Saltar para o conteúdo

Gaspar rima com falhar

21 Março, 2012

A receita fiscal caiu 5,3 por cento face ao mesmo período de 2011. Já se sabia que níveis de imposto elevados levam sempre ao crescimento generalizado da fuga ao fisco e à diminuição da receita fiscal. O aumento de impostos, a partir de um determinado nível, é uma medida contraproducente.
Vítor Gaspar, pelos vistos, não estudou bem a lição. Falhou.

Anúncios
103 comentários leave one →
  1. 21 Março, 2012 16:34

    Curva de Laffer.

    Gostar

  2. 21 Março, 2012 16:34

    Gaspar não rima com Laffer.

    Gostar

  3. 21 Março, 2012 16:36

    A curva de Laffer não falha.

    Gostar

  4. PMP permalink
    21 Março, 2012 16:39

    O Neotontismo auto destroi-se, esta é mais uma prova !

    Gostar

  5. PauloMorais permalink
    21 Março, 2012 16:44

    Repito o que escrevi há tempos:
    http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/opiniao/paulo-morais/mal-maior

    Gostar

  6. 21 Março, 2012 16:44

    Como era de esperar… falha.
    Espero que sirva de lição e que se invertam as opções, não se seguindo, cegamente a Grécia.
    É que, por aí não se vai a lado nenhum.
    A austeridade é necessária, mas nunca sozinha. Há mais mudanças a fazer…
    http://notaslivres.blogspot.pt/2012/02/austeridade-se-manter-solteira-sera.html

    Gostar

  7. Guillaume Tell permalink
    21 Março, 2012 16:48

    A receita “pouco” interessa, o que é verdadeiramente escandaloso é o desvio na despesa, provocado pelas transferências para a RTP!

    Gostar

  8. Guillaume Tell permalink
    21 Março, 2012 16:53

    A receita “pouco” interessa, o quê escandaloso é o desvio na despesa nappe causa da RTP!

    Gostar

  9. aremandus permalink
    21 Março, 2012 16:56

    a questão, dr. paulo Morais é:
    Como vamos parar estes loucos que levam Portugal para o abismo??

    Gostar

  10. PMP permalink
    21 Março, 2012 16:57

    O PSD e o PS governam o país desde 1976.
    .
    Está na altura do povo votar nos outros partidos, pois estes dois já demonstraram a sua incompetência crónica, durante demasiadas décadas !

    Gostar

  11. 21 Março, 2012 17:18

    ainda é cedo……muito cedo……para dizer k falhou.
    e eu sou crítico do gaspar……….por não dizer a verdade sobre a gestão ruinosa e criminosa so sókas e xuxas.
    aliás, nos 1ºs meses de 2011, osókas eteixeira aldrabaram descaradamente as contas.
    tamos a 21 de março
    muito cedo para dizer k falhou

    Gostar

  12. 21 Março, 2012 17:19

    Menos IVA e menos IRC? Claro. O governo devia estar à espera de um milagre.

    Gostar

  13. 21 Março, 2012 17:21

    PMP
    em 1974, o país tinha reservas de ouro e divisas estrangeiras q faziam do escudo uma das moedas mais seguras ……DO MUNDO!!!!!
    os criminosos do MFA/PCP e anexos destruíram a economia
    e gastaram de forma criminosa as reservas q havia
    foi necessário pedir de chapéu na mão ao FMI em 1977
    para o povo não morrer á fome.
    não venha com estes exemplos.
    então é k é fome e miséria por todo om lado……tipo cuba ou coreia do kim.ou china rural

    Gostar

  14. Pedro M permalink
    21 Março, 2012 17:21

    Nem é só um problema de fuga ao fisco.
    As pessoas optam por trabalhar menos (as que o podem fazer…), compensa ter vida mais folgada trabalhando e ganhando menos; vale bem a pena o que se poupa em pagamento de impostos (baixando, por exemplo, um degrau no escalão do IRS).

    Gostar

  15. 21 Março, 2012 17:23

    E quem paga………….ou..pagou
    os 13 mil €euros diários k o sókas gasta em paris?
    PGR, ouviu?
    13 mil diários.
    não tem vergonha de estar quieto?

    Gostar

  16. 21 Março, 2012 17:25

    Gaspar falhou?
    Já o Teixeira dos Santos foi um génio das finanças… Como V., Paulo Morais, o é da falta de senso.

    Gostar

  17. aremandus permalink
    21 Março, 2012 17:27

    ora porra,afinal Gaspar acertou…no drunfo certo!

    Gostar

  18. Costa Cabral permalink
    21 Março, 2012 17:37

    O Gaspar, porventura, tem estaleca para Ministro das Finanças?
    Contemporiza com o saque internacional que estão a fazer a Portugal e ainda manda os portugueses que aqui pagam e pagaram impostos para o estrangeiro!
    Uma vergonha nacional o que está acontecendo!

    Gostar

  19. anti-comuna permalink
    21 Março, 2012 17:47

    “A receita fiscal caiu 5,3 por cento face ao mesmo período de 2011.”
    .
    .
    O Paulo Morais está a comparar com quê? Com a anormalidade do ano passado? eheheheh
    .
    .
    As receitas fiscais estão acima do que eles próprios esperavam. Mas a despesa…
    .
    .
    PM Deve-se comparar sempre com o que é comparável e não com números anormais. Verdade de La Palice, mas que poucos respeitam.

    Gostar

  20. anti-comuna permalink
    21 Março, 2012 17:55

    Umas liçõezinhas simplórias para abrir os olhos à malta. E não queiram que eles voltem a aumentar a carga fiscal, que a actual já é dura demais.
    .
    https://blasfemias.net/2012/03/20/porque-sera-que-esta-gente-fala-sem-analisar-previamente-os-numeros/#comment-855664
    .
    .
    E esta malta a comparar alhos com bugalhos. Os números do ano passado foram todos martelados e anormais. Comparar com o que não teve nada a ver com a realidade, só mesmo neste país de pataratas. lolololol

    Gostar

  21. Costa Cabral permalink
    21 Março, 2012 18:07

    Portugal não tem solução. Não tem elites politicas e culturais. Não tem tropa. Não tem Igreja.
    E nem sequer tem um Partido Comunista capaz!
    O futuro só pode ser uma guerra civil!

    Gostar

  22. aremandus permalink
    21 Março, 2012 18:35

    Que sou livre, dizem-me.
    Porém se quisesse ter outro filho
    teria de o levar ao banco da esquina
    porque sua é a minha casa.
    O meu menino chamaria pai ao gerente
    e mãe à caixa
    aprenderia a andar com uma cadeira
    de rodinhas de escritório
    dormiria numa gaveta dos arquivos
    e eu seria apenas um parente afastado
    que lhe sorriria do meu lugar na fila.
    Passaria por lá de vez em quando com a desculpa de aumentar a hipoteca
    só para ver como o criam
    como o ar condicionado o afecta
    se sabe enviar um fax
    e se o gerente lhe oferece um jogo de frigideiras
    pelo seu aniversário.

    Ana Pérez Cañamares

    Gostar

  23. simil permalink
    21 Março, 2012 18:37

    E se essas coisas são assim tão fáceis como é que os nossos altos sabentes não vão lá, não atingem e não alcançam?, será por quererem de mais?, ambição desmesurada?, ter mais olhos que barriga?, ou é falta de intuição, descuro das probabilidades?, que eu tenho que com a carga enorme de impostos, empresas dão em fechar, desde há muito, restaurantes fecham portas, as gasolineiras, a agulheta, como empresas de transportes, simplesmente, vão ao ar, desaparecem, e assim por diante, de modo que o que pagavam ontem já não o pagam hoje, amanhã e por diante.
    E como é que Vítor Gaspar, o mesmo Paços Coelho, sem falta do Relvas e seus sacratairos, não atingem isto?
    By the way, menina, ó patrãozinho, aqui já não há mais gasóleo, nem gasolina, sim, nem mistura de água, já… porquê?, fechámos, caro senhor, rica menina, à vista de Espanha, por fim rendidos …

    Gostar

  24. amador permalink
    21 Março, 2012 18:41

    Enquanto o pais se afunda, os portugueses que pretenderem ir para os Estados Unidos devem ir a Paris para receber o seu visto. ABSURDO!!!!! E nem uma palavra de revolta do ministro Portas. Remessas dos emigrantes? Porque o devem fazer se este governo (g pequeno) nunca os respeitou.

    Gostar

  25. Xiça permalink
    21 Março, 2012 18:41

    Caro Dr. Paulo Morais, para não se falhar, deixo-lhe uma série de ideias visionárias que farão aumentar a receita fiscal, o crescimento e emprego.
    .
    1) Plano rodoviário.
    Acabar a 3ª autoestrada Porto-Lisboa, mas prosseguir para Sul, construindo a 2ª autoestrada para o Algarve, passando no litoral Alentejano.
    Simultaneamente lançar já a autoestrada do interior sul, ligando a A23 a Portalegre e Vila Real de Santo António e Tavira. Estimo uns 20 mil milhoes de investimento, e 50 mil empregos, muito imposto gerado…
    .
    2) Transportes Públicos
    Em Lisboa ligar o Metro a Sintra, e este a Cascais. Não esquecer de ligar o Terreiro do Paço à margem sul em túnel debaixo do Tejo. No Porto idem.
    Talvez uns 10 mil milhoes de investimento, mais 30 mil empregos, e bastante receita fiscal.
    .
    3) Ferrovia
    Retomar o TGV de forma mais ambiciosa. Não só ligar Vigo ao Porto e Lisboa, mas prolongar depois o TGV até Faro, e daqui até Sevilha e a Sagres. Retomar Lisboa Madrid construindo uma ponte ferroviaria, convêm ser dedicada, pois será necessário construir outra ponte apenas rodoviária para encaixar todas as novas autoestradas referidas em 1).
    Investimento de uns 50 mil milhoes, podemos estar a falar de quase 100 mil empregos criados.
    .
    4) Desporto & Cultura
    Começar a criar já as bases para uma forte candidatura para os Jogos Olímpicos de 2020. Criar comissoes, lançar e atribuir concursos para projectos de arquitectura de 15 estádios olímpicos. Investimento talvez duns 30 mil milhões com imenso emprego gerado numa década.
    .
    5) Energia
    Insistir em mais barragens, ainda devem existir locais para isso. Adoptar o modelo de concessão actual das últimas barragens, para o Estado se financiar em troca de tarifas bastante altas no futuro. Avançar para as eólicas offshore, mais caras, as tarifas ainda tem que ser mais altas que até aqui, mas pouparemos ainda mais petróleo e CO2.
    E claro, carro eléctrico. Adoptar um subsidio mais ambicioso, uns 20 mil € por carro a fundo perdido certamente garantem não só o regresso da Nissan, como a vinda dos outros fabricantes todos. Muito emprego qualificado será gerado só com isto.
    .
    6) Aeronáutico
    Retomar a construção do novo aeroporto de Lisboa de modo a estar pronto com a inauguração do TGV a Madrid, e da 2ª e 3ª autoestrada para o Algarve. Idem para Beja, nos próximos anos subsidiar cada passageiro de lowcost transportado para Beja, não só a viagem de avião, como as viagens por ferrovia/rodovia para outros destinos a partir de Beja. A construção da autoestrada interior sul (A23-VRSA) dará um grande impulso a este aeroporto.
    O modelo de Beja será adaptado ao restante país, o objectivo até 2020 a tempo dos jogos olímpicos será a construção de um aeroporto internacional em todas as capitais de distrito do país devidamente ligadas por autoestradas e TGVS’s, ou pelo menos de ligações ferroviárias de alto rendimento.
    .
    .
    Todas estas ideias vão gerar mais de 300 mil empregos e crescimento, sendo algo pessimista. Algumas poderão ter rentabilidade duvidosa, pelo que se quisermos que sejam construídas, teremos que oferecer muitas garantias de equilíbrio contratual aos empreiteiros e bancos. Mas a rentabilidade disfarça-se com a criação de umas dezenas de entidades que vão gerir os estudos disto tudo e que encomendarão por centenas de milhões estudos de viabilidade que dirão que todo este investimento se paga a si próprio. Os próprios contratos serão feitos de forma a que só se pague daqui a uns anos, embora claro, isso implique mais custos e garantias leoninas, mas ninguém precisa de saber disso para já.
    .
    Depois diga-me se apreciou as minhas ideias. São originais, qualquer semelhança com a realidade dos últimos 15 anos é pura coincidência. Garanto que com isto não se falhará. O Gaspar é mesmo burro.

    Gostar

  26. 21 Março, 2012 18:45

    A malta do catecismo anda nervosa… Os dogmas são assim: mais tarde ou mais cedo desobre-se que são uma fraude.

    Gostar

  27. Pável Rodrigues permalink
    21 Março, 2012 18:56

    “E nem sequer tem um Partido Comunista capaz!” Olha se tivéssemos! Em termos políticos, passávamos do neolítico para o paleolítico.
    Para pior já basta assim: 10% de trotskistas e de estalinistas eleitos para a Assembleia da Republica!
    Como o futuro do comunismo é o passado, Portugal continua a viver na pré-história!

    Gostar

  28. JDGF permalink
    21 Março, 2012 19:06

    A receita falhou como era esperado num clima de recessão…
    E o aumento da despesa? Fica justificado “só” pela transferência para a RTP?

    Gostar

  29. 21 Março, 2012 19:14

    BOAS NOTÍCIAS:
    http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/diap-de-lisboa-vai-investigar-despesas-de-governo-de-socrates-1538846
    Finalmente, um pequeno passo para se chegar á pequena corrupção xuxa-maçónica.
    sim, pq a grande corrupção tem nome de freeport…………SCUTs……..PPPs…

    Gostar

  30. Costa Cabral permalink
    21 Março, 2012 19:22

    No inquérito ao BPN espero que os digníssimos deputados desta choldra não se esqueçam de investigar o chavascal no tempo dos «gestores» cavaquianos!
    É preciso criminalizar quem ficou com o dinheiro, obrigando o Estado a injectar milhares de milhões de euros, cortando ao mesmo tempo abonos de famílias a agregados familiares pobres e a cortar pensões de pobres reformados.
    É preciso ir atrás desses labregos do Kavaquistão e confiscar-lhes os bens!
    Sem isso não pode haver paz e reconciliação!

    Gostar

  31. pedro permalink
    21 Março, 2012 19:25

    Paulo Morais: as coisas não vão brilhantes . Mas, devemos dar tempo ao governo , por exemplo,dois trimestres.Por outro lado, o 1º trimestre do socrates foi martelado , como tal , as comparações com 2011 não são fiáveis.Penso que o Ministro das Finanças está atento pois começou a funcionar uma economia de guerra que se torna impossível de controlar. Mas como sabe, a nossa balança de pagamentos é deficitária , ou seja, mesmo que deixassemos de pagar a dívida e o montante de juros, teriamos de repensar as funções do estado e podiamos concluir que não somos viáveis como estado. Não queria assistir a este debate , mas se as coisas falharem com este ou outro governo ,o problema vai ser colocado friamente por alguém aos portugueses.

    Gostar

  32. Alexandre Gonçalves permalink
    21 Março, 2012 19:26

    Atenção! Grande parte do orçamento de estado para 2012 ainda não deu os seus frutos na receita!
    O IVA de Janeiro só entrou em Março (regime mensal) ou entrará em Maio (regime trimestral). E ainda só estão a analisar Fevereiro.

    E quando a maior parte dos estabelecimentos de restauração receber a conta do IVA do contabilista (os de periodicidade mensal já receberam e os mais pequenos, trimestrais, ainda a a vãop receber lá para finais de Abril / inicios de Maio,) a coisa é que vai ser bonita.
    Estou ansioso para ver.
    O mais tardar em Julho chegará o 2º pacote de ajuda..

    Gostar

  33. aremandus permalink
    21 Março, 2012 19:30

    os néscios da economia são quase tão néscios quanto os engenheiros pessoanos: acham que era pegar no catecismo e seguir as prédicas…

    Gostar

  34. aremandus permalink
    21 Março, 2012 19:31

    e aqueles professores que andavam a fazer esperas ao sócras ainda terão alunos?

    Gostar

  35. 21 Março, 2012 19:31

    “É preciso criminalizar quem ficou com o dinheiro, obrigando o Estado a injectar milhares de milhões de euros, cortando ao mesmo tempo abonos de famílias a agregados familiares pobres e a cortar pensões de pobres reformados.”
    .
    Quem é que obrigou o Estado a injectar esses milhares de milhões? Podia tê-lo deixado falir…

    Gostar

  36. simil permalink
    21 Março, 2012 19:39

    Escusado, caro Amador, Xiça e demais compadres, que o chavascal é grande e governantes de estalo deviam ser livres de pensamento, quanto mais de loja e seita, como nos é dado saber, a contrairo, quanto aos nossos, que têm é só deveres, uma corte à espera, que se não tem o pago ali ao dobro e triplo, não perdoa, e ou me dão tanto ou eu passo-me daqui para outra banda, outra loja, se não me torno mesmo independente, direito à ongoing, àquela ppp de construtora que só soma ganhos, a engil, é isso, se não às auto-estradas, que foram já de Portugal, como à lusoponte …
    E por ora, só quero é a p… da caixa ou a edpê, mesmo a tape, igual que a um posto de administrador na galpi .

    Gostar

  37. Monti permalink
    21 Março, 2012 19:41

    CostaC:
    «No inquérito ao BPN espero que os digníssimos deputados desta choldra não se esqueçam de investigar o chavascal no tempo dos «gestores» cavaquianos!»
    Quando vejo na direcção da comissão, um traste que chegou de calças de ganga a Macau, saiu de lá com fortuna…Oh Moral, Oh Ética, Oh Corru, Corru, Corru…
    Um ‘socialista’ de bloco central, pois.

    Gostar

  38. aremandus permalink
    21 Março, 2012 19:44

    Monti,indique se faz favor um político do psd com as mãos limpas.
    ou do cds se quiser.

    Gostar

  39. aremandus permalink
    21 Março, 2012 19:45

    e concordando que essa vitalina é uma cavalgadura do mais corrupto que há!

    Gostar

  40. PMP permalink
    21 Março, 2012 19:47

    Vai ser engraçado ver o PPC e o Gaspar dizerem que afinal sem crescimento económico a austeridade não resolve o problema da divida pública !
    .
    O R.Unido já anunciou a baixa do IRC de 26% para 22% , aqui a malta mantem o IRC nos 27,5% + 10% = 30% !!
    Como se as nossas empresas fossem mais competitivas que as do R.U. .
    .
    Enfim, Neotontices .

    Gostar

  41. Portela Menos 1 permalink
    21 Março, 2012 19:48

    O SÁTIRO, Posted 21 Março, 2012 at 17:21
    .
    sátiro, faz um favor ao pessoal e pede asilo político em Santa Comba Dão.

    Gostar

  42. simil permalink
    21 Março, 2012 19:54

    LR
    “Quem é que obrigou o Estado a injectar esses milhares de milhões? Podia tê-lo deixado falir…”

    Ai, quem o ouve até se leva a pensar que é ingénuo, do que não tem nada, como se não soubesse de conhecimento certo que isso se deveu a interesse próprio dos negociantes como da pandilla amiga, que tinham lá dinheiro a render ao máximo de uma escandaleira, depósitos certos que, em se dando o berro clamaram, aqui d’el Rei, estamos f…, bons cidadãos, uns pobres que têm ali as suas poupanças e vai, de um golpe, ficamos sem nada, não pode ser, num estado de direito, e o governo tem de ajudar, de nos salvar-nos, por obrigação, pobres inocentes, e diz-lhe o sókras e um teixeira, calma lá, amigos, que não estão sós, nós somos uns bandidos,igualmente, temos lá contas a haver, que era a render e ninguém vai perder, vocês vãover que o povo é que paga tudo.
    E assim, numa à de máfia, em que o desgraçado é que se lixa, enquanto os padrinhos ditam a moral da famiglia, que primeiro é os ladrões e só despois os pobres, que nada tinham a ver para o assunto .

    Gostar

  43. simil permalink
    21 Março, 2012 20:06

    PMP
    “Vai ser engraçado ver o PPC e o Gaspar dizerem que afinal sem crescimento económico a austeridade não resolve o problema da divida pública !”

    Vai ser engraçado, é, mas também quem os avisou, quem é que a tempo clamou que podia e certo havia de acontecer tal coisa?
    Os Comunistas?, mas esses contam?, e mais do BE?, será que contam?
    O povo não vai neles, vota nos mesmos que o roubam, sempre, e é porque lá há-de dar certo, ainda que entretanto muitos se lixem.
    Mas a consciência, incultura, o medo, como a ignorância, há muito lhes disse, desde os púlpitos e os comícios, deus quer bem aos ricos, ou não lhes dava sorte, ó meu poviléu ignorante…
    E nada demove a tristeza, o atraso, se assim haverá de ser sempre.
    À vontade o digo, que para mim o tenho, sem falta, certo, quanto baste, porém condoo-me do povo triste, apesar de tudo, que assim cumpre a sua sorte, à cautela, o ignorante .

    Gostar

  44. Pedro M permalink
    21 Março, 2012 20:15

    Tudo a falar de neotontices e liberalismos para cá e para lá, como se estivessemos a ser governados por politicas neoliberais…
    Continuamos com socialismo puro e duro e cada vez pior, essa é que é essa.
    Liberalismo económico, nickles, nem vê-lo.

    Gostar

  45. Pedro M permalink
    21 Março, 2012 20:22

    A diferença é que antes o socialismo nacionalizava empresas e limitava o indivíduo ao emprego sob domínio estatal, agora o socialismo “moderno” (este que nos governa e tem vindo a governar) “nacionaliza” por via fiscal os rendimentos das empresas e dos indivíduos, no final vai dar ao mesmo.

    Gostar

  46. anti-comuna permalink
    21 Março, 2012 21:27

    PMP, olhe, para Vc. estudar:
    .
    http://www.ons.gov.uk/ons/dcp171778_260727.pdf
    .
    .
    Cof! Cof!
    .
    .
    E Vc. esqueceu-se que vão ser os pensionistas que vão pagar mais impostos, não é? Ou só vê aquilo que lhe interessa? ehehehheh

    Gostar

  47. Hawk permalink
    21 Março, 2012 21:47

    Julgo que é claro como água: se não há crescimento económico, se a produtividade regride, onde é que há matéria colectável para cobrar impostos? Só inventando dinheiro n0s computadores dos bancos (já nem é precisa uma rotativa para imprimir notas…). O cómico disto tudo é que se o Governo impõe a austeridade esta também acaba por lhe bater à porta sob a forma de diminuição da receita fiscal. Estou certo ou estou errado?

    Gostar

  48. Hawk permalink
    21 Março, 2012 21:51

    Ó Anti-C, já está de volta? Então diga lá se todos esses casos de sucesso que por aí descobre têm massa crítica suficiente para influenciar a nossa balança de pagamentos. Parece-me que são apenas uma gota de água no oceano.

    Gostar

  49. anti-comuna permalink
    21 Março, 2012 23:13

    “Ó Anti-C, já está de volta? Então diga lá se todos esses casos de sucesso que por aí descobre têm massa crítica suficiente para influenciar a nossa balança de pagamentos. ”
    .
    .
    Analise os números e diga-me se não irá acontecer. Sabe quanto foi o défice comercial sobre o PIB em 2011? 3,9%. Mais um esforço…
    .
    .
    ” se não há crescimento económico, se a produtividade regride, onde é que há matéria colectável para cobrar impostos?”
    .
    .
    Vc. está a misturar tudo. A produtividade pode subir em recessões (quase sempre o faz ou acelera) e baixa ou pode cair mesmo em… Crescimento económico.
    .
    .
    A matérias colectável depende mais da procura interna que do crescimento económico. Embora dependa indirectamente das exportações, claro.
    .
    .
    Vc. está um bocado confuso… 😉

    Gostar

  50. politologo permalink
    21 Março, 2012 23:32

    PMP
    Ainda acredita nesta (virtual) DEMOCRACIA ??? Ah! Ah! Ah!
    Sobretudo , por e com esta triste Justiça , não estou nada preocupado com o que os outros andaram danosamente a fazer …estou sim é muito preocupado com o que este tão incompetente governo anda a (não) fazer …Há já muito tempo que este incompetente governo (que este Povo o merece porque o elegeu…) anda a apanhar bonés quando nunca tiveram cabeça !… Quando muito , cabeças de ovo … Há já pelo menos 34 anos que os tugas atestam o seu paranalfabetismo.E é óbvio que padecem de iliteracia numerica , economico-financeira e social, tal como o governo …Em Portugal , governar é sinónimo de vender . O governo também não sabe português !…Qual o verdadeiro significado de governar ?Mas para alem das habituais aldrabices contabilisticas e da dolosa propaganda politica de que este post faz eco , gostaria de conhecer uma lista personalizada destes corajosos investidores … Privados ? Reformados ? Têm alguma garantia ?
    P.S.
    Oculos habent et non videbunt (ou pelo andar da carruagem logo se vê quem lá vai dentro)
    Como estes respeitáveis ignorantes podem acreditar também neste governo (irra , ao fim de 34 anos ainda não aprenderam!…) , governo que ao fim destes meses ainda desconhece qual o montante da divida das autarquias !!! (já não falo do resto…)
    O tuga comporta-se como um conjuge traido. Volta para o lado a cabeça apesar de pesada ou bate em quem o avisa !!!…

    Gostar

  51. 22 Março, 2012 10:06

    A do «Xiça» está fenomenal ! Até aprecio o Paulo Morais: diz umas verdades, quando fala sobre o que sabe …

    Gostar

  52. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 10:22

    Anti-Comuna,
    .
    Tem de explicar ao Hawk o que é a produtividade e os diversos métodos de a calcular. Essa palavra foi de tal fação abusada que ninguém sabe exactamente o que ela significa. Tem que desambiguá-la de «produção», pois os néscios confundem uma com outra.

    Gostar

  53. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 10:53

    O Hawk que procure, que ele descobrirá o que é a produtividade. ehehhheh
    .
    .
    O PMP, que tanto glorifica a Inglaterra, não comentou os números publicados sobre o colapso fiscal inglês. (E, se compararmos os impostos sobre as empresas em Inglaterra com Portugal, descobriremos que Portugal não tem assim a caraga fiscal tão má, em comparação com eles.)
    .
    .
    O PMP, que tanto glorifica os ingleses, também não comentou o aumento da carga fiscal sobre os pensionistas, embora já elogie a baixa na carga fiscal sobre os… Ricos!
    .
    .
    O PMP ainda está a tempo de comentar também esta noticia:
    .
    .
    “Budget 2012: Why 400,000 parents will pay higher marginal tax rates than millionaires”
    .
    in http://blogs.telegraph.co.uk/finance/ianmcowie/100015821/budget-2012-why-400000-parents-will-pay-higher-marginal-tax-rates-than-millionaires/
    .
    .
    O PMP muito elogia os erros alheios. No entanto…

    Gostar

  54. Hawk permalink
    22 Março, 2012 10:54

    Pois andarei confuso, Anti-C, mas há coisas que derivam do mais elementar bom senso. Não é necessário ser economista para perceber que os recursos disponíveis (saldos das balanças/ superávits orçamentais) não chegam para criar um serviço de dívida sustentável, a menos que se opte por uma reestruturação, mas isso é outra conversa. Vc. lá vai descobrindo casos de sucesso por esse país fora, que até são interessantes, mas a sua dimensão é ínfima face às necessidades existentes. Quanto à colecta fiscal, creio que em princípio representa sempre uma parcela do PIB. Seria absurdo – e certamente explosivo – que o Estado pretendesse arrecadar mais do que o PIB, talvez através de trabalho forçado (houve em tempos impostos que se pagavam com o trabalho de cada um) ou confisco geral das poupanças e dos patrimónios, o que, aliás, nem levaria muito longe. A minha ideia é apenas a de que existe um limite para a cobrança de impostos, tal como há para o endividamento (falam para aí de uma tal “equivalência ricardiana”…). Mesmo solvendo de uma vez por todas os inúmeros casos de fraude fiscal deste país, o próprio Estado também tem que estar preparado para um fenómeno “austeridade” nas suas receitas. Por outras palavras, se o país começar a produzir menos, onde vai o estado sacar o dinheiro de que precisa? Orçamentando receitas fictícias?

    Gostar

  55. 22 Março, 2012 11:17

    “Por outras palavras, se o país começar a produzir menos, onde vai o estado sacar o dinheiro de que precisa? Orçamentando receitas fictícias?”
    .
    Simplesmente reduzindo as despesas como estão a fazer os particulares.

    Gostar

  56. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 11:34

    ” mas há coisas que derivam do mais elementar bom senso. Não é necessário ser economista para perceber que os recursos disponíveis (saldos das balanças/ superávits orçamentais) não chegam para criar um serviço de dívida sustentável, a menos que se opte por uma reestruturação, mas isso é outra conversa.”
    .
    .
    Vc. consegue a proeza de se contradizer aqui, apesar de, nas suas sábias palavras, ser necessário bom senso. Bom senso esse, que o LR lhe mostrou logo, sem ser preciso ir a Coimbra:
    .
    “Simplesmente reduzindo as despesas como estão a fazer os particulares”
    .
    .
    Vc. é mesmo um génio. Há gente assim talhada para o paleio, com “bom senso” mas que continuam a martelar as mesmas asneiras, todos os dias, a todas as horas, blá, blá. Ás tantas fez-me lembrar os gajos fanáticos religiosos, sempre a negar que a Terra gira à volta do Sol.
    .
    .
    Então se Portugal, em apenas 1 ano de austeridade a sério, baixa as necessidades de financiamento externo para metdae, e Vc. vem para aqui menosprezar esta realidade? Se Vc. fosse sério, em vez de querer menosprezar estes números, aceitava-os e estudava-os. Mas, não! A sua cegueira ideológica, crendice religiosa ou mesmoi idiotice, não consegue admitir que o que Portugal está a fazer é deveras meritório e com resultados bem visiveis. Só os néscios querem negar as evidências.
    .
    .
    E Vc. quer falar em bom senso. tenha lá paciência. Seja honesto intelectualmente e não venha aqui com crendices. Eu, crendices deito-as foras. Só me interessam factos, para depois tentar encontrar teorias. E não esconder factos, como Vc. o tenta fazer, para se ajustar ás suas teorias. Isso é desonestidade intelectual, caro Hawk. Eu preferiria que me chamasse filho da puta que em vez de me querer encharcar com paleio desonesto.
    .
    .
    Mas, olhe, abraço e amigos como sempre.

    Gostar

  57. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 11:39

    Estes ao menos dão o braço a torcer, ao contrário de muitos, agarrados às suas crenças, como lapas ás rochas do mar. ehehehh
    .
    .
    “S&P: Portugal tem “boas hipóteses” de evitar reestruturação da dívida
    .
    Um dos principais analistas da agência de “rating”, Moritz Kraemer, disse em Frankfurt que “a capacidade de aplicar reformas em Portugal é muito melhor do que na Grécia, pelo que há boas hipóteses” de superar a crise sem reestruturar a dívida.”
    .
    in http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=546195
    .
    .
    Pois é. O gajo descobriu que Portugal não é a Grécia. Se ele tivesse tido bom senso há mais tempo, já o teria compreendido. Bom senso, essa coisa maravilhosa que explica tudo e não explica nada. 😉

    Gostar

  58. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 11:46

    Caro LR, olhe aqui esta noticia. E compare com o que foi divulgado no Brasil, em relação ás exportações de Portugal. (Gasolina. 😉 ) As triangulações dos fluxos comerciais podem estar a baralhar isto tudo, mas acho que na realidade, a Galp está a vender refinados aos gajos. ehheehe
    .
    .
    “RIO – A explosão na demanda por gasolina, etanol e diesel nos últimos dois anos alterou o planejamento de refino da Petrobrás. No primeiro bimestre de 2012, a demanda por gasolina aumentou 32% sobre o mesmo período do ano passado, segundo dados da área de Abastecimento da estatal.”
    .
    in http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,petrobras-e-forcada-a-mudar-plano-de-refinarias,106909,0.htm
    .
    .
    Mas a parte mesmo interessante é esta:
    .
    .
    “As quatro novas refinarias que devem começar a operar a partir de 2013 – em Pernambuco, Maranhão, Ceará e Rio – não preveem nem um litro sequer de gasolina: 75% da produção serão de diesel e o restante de combustíveis como querosene de aviação, gás liquefeito de petróleo e nafta.
    .
    Além de ampliar a capacidade de produção de diesel nos novos projetos, a Petrobrás vai alterar a proporção de processamento de produtos nas refinarias atuais para elevar a oferta de gasolina. Também está empenhada em aumentar sua participação no setor de etanol.”
    .
    .
    É claro que os problemas com a produção de etanol veio agravar a procura de gasolina. E isso está a gerar forte falta de gasolina no mercado brasileiro, que terá de importar para colmatar a queda no uso do etanol e respectivo aumento do consumo de gasolina. 😉
    .
    .
    E olhe que o caso brasileiro não é o único. E Portugal…

    Gostar

  59. PMP permalink
    22 Março, 2012 11:56

    AC,
    .
    O governo do R.U. é bastante Neotonto, por isso não posso apoiá-lo , não entendem nada de macroeconomia, é uma confusão naquelas cabeças !!
    Querem que a economia cresça gritando austeridade , o cumulo do neotontismo !
    .
    Mas mesmo sendo um governo Neotonto lá foi reduzindo os impostos sobre as empresas, mas fez mal em aumentar os impostos sobre a classe média.
    .
    Sobre a divida publica do R.U., não se preocupe porque eles ainda não têm falta de libras, têm um computador cheiinho delas.

    Gostar

  60. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 11:56

    Mais “bom senso”?
    .
    .
    “Conferência da Bloomberg vê reestruturação de dívida como improvável”
    .
    in http://economico.sapo.pt/noticias/conferencia-da-bloomberg-ve-reestruturacao-de-divida-como-improvavel_140920.html
    .
    .
    Algumas pérolas:
    .
    “Erik F.Nielsen, do UniCredit, também considerou que Portugal não terá de, como a Grécia, pedir um perdão aos credores a parte da dívida púlbica. Num tom optimista, o economista considerou que “a crise está resolvida para o próximos dois anos” e que a Grécia se tornou “irrelevante”.”
    .
    .
    E esta tem importância, porque, mesmo que Portugal não consiga ir aos mercados, a troika continuará a financiar Portugal e até com juros bonificados, por esta razão:
    .
    “No mesmo evento, Holger Schmieding, economista chefe do Berenberg Bank, em Londres, argumentou que reestruturar a dívida portuguesa é “o pior erro” que a Europa pode cometer, porque ficaria muito difícil explicar aos credores que o mesmo não aconteceria com a Itália.”
    .
    .
    O bom senso dá para tudo. Dá para tentar esconder a realidade dos números e tentar vender crendices. Ou dá para analisar os números, as condições que tornam uma dívida sustentável ou não, e daí tirar ilações. Enfim, dá para tudo. Até para jogar ténis, futebol, subir montes e até nadar, se for preciso. ehehhehehh

    Gostar

  61. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 12:00

    “Sobre a divida publica do R.U., não se preocupe porque eles ainda não têm falta de libras, têm um computador cheiinho delas.”
    .
    .
    O Zimbabwe também tinha, mas parece que não chegou, caro PMP.
    .
    .
    Mas concordo consigo numa coisa. Os gajos não podem querer crescimento económico ao mesmo tempo que aplicam algumas medidas de austeridade. E é um erro, porque, nem resolvem uma coisa nem outra. Nem corrigem os desequilíbrios estruturais nem conseguem o tão almejado crescimento.
    .
    .
    O problema, PMP; é quando o BoE não conseguir evitar a fuga aos activos em libras… Olhe bem para os números e reflicta. Porque, um dia, oxalá que não, acontece-lhes como no Zimbabwe, Republica de Weimar, etc.

    Gostar

  62. aremandus permalink
    22 Março, 2012 12:02

    Um bom exemplo é a venda de tabaco. A par de uma redução cada vez maior nas vendas de tabaco, tem-se verificado, em Portugal, um aumento acentuado da contrafação e comercialização ilegal de cigarros.
    Gostava de ver os números das receitas fiscais sobre o tabaco.

    Gostar

  63. PMP permalink
    22 Março, 2012 12:11

    AC,
    O mercado acredita na libra, ou seja milhões de pessoas e empresas, fundos, especuladores, bancos centrais ,etc.
    .
    O deficit corrente do R.U. está estável, a inflação também, os juros em minimos historicos.
    Tudo normal , menos o governo que está confuso com as suas neotontices .
    .
    Bacoquices de Zimbawes é atirar poeira para o ar, quando não há argumentos.
    .

    Gostar

  64. PMP permalink
    22 Março, 2012 12:23

    PORTUGUESE GOVERNMENT BONDS 5YR NOTE PORTUGAL PL Add to Portfolio
    GSPT5YR:IND 15.53500 0.04500 0.29%
    http://www.bloomberg.com/quote/GSPT5YR:IND
    .
    Mercados não acreditam no Gaspar nem no PPC !

    Gostar

  65. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 12:56

    PMP,
    .
    A prazo de cinco anos, os mercados não acreditam nos próximos governantes de Portugal. Um putativo regresso de José Sócrates ou a promoção de um dos seus apaniguados (e não acredite nem por um momento que os investidores não lêem a nossa imprensa) é coisa que os deixa de cabelos eriçados.
    .
    Prova: os juros nas maturidades pequenas estão a descer que se fartam. Basta que haja possibilidade de eleições antecipadas e vai vê-los de novo ao tecto. Um investidor estará disposto a investir enquanto o Gaspar e o Pedro Passos Coelho dirigirem as finanças do país, e é isso que infiro da descida de juros no curto prazo.

    Gostar

  66. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 12:59

    Gonçalo,
    .
    A palavra austeridade não existe em Portugal. Quando muito existe carestia. Uma pessoa austera é uma pessoa que vive com pouco. Do modo que a despesa tem aumentado, temos continuado a viver com muito, tornando a vida mais cara aos que financiam o Estado (os que contribuem à força).
    .
    Acabem lá com o uso de austeridade, que austeros estes governos portugueses não são nem nunca foram.

    Gostar

  67. PMP permalink
    22 Março, 2012 13:04

    Francisco Colaço,
    .
    A dois anos estão nos 11% !!
    Os mercados querem é crescimento, qualquer analista sabe disso .
    Até o FMI diz isso.
    O PPC e o Gaspar seguem a cartilha Neotonta sem pestanejar nem raciocinar.
    Depois de um PS irresponsável um PSD incompetente.
    Irra é demais !
    .
    From Morgan Stanley
    Note the talk of a PSI (bond tax):

    5. Portugal: Portugal’s five-year bonds are trading at ~16%, right around the level where Greek bonds traded last April when Eurozone officials began to turn their attention to forcing losses on private sector creditors. The key area of concern in the market is a €9.7B bond maturing in September 2013 that is not covered by the country’s €78B bailout. Portugal needs ~€25B-€30B to fund itself through 2015. Portuguese officials hope that a pickup in market confidence will allow it to return to the bond market in time to refinance the 2013 bond. The Portuguese funding concerns have been widely discussed in the press. While there has been speculation that the country could be next in line for a debt restructuring, this outcome has been disputed by both Portuguese and troika officials.

    Gostar

  68. PMP permalink
    22 Março, 2012 13:08

    From GLOBAL ECONOMY 10:14am
    Weak eurozone data point to recession

    German manufacturing activity contracts
    FT Alphaville Technical eurozone recession? Interactive PMI tracker ECB chief says recovery is in states’ hands German industrial orders fall sharply No quick fix from cheap loans warns ECB

    Gostar

  69. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 13:10

    Anti-Comuna,
    .
    O crescimento em Portugal terá de ser conseguido à conta das exportações e da diminuição das importações. Ficarei todo feliz se as exportações crescerem 15% (um ponto mais que os 14% que aventei) e as importações descerem 5%. Estes 5% das importações representarão menos consumo desnecessário por um lado, mas também mais trabalho português feito para os portugueses por portugueses. O paradigma de substituição de importações por trabalho local.
    .
    Ora, meu caro Anti-Comuna, talvez convenha abrir um parágrafo ou dois para empresas portuguesas que não exportam mas que substituem importações. Pequenas empresas, daquelas que raramente chegam às parangonas dos jornais e conseguem visitas televisionadas de ministros. Esses são os verdadeiros heróis da economia portuguesa. Sectores como produção de flores, outrora residuais, hoje já exportam euro por euro mais do que o sector do vinho.
    .
    Quando diz que em austeridade não se pode crescer nega o poder de o português morder a bala, trabalhar e crescer. E os exemplos não faltam de pessoas que acham forças para nadar contra a corrente. Os impostos estão no máximo, acima do limite de sustentabilidade, o que é neste momento inevitável. Isso, veja se não concorda comigo, deve-se ao Partido Socialista e aos seus apaniguados.
    .
    Se estamos a sofrer agora é porque os nossos credores nos disseram: estamos fartos de vos deixar 20 euros na mesinha de cabeceira todos os dias para o tabaco. Vão trabalhar e já agora devolvam o que vos foi emprestado.

    Gostar

  70. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 13:20

    PMP,
    .
    Está a ver que me dá razão? 11% em dois anos significa que se teme ou eleições antecipadas ou derivas despesistas de ano eleitoral.
    .
    A economia está em ajustamento. Dera por bem que não houvesse carestia, mas reconheço que no momento é inevitável. Gostaria é que o Estado começasse a amputar as suas gangrenas. Pela produtividade do mediano funcionário público desfuncional, o Estado estaria melhor e faria melhor com metade. Mas tire 30% e os custos directos pagarão metade do défice. Tire os custos indirectos associados aos despedidos (manutenção de edifícios e equipamentos, por exemplo) e tenho a certeza de que os juros deste ano poderão ser pagos.
    .
    Pode perguntar: «e o que será das famílias dos funcionários despedidos?». Contraponho: «e o que será das famílias dos contribuintes espoliados?» Para manter um funcionário inútil, dez contribuintes da classe média têm que sofrer aumentos e aumentos de impostos. E mais valem dez contribuintes que um funcionário, assumindo valores iguais da vida humana.

    Gostar

  71. Xiça permalink
    22 Março, 2012 14:05

    A apresentação de Gaspar nos EUA
    http://pt.scribd.com/doc/86242515/Portugal-Restoring-credibility-and-confidence-Vitor-Gaspar
    Certamente algum ou muito wishful thinking, mas é um documento interessante

    Gostar

  72. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 14:06

    “Os mercados querem é crescimento, qualquer analista sabe disso .”
    .
    .
    Os mesmos que emprestaram a Portugal e à Grécia a taxas de juro ridículas. Certo?
    .
    .
    “O mercado acredita na libra, ou seja milhões de pessoas e empresas, fundos, especuladores, bancos centrais ,etc.”
    .
    .
    Sim, os mesmos que acreditaram e compraram dívida grega e portuguesa, antes do estoiro? Certo?
    .
    .
    “Bacoquices de Zimbawes é atirar poeira para o ar, quando não há argumentos.”
    .
    .
    Poeira, para o ar? Mas quantos países quer, para lhe mostrar a mesma coisa? Que quando o Estado depende dos bancos centrais, tarde ou cedo, sofrerão os seus efeitos?
    .
    .
    A única resposta que Vc dá. é sempre a mesma de sempre: vivemos numa “nova política monetária”. Que só mei dúzia de tolinhos acreditam e nem Vc. a compreende. (Como aqui há tempos ficou evidente.)
    .
    .
    Essa sua estranha obsessão pelos mercados, acreditando piamente neles, é a mesta estupidez dos tais neotonots, crentes que os mercados têm sempre razão.
    .
    .
    O que é inegável, é que o RU não tem crescimento nenhum e aí já Vc. não pia fininho. Pior, além de eles não fazerem reformas a sério, andam nas meias tintas. E isso é o pior, que poderá acontecer, aos próprios ingleses. Nem crescem (e depois sofrem os efeitos da falta de crescimento, como o desemprego nos máximos dos últimos 17 anos) nem criam condições para um futuro crescimento.
    .
    .
    Agora, antes de chamar bacoquices ao caso do Zimbabwe, estude mais um bocadinho, que já deu para ver, que Vc. estuda mal e lê demasiados blogues. 😉

    Gostar

  73. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 14:11

    Ah! E já agora, estude também mesmo isto, que pode ser que comece a abrir os olhos.
    .
    http://web.up.ac.za/UserFiles/WP_2007_10.pdf
    .
    .
    E o seu argumento que aquilo foi culpa das nacionalizações vai dar ao mesmo, mas como Vc. lê blogues e não percebe o ponto de alguns, Vc. pensa que isso nunca aconteceria na Inglaterra. O que revela duas coisas. Nem Vc. tem consciência do que é mesmo a economia inglesa (e da sua fragilidade em caso de uma queda persistente da sua moeda) e nem das semelhanças que tem com o tal… Zimbabwe.
    .
    .
    Vá, toca a pensar mais nos problemas e a regurgitar teoria, que nem sequer compreende. 😉

    Gostar

  74. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 14:28

    O mundo anglo-saxónico elogia tanto a Irlanda para atacar Portugal, no entanto…
    .
    .
    “Economia da Irlanda entrou em recessão no quarto trimestre de 2011
    .
    A economia irlandesa entrou em recessão no último trimestre de 2011, penalizada pela diminuição das exportações e dos gastos do Estado.”
    .
    in http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=546271
    .
    .
    A Irlanda não entrou em recessão no quarto trimestre, mas antes. O último trimestre só veio confirmar o buraco deles, tão elogiado por muitos, incluindo por calimeros em Portugal. Oxalá que não, mas penso que o problema deles é ainda mais grave que os gregos. E não parece. Mas posso estar bem enganado e oxalá que sim. No entanto…
    .
    .
    PM Pode o PMP explicar cá ao anti-comuna, porquê que os mercados acreditam mais na Irlanda do que em Portugal? Ou é muita areia para a sua camioneta? 😉 Se eles querem crescimento, porquê este elevado diferencial entre as yields irlandesas e as portuguesas, se a economia irlandesa está a ir para o buraco?

    Gostar

  75. PMP permalink
    22 Março, 2012 14:40

    AC,
    .
    A médio e longo prazo os mercados financeiros normalmente têm razão., principalmente quando estamos a falar de grandes montantes, como é caso dos mercados do R.U.
    .
    No Caso do R.U. a libra está estável face ao dolar e ao euro, a inflação é moderada apesar da estupidez do aumento do IVA por duas vezes, o desemprego está abaixo de média da U.E., os juros estão muito baixos.
    .
    Conclusão : A economia do R.U. está estabilizada apesar das asneiras do governo Neotonto e o mercado entende que o deficit publico é necessário face á retração do investimento privado.
    Mas o governo Neotonto não entende nada do que se passa e toma medidas contraditórias.
    .
    Sobre a Irlanda , tem o PIB estabilizado, tal como a média da U.E..
    Portugal tem o PIB a decrescer, essa é a diferença !!!!!!!!
    Os mercados têm medo do PIB a decrescer, qualquer analista decente sabe disso.
    .
    Repare que até 2010 parecia que não ter moeda própria não tinha importância, daí os mercados terem juros baixos para a Grécia e a Irlanda.
    Na verdade só uma meia duzia de economistas tinha escrito que o Euro era uma asneira da grossa antes de 2010.

    Gostar

  76. PMP permalink
    22 Março, 2012 14:48

    Francisco Colaço,
    .
    Juros de 11% a 2 anos e 15% a 5 anos significam que os mercados não acreditam na lengalenga do Gaspar / Passos, com o PIB a decrescer !
    .
    Os mercados querem é crescimento , até o FMI diz isso.
    .
    Só um choque fiscal com um corte np IRC e TSU no sector dos transacionáveis poderia ter tido algum impacto em Julho / Agosto., antes que o investimento e o consumo privado caisse a pique .
    .
    Agora vai ser necessário um choque fiscal ainda maior.
    É pura incompetência o que o Gaspar /Passos andam a fazer.
    Sem falar no peso morto do Alvaro e da Cristas.

    Gostar

  77. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 14:49

    “Conclusão : A economia do R.U. está estabilizada apesar das asneiras do governo Neotonto e o mercado entende que o deficit publico é necessário face á retração do investimento privado.
    Mas o governo Neotonto não entende nada do que se passa e toma medidas contraditórias.”
    .
    .
    Ah! Está estável. Por isso, mal os efeitos inflacionistas deixaram de ajudar a cobrar impostos, o défice disparou. Está estável, não é? Vc. escreve cada coisa…
    .
    .
    “Sobre a Irlanda , tem o PIB estabilizado, tal como a média da U.E..”
    .
    .
    Desculpe a pergunta. Vc. diz estas coisas, sem estudar os assuntos, ou está mesmo a querer que eu lhe leve a sério? Vá, toca a ler os indicadores económicos divulgados hoje e venha cá com a estabilidade irlandesa. Só se for estabilidade na sua cabeça, não?
    .
    .
    A sério. Não me venha com paleio desse que é contrariado pelos indicadores. Eu acho que Vc. é como aqueles crentes, que preferem uma boa teoria à realidade dos factos.
    .
    .
    “A médio e longo prazo os mercados financeiros normalmente têm razão., principalmente quando estamos a falar de grandes montantes, como é caso dos mercados do R.U.”
    .
    .
    Exacto, exacto. Só falham para os pequenos, não é? Vc. e a sua tentativa de virar o bico ao prego, só me dá para rir.
    .
    .
    Então fie-se muito nos mercados e não analise bem os problemas, e depois fique surpreendido. Vc. ainda acha mesmo que os mercados têm sempre razão para os grandes e para o médio-longo prazo? lololololol
    .
    .
    Já agora, medite nisto. Os mercados quando decidem mudar de ideias são crueis. tanto num dia parece estarem a acreditar num dado activo, como de um momento para o outro, fogem dele como o diabo da cruz. Medite neste padrão corrente, no funcionamento dos mercados. O que eles hoje acreditam, amanhã poderão fugir a sete pés. Portanto, se um dia eles decidem deixar de acreditar na libra, Vc. vai ver com quantos paus se faz a canoa britânica. 😉

    Gostar

  78. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 14:54

    Anti-Comuna,
    .
    Fingindo que não sou economista, mas engenheiro da lata e do óleo, dava-me jeito que me pudesse elucidar uns pontos da apresentação do Vítor Gaspar que foi aqui referida pelo Xiça (obrigado, Xiça!)
    .
    1) A dívida chamada «government debt» é dada como 160% do GDP actualmente, prospectivamente caindo até 120% em 2020. Pode-me confirmar estes números? E já agora, em que consiste esta dívida? (diapositivo 19)
    .
    2) No seguinte diapositivo (o 20), é dado outra vez o número conhecido de 107% do GDP. Finja por favor que isto me está a confundir de sobremaneira, e que me arrisco a ter de rearmar o disjuntor. Pode-me explicar a diferença entre estes dois diapositivos?
    .
    Agradeço de antemão.

    Gostar

  79. PMP permalink
    22 Março, 2012 14:55

    Se cá nevasse fazia-se cá ski !!
    .
    Como dizia o famoso presidente progressista americano Reagan : deficits don’t matter (claro que para isso precisa de ter o computador certo)!
    Deixe lá os deficits do R.U. , ninguem liga a isso !!
    Divida Publica é um activo do sector privado , ou não ?
    .
    The IMF is aghast at what is happening, even though its civil servants can only express their views in couched terms, as chief economist Olivier Blanchard did recently:
    “Decreasing debt is a marathon, not a sprint. Going too fast will kill growth. What is happening in Europe is making things worse … leading to a dangerous downward spiral.”
    The IMF now expects Italy’s economy to contract by 2.2pc of GDP this year, and to keep contracting into 2013. This alone will push public debt to 127pc of GDP. The contraction itself is driving the debt burden higher.

    Gostar

  80. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 14:55

    “Juros de 11% a 2 anos e 15% a 5 anos significam que os mercados não acreditam na lengalenga do Gaspar / Passos, com o PIB a decrescer !”
    .
    .
    E o PIB iralndês está a crescer? Ou Vc. acredita mesmo no que escreve? Seja um bocado esperto, pelo menos uma vez. Acha mesmo que a economia irlandesa está a crescer? Ou sequer estável?
    .
    .
    “Os mercados querem é crescimento , até o FMI diz isso.”
    .
    .
    Agora e de curto prazo. Um país não pode pensar em crescer nos próximos trimestres sacrificando o crescimento futuro. Ou ainda não percebeu a natureza dos mercados?
    .
    .
    “Agora vai ser necessário um choque fiscal ainda maior.
    É pura incompetência o que o Gaspar /Passos andam a fazer.”
    .
    .
    Vc. é mesmo nabo. Então nâo vê que as receitas fiscais, apesar do que se diz por aí, estão acima do que o próprio governo previa? Bolas, Vc. precisa mesmo toda papinha toda feita. Olhe, deve ser por isso que os yields a 10 anos estão em queda. Claro, que o LR destacou estes factos, mas Vc. fecha os olhos aos factos e lá vem com teorias malucas.
    .
    .
    Vou repetir isto, para Vc. analisar: as receitas fiscais estão acima do previsto pelo governo e até poderão melhorar ainda mais, caso se confirme a inversão ou estabilização na procura interna.
    .
    .
    Se quiser discutir factos e números, conte comigo. Com crendices suas baseadas em paleio e não em factos, é que não conte comigo. Essa de dizer que a economia irlandesa está estável, só mesmo vindo de si. lolololol
    .
    .
    Olhe, não quer antes discutir bola? Viu o Porto a perder contra o Benfica? Pois é. É a bola que é redonda, é a bola que é redonda. eheheheheheh

    Gostar

  81. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 14:59

    PMP,
    .
    Juros de 11% a 2 anos e 15% a 5 anos significam que os mercados não acreditam na lengalenga do Gaspar / Passos, com o PIB a decrescer !
    .
    Lá está o PMP a voltar ao mesmo. Com juros de 4% a 1 ano e 11% a 2 anos, isso significa que não acreditam é no senhor que se seguirá. Vão acreditando neste governo e neste programa de resgate, mas nem querem saber 1) de eleições antecipadas e 2) de idiotices como o Sócrates ou um dos seus ex-ministros ou cleptocracia associada voltar ao poder.

    Gostar

  82. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 15:01

    “A dívida chamada «government debt» é dada como 160% do GDP actualmente, prospectivamente caindo até 120% em 2020. Pode-me confirmar estes números? E já agora, em que consiste esta dívida? (diapositivo 19)”
    .
    .
    Aqueles valores são de antes do haircut. E são da Grécia, note bem. 😉 E já responde a isto:
    .
    “Pode-me explicar a diferença entre estes dois diapositivos?”
    .
    .
    Portanto, aqueels 160% da Grécia de antes do haircut. Os valores portugueses estão correctos e estão dentro daquilo que temos como adquirido. Nada de especial.
    .
    .
    O Gaspar apenas mostrou que a dívida tuga é sustentável. Tal como eu venho defendendo, por aqui e poucos chegam lá, porque lêm demasiados blogues e se eles escrevem merda, esta gente acredita nessa merda. 😉 E desculpe-me a linguagem, mas é mesmo assim. Não basta ler algumas coisas, é preciso que esta gente saiba o que está a ler, senão, são enganados.

    Gostar

  83. PMP permalink
    22 Março, 2012 15:07

    AC,
    .
    A economia irlandesa cresceu 0,7% em 2011 face ao ano anterior, e as previsões são de o,5% para 2012.
    .
    Portugal decresceu 1,7% e as previsões são de -3,5% para 2012.
    .
    Os mercados penalizam Portugal face à Irlanda porque está a descrecer o PIB !!!!
    .
    Francisco Colaço,
    .
    Os juros a 5 e 10 anos estão na faixa dos 14 a 15% há muitos meses, o mercado não acredita nas lengalengas do Gaspar / Socrates, porque não há crescimento do PIB .

    Gostar

  84. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 15:09

    PMP,
    .
    Se o PIB decresce é porque financiámos o crescimento do PIB com dívida, da qual agora temos de pagar juros. A família portuguesa contribuinte (o sector privado, o que financia o Estado) trabalhou até ao meio de Janeiro para que o Estado pague os juros ao exterior neste ano. Só depois é que começamos a trabalhar para os restantes impostos e, lá para Junho, começaremos a trabalhar para nós, para fazer face às nossas necessidades.
    .
    O Estado deve regular a economia? Não, deve regular a veracidade das transacções. O Estado deve meter o bedelho só quando se cometerem manifestos danos contra a sociedade e o seu futuro (por exemplo, atentar contra a qualidade da água de um rio ou se fizer publicidade enganosa). De resto deve deixar a economia actuar por si, mantendo um olho de águia sobre as transacções do país.
    .
    Pedir ao Estado que se endivide mais para, em investimentos não produtivos, aumentar artificialmente o PIB é uma estultícia de todo o tamanho. Primeiro, o que serviu para o investimento é literalmente comido; depois teremos de devolver esse dinheiro acrescido de juros que são subtraídos às famílias dos contribuintes; finalmente, normalmente ficamos com um bebé nos braços, ao qual é necessário gastar rios de dinheiro anualmente em manutenção e conservação.
    .
    Se pensar como eu é ser neotonto, quero lembrar-lhe que não foram os neotontos que nos levaram pelos ombros em festa e aclamação à sofreguidão e à penúria. Foram os socialistas keynesianos, com as suas práticas de abrir buracos sem saber bem quem os tapa e quem os paga.

    Gostar

  85. Francisco Colaço permalink
    22 Março, 2012 15:12

    Anti-Comuna,
    .
    Estou a trabalhar do jardim, e por isso devido à claridade de um dia estupendo não distingo bem as cores no ecrã. Obrigado por me haver mostrado o óbvio (e me ter dado umas boas orelhas de biurro) 😉
    .
    Já agora, as cerejeiras entraram hoje em flor.

    Gostar

  86. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 15:12

    “A economia irlandesa cresceu 0,7% em 2011 face ao ano anterior, e as previsões são de o,5% para 2012.”
    .
    .
    A portuguesa também cresceu em 2010, não foi? Diga-me quanto quanto é que caiu a economia irlandesa no último trimestre, em termos anualizados. E olhe, que apesar das exportações deles em Janeiro não terem colapsado, como se temia, parece que este trimestre, a coisa pode ser ainda pior.
    .
    .
    Diga-me lá quanto é que caiu o PIB irlandês em termos anualizados, no último trimestre. De, se chama aquilo estabilidade.
    .
    .
    E previsões são isso mesmo mesmo: previsões. Ninguém previu o colapso económico irlandês na segunda metade do ano e no entanto… (E olhe bem para o que eu lhe digo. Oxalá os gajos não piorem muito, mas se aquilo correr mal, como eu penso que está, Vc. vai ficar surpreendido com a estabilidade irlandesa. ehehehehe)
    .
    .
    “Os mercados penalizam Portugal face à Irlanda porque está a descrecer o PIB !!!!”
    .
    .
    O PIB irlandês não está a cair? Vc. quer mesmo os links ou chega lá sozinho? É que se quer os links, eu também los posso aranjar. dados oficiais e não previsões dos “amigos anglo-saxónicos.” eheheheheh

    Gostar

  87. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 15:18

    Esta gente precisa da papinha toda, meu deus!
    .
    .
    http://www.cso.ie/en/media/csoie/releasespublications/documents/economy/2011/qna_q42011.pdf
    .
    .
    Os gajos tiveram uma recessão de 3 anos, tiveram um “pullback” fraco até á primeira metade do ano de 2011 e desatacaram a malhar outra vez. Forte e feito. E O PMP acha que aquilo está estável e até acha que as previsões estão certas.
    .
    .
    Bolas, eu ando aqui há uns tempos a escrever por aqui. A economia irlandesa assemelha-se bastante à grega, apesar da protecção que gozam de muita e boa gente. A economia irlandesa voltou ás quedas valentes e o PMP diz que eles têm uma economia estável e até acredita nas previsões que por aí abundam. De gente que nem sequer foi capaz de prever o colapso irlandês na segunda metade de 2011. lolololololol
    .
    .
    Bolas, se eu me fosse a fiar no paleio anglo-saxónico ou nas previsões dos gajos… eheheheheh

    Gostar

  88. Hawk permalink
    22 Março, 2012 15:36

    Anti-C: temo não ter sido suficientemente claro no que escrevi. Julguei, erradamente, que estavam implícitas no meu último texto as contradições que o habitual “discurso linear” encerra e que esse mesmo texto procurava ressaltar por contraste ou pelo chamado argumento do absurdo. Não resultou, Vc. tomou tudo à letra, enquanto que o LR percebeu perfeitamente onde é que eu queria chegar. Dito isto, insisto: há 2 questões que seria bom serem esclarecidas e pergunto isto com sinceridade, não para obter efeitos ideológicos como Vc. suspeita: 1) O serviço da dívida portuguesa é sustentável? Parece-me que Vc acha que sim. OK. 2) As contribuições em Portugal podem subir ou atingiram já o seu limite máximo? Creio que Vc. acredita que com a tendência para o aumento da produtividade e das exportações se poderá ir um pouco mais longe. OK. A única questão que sobra resulta do sistema tributário não ser só um meio do Estado obter receitas; devia ser também um instrumento de justiça social e aqui é que me ficam algumas dúvidas. Para terminar: não se dê ao trabalho de me responder; não injúrias nos meus escritos.

    Gostar

  89. Hawk permalink
    22 Março, 2012 15:37

    repito o final: “não uso injúrias nos meus escritos.”

    Gostar

  90. aremandus permalink
    22 Março, 2012 15:49

    o ponto nem é o facto de Gaspar ter falhado. o ponto é o stresse no ministério da finanças,ao ponto de Gaspar ter obrigado passos a fazer de porta-voz com aquela ladaínha da injeção na RTP.
    E o stresse é traumático pois o governo já não tem mais lombo para rapinar…

    Gostar

  91. aremandus permalink
    22 Março, 2012 15:55

    o A-C deixou de ler o Oje
    «Portugal só conseguirá escapar ao destino da Grécia e à reestruturação da sua dívida pública “com uma dura política de reformas estruturais”, afirma um estudo publicado hoje pelo Instituto de Economia Mundial de Kiel (IfW), na Alemanha.

    Os elevados juros exigidos para comprar dívida portuguesa no mercado secundário, a contração da economia e o desemprego extremamente elevado, na casa dos 15%, “estabelecem um paralelo com a crise grega”, constatam os economistas germânicos no documento.

    No entanto, acrescentam, Portugal “tem, em princípio, uma melhor posição de partida para superar a crise, e pode conseguir encontrar o caminho para sair dela”, sublinha o IfW.

    Não é de admirar que Portugal “seja quase encarado como uma segunda Grécia porque, entretanto, esgotou quase todas as possibilidades de endividamento e, além disso, é pouco realista esperar que haja mais generosas ajudas financeiras dos parceiros europeus”, alertam os autores do estudo.»

    Gostar

  92. PMP permalink
    22 Março, 2012 16:14

    AC,
    .
    Eu não apoio a politica semi-neotonta do governo irlandês.
    .
    Só estou a dizer que o mercado está a penalizar Portugal em relação á Irlanda porque o PIB irlandês está estável em termos anuais e o de Portugual está em recessão , e as previsões para 2012 vão no mesmo sentido.
    .
    Francisco Colaço,
    .
    O erro do Neotontismo , como o praticado pelo Gaspar / Passos , é de não perceber que uma recessão cria um ciclo vicioso no sector privado que se retrai cada vez mais.
    .
    Parte da pseudo-teoria as expectativas racionais que diz que os impostos não têm importãncia relevante na macro-economia, apesar de toda a historia desmentir essa lengalenga.
    .
    Por isso as medidas de austeridade teriam de ter sido ligados ao mesmo tempo a uma redução forte dos impostos sobre que investe e cria emprego nos sectores transacionáveis, mesmo á custa de uma subida de 0,6% do déficit (o,6% x 172 mil milhões do PIB ) = mil milhões de euros de incentivos fiscais no minimo por ano.
    .
    Eu arriscaria 1% do PIB em incentivos fiscais.

    Gostar

  93. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 16:19

    Caro Hawk, compreendo que se sinta chateado, mas tem que compreender, que algumas coisas que escreve n
    ao fazem sentido. E mistura coisa que não deve. Como misturar produtividade com receitas fiscais, recessões, etc.
    .
    .
    “Não resultou, Vc. tomou tudo à letra, enquanto que o LR percebeu perfeitamente onde é que eu queria chegar.”
    .
    .
    A dívida portuguesa é sustentável só se a despesa pública for estancada.. E não haver derrapagens, como houve nos dois primeiros meses do ano. E só o é, também, se as rendas forem cortadas. Aliás, eu já o disse aqui, as rendas são dívida oculta que lá fora não gostam. E isso penaliza Portugal. Enquanto os ricos desta dívida oculta não forem bem esclarecidos, não há receitas que resulte. Já o disse aqui, até em conversa com o JM, que ele acha que é ao contrário.
    .
    .
    A regras matemática é mesmo esta. A dívida pública é apenas sustentável se as taxas de juro pagas estão abaixo do crescimento nominal do PIB. É uma questão matemática. os países que conseguem “violar” esta regra, estão a apostar que os investidores, lerdinhos, irão sempre financiar estas actividades insustentáveis. Mas pode chegar o dia, que por qualquer razão, os mercados desatem a vender dívida pública, dos países que abusam deste “postulado”: juros pagos mais altos que o crescimento nominal da dívida.
    .
    .
    ” As contribuições em Portugal podem subir ou atingiram já o seu limite máximo? Creio que Vc. acredita que com a tendência para o aumento da produtividade e das exportações se poderá ir um pouco mais longe.”
    .
    .
    Desculpe, mas a pergunta não faz sentido. Que contribuições está a falar? Da carga fiscal? E o que tem a ver a produtividade com as receitas fiscais e até a carga fiscal? Não faz sentido o que escreve.
    .
    .
    A produtividade é uma coisa bem diferente da produção. E se confunde isto, está logo a gerar dúvidas sobre o que realmente Vc. pensa. Por isso é que fiquei chateado, pelas suas afirmações, ditas de bom senso, que depois mete coisas que não fazem sentido nenhum.
    .
    .
    O ponto é este. Portugal precisa de ter o seu crescimento nominal (note bem este ponto, porque é muito importante) acima dos juros a pagar. Ah! Claro, supondo que a balança primária é zero ou positiva. Logo, o que temos de perguntar é: Portugal pode crescer nominalmente acima dos juros pagos? Claro que pode. Mas também pode gerar excedentes orçamentais primários positivos que colmatem um eventual crescimento nominal baixo. (Como fez o Brasil, por exemplo, no passado.)
    .
    .
    Se a procura interna estabilizar, e as exportações crescerem 7% em volume, Portugal pode crescer acima dos 3% em 2013. Mas estamos a contar com umas exportações mais altas e as importações em queda ou com variações nulas. Se a procura interna subir, mas as importações não colmatarem esta procura interna, o PIB crescerá menos. (Aliás, esse tem sido o problema crónico em Portugal, pois sempre que o Estado opta por políticas orçamentais expansionistas, em vez de Portugal produzir mais, importa mais. Logo, cresce menos e endivida-se mais.) Logo, o problema da dívida pública tem solução: exportar mais, importar menos e a produção portuguesa satisfazer o consumo interno. (Que é mesmo a parte mais difícil de qualquer economia aberta.)
    .
    .
    O que se pode perguntar, é. Até quanto tem que corrigir a procura interna para Portugal começar a crescer? Ninguém sabe. Ninguém sabe mesmo. Depende de tantos factores, que ninguém o pode dizer. E depois, depende de cada economia. No caso português, eu tendo a pensar que a partir do momento em que a balança de pagamentos passa a gerar excedentes. (Isto é, começa a emprestar ao exterior em vez de pedir emprestado.) Mas no caso irlandês, eu já acho que depende de outros factores, como por exemplo, uma verdadeira limpeza do crédito mal-parado e um aumento da produção interna não ligada às multinacionais. (Note bem, produção interna, não a produtividade, que aí a coisa tem importância mas não para o que estamos a tentar analisar.)
    .
    .
    Mas se no final de 2012, Portugal passar a ter uma balança de pagamentos equilibrada ou até mesmo com um excedente, Portugal começa a gerar recursos financeiros que lhe permite financiar a sua actividade económica sem depender do exterior. Gera um ciclo virtuoso. E fica logo com um problema resolvido. O outro, é ter uma despesa pública em queda ou estável, de forma a que eventuais quedas no consumo público não prejudiquem a actividade económica. As receitas fiscais são pró-ciclicas. E dependem sobretudo da procura interna. (IVA, ISP, etc. são tudo impostos gerados no consumo e não na produção.) Ou seja, a partir do momento que a procura interna estabilize (consumo, investimento, etc), as receitas fiscais começam a estabilizar ou até mesmo a subir. Se depois as receitas fiscais directas começarem a subir por causa do aumento do emprego na actividade exportadora e os impostos sobre os lucros também subirem (que dependem da actividade económica, tanto no mercado interno como externo), temos meio caminho andado para evitar mais défices orçamentais.
    .
    .
    Ou seja, apesar da propaganda e do que se escreve sobre Portugal (e concordo com o que diz o tipo da Bolsa de Valores/Euronext), a maioria do que se escreve sobre Portugal vem de gente que não conhece a realidade económica portuguesa. E em vez de estudarem os nossos problemas, usam o que se passou na Grécia e toca a propagar mentiras, más análises e mesmo porcaria sobre Portugal. (O caso mais recente, a completa azelhice dos tipos do Citigroup.)
    .
    .
    Eu mostro este possível cenário. Imagine-se que a economia portuguesa começa a crescer 3% ao ano e com uma inflação na casa dos 2% ao ano. Isto não geraria as condições para termos uma dívida sustentável e acabar com os défices orçamentais? Sim, geraria. E atingir um crescimento de 3% é impossível? Não. É possível e até é bem provável que tal aconteça. A menos que a economia mundial colapse ou seja mesmo difícil. Porquê? Porque as exportações portuguesas estão a subir muito (que Vc. parece que ainda não se apercebeu) e já começam a ganhar peso na economia portuguesa. (Veja o exemplo, do que aconteceu no Norte, segundo publicou a CCRN. O emprego destruído lá é mais baixo que no resto do país. Porquê? Porque o peso das exportações no PIB regional nortenho é muito mais alto que no do PIB nacional.)
    .
    .
    Ora, a economia portuguesa tem uma vantagem que as demais não têm. Têm umas exportações fortes, que é escamoteado pela generalidade dos analistas. E tem outras vantagens, que também eles nem sequer sabem. Por exemplo, grande parte do endividamento privado português é empresarial e de empresas que investiram muito no exterior e cujo serviço da dívida depende do exterior e não do mercado interno. Por exemplo, a EDP tem tido muitos lucros. Gerados onde? Sobretudo nos mercados internacionais. Mas a dívida é portuguesa e calculada como portuguesa. E até levam ao ponto que a dívida da EDP depende do mercado interno e não do exterior.
    .
    .
    Se me perguntar. Mas Portugal vai conseguir vender dívida no exterior, daqui a uns tempos? Eu digo que sim, mas é preciso que o governo faça a sua parte: cortar despesa e acabar com rendas vitalícias. E melhorar o ambiente concorrencial interno. Depois é esperar que os mercados abram os olhos e deixem de penalizar Portugal. Mas mesmo que os mercados não queiram financiar Portugal, desde que a balança de pagamentos seja excedentária e a troika nos vá emprestando dinheiro, as nossas preocupações deixam de fazer sentido.

    Gostar

  94. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 16:22

    “Só estou a dizer que o mercado está a penalizar Portugal em relação á Irlanda porque o PIB irlandês está estável em termos anuais e o de Portugual está em recessão , e as previsões para 2012 vão no mesmo sentido.”
    .
    .
    Mas Vc. só escreve disparates. Eu discuto factos consigo, Vc. vem sempre com a mesma ladaínha e até mostra que nem sequer sabe do que fala. Não domina a teoria, não domina os números e factos e só sabe escrever a sua cartilha. Para esse tipo de debate, eu tenho pouca pachorra. Não gosto de debater com cassetes, sejam eles do Carvalhas ou mesmo do Cunhal. 😉
    .
    .
    Vc. tem que compreender uma coisa. Vc. escreve disparates e depois quer discutir o quê? O sexo dos anjos?
    .
    .
    Sabe mesmo quanto caiu o PIB irlandês no quarto trimestre, em termos anualizados? Se não sabe, cale-se lá com esses disparates. Porque irrita, ver a fazer declarações, sem saber minimamente do que fala.

    Gostar

  95. PMP permalink
    22 Março, 2012 16:31

    factos : O PIB irlandês em 2011 foi positivo, o de Portugal foi negativo
    .
    factos : as previsões da U.E. para 2012 dão PIB nulo ou ligeiramente positivo para a Irlanda e negativo para Portugal
    .
    Factos : vários analistas e o FMI afirmam que austeridade em excesso com redução do PIB não é aconselhável
    .
    factos : juros Irlandeses mais baixos que os de Portugal, o que poderá evidenciar causalidade entre redução do PIB e altas taxas de juro
    .
    factos : a historia demonstra que o caminho neotonto seguido por portugal raramente resulta

    Gostar

  96. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 16:36

    Pronto, PMP. Fique lá com a bicicleta e a taça. Eu não tenho pachorra para nabices. Desculpe.me, mas eu gosto de debater com gente séria e honesta.
    .
    .
    PM Para sua informação, o PIB no quarto trimestre caiu 7,1%, na Irlanda. Se acha isto estável, só concluo uma de duas coisas: ou Vc. é mesmo burro ou desonesto. E ficamos por aqui.

    Gostar

  97. anti-comuna permalink
    22 Março, 2012 21:19

    Coisas destas não se lêm nos blogues da moda americanos. Só alguns pensam mesmo a sério no assunto e fazem contas simples.
    .
    .
    “Ben Bernanke Finally Wakes Up and Smells the United States Debt Crisis”
    .
    in http://viableopposition.blogspot.com/2012/02/ben-bernanke-finally-wakes-up-and.html
    .
    .
    O autor tem algumas coisas que merecem atenção ao resto do mundo, não apenas aos americanos. Mas ele pega num excerto do Bernanke, que pode ser consultado aqui:
    .
    http://www.federalreserve.gov/newsevents/testimony/bernanke20120202a.htm
    .
    .
    O autor do blogue está apenas a raciocinar de um modo simples, sem atender a muita teoria económica. Coisas de merceeiros. Mas basicamente diz quase o mesmo que o Bernanke, mas não tão optimista. O Bernanke diz isto.
    .
    .
    “In the remainder of my remarks, I would like to briefly discuss the fiscal challenges facing your Committee and the country. The federal budget deficit widened appreciably with the onset of the recent recession, and it has averaged around 9 percent of gross domestic product (GDP) over the past three fiscal years. This exceptional increase in the deficit has mostly reflected the automatic cyclical response of revenues and spending to a weak economy as well as the fiscal actions taken to ease the recession and aid the recovery. As the economy continues to expand and stimulus policies are phased out, the budget deficit should narrow over the next few years.
    .
    Unfortunately, even after economic conditions have returned to normal, the nation will still face a sizable structural budget gap if current budget policies continue. Using information from the recent budget outlook by the Congressional Budget Office, one can construct a projection for the federal deficit assuming that most expiring tax provisions are extended and that Medicare’s physician payment rates are held at their current level. Under these assumptions, the budget deficit would be more than 4 percent of GDP in fiscal year 2017, assuming that the economy is then close to full employment.2 Of even greater concern is that longer-run projections, based on plausible assumptions about the evolution of the economy and budget under current policies, show the structural budget gap increasing significantly further over time and the ratio of outstanding federal debt to GDP rising rapidly. This dynamic is clearly unsustainable.”
    .
    .
    Isto é um alerta a todos os investidores que comprem dívida americana. E ele é claro: “This dynamic is clearly unsustainable.”
    .
    .
    O Bernanke vai continuar no seu QE, tentando manipular o mercado e tentar baixar as expectativas inflacionistas, tentando comprimir a famosa yield curve. Tal como era inevitável, o movimento foi o inverso. A dada altura, os investidores internacionais acharam que as taxas de juro pagas a quem empresta dinheiro, são demasiado baixas para o risco. (Se calhar, o trigger, foi mesmo o absurdo das gilts para 100 anos.) E isto, exigir mais juros ao governo americano tem as suas implicações. Ou seja, aumenta o défice e torna ainda mais insustentável a dívida americana.
    .
    .
    Agora, face a isto, leia-se este artigo do blogue. E não queiram inventar muito, olhem apenas para os números. O gajo não complicou, para ser melhor entendivel, até por um mediano observador.
    .
    .
    Agora, há para aí gente que acredita que um banco central pode manipular as taxas de juro a seu belo prazer. Esta ideia é falsa e errada. Os bancos centrais têm um poder enorme, mas como uma vez o Greenspan disse: “por vezes, nós limitamo-nos a seguir o mercado. E foi isso que fizemos, a taxa de desconto apenas replicava, com um atraso, as taxas de juro de curto prazo.” Eu já não me lembro onde é que o gajo disse isto, mas penso que foi no Congresso americano. E tem muito valor.
    .
    .
    Os bancos centrais têm um poder enorme, mas não conseguem manipular as taxas de juro como se pensa. A prova disso, também, está nos resultados que a nova “operação twist”, que em vez de baixar as taxas de juro de longo, elas subiram.
    .
    .
    Um dos problemas de qualquer economia que começa a depender de um banco central, é não apenas a velocidade do dinheiro que pode acelerar, mas sobretudo da moeda que pode colapsar, após uma momentum de queda elevado. E quando tal acontece, ao contrário do que pensam os teóricos, uma moeda fraca não significa logo mais exportações e produção, devido a problemas vários, entretanto. A destacar: maior custo do investimento, maiores os custos de financiamento, maiores os custos das matérias-primas e, peso menor dos custos laborais face a outros custos operacionais de uma empresa.
    .
    .
    Quando uma economia depende de um banco central, também depende da confiança dos agentes económicos. Mas a confiança é uma coisa que não é bem entendida pela generalidade das pessoas e economistas. Pode-se quase dizer, que a confiança é quase como um pêndulo. Umas vezes, com excesso de optimismo e outras vezes com excesso de pessimismo. Os agentes económicos quase sempre são bipolares. E isso depois reflecte-se em tudo. No investimento, no consumo, etc. E basta algo, por vezes até insignificante noutras alturas, para gerar um pânico ou uma fuga em massa a determinados activos. E tanto se aplica a taxas de juro como até compra de melões ou pepinos espanhois.
    .
    .
    Eu já deixei aqui este link sobre o Zimabwe mas que contém informação sobre outros exemplos onde surgiu um colapso na confiança na dívida de vários países.
    .
    .
    http://web.up.ac.za/UserFiles/WP_2007_10.pdf
    .
    .
    O trigger pode ser qualquer coisa. Até pode ser uma guerra contra o Irão, não interessa. Mas as condições ideais para surgirem este tipo de fenómenos estão criadas em várias economias do mundo, incluindo a Inglesa e a Americana. Ou seja, Estado com uma dívida enorme, dependente do seu banco central, um enorme gap entre os custos e os proveitos estatais e, ainda para agravar o problema, baixo peso do sector produtivo na economia. Que é um problema com dois riscos. Um, o Estado depender do consumo para gerar receitas e não da actividade produtiva. O segundo, em caso de uma queda da moeda, é difícil aumentar a produção interna do país, que possa suprir uma voragem por activos físicos e uma fuga à moeda. (Aliás, alguns estudos, sugerem mesmo, que o verdadeiro sinal de hiperinflação de uma dada economia, é quando uma moeda de fora passa a ser escolhida pelos agentes económicos internos.)
    .
    .
    Infelizmente, como o caso grego veio a provar. Os mercados não são muito bons a analisar riscos, como muita gente supõe. E os mercados nem sempre são tão bons a analisar os factos como deviam. E, pior, os mercados também mostram, que de um momento para o outro, mudam de opinião para o extremo. Onde antes confiavam plenamente na dívida grega, passaram mesmo a desconfiar, por dá cá aquela palha. A confiança move-se um extremo para o outro facilmente e os pânicos e as euforias são mesmo o pão nosso de cada dia, dos mercados. Não é de hoje, sempre assim foi. Qualquer mediano estudante dos mercados financeiros aprende isso quase desde o inicio. Euforia e pânicos, deve ser quase tão velho como a prostituição.
    .
    .
    Infelizmente, as pessoas confiam demasiado no poder dos bancos centrais. E na capacidade destes em manter a confiança numa moeda. No entanto, quando menos se esperar e com as condições ideais…
    .
    .
    Oxalá que estes problemas se resolvam sem grande dor. Mas quando as condições são as ideias para o surgimento de determinados fenómenos, muitas vezes mal compreendidos e mal estudados, e quando menos neles crêm nesses mesmos fenómenos, as coisas más acontecem. Oxalá isto se resolva sem tanta dor, mas as perspectivas são más. Em vez de eliminarmos esses riscos e condições, estamos a aumentar mais as condições ideais para a ignição do incêndio. Nessa altura já é tarde.
    .
    .
    Leiam o que diz o Bernanke. O gajo pode cometer erros, pode até nem ser grande espiga como banqueiro, mas também não é um Zé Ninguém qualquer, que se limita a mandar bitaites. E esse discurso dele é mesmo uma nota de aviso grande. Cuidado quem acredita que ele, o Bernanke, pode manter, ad aeternum, a confiança, tanto no dólar como na dívida americano. Ele próprio diz que não é deus e que pode fazer as coisas que ele bem entende e conseguir atingir os seus objectivos. Pelo contrário, está admitir a sua própria incapacidade e impotência, caso determinados fenómenos surjam.

    Gostar

  98. Hawk permalink
    23 Março, 2012 07:25

    BLASFEMIAS:

    Anti-C, ninguém tem que ficar chateado, mas apenas que ir clarificando as premissas do que se discute. Agradeço a sua extensa e substancial explicação, mas não vejo em que é que ela infirma o pouco que me atrevi a avançar baseado em ideias simples, acessíveis às pessoas que não sendo economistas, tão pouco são desprovidas de um mínimo de bom senso.
    (By the way, creio que há algo que não bate certo nesta sua frase: “Se a procura interna subir, mas as importações não colmatarem esta procura interna, o PIB crescerá menos”, mas isso é um detalhe que de momento não importa).
    Onde posso concordar consigo é na crítica ao velhíssimo espírito “rentista” português: toda a gente quer é uma rendazinha sem fazer nada para a justificar. Creio que essa é uma das moléstias que minam o próprio projecto de “Estado Social” lusitano e que dificulta qualquer ajustamento estrutural da nossa economia.
    Estou igualmente de acordo – se entendi bem a sua posição – quanto à necessidade de “emagrecer” a despesa do Estado. Aqui, porém, faria 2 ressalvas: não deixar de ter em conta o efeito multiplicador de certos gastos (Keynes?) e procurar minorar o mais possível as repercussões sociais dessas medidas designadamente no que respeita ao emprego (o tal Keynes até defendia que o pleno emprego devia ser o primeiro objectivo de um governo).
    Obviamente que se aumentarmos as nossas exportações e diminuirmos as importações surgirá um saldo que melhorará a nossa posição perante os credores internacionais. Aqui, e apesar da sua infatigável pesquisa de casos de sucesso, diria que eles ainda não são suficientes, mas o futuro se encarregará de me corrigir.
    As receitas com que o Estado pode contar continuam a ser uma questão que me intriga. Está mesmo excluído o risco de “fabricação” de receitas? As medidas de austeridade não se reflectem na colecta? Pensava – na minha ignorância de não-economista, nem financista – que o sistema tributário visava essencialmente obter meios para o Estado (até de dizia “lei de meios”) e, acessoriamente, produzir certos benefícios sociais e para isso havia as taxas progressivas de dados impostos. Começo a temer que agora o Estado queira usar essa máquina também com propósitos repressivos, disciplinadores da sociedade: criar no inconsciente popular a indispensabilidade da “austeridade” e diminuir as tentações evasionistas, o que seria, de facto, um objectivo igualitário deveras avançado para uma sociedade como é a actual sociedade portuguesa. Não sei que pensar, ainda que prefira evitar o uso da expressão “terrorismo fiscal” (fase Robespierre?) que por aí começou a circular.
    Finalmente a famigerada “reestruturação). Para começar – e estou certo de que não deixará de me dar razão – estamos a falar de quê? De um perdão? Seria uma péssima solução (também não é mau vermos a questão pelo lado dos credores), pois da forma como o mundo evolui eu, se fosse financiador internacional, também andaria preocupado e muito. De uma reformulação da dívida em prazos mais longos e juros mais baixos? Dependendo, certamente do mercado, não deixaria de ser um caminho viável e até proveitoso. O que era desejável era que os credores vissem os empréstimos a Portugal não como um favor que se faz ao aflito, mas como uma sólida colocação de capitais, um investimento apetecível no crescimento do nosso país (que entretanto teria que operar uma verdadeira revolução cultural no que aos hábitos de consumo diz respeito). Aqui, a sua incessante cruzada de identificação e valorização das empresas de sucesso seria coroada de êxito. E dou esta troca de ideias por encerrada. Bom fim-de-semana.

    Gostar

  99. politologo permalink
    23 Março, 2012 11:10

    Me desculpem estas “cabeças de ovo” , como é que o Bictor Gaspacho pode estar bem cozinhado se nem sequer sabe quanto devem as Autarquias !!! Ah!Ah!Ah!

    Gostar

  100. anti-comuna permalink
    23 Março, 2012 16:25

    “By the way, creio que há algo que não bate certo nesta sua frase: “Se a procura interna subir, mas as importações não colmatarem esta procura interna, o PIB crescerá menos”, mas isso é um detalhe que de momento não importa”
    .
    .
    Sim, tem toda a razão. Foi um erro imperdoável meu. O que queria dizer, era isto:
    .
    .
    Se a procura interna subir, mas a produção nacional não colmatar esta procura interna, o PIB crescerá menos”.
    .
    .
    Mil desculpas a si e aos demais leitores. E obrigado pela chamada de atenção.

    Gostar

  101. bandarra permalink
    23 Março, 2012 23:18

    OCULOS HABENT ET NON VIDEBUNT
    Sem uma efectiva NATALIDADE (1) e sem gays , e ainda sem uma inovadora EDUCAÇÃO (2) sem “cabeças de ovo” , ora inexistentes ,como é óbvio , temos um País sem FUTURO . Sem natalidade a
    SEGURANÇA SOCIAL é insustentável . REFORMADOS sem futuro !…Com um S.N.S. falido , não há quem acuda à grave e generalizada tão danosa INSANIDADE MENTAL da nova geração “tuga” . Assim ,
    também imensa CRIMINALIDADE e uma enorme INSEGURANÇA a nivel nacional . A par deste caos , uma Constituição da República libertina e financeiramente insustentável a qual foi elaborada por uma dezena de “cabeças de ovo” : direitos , liberdades e garantias fundamentais . Apenas para ricos … O vulgar “tuga” já não tem direito à vida , à integridade pessoal , à saude , à educação , à justiça e ao trabalho … Goza de uma liberdade virtual . As suas garantias desceram ao nivel da escravatura . E Portugal até já
    não é uma República Soberana !… Um inexistente senão corrupto Sistema de Justiça (3) . O Salve-se quem puder …Um corrupto , ineficiente e já indesejado Sistema Politico . Um Sistema Politico onde GOVERNAR é sinónimo de VENDER !…Vão-se os aneis e ficam os dedos …para fazer o quê ?
    Um PS (Sócrates) irresponsável versus um PSD (P.P.C.) incompetente … Entre outras graves , o Governo revela uma total incapacidade para eliminar os prejuizos da R.T.P. ,sacrificando os já tão desgraçados contribuintes . O Governo também não resolveu o “roubo” feito pela EDP aos seus consumidores , antes da venda da EDP aos chineses por X euros ,pelo que também não o vai resolver depois daquela venda …Reaparece o mentiroso compulsivo P.P.C. . Foram entregues pelo P.P.C.(EDP & Catroga) aos chineses Y euros de dividendos de 2011 da EDP a que os chineses não tinham direito , assim
    a venda aos chineses acabou por ser X-Y euros e não por X euros.Menor razão para aquela apressada venda a não ser a existência do“gang” Catroga (4) do qual ele é o chefe …O locupletamento do cavaquismo no seu máximo esplendor .Uma pergunta para P.P.C. :Qual o beneficio economico concreto e visivel dos supracitados X euros pagos pelos chineses e recebidos pelo Estado Português ?Para pagar a viagem de Vitor Gaspar aos Estados Unidos ? ou para pagar os almoços de P.P.C. e dos seus comparsas ? O dito “tuga” , quando não fica comodamente em casa , periodicamente mete um papel (voto) num buraco e fica muito feliz com a sua realização politica !… Mas , em geral , a sua triste escolha é feita pelas piores razóes …
    Ignoramos que numa teoria politica da escolha pública , a DEMOCRACIA está viciada com uma irracionalidade que cresce na razão directa do numero de partidos politicos . Não significa que a ditadura não tenha corrupção . Mas não há Democracia sem corrupção , “ab initio” até o eleitor é corrompido na “venda” do seu voto … Um Sistema Politico assaz viciado e corrupto . Um País sem Futuro .
    Este ignorante e incompetente Governo desconhece duas Leis !… A Lei de Wagner que nos revela o irreversível crescimento das despesas públicas . Aumento do deficit … Logo , Aumento da Divida Pública (capital e juros) e/ou Aumento de Impostos . Em Portugal acontece as duas coisas . Note-se que Divida Publica é Imposto adiado… Quanto ao aumento dos impostos , existe a denominada Curva de Laffer que nos indica que a partir de determinado aumento da taxa do imposto ,diminui a receita fiscal . É o que acontece agora em Portugal .Só nos resta o irreversível crescimento da Divida Pública (capital e juros)
    a caminho de uma BANCARROTA , politicamente escamoteada com a habitual propaganda politica e distorcida com truques contabilisticos …((5)A par disto , está a verificar-se uma feroz Ditadura Fiscal onde paira um demoniaco terrorismo fiscal .Na verdade , com um decrescimo do “rendimento nacional” , como é óbvio ,não é possivel pagar o que se deve em crescendo …E enquanto se permanecer neste Circulo Vicioso , não há poder politico , alias corrupto ,que consiga implementar as necessárias reformas estruturais para contrariar os efeitos atrás referidos relativos à Lei de Wagner e à Curva de Laffer . E onde o Sistema Financeiro(e Governo…) é o principal culpado do elevado DESEMPREGO e da explosiva situação social que se aproxima .Quanto ao mito das exportações , elas poderão não ser correctamente rentáveis e a médio prazo até descapitalizarem o país . Por outro lado ,a diminuição das importações não significa aumento de emprego .Apenas significam dolorosas diminiuições do rendimento disponivel dos Portugueses .
    Não há luz ao fundo do tunel , ao contrário do que este incompetente Governo continua a propagandear . Ao fundo do tunel apenas a Bancarrota depois de um doloroso percurso num escuro tunel todo esburacado (6) .
    Mas este País de brandos costumes , como diria Tocqueville , vai na direcção de uma nação reduzida a um rebanho de animais timidos e trabalhadores dos quais o Governo é o Pastor . Bandarra
    Notas
    (1) Promover e remunerar o aborto e proibir a maternidade , abolindo os incentivos a par do casamento gay . É assim o Portugal de Sócrates ! (2) Velha pecha ! Os ditos “tugas” padecem de iliteracia numerica , economico-financeira e social . Por vezes , até de obesidade mental .“Ad minus” , paranalfabetismo …
    (3) Para moralização dos costumes , o Ministerio da Justiça vai também apresentar um projeco de lei de criminalzação do adulterio com efeitos retroactivos . (4) Este gestor está descapitalizando as empresas que gere em Portugal para investir nos Estados Unidos . (5) A Divida Publica do Estado , Autarquias , Familias , Empresas e Bancos (capital e juros) , grosso modo , se estima em cerca de 700% do “rendimento nacional” !… Bancos que em conluio com os politicos corruptos , são os principais culpados da crise que atravessamos .
    (6) Renegociação e/ou perdão da divida ou saida do Euro , são questões acessórias .

    Gostar

Trackbacks

  1. Governo em rota de colisão com a Curva de Laffer « O Insurgente
  2. “2012 vai marcar um ponto de viragem” – Vítor Gaspar, há precisamente 60 dias | Total Blog

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: