forma que uns poucos se aboletam e o erário público e os cidadãos pagam no mínimo o triplo do que pagam. A falta de temeridade dos agentes da educação e da saúde é avassaladora e conpungente.
    .
    Diga-me por que carga d’água os livros não podem ser reutilizados e não devem ser propriedade da escola, sendo alugados aos pais? Propus já um meio de todos os agentes, excepto os corruptos editores, ficarem contentes: a escola ganha algum dinheiro e os pais gastam 1/4 daquilo que hoje gastam. Alguns professores, contudo, ficariam mal com essa prática pelas benesses que em consequência perderiam.
    .
    Continuo: por que não abrimos as escolas de medicina a ponto de inundar o mercado de médicos? Por mim, fosse eu ministro, a Ordem dos Médicos teria sido desbandada, ou pelo menos desfeita do seu poder de acreditar e de sancionar médicos (são lobos a guardar cordeiros). Meta médicos excedentários no mercado e vai ver se o valor médio dos tratamentos não desce. Meta genéricos a sério no mercado (importando-os se necessários) em vez de apenas umas desculpas para as farmacêuticas manterem os seus preços e vai ver como todos melhoram. Mais, proíba as farmacêuticas de pagar aos médicos formações em Belize ou nas Bermudas, ou sancione os médicos que sobreprescrevem e vai ver como o primeiro médico que malhar com os ossos na cadeia marcará uma diferença mensurável nos custos nacionais com medicamentos.
    .
    Porque é que uma obra numa escola chega a custar duas vezes mais que a mesma obra feita a um privado?

    Gostar

  77. Von permalink
    25 Julho, 2011 17:05

    Este post navega entre o cretino, o pateta e o insensível de quem viaja apenas de automóvel próprio, nunca teve problemas de emprego nem de habitação. Não sou comunista, nem socialista, nem bloquista. É importante esta introdução para não se fazerem juízos acerca do objectivo do meu comentário.

    Gostar

  78. 25 Julho, 2011 23:33

    “Utentes passam a ter incentivo para seleccionarem melhor o local onde vivem e a localização do emprego que têm.”

    Foram precisos cinco anos de blogosfera para encontrar uma frase com esta pujança.

    Gostar

Trackbacks

  1. Transportes mais caros e com menor oferta « O Insurgente
  2. Conta-me histórias…. | cinco dias

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: