Skip to content

Que lindo tecido que aí tens

30 Agosto, 2016

O burkini. Não é bem um bikini, nem sequer um trikini, é mais um N-kini com N a tender para todo e qualquer milímetro quadrado da área exterior que esconde o volume de quem o enverga. No fundo, umas calças, camisola e lenço, tão adequados para a praia como uma gabardina que só mostra os tornozelos à porta da escola primária.

Deve ser permitido? Não sei. Antes disso, de uma conclusão, será preciso definir o que é, exactamente, um burkini. É um símbolo religioso que representa a opressão das mulheres? Se sim, nada como colocar polícias a obrigarem mulheres a despir roupa em excesso: isso vai acabar com a opressão das mulheres num instante. Será apenas uma peça de vestuário para oprimidas mais emancipadas ao ponto de mostrarem os pés? Se é, porque nos incomoda?

Vai-se a ver, toda a discussão do burkini é uma simples máscara para o problema: falhou o multiculturalismo, impõe-se um código de vestuário para a praia. Creio que toda a discussão fora disso é inconsequente. Estas pessoas entraram no ocidente com a premissa de que poderíamos viver em harmonia, burkinistas e nudistas. Assim, o que se torna evidente é a necessidade de revisão dessa premissa demonstrada errada.

Anúncios
34 comentários leave one →
  1. 30 Agosto, 2016 09:33

    pessoalmente faz-me muito mais impressão ver algumas pessoas , homens e mulheres , com toneladas de banha à mostra a tremelicar . o burkini nesses casos devia ser obrigatório.

    Liked by 1 person

  2. PiErre permalink
    30 Agosto, 2016 09:45

    O que está a mais é só o Alcoirão.

    Gostar

  3. Ricciardi permalink
    30 Agosto, 2016 09:46

    Então é a liberdade de escolha das mulheres que querem (ele há gostos para tudo) usar o que mui bem entenderem?

    Afiançam, não sem alguma razão, que muitas burkinistas usam a fatiota contrariadas. Por pressão cultural. Dos maridos, da família, da religião. Argumentam que essa coacção que define um modo de vestir é contrária aos valores ocidentais. Ou seja, querem proteger a liberdade das mulheres oprimidas… e ao mesmo tempo desproteger a liberdade das mulheres que escolhem livremente usar a fatiota.

    Eu tenho uma solução para este aparente conflito. Deixar que cada mulher decida a indumentária com a qual se sente melhor.

    É bom para aquelas que não querem contrariar os maridos mas querem muito ir à praia e para aquelas que optaram por não mostrar a sua intimidade. Em suma, a liberdade individual de escolha. Aquela liberdade que as mulheres não teriam se não tivessem um burkini à mão de semear. Proibir o burkini é obrigar as mulheres islâmicas a ficar em casa. Permiti-lo é dar liberdade às mulheres de o usar.

    Madonna foi fotografada na praia a usar uma espécie de burkini. A brigada dos costumes francesa passar-lhe-ia uma multazinha?

    Rb

    Gostar

    • 30 Agosto, 2016 10:12

      Em nome do erotismo: Despir…..despir sempre! em casa ou no Motel. Na praia, é pouco sexy.

      Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      30 Agosto, 2016 10:12

      e como vai você conseguir isso ? saber da real vontade de cada uma ?
      como vai saber que não estará a ser coagida , apesar de ela jurar a mil pés junto que usa a burka porque adora o escuro , e quer estar ao abrigo do mosquedo ?
      use o cérebro para pensar direito , o burkini como o véu aqui á uns anos atrás é usado como um statement , … aliás as convertidas vão logo á loja do hijab comprar o mais chic para mostrar a devoção á coisa …
      não há forma de saber … os franceses e os outros vão ter que ter que conviver com isso até se tornarem uma minoria e terem também de usar a coisa , e a djalaba ou como se chama aquela combinação para homens …

      Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      30 Agosto, 2016 10:15

      enquanto o Mediterraneo era um obstáculo , a ameaça era difusa , mas real , agora … e até com o traidor Guterres á cabeça da ONU a ajudar , vai não vai … isto vai ser a acelerar nos números

      Liked by 1 person

  4. honi soit qui mal y pense permalink
    30 Agosto, 2016 10:20

    Vai ser no entanto divertido ver as Marias que se despiam , e queimavam soutiens para manifestar o seu inconformismo e identidade , conviver com esta franja mais paternalista, e misogena que o Estado Novo … e ficarem caladinhas …
    no Londistão , o mayor Sadika do Cão já baniu os outdoors com gajas de bikini , e medidas de modelo da victoria secrets … com o pretexto que dava mau exemplo ás mais gordinhas … depois admiram-se com o Brexit

    Liked by 1 person

  5. honi soit qui mal y pense permalink
    30 Agosto, 2016 10:52

    Nem era preciso não se concordar com a indumentária … motivo era dispensável :

    https://www.theguardian.com/world/2016/aug/30/up-to-15000-bodies-may-be-buried-in-mass-graves-in-syria-and-iraq-survey

    Gostar

  6. JgMenos permalink
    30 Agosto, 2016 10:57

    Um único regulamnto eficaz: onde houver um burkini é permitido o nudismo.
    Os extremismos tendem a anularem-se.

    Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      6 Setembro, 2016 15:57

      é uma muito excelente ideia … verdadeiramente libertária por eficaz

      Gostar

  7. 30 Agosto, 2016 11:08

    “… burkini é uma simples máscara para o problema: falhou o multi culturalismo,…”. Exacto.

    Note-se que a maioria dos comentários, dentro e fora deste “post”, continuam preocupadíssimos com esta época balnear. A tradicional miopía de interesses exemplarmente apaparicada, ao mais alto nível, por uma oportunista, e desnorteada, classe política apenas preocupada com a sua própria sobrevivência como tal.

    Uma clara excepção sem vergonha de escrever o que pensa é, obviamente, “honi soit qui mal y pense”.

    A confundir o dedo como sendo a Lua não é grande capacidade de visão, nem pessoal, nem política.

    Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      31 Agosto, 2016 11:22

      Devia ter juízo porque a liberdade de expressão não é assim tão livre , e se paga um alto preço em sair da opinião conformada . Até porque não vai adiantar nada . Mas a modernidade deve assentar no conhecimento da história , e isso carece em muita gente , também porque não será uma prioridade .
      Bastaria pensar um pouco no sentido dos fluxos populacionais ao longo dos tempos se verificavam , e porque .
      Normalmente é para procurar melhores condições de vida , numa economia mais amiga da iniciativa individual , e onde se respeitam as liberdades . A Europa palco de violência impar levou seculos a tentar estabilizar estas conquistas . Muitos europeus emigraram para fugir da tirania , outros acabaram por se tornar eles próprios tiranos , escravizando e oprimindo outros povos , e pagando o opróbio que cai em todos , hoje ainda desse fardo .No presente este peso da história serve de arma de arremesso para condicionar a opinião de cada um . É assim que funciona o empowerment .De forma insidiosa aqueles que aspiram ao poder , condicionam e procuram calar aqueles com os quais se defrontam , rotulando a sua opinião como não politicamente correcta , e fazendo com que se calem .
      É assim que funciona o bulliyng .Levando ao isolamento , á intimidação , a maioria da opinião se refugia no silêncio. Depois na hora do voto a mesma se manifesta , com surpresa geral , e estupefacção quanto ao resultados , não coincidentes com as sondagens .
      Assim resultados como os do Brexit , das ultimas eleições em Portugal , ou das duas ultimas em Espanha , do voto na Frente Nacional , na Alemanha onde a CDU e o SPD se veem em apuros com a AFD . Tudo coisas que não eram “expectáveis” nas sondagens.
      Para não correr riscos agora se procuram alternativas . Umas de desespero , juntam partidos com conceitos de liberdade distintos , para safar um politico derrotado com jeito de equilibrista , noutro outro politico derrotado , duas vezes, procura sobreviver levando o sistema a expulsar o vencedor , ou a fomentar eleições até se chegar ao resultado esperado , ou inesperado , outros inventam sistemas eleitorais a duas voltas que afastam os potenciais vencedores , para que os “civilizados” se mantenham, outros estão completamente estupidificados e sem soluções .
      Mas para uma franja de irredutíveis no odio e busca de poder , se no actual sistema não conseguem maiorias porque as pessoas , se não falam , têm pelo menos o bom senso quando votam , que tal promover a desgraça destes últimos , carregando-os de impostos , retirando-lhes a propriedade , levando a que se tornem dependentes do Estado , como outros que já constituem o grupo não negligenciável de votantes , ou fomentem e promovam a imigração de todo o tipo de desesperados , que bem aconchegadinhos , beneficiários de prebendas sociais , depois orientados pelos seus lideres religiosos e comunitários possam “orientar” o seu sentido de voto , nos ” partidos certos “.
      O poder é ainda o que liga muitos homens á vida .
      Assim foi , assim será .
      Roma para manter a paz pagava com pão e circo . O cereal vinha de outras paragens , quando parou o fluxo , quando a população não aumentava , quando os bárbaros entraram nas fronteiras com alguma resignação e silenciosa revolta dos nativos que a isso tiveram que assistir , tudo foi questão de anos para terminar .Os impérios acabam assim também.
      Uns não querem passar de cavalos a burros , outros evitariam assim ter de chorar por perder previlegios , outros não gostariam de voltar aos lugares de origem , largando o automóvel de serviço , ou o reconhecimento da plebe de onde saíram .
      A argumentação do burkini é pois uma arma eficaz de combate pelo poder dentro da sociedade , e de subversão , e empowerment . Nunca se vai saber se a opinião tão manifestada das mulheres , de estarem a ser genuinas , e livres no seu uso, é real , ou é condicionada pelo meio onde vive , pelas convenções morais da sua religião , ou vontade do homem , marido , pai , ou irmão . É como não saber como ninguém nunca viu Abdeslan em Moleenkeek nos 4 meses antes de ser apanhado pela policia belga , e onde parece vivia a 500 metros de casa , ia ás compras de vestuário , e ao barbeiro , tudo depois de colaborar nos atentados em Paris .
      Também é doloroso ver a proibição ser imposta por policias fardados a uma mulher sobre a qual não saberemos nunca se está a ser livre e genuína na sua atitude .Teremos de supor que está a ser livre .
      Aquilo que a França conseguiu ao promover a laicidade contra uma determinada religião , vai ganhar outra religião contra a laicidade , e através dos mecanismos da laicidade .
      Se é pela razão que se vence , igualmente pelo numero se perde.
      A França vai perder este combate , tal como toda a civilização que expiou as suas falhas , mas não ganhou a perenidade da sua razão , pela força do numero e do tribalismo .

      Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      31 Agosto, 2016 12:12

      Ainda um apontamento .
      O projecto da UE que se constitui num espaço de liberdades e democracia , não sobrevive apenas pelas condições referidas de falta de coesão , mas também por falta de produtividade e criação de riqueza .
      Com menos riqueza , menos bem-estar , são também menos os meios de poder aliviar e ajudar aqueles que precisam .
      Se a voragem do poder se torna o zénite da actuação dos grupos políticos , logo tudo vale . Assim numa democracia como valem os votos , vale a forma de seduzir os eleitores para os projectos .Mas se os projectos são irreais , se baseiam na falsa concepção da eliminação da iniciativa privada e do capital , a criação de riqueza desaparecerá, pois mais que provado que a o homem não funciona , a não ser forçado , nos projectos ditos “comunitários” de uns iluminados cujos resultados fizeram milhões de mortos nessas tentativas .
      Mas a iniciativa privada também não pode ser tomada pelas “organizações criminosas” que integram os partidos políticos e se confundem com eles , onde o acumular de prejuízos são sustentados depois por bail outs dos contribuintes.
      O capital também não é uma panaceia , e está muitas vezes coberto de sangue .
      Há que ser selectivo . Se um estado não respeita os direitos humanos , e os direitos dos trabalhadores equiparados a outros mais avançados , não tem estes de aceitar o capital constituído por ditadores , verdugos , ou impérios de parido único .
      O capital não é todo igual .
      Só podem existir empresas com responsabilidade social … a sério … e não uma falácia comunicacional , se todas neste mundo estiverem a concorrer nas mesmas condições .
      Logo a origem do capital é essencial na conservação da economia , e da sociedade , e das liberdades , pois há dinheiro e não pode ser permitido comprar tudo .
      A criação de riqueza não pode ser feita no sofrimento dos trabalhadores , para comprar activos para ditadores e impérios noutros locais .Nesses locais tais capitais devem ser repelidos e denunciados como ilegítimos .
      Direitos iguais , para uma vida global mais justa .
      A acumulação de riqueza excessiva é ela também um sintoma de uma sociedade doente , sobretudo se resulta do monopólio, e da especulação .A utilização da bolsa pode ajudar a manter o emprego e a criar dividendos , mas a procura cega de lucros acima de todos os valores humanos , é imoral e vai contra uma sociedade saudável .
      Na UE e EUA actualmente se verifica a abastardação da determinação e autoconfiança . O capital estrangeiro compra os activos válidos , destruindo empregos que ficam nos seus países de origem em condições infra-humanas . Não obstante a UE e EUA não criando riqueza , por democracias , tem de prover ao bem-estar para conquista dos votos dos seus cidadãos .Por isso se endividam , aceitam capital tingido de sangue e sofrimento , concedem vender activos válidos a especuladores e ditadores . Se transformam em praças financeiras especulativas para gáudios de terceiros , sendo cúmplices do sofrimento de muitos outros trabalhadores do mundo onde o capital foi acumulado .
      Há que dar travão antes que seja tarde no declínio de um projecto válido de liberdades , há que pugnar pela criação de riqueza e emprego , pela dignificação do trabalho e do cidadão europeu livre sem atavismo ao Estado , sem depender da caridade social , sem se tornar um votante certo , e condicionado, há que derrotar as “organizações criminosas mascaradas de politicas ” cujo projecto integra esse fim , há que igualmente denunciar o projecto social-fascista e as tropas de choque constituintes desse projecto. Depois coma dignificação, com a riqueza constituída ajudar outros povos noutros continentes a se libertarem dos seus ditadores , das suas condições de trabalho infra-humano , e a saírem do tribalismo como são manietados e condicionados ao odio para assim serem manipulados , e usados .
      Não é pela comtemplação que se fazem valer os projectos , mas pela determinação , razão e trabalho .

      Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      31 Agosto, 2016 15:45

      Mais um apontamento :

      Porque é que a UE ( ou os EUA ) é tão atractiva aos desesperados ?
      Porque estão desesperados alguns de boa fé , e outros apesar de racistas , patriarcais, e misogenos acham que podem retirar vantagem de aí aceder .
      Uns vão para aprender qq coisa e poder trabalhar , outros vão para se aproveitar do sistema e da tolice dos europeus e norte americanos e traficar pessoas, droga , e constituir mafias de toda a natureza .
      Á algo que escapa á multiculturalidade que é apregoada pelos parvos nativos europeus tolitos , que é o caracter tribal e confessional de muitos que vai para alem de qualquer desejo de aculturação.
      Primeiro porque se acham superiores , apesar do estado de indigência que muitos ostentam , os canones confessionais lhes indicam ser a raça superior , depois porque sabem que as ligações tribais e confessionais são o laço mais importante que devem manter . Os europeus ou norte americanos , são lixo , ou dispensáveis , e devem ser provocados e amesquilhados, podem aproveitar-se de alguns idiotas uteis que esperam os seus votos enquanto minoria bem organizada e coesa , mas esses traidores , e esbirros serão também descartáveis numa ultima fase .
      Nas antigas e actuais sociedades tribais ( v.g a Libia esse perene exemplo ) não há coesão que resista a não ser pela força . Foi assim no imperio romano , e no otomano , ou nos poucos anos de ocupação italiana . Durante a maioria dos 1400 anos esses locais se basearam em ligações tribais de sobrevivência pelo trafico de escravos e roubo de navios e caravanas . Como então ninguém se deve admirar do sofrimento dos subsaarianos que tentam por essa via aceder ao continente europeu .
      Nunca houve verdadeiramente um desenvolvimento que nessa área , levaria á atracção de outros povos a aderir a esse projecto .A não ser a escravatura , ninguém procurava o medio oriente e norte de africa para viver e prosperar .Apenas a estupidez de alguns déspotas europeus levou ao êxodo de judeus para a Sublime Porta ( Imperio Otomano ) onde de inicio alguns governantes visionários os utilizaram para dar alguma grandeza na ciência .
      Aliás como de inicio da expansão do Califado , onde sabiamente utilizaram os colaboradores “quislings” para retirar vantagens na ciência e outros saberes copiando dos livros dos gregos e romanos encontrados nas bibliotecas bizantinas … pois que tal como vindos do interior do deserto … faziam lá qualquer ideia sobre isso ou queijadas.
      Pois tal como aí , e depois roubando do saber da milenar India da ciência e matemáticas , se constituíram de alguma grandeza , mas por copiada , não era nada de muito original .
      Assim chegaram a este registo onde como os canones confessionais dizem devem retirar para o seu engrandecimento todos os ensinamentos que nas terras estrangeiras conseguirem retirar , e afectar a vida daqueles seres inferiores , retirando vantagem e eliminando a sua eventual ameaça .
      Os bairros fechados , a auto-exclusão, a ostentação dos sinais identitários de uma outra cultura e sociedade providenciam o aparecimento de sociedades fechadas sobre si próprias , em tribo .
      Para mais o proselitismo leva ao exagero , os convertidos de lavagem ao cerebro são sobretudo os mais zelotas para manifestar a sua adesão , e assim , os fenómenos de radicalização surgem de registos de famílias disfuncionais , mas também de muitos abastados que acham ter perdido algum sentido de espiritualidade , sobram ainda alguns que tenham sofrido alguma agressão de teor racista , ou serem pisados nos transportes , os que os tornou perigosos radicais .
      A constatação das actuais guerras na zona , o completo desinteresse que alguns dos mais ricos países da zona manifestam no querer acolher refugiados , calam bem fundo numa agenda escondida , para a qual muitos traidores, esbirros, sicários , poltrões , e próceres nativos europeus, e norte americanos contribuem .
      Não espanta pois que agora tenha surgido um vestido tão identitário como o burkini . O papel do mesmo é aquele de salientar uma identidade diferente a que todos terão que por ora aquiescer por respeito ” ao desejo individual que o seu uso intrinsecamente manifesta “, até sim … um todas terem de usar , até finalizar na visão das praias de tenda típicas do seculo passado onde as mulheres se refugiavam dos sol e dos homens perante a protecção do marido , pais ou irmãos .Se não conheces outra coisa que desejo de ser diferente podes ter .Até podes pensar ser livre , e seres senhora do teu corpo , coberta com uma burka , se não podes livremente escolher viver de outra forma
      Nem a dita força da revolução francesa , ou a força das liberdades tantas vezes antes juntas numa fraternidade escondida de homens e mulheres que pugnam pela igualdade , liberdade e fraternidade , conseguirá afectar , ou demover .
      O burkini , o véu , as barbas compridas , o vestuário próprio e distinto, vieram para ficar . A lei Sharia está ali ao virar da esquina logo que os números aumentem, e seja insustentável sobrepor a laicidade ,e o direito comum , ao direito de cada tribo .
      Assim , habituem-se .

      Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      31 Agosto, 2016 17:11

      Chega ?

      Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      1 Setembro, 2016 06:55

      Assim tal como a traidora Clinton, e Guterres , e o sabujo ” quisling” Trumpa , outros traidores de menor estatura , ou gordura farta , mais uns labregos , e fedorentos , uns imberbes , outros psicóticos , outros barbudos, algumas invejosas parvas por meio ponto , outras completamente chanfradas que não se querem meter na politica, quando lá andam de corpo inteiro , outras incompetentes mas ambiciosas , pugnarão por manter os seus pequenos previlégios , uns para não voltar aos lugares de origem , não hesitando todos perante a suprema traição de condenar a própria civilização , onde se organizam em organizações criminosas , e que lhes facultam os carros de serviço , e as prebendas distintivas de classe , como os fatinhos de viscose , e os adorados salamaleques dos esbirros e sicários .
      Será de vê-los um dia a experimentar o burkini , e a djabala para seduzir os votos concentrados , em faixa anunciada do evento , e a rir alarvamente junto dos outros mais pequenos esbirros . Mas também não irão longe , pois o poder corrompe, e o poder absoluto corrompe absolutamente .

      Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      1 Setembro, 2016 11:22

      et pour cause :

      http://observador.pt/opiniao/europa-da-igualdade-dos-sexos-rip/

      Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      6 Setembro, 2016 13:37

      Juntar o que já se falou , e acrescentar a dimensão devida :

      http://observador.pt/opiniao/o-problema-nao-e-so-a-economia/

      Gostar

  8. Licas permalink
    30 Agosto, 2016 11:25

    tavas bem era no burkina faso(ah,ah,ah).muito se preocupa esta gente com farrapos,tal como a empreendedora cristina ferreira.

    Gostar

  9. Manuel permalink
    30 Agosto, 2016 11:30

    Claro que falhou o multi-culturalismo.O burkini é uma provocação aos nossos valores europeus e só vai acabar quando a história se repetir e os muçulmanos forem descarregados no norte de África é desejável que vão descontando para a viajem pois no tempo de Filipe III (1609) também tiveram de pagar o “retorno”,sim,tal como agora, alguns tinham nascido em Espanha, mas nem a inquisição os conseguiu integrar.

    Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      30 Agosto, 2016 11:49

      espere sentado á espera de ver isso a acontecer , e diga aos seus filhos para ocuparem a sua cadeira para o efeito, quando você for desta para melhor …

      Gostar

  10. PSC permalink
    30 Agosto, 2016 12:05

    Burkini= Provocação Discutida ao mais alto nível (ver Whabbitas), devidamente planeada e executada para levar a estas reacções como teste à nossa capacidade de contestação.
    Não sejam ingénuos e não entrem no jogo que é isso que eles querem com estas e outras provocações que se seguirão.

    Gostar

  11. 30 Agosto, 2016 13:08

    O islão exige submissão às suas regras. O burkini é apenas mais uma imposição supremacista à qual o ocidente tem que se acomodar. Anteriormente já nos acomodámos a: policias muçulmanos com vestuário islâmico em Inglaterra e Canadá, comida halal nas escolas públicas em França e Inglaterra, Suécia etc, horários diferenciados nas piscinas públicas para homens não se encontrarem com mulheres, abandono nas aulas em frança da história do holocausto, recusa de servir álcool ou carne porco por trabalhadores muçulmanos no seu local de trabalho, recusa de taxista transportarem invisuais com cães-guia, locais de culto para muçulmanos nas fábricas e aeroportos, censura de todo e qualquer critica ao islão por escritores, caricaturistas etc, enfim exemplos não faltam. É preciso aculturarmo-nos à religião pacifica e tolerante que é o islão, senão….eles matam-te.

    Gostar

  12. 30 Agosto, 2016 13:46

    a propósito de tecidos vejam este artigo sobre a vestimenta das mulheres nos anos 70 e hoje no Irão : http://vozpopuli.com/memesis/88363-iran-ayer-y-hoy-mucho-mas-que-unas-fotos-virales

    Gostar

    • honi soit qui mal y pense permalink
      30 Agosto, 2016 14:27

      JC

      Engano seu , compreensível .

      A equipa da esquerda dita na camisola IRANA , é na realidade a equipa feminina do torneio INATEL 1978 de basquetebol . IRANA era uma fabrica de pladures no Seixal .Já não existe .Hoje o terreno tem dois edifícios de habitação , e um minimercado .

      A equipa da direita , com os capuzes que parecem uns cientistas da NASA , na realidade é a equipa de basquetebol da França de U-19 ( under 19 ) .Se pergunta por então não estão de azul , era porque iam defrontar a Croácia , e o verde, é a cor alternativa da equipa .

      Gostar

  13. oscar maximo permalink
    30 Agosto, 2016 16:15

    Muito bem escrito, até admira. Os argumentos contra o burkini têm-se revelado insensatos. Sugerir a influência do islamismo radical é anedótico, é exatamente o contrário. É uma questão de costumes, e é fácil compreender alguém que não se quer despir-se diante de familiares que nunca o viram nu.
    Tal como o meu vizinho (e eu) não queremos ir despir-nos para uma piscina de condomínio. Exatamente o mesmo.

    Gostar

  14. Duarte de Aviz permalink
    30 Agosto, 2016 17:12

    Sugeria aos franceses que reduzissem drasticamente o generoso “estado social” e duma penada resolviam o problema do burkini e da falência do mesmo. Bingo!!!

    Liked by 2 people

    • Abre-latas permalink
      30 Agosto, 2016 22:29

      O estado social é que devia usar burkini, é obsceno!

      Gostar

  15. miluramalho permalink
    30 Agosto, 2016 17:31

    Reblogged this on Miluramalho’s Blog.

    Gostar

  16. Manuel Vicente Galvão permalink
    30 Agosto, 2016 22:45

    Burkini, finalmente uma solução airosa para mulheres feias, com estrias, com celulite, com acne, carecas, etc.

    Gostar

  17. Juromenha permalink
    30 Agosto, 2016 22:59

    Não sei porquê , veio-me à memória a reacção dos russos aquando das provocações para os desfiles da paneleiragem e “orgulho” respectivo…
    “Other voices, other rooms”, como dizia o outro…

    Gostar

  18. Arlindo da Costa permalink
    31 Agosto, 2016 03:49

    Eu, pelo contrário, sou contra o tecido. Curto ou comprido.
    Na praia – ou na cama – a melhor tecido é a pele.
    Pois só nessas circunstâncias é que a luta de classes não faz sentido.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: