Saltar para o conteúdo

Porque será que esta gente fala sem analisar previamente os números???

20 Março, 2012
by

Fosse um qualquer “jornaleiro” que, por norma, se faz eco acéfalo da vox populi, não me admiraria, mas vindas de Carlos Barbosa, custa-me a entender afirmações com esta ligeireza:

Nem eu nem nenhum português entende como é que o barril de Brent está a 124,98 dólares quando em 2008 estava a 160 dólares e nós tínhamos combustível mais barato. Além disso, hoje em dia o euro está benéfico em relação ao dólar, o que significa que há um problema nacional qualquer que tem de ser resolvido.

Antes de dizer tais “bacoradas”, o Presidente do ACP podia e devia ter olhado para as cotações do Brent, aplicar-lhes os câmbios do dólar e chegar a conclusões mais realistas. Elas são visíveis no gráfico ao lado: o pico do Brent ocorreu em 11 de Julho de 2008 (USD 143,68) e, em termos de preços médios (base do gráfico), em Junho e Julho do mesmo ano, a atingirem USD 132,32 e USD 132,72, respectivamente. Só que, nessa altura, 1 Euro comprava cerca de 1,56 dólares, o que atirava o barril do Brent para € 85. Em Fevereiro deste ano, o Brent cotou em média a USD 119,33 e o Euro a 1,32 dólares, do que resultou um preço médio do barril a € 90,23. E assim se explica que, não tendo ainda o crude atingido o pico do Verão de 2008, estejamos a suportar preços mais caros nos combustíveis. Aritmética da mais elementar.

Normalmente, quando ocorre uma escalada abrupta dos preços, desencadeia-se a estridente choradeira dos interesses, procurando sempre protecção para tamanhas perfídeas, que só podem ser obra de um sinistro complot apostado em tramar-nos. E esse é um tema (o preço dos combustíveis) que, pela sua “penetração inter-classista”, consegue indignar e mobilizar mais gente do que a CGTP ou a Fenprof com qualquer greve geral ou manifestação de professores. Facilmente se concertam os interesses dos automobilistas representados pelo ACP, dos concessionários e revendedores reunidos na ANAREC e em breve se lhes juntarão os transportadores que, barrando ostensivamente as estradas, mostram uma eficácia que pede meças ao mais intolerante piquete de greve. Todos consideram justíssima a sua luta e justificadíssima a sua indignação: os associados de Carlos Barbosa, não se conformam com a perda de status a que os tem forçado a abdicação crescente do automóvel; os distribuidores, jamais equacionaram tamanha quebra nas vendas e que a populaça deixasse ostensivamente o carro na garagem e optasse por transportes públicos; os transportadores, que em breve aparecerão com as suas ameaças, por se julgarem detentores de algum direito divino que terá de lhes garantir ad-eternum benesses nos combustíveis e nas portagens, quiçá para compensar o maior desgaste que causam nas estradas. O que têm estes grupos em comum? Apontar as culpas a outrém – e o vilão será, mais uma vez, a Galp – e a pedinchisse ao Estado. Este, qual paizinho protector, deverá garantir-lhes contrapartidas para a manutenção do padrão de vida e que os iniba de fazer quaisquer ajustamentos por via da crise. Outros que ajustem por eles.

Um tema que deveria levar Carlos Barbosa e respectivos “camaradas de luta” a questionarem-se, é a enorme diferença (cerca de USD 21 actualmente) entre o barril do Brent e do WTI (West Texas Intermediate) americano, para o que ainda não há explicação credível. No período de 12 anos compreendido entre Janeiro de 99 e Janeiro de 2011, o Brent cotou em média 1,4 dólares abaixo do WTI, o que fazia sentido, sendo este o petróleo mais leve e com menos enxofre, o crème de la crème do mercado. Excesso de oferta do WTI? Os poços no mar do Norte em vias de secarem? O conflito na Líbia de que já ninguém fala? A emergência de um conflito bem mais grave com o Irão? Dependência crescente por parte da Europa do petróleo da Sibéria? Especulação pérfida dos “gringos” para desestabilizarem ainda mais a Eurolândia, como defende o nosso prezado leitor e comentador Anti-Comuna? Diria que nenhuma destas razões é consistente por si só. Diria ainda que a redução da procura que se tem verificado e o consequente encerramento de várias refinarias na Europa e nos USA não sustentam os preços actuais do crude, não obstante os fortíssimos interesses que deles beneficiam. Daí que, tarde ou cedo o mercado tenha de corrigir e admito que a inversão ocorra ainda este ano.

Mas se porventura o mercado não corrigir, em breve beneficiaremos com o reverso da medalha dos combustíveis caros: o excelente incentivo que eles representam ao aparecimento de novas fontes de energia, renováveis e verdadeiramente sustentáveis. Que porão ainda mais a nu a irresponsabilidade de quase todas as PPPs socretinas na área da energia.

Só espero que estas declarações não sejam conversa de circunstância de Passos Coelho. E que tenha a firmeza suficiente para, à mínima obstrução de estradas, fazer avançar a cavalaria.

90 comentários leave one →
  1. 20 Março, 2012 10:34

    A razão para as diferenças entre o WTI e o Brent são bem conhecidas… Os EUA estão a explorar reservas não convencionais de petróleo, e se não fosse o Obama, estariam ainda muito melhor!
    A situação é ainda mais escandalosa no gás, como tive oportunidade de recentemente referenciar:

    http://ecotretas.blogspot.pt/2012/03/preco-do-gas-natural.html

    Gostar

  2. neototo permalink
    20 Março, 2012 10:37

    Elas são visíveis no gráfico ao lado: o pico do Brent ocorreu em 11 de Julho de 2008 (USD 143,68) e, em termos de preços médios (base do gráfico), em Junho e Julho do mesmo ano, a atingirem USD 132,32 e USD 132,72, respectivamente. Só que, nessa altura, 1 Euro comprava cerca de 1,56 dólares, o que atirava o barril do Brent para € 85. Em Fevereiro deste ano, o Brent cotou em média a USD 119,33 e o Euro a 1,32 dólares, do que resultou um preço médio do barril a € 90,23. E assim se explica que, não tendo ainda o crude atingido o pico do Verão de 2008, estejamos a suportar preços mais caros nos combustíveis. Aritmética da mais elementar.

    Entao se o dólar tem entrado num periodo de vaiven e inestabilidade porque nao desmarcarse desta dança de sube -baixa e pagar em euritos os paises produtores de petroleo? Nao é entao, na realidade , querse dizer que entao o eurito nao pesa o mesmo e nao está no mesmo nivel que o dólar?
    Europa pode permitirse entrar nesta dança de inestabilidade e especulaçao?

    Gostar

  3. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 10:47

    “A razão para as diferenças entre o WTI e o Brent são bem conhecidas… Os EUA estão a explorar reservas não convencionais de petróleo, e se não fosse o Obama, estariam ainda muito melhor!”
    .
    .
    Desde quando o gás natural é substituto ao pitroil?
    .
    .
    Eu acho que Vc. também precisa de estudar este assunto: http://en.wikipedia.org/wiki/Law_of_one_price

    Gostar

  4. Xiça permalink
    20 Março, 2012 10:58

    Ecotretas, o shale explica o preço do gás natural, mas não o WTI vs. Brent. O WTI está mais baixo devido a diversos estrangulamentos, na prática boa parte dos americanos não compra petróleo ao preço do WTI mas bastante mais caro, por vezes mais caro que o Brent, e com refinarias a fechar devido a todos esses estrangulamentos, ainda pior para os consumidores, há bastantes lobbies interessados em toda a confusão que se passa no sector nos EUA.
    Sobre o shale, também recomendava algumas cautelas, pois parece-me que há muito exagero ultimamente sobre o assunto, uma série de empresas que tem concessões a venderem balões de ar como se fosse gás, a Polónia ainda recentemente percebeu que afinal tem bem menos do que pensava, até em Portugal se diz que temos muito, mas é curioso dizerem tal coisa, pois nunca ninguém fez uma prospecção para tal.
    .
    Sobre o post do LR, eu ontem quando li a notícia pensei logo o mesmo, no cambio Euro-Dólar, mas nem me dei ao trabalho de fazer as contas, ainda bem que há quem se dê a essa trabalheira. As nossas “elites” não prestam, passam a vida a desinformar, é óptimo para todos estupidificar ainda mais a população.
    Já agora LR, será que tem dados que mostrem a evolução do preço do petróleo ao longo das últimas 3 décadas, tendo em conta a inflação? Julgo que seria um gráfico também bastante interessante….

    Gostar

  5. 20 Março, 2012 10:59

    “Trata-se de uma “matéria que não depende da intervenção do Governo”, afirmou Pedro Passos Coelho”
    “É um mercado que está regulado e cabe ao regulador pronunciar-se”, disse o primeiro-ministro”.
    .
    Regulação sim, intervencionismo não.
    Isto até dá vontade de rir. O regulador deve ser um serafim do céu, enviado por Deus…

    Gostar

  6. Portela Menos 1 permalink
    20 Março, 2012 11:03

    um aperto das Finanças poderia ajudar a perceber porque é que se paga o combustível ao preço do barril da semana passada se o stock colocado à disposição do consumidor foi comprado “há décadas” …

    Gostar

  7. 20 Março, 2012 11:03

    “E que tenha a firmeza suficiente para, à mínima obstrução de estradas, fazer avançar a cavalaria.”
    .
    E se a malta parar por falta de combustível? Os cavalos puxam?

    Gostar

  8. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 11:07

    “O WTI está mais baixo devido a diversos estrangulamentos, na prática boa parte dos americanos não compra petróleo ao preço do WTI mas bastante mais caro, por vezes mais caro que o Brent, e com refinarias a fechar devido a todos esses estrangulamentos, ainda pior para os consumidores, há bastantes lobbies interessados em toda a confusão que se passa no sector nos EUA.”
    .
    .
    Por acaso, parte dessa explicação aplica-se. Todavia, não totalmente. As margens de refinação (em média) até que estão em linha com grande parte do exterior, em especial a Ásia. (E por isso os preços mais altos na Costa do Pácifico face ao interior dos USA.)
    .
    .
    Algumas noticias:
    .
    http://af.reuters.com/article/energyOilNews/idAFL4E8DS4SR20120228
    .
    http://finance.yahoo.com/news/asia-distillates-margins-steady-philippines-111534152.html
    .
    http://www.platts.com/weblog/oilblog/2012/02/09/february_shaping.html
    .
    .
    Mas o mercado não funciona normalmente. Recentemente descobrir que os produtores americanos precisam de autorização do governo federal para exportarem. O que é surpreendente. Pelo que soube, como os preços nunca tiveram este spread, nunca ninguém se importou muito com uma lei antiga. Hoje essa lei faz estragos.
    .
    .
    Mas o spread de quase 20 dólares não se justifica, apesar de tudo. Na minha opinião, tal acontece por mera manipulação do mercado, por grandes casas de investimento. Mas sem provas, é mera especulação minha.

    Gostar

  9. 20 Março, 2012 11:10

    No liberalinhismo, pedir a baixa dum imposto em tempo de crise é “pedinchice ao … Estado … paizinho protector … para a manutenção do padrão de vida”. Está tudo dicto.

    Gostar

  10. 20 Março, 2012 11:25

    Xiça,
    .
    “Já agora LR, será que tem dados que mostrem a evolução do preço do petróleo ao longo das últimas 3 décadas, tendo em conta a inflação? Julgo que seria um gráfico também bastante interessante….”
    .
    Veja por exemplo este estudo. Integra vários gráficos com os preços reais do crude.

    Gostar

  11. Xiça permalink
    20 Março, 2012 11:26

    Anticomuna, já tivemos esta discussão antes, e depois disso saiu um artigo sobre o assunto no zerohedge, sim eu sei, que este site é só maluquinhos do apocalipse que ocorrerá inevitavelmente amanha de manhã, mas o artigo até me parece bastante equilibrado, dê uma olhadela:
    http://www.zerohedge.com/news/guest-post-story-behind-us-gas-price-pain
    .
    E tal como tinha dito na nossa última discussão, continuo é sem perceber a Europa nisto tudo… Da Líbia ao Irão, não entendo as movimentações europeias, parecem tiros no pé para encarecer os preços do petróleo e respectiva competitividade, mas não consigo mesmo alcançar explicações para tal, é algo que não consigo mesmo entender. E eu que não sou nada adepto de teorias da conspiração, não posso deixar de considerar que estes últimos atentados em França tresandam que se farta a “False Flag”.

    Gostar

  12. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 11:39

    Obrigado pelo link, caro Xiça.
    .
    .
    “Da Líbia ao Irão, não entendo as movimentações europeias, parecem tiros no pé para encarecer os preços do petróleo e respectiva competitividade, mas não consigo mesmo alcançar explicações para tal, é algo que não consigo mesmo entender. E eu que não sou nada adepto de teorias da conspiração, não posso deixar de considerar que estes últimos atentados em França tresandam que se farta a “False Flag”.”
    .
    .
    Quanto aos atentados, também parecem demasiado “convenientes” para acreditar que são normais. Quero dizer, normalidade entre a forma de pensar dos eventuais terroristas. Isto só beneficia o establishment e não creio que eles, os normais terroristas, caíssem nesse erro.
    .
    .
    Eu também não entendo o papel da Europa, em especial a França. Repare que até a porcaria do nabucco pipeline foi por água abaixo, devido ao que os americanos querem fazer ao Irão. A única explicação que eu encontro (mas é uma má estratégia) é a esperança de alguns, que depois podem jorrar as vastas reservas iranianas, para niveis da Arabia Saudita, após o controlo do Irão. É a única explicação que eu vejo, no que andam os europeus a fazer.
    .
    .
    Todavia, também é preciso ver que, me parece, a Europa está a fazer jogo duplo. (Ou melhor, quase todos os aliados dos americanos, desde indianos, japoneses, etc.) Por um lado pressiona o Irão, por outro, já cedeu e quer continuar as negociações com o Irão.
    .
    .
    Os russos e os chineses estão do lado dos iranianos. (Os chineses têm contratos de longa duração com os iranianos e ninguém lhes garante fornecimentos alternativos aos iranianos.) os russos parece que até já têm tropas na Siria. (E desconfio que vão acabar as campanhas na imprensa ocidental contra o regime sirio.) E para cereja no bolo, os russos parece que estão dispostos a financiar gregos, malteses e cipriotas, em troca do acesso aos seus recursos energéticos potenciais.
    .
    .
    Eu penso que a coisa é mais complicada do que estamos a ver e se calhar o tabuleiro ainda muito maior do que aquele que estamos a ver. Nada bate certo. É como se os russos e os chineses estivessem a jogar xadrez com os americanos e europeus. Mas os europeus parecem estar a ser calimeros. Em especial os franceses.

    Gostar

  13. Xiça permalink
    20 Março, 2012 11:45

    LR, obrigado pelo documento. Mas se fosse possível com preços em Portugal, quer do petróleo que da gasolina tendo em conta a inflação, seria ouro sobre azul.
    Em tempos li estes posts num blogue, que achei bastante curiosos, mas fiquei com algumas dúvidas se as contas estariam bem feitas.
    http://anossaterrinha.blogspot.pt/2012/02/numeros-da-nossa-terrinha-14-gasolina.html
    http://anossaterrinha.blogspot.pt/2012/02/numeros-da-nossa-terrinha-16-gasolina-e.html
    http://anossaterrinha.blogspot.pt/2012/02/numeros-17-portagens-nas-ae-de-acesso.html

    Gostar

  14. Xiça permalink
    20 Março, 2012 11:49

    Eu também não entendo o papel da Europa, em especial a França. Repare que até a porcaria do nabucco pipeline foi por água abaixo, devido ao que os americanos querem fazer ao Irão. A única explicação que eu encontro (mas é uma má estratégia) é a esperança de alguns, que depois podem jorrar as vastas reservas iranianas, para niveis da Arabia Saudita, após o controlo do Irão. É a única explicação que eu vejo, no que andam os europeus a fazer.

    São já demasiadas “estórias” que envolvem a França e o respectivo Sarkozy. Da Líbia ao Dominique Strauss-Kahn, e agora estes atentados. Começa a cheirar demasiado a esturro por aquelas paragens. Ainda não percebi é o porquê….

    Gostar

  15. aremandus permalink
    20 Março, 2012 11:52

    o PPC quando tinha a cabeça menos rarefeita de cabelo defendia isto, só para chatear:
    http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=920922

    Gostar

  16. Xiça permalink
    20 Março, 2012 11:56

    Aremandus, os políticos da nossa direita passam a vida na oposição a apelar à baixa de impostos, mas depois nunca os baixam quando estão no poder. Ficou para a história o “choque fiscal” do Barroso, com o país a assistir a uma gigantesca cavalgada na subida de impostos desde esses anos (embora a culpa não fosse mesmo dele).
    Ainda dizem que Portugal é um perigoso paraíso neo-liberal hehehe.

    Gostar

  17. Xiça permalink
    20 Março, 2012 12:05

    Aliás, fico surpreendido pelo amadorismo dos nossos políticos de direita, ainda ontem o Gaspar prometia a retoma do crescimento em 2013, parece um Déjà vu do socratismo. Nenhum político deve dizer essas coisas, mesmo que acredite sinceramente nelas, e eu até acredito em parte que seja possível. Mas é um amadorismo extremo fazer afirmações dessas ou outro tipo de promessas, que depois mais tarde basta linkar com a realidade passada e futura. São visões de curto prazo sem ter em conta que o que diz hoje se pode virar contra ele amanhã, e um político que pensa no curto prazo, não pode nunca ser um bom político.

    Gostar

  18. 20 Março, 2012 12:07

    aremandus,
    .
    “o PPC quando tinha a cabeça menos rarefeita de cabelo defendia isto, só para chatear:
    http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=920922
    .
    Na altura confessei a minha Desilusão.

    Gostar

  19. aremandus permalink
    20 Março, 2012 12:08

    Xiça,
    um político que pensa no curto prazo, nunca será um bom político!

    Gostar

  20. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 12:11

    Há noticias que são mesmo interessantes. Se o preço do crude na Europa é mais alto que nos USA (em termos teóricos, na prática, nas bombas, não o é), porquê que a Arabia Saudita manda para os USA o seu crude, em reserva?
    .
    .
    “Saudi Arabia has reportedly hired 11 supertankers capable of carrying 2m barrels of oil each in the last few days, which will set off for US ports in the Gulf of Mexico in the next few weeks.
    .
    That compares to the one supertanker every two months sent to the US from Saudi last year, the Financial Times reported.
    .
    President Barack Obama is under pressure to bring down the price of gasoline, one of the key issues for US voters, as he steps up his re-election campaign.”
    .
    in http://www.telegraph.co.uk/finance/oilprices/9154820/Saudi-Arabia-sends-tankers-to-US-with-pledge-to-bring-down-oil-price.html
    .
    .
    Ou não será o preço que pagam pelo facto dos americanos estarem a ajudar a abafar o clima de pré-guerra civil que se vive na Arabia Saudita? O Irão parece que está a conseguir desestabilizar a Arabia Saudita, o que é outra vitória para aquele regime maluquinho.
    .
    .
    Os ocidentais meteram-se numa guerra que não podem ganhar. E vamos todos pagar bem caro pela cabeça oca do Obama. Gulp!

    Gostar

  21. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 12:11

    Anti-Comuna, Xiça,
    .
    Já resolveram 80% do puzzle. Quando resolverem os 20% verão que afinal rebuscaram demais as respostas.
    .
    O jogo é muito mais simples, e parece uma anedota: um publicitário francês, um chinês e um russo encontram-se num bar com um bartender americano, antigo publicitário. O bartender americano e o seu sócio inglês estão prestes a perder o bar por dívidas ao banco, o francês o emprego por grande incompetência, o chinês tem já o nariz a fungar e suspeita que tem gripe que o vai meter de cama por umas semanas. O russo, esse está-se nas tintas para todos e só quer aproveitar a desfortuna dos seus concorrentes para lhes atacar e arrebatar os clientes, um a um.
    .
    Esperamos o fim da anedota. Seja qual for o fim, ou vai haver risos ou choros.

    Gostar

  22. JDGF permalink
    20 Março, 2012 12:14

    “Mas se porventura o mercado não corrigir….”
    Bem, esbarrar com esta hipotética nuance, depois de 2008, é simplesmente aviltante… para a dignidade (política, social, económica e finaceira) de qualquer cidadão dito “ocidental”.
    Podemos cometer erros, uns atrás dos outros, por motivações diferentes. Podemos ser otários. Mas não esperemos ser julgados como (e por) “inocentes”…

    Gostar

  23. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 12:33

    Anti-Comuna,
    .
    Onde têm os sauditas os seus investimentos? No Ocidente. Esses tipos desprezam-nos, mas precisam de nós. Se os Estados Unidos fossem ao ar (e com ele a Europa), que faria a Arábia Saudita com o petróleo? Não serve para beber.
    .
    Esta atitude dual é que é desconcertante: se por um lado o Wahabismo apoia as mais diversas fações jihadistas, por outro lado combate-as. Temos uma águia bicéfala na Arábia Saudita? Temo que sim, que essa bicefalia mostre fortes divisões no governo desses países (não só a Arábia Saudita).
    .
    Porque é que a Arábia Saudita vende aos Estados Unidos em vez de à Europa? Porque não pensam no curto prazo. A chave, no meu ver, assenta em duas possíveis explicações:
    .
    Creio que os sauditas que pensarão ser mais simples manter os combustíveis altos secando a Europa que secando os Estados Unidos. Ao contrário dos Estados Unidos, a Europa (passe-se a Noruega e a Escócia), poucas reservas exploráveis tem. Esta é uma possível explicação.
    .
    A outra, mais complementar, creio eu, que alternativa, tem a ver com a possível primavera árabe que de desenha e deseja nos países do Golfo (seguida do indesejável inverno salafista e wahabista que sem dúvida advirá). Enviando petróleo para os Estados Unidos, mantém-se o refúgio supremo para um Said exilado.
    .
    Há também o acordo secreto de 1949 entre os Estados Unidos e o pai do rei Said mas, como sabemos, vale o que vale, embora os sauditas se considerem homens de honra.
    .
    Repare que se eu estivesse periclitante no poder (todas as ditaduras e democracias o são, pois o ditador depende no fim de tudo da boa vontade das suas hostes repressivas, e da capacidade de exercer a violência e a força) eu faria um ninho onde me pudesse refugiar no exterior. Os Estados Unidos são mais tolerantes e menos dados a exigências anti-islâmicas que a Europa (veja o caso dos minaretes na Suiça ou das burkas em França). Se eu fosse saudita, escolheria os Estados Unidos, onde poderia ter uma vida regalada e sem muitas perguntas, desde que tivesse dólares em quantidade suficiente e não fizesse muitas ondas.
    .
    Por mim, o envio desses petroleiros para os Estados Unidos indicia que a polícia secreta antevê distúrbios possíveis para este ano. Felizmente, se isso acontecer, a Rússia e o Casaquistão poderão substituir os sauditas, mas precisamos da boa vontade do Putin, e essa, enfim!, acha mesmo que poderemos contar com ela?

    Gostar

  24. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 12:47

    “Por mim, o envio desses petroleiros para os Estados Unidos indicia que a polícia secreta antevê distúrbios possíveis para este ano. Felizmente, se isso acontecer, a Rússia e o Casaquistão poderão substituir os sauditas, mas precisamos da boa vontade do Putin, e essa, enfim!, acha mesmo que poderemos contar com ela?”
    .
    .
    Acha mesmo que algum país pode substituir a produção actual saudita? Nenhum país do mundo. E se todos os actuais produtores fizerem um esforço, nem assim conseguiriam substituir os sauditas.
    .
    .
    Para já, o único país do mundo que se antevê como substituto da Arabia Saudita é mesmo o… Brasil. Mas o Brasil para o conseguir, vai fazer um esforço de tal forma, que não será fácil. Repare que poucos dominam as tecnologias necessárias para tirar o pitroil já descoberto no Brasil, logo, está a ver o risco, não está? (Veja-se que, mais uma vez, os americanos fizeram asneira da grossa no Brasil, demonstrando que perderam a capacidade de liderança tecnológica, que durante anos tiveram.)
    .
    .
    A Galp, hoje, deu mais noticias do bloco BM-S-8. E será mais uma potencial gigantesca descoberta de crude. Só que para tirar dali o pitroil, muito vai ser necessário investir. E o Brasil começa a ter problemas em conseguir dar conta do recado, e quase mais ninguém tem capacidade tecnológica para substituir os produtores brasileiros.
    .
    .
    O comunicado da Galp: http://www.galpenergia.com/PT/investidor/Noticias/Documents/2012/BMS8Carcaravpt.pdf
    .
    O tamanho do bloco (o maior deles todos): http://www.tnpetroleo.com.br/images/mapa_pre-sal.jpg
    .
    Os brasileiros (duas companhias) compraram 20% do bloco à Shell: http://ri.qgep.com.br/queirozgalvao/web/conteudo_pt.asp?idioma=0&tipo=33966&conta=28&id=146319
    .
    .
    Dsiclaimer: detenho acções da Galp.

    Gostar

  25. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 13:00

    Tecnologia portuguesa soma e segue:
    .
    .
    “O Banco Espírito Santo lançou hoje um cartão de crédito que permite efectuar compras através do telemóvel.
    A solução desenvolvida pela CardMobili traduz-se num cartão BES que está disponível em telemóveis iPhone e Android, através da aplicação CardMobili.
    .
    Este cartão de crédito é “dedicado para compras no mundo virtual, não funcionando em terminais de pagamento automático ou caixas Multibanco”, divulgou a Cardmobili em comunicado.
    .
    A tecnológica afiança que este cartão “está devidamente protegido por PIN/código definido pelo utilizador, funcionando como um cartão digital” e não terá custos adicionais para o cliente.
    .
    A aplicação CardMobili disponibiliza mais de 2.000 formatos de cartões de cliente, pontos e descontos. Para além de Portugal, o CardMobili está disponível em diversos países europeus e ainda nos Estados Unidos e Canadá.”
    .
    in http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=545611
    .
    .
    Sem muitas fanfarras, os portugueses vão palmilhando o seu caminho, na liderança de soluções do chamado dinheiro digital. E há mais empresas tugas apostadas nestes novos métodos de pagamentos. Mas este acordo, mostra que a banca portuguesa acordou para o potencial filão.

    Gostar

  26. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 13:20

    Infelizmente, os sauditas não estão a ter pedalada para aumentar a sua produção para niveis anteriores.
    .
    .
    “Saudi’s spare capacity has fallen to the lowest level since 2008 after the kingdom boosted its production to 10m barrels a day, a 30-year high.
    .
    Saudi Aramco plans to revive the Dammam, the kingdom’s first facility that produced oil in 1938 and was mothballed in 1980. The state-owned company has already fast-tracked the development of the giant Manifa oil field.
    .
    The measures by Riyadh come as other countries in Opec, the oil producers’ cartel, also boost their exports. Iraq is bringing about 300,000 b/d of fresh sales on top of current export of about 2.1m b/d with the opening of a new oil terminal in the Gulf. Saudi Arabia also believes that fellow Gulf countries Kuwait and the United Arab Emirates would be able to boost their exports by several hundred thousand barrels in an emergency.”
    .
    in http://edition.cnn.com/2012/03/19/business/saudi-oil-market/index.html
    .
    .
    E quase ninguém conseguirá substituir os sauditas, caso eles entrem em guerra civil. Esse é um problema que vamos ter que lidar com ele, nos próximos tempos.
    .
    .
    Todos os grandes produtores estão a anunciar aumentos de produção e colocação nos mercados. Desde a Libia até ao Iraque. E apesar destes anúncios estarem a mostrar que chega e sobra para os aumentos de consumo previstos, os preços do crude continuam a subir. O brent em euros está a bater recordes históricos.
    .
    .
    Portanto, os preços do mercado estão a contrariar toda a informação conhecida. Ou seja, ou os mercados são irracionais e manipulados ou há informação não pública que está a mandar os preços dos crude para cima.
    .
    .
    Se o problema for mesmo a Arabia Saudita e o clima de pré-guerra civil se confirmar, temos aqui um eventual colapso no abastecimento dos mercados. O que é que nós sabemos sobre a Arabia Saudita? Nada! Ou muito pouco. Ainda há dias, os insurgentes na Arabia Saudita conseguiram algo que era impensável há anos: estoirar com capacidade de escoamento do pitroil saudita.
    .
    .
    O que nos leva a duvidar sobre o que realmente se passa, não apenas na Siria ou no Irão, mas sobretudo na Arabia Saudita. Porque, as noticias da prisão de espiões ao serviço do Irão, no Casaquistão, mostram um potencial risco, criado pelos americanos: o Irão estar a financiar revoluções nos regimes tradicionalmente aliados dos americanos e alinhados contra o Irão.
    .
    .
    Se virmos bem as coisas, se a Arabia Saudita desata aos tiros, uns contra os outros, não há capacidade para substituir o fornecimento deles aos mercados mundiais. E os investimentos necessários para colmatar a produção saudita são de tal forma gigantes e morosos (sem falar na falta de know how, na maioria dos novos produtores no Atlêntico), que o mundo poderia sofrer um choque do lado da oferta de crude. As consequências…
    .
    .
    A estupidez do Obama está a criar as condições para sofrermos um cataclismo económico, se as coisas correm mal, não apenas no Irão, mas sobretudo na Arabia Saudita. Os ocidentais, que andam a usar a defesa dos direitos humanos e a democracia, para controlarem alguns países, o que farão quando se tornar visível que o regime saudita está a cometer o mesmo tipo de atrocidades? Este Obama e seus calimeros, anda a brincar ao xerife do mundo mas vai acabar por gerar a semente da derrota ocidental. Se o gajo não é estúpido, disfarça mal. ehehheheh

    Gostar

  27. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 14:00

    Anti-Comuna,
    .
    As maiores reservas de petróleo e de gás ainda estão na Rússia. É óbvio que o Irão tem capacidade de mexer com os mercados mundiais, fomentando revoluções nos países fornecedores de petróleo muçulmanos. Felizmente, não o consegue fazer nem na Rússia nem na Noruega. Mas está a fazê-lo onde pode fazer, seja no Golfo, seja no Casaquistão e bem tenta sem sucesso fazê-lo no Afeganistão.
    .
    Por isso é que lhe disse há duas semanas a esta parte que não contava neste momento com uma descida abrupta dos preços do petróleo. Também, confesso, não esperava de modo nenhum uma subida desses preços. Pensava que em seis meses estariam nos USD 110, e não nos USD 70, como avançado pelo LR.
    .
    É bom que nos viremos para as energias mais sustentáveis do ponto de vista geo-estratégico: a nuclear, a solar térmica e a eólica, mas de modo economicamente sustentado. Se não pensarmos em termos económicos e financeiros, com a utopia verde podemos simplesmente tornar o país economicamente inviável e incapaz de produzir a preços competitivos.
    .
    A herança do Sócrates é pesadíssima. Mas pai morto, filho posto. É, sei, um caminho árduo aquele que espera qualquer governante nestes tempos de reajustamento. Espero, e continuo a ser optimista: sairemos da crise muito melhor do que entramos nela. Com as exportações a 40% do PIB, uma balança comercial positiva e uma balança de pagamentos quase equilibrada, 2012 será, se não houverem grandes convulsões, o ano do «a primeira vez desde que se tiram séries».
    .
    Os sinais já estão aí. Basta que o Estado não se arme agora nem em pedreiro nem em consultor, que a economia (o povo, a arraia miúda, os que trabalham e não se arrogam ser trabalhadores) vai surpreender-nos. Neste contexto sim, será o grande milagre económico português que começa.

    Gostar

  28. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 14:00

    O que é que nós sabemos sobre a Arabia Saudita?
    .
    .
    A posição oficial americana é esta:
    .
    “There Will Be No Uprising in Saudi Arabia
    .
    Contrary to what you might have heard, the kingdom is hardly ripe for revolution.”
    .
    in http://www.foreignpolicy.com/articles/2011/03/10/there_will_be_no_uprising_in_saudi_arabia
    .
    .
    E é isto que a imprensa ocidental acredita e relata.
    .
    .
    Mas há pelo menos uma guerra civil de ideias:
    .
    “Ideological Civil War in Saudi Arabia”
    .
    in http://xrdarabia.org/2010/11/28/ideological-civil-war-in-saudi-arabia/
    .
    .
    Mas só de ideias? Há anos que sabemos os problemas que o regime saudita vive:
    .
    “U.N.: Yemen’s civil war spreads to Saudi Arabia
    .
    Fighting in northern Yemen has moved into Saudi Arabia, forcing school closures and sending thousands fleeing, according to the United Nations.

    “Fighting has now spilled into Saudi Arabia, reportedly causing 240 villages to be evacuated and more than 50 schools to be closed, ” Sigrid Kaag of UNICEF said in a statement this week. “The total number of people displaced by the conflict since 2004 has gone up to more than 175,000, from an estimated 150,000 only a few weeks ago.””
    .
    in http://articles.cnn.com/2009-11-14/world/yemen.fighting_1_saudi-arabia-al-houthi-official-news-agency-saba?_s=PM:WORLD
    .
    .
    Há três anos que a ONU relata estes problemas. Mas isto é velho e nunca o regime conseguiu acabar com os insurgentes.
    .
    .
    “The Saudi Civil War
    .
    Who is fighting? Who will win?”
    .
    in http://www.slate.com/articles/news_and_politics/foreigners/2004/06/the_saudi_civil_war.html
    .
    .
    E há uns dias atrás, os insurgentes conseguiram, pela primeira vez em anos, atacar os pipelines sauditas:
    .
    “Saudi Oil Pipelines Destroyed In Explosion, Sends Crude Soaring”
    .
    in http://www.zerohedge.com/news/saudi-oil-pipelines-destroyed-explosion-sends-crude-soaring
    .
    .
    Que nós tenhamos conhecimento, esta é a primeira vez que os sauditas viram as suas infraestruturas a irem para o galheiro. A imprensa ocidental, claro, alinhada pelo discurso americana, nada relatou.
    .
    .
    Os sauditas andam num jogo esquisito:
    .
    “Saudi Arabia sends military equipment to Syria rebels, says Arab diplomat”
    .
    in http://articles.economictimes.indiatimes.com/2012-03-17/news/31204946_1_syrian-national-council-syrian-rebels-syrian-opposition
    .
    .
    Afinal o que sabemos nós do que se passa na Siria, no Irão e sobretudo na Arabia Saudita? Nada! Pouco sabemos. Mas o facto de nada sabermos, não quer dizer que nada se passa.
    .
    .
    Agora vejamos os erros ocidentais. Estamos a mudar regimes em nome dos direitos humanos e da democracia. Mas fazemos alianças com grupos tidos como pertencentes à Al Qaeda na Libia. E fazemos alianças com grupos radicais na Siria, que também estão agora a serem acusados de violações dos direitos humanos na Siria, perseguindo quem seja suspeito de pertencer ou suportar o regime da Siria.
    .
    .
    Mas o que vamos fazer se na Arabia Saudita começarem aos tiros, uns com os outros? Vamos apelar à ONU para apoiar os insurgentes? Isso é o que Irão espera fazer e mostrar a hipocrisia ocidental e tentar virar os arabes e demais muçulmanos contra o ocidente. O que irá fazer o Obama? Apoiar o regime saudita e ao mesmo tempo apoiar os insurgentes na Siria, que usam as mesmas bandeiras dos insurgentes sauditas?
    .
    .
    Moral da história. Andamos a semear a violência nos regimes fornecedores dos europeus. (Por isso não se entende estes calimeros europeus.) E, no entanto, damos espaço aos iranianos para fazerem o mesmo, que mais tarde poderão usar a cobertura da ONU para mostrar que a estratégia americana é um completo desastre. E é. Se virmos, desde o Iraque ao Afeganistão, todos estão a virar-se contra os americanos, mesmo aqueles que lá foram metidos no poder pelos próprios americanos.
    .
    .
    Os russos batem palmas e os chineses, como é costume, fazem auqilo que antigamente faziam alguns ocidentais: não nos metemos nos assuntos internos de cada país. Venha é daí o pitroil.
    .
    .
    Quem vai perder esta guerra? Os ocidentais.

    Gostar

  29. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 14:04

    “As maiores reservas de petróleo e de gás ainda estão na Rússia. É óbvio que o Irão tem capacidade de mexer com os mercados mundiais, fomentando revoluções nos países fornecedores de petróleo muçulmanos. Felizmente, não o consegue fazer nem na Rússia nem na Noruega. Mas está a fazê-lo onde pode fazer, seja no Golfo, seja no Casaquistão e bem tenta sem sucesso fazê-lo no Afeganistão.”
    .
    .
    De que vale as reservas se demora bastante tempo a produzir? Vc. não pode pensar apenas em reservas, mas no espaço de tempo que demora, entre decidir produzir e esta produção ser colocada nos mercados. As reservas pouco interessam para o que estamos em risco de viver: um choque do lado da oferta.
    .
    .
    Por outro lado, os adversários dos americanos é que ficam contentes: vendem cada vez mais caro. ehehheheeh Mesmo os pataratas da Venezuela, que assim mantêm o fluxo financeiro, apesar das cada vez maiores dificuldades em mandar cá para fora as reservas que têm.
    .
    .
    O problema aqui não é de reservas (ou falta delas) é produzir. E a produção não sobe de um dia para o outro, para os niveis necessários para substituir os fornecimentos sauditas.

    Gostar

  30. tric permalink
    20 Março, 2012 14:16

    os ocidentais!!?? os Israelitas !!! e a Europa e o Estado Unidos ( controlado pelo lobi Judaico ), são os seus bobis…a Portugal vai pagar caro, com a brincadira dos Israelitas…aliás, já está a pagar…a crise financeira dos EUA, foi resultado de outra brincadeira da Judiaria americana…

    Gostar

  31. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 14:32

    Anti-Comuna,
    .
    O problema aqui não é de reservas (ou falta delas) é produzir. E a produção não sobe de um dia para o outro, para os niveis necessários para substituir os fornecimentos sauditas.
    .
    Havendo excedentes e reservas em inventário, não creio que a queda improvável da produção na Arábia Saudita não pudesse ser colmatada pelo hiato entre a decisão de produção e a própria produção. Veja que estão a ser mandados DOIS ANOS de petróleo para os Estados Unidos, 11 petroleiros. Com as reservas no máximo, o Mundo está (por razões essas infelizes) pronto para uma crise no fornecimento.

    Gostar

  32. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 14:32

    Eu acho que muitos ocidentais continuam a cair nos mesmos erros de sempre. Pensam sempre em reservas e nunca em reservas ( e como elas são calculadas) mais capacidade de produção.
    .
    .
    Voltemos ao Brasil. O Brasil deve já ser um dos países com mais reservas no mundo. Mas o ano passado só produziu, mais ou menos, 2,7 milhões de barris por dia. Mas espera produzir cerca de 6 milhões em… 2020! Porquê? Por duas ordens de razões. Uma, é que o governo brasileiro quer que sejam os brasileiros a explorar o grosso da sua produção prevista. Mas a segunda grande razão, é que tecnologicamente, poucos no mundo conseguem produzir crude nas condições que os brasileiros começam a produzir. (E que são, mais ou menos, as condições das novas descobertas. Desde o Gabão, à Namibia, Angola, etc.
    .
    .
    Portanto, grande parte das recentes descobertas, só poderão produzir a sério, para daqui a 10 anos! 10 anos!
    .
    .
    Sobram os tradicionais países produtores. Mas mesmo que eles decidam produzir mais, a capacidade de produção actual não chega para colmatar a falta de crude, tanto iraniano como e, sobretudo, saudita. Logo, é preciso investir mais em capacidade de produção e novas ou mais infraestruturas para o escoamento desta produção. E isto demora anos, quanto maior as necessidades do mercado (por causa do choque do lado da oferta) mais anos demora a colocar cá fora as reservas.
    .
    .
    Há muita gente que acha que, num fechar de olhos, se pode pegar nas reservas e pôr no mercado essas reservas. Os americanos, embalados com a ideia que já têm gás natural e mais crude com as novas técnicas do betume xistoso, acham que podem desestabilizar os fornecedores europeus sem sofrer as respectivas consequências. (Por isso, eu defendo que os preços do WTI são manipulados) Só que, o problema, é que os americanos dependem ainda da Arabia Saudita. E se lá desatam aos tiros, bem podem comer o gás e o crude, que vão sofrer imenso. (E por isso é que os preços da gasolina estão a subir e a empurrar o próprio WTI, o que mostra que eles podem manipular os preços do crude, mas ainda não os da gasosa.)
    .
    .
    Os ocidentais, alguns embalados com a estupidez da guerra das civilizações, armados em novos templários, acham que algum dia ganharão esta guerra. Os gajos podem deixar de exportar pitroil e todos nós sofremos as consequências. Aliás, o Irão até se dá ao luxo de comprar cereal americanos nos mercados internacionais e no entanto, os americanos andam a tentar fazer um embargo à economia iraniana. O que por aqui se vê, que os americanos estão a perder a capacidade de mandar no mundo e nos seus próprios fornecimentos.
    .
    .
    Moral da história. Temos os preços do brent nos máximos de sempre. O consumo de crude em queda. Anúncios de enormes quantidades de crude no mercado. Mas mesmo assim, os preços continuam fortes.
    .
    .
    E há mesmo no ocidente quem ache que alguma vez iremos ganhar esta guerra. Nem os americanos e têm mais gás natural e mais potencial crude para explorar. Nem eles!

    Gostar

  33. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 14:34

    “Havendo excedentes e reservas em inventário, não creio que a queda improvável da produção na Arábia Saudita não pudesse ser colmatada pelo hiato entre a decisão de produção e a própria produção. Veja que estão a ser mandados DOIS ANOS de petróleo para os Estados Unidos, 11 petroleiros. ”
    .
    .
    Dois anos? Ou dois dias? 😉
    .
    .
    E acha que temos reservas para dois anos? Nosso senhor, Vc. equivocou-se aqui algures.
    .
    .
    Nós não temos para mais de 90 dias. 😉
    .
    .
    PM Aliás, eu também acho que a nivel cerealífero a coisa também é arriscada, embora menos. Porque, felizmente, há muito mais oferta e a produtividade está a subir em muitos países.

    Gostar

  34. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 14:44

    Já agora. Sabem quanto tempo estão os americanos a tentar trazer a produção iraquiana para o volume produzido de antes da 1ª Guerra do Golfo? Há quantos anos estão eles a tentar com que o Iraque ponha cá para fora a produção? Já lá vão mais de 8 anos, desde que o regime implodiu. No entanto…
    .
    .
    Se houver guerra no Irão, quantos anos demorá até que a produção retome aos valores de antes do embargo?
    .
    .
    E se houver guerra na Arabia Saudita? Quantos anos?
    .
    .
    E acham que isto se resolve em apenas 1 ano ou dois? ehhehheheh
    .
    .
    Anda tudo a sonhar com gambuzinos. 😉

    Gostar

  35. Xiça permalink
    20 Março, 2012 14:45

    Por isso é que lhe disse há duas semanas a esta parte que não contava neste momento com uma descida abrupta dos preços do petróleo. Também, confesso, não esperava de modo nenhum uma subida desses preços. Pensava que em seis meses estariam nos USD 110, e não nos USD 70, como avançado pelo LR.
    Eu estou convencido que se não forem estas merdas todas, Irão e tudo isso, o petróleo daria um tombo para esses níveis sim, 70 ou 80. Mas que muitas forças se juntam para que não seja assim…
    .
    De que vale as reservas se demora bastante tempo a produzir?
    Exacto. O mesmo digo de algumas euforias que andam por aí sobre o gás xistoso…
    .
    Mesmo os pataratas da Venezuela, que assim mantêm o fluxo financeiro, apesar das cada vez maiores dificuldades em mandar cá para fora as reservas que têm.
    Não foi notícia cá, mas a Venezuela depois das nacionalizações suicidas, está agora a privatizar discretamente o sector, aos capitais chineses hehehe
    http://www.bloomberg.com/news/2012-03-02/pdvsa-said-to-consider-lower-orinoco-venture-stakes-for-hong-kong-listing.html
    http://caracaschronicles.com/2012/03/06/fin-de-mundo-la-revolucion-quiere-privatizar-parte-de-pdvsa/

    Gostar

  36. 20 Março, 2012 14:49

    Tudo normal e as contas estão bem feitas…não fosse em 2008 ter visto e ouvido na televisão (salvo erro num Prós e Contras) um representante da APETRO dizer que…a cotação do Euro era indiferente porque o barril de petróleo era pago em dólares…! Então agora a cotação já interessa???!!!!

    Gostar

  37. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 14:51

    Anti-Comuna,
    .
    Dois anos.
    .
    That compares to the one supertanker every two months sent to the US from Saudi last year, the Financial Times reported..
    .
    Eu leio o que o Anti-Comuna escreveu. 😉

    Gostar

  38. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 14:54

    “Exacto. O mesmo digo de algumas euforias que andam por aí sobre o gás xistoso…”
    .
    .
    Na Europa, vai ser dificil impôr esse tipo de produção. Uma, é a legislação que rege as propriedades no subsolo. Que não sendo privados os direitos, irão impedir que os privados permitam a instalação dos equipamentos para extrair este tipo de recursos. O segundo ponto, é que o fracturamento pode ser um desastre ambiental. E ninguém na Europa vai deixar que os aquíferos sejam postos em risco para sacar gás.
    .
    .
    Na China vão agora apostar forte e feio no gás xistoso, mas porque é, ainda, um regime ditadorial. Se não o fosse, duvido que eles conseguissem impôr essas novas tecnologias sem garantias de não poluir os aquiferos.
    .
    .
    Os americanos, com o tempo, é que vão ser as cobaias. ehehehheh

    Gostar

  39. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 14:57

    Caro Colaço, leia bem:
    .
    .
    “Saudi Arabia has reportedly hired 11 supertankers capable of carrying 2m barrels of oil each in the last few days, which will set off for US ports in the Gulf of Mexico in the next few weeks.”
    .
    .
    22 milhões de barris. O que serve os americanos para dois dias. (Incluindo aqui a produção americana.) Vá, três dias. eheheheheh

    Gostar

  40. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 15:08

    Há outro factor que escapa à maioria dos analistas.
    .
    .
    Se houve ruma guerra contra o Irão, está garantido que não haverá o uso de armas nucleares? Esta pergunta é importante. Porque, apesar de tudo o que se diz por aí, o Irão pode não ter capacidade de produção nuclear, mas pode ter misseis nucleares. Comprados a outros e, pelo menos, à máfia russa.
    .
    .
    O Paquistão de que lado estará? E esses, não apenas produzem armas nucleares como poderão ter vendidos misseis a alguns da região. (É preciso ver que o regime de lá é controlado pelos seus serviços secretos e amigos de alguns regimes mais radicais.)
    .
    .
    Agora, imagine-se o uso de bombas nucleares naquela região. Quantos anos sem se poder extrair crude?
    .
    .
    os americanos andam armados em gringos e podem piorar ainda muito mais a situação. Enfim.

    Gostar

  41. aremandus permalink
    20 Março, 2012 15:19

    o preço do pitroil descerá uns 15% a 20% lá para fins de abril,maio, como previu LR.
    não tardará a reflectir-se nos preços ao consumidor a previsão da AIE para este ano de 2012 da redução da procura até 89,9 milhões de barris diários.

    Gostar

  42. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 15:22

    Anti-Comuna,
    .
    Se a Arábia Saudita manda 12 milhões de barris ou 24 dias de consumo norte-americano por ano (36 dias, vá lá), então os Estados Unidos não são assim tão dependentes da Arábia Saudita como se diz. É o que infiro da leitura do artigo que aqui transcreveu e dos dados que pôs em cima da mesa.
    .
    Ademais, há petróleo em existências, logo nem a falta de um mês de produção num ano seria impossível. Ademais, qualquer que seja o regime que suceda a uma queda da casa Faud, este estará interessado em manter a produção ou restaurá-la assim que possível. Sabe tão bem como eu que se os sauditas quiserem comer uma galinha naquele país, esta tem de ser quase sempre importada e paga com dinheiros de petróleo.
    .
    O Xiça tem razão numa coisa: se não fosse o Irão, provavelmente o petróleo estaria mais baixo. Disse o Irão, mas deveria dizer a birra contra o Irão e a birra do Irão. Ambos (o Ocidente e o Irão) merecem ir para o canto da sala e ficar voltados para a parede durante o resto da aula (o tempo que os chineses e os indianos levarem a expurgar as reservas do país).

    Gostar

  43. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 15:23

    Aremandus e se houver uma guerra contra o Irão? E se na Arabia Saudita a guerra civil se tornar mais feia?
    .
    .
    Olhe que eu também penso que, face ao que se conhece, os preços deviam descer. Mas eles sobem. E se sobem, de nada vale tentar adivinhar se vai descer ou não, porque isto mostra que alguma coisa está a empurrar os preços para cima. Se não sabemos o que é, mais vale tentar descobrir do que remar contra o mercado. 😉

    Gostar

  44. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 15:26

    O Paquistão não estará do lado do Irão. Sunitas contra Xiitas. A Guerra das Rosas em Verde.

    Gostar

  45. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 15:27

    “Se a Arábia Saudita manda 12 milhões de barris ou 24 dias de consumo norte-americano por ano (36 dias, vá lá), então os Estados Unidos não são assim tão dependentes da Arábia Saudita como se diz. É o que infiro da leitura do artigo que aqui transcreveu e dos dados que pôs em cima da mesa.”
    .
    .
    Não. Vc. ainda não percebeu. Mas a culpa deve ser minha. Os americanos consomem cerca de 19 milhões de barris por dia. Está a ver o problema?
    .
    .
    Se descontar o que andam a tentar encharcar o mercado (os tais inventários, em reserva) e mesmo assim os preços não caem, Vc. tem que pensar que alguma coisa está errada. Algo pode estar a acontecer que justifica este aumento de preços, apesar de todas as noticias dizerem que vem aí mais produção para o mercado e o consumo estar em queda.
    .
    .
    Agora, note bem. Os americanos consomem cerca de 19 milhões de barris por dia. 19 milhões. Se eles não tivessem produção, o que os sauditas estão a enviar, dava para cerca de 26 horas de consumo americano. Note bem: 11 superpetroleiros e apenas satisfazem o consumo americano o equivalente a cerca de 26 horas. 😉

    Gostar

  46. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 15:32

    Vcs. também têm que pensar isto em termos dinâmicos. Pensar no que aconteceria em caso de guerra. Ou guerra civil na Arabia Saudita.
    .
    .
    Depois da comida, o crude é bem mais valioso de um país. Ou o seu fornecimento. Em caso de risco de um choque da oferta, havia logo uma corrida ao crude, para precisamente, tentar garantir o funcionamento de uma economia, durante alguns meses. Ou seja, os inventários de nada servem, pois eles esgotam-se logo ou até nem sequer são libertados, pois estamos a falar de um produto necessário para o funcionamento mínimo de uma economia.
    .
    .
    Ponham-se no lugar do Passos Coelho. Imaginem que surgia uma guerra civil dura na Arabia Saudita. Ele mandavam subir ou descer o que temos em reserva para consumo?

    Gostar

  47. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 15:36

    Anti-Comuna,
    .
    Veja que o seu artigo menciona explicitamente 6 petroleiros por ano da Arábia Saudita para os Estados Unidos. Neste caso são treze horas de consumo (o que acredito). Ou o artigo que transcreveu está errado ou a Arábia Saudita pode deixar de produzir à vontade, que os americanos vão ter de fazer o grande sacrifício de passar seis minutos por dia sem petróleo. 😉

    Gostar

  48. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 15:40

    Agora, outra questão para alguns fundamentalistas contra o Estado. Quem garante o funcionamento de uma economia, em caso de um choque do lado da oferta? Quem garante reservas mínimas de crude, para garantir até o próprio funcionamento das nossas forças armadas?
    .
    .
    É que, por vezes, eu vejo por aí muita gente a bramir contra a intervenção do Estado, mas nestas alturas, todos já sabem que é nos pode salvar. 😉
    .
    .
    Já agora, outra nota. Por aqui dá para perceber a importância do acesso a fontes de abastecimento de produtos energéticos, mesmo que caros. Daí a elevada importância das descobertas de crude e gás, pela Galp. Que pode ser um braço português na garantia mínima do funcionamento da economia portuguesa.
    .
    .
    Agora, vamos todos rezar para que os americanos ganhem juizinho. Se não o ganharem, podemos acusar os iranianos, os paquistaneses ou até mesmo os marcianos. Mas os americanos é que andam a criar instabilidade no mundo, não são apenas os iranianos. E quando tamanho poder é detido por quem anda a brincar com o mundo…

    Gostar

  49. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 15:42

    “Veja que o seu artigo menciona explicitamente 6 petroleiros por ano da Arábia Saudita para os Estados Unidos. ”
    .
    .
    Os sauditas não são os únicos a fornecer os americanos. Eles apenas mandaram estes superpetroleiros para pagarem um favor político. Não tem qualquer impacto no mercado. Isto é apenas para “sossegar” os americanos, nada mais. Por isso é que Vc. tem que descontar este anuncio. Não passa de marketing politico.

    Gostar

  50. 20 Março, 2012 15:44

    sim , quem sabe aquele cientista que , imitando a fotossíntese , com 4 litros de água e uma folhinha de silício consegue energia para abastecer uma casa durante 24 horas agora consegue financiamentos para encontrar um catalisador à maneira.

    Gostar

  51. Francisco Colaço permalink
    20 Março, 2012 15:51

    Anti-Comuna,
    .
    Chegou ao busílis da questão. Como é que um país que fornece 1/600 do petróleo dos Estados Unidos pode causar mais que uma ligeira picada de mosquito nesse país? Ou o artigo está completamente errado quanto à comparação de 1 petroleiro ULCC por cada dois meses ou então a Arábia Saudita deve mandar o resto através de um oleoduto secreto, se calhar passando pelo Irão. 😉
    .
    De qualquer forma, o facto de terem enviado tem mais a ver com uma possível deposição da casa real saudita do que realmente com algum favor ao Obama.

    Gostar

  52. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 15:56

    Caro Colaço, pense nestes números.
    .
    .
    Produção mundial de crude, cerca de 84 milhões de barris por dia.
    .
    .
    Produção da Arabia Saudita: cerca de 9,5 milhões por dia.
    .
    .
    Produção do Irão: cerca de 4 milhões por dia.
    .
    .
    Consumo do Irão e da Arabia Saudita: cerca de 4,5 milhões por dia. Exportam cerca de 9 milhões por dia. (Ou exportavam, quando o Irão o podia.)
    .
    .
    Estes dois países são responsáveis por cerca de 10% do consumo mundial de crude. (Ou mais, mas pouco interessa para o caso.) Estou a usar dados da BP.
    .
    .
    Vc. acha mesmo que estes riscos não devem estar a ser incorporados pelo mercado? E Vc. acha que se houver coisas a acontecer e nós não sabemos, não está a ser incorporado nos preços do crude? E Vc. acha que se começar uma guerra ali, não temos só nestes dois países, um potencial problema de abastecimento mundial?
    .
    .
    Se as coisas correrem pior, junte os demais fornecedores de crude da zona e veja o problema. tenha em conta, que pelo Estreito de Ormuz, passa cerca de 20% da produção mundial de crude. Está a ver o problema? É por isso que eu acho que esta guerra está perdida à partida. Ou os americanos conseguem ocupar o terreno, logo nos primeiros dias da guerra, ou ficam atolados como se fosse o Afeganistão e a produção de crude irremediavelmente em risco.
    .
    .
    Eu acho que os iranianos são fracos em termos militares. Mas a guerra está ganha à partida, porque os agressores deles dependem. Se somarmos que o Irão é mesmo uma espécie de fortaleza natural, eu acho que os americanos vão-se espetar ao cumprido. E nós pagar duramente.

    Gostar

  53. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 16:05

    Vou-lhe dar outros números, mas agora do governo americano.
    .
    .
    A Arabia saudita vende cerca de 1,5 milhões de barris por dia aos americanos. Cerca de 10% do consumo americano depende da Arabia Saudita. É pouco? É o bastante para pôr em risco a própria economia americana. É que a capacidade de produção mundial, acima do consumo (e agora eu digo isto sem fontes credíveis), deve rondar os 5 milhões de barris. Metade da produção da Arabia Saudita. Onde é que vai encontrar os restantes 5 milhões? Não pode.
    .
    .
    E os demais países? Não vão procurar logo tentar a segurança de abastecimento? Vão. Logo, a procura dispara logo e vão-se inventários e até o excesso de capacidade produtiva actual.
    .
    .
    Mas uma guerra na Zona, se impedir a exportação de crude para os USA, representa logo cerca de 2,5 milhões de barris a menos para a economia americana. Se quiser ser optimista, esses 11 superpetroleiros, dão para mais 10 dias de consumo americano, em caso de falta de crude do pitroil que passa pelo Estreito de Ormuz. 10 dias, caro Colaço. 10 dias.
    .
    .
    Não há capacidade de produção do mundo para sequer satisfazer um eventual colapso do regime saudita. E para colmatar a falta de pitroil iraniano, a coisa é apertada. Não percebo como é que os americanos não estão a ver isto. Devem estar-se a fiar no Canadá na produção interna. Mas poderão sofrer um colapso económico.

    Gostar

  54. aremandus permalink
    20 Março, 2012 16:17

    Anti,
    elucide-me,p.f.
    no Sol online refere-se o aumento da gasolina para os 0,05 € e o gaósleo para os 0,06€.
    não haverá erro?
    http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=44434

    Gostar

  55. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 16:22

    O Obama é mesmo do estilo fanfarrão, que se meteu na toca do lobo.
    .
    .
    O Obama nunca deveria ter ameaçado o Irão, se não pode ou quer atacar. Se fez bluff os iranianos pouco se importam. O Obama depende mais do crude do que eles do crude.
    .
    .
    Se o Obama faz ameaças e depois não ataca os iranianos, os gajos mostram que os USA não mandam no mundo. E toda a geopolítica da zona e até do resto do mundo, muda completamente. E o Irão surge como vencedor e aos USA como derrotado.
    .
    .
    Se o Obama não fez bluff, os iranianos vão obrigar os americanos a atacarem. Se os USA não conseguirem ocupar o Irão em poucos dias, os americanos perdem logo a guerra, pelo eventual colapso da economia americana e uma depressão económica global. Os americanos estão a ficar sem saída, não são os iranianos. Eles aguentarão bem a sua economia sem receitas do crude, durante uns meses. Os americanos não. Basta ver que, a taxa de aprovação do Obama é inversamente proporcional aos preços da gasolina nos USA.
    .
    .
    Os americanos podem tentar uma saída. Usar Israel para tentar lixar os iranianos. Mas Israel apenas lhe interessa retirar capacidade agressiva aos iranianos, não resolve o problema de fundo dos americanos.
    .
    .
    Esta guerra está perdida à partida pelos americanos e pelos seus aliados, que se metam neste buraco. É por isso que, sinceramente, não entendo o papel da Europa.
    .
    .
    Ou há coisas que nos estão a escapar, ou os americanos estão a cometer um suicídio ao se armarem em fanfarrões contra os iranianos. E isso explica, talvez, o porquê que o Japão e a India, aliados dos americanos, estão a tentar furar o embargo.
    .
    .
    A China está refém da toleira alheia. E os russos, contentes, porque quanto maior a ameaça de uma guerra na zona, mais poder geoestratégico e económico obtém.
    .
    .
    O Bush era maluquinho, mas ainda sabia medir riscos e consequências. Este Obama é mesmo um desastre completo. Se a malta pensava que pior que o Bush era impossível, pois bem, a realidade está sempre à frente da ficção e o Obama é mesmo estupido como uma porta. Gulp!

    Gostar

  56. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 16:23

    Aremandus, há erro de certeza. Mas não sei os preços deles. Nunca me interessei pelo assunto, apenas sei que os gajos subsidiam os combustíveis.

    Gostar

  57. aremandus permalink
    20 Março, 2012 16:27

    teriam gasolina mais barata que os venezuelanos !!!

    Gostar

  58. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 16:39

    Mas há mais coisas. Os ocidentais, sempre com estereótipos sobre os islámicos, depois não conhecem ou surpreendem-se com isto:
    .
    .

    Pakistan, Iran become ‘natural allies’
    .
    By M K Bhadrakumar
    .
    The participation by Pakistan President Asif Ali Zardari in the two-day conference on terrorism held at Tehran on June 25 was invested with political symbolism as a mark of displeasure towards the United States. But Zardari’s return to Tehran within three weeks on a second visit on Saturday unmistakably carried the stamp of Pakistan’s “strategic defiance” of the US.
    .
    Equally, for the second time in three weeks, Iranian Supreme Leader Ayatollah Ali Khamenei received Zardari, signifying the high importance that Tehran attaches to the nascent signs of shift in Pakistan’s regional policies. ”
    .
    in http://www.atimes.com/atimes/south_asia/mg19df02.html
    .
    .
    O pensamento linear da maioria dos ocidentais, faz-lhes ver uma realidade menos complexa do que ela realmente é.
    .
    .
    O Afeganistão, o Paquistão e o próprio Iraque poderão ser aliados dos iranianos contra os americanos. Porque, depois, temos o problema da Arabia Saudita, que conta bastante nestes problemas. O que pode acontecer, caso os americanos não consigam ocupar o Irão, é haver uma espécie de “invasão” iraniana sobre o Iraque para atacar a Arabia Saudita. Impossível? Pois bem, é mesmo o mais provável, já que os iraquianos, de todas as facções, ficaram inimigos dos americanos. Só os maluquinhos é que ainda acreditam que o Iraque mantém boas relações com os americanos. Por enquanto, aquele regime vão tentando aproveitar-se dos americanos, mas em caso de guerra, eles têm mesmo que se aliar ao Irão, sob pena, se as coisas correrem mal aos americanos, o próprio Iraque ser divido pelos iranianos e outros. (Metam os gajos do norte ao barulho e do seu sonho de um Curdistão independente.)
    .
    .
    Acho é que no Ocidente, fruto da sua arrogância, estão a analisar mal a complexidade daquelas sociedades. E, pior ainda, querem fazer guerras que as perdem logo à partida. Mas enfim. Quando o ódio e o fanatismo religioso lhes tolda a capacidade de análise…

    Gostar

  59. Costa Cabral permalink
    20 Março, 2012 16:52

    Não é preciso ter a 4ª classe para vermos que o preço dos combustíveis é um autêntico ROUBO.
    Com a cumplicidade deste «governo» de totós!

    Gostar

  60. Bicifila permalink
    20 Março, 2012 17:14

    O motivo parece ser a limitação dos pipelines americanos:
    http://www.theoildrum.com/node/8998#more
    Figure 3 shows two different benchmark prices of crude oil in the United States: Brent and West Texas Intermediate (WTI). Oil that is imported to the United States from Europe and Africa can be expected to follow Brent prices, as will oil that is produced along the Gulf Coast, and has convenient access to Gulf Coast refineries. Oil that comes from the North, such as crude from Canada and the Bakken, is subject to pipeline limitations, and its price will tend to follow that of WTI (or trade for an even lower price than WTI). Oil purchased by US refineries thus reflects a blend of WTI and Brent prices, and perhaps some lower ones as well. Based on Figure 3, it is clear that the current prices are far below the 2008 price peak, quite unlike the situation shown in Figure 2 for Europe, with Brent priced in Euros.

    Gostar

  61. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 18:09

    As noticias e o que sabemos.
    .
    .
    Os iranianos respondem aos americanos e sauditas: venham cá que nós não temos medo. Quem está a fazer bluff mesmo? Os americanos e os sauditas ou os iranianos?
    .
    “TEHRAN, Iran (AP) – Tehran will retaliate against any attack by Israeli or American forces “on the same level,” Iran’s top leader said Tuesday in a defiant address just moments after U.S. President Obama appealed directly to the Iranian people with a message of solidarity.”
    .
    in http://www.usatoday.com/news/world/story/2012-03-20/iran-attack-response/53668570/1
    .
    .
    Os sauditas estão metidos ao barulho, e até agora não tinhamos bem presente o quanto os sauditas têm o seu dedinho nisto tudo:
    .
    “Saudi King Defies Iran’s Mullahs To Help Obama”
    .
    in http://www.forbes.com/sites/greatspeculations/2012/03/20/saudi-king-defies-irans-mullahs-to-help-obama/
    .
    .
    Quem é que está a fazer bluff? Não tenhamos dúvidas nenhumas, alguém vai ter que ceder. Os iranianos? Eu penso que há outro erro de análise, no caso americano. Se os gajos esperam que com as sanções e embargo irão semear o descontentamento com o regime iraniano, eu penso que estão errados. Apenas dão ainda mais força ao regime, perante o “inimigo externo”. E os maus exemplos dados no Iraque e no Afeganistão ou até mesmo na Libia.
    .
    E o embargo? Vai ser respeitado? Eu aposto que, aos poucos, todos o vão furar e mandar os ocidentais às urtigas. A humilhação servirá para incendiar mais aquela gente contra o ocidente:
    .
    “Exclusive: India seals deals to export 60,000 tons sugar to Iran”
    .
    in http://www.reuters.com/article/2012/03/19/us-india-iran-sugar-idUSBRE82I0L120120319
    .
    .
    Se o Irão tem um bem valioso e até o pode vender com desconto (como fez o Saddam, durante anos), não faltam candidatos à compra do crude. Os americanos terão força para impôr o embargo? Se não tiverem, mais um sinal de fraqueza.
    .
    .
    E lá andamos nós a assistir ao desmoronar do império americano…

    Gostar

  62. 20 Março, 2012 18:31

    aremandus,
    .
    “no Sol online refere-se o aumento da gasolina para os 0,05 € e o gaósleo para os 0,06€.
    não haverá erro?”
    .
    Seguramente que sim. Os preços actuais do crude (só a matéria prima) andam à volta de € 0,64. Junte-lhe custos de refinação, distribuição e transporte e tem, no mínimo, mais € 0,10. Para fazer aqueles preços, isso significaria que a China comprava o crude aos preços de extracção na Arábia Saudita (cerca de US$ 10 o barril), o que não parece crível, muito embora, ao que se diz e não garanto a veracidade, eles terão assinado uns contratos leoninos com Angola, estando a adquirir-lhes crude à volta de 60/70 dólares o barril. Mas mesmo que o jornaleiro tenha metido um zero a mais, aos preços actuais de mercado isso implicava alguma subsidiação.

    Gostar

  63. Portela Menos 1 permalink
    20 Março, 2012 18:42

    Cartel:
    é um acordo explícito ou implícito entre concorrentes para, principalmente, fixação de preços ou cotas de produção, divisão de clientes e de mercados de atuação ou, por meio da ação coordenada entre os participantes, eliminar a concorrência e aumentar os preços dos produtos, obtendo maiores lucros, em prejuízo do bem-estar do consumidor.

    Gostar

  64. Portela Menos 1 permalink
    20 Março, 2012 18:48

    Metade do que pagamos vai para o Fisco
    .
    De acordo com o relatório trimestral da Autoridade da Concorrência sobre o mercado dos combustíveis, 56% do preço da gasolina diz respeito a impostos (IVA e ISP), e 45,4% do preço do gasóleo vai direitinho para os cofres do Estado.
    .
    Antes de impostos, Portugal apresenta a quinta gasolina mais cara da União Europeia, revelam dados do relatório semanal de Bruxelas sobre o mercado dos combustíveis, divulgado na passada quinta-feira. A 12 de Março, o preço da gasolina em Portugal antes de impostos estava nos 0,7717 euros por litro, quase um cêntimo mais barata que em Espanha e cerca de 2,5 cêntimos mais cara que a média da Zona Euro.
    .
    No entanto, após a aplicação de impostos, o preço da gasolina dispara para 1,668 euros, o mesmo que a média da Zona Euro. Espanha fica cm um preço final de venda de apenas 1,451 euros, quase 22 cêntimos mais barata, graças à carga fiscal mais favorável.

    Gostar

  65. Portela Menos 1 permalink
    20 Março, 2012 18:49

    O ministro das Finanças afastou esta segunda-feira uma redução da carga fiscal sobre os combustíveis e assim atenuar o efeito da subida do petróleo nos preços.
    .
    Vítor Gaspar, que falava em Washington, lembrou que uma das prioridades do acordo assinado com a troika passa pela redução do défice orçamental e afastou uma descida do imposto, que causaria uma quebra nas receitas fiscais.

    Gostar

  66. Portela Menos 1 permalink
    20 Março, 2012 18:51

    “Porque será que esta gente fala sem analisar previamente os números???”

    Gostar

  67. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 20:21

    As tecnologias portuguesas, neste sector, já competem (ou prometem tal) entre si.
    .
    .
    “Projecto piloto
    .
    Colaboradores da PT já pagam o café com o telemóvel
    .
    O Grupo Portugal Telecom está a testar um novo sistema de pagamento com recurso ao telemóvel. Os cerca de 11 mil trabalhadores da operadora fazem parte de um projecto piloto, podendo já pagar um café ou um bolo, com o telemóvel em três dos edificios da companhia.
    .
    Com o TMN Wallet qualquer colaborador da Portugal Telecom poderá adquirir produtos nas máquinas de venda automática, no bar ou nos serviços de venda personalizada que estão em três dos edificios da PT.”
    .
    in http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=545695
    .
    .
    Destaques meus:
    .
    “Durante os próximos três meses, a PT irá aferir a adesão dos seus colaboradores e o seu comportamento de compra, para posteriormente transformar este piloto numa oferta comercial.
    .
    Tiago Lopes, director de dados e conteúdos multiplataforma da PT, não quis avançar com datas mas “será seguramente este ano”.
    .
    Os pagamentos são feitos com recurso a novas tecnologias como o NFC (Near Field Communication- tecnologia que permite interacção apenas com a proximidade dos dispositivos), SMS (sistema de mensagens escrita), USSD (Unstructured Supplementary Service Data- outro tipo de mensagens curtas utilizado em mercados como o timorense ou africano) ou QR Codes (código de barras em 2D).
    .
    “O NFC vai ser o futuro, mas como ainda não está muito dessiminado também vamos permitir o uso ao SMS e aos QR Codes”, detalhou Tiago Lopes. Contudo, em breve a TMN irá promover um telemóvel da Hawei de preço mais baixo (100 euros) que já com NFC.
    .
    Para que este sistema seja implementado comercialmente, o Grupo PT ainda está em conversações com diversas entidades, nomeadamente com comerciantes e instituições bancárias.”
    .
    .
    “Quanto ao investimento por parte do comerciante que pretender aderir a este sistema, Tiago Lopes referiu que poderá rondar para já os 300 euros, ou seja, o valor de um telemóvel, mas “ainda estamos em fase piloto, os preços vão baixar”.
    .
    Neste momento, os colaboradores da PT precisam apenas de se registar no TMN Wallet e proceder aos carregamento da sua carteira virtual através de Multibanco, Cartão de Crédito e PayPal.”
    .
    .
    Em Portugal estão a surgir novas tecnologias interessantes, na área do dinheiro digital, que poderão, não apenas revolucionar os meios de pagamentos em Portugal, como até exportar estas novas tecnologias.
    .
    .
    Isto sim, dá gosto ver em Portugal. Novos produtos e serviços, com elevadas potencialidades comerciais e potencialmente com elevada probabilidade de conquistar mercados internacionais.
    .
    .
    No fundo, é transformar o multibanco e criar um mundo do dinheiro virtual muito mais desenvolvido. ehehhhehe

    Gostar

  68. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 20:38

    Défice orçamental dentro dos limites mas a raiar o descontrolo…
    .
    .

    Click to access 0312-SinteseExecucaoOrcamental.pdf


    .
    .
    É preciso cortar mais a despesa, senão…

    Gostar

  69. 20 Março, 2012 20:43

    “Défice orçamental dentro dos limites mas a raiar o descontrolo…”
    .
    Só para a RTP foram quase 350 milhões destinados a amortizar um financiamento contraído num banco estrangeiro…

    Gostar

  70. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 21:31

    Caro LR, mesmo assim as despesas não estão a cair como deviam. Na Segurança Social, claro, já há uma derrapagem. Nas contribuições para a CGA, também há uma derrapagem. E os custos com as transferências correntes deviam estar a cair mais.
    .
    .
    O risco é que as receitas se comportem mal e o défice não desça como devia. Nas receitas também há uma extraordinária, relativa às licenças 44G. Embora no IRS já indiciem que elas vão ser muito melhor que o esperado. No IVA a coisa parece que está a correr pior do que devia, apesar de dizerem que os verdadeiros efeitos de aumentos de taxas se sintam mais daqui a uns meses.
    .
    .
    Acho que o governo não está a cortar nas despesas como devia. Devia ir mais longe. É cedo ainda para tecer previsões com alguma segurança, mas é bom que as despesas caiam mais, antes que surjam percalços inesperados, que podem ter a ver com a evolução de factores não possíveis de controlarem, como por exemplo, a evolução dos preços do crude.
    .
    .
    Mas é ainda um bocado cedo, e só lá para Maio é que se vai começar a perceber se o défice vai ser mesmo cumprido. Com estas derrapagens, penso que ficar abaixo dos 4% já é pedir muito. Gulp!

    Gostar

  71. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 21:51

    Eh! Mas não se assustem. O governo, apesar de algumas derragens, continua no bom caminho para cumprir o que assinou com a Troika. Mas isso não chega, há que ser mais ambicioso e ganhar uma margem de manobra, caso surja algum inesperado durante o resto do ano.
    .
    .
    Eu já vi que a imprensa já fala em triplicar défices. Deus me livre esta gente! lololol

    Gostar

  72. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 22:20

    Hoje o Daily Telegraph tem um artigo interessante, sobre os “ortodoxos” holandeses. Acho que vale a pena ler, para nos rirmos um bocado.
    .
    “It’s not funny when even the Dutch can’t meet the austerity targets
    .
    How southern Europe must be laughing. Of all the European “hardliners” who have demanded austerity from the “sinner states” few have been as rabid as the Dutch.”
    .
    in http://www.telegraph.co.uk/finance/financialcrisis/9156351/Its-not-funny-when-even-the-Dutch-cant-meet-the-austerity-targets.html
    .
    .
    Não seria irónico, se no final de 2012, Portugal fosse um dos que melhor soube baixar o seu défice e dar lições a alguns que se armaram em espertos, há uns meses atrás? E olhem que não é apenas problema dos holandeses, pois países como a Finlandia, vão aprender a não cuspir para o ar. Ou até mesmo países fora do euro, como a própria Dinamarca.
    .
    .
    Desta vez, acho que os ingleses bem podem dar baile a alguns “ortodoxos”. eehehhehehhhhe

    Gostar

  73. Xiça permalink
    20 Março, 2012 22:46

    Sim AC, é ver o declínio de empresas como a Nokia na Finlândia….
    De qualquer forma essa execução orçamental preocupa bastante do lado das receitas.

    Gostar

  74. António Joaquim permalink
    20 Março, 2012 22:46

    Anti-comuna,
    Não é de ficar preocupado? Em dois meses uma derrapagem destas a nivel da receita com o desemprego a aumentar, as contribuições da segurança social a crescer, o consumo a diminuir, e esta história caricata da integração de mais técnicos nas finanças para controlar o IRS e assustar com penalizações impossiveis de levar a efeito estamos a entrar no descontrolo, não lhe parece? E a culpa é da RTP? Por favor!

    Gostar

  75. Portela Menos 1 permalink
    20 Março, 2012 23:00

    última hora (não se assustem):
    http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=920922

    Gostar

  76. Portela Menos 1 permalink
    20 Março, 2012 23:03

    25ª hora:
    (…) O social-democrata alertou que se o Governo mantiver a «taxa marginal de imposto demasiado elevada vai provocar uma diminuição da actividade económica, que seria contrariada se a taxa do imposto não fosse tão elevada». (…)

    Gostar

  77. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 23:30

    “Em dois meses uma derrapagem destas a nivel da receita”
    .
    .
    Eu acho que está a ver mal o problema. Do lado das receitas, tirando o IVA, estão a correr bem, mesmo se incluir as receitas Segurança Social. O problema é mesmo as despesas.
    .
    .
    E Vc. não deve comparar muito com o ano passado, pois tudo que foi publicado era falso. Comparar com o ano passado, sobretudo a despesa, é perder tempo. O ano passado, tivemos uma fraude gigante. (Que o Cavaco se queixa, no tal artigo que tanta polémica deu. E com razão. O governo de então, mentiu não apenas ao povo mas inclusivé, ao Cavaco. Isso foi mesmo uma violação constitutcional que deveria ler tido mais consequências.)
    .
    .
    Repito. O problema é mesmo do lado das despesas, que estão acima do que deviam. Mas ao contrário do que Vc. pensa, o governo tem margem. Mas o problema é se a despesa continuar a derrapar. Porque, o principal problema do Estado está do lado das despesas, não das receitas.

    Gostar

  78. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 23:35

    Sobre o papel da Arabia Saudita nesta crise actual no Irão.
    .
    “Yemen’s northern conflict has remained largely hidden from the outside world. Saleh restricted humanitarian access and journalists were banned from the war zone.
    .
    In 2009, Saudi Arabia became involved in the conflict as clashes spread across their border. The Saudi air force joined in airstrikes by Saleh’s air force. Saleh responded to concerns about the conflict by insisting the Houthis were pro-Hezbollah and sponsored by Iran. The Houthi motto is “God is great, death to America, death to Israel.””
    .
    in http://www.freep.com/usatoday/article/53673874?odyssey=mod%7Cnewswell%7Ctext%7CFRONTPAGE%7Cp
    .
    .
    Nós, ao longo deste tempo todo, temos sido divertidos com a questão israelita. Mas, na prática, pelo que vou vendo, já há bastante tempo que o Irão e a Arabia Saudita estão em guerra, mas usando proxies. Daí que, as interrogações se levantam. Os USA estão em cima do Irão, mas porquê? Por causa de Israel? Não o creio. (Simpatizo com Israel, logo, posso estar enviezado a analisar estes problemas.) Mas a verdade, p+or vezes, está mesmo diante dos nossos olhos e não a vemos.
    .
    .
    Se este problema for por causa da Arabia Saudita, compreende-se um bocado os preços do crude. Mamamia! Gulp!

    Gostar

  79. anti-comuna permalink
    20 Março, 2012 23:44

    Olhem o Iraque a apoiar o Irão:
    .
    “Iraq begins process of expelling Iran dissidents
    .
    (Reuters) – Iraq on Monday night took a further step to expel hundreds of Iranian dissidents who received support from Saddam Hussein but who are no longer welcome as relations improve between the Shi’ite-ruled neighbours.”
    .
    in http://in.reuters.com/article/2012/03/20/iraq-iran-exiles-idINDEE82J0BP20120320
    .
    .
    O Irão começa a ganhar esta guerra e ainda ela, oficialmente, não começou. Os americanos foram-se meter onde não deviam.
    .
    .
    O Irão, não apenas agora tem sirios, libaneses, iraquianos, afegãos, paquistaneses do lado dele, como começa mesmo a mostrar que vai enfrentar os americanos e tentar com que estes os ataquem. Agora basta uma pequena faísca no Estreito e temos o caldo entornado. Estão a ver os iranianos a mandar barcos com pitroil e os americanos a caírem na esparrela? Ou os americanos a tentarem interceptar barcos com destino ao Irão e haver um problema qualquer?
    .
    .
    Esta guerra já foi perdida e ela nem sequer começou. Safa!

    Gostar

  80. Xiça permalink
    20 Março, 2012 23:45

    Portela Menos 1 Posted 20 Março, 2012 at 23:00 | Permalink
    última hora (não se assustem):
    http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=920922

    ————-
    O Portela-1 juntou-se finalmente aos apoiantes da baixa de impostos e corte do dito “Estado social”, que nos consome mais de 20 mil milhões anualmente só em salários na função pública.

    Gostar

  81. anti-comuna permalink
    21 Março, 2012 00:36

    Sobre as receitas fiscais eu penso que vale a pena lembrar isto. Segundo a proposta que eu tenho aqui, para o OE 2012, algums receitas fiscais que eles previam e as seguintes evoluções .
    .
    .
    Receitas do IVA para o total de 2012: 14 762 milhões de euros. OE.
    .
    Execução em 2 meses: 2 862. Se multiplicarmos por 6, temos as receitas “previstas” do IVA na casa dos 16 085 milhões de euros.
    .
    .
    Receitas do IRS para o total de 2012: 9 358 milhões de euros. OE
    .
    Executado em 2 meses: 1 668. Se multiplicarmos por 6, temos no final do ano, cerca de 10 008 milhões de euros.
    .
    .
    ISP: previstos 2 276. Cobrados até agora 363. Se multiplicarmos por 6, temos então 2 904 milhões de euros.
    .
    .
    Ate agora as receitas têm mostrado uma melhor cobrança do que o próprio governo esperava.
    .
    .
    O problema está do lado da despesa. É aí na despesa, em todo o universo estatal (incluindo as empresas públicas) que importa estar atento.
    .
    .
    A menos que o documento que eu esteja a consultar esteja errado e tenha sofrido alterações, até agora as receitas estão acima do que o próprio governo esperava. Mas isso pode fazer com que o governo relaxe o controlo da despesa. E parece que já o estão a fazer. E isso é que é dramático.

    Gostar

  82. anti-comuna permalink
    21 Março, 2012 09:27

    O Iraque, a ferro e fogo. E isto ainda mal começou.
    .
    .
    “Novos atentados no Iraque deixam pelo menos 10 mortos
    .
    Um grupo armado degolou uma mãe e seus três filhos na região de Zafaraniya, ao sudeste de Bagdá”
    .
    in http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,novos-atentados-no-iraque-deixam-pelo-menos-10-mortos,851317,0.htm
    .
    .
    Se lerem a noticia, ficam com uma ideia, que por todo o país, já andam aos tiros, uns contra os outros, sem olhar a meios. Vai tudo a eito.
    .
    .
    Os americanos puseram a zona e ferro e fogo e agora vamos todos pagar. Com crude mais caro. Gulp!

    Gostar

  83. Portela Menos 1 permalink
    21 Março, 2012 10:27

    Xiça Posted 20 Março, 2012 at 23:45 disse : O Portela-1 juntou-se finalmente aos apoiantes da baixa de impostos e corte do dito “Estado social”, que nos consome mais de 20 mil milhões anualmente só em salários na função pública.
    .
    Xiça,
    ou andas distraído ou aderiste ao clube da demagogia, encabeçado pelo vosso primeiro:
    http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=920922

    Gostar

  84. 21 Março, 2012 13:27

    Caro anti-comuna,

    Aquilo está mesmo mal, http://finance.fortune.cnn.com/2012/03/20/manufacturing-rebound-questioned/ não têm capacidade para aproveitar as oportunidades que se estão a abrir

    Gostar

  85. Samuel B permalink
    21 Março, 2012 13:52

    A questão está bem posta, pena é que o resultado não seja esse o que aponta.
    Tendo apontado todas as contações de Brent e do cambio euro/dolar, consegui retirar a evolução do brent em euros. apontei também as cotações da gasolina 95 durante o mesmo periodo. Assim:
    Periodo: janeiro 08 a fevereiro 2012
    De janeiro 08 a junho 08, o brent sobe 41% enquanto a gasolina95 15%.
    De janeiro 08 a fevereiro 12, o brent sobe 46% enquanto a gasolina95 24%.
    Da propoção de subida da 1ª fase, temos 0.36
    Na 2ª fase temos 0.52
    quer isto dizer que neste momento (2ª fase) a gasolina95 sobe quase o dobro do que na 1ª fase, por cada subida de 1% do brent!
    O que não deixa de ser curioso…

    Gostar

  86. anti-comuna permalink
    21 Março, 2012 14:13

    Caro CCZ, o Obama (e o seu spin) usam o fundo da recessão, para tentar alimentar uma recuperação fantástica. Porque entraram em funções precisamente quando se batia no fundo da recessão.
    .
    .
    Eu penso que o sector industrial americano está menos forte do que o pintam. (Como está mais forte do que pinatavam os profetas da desgraça, há uns tempos atrás.) A questão é que, nalguns sectores, até tem subido o número de trabalhadores, mas sobretudo à custa da subida dos preços das mercadorias ou em sectores que tinham sido devastados antes e que agora, pagando cada vez pior aos trabalhadores, conseguem retornar a alguns níveis perdidos anteriormente. Como o sector automóvel.
    .
    .
    O que o Obama e a sua equipa escondem é o seguinte. A generalidade dos novos empregos na industria são mesmo muito mal pagos. Mal dá para a sopa, por causa do custo de vida americano, que subiu muito. Só para dar um exemplo anedótico. Antigamente, um operário poderia ter a mulher em casa e até dava para ter alguns filhos. Hoje um operário mal ganha para o que come e é mesmo necessário que a sua mulher trabalhe. E mesmo um casal a trabalhar, é quase impossível pagar um curso superior aos filhos. (E têm que se endividar para estudarem nas universidades, cujos custos subiram que é uma coisa louca. Há uns anos atrás, na Wharton School (Pennsylvania University), fazia-se um curso com 100 mil dólares, sendo que a partir do final do primeiro ano, já choviam contratos de trabalho. Agora, parece que não chegam 500 mil dólares.)
    .
    .
    A sociedade americana cada vez mais se parece com as ditas latino-americanas. Uns têm um elevado poder de comprar e abocanham a maior parte dos ganhos dos rendimentos e seu crescimento. Os demais têm o seu nível de vida em forte queda. Não sei por quanto tempo aquilo vai aguentar sem haver uma espécie de revolução social e política. Vamos ver.

    Gostar

  87. areamandus permalink
    21 Março, 2012 15:17

    hoje saiu o euromilhjões a uns tantos ( esqueçam as gorduras,ainda engordaremos tanto quanto o ferreira do amaral):
    http://dre.pt/sug/2s/getpartes.asp?s=dia&p=c&dr=58.2012
    oficialmente o desemprego das elites diminuiu 0,03% por obra e graça do D.R.

    Gostar

  88. aremandus permalink
    21 Março, 2012 15:19

    hoje saiu o euromilhões a uns tantos ( esqueçam as gorduras,ainda engordaremos tanto quanto o ferreira do amaral):
    http://dre.pt/sug/2s/getpartes.asp?s=dia&p=c&dr=58.2012
    oficialmente o desemprego das elites diminuiu 0,03% por obra e graça do D.R.

    Gostar

  89. Pedro Esteves permalink
    21 Março, 2012 22:17

    Anti-comuna, acho que se está a esquecer da correlação da desvalorização do Dolar, e o aumento do custo do barril de crude, ou estarei eu a fazer confusão ? na minha modesta opinião, é essa a explicação para neste momento o barril não baixar o valor comercial.
    Saudações

    Gostar

  90. João Pimentel Ferreira permalink
    15 Março, 2013 01:20

    meu caro, EXCELENTE ARTIGO
    Parabéns!
    Eu próprio fui alvo de uma ação judicial do Carlos Barbosa, mas no meu texto adotei uma vertente mais vasta, no que concerne aos malefícios do carro. Falei de poluição atmosférica, sonora, ocupação do espaço público, e questão económica que o caro não fala: as importações de carros e combustíveis são entre 20% a 25% do total de importações!
    Isto afeta gravemente a nossa balança de pagamentos
    http://www.veraveritas.eu/2012/03/acp-declaro-que-nao-sou-socio.html

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: