Skip to content

Eu orçaminto / Tu orçamentes / Ele orçamente

15 Fevereiro, 2018

Toda a gente conhece o delicioso e irónico gracejo “Estes são os meus princípios, e se vocês não gostarem deles… bem, tenho outros”. Pelo menos é minha inabalável convicção que toda a gente o conhece, o que não quer dizer que não possa mudá-la se a isso me convencerem. Atribuído ao comediante americano Groucho Marx, é uma das citações humorísticas mais utilizadas quando se abordam os temas da coerência, da ética e da honestidade intelectual, sendo muitas vezes disparado como uma arma no âmbito do combate político.

O governo de António Costa, talvez por ter de lidar de uma forma subtil com os seguidores de um outro Marx, adaptou essa famosa máxima e tem-na utilizado com sucesso na gestão do equilíbrio parlamentar. Assim, nos últimos anos, no contexto do debate orçamental, a regra de ouro do primeiro-ministro para manter o apoio do PCP e do Bloco de Esquerda pode ser assim descrita: “Este é o nosso Orçamento do Estado, e se vocês gostarem dele… bem, aprovem-no que eu executo outro”. E é desta maneira que um tema aparentemente chato e sisudo se transformou, desde 2016, numa divertida comédia de enganos, onde qualquer semelhança entre o que sai do Parlamento e o que é aplicado pelo Executivo é mera coincidência. Entre cativações, investimento público planeado e não realizado, e outros pequenos cortes, o Estado gastou em 2016 e 2017 cerca de cinco mil milhões de euros a menos do que o que estava previsto gastar. Para quem tem dificuldades com os grandes números, posso tentar ajudar com exemplos: cinco mil milhões de euros é o custo aproximado das escolas públicas em Portugal durante um ano; ou do lançamento para o espaço de 50 foguetões do Elon Musk; ou de metade da conta do restaurante quando o Eng. José Sócrates e o Juiz Rui Rangel vão almoçar juntos. Enfim, estamos a falar de muito dinheiro. A ideia que dá é que na actual legislatura a palavra “execução” não deve ser interpretada à luz das normas financeiras mas sim das normas penais francesas dos anos 70: mete-se o documento na guilhotina e depois é só fazer-lhe o velório.

Antigamente, em governos menos dados à brincadeira, quando as contas não batiam certo apresentavam-se, imagine-se, orçamentos rectificativos para apreciação da Assembleia da República. Agora, neste clima de paz social proporcionado pelas férias grandes dos profissionais da indignação, vemos parte significativa dos deputados da maioria a aplaudirem de pé o ministro das Finanças por ele conseguir fintar olimpicamente a Lei que eles próprios aprovaram! Parece-me uma lição importante: há muitos portugueses que terão certamente uma vida melhor quando conseguirem esquivar-se à legislação com a mesma subtileza, eficácia e descontracção com que o fazem os legisladores.

 

Anúncios
17 comentários leave one →
  1. lucklucky permalink
    15 Fevereiro, 2018 17:22

    5 estrelas.

    “Este é o nosso Orçamento do Estado, e se vocês gostarem dele… bem, aprovem-no que eu executo outro”.

    “Agora, neste clima de paz social proporcionado pelas férias grandes dos profissionais da indignação, vemos parte significativa dos deputados da maioria a aplaudirem de pé o ministro das Finanças por ele conseguir fintar olimpicamente a Lei que eles próprios aprovaram!”

    Liked by 1 person

  2. Arlindo da Costa permalink
    15 Fevereiro, 2018 21:34

    Nós orçamentamos e diminuímos o défict. Ao contrário de outros que num ano faziam 10 orçamentos e mesmo assim nunca acertavam….Coisas…

    Gostar

    • 16 Fevereiro, 2018 08:28

      Em 4 anos 2011 a 2015 o défice passou de 11.9% para 2.9%. Quem é que baixou o défice quem foi?

      Gostar

    • 16 Fevereiro, 2018 08:33

      Nós no orçamento pusemos verba para modernizar as ferrovias……..aplausos…….. Nós na realidade só executamos 15% …..viram como nós baixamos o défice ? …aplausos
      A divida dos hospitais mais que duplicou masnós não pomosno orçamento……. viram comonós baixamos o orçamento? ….aplausos

      Gostar

    • 16 Fevereiro, 2018 08:34

      Os IPO adiam cirugias oncológicas por falta de verbas…..viram como nós diminuimos o défice? …aplausos…..

      Gostar

    • 16 Fevereiro, 2018 08:37

      Nós só nos combustíveis em sobretaxa cobramos mais 600 milhões de euros. Além de termos baixado os impostos conseguimos baixar o défice ……..aplausos

      Gostar

    • 16 Fevereiro, 2018 08:43

      Nós devolvemos as conquistas civilizacionais (irs e progressão de carreiras) dando entre 80 centimos a 3.80 de volta aos portugueses. Por isso tivemos de cobrar comissões aos gajos que tem conta no banco do estado que levam mensalmente mais do dobro daquilo que demos……para pagar os empréstimos incobravéis que demos quando eramos governo…….. viram como financiamos a banca pública com o dinheiro do povo? e baixamos o défice? ….aplausos…….

      Nota: contamos sempre com a dificuldade congénita dos arlindos ( dos tugas) com a matemática , desde criancinas………e assimpodemosbaixar o défice…..aplausos

      Gostar

      • José Ribeiro permalink
        16 Fevereiro, 2018 15:22

        Caro Tiradentes,

        Nem vale a pena explicar isso a indigentes como esse m€rd@s de arlindos e respectivos esquerdalhos, tal a falta crónica de neurónios.

        Gostar

      • 16 Fevereiro, 2018 17:55

        Eu não estou a explicar a ele, pois sei muito bem dos danos cerebrais de que ele padece. Só me apeteceu dar exemplos para poder comprovar que a massa cinzenta do pobre do Ar-lindo foi danificada de tal forma que é irrecuperável

        Gostar

  3. Filipe Costa permalink
    15 Fevereiro, 2018 21:51

    Eu cativo 10 milhões na Educação e congelo. A seguir liberto 10 milhões na saude.

    Se isto não é manipular um orçamento, vou tirar licenciatura em lagares de azeite.

    Gostar

  4. JCA permalink
    16 Fevereiro, 2018 13:32

    .
    Orçamentos são previsões tipo bola de cristal, um road map mais ou menos para seguir, há sempre os imprevistos; valem o que valem no que há para resolver de concreto na vida real:
    .
    -INCENDIOS:
    .
    as autarquias são o mais proximo dos cidadãos. Mas mesmo assim …. É incompreensivel que ainda hoje haja danos e prejuizos que não estão rastreados para efeitos de ajudas que o Governo prometeu subsidiar seja por mortes ou destruição em unidades economicas agricolas ou industriais de cidadãos desconhecedores das regras da candidatura e até incapazes nas burocracias e papeladas em ‘legalês’. É incompreensivel.
    .
    Que diabo as Autarquias dirigidas porque Partido forem não têm uma viatura com um funcionario e um computador para percorrerem cada aldeia e tratarem de toda a burocracia diretamente com cada aldeão na candidatura para os apoios do Governo ?
    .
    É um minimo organizacional.

    -REARBORIZAÇÃO e FIXAÇÃO DAS POPULAÇÔES NO INTERIOR
    .
    Pelo menos 25% do País foi destruido pelos incendios, praticamente na faixa Tejo/Mondego-Douro. Estamos a entrar nos quase meio ano depois
    .
    -Que está feito na disseminação doutras especies mais verdes para substituir matos e silvas ? Não há avioes para lançar novas sementes nas areas ardidas ?
    .
    -Que está feito para fornecer gratuitamente novas arvores para plantar e não deixar que pinheirais nasçam expontaneamente ?
    .
    -Que ações no terrenho há para instalar alternativas de criação de rendimentos que aliciem os cidadãos a não abandonarem o interior ?
    .
    Continua tudo ao abandono, bom para a ‘fotografia’ :))
    .

    .

    Gostar

  5. JCA permalink
    16 Fevereiro, 2018 13:47

    .
    PRIORIDADES NACIONAIS NO MIOLO DOS ORÇAMENTOS:
    .
    1) RECUPErAÇÂO DO PAÌS
    Recuperação do Portugal destruido pelos INCENDIOS
    .
    2) AGUA:
    Portugal não é um País rico em àgua bem para todas as atividades economicas e para a Vida. São precisos rapidamente areas de armazenamento de àgua sejam lagos artificiais, barragens, represas etc
    .
    3) ENERGIA
    O Inverno mostra a tristeza de Portugal e desmente aquela treta de Portugal ser um ‘pais ameno, de clima temperado’ Impoe-se a rapida descida de preços das Energias sejam fosseis, eletricas ou outras bem como novas regras de isolamento termico (e já agora sismico) das novas construções. O que se poupa em construção paga-se em Saude Publica.
    .
    4) IMPOSTOS
    Não há um Partido contra a atual fiscalidade. Estranho. No essencial todos em ‘União Nacional’, partidão unico sobre tudo e todos.
    Simplificação fiscal, baixa de impostos ou metodo de cobrança diferente por Imposto Nacional Unico, cessação de beneficios fiscais seja para quem for (se o Estado entende que há instituições religiosos, financeiras ou economicas que merecem descontos ou saldos fiscais, primeiro cobre e depois devolve para ficar bem quantificado afinal quanto é que cada um recebe nestes subsidios)
    .
    5) NOVOS FINANCIAMENTOS À UNIÂO EUROPEIA
    Só para os ´leitoesinhos’ refletirem sobre a mama da porca :))
    .
    -Far Right Gaining In Germany
    How fall of the Berlin Wall paved way for Germany’s populists
    https://www.nbcnews.com/news/world/how-fall-berlin-wall-paved-way-germany-s-populists-n840921

    .

    Gostar

  6. basto_eu permalink
    16 Fevereiro, 2018 13:57

    Agora, neste clima de paz social podre proporcionado pelas férias grandes do PCP, do BE, e dos ministros Carlos e Nogueira, o presente do indicativo é:
    Centeno congela 500 milhões de euros aos hospitais.
    39 hospitais com dívidas aos fornecedores.
    Costa é um troca tintas.
    Costa é uma coisa em Espanha e outra coisa muito diferente em Portugal.
    O crescimento das importações cresceu 12%.
    O crescimento das exportações cresceu 10%.
    Logo!…
    Pois, agora tenho de ir almoçar, que a patroa já me está a dar cabo da mona.

    Gostar

  7. Leunam permalink
    16 Fevereiro, 2018 21:42

    “Costa é uma coisa em Espanha e outra coisa muito diferente em Portugal.”

    Que espera o Sr. “basto eu” dos internacionalistas?

    A agenda deles não passa pelos interesses nacionais nem com eles estão preocupados.

    Gostar

  8. JCA permalink
    17 Fevereiro, 2018 14:36

    (cont)
    .
    Mais exemplos do falhanço deste modelo de Democracia que afasta explosivamente os Cidadãos aos Partidos até no discurso de Congressos que nada dizem aos potenciais eleitores, antes pelo contrario:
    .
    -o SIMPLEX capturado pelo COMPLICADEX pior que a chachada “botas de polainito’ das épocas do SALAZARISMO:
    .
    aos 60 anos o titulo de identificação pessoal (BI, ora informatizado Cartão do Cidadão) era VITALICIO;
    .
    sim, de facto foto já pouco muda, a filiação também não, nem a altura etc quanto mais o Nº Contribuinte ou da S Social;
    .
    no mesmo contexto civilizacional surgiram entretanto as Lojas do Cidadão, aplauso publico, a simplificação é o máximo da sofisticação (da Vinci e mais velho que á sé de braga),
    ,
    que aconteceu a seguir ?
    .
    o poder não eleito capturou o SIMPLEX, aboliu o CARTAO DE CIDADAO VITALICO (ex BI) a partir dos 6º anos, mais 18 a 40 € para renovação quando as pensões são inferiores ao ultimo salário na vida ativa e para inundar com milhares e milhares as lojas do cidadão, muitos de cadeira de rodas por foto obrigatório;
    .
    porquê ? para cobrar mais outro imposto chamado de ‘taxa’ ? Se a ideia foi esta, então aumentem o cartão vitalício aos 60 anos para 35 ou 40 euros.
    .
    .
    E como este exemplo tantos que o Poder Real de Portugal que reside em não eleitos que papam os Políticos de ‘lado, de frente e de costas’ nos essências para Portugal voltar a ser e ser o que é
    .
    (basta ver o ratio a expressão mundial da alta qualidade dos ‘cidadãos de 2ª versus 10 milhoes de habitantes, amordaçados por uma super-estrutura que já vem do tempo das bisavós e inacreditavelmente ainda vemos espelhada em congressos e politologias atuais bem amplificadas por uma Comunicação Social, tudo bem mais ‘xanxo’ que de ma fé, autentico desinteresse de poder expressão da alta capacidade dos cidadãos, e claro tudo cada vez mais pobre e insustentado; os outros países agradecem tanta estupidez e atraso civilizacional);
    .
    Quando é que se acaba com isto e voltamos à ‘furia’ do povo expressa nos «Descobrimentos’ que depois de descobertos foram abafados pelos habituais do costume ?
    .
    Que Partidos permitem energias internas a eles próprios para esta arrancada ? Será que só com nazismos e fascismos, à porrada, se rebenta com este ram-ram de ilusões e fantasias de Poder contra o que os Portugueses ‘comuns’ são capazes ?
    .

    Gostar

  9. JCA permalink
    18 Fevereiro, 2018 00:31

    .
    “Eu orçaminto / Tu orçamentes / Ele orçamente”, um parenteses:
    .
    quem ganhou no PSD foi Santana Lopes,
    .
    que faça Sol (dos Rui Rio) ou Chuva (dos ‘liberais’ passistas) ou Sol (dos ‘liberais’ passistas) ou Chuva (dos Rui Rio),
    .
    Santana Lopes já tem no papo concorrer a Presidente da Republica,
    .
    o resto são tretas.
    .

    Gostar

  10. JCA permalink
    18 Fevereiro, 2018 00:44

    .
    Ora continuemos alem do parenteses;
    .
    .
    “PRINCIPIO DOS VASOS COMUNICANTES”,

    POLTICO-SOCIAIS ou ANTROPOLOGICOS ou SOCIOLOGICOS ou ECOMICOS ou FINANCEIROS ou FISCAIS etc etc para ser mais fino”
    .
    que podemos chamar sá-carneirista ou soarista, ou cunhalista ou louçanista ou cavaquista ou outro ‘ista’ qualquer, que dá no mesmo (para relembrar os tempos de escola há tantos anos: http://alunosonline.uol.com.br/fisica/vasos-comunicantes.html)
    .
    (em oposição ao ‘bloco central’ ou a sua versão ‘consenso’ antigamente ‘união nacional’, que dá no mesmo, ou hoje não dá em nada),
    .
    .
    para reequilibrar o vaso do TOTALITARISMO em forte subida em Portugal (vide abstencionismo), e mais ainda na Europa (vide novos partidos de ‘extrema direita’), que assumem dar a cara e forma,
    .
    saindo do armário dos Partidos tradicionais esgotados e transversal maioritário em todos eles (alguns chamam-lhe capitalismo de estado tão igual à ‘esquerda’ e à ‘direita’),
    .
    apenas reequilibrar o outro vaso:
    .
    .
    o da DEMOCRACIA que ainda não houve para os Portugueses em Portugal passados 40 anos por isto e aquilo quase fotocopia do ‘venha o meu e do tenho de me orientar’ nos tempos do salazarismo ou do caetanismo (até podemos considerar que afinal não somos capazes de mais .))) )
    .
    .
    e o do LIBERALISMO com o Estado Social dos Portugueses que nunca houve em Portugal sendo os ‘liberais neo ou não’ que aperceram por aí á la garderes’ aberrações adjetivas de mais do mesmo, os habituais que não levantam o ass alapado da cadeira dos impostos tal qual no salazarismo ou nos tempos dos reis tugas ou da teta dos biliões que a EU já enfiou no buraco negro tuga
    .
    .
    (e se a União Europeia de desintegrasse que sustentabilidade criou Portugal em 40 anos para se defender da consequência, seria a miséria mais abjeta e mais pior da nossa Historia ? Criou zero)
    .
    .
    EIS:
    .
    (já volto contra o medo dos velhos e dos novos de corpito mas velhos de cabeça,
    e a favor do Novo, da Inovação, da fúria sã da Juventude dos descobrimentos
    e dos Velhos sem teias de aranha na cabeça que trabalham forte e duro sem venderem flautas magicas)
    .

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: