Saltar para o conteúdo

A questão não está na legalidade. Está na dignidade.

7 Novembro, 2018

«As redes sociais explodiram em fúria contra a socialista Isabel Moreira pelo facto de a deputada ter pintado as unhas durante um debate parlamentar. O acto, visto por muitos como uma agressão à dignidade parlamentar, não viola qualquer regulamento.»

A questão não está na legalidade. Está na dignidade. O regulamento não especifica pintura de unhas tal como provavelmente não referirá fazer crochet, escovar o cabelo ou passajar meias. Procurar apresentar o caso em questão como um excesso de reacção- explosão em fúria –  a um comportamento invulgar (pintar as unhas durante um debate parlamentar) é o que se chama enviesamento.

Anúncios
17 comentários leave one →
  1. LTR permalink
    7 Novembro, 2018 19:13

    Quando um socialista ou seu apoiante encapotado invocar a ética da lei é porque acabou de estraçalhar a ética e já sabe que existem provas irrefutáveis ou estas já foram apresentadas.

    Gostar

  2. raCSt14CrAmirocarrola@sapo.pt permalink
    7 Novembro, 2018 19:15

    Uma traste esta gaja…

    Gostar

  3. weltenbummler permalink
    7 Novembro, 2018 19:16

    podem levar penicos e cagar para o debate?

    Gostar

  4. 7 Novembro, 2018 19:48

    E cª*** para eles que estão ali a gozar com o Zé Povinho, podemos? (acho que todos eles estão a fazer o mesmo… a c… para o Zé Povinho…)

    Gostar

  5. Bavaro permalink
    7 Novembro, 2018 21:02

    Uma espécie de Start-up

    Gostar

  6. 7 Novembro, 2018 21:15

    E tirar macacos do nariz no plenário, também vai contra a dignidade de um representante do povo ?

    Gostar

  7. Isabel permalink
    7 Novembro, 2018 23:13

    Enquanto os deputados forem representantes do seu partido e só responsáveis perante o chefe, a opinião dos eleitores não lhes interessa minimamente. E é esse desprezo que comportamentos do tipo do referido demonstram.

    Liked by 1 person

    • Tiro ao Alvo permalink
      8 Novembro, 2018 08:55

      Exacto. E esse problema não vai ser resolvido na nossa geração: os actuais deputados não deixam e os que vão entrar, neste particular, serão iguaisinhos.

      Gostar

  8. Leunam permalink
    8 Novembro, 2018 01:09

    De todos eles, pagos principescamente, quantos estão lá a pensar no Povo Português, nas suas necessidades, nos seus anseios, nas suas misérias e nas suas aflições?

    Uma pinta as unhas, num total desprezo por quem lhe paga; outro não está, mas esteve que é para embolsar mesmo que indevidamente; aqui há uns anos, andaram uns quantos a fazer viagens fantasma e muitíssimos andam por fora, a tratar dos seus próprios interesses; outros assentam-se ali por mais de três décadas, a fazer parte da mobília, fabricando e vendendo apenas SALIVA.

    A maior parte deles, comprometidos em juramentos secretos; quase todos e a não cumprir as Leis que eles próprios fabricam, votam e subscrevem.

    Por isso é que todos querem a democracia; ai é tão bom!

    Se cá estivesse o Dr. Salazar, esta maralha nem para porteiros ou criadas de servir seriam admitidos.

    Por fim, periodicamente, o mexilhão idiota é convidado a votar neles para lhes garantir, salário e bom passadio, como se algum dia o merecessem.

    As Leis que temos ainda não chegam para governar um Povo, com mais de oito séculos de história?
    É preciso fazer mais? mas que raio de sociedade é a nossa que precisa constantemente de estar a fazer Leis para cima de Leis?

    Abram os olhos, mexilhões dum raio!

    Liked by 1 person

    • Isabel permalink
      8 Novembro, 2018 13:48

      Não atire as culpas à democracia mas sim à partidocracia que é o sistema politico vigente.Cada vez que cidadãos se mobilizam no sentido de alterar a lei eleitoral, a comunicação social é eximia em evitar falar do assunto.
      O voto nas legislativas é um cheque em branco passado ao conceito abstracto de partido, onde o chefe e os deputados – eleitos como um todo – podem mudar alongo da legislatura, sem qualquer intervenção dos eleitores. O que se elege é um partido e não pessoas.
      O direito a ser deputado é reservado aos militantes partidários, escolhidos pelo chefe que ajudaram a eleger e perante quem respondem, não pelo trabalho feito em prol da nação mas antes pelo seu militantismo partidário.
      Com este sistema absurdo, a abstenção acrescida dos votos nulos e nos partidos que não elegem nenhum deputado já atinge os 55%. O que significa que o conjunto dos partidos que estão na AR já não mobilizam sequer metade do eleitorado.

      Gostar

  9. Raghnar permalink
    8 Novembro, 2018 07:57

    É feminazi, tem carta branca para fazer o que lhe apetece e está imune a críticas…

    Gostar

  10. Andre Miguel permalink
    8 Novembro, 2018 10:31

    Fosse uma deputada do PSD ou do CDS e já estava o parlamento a arder, manifestações na escadas, as ruas em alvoroço, o caos, o horror… É de esquerda? Nao se passa nada, está em casa, pode fazer o que quiser. Afinal eles é que são os DDT.

    Gostar

  11. colono permalink
    8 Novembro, 2018 15:08

    Consta:

    Uma deputada entesada começou a a pasturbar-se…. parou repentinamente quando inadvertidamente deu de caras no Ferro R……

    Será verdade?

    Gostar

  12. colono permalink
    8 Novembro, 2018 15:09

    masturbar-se…..em pleno plenário?

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: