Saltar para o conteúdo

Carta de Senhora de 86 anos a um Pároco

17 Junho, 2022

Revº Pároco Luis Mateus,

Actualmente não resido em Santo Tirso, mas aí nasci e fui criada e essa será sempre a minha terra.

Talvez por isso, o que lá se passa me toca em especial e me sinta na obrigação de o alertar para o que observei na Missa de celebração do Corpo de Deus, às 11h30.

Além do desnecessário uso generalizado de máscara (inclusive uma criança que ajudava a acolitar), o gel desinfectante parecia fazer parte da liturgia e foi usado despropositadamente
– pelos leitores
– no ofertório, ao deitar as moedas no cesto
– antes da comunhão, em que a Sagrada Hóstia era depositada nas mãos ainda besuntadas.

Aconteceu até que, nessa altura, quando me defendi da pistola de gel que o acólito me apontava, apanhei com a sua expressão de desprezo e indignação…

Não, não sou uma jovem «negacionista». Sou apenas uma mulher «de risco» de 86 anos!

É bem natural que V. Revª nem se aperceba da carga negativa e comentários desagradáveis que tais procedimentos provocam.

Peço desculpa por estes reparos, mas creio que a evangelização passa também por bom senso e esclarecimento.

Com toda a consideração,
Mafalda Fernandes

17 de Junho de 2022

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: