Saltar para o conteúdo

O estado também é cultura

2 Setembro, 2013

Desde já peço desculpa às pessoas cultas por este post. Eu sou uma pessoa rude, campestre, sem cultura, desprovida de sentimentos altivos do bem comum através do mordaz comentário ao capitalismo com urina. Tendo a achar nojento. Como já disse, sou rude. Entendo, porém, que alguns dos leitores são pessoas cultas, que apreciam uma boa obra de arte financiada; ora, como a casaBranca é uma “estrutura financiada pelo Governo de Portugal”, é culturalmente relevante chamar a atenção para este magnífico “Art piss (on money and politics)”, produzido pela casaBranca, e da autoria de Ana Borralho e João Galante. Consiste numa peça em que “a group of people urinates on top of money and politicians images” (“um grupo de pessoas urinam em dinheiro e imagens de políticos”) e pode ser vista aqui (você foi avisado, só clica se quiser), de preferência com as crianças, tão afastadas da cultura pelo pernicioso consumo de gomas e canal Panda.

Pela parte que me toca, tudo que seja fomentar este tipo de criação artística é dinheiro bem gasto pelo Estado Social.

(via André Carmo)

Anúncios
141 comentários leave one →
  1. von permalink
    2 Setembro, 2013 13:32

    Independentemente do ridículo da coisa, enquanto se pretende que seja arte, é uma produção que até fica baratinha…

    Gostar

    • und permalink
      2 Setembro, 2013 20:28

      mijar em cima de notas em quem ninguém confia e todos falsificam é um acto de potlach modernista

      é um acto mais relegio que artis factum

      o potlach como propiciatório de riqueza futura deve ter funcionado

      ou ninguém se dava ó travail de escrevê sur iste

      carrada de invejosos

      ide fazer euromilhões pró santana lopes

      Gostar

      • von permalink
        3 Setembro, 2013 11:32

        ui, que culto que o und é.

        Gostar

    • José Manuel permalink
      2 Setembro, 2013 23:06

      Estes não precisam nem de dinheiro nem de estado, eles são o dinheiro do estado. E criam. Que ninguém lhes toque. E muito menos blasfemá-los. 🙂

      Gostar

  2. 2 Setembro, 2013 13:48

    Toda a arte é financiada, resta saber se é pelo estado directamente indo para algo aberto a todos ou através de taxas de imposto inversamente proporcionais ao rendimento económico para serem apreciadas por quem pode.

    Gostar

  3. gr0uch0marx permalink
    2 Setembro, 2013 13:56

    Nao vejo grandes diferencas artisticas entre esta obra e as da Artista Joana Vasconcelos… Deve ser de mim, certamente. Mais um rude campestre e sem cultura…

    Gostar

  4. Fincapé permalink
    2 Setembro, 2013 14:07

    Há uns museus e ateliês nos EUA onde esta obra fazia um figurão. São normalmente destinados aos parolos ricos a quem conseguem convencer que um lavatório partidos em pedaços é uma obra de arte. E eles compram por centenas de milhar de euros, todos contentes, e levam para casa.
    Coisas do “liberalismo”. 😉

    Gostar

    • Fincapé permalink
      2 Setembro, 2013 14:29

      Ups! O Vítor enganou-me. Não pôs o link do vídeo. Afinal, não é nada de comprar. Ou então é!
      Vejam aqui e digam lá se não tem coisas muito interessantes. 😉

      Gostar

    • Fincapé permalink
      2 Setembro, 2013 14:35

      Um dos artistas também já faz xixi baixado, como as tais suecas querem por causa da igualdade. Mas eu mal o vi. 😉

      Gostar

      • zazie permalink
        2 Setembro, 2013 14:56

        eheheh

        Nada como o respeitinho à moda. Isto agora é assim- a preocupação com a aparência é lei e quem não lhe obedece até pode ser perseguido.

        Gostar

    • zazie permalink
      2 Setembro, 2013 14:51

      A questão é que os artistas são o expoente máximo do capitalismo. Não há arte que não seja lobbie e a cotação é como a da bolsa.

      Por isso, eu prefiro o cinismo de um Damien Hirst- que é um verdadeiro hedge fund, a bodegas menores que ainda cospem na sopa.

      Gostar

  5. 2 Setembro, 2013 14:13

    Gostar

  6. Antonio Lopes permalink
    2 Setembro, 2013 14:17

    Degradante!E a minha dúvida:será que estamos a subsidiar isto?

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      2 Setembro, 2013 14:23

      Segundo o website dos produtores:

      “A casaBranca é uma estrutura financiada pelo Governo de Portugal
      Secretário de Estado da Cultura / Direcção Geral das Artes

      Membro da REDE -Associação de Estruturas para a Dança Contemporânea”

      Gostar

      • zazie permalink
        2 Setembro, 2013 14:53

        São todos. E os que não são ainda é pior. Os lobies internacionais chegam a ter financiamento da Mossad.

        E não estou a brincar- foi assunto que quis entender e há livros publicados a contarem como é. O Douglas Gordon (de quem até gosto bastante) faz parte do lobby.

        Gostar

      • zazie permalink
        2 Setembro, 2013 14:54

        È ler o “In art we trust”.

        Gostar

  7. 2 Setembro, 2013 14:24

    Gostar

  8. FGCosta permalink
    2 Setembro, 2013 14:27

    O patrocínio é do Lasix?

    Eu também estou para levar à cena o “Art of shit on Ana Borralho, João Galante and clones”. O meu patrocínio vai ser o Chá de sene

    Gostar

  9. Portela Menos 1 permalink
    2 Setembro, 2013 14:31

    se é financiado pelos contribuintes deveria ter uma A4 com o discurso de Passos, sobre o TC, aos laranjinhas 🙂

    Gostar

    • Fincapé permalink
      2 Setembro, 2013 14:37

      Era melhor colocar a gravação áudio ou vídeo. Quem é que consegue traduzir para o papel o que o homem diz? 😉

      Gostar

  10. Pedro Martins permalink
    2 Setembro, 2013 14:45

    Mijar é cultura!

    Gostar

  11. jose permalink
    2 Setembro, 2013 14:45

    E não podemos criativamente “cagar”, para esta “instalação de arte/exibicionismo” ?
    Ps: Eu até mandava um piropo às gagas, mas não vá sair alguma lei, que retroativamente me proíba de tal…

    Gostar

  12. zazie permalink
    2 Setembro, 2013 14:49

    Um nojo e mais não digo.

    Gostar

  13. gastão permalink
    2 Setembro, 2013 14:56

    enquanto outros “cagam” na constituição…

    Gostar

  14. manuel permalink
    2 Setembro, 2013 14:58

    Pois ,mas nestas porcarias o governo não corta e depois a culpa é do TC.Mais uma achega para os cortes: 1 milhão de eleitores fantasma.A culpa é do TC?O governo deve cortar:os benefícios fiscais das fundações,os subsídios aos milhares de associações,algumas como esta acima referida,mas atenção: são milhares.Claro que o governo cortou 6 e 5% no subsídio de desemprego e doença e prepara-se para despedir os assistentes para dar a gente como esta e aos “aspones” que nem a constituição sabem ler!

    Gostar

  15. 2 Setembro, 2013 14:59

    As gajas até são boas…
    É a única coisa que me interessa do vídeo.
    R.

    Gostar

    • 2 Setembro, 2013 15:21

      Então estamos na mesma onda. São mesmo boas e isso é igualmente o que me interessa. Quanto ao resto enquanto uns piss on money and politics outros figurões “cagam” na Constituição do País. Venha o diabo e escolha.

      Gostar

      • 2 Setembro, 2013 15:26

        A Constituição Portuguesa foi feita por artistas como estes. Cagam é em cima dos contribuintes que não trabalham diretamente para o Estado. É a mesma arte. É a mesma escola. É a mesma família, portanto.
        R.

        Gostar

    • antonio permalink
      2 Setembro, 2013 18:51

      umas mijonas, é o que são…

      Gostar

  16. javitudo permalink
    2 Setembro, 2013 15:14

    Enquanto mijam bem vai a coisa, o pior é se o rim falha com a droga e deixam de mijar para sempre.
    Há ainda a hipótese de excrementar fora para poupar em casa no autoclismo, se é que ainda pagam a água.
    Em que partidos votam os vagabundos? Fácil de prever.

    Gostar

  17. 2 Setembro, 2013 15:26

    E a Síria pá?!
    R.

    Gostar

  18. Joaquim Amado Lopes permalink
    2 Setembro, 2013 15:27

    Foi filmado numa instituição para doentes mentais, com uns a fazerem de “artistas” e outros de “público”, certo?

    Gostar

    • 2 Setembro, 2013 15:32

      Foi filmado num dos corredores do Palácio do Ministério. Há quem chame roça. As fotos de políticos foi só para dissuadir. Aquilo são contribuintes.
      R.

      Gostar

      • Joaquim Amado Lopes permalink
        4 Setembro, 2013 08:05

        Não, R. “Aquilo” é gente que está sempre a “exigir” mais dinheiro aos políticos para sustentar imbecis que só fazem m****s como a apresentada no vídeo.

        Gostar

  19. PPM permalink
    2 Setembro, 2013 15:28

    E eu a pensar que isto era um post inteligente onde se criticava com ironia a forma como a arte foi colonizada pelos mercadores e é usada como suporte para a ideologia dominante e como escape de um sistema repressivo e castrador.

    A ironia é VC não perceber (não por ser rude mas por ter faltado à telescola) que os empresários que ele aponta como modelos usam estes artistas para criar uma gigantesca bolha especulativa no mercado da arte contemporânea e consequentemente, os indicam para as subvenções estatais.

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      2 Setembro, 2013 15:32

      Quais são os empresários que eu aponto como modelos? Apontar é feio.

      Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 15:43

        … que os empresários, que ele aponta como modelos (por oposição a funcionários), usam estes artistas …

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 15:49

        Esperava mais de um professor.

        Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 15:58

        Pague-lhe melhor.

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 16:11

        Acabaram as lentilhas.

        Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 16:34

        Verifica-se que estavam mal repartidas.

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 16:35

        Eram os horários-zero.

        Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 16:54

        Não. São os zeros nos honorários … dos out-sorcerers.

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 16:55

        Acho que faz falta quem leve cabras ao mato.

        Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 17:56

        O Lomba há-de fazer um briefing sobre isso. Aguardamos mais instruções.

        Gostar

    • FGCosta permalink
      2 Setembro, 2013 16:00

      Dê um exemplo de um país onde não haja um sistema repressivo e castrador.
      É só para perceber para onde se orienta o seu piss of mind

      Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 16:30

        Não existe.

        Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 16:31

        O mundo não tem apenas duas dimensões.

        Gostar

      • ora permalink
        2 Setembro, 2013 22:25

        bolas e és tu um ser unidimensional que o afirma

        deves ser o ein en stein dus pontinhos

        Gostar

  20. Floriano Mongo permalink
    2 Setembro, 2013 15:35

    Estes são os “pensadores alternativos”. Estes génios, querem um mundo melhor, um planeta mais limpo, mais justiça, essas coisas que as esquerdas ligam ao bem, ao belo e ao justo e agora a uma forma de arte que nos deixa se não mais emocionados pelo menos mais “autênticos”. Eu diria mais primitivos, tão ao gosto desta malta.

    Estes pensadores literalmente da caca, resolveram ser implacáveis com os “idiotas que têm o nojento hábito burguês de usar as casas de banho”. Quando alguém quiser mostrar que está “contracorrente”, que é um “obreiro” moderno, alternativo, e de esquerda, que trate logo de baixar as calças e deixar a sua “obra” ao mundo, uma poia artística e perfumada, no meio do passeio. Ou então negar-se-á a si mesmo.

    Defecar, urinar em público é a forma mais inteligente encontrada para ajudar a construir um mundo mais justo. A merda ao serviço da humanidade! Para além dessa máxima expressão intelectual que conseguem, pretendem também desafiar um padrão moral, ao qual estariam apegados, sei lá, os tradicionalistas, grupo aos quais eles julgam, obviamente, não pertencer – daí que não tarda se considerem também inimigos dos que usam talheres, dos que andam erectos, que seria outra expressão do convencionalismo, de uma sociedade de valores ultrapassados

    Que pensamento sofisticado!! São os tempos das luzes, dos iluministas da…caca!!!!
    Que gente pitoresca!!!

    Gostar

  21. YHWH permalink
    2 Setembro, 2013 15:38

    Resposta ao prólogo justificativo de VC:

    «We know, we know…»

    Gostar

  22. Rodrigo Castelo permalink
    2 Setembro, 2013 17:02

    O Rei vai nu do nosso tempo…
    Oproblema é a nudez ser subsidiada …

    Gostar

  23. javitudo permalink
    2 Setembro, 2013 17:07

    É pegar nos gajos e nas gajas e pô-los a limpar as matas, mijem à vontade.
    A opção é em África. Não fazem cá falta. Nós já temos excrementos a mais. Um pivete.

    Gostar

    • PPM permalink
      2 Setembro, 2013 18:25

      Até achei a performance limpa em demasia. Deviam ter pegado na obra e provocado alguma interactividade com o público.

      Gostar

  24. 2 Setembro, 2013 17:11

    a conjugação da “paixão pela educação” e ” os meninos podem ser o que quiserem” dá nisto… é o resultado de politicas isto de licenciar-se para mijar talentosamente em público e nós a pagar 🙂

    Gostar

    • PPM permalink
      2 Setembro, 2013 18:28

      “Isto” é mais antigo que o cagar de cócoras. E jeremíades como a sua remontam a Aristóteles. Mas acaba por ter importância sem ser importante. Porque vocês lha quiseram dar. Aí sim, há uma ironia.

      Gostar

      • 2 Setembro, 2013 22:02

        muito artística a sua ironia : movimento Dada ?

        Gostar

  25. JDGF permalink
    2 Setembro, 2013 17:23

    Bem.
    Poderá estar a verificar-se um fenómeno idêntico ao que se observou nos primórdios do “Expressionismo” (início do séc. XX).
    Na altura era um movimento reactivo contra a pujante burguesia, hoje a ““Art piss (on money and politics)”poderá ser o protesto a um desenfreado (‘livre’) período de ‘açambarcanço’ financeiro. São épocas.
    Então, o escândalo abafou tudo e todos.
    Hoje, verificamos que foi um great ‘investimento’ quer na pintura, na escultura, arquitectura, etc.
    E um investimento produtivo.
    Imagine que se tinham destruído quadros próximos do expressionismo (Paul Cézanne, Paul Gauguin e Vincent Van Gogh).
    Como poderíamos calcular os danos?
    Por cálculos e projecções do FMI?

    Gostar

    • zazie permalink
      2 Setembro, 2013 17:52

      Não seja provinciano a olhar para merda como um basbaque.

      O expressionismo foi arte muito bem cotada em plena crise mundial. E foi graças aos judeus que se refugiaram na América que a arte passou a ser mercado com cotações brutais.

      Porque foi o lobby da revista Partisan que os promoveu.

      Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 18:20

        Não há nada como simplificar as coisas até não nos restar razão para viver.

        Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 18:22

        Se a arte se resumisse à sociologia da arte ainda hoje estavam a mijar na horta. Felizmente o Expressionismo de início de século não se deixa reduzir.

        Gostar

      • zazie permalink
        2 Setembro, 2013 18:54

        V. é besta? quer-me ensinar a mim o que é arte?

        vá dar banho ao cão.

        Arma-se em erudito e aposto que nem topou de onde isto foi copiado.
        Ora diga lá quem iniciou uma performence com sentido idêntico mas com muito mais piada.

        vÁ FORÇA!

        Gostar

      • und permalink
        2 Setembro, 2013 20:21

        arte é algo bastante relativo, pinturas rupestres são sacrifícios propiciatórios às forças que dominam a vida dos Homo….num são arte…
        já o artesanato tem valor adaptativo

        logo os vasos campaniformes arte sunt

        Gostar

  26. javitudo permalink
    2 Setembro, 2013 17:33

    Talvez seja necessário ter em vista a evolução tecnológica antes de falar em brincadeiras.

    Futuramente podem-se utilizar brinquedos para registar quem mija fora do sítio.
    É que às vezes o mijar é só o princípio.
    Ponhamos a paróquia de lado. O mundo por vezes oferece aspectos mais interessantes, como na Síria, um campo de experiências onde o objectivo é derreter objectivos militares, tais como armas químicas Os ianques estão danadinhos por se meter em alhadas.
    O general Martin Dempsey declarou que “O Estado-Maior Conjunto continua a se reunir e planear a fim de proporcionar o melhor conselho militar possível e opções para o Presidente. Seria inapropriado especular sobre o que a decisão do presidente pode fazer e quais as opções militares podem ser usados ​​em apoio dessa decisão.
    “Os militares dos EUA permanece posicionada para fornecer uma gama de capacidades militares, conforme indicado pelo presidente “, disse o comandante. Scott McIlnay, porta-voz dos Joint Chiefs of Staff, Pentágono.

    O crashpad ou BLU-119 / B arma é uma bomba explosiva alta temperatura projectada para incinerar agentes químicos antes que possam ser prejudiciais, de acordo com autoridades de defesa e documentos do Ministério da Defesa. Trata-se de uma arma incendiária de 420 quilos, alta de calor com o que é chamado de “fragmentação explosão” ogiva. A Crash Pad é construído a partir de um MK 84 corpo padrão existente bomba. O “pad” em crashpad significa “Defeat Agente Prompt”, referindo-se à capacidade da arma para destruir agentes químicos e biológicos, sem causar contaminação.

    Gostar

  27. javitudo permalink
    2 Setembro, 2013 17:39


    O que está a dar.

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      2 Setembro, 2013 17:42

      Mas, doutor, houve financiamento público para comprar essa camisola?

      Gostar

      • und permalink
        2 Setembro, 2013 20:31

        esse tal de doutor da mula ruça se já viu tudo está aqui a ocupar espaço neste mundo pouco interessante para quê

        é passar para o seguinte e ir fazer companhia ó grande economistra

        Gostar

  28. PPM permalink
    2 Setembro, 2013 18:00

    Houve e haverá. As finanças do futebol estão acima da vossa compreensão.

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      2 Setembro, 2013 18:00

      “Vossa” como em “meus alunos”?

      Gostar

      • PPM permalink
        2 Setembro, 2013 18:16

        Notar-se-ia se fossem alunos de alguém. Pagar propinas não chega.

        Gostar

      • und permalink
        2 Setembro, 2013 20:23

        é ser escravocrata possuir alunos

        ou abusador de jovens

        os alunos não têm donos

        vivem num paraíso sem amos

        Gostar

    • zazie permalink
      2 Setembro, 2013 18:57

      Vá lá, ó seu pascácio que tem a mania que sabe. Conte lá quem é que fez uma cena com jornais a servirem para algo idêntico?

      Quem?
      Onde?
      Ou julga que estes palermas inventaram esta merda por eles? Não, nem mijar sabem sem copiarem uma ideia e abastardarem-na porque não conseguem mais.

      Gostar

  29. Renato permalink
    2 Setembro, 2013 18:06

    Pareceu-me muito Fascista: contra o capitalismo, contra a política, feito por um(a) fascio de mijões…

    Gostar

    • PPM permalink
      2 Setembro, 2013 18:18

      Está a ver como é possível fazer demagogia sem ser da barata? Essa seria uma narrativa mais interessante. Ou pelo menos mais lúdica.

      Gostar

      • und permalink
        2 Setembro, 2013 20:32

        faz-me lá meio-metro dela por 500 grammas de ouro norte-coreano

        Gostar

  30. FGCosta permalink
    2 Setembro, 2013 18:16

    Eu acho a peça extremamente sexista. Na verdade, promove de maneira chocante a supermacia fascista e machista sobre as mulheres reprimidas, ao deixar que os homens urinem comodamente de pé, e elas se tenham que colocar de cócoras.
    Absolutamente atentatória contra a igualdade de género. Não foi em vão que na Suécia já propuseram uma lei para que rapazes, tal como as raparigas, urinem sentadinhos nas escolas.
    Estes artistas ainda estão na pré-história da revolução contra as desigualdades.
    Morte à violência!
    Fora com os xenófobos!
    Viva o movimento mijarsentados!

    Gostar

    • Renato permalink
      2 Setembro, 2013 18:20

      … e o opressão da diferença de indumentária… uns com rendas… outros ocultos… a área de pele exposta é assaz notória…

      Gostar

    • PPM permalink
      2 Setembro, 2013 18:32

      Não diria tanto. Até porque está a ler a performance com o filtro do realizador do video que é claramente voyeurista.

      Gostar

      • zazie permalink
        2 Setembro, 2013 19:00

        Logo venho cá ver se o senhor professor já conseguiu resolver o problema e sabe de onde isto foi mal copiado.

        Dou uma dica- era apenas um artista e o jornal era o Wall Street Journal.

        Gostar

      • Tio Patinhas permalink
        2 Setembro, 2013 19:45

        Respondendo à Zazie

        http://www.warholstars.org/aw76p.html

        «The Oxidation paintings are sometimes referred to as Warhol’s Piss Paintings. The paintings are generally attributed to 1977-78, although Warhol also referred to them in a 1976 interview. The Andy Warhol Catalogue Raisonné (Vol. 1) notes “In a little-known 1976 interview, when Warhol was asked if there were ‘any old non-representational paintings that no one knows about,’ he replied: ‘The only ones I have are the piss paintings; I have a couple. That was a long time ago. Then there were the canvases that I used to leave on the street and people used to walk on them; in the end I had a lot of dirty canvases. Then I thought they were all diseased so I rolled them up and put them somewhere. Reproduced with this interview was an unstretched canvas, captioned ‘Andy Warhol: Piss Painting, urine on canvas, 46 x 80, c. 1961.'” (RN469)»

        Gostar

      • zazie permalink
        2 Setembro, 2013 19:58

        Tio Patinhas, não foi naa o Wahrol

        O outro convencido que vinha para aqui dar aulas é que desorelhou.

        Gostar

  31. Renato permalink
    2 Setembro, 2013 18:27

    Faz falta uma entrevista de rua aos que assistiram… afinal estiveram num quase império dos sentidos…

    Gostar

  32. Tio Patinhas permalink
    2 Setembro, 2013 18:29

    Estes 2 produtores de cultura falam sobre a sua arte

    Esta outra produção cultural do mesmo grupo também é muito fracturante e irreverente. Será que foi o contribuinte que pagou a visita à República Checa para apresentar a um público internacional a arte que as imagens mostram?

    http://www.escritanapaisagem.net/old/performance2011_anaborralhojoaogalante_mistermissmissmister_en

    Gostar

  33. Observador permalink
    2 Setembro, 2013 18:35

    “Viva o movimento mijarsentados!” : Caros blasfemistas, eu sou a favor do Movimento Mijar-de-Pé, pois acho que as senhoras devem igualar os homens (e outros gajas) e fazê-lo de pé!

    Gostar

  34. 2 Setembro, 2013 18:45

    Gostei e gostei muito.
    E tenho pena de lá não ter estado como aquele gajo que se torcia todo de joelhos a fotografar a crica às mijonas.
    Há parecido ali no Rossio naquelas cabinas das moedas de dois euros mas não tem cheiro.

    Gostar

    • Fincapé permalink
      2 Setembro, 2013 19:08

      Ai fado, fado. Olhe que isso é um piropo. 😉

      Gostar

      • 2 Setembro, 2013 19:37

        Estas estão mesma a pedir.
        Na assistêncoa até se vê uma toda a estremecer.Também gostei muito daquilo que o “Tio Patinhas” publicou. Anda cá uma fominha porr esse mundo urbano, sofisticado e fracturante que até mete dó.

        Gostar

    • Tio Patinhas permalink
      2 Setembro, 2013 19:27

      Não dá para ter a certeza, mas parece-me que, no meio da assistencia, de fugida, se vê alguem que dá ares ao Sérgio Lavos.

      Gostar

  35. FGCosta permalink
    2 Setembro, 2013 19:27

    Há que reconhecer que nada disto é tão fácil como parece:
    A primeira dificuldade é conseguir que todos os urolartistas tenham vontade de urinar (e pareceu-me que bastante) ao mesmo tempo. Devem ter que beber muita água (sou benévolo…) e aguentar bastante…é dificil, e já começa a justificar o cachet.
    Mas o mais difícil é urinar em público. Experimentem a ver se não é inibidor…Só isso denota a grande preparação técnico-artística dos mictorianos.
    Outros pormenores que definem a complexidade cénica: eles molham ou não os sapatos? quem recolhe o oleado? será lavado para a sessão seguinte? os papeis são enviados para reciclar ou não? Não reparei que elas limpassem a área uro-performatória no fim. Será que limpam? Será que deixam as clássicas três pinguinhas nas calcinhas? Como vêm, não é fácil…O subsídio é merecido.

    Gostar

    • 2 Setembro, 2013 19:40

      Veja outra vez.
      Uma das artistas limpa-se cuidadosamente e depois atira o papelinho para o oleado, assim a modos como se um autógrafo fosse. Ainda vai aparecer na Feira da Ladra ou na Vandoma. Lembrem-se dos rabiscos que o Picasso fazia nos guardanapos. Não há nada de novo debaixo do Sol.

      Gostar

  36. Observador permalink
    2 Setembro, 2013 19:45

    “Como vêm, não é fácil…” : Vi o video totalmente noutro sítio e não vi nada disso!

    Gostar

  37. 2 Setembro, 2013 19:46

    Gostar

  38. carlos reis permalink
    2 Setembro, 2013 19:48

    Disseram o mesmo de manet, monet, van Gogh, e tantos outros…e no entanto a terra gira…

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      2 Setembro, 2013 19:49

      Disseram, sim. Estava muito bem o contribuinte a subsidiar os manetas e o monoorelha de sifílis e uns malucos a queixarem-se de swaps.

      Gostar

      • carlos reis permalink
        2 Setembro, 2013 19:57

        Ò VC, esta foto é mesmo sua? Parece um gajo moderno!

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 20:02

        Sim, foi tirada nos anos 20, é por causa disso.

        Quer ou não que artifique aí uns papeis? Primeiro entranha-se, depois secam.

        Gostar

      • und permalink
        2 Setembro, 2013 20:11

        feu d’artifique?

        vous êtes français ou ça c’est langue nouveau?

        sai cada par de reis sem trono

        felizmente o buiça já tratou da saúde ao carlos

        Gostar

      • José Manuel permalink
        2 Setembro, 2013 23:41

        Oh VC! Vc ainda perde tempo a comentar os comentários? Oh Manel da Parreira! Ainda não percebeu que “esta corja é ingovernável”? Já agora, grande resposta às 20:02 🙂

        Gostar

  39. carlos reis permalink
    2 Setembro, 2013 19:54

    A direita sempre foi assim, primeiro estranha, depois…bom depois ( quando cheira a money) compra…mas não quero generalizar. Há sempre uma direita que não compra.

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      2 Setembro, 2013 19:55

      Mas se quer comprar, mande cá umas folhas que eu artifico-as.

      Gostar

      • carlos reis permalink
        2 Setembro, 2013 20:00

        Não tenha certezas, mas penso que não sou de direita…

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 20:10

        No fundo, somos todos artesãos, basta beber água.

        Gostar

      • carlos reis permalink
        2 Setembro, 2013 20:49

        Errata- Não tenho certezas

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 20:50

        E frequentemente tem dúvidas?

        Gostar

      • carlos reis permalink
        2 Setembro, 2013 20:59

        Não VC. Em Portugal para “ser” artesão tem que ter carta…infelizmente…

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 21:01

        Sabe como é: a esquerda sempre gostou de regular as coisas.

        Gostar

      • carlos reis permalink
        2 Setembro, 2013 21:06

        Carradas de dúvidas. Nisso, não sou nada como o cavaco…e engano-me bué. Ao contrário do VC.

        Gostar

      • carlos reis permalink
        2 Setembro, 2013 21:11

        Como sabe que foi a esquerda que regulou? É artesão? Ou pertence ao ppart?

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 21:12

        Depois desta instalação artística, descobri que sou.

        Gostar

      • carlos reis permalink
        2 Setembro, 2013 21:49

        VC, para se ser artista não basta saber usar a “gaita”de modo convencional.
        Se assim fosse…haveria poucos.
        PS: Artesão e artista não são a mesma coisa…embora…ora ora…

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 23:17

        “Para se ser artista não basta” algo implica que para se ser artista é necessário algo. Eu não encontro o algo nesta instalação mas o Carlos encontra. Seria giro que dissesse o que é esse algo: não só ajudaria os incultos como eu como seria um exercício interessantíssimo de algolisimo explicado.

        Por outro lado, perceberíamos também porque compensa gastar esse dinheiro.

        Gostar

    • jose permalink
      2 Setembro, 2013 20:22

      Podemos então concluir, que a esquerda vende e, vende-se…sim, pois, estou a referir-me a arte, embora por este exemplo, se entenda, que para a ala vanguardista, o conceito de arte é muito lato.

      Gostar

      • carlos reis permalink
        2 Setembro, 2013 21:33

        Ai José José , a arte a arte…

        Gostar

      • ora permalink
        2 Setembro, 2013 22:26

        no caso do Carlos dos reys e réis a arte de ser parvo

        é um mestre nessa arte…

        é genético de certezinha

        Gostar

      • carlos reis permalink
        3 Setembro, 2013 12:11

        Já vocelencia não sofre de parvalheira, não.
        Mas que é um grande presuntuoso, é sim senhor…
        mais untuoso que presunto.
        Mas não se amofine, não se nota quase nada…

        Gostar

  40. FGCosta permalink
    2 Setembro, 2013 19:55

    Das duas uma: ou estes uro-artistas acham que quando alguém depreza uma coisa diz “estou-me mijando para isso” ou são escravos de uma mentalidade muito conservadora…

    Gostar

  41. Carlos Dias permalink
    2 Setembro, 2013 19:56

    Gostei do tipo que mija a beber, e depois limpa a mão com a boca.

    Gostar

  42. zazie permalink
    2 Setembro, 2013 20:03

    Isto foi uma merda muito mal copiada do I Like America ahd America likes me, do Joseph Beuys.

    O “setor” PPM não sabia.

    Gostar

  43. piscoiso permalink
    2 Setembro, 2013 20:12

    É um pouco estranho criticar-se quem recebe o subsídio e não quem o dá.

    Gostar

    • vitorcunha permalink*
      2 Setembro, 2013 20:13

      Anda desatento, Piscoiso.
      Mas também, mais cedo ou mais tarde iríamos chegar ao “a culpa foi dos bancos que endividaram o senhor engenheiro Sócrates”.

      Gostar

      • 2 Setembro, 2013 20:35

        Creio que a Constituição não obriga o Governo PSD/CDS a subsidiar Ana Borralho & João Galante.

        Gostar

      • vitorcunha permalink*
        2 Setembro, 2013 20:38

        Isso é uma dúvida para o Joaquim.

        Gostar

    • 3 Setembro, 2013 08:25

      Tens razão: ESTÃS JUSTIFICADO.
      Continua sentado no passeio à porta dos ratos do largo com
      a lata estendida . . .

      Gostar

  44. und permalink
    2 Setembro, 2013 20:17

    bom 1º dizes que és uma pessoa rude….
    nah…..quanto muito rudimentar ao fazeres-te pessoa puto

    depois campestre ….duvidoso

    pois chamas mato à flora ibérica

    e queres pôr cabras a pastar coisas indigestíveis ou venenosas

    pois a co-evolução entre herbívoros e o seu alimento é longa

    e se bem me lembro tirando os coalas e meia dúzia de espécies ….folhas de eucalyptus só em tisana

    logo ou és um iludido ou um socrates

    ou uma cunha do socrates….

    cultura humana essencial à vida só a agricultura

    e técnicas de caça e pesca

    Gostar

  45. murphy permalink
    2 Setembro, 2013 20:52

    era só mijar em cima dos políticos… ufa!

    Cheguei a temer que lhes fossem endereçar uns piropos, isso sim, seria indecoroso…

    Gostar

  46. Tiro ao Alvo permalink
    2 Setembro, 2013 21:20

    Está-me a parecer que esta gente não tomou em consideração o título da peça: Criativa-mente. O que a Borralho quer dizer é que é uma criativa que mente, ou seja, uma criativa que faz que mija, mas não mija. Tanto ela, como as outras e os outros figurantes, apenas molham os papeis, através de uma mangueirita ligada a um depósito escondido algures.
    Para mim, aquela coisa, aquela obra de arte, deve ter custado muito a criar e deve ter dado origem a discussões muito acesas, tais como mijar abaixado ou mijar em pé, mostrar ou não mostrar o pipi, etc. e tal.
    Portanto, revejam a obra e reparem que as meninas não estão a mijar, mas apenas a mostrar o pipi. Aquilo não é mijo, mas água da torneira.
    Quanto aos meninos, ficou-me a dúvida: aquilo que um mostrou pareceu-me a ponta de uma mangueira, mas poderei estar enganado. Claro que estou a falar do marmanjo que estava de pé, muito compenetrado.
    Confesso que nunca esperava ver uma coisa destas, E se não visse não acreditava. Mas, é como diz o fado, tudo isto existe, tudo isto é triste. Amen.

    Gostar

  47. 2 Setembro, 2013 21:22

    É evidente que o estado deve ser cultura.
    Sobre a arte apresentada para mim é porcaria. Logo eu que detesto o Moby Dick do Herman Melville, sei lá, talvez por causa da tradução ou mesmo da iliteracia.
    Sei lá, é uma cambiante daquela exposição em Serralves sobre o anus. Estupidez ou caso clinico.
    Também não gosto desta escultura e no entanto…

    nem desta e no entanto…
    http://blogueios.blogspot.pt/2005/08/grgulas-da-s-da-guarda.html
    Este tem tudo para ser um desastre, e no entanto…
    http://www.imdb.com/title/tt2724064/
    E para terminar, mijando….
    http://www.telegraph.co.uk/culture/art/3632714/Shocking-urinal-better-than-Picasso-because-they-say-so.html

    Gostar

    • ora permalink
      2 Setembro, 2013 22:28

      toda a actividade humana é cultural
      inclusive mijar de pé ou agachado é produto da cultura

      a fisiologia tamém ajuda

      Gostar

      • 3 Setembro, 2013 07:56

        Estão ainda nessa do mijar?
        Nos anos 40 (sob o Fascismo) já se punha em causa
        a maneira fêmea de fazer isso acocorado.
        As varinas (vendedoras ao domicílio de peixe do dia)
        quando estavam aflitas paravam (ainda com a canastra à cabeça)
        abriam as pernas e . . . lá vai disto, nos passeios de Lisboa.
        NADA HÁ DE NOVO À SUPERFÍCIE DA TERRA….

        Gostar

      • Tiro ao Alvo permalink
        3 Setembro, 2013 14:44

        Quando as mulheres andavam a lavoura, normalmente a ajudar os homens, estes, machistas como eram, diziam: “vacas e mulheres na jeira, torna-se tudo em mijeira”.

        Gostar

  48. zazie permalink
    2 Setembro, 2013 22:29

    tamém? olha só- o ora e und falam como o ferreira. Na volta são primos

    Gostar

  49. zazie permalink
    2 Setembro, 2013 22:30

    Ora=und= ignatz?
    AHAAHAHA

    Gostar

    • ora permalink
      2 Setembro, 2013 22:53

      tamém sou além tejane si señor

      de resto pouca gente nasceu em cacilheiro né

      ignatz é banda desenhada do imperialismo francófino

      agente é mai escurógrosso

      Gostar

  50. 3 Setembro, 2013 17:30

    Eu acho sempre, no mínimo, estranho e um pouco hipócrita que artistas sejam subsidiados pelo Estado. A Arte é um negócio MUITO MAIS ESPECULATIVO do que o sector financeiro contra o qual a Esquerda grita palavras de moralização. E de todas as Indústrias Criativas, as artes plásticas são a mais especulativa de todas. E sendo um negócio de risco e ao mesmo tempo subversivo, é parar rir quando os artistas ACEITAM ser financiados pelo Estado. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=617640291590420&set=a.220151134672673.57225.100000333645687&type=1&theater

    Gostar

  51. Bal permalink
    3 Setembro, 2013 18:55

    Tinha muito mais impacto se estes “artistas” fizessem cocó.

    Gostar

  52. pilatos permalink
    3 Setembro, 2013 23:00

    Aqui ninguém lavou as mãos.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: