Saltar para o conteúdo

Não pode ser! Ele só pode ter gritado: Votei Bolsonaro!

12 Dezembro, 2018

El autor del tiroteo de Estrasburgo gritó «Alá es grande» antes de disparar

Anúncios
28 comentários leave one →
  1. Daniel Ferreira permalink
    12 Dezembro, 2018 15:46

    Resta saber se o fotógrafo que presenciou isto também é o sr. Richard Gutjahr, que tem tido uma sorte do caraças em já estar posicionado em locais privilegiados para a prática da fotografia de momentos marcantes em “mass murders” anteriores, como Nice e Munique.

    Esta é para o meu fã, o easyjet2016:
    Richard Gutjahr is married to an Israeli, Einat Wilf, a former Knesset member for the Labor party. Wilf served in the prestigious Israeli army’s intelligence unit 8200(!!!)

    Gostar

    • lucklucky permalink
      12 Dezembro, 2018 18:00

      Há mesmo quem não bata bem da bola.

      Liked by 1 person

      • Daniel Ferreira permalink
        17 Dezembro, 2018 15:23

        Tendo em conta que apenas constatei um facto, suponho que esse seu comentário tenha sido sobre o estado cognitivo do “jornalista” que referi.

        Gostar

  2. Mauritano permalink
    12 Dezembro, 2018 16:28

    Vai-Se a ver e é um desses eleitores fantasma que antes de votar Bolsonaro já tinha votado Trump

    Gostar

  3. procópio permalink
    12 Dezembro, 2018 17:38

    Ele não queria dizer mais do que uma palavra e disse-a. Essa palavra passa por cima de tudo e de todos. Temos o exemplo do Papa. Raramente se refere à perseguição dos cristãos que continuam a ser massacrados e perseguidos por conta da religião, não só pelo Estado Islâmico, mas também pelos muçulmanos “comuns” dos quatro cantos do planeta, e de agrupamentos políticos bem conhecidos que em silêncio se regozijam com os crimes.
    “Eu não entendo porque o mundo não levanta a voz diante de atos de tamanha crueldade”.
    Gregory III, Patriarca da Igreja Greco-Católica Melquita.
    Os activistas dos direitos humanos observam de longe o genocídio de cristãos no Oriente Médio e no Paquistão. No tempo de obama os cristãos nem sequer foram considerados vítimas. Para os funcionários da sua administração eles não se encaixavam no padrão de genocídio. Foi de resto o ocidente que apoiou o isis, por muitas e variadas razões. Saberia o que estava plantando, não calculou bem os frutos que veio a colher. Também a extrema esquerda parece esquecer-se que o ateísmo é pecado major e que nenhuma garina está livre de ser mutilada para não ficar criança. Vamos pôr a questão em termos simples:
    Para o grande mentor Abd al-Wahhab todos os muçulmanos devem jurar fidelidade a um único líder muçulmano. Quem discorda deve ser morto, suas esposas e filhas violentadas e seus bens confiscados. A lista de apóstatas é longa, em primeiro plano estão naturalmente os ocidentais.Não chegarão onde querem, mas os prejuízos causados pelos seus crimes serão suficientes para gerar grandes reviravoltas. Há quem aposte nessas reviravoltas.

    Liked by 1 person

  4. lucklucky permalink
    12 Dezembro, 2018 18:13

    Jornalismo de “referência”:

    NEW YORK TIMES: It remains unclear what motivated the gunman who opened fire at a Christmas market in Strasbourg, officials said, as the police continue an intensive search for the attacker.

    Liked by 1 person

  5. lucklucky permalink
    12 Dezembro, 2018 18:28

    Entretanto mais boas notícias do Brasil:

    https://www.france24.com/en/20181211-brazil-bolsonaro-pull-out-un-migration-pact-january-refugee-venezuela

    Note-se o “Presidente de Extrema Direita” vindo do jornalismo de “referência”.

    Liked by 1 person

  6. JPT permalink
    12 Dezembro, 2018 18:51

    Deprime-me (a sério que me deprime) como pessoas aparentemente sensatas e com as quais em regra concordo e cujas preocupações, em regra, partilho, se tomam dores com o que estes animais gritam antes de assassinar e (a maior parte das vezes, felizmente) morrer. Este animal tinha 27 condenações por roubo e violência, e, na manhã do ataque, tinha sido detido por suspeitas de intervir noutro. É tristemente evidente que a maneira deste “lumpen” dar um significado às suas tristes existências é este. Repetir o que eles disseram, não só é dar-lhes exactamente aquilo que eles querem, como equivale a macaquear a tara esquerdelha de implicar a religião católica nas taras dos padres pedófilos, lançando o opróbrio sobre a esmagadora maioria dos correlegionários que não tem nada a ver com o assunto. Se é para ganhar os “cliks” do lucklucky, creio que não é preciso.

    Gostar

    • 12 Dezembro, 2018 19:01

      Vamos lá a ver: eu também sou contra a ideia que a questão do terrorismo deriva da religião muçulmana.

      Mas deriva do seu uso ideológico e militante, feito por líderes religiosos e propagado entre esta malta de 2ª e 3ª geração de imigração marroquina e quejandos.

      Portanto, se se confirmar que teve de facto dedo de ligação ao ISIL, faz todo o sentido o post da HM.

      E isto não é diabolizar uma religião, mas sim uma ideologia religiosa em derivações do islamismo (que também tem variantes, apenas no plano de culto).

      Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        13 Dezembro, 2018 11:28

        “eu também sou contra a ideia que a questão do terrorismo deriva da religião muçulmana.”

        Mas deriva, pois.

        O Corão credita Mohamed com o incentivo de espalhar o terror entre os infiéis. O bom muçulmano é o que mata, viola e destrói, tal como o Corão descreve as acções do fundador da seita.
        O muçulmano que não se mete em confusões e quer viver a vida em paz (conheço alguns), não está a seguir os ensinamentos de Mohamed.

        As bombas, tiros, facadas, por indivíduos solitários ou pequenas células, não são mais que a táctica usada actualmente.

        Dantes cercavam castelos, vinham com barcos fazer ataques para levar escravos, invadiam a Europa com exércitos, só foram parados em Viena.

        Agora, como sabem da sua inferioridade tecnológica e militar, que deriva da inferioridade intelectual (basta ver uma mapa mundo com os países coloridos por nível de QI) não conseguem espalhar o terror em larga escala e de forma sistemática, mas há sempre alguns verdadeiros seguidores de Mohamed que conseguem deitar as mãos a um camião.

        Liked by 1 person

    • 12 Dezembro, 2018 19:03

      Porque não há volta a dar:

      Ou bem que era um maluco, filho de marroquinos mas sem a menor ligação ao radicalismo islâmico terrorista; ou bem que era maluco na mesma mas com essa ligação.

      Eu acho estranho que um filho de marroquinos que era apenas bandido comum, tenha gritado por Alá da única vez que se lembra de praticar um acto terrorista e desatar a disparar para as pessoas.

      Gostar

    • 12 Dezembro, 2018 19:05

      Na segunda hipótese, para evitar a tal comparação com padres da ICAR- logo pedófilos; tínhamos um acto terrorista a macaquear por conta própria os mesmíssimos actos do terrorismo islâmico

      “Terrorismo Islâmico” é o termo. Não é o Islão.

      Gostar

    • lucklucky permalink
      12 Dezembro, 2018 23:16

      O criminoso de delito comum faz um ataque que não tem nada de delito comum.

      No entanto parece que para o JPT cometer um assalto requere a mesma ideologia, mentalidade e predesposição que chegar a uma praça natalícia e desatar a matar pessoas gritando Allah Akabar.

      Liked by 1 person

      • lucklucky permalink
        12 Dezembro, 2018 23:21

        Mas a comparação ainda é pior.

        Não consta que nas escrituras estejam concelhos de pedofilia aos padres ou que líderes religiosos cristãos locais no presente incentivem a pedofilia nas paróquias.

        Mas temos líderes islâmicos a defenderem o ataque aos infiéis que o que está escrito no Corão suporta.

        Gostar

      • 12 Dezembro, 2018 23:26

        Por aí também tínhamos no Antigo Testamento a legitimar ataques a infiéis.
        O islão copiou tudo e depois substituiu a Lei ou a Virgem Maria (Antigo e Novo Testamento) pela espada.

        Gostar

      • 12 Dezembro, 2018 23:30

        Digamos que a religião já “se põe a jeito”. Mas não é por serem religiosos que são terroristas.
        A doutrinação é ideológica e a mais básica e eficiente forma de conseguirem aglutinar toda aquela malta em qualquer parte do mundo.

        E depois têm lá os tarados religiosos em madrassas semi-clandestinas que a imbecilidade de política de porta-aberta facultou e continua a fazê-lo por “humanismo”

        Gostar

      • lucklucky permalink
        12 Dezembro, 2018 23:38

        Tem mais que madrassas, nem é preciso ir longe tens Mesquitas.

        Liked by 1 person

      • 12 Dezembro, 2018 23:43

        Sim, mas eu queria dizer que, para além das legais, tem centenas e centenas de ilegais com esses tarados a aproveitarem para doutrinarem politicamente.

        Gostar

      • 12 Dezembro, 2018 23:44

        Eu ia jurar que o JPT foi enganado pelos jornais.

        Esta treta está de tal modo contaminada em todo o mundo que as pessoas vão atrás e acabam por acreditar que foi um incidente qualquer, sem nada a ver com o terrorismo islâmico.

        Gostar

    • JPT permalink
      13 Dezembro, 2018 10:35

      Vamos lá ver se nos entendemos. Uma coisa são organizações terroristas, que têm por objectivo impor uma visão extremista do Islão. Aparentemente e felizmente, essas organizações foram derrotadas. Perderam a capacidade de projectar a sua força contra o Ocidente e também as suas bases no Médio Oriente. Outra coisa são estes indivíduos isolados, que emergem da “underclass” da Europa ocidental, e que encontram validação psicológica para as suas vidas de m*a (pejada de cerveja e bifanas) a matar concidadãos enquanto gritam “Allah-u-akbar” (como outros encontram a matar mulheres, outros a matar colegas da escola, e por aí a fora). O meu juízo é que insistir em qualificar episódios que relevam da psiquiatria (ou da sociologia, para quem acredita nisso) como motivados pela ideologia e pela religião, em primeiro lugar, faz o jogo dos malucos (e o dos extremistas islâmicos que os parasitam para dizer que ainda existem), e em segundo é um acto de sectarismo, porque o essencial aqui é a inércia das sociedades ocidentais perante a exclusão (que inclui auto-exclusão) destas “comunidades” e a tolerância com a “pequena” criminalidade, e não é o “islão militante”.

      Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        13 Dezembro, 2018 11:46

        Isso é tudo muito bonito e podia fazer sentido, mas a questão que eu coloco é:

        Porque raio são sempre os mesmos membros da “underclass” a fazer os atentados?

        Os imigrantes chineses e tailandeses são, em média, mais pobres que os paquistaneses ou bangladeshis (pelo menos aqui no UK). Não há relatos de gangs tailandeses a violar e prostituir miúdas britânicas. Não há chineses a meter bombas.

        Liked by 1 person

      • 13 Dezembro, 2018 11:56

        Mas esses também são doutrinados pelos tais religiosos nas mesquitas clandestinas!

        A questão é essa. Não há nada de pura invenção de uns idiotas. Há idiotas doutrinados. O facto da organização central ter sido neutralizada não altera nada.

        Aliás, o que este terrorismo “moderno” mostra é isso mesmo- uma hidra de mil cabeças que até pode funcionar por facebook. O ISIL é mil vezes mais perigoso que era a Al-Qaeda

        Gostar

      • 13 Dezembro, 2018 11:57

        O problema é que não os podem sequer mandar embora, por muito sinalizados que estejam.

        A imbecilidade das leis permitiu esta anormalidade

        Gostar

      • lucklucky permalink
        14 Dezembro, 2018 02:52

        “Uma coisa são organizações terroristas, que têm por objectivo impor uma visão extremista do Islão. Aparentemente e felizmente, essas organizações foram derrotadas. ”

        isto é a brincar? Vives mesmo no casulo jornalista.

        Tens o regime Islamico no Irão começando pelos Guardas Revolucionários, tens o Herezbollah e o Hamas, tens a Irmandade Muçulmana, tens Boko Haram, mais os Taliban, e as teias Paquistaneses, Sauditas e vizinhos… depois podemos ir ao que esta a borbulhar na Ásia já à algum tempo da Malásia à Indonésia…
        E claro ainda temos os ataques Islamistas na Rússia, ainda há pouco existiu mais uma tentativa. A mulher com a bomba foi abatida e explodiu antes de chegar aos guardas.

        Ainda mais ridículo é conversa da exclusão, virias com a conversa da exclusão se fosse um atentado de Extrema Direita?

        Os portugueses pobres emigrantes em França nas bidon ville assassinaram quantos Franceses?

        Aperitivos do ultimo dia:
        Egyptian military kills 27 terrorists in recent operations
        Joint Iraqi force kills three Islamic State militants in Mosul
        Bomb blast leaves two policemen dead, four civilians wounded in Diyala
        Al-Shabaab Ambushes Ethiopian Military Convoy In Somalia
        Security Agencies Seize Vehicle With Explosives In Baidoa
        Al-Shabaab Executes Three Men, Including Former Electoral Delegate
        Another suspect behind torching of Diamer schools arrested
        Taliban’s command and control center eliminated in Helmand province
        Drone strike target ISIS vehicle in Nangarhar leaving at least 7 dead
        Thunder Corps confirm the killing of Taliban shadow governor for Paktika

        Liked by 1 person

  7. Velho do Restelo permalink
    12 Dezembro, 2018 21:15

    O terrorismo internacional agradece a prestimosa ajuda da UE, nomeadamente aos acordos Schengen, Marraquexe e outros que lhe facilitam a circulação pelo seu território espalhando sangue inocente ! Quando os alvos forem mais seleccionados é vê-los a correr para mudar as regras do jogo, fechando fronteiras, controlando entradas e sobretudo neutralizando quem os ponha em perigo. Enquanto for a plebe a sofrer, está tudo em conformidade com os padrões de tolerância da internacional socialista.
    Até já se fala em repatriar luso-descendentes que voluntariamente aderiram ao ISIS e neste contexto de tolerância, pensam instalar-se em Portugal para o tirar da cauda da UE, incluindo-o no grupo das vítimas do ISIS …

    Liked by 1 person

  8. Miguel Santos permalink
    13 Dezembro, 2018 01:14

    No Expresso continuam as “fake news”. Veja-se mais um título sobre este caso:
    “Detidas quatro pessoas próximas do suspeito que gritou “Deus é grande” antes de disparar”
    https://expresso.sapo.pt/internacional/2018-12-12-Estrasburgo.-Detidas-quatro-pessoas-proximasdo-suspeito-que-gritou-Deus-e-grande-antes-de-disparar#gs.0A5zIfA

    Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      13 Dezembro, 2018 11:51

      A malta do jornalixo e da política é inteligente. Sabem que se baixarem as calcinhas são deixados para o fim.
      O problema deles é que pensam que é possível domesticar a cobra, e mais bomba menos bomba isto pacifica e eles safam-se. Não acontecerá.

      As bombas de Bruxelas não foram nas instalações da UE. O tiroteio de Estrasburgo não foi no PE. Os mouros sabem quem lhes dá costas quentes, e historicamente esses são os últimos a levar na tromba.

      Mas levam sempre.

      Conheço um indivíduo que defende a mourama, defende a entrada em massa de terceiro mundistas na Europa. Vive em Estrasburgo. Estou curioso para saber o que pensa disto, mas duvido que tenha mudado de opinião.

      Gostar

  9. Leunam permalink
    13 Dezembro, 2018 12:07

    Com tantos criminosos por aqueles lados, logo foi atacar uns quantos inocentes.
    Está mal.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: