Skip to content

O Monstro da Dívida

16 Outubro, 2017

Com Sócrates e o Processo Marquês ficou claro como se alimenta um monstro criado em democracia. Já vem de longe esse golpe de esquemas. O país que  tinha as contas controladas e muito ouro nos cofres com Salazar, o bastante para que Portugal, na mudança do regime prosperasse, foi literalmente engolido pela ganância sem escrúpulos dos governantes e suas clientelas. Sob a falsa promessa de liberdade, Abril de 74 afinal trouxe muita escravidão fiscal (roubo descarado a quem produz) ao brindar-nos 3 anos depois, em 1977, com uma bancarrota seguida de mais outra em 1983. E nem sequer ficamos por ali… Em 2011 caiu-nos outra em cima!! Tanta austeridade severa imposta! Tanta miséria! Como foi possível tamanha derrocada financeira? Ah! Já sei…  andaram todos a roubar a Nação em vez de a governar.

Não me venham com a treta das crises internacionais. É claro que países dependentes do exterior sofrem com estes abalos. Mas é para isso que servem as reservas. As poupanças são para precaver o futuro e num país bem governado, nunca são descuradas. Mas nós, com governantes despesistas a viverem só para o momento,  à conta do contribuinte (essa fonte inesgotável de rendimento), preocupados em fazer crescer suas contas bancárias e as clientelas que lhes vão eternizar a cadeira do poder e dar acesso a status e boa vida, só poderíamos estar hoje completamente endividados, pré-falidos e literalmente nas mãos de credores. Miseráveis!

De sorriso descarado nos lábios, Centeno, com os chavões recorrentes de falsa reposição de rendimentos, enganam os tolos orçamento após orçamento, dando migalhas dum lado para carregar fortemente nos impostos sob a lenga lenga nojenta de taxar pela nossa saúde! Ora se fosse pela nossa rica saúde, BAIXAVAM os produtos alimentares SAUDÁVEIS e essenciais. Se taxam mais é porque desesperadamente querem receita fácil nos produtos de maiores vendas. Vão enganar outros!

O OE2018 volta ao ASSALTO habitual ao contribuinte. Faz falta dinheirinho para alimentar os esquemas habituais da governança e suas respectivas clientelas FAMINTAS a quem se promete mundos e fundos sem um chavo no bolso! O monstro da dívida, esse, cada vez mais gigantesco não se mata. Não se diminui. Controla-se, isso sim, o défice como se o défice não tivesse nenhuma ligação à dívida pública e chama-se a isso “controlo” (sim, é o controlo contabilístico do empurra para debaixo do tapete). É para rir? Isto claro, até ao próximo colapso. Mas alguém acredita que com o tetra em bancarrotas os credores não nos tentem pôr os patins rapidamente? Não brinquem com coisas sérias. Porque só temos tido dinheiro para pagar as despesas do Estado graças à UE. Esqueceram-se?

Se fossem competentes (porque taxativamente não valem um pum!) neste OE começariam por CORTAR a eito tudo o que nos empobrece : nas regalias e subvenções vitalícias (a austeridade tem de chegar a todos); nas fundações, institutos, empresas municipais e observatórios (a maioria não observa coisa nenhuma); no número de Câmaras Municipais e Assembleias e Juntas freguesia; nos financiamentos e isenções a partidos políticos; no número de deputados; na atribuição de carros a Presidentes, governantes e assessores; nos motoristas particulares 24h/dia e a fazer extras; nas renovações sistemáticas de frota de carros; na utilização dos carros Estado para fins particulares; nos subsídios de deslocação e/ou residência para TODOS os deputados e governantes; nas administrações numerosíssimas de hospitais públicos; nos milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios; nos salários milionários da RTP e nos milhões que a mesma recebe todos os anos.; nas PPP; nos prejuízos das empresas públicas e salários desses administradores. Depois dos cortes, AUDITAR todo o sector público impondo rigor e contenção de custos. Ao cêntimo. E isto, rapidamente, para atacar a dívida enquanto a conjuntura externa nos é favorável.

Porque em casa mal governada onde uns roubam outros desperdiçam perde-se muito dinheiro. Perdas que dariam para baixar impostos e investir na qualidade de vida dos cidadãos. E pôr equilíbrio financeiro nas contas do país.

Os prejuízos do Estado são colossais e ninguém os ataca porque ninguém quer perder suas regalias (ora aí está o cerne da questão) e é mais fácil enganar o cidadão fingindo que se lhes dá alguma coisa do que atacar o problema de frente.

Até ao dia em que o monstro passe a ser Besta e os salários da Função Pública e reformas deixem de cair na conta ao 21 dia…

Lembram-se da Grécia?

Anúncios
38 comentários leave one →
  1. sam permalink
    16 Outubro, 2017 14:11

    Lamento, d. Cristina, mas hoje não há condições para discutir outros crimes que aquele a que assistimos este domingo.
    A contagem dos mortos ainda não terminou.

    Liked by 1 person

    • piscoiso permalink
      16 Outubro, 2017 14:26

      Os abutres esperam a contagem dos mortos.

      Gostar

      • sam permalink
        16 Outubro, 2017 14:59

        E os assassinos também.

        Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      16 Outubro, 2017 15:22

      Desse vou falar mais adiante… a contagem ainda não está fechada… a minha avaliação a esta nova tragédia será feita 6f. Há muita informação para digerir ainda.

      Gostar

  2. piscoiso permalink
    16 Outubro, 2017 14:24

    A culpa é da democracia, né?

    Gostar

    • Expatriado permalink
      16 Outubro, 2017 14:31

      A culpa é dos ladrões e seus apoiantes como tu, sua besta quadrada.

      Gostar

      • piscoiso permalink
        16 Outubro, 2017 14:49

        Vai à merd@.

        Gostar

      • Expatriado permalink
        16 Outubro, 2017 15:45

        Nem á tua nem á de qualquer outro, *abrão.

        Gostar

    • idalino santos permalink
      16 Outubro, 2017 15:36

      Não é da democracia é de quem se vale da democracia para roubar o povo e dos cobardes que se escondem como toupeiras.

      Liked by 1 person

  3. Manuel permalink
    16 Outubro, 2017 14:33

    Brilhante! Já está confirmado que a carga fiscal aumentou em 2017 em relação a 2016, tudo contrário à propaganda do “acabou a austeridade”. O orçamento de 2018 é só papel, face à crise em Espanha e à desgraça de ontem e hoje, terá de ser reformulado. O governo do Costa está maldiçoado e só virão tragédias e culminará com nova bancarrota. Devíamos ir a eleições para sufragar Costa como 1º Ministro.

    Liked by 1 person

    • Expatriado permalink
      16 Outubro, 2017 14:45

      Eleições sim, mas para que sejam eles mesmos a resolver os problemas que estão a causar ao país.

      Infelizmente os portugueses só aprendem com sofrimento e está na hora.

      Gostar

  4. Expatriado permalink
    16 Outubro, 2017 14:41

    A Cristina continua, e bem, a pregar no deserto. O único numero que o Cêntimo disse na apresentação do OE2018 foi o de 1.600.000 famílias “beneficiarem” da baixa de impostos de IRS. Todos os que não fazem contas ao que gastam com a subida dos outros impostos ficaram contentes e estão preparados para votar na geringonça porque ELES DÃO!!

    E assim vai o mundo…

    Liked by 1 person

    • Manuel permalink
      16 Outubro, 2017 14:44

      É só impostos indirectos. Li num jornal, apesar de não ser fumador, que um maço vai aumentar 10 cêntimos!

      Gostar

  5. Blitzkrieg permalink
    16 Outubro, 2017 14:55

    Bom texto. Aliás os seus textos são quase todos muito bons mesmo. Uma pequena nota: a 2ª bancarrota foi em 1983, que levou ao Bloco Central de 83-85, seguido do período de Cavaco Silva, que em 86 governava com um governo minoritário a tentar tirar-nos dos buracos socialistas. A história repete-se e muito…

    Liked by 1 person

  6. José Ribeiro permalink
    16 Outubro, 2017 15:11

    Bom post, cara Cristina.

    E façam o favor de ler o artº 105º da CRP.

    Liked by 1 person

  7. José Domingos permalink
    16 Outubro, 2017 15:28

    A verdade que nos habituámos dos seus textos. Os inúteis e imbecis quando contrariados ficam ordinários, faz lembrar o pinto de suza, deve ser contagioso.
    Quando mais de metade do que se rouba em impostos é para alimentar os afilhados, a grande maioria dos políticos deste país são uma merda.

    Liked by 1 person

  8. 16 Outubro, 2017 16:28

    O,ouro de salazar

    Gostar

  9. 16 Outubro, 2017 16:32

    A dívida pública de salazar

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      16 Outubro, 2017 17:51

      a dívida não era de Salazar mas sim de quem ANTES dele governou as contas públicas.

      Gostar

      • 16 Outubro, 2017 18:54

        Não percebeu nada. Tudo normal.

        Gostar

      • Cristina Miranda permalink
        16 Outubro, 2017 22:33

        Ou foi você q não soube explicar..
        Tudo normal.

        Gostar

  10. Expatriado permalink
    16 Outubro, 2017 16:48

    A “riqueza” sócio-comuna após o 25A

    “Confirmados 32 mortos (incluindo bebé de um mês), 7 desaparecidos e 56 feridos (16 graves). Números podem subir. Ministra diz que demissão seria “as férias que não tive”. Marcelo e Costa falam ao País”

    http://observador.pt/2017/10/16/tres-mortos-e-carros-escoltados-para-sair-das-estradas-este-e-o-pior-dia-de-incendios-do-ano/

    Liked by 1 person

  11. 16 Outubro, 2017 16:54

    Óptimo, Cristina Miranda.

    Provavelmente a LIMPEZA, a estabilização e evolução total deste país acontecerá quando surgirem três ou quatro governantes com eles no sítio liderados por um profundo conhecedor do que ciclicamente aniquila quase tudo e todos.
    Se tal acontecer, que seja em democracia e com um discurso entendível, “preto no branco”, sem meias-verdades.

    Liked by 1 person

  12. Expatriado permalink
    16 Outubro, 2017 16:56

    Imagem da “riqueza” dos dias que correm

    Gostar

  13. 16 Outubro, 2017 17:11

    As contas controladas de Salazar

    Gostar

    • 16 Outubro, 2017 17:24

      Esclareço que não fui nem sou salazarista.
      Mas pergunto ao coiso Abel: não há uma imagem das contas à moda do Sócrates, do Guterres, do Soares ? Especialmente do Sócrates ?

      Gostar

      • piscoiso permalink
        16 Outubro, 2017 17:35

        Já estou mais descansado. A Maria Joaquina nunca foi salazarista.

        Gostar

  14. nacionalista permalink
    16 Outubro, 2017 19:26

    O piscoxo usa capacete por causa da trampa que este governo só sabe fazer … apesar de ser o governo dele … gosta de proteger-se da merd@ …

    Liked by 1 person

  15. Filipe Costa permalink
    16 Outubro, 2017 19:33

    Um povo tem que se confinar ao que produz, quanto maior liberdade de Produção mais o nivel de vida sobe. Salazar ensinou o povo a viver com o pouco que havia e assim deveria ser sempre.

    Só mais uma coisa, taxar 50% da riqueza é democracia? Então sou anti-democrata.

    Gostar

  16. 16 Outubro, 2017 21:15

    501 ignições num dia ? e querem fazer crer que não há uma rede por trás disto?

    Gostar

    • sam permalink
      16 Outubro, 2017 21:27

      Claro que há uma rede, Há bel.
      Uma rede de incompetentes.
      Conhecida como Geringonça.
      Autêntica máfia de xuxas, blocas e comunas.

      Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      16 Outubro, 2017 22:32

      Aconselho a não perder a .onha crónica de 6f. Eu digo-lhe o q há por trás e pela frente

      Gostar

  17. José Domingos permalink
    16 Outubro, 2017 22:43

    Será que a malta tem que ir para a rua……………..então o estado não proteje o cidadão, que lhe paga os repastos e mordomias, moços de recados e serventes.
    Não me parece que esteja assim na constituição, se calhar a minha é diferente.

    Liked by 1 person

Trackbacks

  1. O Monstro da Dívida — BLASFÉMIAS – PortugalGate

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: