Skip to content

O sucedido terá ocorrido sem que se saiba o que terá levado ao incidente

4 Junho, 2017

Mais um “incidente” em Londres. Ainda não podemos atribuir tal “sucedido” à religião de paz, por muito preconceituosos que sejamos. O “incidente” pode ter “sucedido” por mera “fatalidade”, não há qualquer prova de que se trate de um atentado terrorista só porque causou terror às pessoas que foram “inesperadamente” atropeladas e/ou esfaqueadas. Pode ter sido um “acto cometido” por pessoa “com problemas mentais” ou até por desempregado desiludido com Trump por este retirar os EUA do tratado de Paris, aquele tratado que é tão bom que não há vivalma que desconheça os seus méritos e, inclusivamente, o seu conteúdo.

A polícia matou três pessoas que nem sequer foram julgadas e consideradas culpadas em quinta instância. É um abuso e uma severa violação dos direitos humanos. É neste “sucedido” que devemos focar a nossa atenção. Mais: nem sabemos se “o incidente”, que consistiu em atropelar e esfaquear pessoas, foi dirigido a londrinos de gema, pessoas nascidas e criadas na capital inglesa ou se foi um meritório “sucedido” de supressão de turistas, essa praga que destrói a habitação e corrompe as tradições e modo de vida das cidades históricas.

Sabemos é que é necessário uma Câncio em cada esquina. Da mesma forma que não haverá turista a entrar em prédio que lhe pertença para sessões de tórrido sexo com governantes locais, causando transtorno aos restantes moradores que também querem carinho, um elemento deste tipo por condomínio seria suficiente para assegurar quotas para refugiados homo-, trans- e pan-sexuais que, como sabemos, resolvem facilmente o problema demográfico da Europa através de partenogénese e asseguram que atropelamentos e esfaqueamentos, em virtude da religião de paz, só ocorrem em mulheres culpadas da suspeita de adultério, nunca a transeuntes inocentes.

Anúncios
79 comentários leave one →
  1. Rafael Ortega permalink
    4 Junho, 2017 09:48

    “Sabemos é que é necessário uma Câncio em cada esquina”

    Seu maroto. Fique sabendo que há zonas em várias cidades com Câncios em cada esquina. Não têm é muito boa fama (as zonas e as Câncios).

    Quanto ao alegado sucedido na alegada cidade alegadamente britânica, faço minhas as palavras do chefe Wiggum: “Move Along, Nothing to See Here”.

    Liked by 3 people

    • carlos alberto ilharco permalink
      4 Junho, 2017 17:36

      O assunto é sério, mas tive que me rir.
      Há dois anos fui de férias a Londres, cheguei de noite. No dia seguinte iniciei o turismo visitando um museu, concretamente o da RAF. A alegada recepcionista era portuguesa.
      Muito simpática por sinal.

      Gostar

  2. Manuel permalink
    4 Junho, 2017 10:36

    Tudo isto é muito triste e os governos não tomam as medidas que se impõem. As pessoas estão na mesma situação das vacas que eu levava há 50 anos ao matadouro. A ignorância é a mesma, no meio da desgraça, só querem tirar “selfies”.

    Gostar

    • 5 Junho, 2017 08:48

      Errado! Os governos estão a tomar exactemente as medidas necessárias… para respeitar a aplicação do Plano Kalergi.
      Por exemplo, a Merkel foi galardoada em 2010 com o prémio da fundação Coudenhove-Kalergi.

      Gostar

  3. 4 Junho, 2017 11:20

    E qual será, no seu claro entender, a solução? Gasear todos os muçulmanos que vivem em Inglaterra? Porque não diz logo o que lhe vai na alma?

    Gostar

    • Carlos Guerreiro permalink
      4 Junho, 2017 11:26

      Se não houver medidas adequadas para lidar a situação, irá aparecer alguém com uma ideia semelhante. E até poderá ser aceite pela maioria (que depois nem sabia o que se passava, pensava que eram campos de férias).

      Gostar

    • 4 Junho, 2017 11:41

      A solução parece ser uma lista dos sítios frequentados pelos xicos.

      Liked by 1 person

      • carlos alberto ilharco permalink
        4 Junho, 2017 17:38

        O senhor quando responde queima.
        Melhor era internar os xicos como Katie Hopkins recomenda.
        Ficava caro, mas dava sossego.

        Gostar

    • Carlos Guerreiro permalink
      4 Junho, 2017 11:48

      E neste caso existe uma vantagem adicional, não é necessário criar nenhum país para colocar os religiosos da paz, basta mandá-los para os paises de origem.

      Gostar

      • carlos alberto ilharco permalink
        4 Junho, 2017 17:39

        Correção, países de origem dos pais.

        Gostar

    • LDM permalink
      4 Junho, 2017 16:27

      Xico, a tua solução, claro está, é comer e calar.

      Liked by 1 person

    • Tiradentes permalink
      4 Junho, 2017 17:04

      O Xico poderia perguntar ao Stalin qual seria a melhor solução. Vá não seja tímido, e diga o que realmente lhe vai na alma ou ainda acaba como os ucranianos

      Gostar

      • 4 Junho, 2017 20:52

        Se tem Stalin em tão alta estima e consideração porque não lhe pergunta você? Mas era capaz de perguntar a Cameron, May e Blair, porque razão fazem guerra a Bashar al Assad.

        Gostar

      • Tiradentes permalink
        4 Junho, 2017 22:29

        viu como não lhe custou nada dizer o que lhe vai na alma? neste caso preocupado com a “saúde” de uma ditadura de uma família há 50 anos, pertencente a uma ultra minoria no país e que nunca permitiu que alguém ousasse sequer o confrontar. Era precisamente esse seu amor pelos ditadores que eu queria ouvir…….. o Stalin só foi o percutor

        Gostar

      • 4 Junho, 2017 23:23

        Não me preocupam a saúde dos ditadores, preocupa-me a saúde dos Europeus vítimas das armas dos que fomentam o terrorismo. Quer então dizer que vão deixar de armar a Arábia Saudita?! Ainda me recordo bem de ver Giuliani recusar a oferta de um príncipe saudita após o 11 de setembro. Mas homens como Giuliani há poucos, infelizmente.

        Gostar

    • ABC permalink
      4 Junho, 2017 21:13

      Xico, qual é a tua nacionalidade? Qual é a tua religião? O teu nome verdadeiro?

      Gostar

    • 5 Junho, 2017 01:15

      As três religiões de que se fala mais na Europa são :
      -Islamismo
      -Cristianismo
      -Judaísmo

      Têm todas alguma coisa em comum
      Mas têm umas diferençazinhas.

      Os judeus são os maus, os ricos, os espertalhões. Ninguém gosta de gente muito esperta, causam inveja. É uma injustiça ser-se rico com tanto pobre que há no mundo. É evidente que de gente má todos fogem. Aliás, se alguém quiser converter-se ao judaísmo, o mais provável que tem é levar uma tampa. Lá está, são maus.
      Vai daí, judeus é para abater.

      Os islâmicos são pacíficos, excepto os que são terroristas. Esses, dizem os chefes, nem são muçulmanos. O Islamismo é a religião da paz, logo todos os que não são muçulmanos são infiéis, não são de paz e portanto ou se deixam converter ou estão sujeitos. O Islamismo obriga à conversão para se poder ter a salvação.
      O Trump é muito pior que o Islão dizem os jornais de todo o mundo.
      E o Presidente da Câmara de Londres que é muçulmano, sabendo que o mundo não grama o Trump, nem perde tempo a responder ao estafermo.

      O Cristianismo é a religião dos bons. Chama para a Igreja mas não obriga ninguém a converter-se. Há um atentado, manda rezar. Acontece um terramoto, manda rezar. O Cristianismo é bom e o Papa Francisco ainda é melhor porque gosta dos pobres e resolve os problemas com rezas.

      Gostar

  4. pitÔ permalink
    4 Junho, 2017 11:25

    Ainda bem que começam a matar. Pagará sempre o justo pelo pecador. Ainda não vi uma jornaleira numa Zona, ‘rolando bolsinha’. Mas que rolam, rolam…

    Gostar

  5. piscoiso permalink
    4 Junho, 2017 11:36

    Mas será que a religião tem alguma coisa a ver com os atentados de ontem em Londres? Ou será que os atacantes da ponte eram de religião diferente dos do Borough Market?
    Só cousas que m’apoquentam.

    Gostar

    • 4 Junho, 2017 11:42

      Não tem nada a ver porque é uma religião de paz.

      Liked by 1 person

      • 4 Junho, 2017 14:02

        Para o piscoiso todos os atentados são rodagens de filmes (dirigidos por ateus) lamentavelmente com vítimas porque os intérpretes eram impreparados e os mirones estavam sem serem avisados, nos locais perigosos.

        Gostar

      • ABC permalink
        5 Junho, 2017 14:42

        É por isso que xiitas e sunitas se dão tão bem.

        Gostar

    • alex.soares permalink
      4 Junho, 2017 14:48

      Ho fazedor de br(i)oches maduros, por acaso sabes onde anda o lindinho tosta? Meu rico, se te apanho em mcn, faço-te uma fogueira só para te dar carinho acalorado.

      Gostar

    • Tiradentes permalink
      4 Junho, 2017 17:07

      Absolutamente nada.
      Desta vez estou com o piscoiso.
      O único acontecimento mundial que teve a ver com religião ……foram as Cruzadas. Antes disso e depois disso , nunca jamais em tempo algum houve qualquer coisa neste mundo, quiçá no universo que tivesse a ver com qualquer tipo de religião, sobretudo com a muçulmana

      Gostar

    • Tiradentes permalink
      4 Junho, 2017 17:13

      Pelo contrário……”desenfrear carros” para cima das pessoas , todos sabemos que os carros (camiões e carrinhas) não tem religião. As facas também não mesmo que entrem no corpo 15 vezes no corpo das pessoas. O facto de as pessoas que conduziam o carro ou levaram as facas que entraram no corpo das outras pessoas , gritarem Alah Abkar, não quer dizer absolutamente nada. Vai ver era até o grito de guerra daquele fascista cristão lá de Guimarães, o tal de Henriques.

      Liked by 1 person

  6. javitudo permalink
    4 Junho, 2017 11:46

    Haverá quem diga que as pessoas não deviam estar naquele sítio aquela hora.
    Haverá, até entre nós quem festeje baixinho. Quem serão?
    Uma opinião modesta. Não vai ser preciso gasear ninguém.
    Vai ser imprescindível tirar a nacionalidade e deportar muita gente mediante critérios rigorosos. Lá isso vai. Os suspeitos da lista serão os primeiros.
    Então, os que permanecem muito caladinhos, acordam e começam as denúncias.
    Até lá vamos ter muitos discursos de circunstância. Até os bons discursos cansam.

    Gostar

    • piscoiso permalink
      4 Junho, 2017 11:59

      Deportar para onde, se forem naturais do país?

      Gostar

      • 4 Junho, 2017 13:31

        Deportá-los para o atlântico…

        Gostar

      • Carlos permalink
        4 Junho, 2017 16:39

        Se tiverem nascido no país, só podem ser deportados para a terra dos pais. É melhor do que para o outro mundo…

        Gostar

      • Os corruptos que se cuidem permalink
        4 Junho, 2017 19:11

        Por mim, para o Inferno não estará nada mal. E por si? Ou está disposto a morrer por eles e pelas suas cacas de ideias?

        Gostar

  7. 4 Junho, 2017 12:06

    Excelente.

    Gostar

  8. 4 Junho, 2017 12:08

    ..

    Gostar

  9. Juromenha permalink
    4 Junho, 2017 12:13

    Chato e repetitivo : os Russos , que se (des)equilibram entre o misticismo profundo e a crueldade sem limites, não têm “problemas existenciais” quando estes “incidentes” lhes tocam à porta.
    Suspeito que a Igreja Ortodoxa encara de forma um tanto ou quanto peculiar aquilo do “dar a outra face”…
    Daí, e sempre na portuguesíssima corrente de pensamento do “supÔnhamos” , o número de “infaustos eventos” ter vindo a diminuir de forma notável ( e se “aquilo” é grande, senhores ) – “pero hay siempre un tonto”…
    Claro que ” el tonto y su entorno” falecem – e , consta, não exactamente na paz do Senhor.
    Um método que tem dado os seus resultados, para o dizer de alguma forma…

    Gostar

    • Os corruptos que se cuidem permalink
      4 Junho, 2017 19:13

      Os russos não têm dúvidas existenciais nem comichões.

      Gostar

  10. 4 Junho, 2017 13:47

    Vigilância mais rigorosa e reforçada da polícia (qual o problema se um cidadão avisar que há suspeitos ?) em locais frequentados por gente duvidosa, nenhuma contemplação nos interrogatórios e se perante assassinos, rajadas mortíferas ! Se numa esquadra, “oh !, escorregaram na escada e estão partidinhos”.
    Sobre as chefias da seita no Médio Oriente, ataques aéreos tantos quanto necessários para dizimar cabecilhas, líderes — cortar o mal pela raíz, que demorará mais alguns anos mas sem os quais, que instigam proto-assassinos no Ocidente, a serpente ficará sem cabeça. Morre, nesses ataques também gente inocente, “paciência”, em Nice, Paris, Londres, etc, foram assassinados cidadãos pacíficos.
    Quanto ao Trump, o Mundo (e os USA) não pode estar refém dum idiota, dum ignorante, dum chanfrado que pensa ser DDTudo.

    Gostar

  11. André Miguel permalink
    4 Junho, 2017 13:57

    Não foi o mayor lá do sítio que disse que este é o preço a pagar por vivermos numa grande cidade? Quando a maioria silenciosa passar aos actos esta merda não vai acabar bem…

    Gostar

    • 4 Junho, 2017 14:09

      Se necessário, criem-se milícias (autorizadas pelas polícias) em zonas frequentadas por suspeitos. Não resolve tudo, mas ajuda a dissuadir.
      Certo-certo, isto não pode nem deve continuar sujeito a atentados !

      Gostar

    • Os corruptos que se cuidem permalink
      4 Junho, 2017 19:12

      E oxalá não acabe mesmo! Se não nos defendem, defendamo-nos e aos nossos filhos, porra! Deixar-se matar como borregos e ainda por cima tontos é que não!

      Gostar

  12. 4 Junho, 2017 14:01

    Se em magnitude os compararmos com o quotidiano que ingleses e “aliados” levaram à Síria, à Líbia e ao Iraque – só porque al-Assad, Kadafi e Hussein são “bad hombres” e “não podem continuar” – nada disto é mais do que pequenos incidentes sem a menor importância. O que é verdadeiramente irónico é os “incidentes” serem inspirados e perpetrados pelos mesmos grupos de terroristas que nesses países são armados, instruídos, financiados e nalguns casos criados precisamente para derrubar os “maus que não podem continuar”. Os “aliados” dão vida à besta na patética convicção de que a podem açaimar .

    Gostar

    • 4 Junho, 2017 14:17

      Mais dois garotos crescidos bastante perigosos: os presidentes da Coreia do Norte e dos EUA.
      Cada vez mais concluo que vai haver conflito bélico devastador.
      Querem deixar as suas marcas, interna e externamente. Têm os seus bunkers, estão-se marimbando para outros.

      Gostar

    • 4 Junho, 2017 14:28

      Portanto, antes da Síria e do Iraque não havia violência islâmica?

      Gostar

    • 4 Junho, 2017 14:32

      Se comparáramos uma mera violação ao genocídio de um povo, o seu rabo pode bem aguentar.

      Gostar

      • 4 Junho, 2017 14:51

        Não seja parvo, não desvalorizo nada daquilo que comparo. Apenas sucede que enquanto o Vitor se enfastia em (mais) um rascunho acerca da hipocrisia, eu enfastiei-o com duas ou três linhas sobre o ovo da serpente. Só isso.

        Gostar

      • 4 Junho, 2017 14:53

        Deixe a morada.

        Gostar

      • Tiradentes permalink
        4 Junho, 2017 17:16

        da hipocrisia…. do próprio. Qual era mesmo o país a que tinham levado a guerra antes do 11 de setembro?

        Gostar

      • Rafael Ortega permalink
        5 Junho, 2017 16:12

        vitorcunha tiro-lhe o chapéu.

        essa foi brilhante.

        Gostar

    • André Miguel permalink
      4 Junho, 2017 14:54

      Alto e pára o baile! Que a Primavera Arabe foi patrocinada pelo Messias da Paz de seu nome Obama! Esta merda nada tem a ver com ingleses, aliados e afins, ok??? Foi o vosso messias da esquerda, nobel da paz, que criou esta merda onde estamos metidos! Fosse Bush ainda Presidente e meio mundo piava fininho…

      Liked by 1 person

      • 4 Junho, 2017 15:01

        Leia outra vez o que escrevi. A morada está lá. Leia mais devagar, não o tenho por burro.
        Sr. André: não tenho paciência para essas merdas de “esquerda” e “direita”.

        Gostar

      • 4 Junho, 2017 15:15

        Faz mal. Deve presumir que sou mesmo burro.

        Gostar

    • 4 Junho, 2017 17:18

      Não seja parvo. O terrorismo islâmico acontece no Egipto, na Síria, no Iraque, no Afeganistão, Tunísia, Marrocos,. Nigéria, nas Filipinas, na Rússia, na Turquia, Canada, EUA, na Europa, etc. Não são incidentes isolados ou de pequena importância. O numero de vitimas é imenso. O islão está em guerra com o mundo, tal como sempre esteve.

      Liked by 1 person

      • Carlos permalink
        4 Junho, 2017 19:17

        “O Islão está em guerra em todo o mundo contra os cristãos e os pagãos” – era assim que deveria escrever, JC,

        Gostar

      • 4 Junho, 2017 19:19

        Junte aí a Índia, Tailândia, Birmânia, Indonésia, Quénia, Uganda, Somália, Camarões, Costado Marfim… é uma coisa engraçada, são da paz mas conseguem arranjar problemas com católicos, protestantes, ateus, budistas, judeus, hindus…

        Gostar

    • lucklucky permalink
      4 Junho, 2017 21:27

      ” que ingleses e “aliados” levaram à Síria, à Líbia e ao Iraque – só porque al-Assad, Kadafi e Hussein são “bad hombres” e “não podem continuar” – nada disto é mais do que pequenos incidentes sem a menor importância.”

      É preciso ser parvo e racista.
      Explica lá onde estão as mulheres que se explodem contra a opressão?

      Para começar os “bad hombres” – fica notado esse denominação para ditadores, oops! “lideres” que mataram mais de milhares dos seus cidaddãos- fizeram no Síria, Iraque, Líbia.Foram todos meninos queridos da Esquerda Europeia, armados pela União Soviética para Socialismo Pan Árabe.

      Gostar

  13. 4 Junho, 2017 14:27

    O certo é que os europeus estão transformados em cornos mansos. Os britânicos esgotam o concerto solidário da vadia Ariana Grande em 20 minutos, mas são incapazes de sair à rua contra o islão. Nem sequer reconhecem quem os ameaça, é uma tristeza.

    Liked by 1 person

  14. Juromenha permalink
    4 Junho, 2017 15:30

    Parafraseando uma frase – compassiva,humanista, filantrópica até – do zé dos bigodes : “Onde não há muçulmanos não há problemas”.
    Uma ideia que é capaz de ter pés para andar – aliás, em certos sítios não anda, corre…

    Gostar

    • Os corruptos que se cuidem permalink
      4 Junho, 2017 19:16

      Na Polónia, na Hungria, na República Checa, na Estónia, na Bulgária e em todos os locais de gente decente que não deixa entrar piolhosos e ralé islâmica, não há atentados. Será coincidência?!

      Mas os bichos peçonhentos que mandam na UE querem que a peçonha atinja por igual toda a gente. Os gajos de Leste têm-lhes feito um manguito e mandado meter a peçonha no C* deles próprios.

      Gostar

  15. Alain Bick permalink
    4 Junho, 2017 17:17

    sadik khan é o maior

    Gostar

    • 4 Junho, 2017 17:21

      ele e o sheik munir de Lisboa. Habituem-se que para a semana há mais. Alá akbar.

      Gostar

  16. 4 Junho, 2017 17:49

    Claro que esses gajos e gajas têm a ver, estão dependentes, agem “em nome” do islão. Uns mais parvos do que outros, mas todos muçulmanos.
    É necessária a invasão duma cidade ou região por milhares desses assassinos com armas, para alguns dos aqui comentadores entenderem que trata-se duma “cruzada” religiosa ou se quiserem, servindo-se duma religião ?
    Parafraseando o Juromenha,
    “onde não há muçulmanos não há problemas”.

    Gostar

  17. Ana Catarina permalink
    4 Junho, 2017 18:14

    Se fosse eu a mandar mandava todos esses alegado e eventuais (todos sem excepção) para a Sibéria ou em alternativa para a Koreia do Norte.
    Teria a certeza que ali, no primeiro caso, ficariam congelados e no segundo caso metidos num míssil para alimentar os peixes dos mares Amarelo e do Japão

    Gostar

  18. 4 Junho, 2017 19:56

    O idiota do Trump criticou o mayor de Londres… O Donald está a precisar de internamento.

    Gostar

    • Monti permalink
      4 Junho, 2017 20:33

      May dice que hay “demasiada tolerancia” con el extremismo.
      Aguardemos pela sua solução. A da Sra, de Mr Trump & Guterres.
      Onde está e como se reconhece, esse extremismo?
      Qual o Estado e poderes que o difundem a alimentam?
      Sexa Lady May lá deve saber.

      Gostar

    • lucklucky permalink
      4 Junho, 2017 21:29

      O MJRB esqueceu-se bem depressa dos paraísos fiscais…

      Gostar

      • 4 Junho, 2017 21:59

        Claro que me “esqueço” do caso tuga dos paraísos fiscais, mas (aqui só para nós) não me esqueço de dois paraísos fiscais (nem dos códigos) onde tenho massaroca da boa.

        Gostar

    • 4 Junho, 2017 21:30

      Não sejas idiota

      Gostar

      • Rafael Ortega permalink
        5 Junho, 2017 16:18

        O que esse javardo não diz é que os mainstream muslims são os que se fazem rebentar (ou pelo menos que festejam em casa quando um se faz rebentar).

        Muçulmanos que não chateiam ninguém, não se enervam com cães ou cervejas ao pé, que não querem matar judeus ou cristãos, que não estão interessados em violar as infiéis, e que acham que os que se fazem explodir são umas bestas, não são muçulmanos mainstream.

        Até são considerados pelos mainstream como maus muçulmanos, e volta não volta acabam mortos pelos “puros”.

        Gostar

    • Tiradentes permalink
      4 Junho, 2017 22:39

      Caro MRJB o mayor de Londres durante a campanha eleitoral americana insultou o Trump como ignorante. Suposto não seria uma “interferência” nas eleições estrangeiras e quiçá considerará que chamar a qualquer um de ignorante é elogio. Por outro lado ele apresenta como “prova” a própria cidade de Londres , que como se pode ver este ano já teve 33 atentados ( 3 executados e 30 evitados–por cada atentado evita-se dez não é?)
      Não seria de bom tom que o insultado como ignorante, ainda candidato, perante os factos da prova real de Londres ficasse calado por causa de um mayorzinho abusado.
      Se eu lhe chamasse ignorante por razões politicas como ele fez você, na primeira oportunidade não me chamaria a atenção para as minhas palavras?
      Vai ver o Trump nesta “troca” ainda foi delicado…..escreveu que temos de deixar o politicamente correcto de lado e não o chamou de ignorante.
      Parece-lhe bem assim?

      Gostar

      • 4 Junho, 2017 23:36

        Caro Tiradentes,
        leia tudo o que o mayor de Londres disse para perceber o contexto da frase.
        O DTrump tem de convencer-se (ou alguém que o convença) que governar os EUA e integrar-se no Mundo político e não só, é bastante diferente, com enormes problemas e responsabilidades do The Apprentice.
        Mantenho o que afirmei: um ignorante, vaidoso, pontualmente garoto crescido, idiota. Quer deixar duas marcas, uma nos EUA e outra no Mundo.

        Gostar

  19. Luis permalink
    4 Junho, 2017 20:35

    O Vítor é o maior!!!! Grande texto!!!

    Gostar

  20. 4 Junho, 2017 21:28

    KATIE HOPKINS: You’re right, Theresa. We cannot go on like this. But do you have the balls to do what’s REALLY needed and lock up the 3,000 terror suspects tomorrow?

    Read more: http://www.dailymail.co.uk/news/article-4570622/You-right-Theresa-like-this.html#ixzz4j4FI553E

    Gostar

    • Manuel permalink
      4 Junho, 2017 22:12

      Não sei quem é esta senhora, mas ela escreve sobre a 1ª medida a tomar:
      os 3000 suspeitos devem ser internados e os 650 que estão na Sìria, iraque e Líbia quando regressarem ao Reino Unido devem seguir o mesmo caminho.
      Devem seguir-se outras medidas, ´e só copiar o que faz a Austrália e Israel, digo eu.

      Gostar

      • Rafael Ortega permalink
        5 Junho, 2017 16:21

        “os 650 que estão na Sìria, iraque e Líbia quando regressarem ao Reino Unido devem seguir o mesmo caminho.”

        Não. Esses devem ser já julgados à revelia por traição, e executados assim que puserem os pés de volta ao país.

        Gostar

  21. Juromenha permalink
    4 Junho, 2017 22:35

    A única questão que interessa : estará a “Prime Minister” à altura da inolvidável Baronesa que manteve as Falkland britânicas?
    E estarâo os ingleses dos nossos dias dispostos a fazer o que terá de ser feito se querem sobreviver como Povo e Naçâo ?
    As indicações, por enquanto, são péssimas : manterem um paki como “mayor” em Londres, aceitarem-lhe os bitaites, cantorias em Manchester, com velinhas e flores , código penal inalterado ,etc.etc.
    Ao longo da História este povo sempre reagiu, e bem, quando foi atacado.
    Agora, que têm o inimigo “dentro da muralha”, só nos resta esperar que honrem a tradição.
    Para o bem de todos nós.

    Liked by 1 person

  22. atom permalink
    5 Junho, 2017 11:37

    O Islamismo historicamente, sempre teve como principal objetivo a conquista do poder político. Junto com esse objetivo principal traz um código de processo civil e penal (a charia) e um projeto de governo (o califado) e ainda uma religião fixada no livro Alcorão. Nenhum destes objetivos é passível de revisão ou atualização.
    O principal objetivo é a tomada do poder e os outros são instrumentais. No caso do sucesso da tomada do poder o califado, a charia e a religião são impostas e tem como alternativa o extermínio de quem não os aceitar. No decorrer da História tem sido assim, e na atualidade temos exemplos disto na Síria e no Iraque. Portanto parece-me que tratar o Islamismo como uma religião entre outras religiões é profundamente errado. Parece-me que o Islamismo deve ser tratado como uma organização política que quer conquistar o poder de forma não democrática. Parece-me também que as mesquitas devem ser consideradas como centros partidários do Islão político e não devem ser permitidas. Esta é a minha visão do problema que admito, poder ser pouco consensual.

    Liked by 1 person

    • Raghnar permalink
      5 Junho, 2017 17:41

      E o Iémen, e a Somália, e a República Centro-Africana, e a Indonésia e as Filipinas e uns quantos mais “e’s”, pois estes são só os que me surgiram de repente. Sempre com o mesmo padrão, a invasão demográfica seguida da subversão dos regimes que os acolheram. Veja como tiveram de fazer “concessões” aos islamitas em Aceh, onde agora vigora a sharia.

      Mas quem os denuncia é “extremista”, no Reino Unido há gente presa por “discurso de ódio” semelhante ao seu e o meu, enquanto há gente que se passei impunemente com a bandeira do estado islâmico pelas ruas. Se bem que não concordo com a proibição da construção de templos religiosos (outra coisa é o seu financiamento público), mesmo muçulmanos, mas acho que deveriam todos ser alvo de vigilância apertada.

      Gostar

  23. 7 Junho, 2017 02:18

    “CNN Caught Staging a Fake News Video!” (para ver, inserir o texto na janela de pesquisa do youtube)

    Estas produções cinematográficas são para ridicularizar pelo Vitor. E bem. Porque são ridículas e por uma razão ainda mais poderosa: porque pretendem ser o que não são. Jornalismo.
    Mas são para levar a sério quando noticiam os “genocídios” e o “gás sarin” com que os “bad hombre” andam a matar os seus concidadãos. Aos milhares. Ou quando fazem documentários laudatórios acerca da Al-Nusra que era terrorista e agora é boazinha, salva criancinhas todos os dias (muitas vezes a mesma…) e de uma maneira mais geral luta contra o tirano e mudou de nome embora se tenha esquecido de mudar de bandeira que ainda é negra com uns rabiscos a branco.
    O Vitor, que até nem é burro, acha que devemos saber diferenciar aquilo que é ridículo daquilo que é sério no consumo das notícias do “jornalismo do mundo livre”. E eu também.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: