Skip to content

Favorecimento sem razão

22 Dezembro, 2016

Costa quer «ressarcir os cidadãos prejudicados pela venda de papel comercial» do Grupo BES.

Mas porque razão o governo se mete no assunto e coloca os contribuintes e financiar tal operação de salvamento do património de uns tantos?

Tais pessoas adquiriram produtos financeiros ou fizeram aplicações por sua conta e risco.
Se correu mal, azar.
Se foram enganados ou houve fraude, há tribunais para isso.
De todo, não se compreende porque os contribuintes sejam chamados a pagar ou no mínimo a garantir o pagamento caso «corra mal» em qualquer solução para os problemas patrimoniais de investidores financeiros.
Deve haver algum interesse directo no assunto para que se usem dinheiros públicos para salvar património privado.

Advertisements
26 comentários leave one →
  1. Alain Bick permalink
    22 Dezembro, 2016 18:35

    este socialismo acaba a legislar sobre o tamanho das pichas

    Gostar

  2. Filipe Costa permalink
    22 Dezembro, 2016 18:42

    Eu poupei com juros de 2%, esses investidores foram atrás de 6,75%. Ainda me lembro de me chamarem otário, e agora isto.

    Quem comprou papel comercial a 40% do valor vai ser ressarcido a 50% ou 75%, grande negócio.

    Sou mesmo otário.

    Gostar

  3. Albert Virella permalink
    22 Dezembro, 2016 18:52

    Tem muita razão com o que escreveu. Mas de temas pouco claros que, cedo ou tarde, mas em geral demasiado cedo, são colocados nas costas dos cidadãos indefesos, já estamos calejados. Pior é que a malta, que engloba a todos menos os mais bem colocados, distrai-se e desfruta com qualquer macacada que ponham à frente.

    Uma cidadania que é uma tristeza, ou mesmo uma vergonha.

    Liked by 1 person

  4. JP Ribeiro permalink
    22 Dezembro, 2016 19:11

    Quando é que se publica a lista dos nomes dos “lesados do BES”? Só para confirmarmos que não há nenhum político no activo nessa lista…

    Liked by 2 people

    • 22 Dezembro, 2016 19:32

      na mouche !

      Liked by 1 person

    • Rão Arques permalink
      22 Dezembro, 2016 23:16

      Não há tomates para isso como não houve para publicarem os nomes dos negociantes das hortas da OTA.

      Gostar

      • 22 Dezembro, 2016 23:44

        Também esse caso, de autarcas e outros políticos do P”S” que compraram terrenos na Ota ao preço da uva mijona com o objectivo de sacar boa massaroca com o hipotético aeroporto.
        Tiveram o que mereceram !

        Gostar

  5. 22 Dezembro, 2016 19:12

    Provavelmente haverá um interesse directo neste assunto, mas a questão fundamental é esta: o dinheiro que vai ser gasto não sai do bolso de quem toma a decisão.

    É muito fácil ser generoso com o dinheiro dos outros.

    Liked by 2 people

  6. Euro2cent permalink
    22 Dezembro, 2016 19:34

    > dinheiros públicos
    > património privado.

    Se lerem, ou pensarem, um pouco apercebem-se de que uma república é a forma mais eficaz de os aristocratas porem o património a render pacificamente entre eles.

    Que os donos depois façam publicidade ao gado proleta a dizer que foram abençoados com grandes liberdades e que o que é público é de todos … é publicidade.

    (Suponho que saibam que a publicidade serve para separar o “público-alvo” do dinheiro …)

    Liked by 3 people

  7. 22 Dezembro, 2016 19:34

    Um dos interesses (in)directos deste governo: ajudar a tentar limpar a trafulhice do amigo Salgado.

    Gostar

  8. licas permalink
    22 Dezembro, 2016 20:17

    G. Silva, completamente de acordo.
    As pessoas julgam que, até depositar dinheiro num Banco,
    ficam convencidos de que é uma transação segura, mas estão enganados.
    Todo o processo em que se pretende cobrar juros, é uma transação.
    NÃO EXISTE LUCRO SEM RISCO, esta a verdade incontrolável.
    Que culpa temos nós, que outros cidadãos, na mira de ganhos acrescentados,
    tenham permitido os Bancos de empregarem capitais de risco?
    Vamos pagar-lhes todos nós, por serem jogadores arriscados?
    Não HÁ Direito!!!
    Processem Judicialmente o Banco se tiverem sido enganados,
    MAS NEM UM CENTAVO do erário público.

    Gostar

  9. JgMenos permalink
    22 Dezembro, 2016 20:18

    Já foi decretado que na papelada, logo por cima da assinatura do patego se diga algo como «Capital NÃO garantido»?
    Isso não fazem os palhaços!
    Agora distribuir o dinheiro dos outros…é na hora!

    Gostar

  10. LTR permalink
    22 Dezembro, 2016 20:20

    Há lista pública dos beneficiários ou é como nas SCUTS?

    Gostar

  11. licas permalink
    22 Dezembro, 2016 20:32

    Se for por diante o tal #ressarcimento” tenho o direito
    de classificar de ladrão tanto o PM como todo o govêrno.
    E todos temos esse direito . . .

    Liked by 1 person

  12. Zé dos Bois permalink
    22 Dezembro, 2016 20:38

    O homem também disse que se fosse ele teria salvo o BES, presume-se que também com dinheiros públicos, e até hoje ninguém se indignou com isso.

    Liked by 1 person

  13. 22 Dezembro, 2016 21:02

    Há um interesse sim senhor, o dos banqueiros! Eu explico:
    Quem apostou em produtos financeiros em vez de comprar imóveis (agarrados ao chão) não pode ficar de bolsos a abanar, senão ninguém vai mais acreditar em produtos financeiros, quando se der o próxima bolha imobiliária, e isso é o cabo dos trabalhos para os banqueiros!

    Gostar

  14. LTR permalink
    22 Dezembro, 2016 22:02

    Natal 2015 – Notícia de origem marciana rebenta com o Banif
    Natal 2016 – PM de origem conhecida salva clientes do BES
    Natal 2017 – ?

    Liked by 1 person

  15. carlos alberto ilharco permalink
    22 Dezembro, 2016 22:38

    Deve haver algum interesse directo no assunto para que se usem dinheiros públicos para salvar património privado.

    Pois há.
    Costa tem horror a gritarias, manifestações, greves tudo o que macule a imagem tranquila do Governo.
    Para evitar isto, fará aquilo.

    Gostar

  16. Rão Arques permalink
    22 Dezembro, 2016 23:13

    Segundo Costa se corre mal a uns cornos a todos.

    Gostar

  17. Arlindo da Costa permalink
    23 Dezembro, 2016 03:01

    Não há nenhum favorecimento.
    Como o Estado – através dos seus sistemas de regulação bancária, de mercado de acções e de inspecção fiscal e financeira, não fez o trabalho a que estava obrigado, e uma vez que o ex-BES foi para o sistema de resolução/dissolução, é natural que o Estado intervenha para minimizar os efeitos nocivos da sua negligência.

    Agora o que se espera é que o Estado processe os administradores, reguladores, inspectores, revisores oficiais de contas, auditores, directores bancários para que a sociedade seja ressarcida do mega crime a que assistimos.

    Não compreendo como é que ainda não foram julgados, presos e arrestados os bens dos prevaricadores, corruptos e vigaristas.

    Pode ser que a Marilú ,o PPC e Charles Costa tenha algo a dizer sobre este assunto…

    Gostar

    • Sem Norte permalink
      23 Dezembro, 2016 05:04

      Ó arlindo tú és daqueles que se chegar a casa e encontrar a mulher na cama com outro, e ela disser que a culpa é do pinto da costa ou do passos também engoles, aliás engoles tudo.

      Gostar

    • LDM permalink
      23 Dezembro, 2016 19:34

      Arlindo, não abuses de substâncias proibidas.

      Gostar

  18. Anónimo permalink
    23 Dezembro, 2016 11:36

    A seguir temos as manifestações dos perdedores à saída do Casino do Estoril, de Espinho e da Póvoa ?.
    Um Governo socialista/comunista a legislar descontraídamente, como é timbre, com o dinheiro de uns, favorecendo outros … que por acaso até tinham dinheiros para (com risco) aplicar. Uauuu.

    Gostar

  19. licas permalink
    24 Dezembro, 2016 11:41

    Anónimo: é isso mesmo.
    Jogaram, perderam, se não fossem glutões perante
    mais de 6% de juros, não lhes aconteeria nada de mal.
    Apenas eles têm de se lamentar da “aventura”.
    Nós todos, os cidadãos, não temos, de maneira nenhuma,
    de suportar os tais ressarcimentos.

    Gostar

  20. Anónimo permalink
    24 Dezembro, 2016 14:51

    Licas: exacto.
    Os “lesados” não desconfiaram de um “produto” com semelhante disparidade do valor do juro?.
    O criminoso será(?) o banqueiro. Não é, de todo em todo, o contribuinte.
    Alguma vez aquelas alminhas entregaram o excesso de dividendos ao Estado, ao contribuinte ?.
    A “guerra” é entre os investidores e o Banco/banqueiro.
    É impossível que esta “solução” seja constitucional. Semelhante legislação traz muita água no bico.

    Agora o contribuinte, além de ter que constituicionalmente(?) salvar Bancos desconjuntados por banqueiros corruptos/espertalhões, estará a ser coagido pelo Estado socialista/comunista a ressarcir as “perdas” dos glutões. Esbulho em cima de esbulho.

    É impossível que esta “solução” também seja constitucional.
    Obviamente um atropelo ao Direito só imaginável no regime socialista/comunista em curso.
    Não é suposto a Constituição proteger os direitos do cidadão?.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: