Saltar para o conteúdo

Onde estão as feministas para repor a igualdade?

20 Março, 2019

Ultimamente as feministas não me têm dado tréguas por eu ter dito que elas não defendem a igualdade entre géneros. Aconselharam-me inclusivamente a ir ao dicionário porque segundo elas, eu andava equivocada e quiçá sem saber, era uma feminista.  Ora de facto a definição não deixa dúvidas:  feminismo é  “um Movimento ideológico que preconiza a ampliação legal dos direitos civis e políticos da  mulher ou a igualdade dos direitos dela aos do homem“, ou seja, luta-se por uma igualdade de direitos das mulheres em relação ao homem. E quando a mulher passa a ser maioritária, luta-se por manter essa igualdade entre géneros? A definição do dicionário é omissa mas os dados oficiais não deixam dúvidas: não. 

Dizem esses dados que em 2017, na função pública estavam empregados:  no norte 17 634 homens contra 19389 mulheres (oh diabo!); na área metropolitana de Lisboa 13 516 homens contra 17 251 mulheres (oh diabo!); no Algarve 3 624 contra 4 917 mulheres (oh diabo!). Apenas o Alentejo, regiões autónomas dos Açores e Madeira é que – por enquanto – mantêm as mulheres em minoria.

PORDATA Trabalhadores da Administração Pública Local total e por sexo

Se analisarmos de acordo com a distribuição de  profissionais nas áreas da saúde, educação e justiça, temos APENAS menos mulheres no ensino superior (44%):

34779098_1853830384639703_68985773298286592_n(Fonte Fundação Francisco Manuel dos Santos)

Um exemplo concreto foi-me dado por um leitor, também com dados oficiais. Em Leiria: a Câmara Municipal tem 56,5% de mulheres contra 43,5% de homens; na Comarca, 71,2% de mulheres e 28,8% de homens; na Segurança Social, 91,1% de mulheres contra 8,9% de mulheres; no Instituto Politécnico, 52,1% são mulheres, 47,9% são homens. É impressão minha ou em Leiria já faz falta impor quotas para homens?

Mas há mais: as estatísticas revelam que actualmente em termos populacionais as mulheres dominam: 4.891.983 homens e 5.433.469 mulheres o que significa que em pouco tempo, com a legislação actual que as protege,  serão elas maioritárias em quase todos os sectores. Por outro lado também são elas que vivem mais tempo. As mulheres têm uma esperança média de vida à nascença de 83 anos, contra 78 dos homens. Portanto, para além de serem em maior número, morrem menos (isto promete). São elas também que representam 88% das famílias monoparentais. No ensino 49% dos alunos matriculados desde o pré-escolar até ao superior, são mulheres.  Nas universidades, elas estão em maior número onde representam 54%. Dentro dos doutoramentos, 1.587 são de mulheres, contra 1.382 de homens. Onde é que faz falta afinal quotas ou outros estímulos para haver “igualdade”? A mim parece-me que se os homens não se puserem à cautela, não tarda nada, terão problemas sérios (ah! ah! ah!).

Em relação aos salários desiguais, mais uma meia verdade transformada em verdade sobre a dita  desigualdade. Ninguém diz – porque essa parte não interessa à agenda feminista – que os estudos são sobre o rendimento e não, o salário. Ou seja, as diferenças não são sobre valores salariais pagos constantes nas tabelas do CCT por cada categoria profissional, mas sim valores auferidos. Significa isto que, de facto,  as mulheres recebem menos no final do ano pelo mesmo trabalho realizado, não por ter um salário desigual, mas por trabalharem menos. Eu explico: a mulher é por natureza quem se sacrifica para levar os filhos ao pediatra, ficar em casa quando estão doentes, levar a mãe ou o pai a uma consulta, que falta para ir à escola falar com professores, participar numa actividade escolar ou qualquer outro assunto relacionado com a família e é também quem dá à luz os filhos.   É  isto que a Fundação Francisco Manuel dos Santos, responsável por muitos estudos, não mostra. Mais: estive no ramo empresarial durante décadas  e posso garantir que não é possível, com a legislação actual, lançar na contabilidade salários diferentes para as mesmas funções sem que em pouco tempo, com uma queixa de apenas um funcionário, a empresa não seja invadida por um batalhão de  fiscais do ACT a vasculhar todos  os arquivos, a pente fino, durante semanas  e em caso de se registarem irregularidades,  ver aplicadas avultadas coimas! Só mesmo um empresário irresponsável e que goste de perder muito dinheiro  se mete numa grande aventura dessas.  No dia em que as mulheres não faltarem ao trabalho por assistência a familiares  e não se importem de prescindir de tempo para a família, como eles homens,  para fazer muitas horas extras, os salários auferidos serão iguais. Até lá, será  isto.

Tenho a “certeza” que as feministas que me juravam que este movimento defendia a igualdade entre géneros, depois de tomar conhecimento destas injustiças, vão lutar para pôr fim a esta supremacia feminina em curso.

Aguardemos.

 

 

 

Anúncios
42 comentários leave one →
  1. Daniel Ferreira permalink
    20 Março, 2019 17:54

    Os comunistas querem as mulheres fora de casa (maternidade) e depois jogam a seu bel-prazer com as leis “laborais” para que nunca mais voltem. Truque já centenário. Como diria um dos teóricos que eles mais seguem: Men are fools and women are tools.
    Todas as mulheres que acham que PT não é um autêntico paraíso e forem na ladaínha, merecem o que vão ter.

    Como se já não bastasse o assassinato da nossa História que não tem mais nada a não ser factos da população MASCULINA a dar a própria Vida para defender as Mulheres e Crianças do que está aí a chegar – Não duvidem por um segundo que todos os Castelos e Muralhas que vemos por este ex-País fora foram eregidos ÙNICA E EXCLUSIVAMENTE para defender as mulheres e crianças de uma vida de escravatura sexual que duraria enquanto respirassem, que, repito, é o “””Progresso””” que aí está a chegar – temos na Lei da “igualdade” que é ilegal as mulheres ganharem menos que os homens… E onde está o oposto? Claro que não está.

    Aliás, só mesmo os empregos que têm mais homens que mulheres é que estão a ser atacados. Que 85% dos cursos superiores, e respetivas profissões derivadas têm muit(íssimas) mais mulheres, ninguém fala! Se pusessem uma lei que todos os empregos têm que ser 50-50 eram elas que ficariam a perder.

    Dizia a Dª Cristina que os pais opinarem sobre quem casam os filhos era “retrógado”. Desengane-se se acha que as mulheres portuguesas vão ter direito de escolha sobre com quem ficam. Vão poder escolher como podem as mulheres da Nigéria, Bali, Chad, Gabão e todos os outros 40 países que vão importar os engenheiros e doutores para cá AOS MILHÕES nos próximos anos. O pior dia de uma Mulher portuguesa hoje vai ser um autêntico sonho para o dia-a-dia das futuras

    Liked by 1 person

    • Daniel Ferreira permalink
      20 Março, 2019 18:00

      O cartaz oficial daquele mimo que é o “acordo para as migrações” diz-nos que já escolheram com quem elas vão ficar, não é?

      Gostar

  2. Luís Lavoura permalink
    20 Março, 2019 17:56

    “preconiza a ampliação legal dos direitos civis e políticos da mulher ou a igualdade dos direitos dela aos do homem”, ou seja, luta-se por uma igualdade das mulheres em relação ao homem

    A Cristina não leu bem. Lutar pela igualdade dos direitos (que é o que as feministas fazem) não é lutar pela igualdade das pessoas. As feministas não lutam para que as mulheres sejam iguais aos homens, lutam para que elas tenham os mesmos direitos que os homens.

    Gostar

    • Daniel Ferreira permalink
      20 Março, 2019 18:03

      Mas qual direitos é que os homens têm e elas não???

      É que depois temos a tática “Alinsky” nisto tudo: Tiveram os últimos 20 anos a colocar mais leis a FAVORECER as mulheres e quando é claro que já está desigual em favor delas, ainda lançam campanhas destas para carregar ainda mais na ferida.

      Dou-lhe 1000€ por cada lei q me disser que favoreça mais os homens e você dá-me 1000€ por cada lei que eu disser que favoreça as mulheres. Jogo a isto com quantos vierem.

      Liked by 1 person

      • Daniel Ferreira permalink
        20 Março, 2019 18:05

        E estou a falar de algo bem mais sério do que o “homens pagam 3 bebidas e mulheres têm 3 bebidas de graça” nas discotecas

        Gostar

  3. Daniel Ferreira permalink
    20 Março, 2019 18:12

    O feminismo é uma palavra código para ANTI-HOMENS. Não tem ajudado NINGUÉM e só lançado o caos e confusão, que é o que a seita de psicopatas quer. As que ainda não casaram vão ser “educadas” que os homens não prestam, as casadas estão a ser agora incentivadas a processá-los por “violência doméstica” e assim, lei a lei, atropelo em atropelo,lá se vai a parte mais importante de qualquer sociedade Cristã em geral e portuguesa em particular: a Família.

    Portugal, um ex-País de Heróis Mundiais e de referência ao longo de tantos séculos vai ser destruído por um PM fantoche que se fosse um bocadinho mais inteligente tinha um QI nos positivos. Tudo isto é muito triste

    Liked by 1 person

    • 20 Março, 2019 22:44

      Para as idiotas sapatonas, as egomaniacas, as trombudas balofas ressentidas definitivamente que sim. Para os globalistas o objetivo é outro.
      O mulheria é submissa e não faz revoluções, logo são óptimas para as posições de “capatazes”. Daí a urgência da sua “emancipação”.

      Gostar

  4. Arlindo da Costa permalink
    20 Março, 2019 19:09

    Drª Cristina – porquê tanto ódio às mulheres? Acho tudo isto do domínio da parapsicologia.

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      20 Março, 2019 19:41

      Ódio? Ah! Ah! Ah! Tem vocação para humorista.

      Gostar

      • Martim Moniz permalink
        21 Março, 2019 10:50

        Humorista mas daqueles que são corridos do palco com tomates.

        Liked by 1 person

  5. Sónia permalink
    20 Março, 2019 19:51

    Só faltam as estatísticas dos cargos de liderança.

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      20 Março, 2019 21:43

      Também se arranja. Fica para outro texto

      Gostar

    • FGCosta permalink
      22 Março, 2019 13:44

      E para assentadores de tijolos, recolha de lixo, profissoes de alto risco, pescadores, tropas de choque…?
      E em perspetiva historica, quando era preciso ir para a guerra, quem eram os sacrificados e quem era privilegiado? O que esperava um jovem do sexo masculino nos anos da guerra colonial? E na 1.ª grande guerra? E na 2.ª? E no naufrágio do Titanic quem foi privilegiado em termos de sexo?

      Liked by 1 person

  6. 20 Março, 2019 20:06

    Por outro lado, não deixa de ser curioso que as profissões em que as mulheres têm maior representatividade são as mais mal pagas…

    Não é que eu seja feminista, mas sou filho, marido e pai de profissionais e parece-me que as coisas como estão também não estão lá muito bem…

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      20 Março, 2019 21:41

      Mal pagas? O que é q aqui em Portugal é bem pago?

      Gostar

      • 20 Março, 2019 22:38

        Pronto… vou ser mais preciso:
        As profissões em que as mulheres com qualificações se empregam mais, são relativamente mal pagas face aquelas em que há mais homens…
        Assim já nos entendemos?
        Abraço.

        Gostar

      • 20 Março, 2019 22:50

        É com cada idiota e este é dos “mercados”. Mas parece que em Portugal as mulheres são obrigadas a encher os cursos de psicologia e letras.
        Você quer comprar a profissão de psicóloga com a de engenheiro ?

        Liked by 1 person

      • 20 Março, 2019 23:16

        Como as contas funcionam para estas trombudas justiceiras sociais, é assim.

        Profissão psicólogo 9 mulheres+1 homem . Ordenado hipotético das mulheres 800 euros, ordenado do homem 600.

        Profissão de engenheiro 9 homens + 1 mulher. Ordenado hipotético dos homens 1000 euros , ordenado da mulher 1200.

        Em ambos os casos no exemplo as mulheres tem salário superior. Mas a média dá para as mulheres (9×800+1200)/10= 840euros. A Média dos homens (1000×9+600)/10=960 euros

        Conclusão dos progressistas, rabetas e sapatonas trombudas afins: mulheres são discriminadas porque recebem em média menos 120 euros.

        Liked by 1 person

      • 20 Março, 2019 23:17

        Como as contas funcionam para estas trombudas justiceiras sociais, é assim.

        Profissão psicólogo 9 mulheres+1 homem . Ordenado hipotético das mulheres 800 euros, ordenado do homem 600.

        Profissão de engenheiro 9 homens + 1 mulher. Ordenado hipotético dos homens 1000 euros , ordenado da mulher 1200.

        Em ambos os casos no exemplo as mulheres tem salário superior. Mas a média dá para as mulheres (9×800+1200)/10= 840euros. A Média dos homens (1000×9+600)/10=960 euros

        Conclusão dos progressistas, rabetas e sapatonas trombudas afins: mulheres são discriminadas porque recebem em média menos 120 euros.

        Gostar

    • FGCosta permalink
      22 Março, 2019 13:47

      Refere-se a juízas, advogadas ou médicas?

      Gostar

      • 22 Março, 2019 14:36

        Refiro-me às profissões em que as mulheres representam mais de 70% da força de trabalho. A tabela apresentada ilustra perfeitamente o que digo.

        Gostar

  7. Andre Miguel permalink
    20 Março, 2019 20:11

    O feminismo é apenas uma das novas coqueluches do marxismo, este tem que estar sempre em luta, perdida a luta de classes deita mão ao que estiver mais a jeito: a luta pela igualdade de género, a luta pelo ambiente (esta até ajuda a luta pela alimentação saudável, aka veganismo), a luta pelas minorias étnicas e religiosas (desde que nao sejam cristãs ou judaicas, cof cof!), a luta pelos animaizinhos que agora são chamados de filhos (se o ridículo pagasse imposto!), etc, etc, etc… o que importa é a luta! Sempre.

    Liked by 2 people

    • 20 Março, 2019 20:28

      ”[…]o que importa é a luta! Sempre.’
      Sempre, sempre, não. Às vezes também é fixe ir a colóquios comer croquetes, engolir rissóis e emborcar uns uísques e, bónus! (dling, dling, dling) aparecer na televisão ainda por cima!
      Isso é que é, pá!
      Ora!

      Gostar

  8. 20 Março, 2019 20:19

    P.S.: Quanto ao feminismo de 4ª ou 5ª fase, ou lá o que é… Eh, pá!
    Entretenham-se, por exemplo, aqui:
    View at Medium.com

    Cansa, não cansa? Bolas!

    Gostar

  9. Jornaleco permalink
    20 Março, 2019 22:08

    Resultados, conclusões:

    a. A mulher moderna portuguesa é uma das mais burras, estúpidas, assassinas, de todo o planeta. Parabens!!!!!!

    b. A população portguesa vai cair de 10 milhões para 7 milhões, qualquer coisa assim. Culpadas? Ver ponto a. Parabens!!!!!

    c. O Daniel Ferreira o disse muito, muito bem: o cabrão do Vitorino, o maior cabrão do Guterres, o idiota do Costa, todos esses andaram apalpar as feministas, onde elas o deixavam, a apoiar as mesmas, para agora convidar cavalos a valer, que vão dizer às mulheres malvadas e estúpidas portuguesas (essa da modernidade), que o sítio delas em casa e a calar-se. Se não obedecerem, leva porrada no corpo e uma faca no corpo.

    Como sucedeu estes dias, no norte da Alemanha, uma rapariga muito, muito moderna, de 18 anos, foi encontrada em casa, perto da fronteira da Polónia (em Usedom), morta. Ela só queria foder, ser muito moderna, e depois não sei. Facto é, que a mataram sem vergonha nenhuma. E o cabrão e filha da puta do assassino anda em liberdade e ninguém o conhece. Não conheço nem uma feminina desesperada para ajudar esta vítima. Porque o françês A. Finkelkraut ou assim, disse, faz pouco tempo. Quando uma feminista é violada por um muçulmano, a feminista diz: isso não é violação nenhuma. Super-inteligente.

    Obrigada, mulher moderne e estúpida portuguesa. Como tu semeares, há-de-ser a colheita. Ela que seja muito amarga, para ti e as tuas outras putas. A infidelidade é que é o teu avanço. E o matar de bebés, também gostas muito. Muitíssimo.

    Gostar

  10. A. R permalink
    20 Março, 2019 23:24

    O estudo é enviesado Cristina: não falou nos mineiros, electricistas, trabalhadores da construção civil, camionistas, pescadores, bombeiros, etc. Tudo profissões bem pagas, sem riscos, com grande disponibilidade, unhas bem aparadas, etc … claro … para os homens.

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      21 Março, 2019 07:27

      Não é enviesado. Não falei nisso neste texto porque aqui quis apenas demonstrar q as mulheres já são maioria. Sobre essa questão q aqui coloca estou a preparar outro q vai abordar isso e q explica porque isso acontece.

      Gostar

      • A. R permalink
        21 Março, 2019 22:55

        Estava a ser irónico Cristina! De facto as mulheres procuram melhorar a sua vida.Nos países mais pobres estudam engenharia para conseguir melhores salário … cá felizmente tem outras soluções.
        Continue a escrever com desassombro.

        Liked by 1 person

  11. 20 Março, 2019 23:32

    Republicou isto em O Pica-Miolos and commented:

    Acabamos de receber uma noticia de última hora:

    Em Portugal, confirma-se oficialmente que existe discriminação no posto de trabalho – em beneficio das mulheres!

    Este excelente artigo da Cristina Miranda explica:

    “…Dizem esses dados que em 2017, na função pública estavam empregados: no norte 17 634 homens contra 19389 mulheres (oh diabo!); na área metropolitana de Lisboa 13 516 homens contra 17 251 mulheres (oh diabo!); no Algarve 3 624 contra 4 917 mulheres (oh diabo!)…”

    Ler mais

    Gostar

  12. Luis permalink
    21 Março, 2019 05:34

    O que vou escrever aqui não é politicamente correcto. A cultura galaico-portuguesa é essencialmente uma cultura muito mais feminina que a cultura castelhana. Durante séculos nas elites portuguesas predominavam as características masculinas, eram os tempos da Reconquista e das guerras com Castela, ou da enorme percentagem de população judia ou cristã-nova. O país depois mudou. A emigração masculina foi maciça. As mulheres portuguesas não saíam de Portugal. Praticamente, só homens iam para o Império, especialmente para o Brasil. Este emigração maciça de homens continuou quase até aos anos 30 do século passado. Já li pelo menos dois psicanalistas que consideram que a sociedade portuguesa é essencialmente feminina. O Fernando Dacosta ou o Jorge de Sena indirectamente dizem o mesmo. Os especialistas em estudos da cultura portuguesa também dizem o mesmo. Atenção que estou a falar de CULTURA e Sociedade. Uma sociedade feminina é aquela onde dominam os valores, atitudes e comportamentos típicos do Arquétipo Feminino. Passividade, receio do confronto directo, conservadorismo, resistência à mudança, poesia, imaginação, atenção excessiva ao detalhe, minúcia, culto do sagrado feminino (Nossa Senhora, Santa Maria), inveja, vaidade, desprezo das Ciências Exactas, preferência por mercados fechados ou protegidos da concorrência externa, etc. Em certa medida os homens portugueses são criados nestes valores. Ao lado dos nórdicos ou até dos espanhóis, os portugueses são uma espécie de «homens de saia». Os homens e muheres «masculinos» ou de elite numa sociedade assim distinguem-se bem dos outros. Sociedade deste tipo num mundo globalizado e com tanta competição estão condenadas ao fracasso e a ser «papadas» por países, sociedades e organizações «masculinas», ou seja, com iniciativa, objectivos concretos e materialização. Isso vê-se bem em Portugal, que paulitamente tem sido «comido» pelos espanhóis. Mesmo antes das mulheres dominaram essas profissões de elite Portugal já era uma sociedade e uma cultura feminina, logo… façam-se as devidas reflexões.

    Liked by 1 person

    • Andre Miguel permalink
      21 Março, 2019 07:23

      Pedro Arroja diz isso há muito tempo. O seu livro “Portugal é uma figura de mulher” é um verdadeiro murro no estômago.

      Liked by 1 person

    • Pipo permalink
      22 Março, 2019 09:55

      Um argumento aparentemente consistente, mas obviamente machista ao afirmar que “sociedades com valores mais maculinos” vao “papar” Portugal porque tem “valores mais femininos”. Naturalmente paises matriarcais onde as mulheres gozam de grande estatuto e influencia (i.e. Escandinavia) nao parecem estar a ser “papados”, pelo contrario. Naturalmente, existe muito mais para alem da questao binaria e simplista homem-mulher.

      Gostar

  13. Beirao permalink
    21 Março, 2019 09:19

    Oh raios as partam, feministas duma fuga…!
    Vão mas e’ pentear macacos p’ra China!

    Gostar

  14. Raghnar permalink
    21 Março, 2019 09:32

    https://www.pordata.pt/Europa/Acidentes+de+trabalho+mortais+total+e+por+sexo-1325

    Nisto já acontece o contrário, mas claro a predisposição para o desempenho de tarefas arriscadas também não deve ter recompensa monetária, nem há qualquer desejo de “igualdade” para isto.

    A malta “progressista” e “humanista”, fechada nos seus gabinetes e sujeita aos “grandes traumas” dos ambientes climatizados é que merece ordenados muito superiores à média nacional, os outros têm é que se lixar…

    Gostar

  15. Daniel Ferreira permalink
    21 Março, 2019 10:25

    E gostava só de acrescentar que a Mulher (e seu ventre) são o epicentro da cultura Cristã Portuguesa! Poderíamos falar em várias Mulheres glorificadas em PT, sejam Rainhas, Escritoras ou Beneméritas, mas fico-me por duas:
    A primeira é “só” considerada a Santa Padroeira de Portugal, que é a Imaculada Conceição e claro, não poderia deixar de referir uma tal que põe os Portugueses em missão de sacrifício todos os Maios, onde só em 2017 vieram mais pessoas visitá-La do que há população PORTUGUESA chamada Nossa Senhora de Fátima

    Gostar

  16. 21 Março, 2019 10:28

    Não discordo do pressuposto deste artigo. Discordo da conclusão.
    Não tenho como provar o que digo. Escrevo o que percepciono entre as mulheres que conheço (familiares, amigas, colegas…): Assim, parece-me que de um modo geral, as mulheres são menos conservadoras do que os homens. Aderem mais facilmente às inovações do que nós, são ambiciosas e são bastante competitivas.
    Recordo ainda que as empresas de micro-crédito se apoiam quase sempre nelas para suporte de pequenos investimentos que já mudaram a vida a muitas famílias em países pobres.
    Pode ser um argumento insubstancial, mas é bem verdade que os nadadores salvadores têm mais dificuldade em salvar mulheres do que homens. Elas debatem-se mais do que eles e, nesse sentido, dificultam a tarefa do nadador.
    Lembro que a Irlanda, sendo também uma sociedade matriarcal e tendo aí o culto mariano uma força enorme, é uma sociedade com altos índices de crescimento.

    Gostar

    • 21 Março, 2019 10:32

      P.S.: Refiro-me aqui ao artigo do Luís dois ou três posts atrás.

      Gostar

      • 21 Março, 2019 10:37

        Constato ainda o enorme número de caceteiros homofóbicos que pululam por aí.
        Cuidado meus meninos, quem esteve preso ou embarcado conta sempre que viu muitos homófobos que acabaram a aderir violentamente à licra… Os extremos tocam-se.

        Gostar

  17. BAH permalink
    22 Março, 2019 20:59

    Hoje lembrei-me de si, Cristina Miranda. Parece que a Juventus não vai aos EUA não vá o seu querido Ronaldo ficar preso. E eu continuo banido pelo Blasfémias, graças a si. Nunca pensei que fossem TODOS tão hipócritas, mas considero um cumprimento que não me queiram em tal companhia.

    Liked by 1 person

    • Cristina Miranda permalink
      23 Março, 2019 17:20

      O que aconteceu não é da minha responsabilidade. Zero. Eu só informei os administradores sobrecarga sua ameaça.

      Gostar

Trackbacks

  1. Onde estão as feministas para repor a igualdade? – PortugalGate

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: