Saltar para o conteúdo

Continência aos gostos femininos

24 Abril, 2008
by

A já mundialmente célebre ministra da Defesa espanhola, Carme Chacón, continua a sua intensa campanha de relações públicas [corrigido por aviso de J. Pereira em comentário] e de reeducação do povo masculino nos valores que ela julga preferíveis.
Agora resolveu proibir o acesso electrónico desde todos os quartéis espanhóis aos jornais desportivos, revista ‘Interviú’,alguns sites de compras como o ‘Ebay’. E, também, aos blogues.
Percebem-se bem os motivos – como ela não gosta os seus subordinados estão proibidos de ver. Ou seja, autoritarismo à moda mais antiga e caduca. Que, para modernices, bastam as fotos.

86 comentários leave one →
  1. 24 Abril, 2008 14:50

    A restrição foi justificada pela “saturação” registada na rede durante o horário de trabalho, a ser verdade é tudo menos autoritarismo.

    Gostar

  2. 24 Abril, 2008 14:53

    «A restrição foi justificada pela “saturação” registada na rede durante o horário de trabalho, a ser verdade é tudo menos autoritarismo.»

    Pois. Por isso proibiram os jornais desportivos e não os outros. Critérios…

    Gostar

  3. 24 Abril, 2008 15:00

    O post não é esclarecedor…
    …restringir el acceso a la mayor parte del personal militar y civil del Departamento a páginas web deportivas y de ocio para impedir la saturación de la red registrada en algunas ocasiones en horario de trabajo…

    Se alguém tivesse a coragem de bloquear na administração pública portuguesa, o acesso a páginas desportivas, ao Messenger e Skype, bem como impedir a instalação de joguinhos tipo Solitário e o tráfego de Vídeos e PPSs; a produtividade aumentaria a olhos vistos e haveria muitos mais excedentários… Só tem dúvidas disto quem nunca trabalhou em departamentos públicos de rectaguarda. Afinal, num Estado absoleto e estagnado, como pensam que se passam as horas mortas ? Como ocupar aquela “multidão” no Ministério da Agricultura, onde há mais funcionários que agricultores ?

    E já agora, que farão os milhares de funcionários do Ministério da Defesa e de todas as Instituições militares e para-militares neste dias de “guerra intensa” ? Tetris ou Freecell ? Ou download de filmes ?

    Está visto que a senhora grávida vai ser criticada, por isto ou por aquilo, ou simplesmente porque está grávida, é mulher e manda na tropa.

    Gostar

  4. 24 Abril, 2008 15:01

    Mais.

    «Francisco Suárez Álamo
    Las Palmas de Gran Canaria

    Leo en la edición digital de El País el siguiente despacho de la agencia de noticias Europa Press: «El Ministerio de Defensa ha restringido el acceso de la mayor parte del personal militar y civil del Departamento a páginas web deportivas y de ocio para impedir la saturación de la red registrada en algunas ocasiones en horario de trabajo, prohibición que se ha extendido también a los Cuarteles Generales de los Ejércitos de Tierra, Aire y Armada. La prohibición de acceso afecta a páginas como los diarios deportivos Marca y As, la revista Interviú y a diversos portales de compras y de subastas, como el sitio eBay, especializado en compra-venta y subasta de todo tipo de artículos».

    Si el guionista Rafael Azcona estuviese vivo, seguro que a partir de esa noticia habría encontrado material más que suficiente para una de sus inteligentes comedias costumbristas sobre las andanzas de un Ejército cuyos integrantes no pueden leer las crónicas sobre la victoria del Real Madrid -que es de lo que viven Marca y As- o deleitarse con el despelote de Amor en las páginas de Interviú -lo de deleitarse es cuestión de gustos, como casi todo en esta vida-. Pero como Rafael Azcona, por desgracia, ya no habita entre nosotros, habrá que ponerse serios y llamar a las cosas por su nombre:censura en toda regla. Y lo que es peor, censura selectiva, pues no aclara el teletipo por qué no se puede consultar Interviú y sí la revista Zero, como también es un misterio por qué Marca y As quedan bloqueados y no así Sport y Mundo Deportivo, que se vuelcan a diario en el seguimiento del Fútbol Club Barcelona. ¿Será que no hay militares del Barça? ¿O será acaso porque la ministra de Defensa, Carme Chacón, es catalana? Seguro que no. ¿O sí?

    En todo caso, mal va el Ejército español si la primera medida del nuevo ministerio es fijar un filtro a los accesos a internet. Claro que mal va también si a nuestros soldados les sobra el tiempo para estar navegando en la red entretenidos en la lectura de la clasificación de fútbol y los diálogos no aptos para menores de las entrevistas (¿?) de Interviú a las señoritas y señoras que posan en su interior. Se supone que en un Ejército profesionalizado como el nuestro se les paga para asegurar la defensa del país y contribuir a la paz mundial, cosa que tiene poco que ver con abonarse al ocio digital.

    En todo caso, si Chacón no ha bloqueado el acceso de los militares a la edición digital de CANARIAS7, vaya desde estas líneas un saludo a quienes me lean en la edición digital. Y, de paso, que accedan a la Sección de Deportes, que también damos los resultados del Madrid y del Barça, y a la de Gente, donde a veces pueden tener suerte y se incluye una foto de una señora o un señor ligeros de ropa. »

    Gostar

  5. Gabriel Silva permalink*
    24 Abril, 2008 15:01

    mas é uma foto muito bonita.

    Gostar

  6. 24 Abril, 2008 15:06

    As Mulheres no poder.
    É um perigo como nunca mandaram, depois ficam mais papistas do que o papa.
    Isto não é para todas, mas é para a maioria.

    Gostar

  7. 24 Abril, 2008 15:09

    «mas é uma foto muito bonita.»

    Pode ser que sim, Gabriel, mas essa de proibir o exército espanhol de ler o Abrupto é que foi à traição. Isto ainda vai dar motivo para pedido de adiamento das directas…

    Gostar

  8. 24 Abril, 2008 15:11

    TrocaLetra… beleza o seu post ! Estamos mesmo no ano 2008 ?
    Sabe que a Margaret Thatcher só mandou nos exércitos de sua magestade, porque o MI5 descobriu ser transexual…

    Gostar

  9. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 15:22

    Ai as “modernices”, ó CAA… 😉 Isto é fantástico: se fosse um homem ministro a tomar essas medidas, estas não mereceriam um comentário do CAA, quanto mais um post. Era capaz de apostar que isso que o CAA chama de autoritarismo caduco à moda antiga, seria visto por todos simplesmente como uma medida básica de disciplina.
    Eu acho que a tipa vai andar aqui debaixo de olho. Em Espanha, a vigilância da patrulha à gaja é cerrada. Vão exigir à grávida insolente, a das “modernices” na parada, que mostre as suas capacidades de liderança, no mínimo invadindo outra vez a Inglaterra com a Armada Invencivel.

    Gostar

  10. 24 Abril, 2008 15:28

    Grande coisa, a gaja nem sequer chega aos calcanhares da Letizia que também está farta de passar tropas em revista! Como é da cor, fica tudo muito excitado. Bah!
    Nós já tivemos duas comandantes -em-chefe, as sras. D. Maria Francisca Isabel e D, Maria da Glória (Maria I e II) e ainda não li ninguém a vangloriar-se do feito. É a mania de espolinharem-se diante qualquer insignificância estrangeira. Aqui nunca houve Lei Sálica.

    Gostar

  11. JoãoMiranda permalink
    24 Abril, 2008 15:32

    A ministra devia ser demitida por incompetência. Então a rede de internet do exército não aguenta os acessos à Bola lá do sitio, e a ministra em vez de preparar a rede para um caso de tráfego excessivo por motivos militares, opta por proibir tráfego de natureza lúdica? E se a Espanha entrar em guerra, como é que vai ser?

    Gostar

  12. 24 Abril, 2008 15:37

    A nomeação da Senhorita foi recebiba por sectores feministas e “progressistas” como se tivessem ganho o Euromilhões.
    Agora, vão ficar corajosamente em silêncio!

    Gostar

  13. 24 Abril, 2008 15:37

    Oops errata “recebida”…

    Gostar

  14. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 15:41

    Quem está muito modernaço é o João Miranda.. reforçar a rede em vez de proibir o “tráfego de natureza lúdica”, na internet nas forças armadas, heim, ó JM? Coool… é um liberalão, este JM 😉 tou a gostar!

    Gostar

  15. 24 Abril, 2008 15:43

    Ao João Miranda. Se a Espanha entrar em guerra – com quem? -, a fulana nem vai ser vista, porque quem dará a cara é o João Carlos e o Filipe. Se houver alguma senhora a passar revista a tropas, decerto será a rainha Sofia ou a D. Letizia. Essa é que é essa… Tudo o mais, enfim, é para “óh patego, olh’ó balão!”…

    Gostar

  16. claudia permalink
    24 Abril, 2008 15:46

    Não partilho a visão de CAA ( às vezes acontece).
    Esta discordia não assenta apenas no facto de eu ser mulher,e a opinião do CAA me parecer machista, mas ajuda.
    Verdadeiramente compreendo a razão da restrições.

    Gostar

  17. 24 Abril, 2008 15:53

    «… as sras. D. Maria Francisca Isabel e D, Maria da Glória (Maria I e II) e ainda não li ninguém a vangloriar-se do feito.»

    Estourei de riso numa biblioteca pública, em Espanha, e até recebi uma série de silvos, em castelhano, para me silenciar.
    Estes monárquicos portugueses são impagáveis. Então as nossa ‘donas’ também já passaram revista às tropas mas há uma conspiração laico-jacobina-repúblicana-maçónica para esconder o facto?
    Somos precursores da pós-modernidade graças aos nossos monárquicos. Nem os Gatos Fedorentos se lembrariam de uma analogia destas…

    Gostar

  18. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 15:53

    Claudia, um dia, quando se esquecer que a grávida das modernices fez isto, o CAA vai fazer aqui um post a insurgir-e contra o facto de os funcionários públicos passarem o tempo que é pago com o nosso dinheirinho a navegar na internet, pondo mesmo em risco, no caso dos militares, a nossa segurança 😉

    Gostar

  19. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 15:54

    Isto só é notícia porque a senhora é mulher.
    Já em portugal foram mais radicais. Para não terem que adoptar qualquer espécie de “censura” não lhes deram acesso à internet. (e presumo que em muitos casos nem sequer a computador).

    Gostar

  20. 24 Abril, 2008 15:54

    Pressuposto: há acessos que são claramente abusivos em tempo de trabalho.
    Agora, alternativas práticas:

    – vigiar uma a uma o que cada pessoa está a consultar na net
    – eliminar totalmente o acesso à net
    – analisar um a um cada site, e em função disso permitir ou não a sua consulta
    – fechar algumas classes de sites, sendo que acontecerão seguramente situações de acesso abusivo ou de encerramento injusto.

    É escolher.

    Gostar

  21. Anónimo permalink
    24 Abril, 2008 16:00

    Moderno, mesmo moderno é militares, funcionários públicos, etc serem pagos para ler blogs, ver revistas e ler a bola na net e ninguém se importar, mesmo verificando que o tempo dedicado ao assunto é excessivo.

    Gostar

  22. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 16:01

    Presumo que os senhores ficariam absolutamente indignados se soubessem a quantidade de empresas que em portugal mandam instalar sistemas para evitar precisamente a mesma coisa.
    E até existem algumas que quando os informáticos reportam viagens por site porno instalam inquéritos internos.

    Gostar

  23. 24 Abril, 2008 16:02

    Cláudia,

    O meu raciocínio é, como sempre, simples: todas as namoradas que tive adorariam proibir-me o acesso a blogues e jornais desportivos; e à Interviú nem se fala.
    Agora que sou um homem casado tenho de estar sempre à defesa para conseguir ver um jogo de futebol em paz e sossego. Diariamente ouço recriminações contra os blogues. A Interviú não frequento.

    Donde, limitei-me a fazer uma interpretação extensiva (ainda longe da aplicação analógica do monárquico acima) para perceber aquilo que a ministra Chacón pretende…

    Gostar

  24. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 16:07

    Eu acho que a grávida, com isto tudo, pretende só chateá-lo, ó CAA. Não lhe ligue, pá.

    Gostar

  25. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 16:07

    Pois, CAA.

    Esse é que é o problema.
    Como é uma senhora fez uma interpretação extensiva de um trauma. Se a ministra fosse homem presumia-se que era uma eficaz medida de gestão.

    Gostar

  26. 24 Abril, 2008 16:11

    Lololinhazinha,

    «Se a ministra fosse homem presumia-se que era uma eficaz medida de gestão.»

    Se fosse um ministro-homem e proibisse o acesso a sites femininos era um abuso de autoridade e uma cretinice. Tal como agora o é.

    Gostar

  27. 24 Abril, 2008 16:12

    Porquê jornais desportivos? E blogues?

    Porque não outros tipos de jornais? E de sites?

    Gostar

  28. Anónimo permalink
    24 Abril, 2008 16:15

    Porquê jornais desportivos? E blogues?

    Porque não outros tipos de jornais? E de sites?

    CAA

    Quem refere que sao esses sites , é a noticia, pois a proibiçao é para tudo. A noticia para ter mais interesse como noticia é que resolveu referir esses sites, que se calhar descobriu o jornalista que era dos mais visitados. Mas proibido até ficou a pagina da santa sé.

    Gostar

  29. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 16:16

    Acrescento que em Janeiro deste ano a Câmara Municipal de Lisboa também anunciou a restrição de consultas na internet a cerca de 30 sites.
    No entanto, como não deviam ter dinheiro para pagar aos técnicos informáticos, acho que a restrição ainda não está em vigor.

    Gostar

  30. JMM permalink
    24 Abril, 2008 16:16

    Uma curiosidade: eu que yttrabalho numa empresa privada, tenho idênticas restrições relativamente aos jornais desportivos e a uma série de blogues, entre os quais, o YouTube. Medida para não diminuir a produtividade. Estou de acordo.

    Gostar

  31. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 16:17

    Como o Presidente da Câmara de Lisboa é homem a restrição não suscitou aqui qualquer comentário.

    Gostar

  32. Nuspirit permalink
    24 Abril, 2008 16:18

    O problema não está em fazer uma restrição. O Problema está em restringir jornais desportivos. É mesmo de quem não percebe mesmo nada de estratégias e tácticas militares. Basta conhecer um mínimo para saber que o treino militar é tanto mais bem sucedido quanto maiores forem os conhecimentos desportivos, em particula o futebol. É o que dá ser ministra da defesa sem nunca ter feito o serviço militar obrigatório.

    Gostar

  33. JMM permalink
    24 Abril, 2008 16:19

    E não, não me parece que seja autoritarismo. A questão é a quantidade de elementos masculinos (repito, masculinos) que outrora ‘entupiam’ a net com consultas a esse tipo de informação.

    Gostar

  34. 24 Abril, 2008 16:20

    Não foram apenas esses sites ela expressamente referiu: restringir el acceso à aquel blog mui venenoso el Blafémias, por supuesto

    Gostar

  35. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 16:24

    Um blog português indignado com medidas de gestão puramente admnistrativas e disciplinares nas forças armadas espanholas, é um case study. Um dia destes, vão descobrir que a grávida mandou os funcionários da terceira circunscrição militar da andaluzia substituir os formulários B52, pelos formulários B56, obrigando-os a fazer horas extraordinárias, e temos aqui um post. Ou talvez venhamos a descobrir aqui no blasfemias que o soldado Ramon Gonzalez do quartel de Murcia, foi obrigado a estar mais duas horas na guarita da sentinela do que estava previsto na sua folha de serviço. Eu acho que estes abusos de poder deviam ser denunciados à Amnistia Internacional.

    Gostar

  36. Gabriel Silva permalink*
    24 Abril, 2008 16:24

    Diz Nuno Castelo-Branco,

    «Aqui nunca houve Lei Sálica.»
    A sério?
    Se se refere, ao facto de se dar precedência a machos em vez de fêmeas, ainda que mais velhas, na sucessão dinástica, convirá estudar um pouco melhor história portuguesa.

    Gostar

  37. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 16:27

    Suponho que o incidente proporcionado por esse gesto autoritário e limitador do direito à informação durante o horário de trabalho e com os meios do empregador só dá que falar quando acontece em espanha e não na Câmara municipal de lisboa.

    Gostar

  38. Nuspirit permalink
    24 Abril, 2008 16:32

    Basta olhar para a cara da senhorita Carme Chacón para se perceber que está ali a prepotência em pessoa.

    Gostar

  39. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 16:40

    Se a Hillary ganhar as eleições todos os dias vamos ter uma série de posts que nos eludicem sobre os motivos pelos quais as mulheres não devem ter cargos de poder.

    Gostar

  40. Tribunus permalink
    24 Abril, 2008 16:54

    O problema, não è estar gravida, ser mulher, mandar costar na net! O problema, está que o Zapatero, nomeou, para ministra da defesa, uma fulana que no seu curriculum, não tem nada a ver com
    a defesa (marinha, exercito e força aerea).
    O grave disto, è que estes factos, nascem de idiotas socialistas
    que fazem divorcio no minuto e outras parvoices no genero!
    Afinal para provar, que os socialistas são burros…………

    Gostar

  41. piscoiso permalink
    24 Abril, 2008 16:56

    Tretas.
    Os sites mais visionados a partir dos quartéis, são pornográficos !

    Gostar

  42. jofer permalink
    24 Abril, 2008 16:58

    Se J. Miranda fosse militar espanhol estava tramado. Só blogava ao fim de semana…

    Gostar

  43. J.Pereira permalink
    24 Abril, 2008 17:00

    O Bono do comentário foi ministro de Defesa de Zapatero ,tendo-se demitido por divergências quanto à “política territorial”do Governo.
    É o actual Presidente das Cortes Espanholas – e não tem nada de profeta…
    Ou muito me engano ou estava a referir-se ao “artista” que usa as “causas” em moda como marketing promocional…

    Gostar

  44. jofer permalink
    24 Abril, 2008 17:06

    “Uma fulana que no seu curriculum, não tem nada a ver com
    a defesa (marinha, exercito e força aerea).”

    Qual era o curriculum do Paulinho das feiras que nunca foi militar e provavelmente nem sabia diferenciar um morteiro de um canhão sem recuo…ou de um F16 de um Alfajet..

    Gostar

  45. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 17:08

    http://es.wikipedia.org/wiki/Carme_Chac%C3%B3n

    Talvez isto acrescente alguma coisa.

    Isto, e o facto de ser apontada como a possível sucessora de Zapatero.

    Gostar

  46. jofer permalink
    24 Abril, 2008 17:08

    Caro tribuno
    o eseu espelho está co brilho a mais…

    Gostar

  47. jofer permalink
    24 Abril, 2008 17:08

    Caro tribuno
    o seu espelho está com brilho a mais …

    Gostar

  48. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 17:09

    Até parece que a senhora não tinha curriculo político.

    Gostar

  49. Luis Moreira permalink
    24 Abril, 2008 17:26

    Se há um ataque armado a Espanha, o pessoal está todo na internet a ver uma invasão de marcianos ao porche do 007!

    Gostar

  50. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 17:27

    E está ali em cima um gajo muito indignado com o facto de o primeiro ministro de um outro país ter nomeado para a defesa, uma pessoa, segundo ele, sem experiência de questões de defesa! E ele zanga-se mesmo com isto, o que é extraordinário!

    Gostar

  51. 24 Abril, 2008 17:27

    «Quem refere que sao esses sites , é a noticia, pois a proibiçao é para tudo. A noticia para ter mais interesse como noticia é que resolveu referir esses sites, que se calhar descobriu o jornalista que era dos mais visitados. Mas proibido até ficou a pagina da santa sé.»

    Não percebi isso. Aliás o protesto da ‘Marca’, em papel, pergunta porque só os jornais desportivos e não os outros.

    Gostar

  52. 24 Abril, 2008 17:30

    J.Pereira,

    «O Bono do comentário foi ministro de Defesa de Zapatero ,tendo-se demitido por divergências quanto à “política territorial”do Governo.
    É o actual Presidente das Cortes Espanholas – e não tem nada de profeta…
    Ou muito me engano ou estava a referir-se ao “artista” que usa as “causas” em moda como marketing promocional…»

    Sei que há 2, o espanhol e o dos U2. No contexto julguei que era este último. Espero não me ter enganado senão aparecem aqui outra vez os ‘anónimos-pseudónimos do tolinho’ a exigir a lapidação.

    Gostar

  53. 24 Abril, 2008 17:31

    JMM,

    «Uma curiosidade: eu que yttrabalho numa empresa privada, tenho idênticas restrições relativamente aos jornais desportivos e a uma série de blogues, entre os quais, o YouTube. Medida para não diminuir a produtividade. Estou de acordo.»

    E os blogues? Não está a trabalhar pois não?

    Gostar

  54. 24 Abril, 2008 17:36

    «… o problema são os jornais desportivos»

    Claro que sim. Já houve pronunciamentos militares com causas bem mais singelas.

    Gostar

  55. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 17:42

    CAA,

    Isso é uma prática comum. E nem sempre com más intenções ou de forma injustificada. Veja o meu caso: deixei de conseguir entrar no Portugal Contemporâneo através do computador do meu escritório. É óbvio que só podem ter sido os meus sócios que me vedaram o acesso para auto-protecção minha!

    Gostar

  56. Anónimo permalink
    24 Abril, 2008 17:44

    Já começa a cansar gente burra

    Gostar

  57. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 17:50

    Fórum de discussão do Blasfemias:

    que sites devem proibidos ou autorizados aos magalas espanhóis? Porquê só os jornais desportivos? E o rancho deve incluir ervilhas?

    Gostar

  58. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 17:54

    Contribuição para o forum de discussão:

    O tal rancho seria cozinhado por um homem ou por uma mulher?

    Gostar

  59. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 18:00

    Eu acho que devia ser cozinhado pela grávida, a ver se aprendia qual o papel dela em questões de defesa. Nessas coisas das panelas deve a grávida ter experiência.

    Gostar

  60. Anónimo permalink
    24 Abril, 2008 18:25

    “E já agora, que farão os milhares de funcionários do Ministério da Defesa e de todas as Instituições militares e para-militares neste dias de “guerra intensa” ? Tetris ou Freecell ? Ou download de filmes ? ”

    Curiosamente, a mulher grávida e não a ministra (é assim que se referem aqueles que a defendem) é a favor de mais produtividade – ou seja, mais guerra.

    Gostar

  61. caramelo permalink
    24 Abril, 2008 18:31

    A gaja quer guerra, quer, ó pá! As mulheres quando ficam grávidas às vezes ficam assim mesmo malucas de todo.

    Gostar

  62. Curiosamente permalink
    24 Abril, 2008 18:31

    Curiosamente, aqueles que atacavam PArroja por dizer que uma mulher ganha autoridade sendo Mãe, agora que CAA expôs uma medida ridícula, são os que defendem a Grávida Ministra.
    Não se pode criticar esta ministra porque ela está gravida e se apresenta como tal

    Gostar

  63. J.Pereira permalink
    24 Abril, 2008 19:59

    CAA

    Garanto-lhe que o comentário foi do Pepe Bono.
    O tal a quem acusavam de seguir a política de Aznar quanto à unidade do território espanhol…

    Gostar

  64. JMM permalink
    24 Abril, 2008 21:04

    CAA,

    abro uma excepção ao Blasfémias. De quando em vez e para não perecer estúpido à beira de uma secretária…

    Gostar

  65. Lololinhazinha permalink
    24 Abril, 2008 21:41

    “Não se pode criticar esta ministra porque ela está gravida e se apresenta como tal”

    Curiosamente,

    Errado! O que não se deve é presumir que a mulher só é ministra pelo facto de ser mulher e estar grávida. Aliás, aqui nem sequer ninguém se deu ao trabalho de a criticar. Limitaram-se a criticar o homem que a escolheu.

    Gostar

  66. Micas permalink
    24 Abril, 2008 22:55

    Só para informar que no banco onde eu trabalho há muito que deixou de ser possivel, por exemplo, aceder a jornais desportivos (específicamente), todo o tipo de sites ou de registos de “streaming media” (youtube e videos noticiosos, por exemplo), endereços de emails e a sites de conteudo pornografico. Alegadamente devido a problemas de congestionamento da rede… Não sei. O que sei é que a restrição a blogs é feita casuisticamente. Para vossa informação, isto não se passa só no meu banco, noutros também e ainda em muitas outras empresas, sobretudo nas de grande dimensão.
    O que me deixa perplexa é chegar aqui e ver posts como este, isso sim.

    Gostar

  67. 24 Abril, 2008 23:03

    E claro a Micas acha muito bem, não é?
    Isto está a ficar um estudo sociológico engraçado.

    Gostar

  68. Micas permalink
    24 Abril, 2008 23:26

    Não, CAA, por acaso não acho. Detesto paternalismos, vê?

    Gostar

  69. Micas permalink
    24 Abril, 2008 23:34

    Isto é, se existir uma razão objectiva (por exemplo questões de tráfego ou seja lá o que for), aceito, podendo ou não concordar.
    Agora andarem atrás dos blogues que as pessoas consultam, para os bloquearem, um a um, ou é paternalismo ou é autoritarismo ou é censura…
    A mim é-me totalmente indiferente o género de quem depende a tomada de decisões.
    Agora vc, CAA, já não poderá dizer o mesmo, n’est-ce pas?…

    Gostar

  70. MJP permalink
    24 Abril, 2008 23:41

    E quem tem aquela profissão em que não se faz nada e só se tem regalias, pode-se aceder à net e ler jornais? Claro que estou a falar dos professores, para estes CAA também acha que é autoritarismo? pois estou a ver que o horário curto afinal serve para alguma coisa…
    Os professores não trabalham pouco, acho é que quem aproveita o tempo de emprego para distrações, trabalha pouco. É que os sites, blogues, jornais e revistas são como as cerejas, e depois de um vem sempre outro.

    Gostar

  71. Curiosamente permalink
    24 Abril, 2008 23:46

    Micas Diz: ” Não, CAA, por acaso não acho. Detesto paternalismos, vê? ”

    E maternalismos, não detesta ?

    Curiosamente, neste caso da Grávida é de maternalismo que se trata. Curiosamente, ou não, chamar paternalismo a uma atitude de uma Grávida e Ministra parece-me claramente fugir com o rabo à seringa. Mesmo sendo de uma excelsa senhora, o maternalismo obrigatório.
    E o dito rabo.

    Micas Diz: ” Agora andarem atrás dos blogues que as pessoas consultam, para os bloquearem, um a um, ou é paternalismo ou é autoritarismo ou é censura… ”

    Curiosamente, é a segunda vez que quer conotar o paternalismo como algo mau, ainda por cima feito por uma mulher.
    Outra vez ? É maternalismo, não paternalismo. É uma ministra. Tenha honra no seu sexo e no maternalismo. 😉

    Micas Diz: ” A mim é-me totalmente indiferente o género de quem depende a tomada de decisões. Agora vc, CAA, já não poderá dizer o mesmo, n’est-ce pas?… ”

    Nota-se, ehe, 🙂
    Curiosamente, não sei se o CAA poderá dizer o mesmo, mas curiosa e provadamente quem não pode é a Micas.
    Teima em conotar com o género masculino, uma atitude de uma Mulher, Mãe, e Grávida.

    Gostar

  72. Micas permalink
    24 Abril, 2008 23:53

    Curiosamente, vc tomou quantos cafés depois de jantar??? 😉

    Gostar

  73. Curiosamente permalink
    25 Abril, 2008 01:19

    Micas Diz: ” Curiosamente,
    vc tomou quantos cafés depois de jantar??? ”

    Como adivinhou? Ahhh, foi o seu instinto paternalista , quer cuidar de mim.
    Ok, convenceu-me.

    Quanto ao cafezinho, adorarei tomar consigo noutro dia, ou noite, com mais bom tempo e vagar, sabendo desde já que sou comprometido, portanto nada de malandrices.

    Gostar

  74. Curiosamente permalink
    25 Abril, 2008 01:38

    “Não se pode criticar esta ministra porque ela está gravida e se apresenta como tal”

    Lololinhazinha Diz: “Curiosamente,
    Errado! ”

    Não estou nada errado, Lololinhazinha.
    Todos ou quase , a defenderam porque era uma mulher, e estava grávida.
    Veja o comentário do JMiranda, sobre a competência dela, que nem sequer foi respondido, curiosamente.

    Mas, tal como Dupont e Dupond, digo mais.

    O JMiranda , quando disse que se a largura de banda do exercito espanhol é tão fraca assim, ela devia era alargar a largura de banda e não baixar a moral das tropas (ok, isto é meu) , deixando os pobres soldados sem saber os resultados do Barcelona, e a capa da Intervieu.
    Faço notar, que aumentar artificialmente a largura de banda de um server, embora eu não o saiba fazer, sei que é extremamente fácil para um hacker de terceira .
    A medida dela, também fez baixar a moral das tropas, e aumentar a ansiedade dos soldados (e quem sabe, das soldadas, gostar de futebol é também um gosto de mulheres ) , não resolve o problema da falta de largura de banda, e expõe o exercito madrileno, a ataques de separatistas bastos (que dantes não conheciam esse problema), a monges tibetanos, e a terrosistas como os da atocha.
    Uma tristeza, a meu ver.
    Até alertou presumíveis terroristas (fora quaisquer miúdos informáticos) que a exército não tem largura de banda .

    Gostar

  75. 25 Abril, 2008 03:11

    Curiosamente, a mulher grávida e não a ministra (é assim que se referem aqueles que a defendem) é a favor de mais produtividade – ou seja, mais guerra. (Anónimo Diz: 24 Abril, 2008 às 6:25 pm )

    Aqueles que a defendem, enfatizam propositadamente o machismo de quem ataca a ministra simplesmente por ser mulher, estar grávida e ter a ousadia de mandar na tropa e agora até de acabar com actividades ociosas nas horas de serviço.

    …É a favor de mais produtividade, não obrigatoriamente mais guerra. É pura demagogia reduzir a actividade das forças armadas à guerra (e neste momento, em tempo de paz!) O exército tem também funções defensivas e preventivas; precisa de se treinar e preparar para uma eventualidade; em muitos casos colabora em ajudas a calamidades.
    Na verdade, se os funcionários desta área nada têm para fazer, melhor seria mandá-los para casa, do que gastar o dinheiro dos contribuintes para passarem o dia a “surfar na net”.
    Curioso como se ataca a medida, sem qualquer justificação para além de “dar uma de machista”, quando grande parte das melhores empresas portuguesas já faz esse controle. A diferença é que a maioria dos gestores não são mulheres grávidas…

    “E porquê os diários desportivos? ”
    Como se sabe, é facílimo de controlar numa rede de empresa, quais os conteúdos mais vistos, e aqueles que nada terão a ver com a actividade desse organismo. É claro que estes sites desportivos estarão em lugares cimeiros.
    Gostaria de saber se o CAA, caso gerisse uma empresa, pagaria aos seus empregados para passarem os dias a “brincar” com a net? Seria curioso alguém fazer um estudo científico sobre esta matéria, avaliando o número de horas gastas nas empresas em excurções cibernéticas, conversas de messenger e leitura de emails repassados. Algumas pessoas não íam acreditar nos números !

    Gostar

  76. Curiosamente permalink
    25 Abril, 2008 17:41

    Carlos Diz: “Aqueles que a defendem, enfatizam propositadamente o machismo de quem ataca a ministra simplesmente por ser mulher, estar grávida ”

    Já respondi, Carlos, e não há volta a dar, com muita pena minha :
    ” Não se pode criticar esta ministra porque ela está gravida e se apresenta como tal ”

    A que agora se acrescenta com o seu comentário : Quem atacar a ministra , vai ser logo chamado de machista porque ela é mulher, e pior (passe o termo) : está grávida.

    Gostar

  77. Curiosamente permalink
    25 Abril, 2008 18:00

    Carlos Diz: “…É a favor de mais produtividade, não obrigatoriamente mais guerra. É pura demagogia reduzir a actividade das forças armadas à guerra (e neste momento, em tempo de paz!) ”

    Novamente, ninguém reduziu as funções das tropas a nada. Agora reduzir as actividades das forças armadas a outras funções que não a principal, é que é redutor, e até , perigoso.

    Carlos Diz: “O exército tem também funções defensivas e preventivas; precisa de se treinar e preparar para uma eventualidade;”

    Curiosamente, não estou aqui em discursos de circunstancia ou politicamente correctos .
    Defensivas de quê ? De guerra.
    Preventivas de quê ? De guerra
    Eventualidade de quê ? De guerra.

    Já agora, a espanha tem forças no iraque ou no afeganistão, e boznia, e por isso, dizer “em tempo de paz”!, é errado. Para ser preciso, a espanha não declarou guerra a ninguém, mas se tirar os discursos de circunstancia, é evidente que são operações de guerra. Até as tropas portuguesas de “patrulhamento no Iraque”, não entram em combate, mas são operações de guerra , no fundo.
    Ou será que aquilo está tudo em paz, lá para aquelas bandas ?

    Gostar

  78. Curiosamente permalink
    25 Abril, 2008 21:36

    CAA Diz: ” Isto está a ficar um estudo sociológico engraçado.”

    CAA, ainda não viu nada. Não fosse o post descer e deixar de estar viisivél, teríamos mais e melhor.

    Por exemplo, e sàlta a vista algures numas contradições (com ajuda de outro post)
    Será que os que defendem a ministra grávida, são
    a) contra as grávidas
    b) a favor das grávidas ?

    Curiosamente, a resposta é a primeira, mas os tais feminismos modernos e sei lá quem, toldam-lhes a vista.

    Gostar

  79. Micas permalink
    26 Abril, 2008 00:54

    “Quanto ao cafezinho, adorarei tomar consigo noutro dia, ou noite, com mais bom tempo e vagar, sabendo desde já que sou comprometido, portanto nada de malandrices.”

    Nada de malandrices, não senhor, que eu já tenho problemas que cheguem! 😉

    Com que então “feminismos modernos”. Que pena o post ir descendo com o correr dos dias, porque isto do feminismo moderno dava pano para mangas.
    Talvez numa próxima…

    Gostar

  80. Curiosamente permalink
    26 Abril, 2008 02:02

    “Quanto ao cafezinho, adorarei tomar consigo noutro dia, ou noite, com mais bom tempo e vagar, sabendo desde já que sou comprometido, portanto nada de malandrices.”

    Micas Diz: ” Nada de malandrices, não senhor, que eu já tenho problemas que cheguem! 😉 ”

    Sério? Poderemos falar disso, se o entender. Sou bom ouvinte, mas com uma condição que é pagar o cafezinho 😉
    Ahhh, e não me deixa tomar mais que um, ok ?

    Micas Diz: “Com que então “feminismos modernos”. Que pena o post ir descendo com o correr dos dias, porque isto do feminismo moderno dava pano para mangas. ”

    Quando quiser, Micas. Gosto mais de falar de outras coisas, como as diatribes económicas do JMiranda, mas falarei com a Micas. Irei até me documentar, pois é interessante e aborda temas monetários, além de amor, acho eu .
    Entretanto , estou a ver um filme chamado “American Dreamz”. Gosta ? É com o Hugh Grant.

    Gostar

  81. Anónimo permalink
    28 Abril, 2008 14:57

    Ahh ? Isto calmamente voltou ?

    Gostar

  82. Sarrubeco permalink
    15 Janeiro, 2009 00:46

    Quanto eh que a Marinha poupou ao nosso Pais com o afastamento do navio petroleiro Prestige que os amigos franceses e espanhois atiraram para cima de nos
    Quem andou a mergulhar em entre os rios ah procura de mortos e a arriscar a vidinha
    Quem foi buscar trezentos e tal portugueses ah Guine em 1998 e os safou da morte certa
    Quem mapeou a plataforma continental atlantica que nos vai dar muito dinheiro no futuro proximo
    Quem traz prestigio a este Pais em Timor, Kosovo, etc etc etc em apoio ah nossa diplomacia e que muito jeito deu para apoiar a independencia de Timor Leste
    Defendam as vossas Forcas Armadas porque eh bem capaz de ser a unica e ultima instituicao verdadeiramente sehria neste Pais sem valores e do chico espertismo

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: