Saltar para o conteúdo

Sexo e mentiras do género

4 Maio, 2022

Imagine o leitor ser pai de uma rapariga adolescente com 16-17 anos que vai participar num acampamento de verão durante duas semanas organizado pelo colégio.

Uma das suas preocupações será com certeza perceber se a organização providenciará dormitórios, balneários e casas de banho separadas para rapazes e raparigas. O colégio diz-lhe que sim e assegura que no acampamento a logística do alojamento e higiene será organizada de forma separada para cada género e, portanto, não haverá dormitórios ou chuveiros mistos.

Mais tarde, por acaso, fica a saber que seguindo as orientações centrais e políticas de inclusão promovidas pelo governo, o colégio da sua filha deu indicações à equipa que organiza o acampamento para perguntar aos alunos participantes quais as suas preferências individuais de alojamento e quais as casas de banho e vestiários em que se sentem mais confortáveis de usar. Tendo alguns rapazes indicado à organização auto-identificarem-se como sendo do género feminino, o colégio respeitou a preferência destes alunos em dormir junto das raparigas e usar o mesmo balneário que a sua filha.

Aí o leitor constata com surpresa que a logística do acampamento não é organizada conforme o sexo dos alunos, mas sim do género com que se supostamente se identificam. E mais: recebe como resposta às suas preocupações sobre esta política do colégio que se as meninas se sentem desconfortáveis com um rapaz no seu quarto, elas “precisam de ser educadas para respeitar a identidade de género da pessoa do sexo masculino”. Ou seja, o colégio permitirá que os jovens auto-identifiquem o seu género, colocando-os em conformidade nos dormitórios em que se sintam mais confortáveis.

Esta confusão entre sexo e género, entre biologia e disparate é, na melhor das hipóteses, enganosa e, na pior, deliberada. Mas tenho poucas ou mesmo nenhumas dúvidas de que se trata de um modo intencional de criar rupturas e deslaçar a sanidade das famílias e da sociedade como forma de implementar uma agenda política e cultural artificial e grotesca, imprópria de gente sã e humana.

A privacidade, dignidade e segurança dos adolescentes não devem impedir ou desacelerar a narrativa progressista, muito acarinhada pela extrema-esquerda bloquista e tolerada pela ala liberal armada ao moderninho.

A história que descrevi anteriormente passou-se há dias no Reino Unido. E não é caso único. Com a nossa habitual predisposição para adoptar as piores modas estrangeiras, em Portugal não faltarão em breve colégios a adoptar as mesmas atitudes e governantes a louvar a falsa tolerância e inclusividade.

A minha crónica em vídeo, aqui:

26 comentários leave one →
  1. Euro2cent permalink
    4 Maio, 2022 23:18

    Corromper os costumes faz parte. “Tudo o que é sagrado será profanado”, escreveu o profeta.

    A parte gaga é que estava a falar da burguesia que “desempenhou na história um papel altamente revolucionário.”

    Esta mania do progresso que apanhámos no século XVII tomou o freio nos dentes.

    Liked by 3 people

  2. Pedro Dias permalink
    5 Maio, 2022 08:30

    Comunismo ou LIBERDADE.

    Gostar

    • Ricardo Amaral permalink
      5 Maio, 2022 10:40

      “Há outras associações com agentes de Putin a “colaborar” com mais autarquias(além de Setúbal).Isto mostra o nível de desantenção dos nossos serviços de informação,mais interessados em espiar portugueses para informarem o governo do que em espiar agentes estrangeiros.A situação é tão absurda que só se entende pela total falta de sentido de Estado e pela bandalheira em que o governo colocou serviços de informação e SEF,que está à beira do colapso institucional e não cumpre serviços mínimos.Torna-se fácil ao KGB de Putin colocar agentes a “colaborar” com autarquias.A denuncia do ps em Setúbal fez ricochete: a bandalheira de instituições dirigidas pelo governo ficou também à vista.Esta falta de cultura nacional que vigora no país é a mesma que leva canais de TV a contratar militares portugueses agentes de Putin mentindo e putinizando sobre a Ucrania.Uma coisa é exercer a liberdade de opinião,outra é exercer a estupidez: entregar “comentário” militar a agentes estrangeiros é resultado dessa falta de cultura nacional.A invasão da Ucrania tem permitido ver como é grande a influência da ditadura russa em Portugal.” (Do artigo Panóptico de Cintra Torres no CM)

      Gostar

  3. Prova Indirecta permalink
    5 Maio, 2022 09:05

    Admirável mundo novo

    Gostar

  4. balio permalink
    5 Maio, 2022 09:55

    em Portugal não faltarão em breve

    Faltarão.

    Os países anglossaxónicos têm diversas idiossincracias culturais, que não se repetem nos outros países. Esta ideia dos transgénero é uma delas. Nem todas as palermices que ocorrem nos países anglossaxónicos são copiadas alhures.

    Gostar

    • FreakOnALeash permalink
      5 Maio, 2022 12:24

      A não ser que o pêndulo inverta o seu percurso com estrondo (quando inverter será certamente com estrondo) não acredito na sua opinião. Tudo indica, o passado é bom conselheiro nesta minha opinião, que toda a m*rda que vem de fora é copiada. Aliás o que não faltam é exemplos cá em Portugal: desde os livros para crianças que levaram com a CIG em cima até ao exemplo crasso da agenda de ideologia de género plasmada nos manuais de Cidadania. Também tivemos e temos a barbárie do vandalismo de estátuas e outras espécies arquitetónicas à pala do movimento Burn Loot Murder. Outros exemplos os há cá se procurar melhor, estes foram apenas os que me vieram à cabeça.

      Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      5 Maio, 2022 15:27

      O balio está enganado.

      Há 3 anos ninguém normal em Portugal tinha ouvido falar da palavra afrodescendentes. Hoje anda nas bocas de tudo o que é bloquista, e a ser apresentada nos media.

      Ainda há poucos dias a Isabel Moreira bolsava acerca da recente fuga de informação do Supremo tribunal Americano uma treta qualquer sobre as “mulheres racializadas”.

      Conta-me um antigo colega da Universidade a trabalhar numa grande empresa multinacional com escritório em Lisboa que está na mesa 10% das novas contratações serem para a máfia do alfabeto LGBTQXPTO.

      Patriarcado é outro conceito que, para a maioria das pessoas, tinha acabado algures a meio do século XX. De há menos de 5 anos para cá tudo o que é feminazi repete o disparate, e não é só em países anglo saxónicos.

      Não só vai chegar a outros países, como já chegou, e a parte pior é que, ou o balio se está a fazer de ingénuo, ou nem notou.

      Gostar

  5. pytoo permalink
    5 Maio, 2022 09:59

    Repetindo o escrito em 21 Abril, 2022 12:26
    «Telmo Azevedo Fernandes, se não fosse o senhor pouco se aproveita do blasfémias.»

    Agora corrijo: nada se aproveita.

    A sua vontade e a sua maneira de ser são raras.

    Gostar

    • Joselito permalink
      5 Maio, 2022 12:41

      Raro sim…cada vez mais! Um dia destes passa mesmo a UNICO a pregar sermão aos peixinhos deste blogue como aqui o pytoo ou a faneca zazie habitués deste aquário de imbecis.

      Gostar

  6. 5 Maio, 2022 11:06

    AHAHAHAHA

    Espertos, qual era o rapaz, numa situação dessas e com as hormonas bem activas que ia dizer que se sentia mais homem, podendo dormir com raparigas

    AHAHAHAHAHA
    Está tudo besta.

    Liked by 1 person

  7. Andre Miguel permalink
    5 Maio, 2022 12:47

    Todas as politicas e causas promovidas pela ONU, Ong’s e afins nos ultimos 30 anos têm como unico objectivo a redução da população via natalidade: Lgbt’s, a humanização dos animais de estimação, aborto, politicas de genero, etc etc etc. E estão a conseguir.

    Gostar

    • 6 Maio, 2022 23:39

      Mas só se aplica ao O(i)ncidente. Pelas Chinas, Índias e Áfricas continuam a multiplicar-se como pães. Lá pra essas bandas ainda não pregam esta cartilha, ou o que é interessa é acabar com os branquelas?

      Gostar

  8. Atento permalink
    5 Maio, 2022 13:54

    Nestas obsessões sobre racismo, BLM, CRT, LGBTQXYZ, transfobia, islamofobia, as tretas do que hoje passa por ‘esquerda’, há dois tipos de direita.

    Há os direitinhas como o Telmo ou o Pedro Dias – “Comunismo ou LIBERDADE”, diz o néscio – que passam a vida mui indignados, a exemplo da esquerda que odeiam, apenas no sentido inverso. Esses são os tesos, os otários.

    E há a direita mamona e capitalista, passe o pleonasmo, que adora estas tretas. São as multinacionais que promovem slogans woke, os CEOs de bancos que ajoelham em ‘solidariedade’ à frente de enormes cofres.

    Adoram isto por dois motivos: porque até os ajuda a mamar mais; e sobretudo porque garante que a esquerda não passa da cepa torta.

    O ‘wokismo’ foi uma grande invenção da direita. Divide a esquerda e distrai a carneirada do que importa: dinheiro. Nada mais lhes importa.

    Gostar

    • Euro2cent permalink
      5 Maio, 2022 22:41

      “A burguesia não pode existir sem revolucionar permanentemente os instrumentos de produção, portanto as relações de produção, portanto as relações sociais todas.”

      Palavra do profeta.

      (Infelizmente a parte da revolução proletária só serviu para uns bandidos sanguinários massacrarem brutalmente os descrentes e os próprios crentes, mas estes bocados estavam bem vistos, e melhor escritos.)

      Liked by 1 person

      • Atento permalink
        6 Maio, 2022 01:22

        Pois. Como bem diz, não houve – na URSS, China, Cuba, Coreia, etc. – qualquer revolução proletária: apenas capitalismo de Estado e ditaduras brutais de uma ínfima minoria.

        Claro que se diziam socialistas; os tipos da historieta do Telmo Fernandes também se dizem mulheres para entrar nos vestiários e nas casas de banho das mulheres. Mas isso não os torna mulheres.

        Crentes, crentes é no capitalismo. Crêem em mercados livres, mãos invisíveis, agentes económicos racionais, trickle down, levelling up, um rol de fantasias que faz a Bíblia parecer um tratado científico.

        Gostar

    • André Silva permalink
      5 Maio, 2022 23:41

      Tu é mamas aqui, mamas ali, tu mamas por todo o lado.

      Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      7 Maio, 2022 10:42

      As grandes empresas não ganham dinheiro com ser woke. Apenas perdem menos sendo woke que não sendo.
      É como as PME em zonas com máfias. Não ganham dinheiro por pagar protecção à máfia, mas perdem menos que ter a empresa incendiada.

      Woke não é apenas as coisas para Inglês ver. As classificações ESG determinam se fundos de investimento colocam acções de uma empresa nos seus portfolios, ou não. Há bancos que não fazem IPO de empresas com pontuação ESG abaixo de determinado nivel.

      Uma empresa que não seja woke, que não promova a contratação de mulheres e minorias, independentemente da qualidade do individuo, que não dê dinheiro a BLM e quejandos, leva uma pontuação ESG baixa.

      É a famosa “offer he cannot refuse”.

      “Divide a esquerda ”

      Não divide a esquerda assim tanto.
      Há meia dúzia de dinossauros tipo PCP que têm um tratamento carinhoso para a máfia do alfabeto.
      E depois existe toda a outra esquerda que acredita mesmo nisto.

      Gostar

      • Atento permalink
        7 Maio, 2022 15:22

        ESG é outra hipocrisia de empresas que se estão a borrifar para tudo menos lucro. Uma consciência postiça, uma etiqueta comprável, uma fachada verde, marketing para os mais otários dos otários. Até o tipo que inventou a treta lhe chama “fairy dust”.

        Claro que ganham com isso: dinheiro, porque vendem ainda mais, mas também publicidade, credibilidade, goodwill, etc., que geram ainda mais dinheiro. Típica hipocrisia capitalista.

        O wokismo não só divide a esquerda como a reduz a bandeiras que nada dizem à maioria das pessoas, numa constante competição de minorias pelo título da mais vitimizada.

        É a resposta dos mamões ao legítimo desejo de justiça das pessoas: em vez de redistribuir o poder e a riqueza numa democracia a sério, basta-lhes colar uma etiqueta woke e podem continuar a mamar. Funciona.

        Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        7 Maio, 2022 20:48

        “Claro que ganham com isso: dinheiro, porque vendem ainda mais, mas também publicidade”

        Não vendem mais, vendem o mesmo, porque todas têm que ser woke para continuar a vender. O que uma empresa woke vende a mais outra vende a menos, e não é pelo grau de wokismo.

        Mas o que vendem vão vender com custos mais elevados porque têm que contratar trabalhadores menos competentes para preencher quotas, têm que deixar os trabalhadores desperdiçar tempo com pride days, e women in tech, e outras patetices.

        “O wokismo não só divide a esquerda”

        Explique lá como é que o wokismo divide a esquerda, se a maioria dos países nem sequer têm um dinossauro como o PCP que o rejeite.

        A esmagadora maioria da esquerda parlamentar nos países Ocidentais é woke, e em quase todos os países Ocidentais é mesmo TODA a Esquerda que é woke.

        Em muitos países até a chamada “direita” é woke. Tenho aqui por casa uma moeda cunhada pela Royal Mint, durante governo conservador, apresentada publicamente com grande pompa pelo ministro das finanças com a inscrição “Diversity Built Britain”.

        Gostar

      • Atento permalink
        11 Maio, 2022 19:27

        “Não vendem mais, vendem o mesmo, porque todas têm que ser woke para continuar a vender. ”

        V. continua confuso: as grandes empresas, os mamões, vendem e venderão sempre, sejam ou não woke. A maioria das pessoas borrifa-se no wokismo; algumas até o boicotam.

        Ser woke é apenas mais um gimmick, uma moda ‘progressista’ para impingir coisas à carneirada enquanto se mantém as estruturas de poder e riqueza exactamente iguais.

        Ajoelhar para o instagram, contratar uma dúzia de negros ou trans, ir a uma marcha pífia, tudo isso custa-lhes peanuts e não muda nada. A malta sorri, compra mais um ipad / uns ténis / uma coca cola, e olvida qualquer pretensão de democracia ou redistribuição da riqueza.

        Daí a adesão em massa que descreve: é fácil, é barato e dá biliões. A pseudo-esquerda diz mata, os mamões gritam esfola. Pudera.

        Esquerda, escreva no seu livrinho, não é isto: é classe. Dinheiro. Igualdade. O que importa.

        Gostar

  9. Zé Manel Tonto permalink
    5 Maio, 2022 15:31

    Se isso fosse o pior estariamos bem. Até ver os pais podem não autorizar as filhas a ir a visitas de estudo.

    No mesmo Reino Unido um homem condenado em tribunal por violação diz ser uma mulher, e foi colocado numa prisão de mulheres.

    Está-se mesmo a ver o que aconteceu a seguir.

    E as mulheres nessa prisão são ameaçadas de que não se devem queixar, pois podem ser acusadas de crime de ódio por chamarem a esse homem homem, e acabarem por ficar presas mais tempo.

    Gostar

  10. André Silva permalink
    5 Maio, 2022 23:38

    O karma é f*dido, e no caso das mulheres – mais velhas e/ou as suas descendentes – mais do que merecido, pois são elas que maioritariamente votam e validam a esquerda.
    Espero e desejo sinceramente que as coisas ainda piorem e muito, pois são elas (e as outras pseudo-minorias) que pagarão a factura da diarreia e alienação mental.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: