Saltar para o conteúdo

Alguém me explica porque é que…

17 Outubro, 2010
by

…dizer o óbvio – que a sociedade multicultural falhou na Alemanha – é lançar “nova acha para a fogueira”? Será por se acreditar no mito do multiculturalismo?

Anúncios
45 comentários leave one →
  1. Euroliberal permalink
    17 Outubro, 2010 23:03

    Não se preocupe. As projecções demográficas provam que daqui a 50 anos a Europa será pacíficamente islâmica e então acaba-se a multiculturalidade, que tanto o incomoda…

    http://il.youtube.com/watch?v=JWErYjdbOE0&feature=related

    Gostar

  2. FCR permalink
    17 Outubro, 2010 23:25

    1º, o Islão é uma religião de Paz.
    2º, o que parece é que os “ocidentais” gostam muito de ver (só) televisão…marcam poucos “golos”.

    Gostar

  3. Euroliberal permalink
    17 Outubro, 2010 23:42

    A rede da mafia traidora (desta multiculturalidade de sayanim, é que JMF gosta):
    http://www.facebook.com/#!/video/video.php?v=1403051805656

    Gostar

  4. jones permalink
    18 Outubro, 2010 00:36

    a sociedade unicultural nazi falhou bastante mais por isso diria que até estão a fazer um belo trabalho

    Gostar

  5. 18 Outubro, 2010 00:44

    Talvez já seja tarde demais, dada a cegueira imposta pelas contingências constitucionais nalguns países continentais, ou os imbricados esquemas legislativos no Reino Unido. As pequeno-burguesas certezas fazem o resto, impedindo uma clarificação e a legitimidade da supremacia da Lei sobre o livre arbítrio, coisa difícil de entender ou aceitar por quem coloniza terra alheia. O facto do desabafo ter vindo de Merkel e não de uma figura de terceira ordem holandesa ou da Escandinávia, indicia algo de muito mais sério. A actual situação ameaça uma catástrofe que dentro de alguns anos, poderá emular outras ainda presentes na memória de uma geração que era muito jovem no início da segunda metade do século XX. Uma crise económica profundíssima, a desagregação da sociedade e o sentido de cerco que conduz ao generalizado medo, eis a amálgama que conduz ao desastre.

    Gostar

  6. tric permalink
    18 Outubro, 2010 01:19

    ao contrario do que se passa por essa Europa fora…em Portugal o problema nao e de islamizaçao mas sim um gravissimo problema de Judaizaçao da sociedade!

    Gostar

  7. Portela Menos 1 permalink
    18 Outubro, 2010 01:51

    Parece que o Presidente alemão não pensa como Merkel nem como um anterior director do Público.

    Gostar

  8. Ala Dura permalink
    18 Outubro, 2010 01:56

    Quem diz a verdade não merece castigo. E é óbvio que multiculturalismo = aumento dos conflitos sociais, tal como é óbvio que a este ritimo de invasão, nós portugueses, espanhois, franceses, italianos, alemães, belgas, ingleses seremos minoria na nossa própria terra e aí os traídores que cá colocaram estes invasores vão estar contentes, tal como o Soares, que dizia os africanos eram nossos irmãos, tudo treta, eles são extra-europeus e não são integráveis na nação portuguesa, que sempre foi europeía nativa.
    Portugal aos portugueses
    Europa aos povos europeus

    Gostar

  9. 18 Outubro, 2010 03:12

    Obviamente, falhou em todo o lado.
    UK, Holanda, França, Bélgica, Suécia, etc………..

    Felizmente, os cidadãos europeus começam a acordar da intoxicação mediática e “progressista” dos defensores da selvajaria islâmica, que querem imposta na Europa.
    Os últimos resultados eleitorais na Suécia, Holanda, UK demonstram sem margem para dúvidas que a Europa ainda se pode ver livre da selvajaria e continuar civilizada.
    Para os amiguinhos do islão, verdadeiros doentes mentais que têm a lata de dizer que o islão é uma “religião” de paz (apesar de andar a assassinar inocentes há 1400 anos..), têm sempre a hipótes de ir viver para o Irão ou líbia…se tiverem coragem, que obviamente, não têm

    Gostar

  10. Simão permalink
    18 Outubro, 2010 03:15

    Felizmente o Sr.Castelo-Branco tem razão.
    Só que eu não lhe chamaria “catástrofe”.

    Deixar pousar…

    Por enquanto, ainda, estamos nos “tempos do moucho”….

    Gostar

  11. Nuno permalink
    18 Outubro, 2010 04:41


    A Europa, mais tarde ou mais cedo – mas a relativamente curto prazo -, vai acordar. Aliás, já está acordada e não vai ser possível dar o brinde ao “islão” de incluir a Turquia na Europa, com ou sem União.
    Os muçulmanos vão ser corridos para as terras deles por que, na Europa, ninguém quer o esterco deles. A corrida é capaz de começar por causa do Irão, embora a Turquia esteja a preparar-se para encher os fornos com os perús (turkeys) no Natal, se não neste no próximo.
    Os pretos são outro problema. Eles são racistas e cheios de soberba, mas sabem que se não se põem a pau são varridos à cacetada. O grave é que já estão muito misturados com as economias Europeias e têm muito dinheiro à custa da exploração humana, do ouro, das pedras preciosas e… das drogas.
    Cheiram a catinga…
    Nuno

    Gostar

  12. Arlindo da Costa permalink
    18 Outubro, 2010 05:14

    SE OS ALEMÃES NÃO ABRIREM O OLHO AINDA ACORDAM UM DIA VIRADOS PARA MECA!

    Gostar

  13. 18 Outubro, 2010 08:22

    O papão parece ser o Islão.
    Mesmo o mais multicultural dos paises e o campeão da liberdade EUA, anda com alergias ao Islão.
    Mas isso passa, desde que os árabes paguem bem.
    Lá pela Europa central, parece ser agora os ciganos a a fazerem urticária.
    O Hitler já tentou acabar com eles, em vão.
    É só enquanto não aparece alguém daquela etnia a untarem-lhes os bolsos.

    Gostar

  14. Tiradentes permalink
    18 Outubro, 2010 09:30

    Acho graça a um tuga falar da multiculturalidade americana quando até num país de meia dúzia de km chamam bimbos aos do norte do foculporto como sendo todos corruptos compradores de árbitros e mouros arrogantes corruptos de comissões disciplinares.
    Deve ser uma questão de tias.

    Gostar

  15. Euroliberal permalink
    18 Outubro, 2010 09:37

    Alguns nazos renitentes não estão a perceber…A Europa será islâmica pacíficamente: Isto é, serão os próprios europeus a converterem-se ao islão, sem invasões nem conversões forçadas, efeito reforçado pela grande fertilidade das famílias muçulmanas. É o que já está a acontecer. Pretendem esses nazos proibir a liberdade religiosa e a livre concorrência entre religiões ? Alías, o mesmo se passou no Al Andaluz. Tarik veio com (só) 7000 soldados berberes. E em três anos toda a península era islâmica (a reconquista durou 8 séculos !!!!). Porquê ? Porque foi pacífica. Os habitantes hispano-romanos não foram expulsos e arabizaram-se, na língua e costumes, mantendo a religião cristã (moçárabes) ou convertendo-se ao islão (muladis). Lembrem-se que o islão era a civilização mais brilhante da época…Os habitantes do Al andaluz eram maioritariamente hispânicos. Só uma minoria era árabe-berbere.

    Gostar

  16. 18 Outubro, 2010 09:53

    Sera que a Alemanha nao esta como a França a querer correr com os estrageiros cidadaos de pleno direitos ja nascidos muintas vezes no proprio pais nao sera isto uma forma de racismo mas mais moderno.

    Gostar

  17. John John permalink
    18 Outubro, 2010 10:31

    Está-se mesmo aver, os apologistas do ódio religioso e racial a esfregarem as mãos… Mas eu acredito na humanidade e no ser humano. Sei que, na sua grande maioria (e cada vez mais), ele só quer a paz e a felicidade, para ele e para os outros. Correr os pretos à cacetada ou insultar o islão, são estratégias que não resultam, a menos que não haja brancos no mundo não branco e cristãos nos outros lados. Quanto à multiculturalidade, é um conceito sociológico como outro qualquer, diz respeito aos homens e às suas relações, é um processo. E enquanto tal, está em curso, não terminou e provavelmente é o futuro porque a terra, vista de cima, não tem fronteiras…

    Gostar

  18. Gabriel Mithá Ribeir permalink
    18 Outubro, 2010 10:52

    O melhor que poderiam acontecer aos islâmicos (cuja esmagadora maioria é pacífica e até predisposta a uma maior aproximação em relação ao ocidente), ou mesmo (abandonando o critério religioso) aos africanos e, com algumas excepções, asiáticos, era os europeus perderem a inexplicável vergonha na sua história (interna e, sobretudo, na relação secular com os outros povos de fora do continente) e recuperarem a dignidade da sua cultura e valores. Eles hoje nem de longe se confundem com os de há meio século. A Alemanha (por razões sabidas) e as ex-potênciais coloniais (Portugal, Inglaterra, França, Bélgica e, embora menos, Holanda e Itália) são elementos chave nesse processo. Mas é a Europa inteira (embora a Rússia seja um ponto de interrogação) que necessita de uma revisão histórica e cultural profunda pela qual meio mundo desespera. Era a versão europeia da obamamania, mas bem mais exigente e complexa, precisamente por exigir o reconhecimento, sem ambiguidades, da dignidade dos outros. E é isso que é difícil. Porém, a ser feita, com resultados bem mais duradouros do que a obamamania. Só a cegueira politicamente correcta impede que os europeus – de direita ou de esquerda – vejam o óbvio. Quem pensa que a Europa está em declínio não era mau que, uma vez por outra, experimentasse colocar a hipótese inversa.

    Gostar

  19. Euroliberal permalink
    18 Outubro, 2010 11:18

    A demografia é como o futebol, quem não marca, perde… E as civilizações decadentes perdem sempre…está nos livros…

    Gostar

  20. jones permalink
    18 Outubro, 2010 11:18

    quando o primeiro português for incendiado numa estação de metro nessa europa fora as opiniões dos moralistas de plantão vão mudar

    Gostar

  21. joao permalink
    18 Outubro, 2010 11:43

    Qual é o problema de a europa se tornar islamica em 2 ou 3 gerações ? afinal de contas, não nos dizem ( os intlectuais e politicos e os media ) diáriamente que o islão é uma religião de paz ? e que a nossa civilização e religião cristã está cheia de defeitos. Viveremos todos em paz ( excepto as mulheres, os ateus, os não muçulmanos , os homosexuais ealgumas outras minorias ) …Alah-a-kbar

    Gostar

  22. Euroliberal permalink
    18 Outubro, 2010 12:15

    João, nos países muçulmanos há muitas mulheres realizadas sem vibradores (por isso é que crescem tanto), alguns ateus, muitos não muçulmanos, tantos homossexuais como noutros países (quem visita esses países topa, o que não há é decadentes gay prides). E os mouros não têm culpa que os decadentes ocidentais tenham deixado de gostar da “coisa”… da real, porque da virtual….

    Gostar

  23. _oquesepassa_ permalink
    18 Outubro, 2010 13:55

    porque parece obvio que dizer o que a sra merkel disse e para agradar os mais conservadores do partido e um piscar de olhos as eleiçoes que se avisinham… porque parece obvio que a europa vive neste momento uma grande crise de valores, e, a historia ja nos ensinou que este tipo de discurso pode ser perigoso.

    Porque parece obvio que se a integraçao falhou na Alemanha, nao e certamente devido aos imigrantes que vao para la contribuir para o pais e tambem me parece obvio que a Sra. Merkel ao ter este tipo de discurso nos media alimenta odios recalcados contra quaisquer tipo de imigrantes…

    Gostar

  24. JJ Pereira permalink
    18 Outubro, 2010 14:06

    Com a falência e a não muito distante implosão dos Estados Unidos (até quando?…) da América, fabricantes, grossistas e exportadores destas , e outras , vigarices – black vote obliged…- com a Alemanha fartíssima de ser o bode expiatório, e pagante, de toda a sarrabulhada europeia da primeira metade do sec.XX, com a águia imperial Russa renascida e pronta a um “acordo de intenções” com os herdeiros prussianos ( talvez o único “bloco” credível face à quase”omnipotência” chinesa) não há espaço, vontade ou dinheiro para charlatanismos “progres”.

    Gostar

  25. pvnam permalink
    18 Outubro, 2010 14:15

    -» Aqueles [parvos-à-Sérvia] que pretendem ficar à mercê do pessoal (africanos, islâmicos, etc) que anda numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios… que façam bom proveito: tchau!… Contriando a Nova Inquisição que anda por aí… aqui vai: TODOS DIFERENTES!… TODOS IGUAIS!…… Assim sendo: há que mobilizar aquela minoria de nativos europeus – que possui disponibilidade emocional para lutar por um projecto de luta pela sobrevivência – para o SEPARATISMO-50-50

    P.S: A Superclasse (alta finança internacional) ambiciona um Neofeudalismo… consequentemente, como seria de esperar, um dos seus lemas é “dividir/dissolver Identidades para reinar…”. A Nova Inquisição é patrocinada pela Superclasse (eles controlam os Media e não só). A Superclasse não quer pessoas COM MOTIVAÇÃO para lutar por valores (eles querem é carneiros fáceis de escravizar)… consequentemente, na sequência de Angela Merkel ter dito que «o multiculturalismo está a falhar na Alemanha»… a imprensa internacional lança uma notícia bombástica: «O universo têm os dias contados» [“”que raio, existe por aí muito pessoal que já não se assusta com a teoria do aquecimento global””].

    Gostar

  26. Euroliberal permalink
    18 Outubro, 2010 14:39

    Está a esquecer o Califado, centrado no Golfo, os tigres asiáticos, a India, o Brasil, isto é quase todo o mundo emergente, excepto o Ocidente em recessão terminal. Talvez seja melhor vir um novo Al Andaluz para arrancar a Europa à decadência moral e de valores e provocar um novo renascimento. De qualquer modo a nova superpotência, a China, não tem centenas de bases militares nos cinco continentes, nem se dedica ao terrorismo em larga escala através de shocks and awe’s…. Ah, e já todos compreenderam que o mini-me nazi-sionista do Império neocon tem os dias contados…

    Gostar

  27. e-ko permalink
    18 Outubro, 2010 15:49

    ó pá, é só mais uma manifestação da síndrome dos minaretes… mas está a alastrar até já chegou à Suécia, anda tudo a guinar à “droite toute”, a Europa tem os seus PIIGS, que têm de acertar o passo e as contas, se querem continuar a ser europeus e os países de grandes economias têm os seus PIIGS de trazer por casa, que têm de encolher os minaretes se quiserem continuar a contribuir para uma taxa de demografia sustentável para esses mesmos países…

    Gostar

  28. Arlindo da Costa permalink
    18 Outubro, 2010 16:21

    Ainda tenho esperança que os comunistas vão conquistar o Magrebe e o Médio Oriente e vão arrasar todas aquelas mesquitas e pôr os muçulmanos a trabalhar no lugar de andarem a rezar todo o dia.
    Volta S. Estaline, estás perdoado!

    Gostar

  29. Euroliberal permalink
    18 Outubro, 2010 17:51

    Ena, seu Arlindo. É de homens rijos como você que Netanhyau está cruelmente a precisar… Ainda há dias teve o Ahmedinejad na fronteira a berrar que a entidade sionista iria desaparecer e não azrranjou um que tivesse tomates para ir lá medir-se com ele…Ofereça-se homem. Telefone já para a Embaixada…

    Gostar

  30. 18 Outubro, 2010 18:15

    Amiga Bulimunda os Nazis estao a ganhar força o extremismo cresce com a insatisfaçao o desemprego a raça ariana vai mostrando a sua face.

    Gostar

  31. PMP permalink
    18 Outubro, 2010 18:22

    Até agora os vários países europeus que acolheram emigrantes de fora da europa têm tido um comportamento próximo do exemplar, embora com alguns protestos de algumas minorias.
    O mesmo não se pode dizer de alguns grupos de emigrantes que insistem em querer impor num país que não é o deles a sua cultura e o seu modo de vida, que por vezs é imcompatível com as leis e até as constituições dos países onde vivem.
    A minha opinião é que as leis devem ser iguais para todos e que quem não as quer cumprir deve abandonar esse país.

    Gostar

  32. Licas permalink
    18 Outubro, 2010 21:44

    Euroliberal DEIXE DE BOLSAR PARVOÍCES:
    Páre, escute, olhe! Há dois pontos essenciais:
    __1__Os estados mulçumanos são Teocracias ou Ditaduras:
    o Ocidente só há 500 anos praí, com grande esforço,
    acedeu ao Estado Laico, depois à Democracia.
    __2__Quanto ao Mulçulmanismo ser uma religião
    de Paz, estaos entendidos: as Torres gemeas e os 40000
    mortos inocentes, a pregação de que matar os *infiéis*
    agrada a Maomé, e a pena de morte para os que renegando
    o Islamismo adoptam o Cristianismo, são evidentes
    episódios que deitam por terra a asserção.
    Ó *Euroliberal* largue de vez o BE, sim?

    Gostar

  33. e-ko permalink
    18 Outubro, 2010 22:10

    ó licas, tem a certeza de que não está a bolsar parvoíces?
    essa do estado laico e da democracia desde há 500 anos, mesmo com esforço, essa é de antologia… sabe, ao menos, desde quando, o nosso país é um estado laico? e uma democracia? a França tem alguns anos de avanço nesses domínios e ainda não há duzentos e cinquenta…
    e já agora, quantos mortos não tem provocado, esta civilização ocidental exemplar, por esse mundo islâmico fora? ou só contam para si os bons mortos? e dou um desconto para o exagero dos 40.000, que, ao que parece, se limitam a 4.000.

    pense, antes de bolsar asneiras!…

    Gostar

  34. e-ko permalink
    18 Outubro, 2010 22:40

    se querem saber quantos árabes morreram só na guerra do iraque, podem ver aqui:

    http://www.justforeignpolicy.org/iraq/iraqdeaths_pg.html

    e há muitos inocentes neste número!…

    Gostar

  35. e-ko permalink
    18 Outubro, 2010 22:46

    santa ignorância… e já agora, sabe que o senhor que assinou este post, foi dos que nos médias caseiros defendeu a guerra no Iraque, com base em acusações que se verificou serem mentiras!…

    Gostar

  36. PMP permalink
    18 Outubro, 2010 22:54

    A europa não tem razão para interferir fora das suas fronteiras, mas dentro delas cada país europeu tem tido desde a 2ª guerra um comportamento quase exemplar, por isso pode e deve exigir aos emigrantes que sigam as leis onde estão e que saiam caso não as cumpram.

    Gostar

  37. e-ko permalink
    18 Outubro, 2010 23:11

    ó PMP, então a Europa tem tido um comportamento exemplar fora das suas fronteiras, desde a 2ª guerra mundial? vá dizer isso, por exemplo, aos argelinos, quanto ao comportamento exemplar dos franceses, tanto dentro das fronteiras argelinas como dentro das fronteiras francesas em relação aos argelinos – há ódios irracionais e viscerais que vêm dessa história mal resolvida – depois podemos passar para o que os belgas fizeram no Congo – mais ódio irracional e visceral – para não invocar o nosso próprio exemplo, porque aí a coisa ainda é mais visceral e irracional e partilhado por muita gente dita civilizada… e exemplos de mau comportamento dos europeus fora das suas fronteiras, não faltam… a história do médio oriente tem ainda muitas contas a pedir, entre outros aos britânicos!…

    santa arrogância!…

    Gostar

  38. Ala Dura permalink
    18 Outubro, 2010 23:44

    “Sera que a Alemanha nao esta como a França a querer correr com os estrageiros cidadaos de pleno direitos ja nascidos muintas vezes no proprio pais nao sera isto uma forma de racismo mas mais moderno.”

    Um lobo por nascer num estábulo não passa a ser cavalo, a nacionalidade herda-se não se dá, nem se vende, ser português, italiano, inglês, francês ou alemão é ser filho e neto de nativos destas terras, nada mais.
    E não é racismo como gritam histéricamente as amélias a ver se calam os que reagem á invasão/colonização, é racialismo e defesa da nossa identidade milenar que está em perigo.

    Europa aos europeus
    Portugal aos portugueses

    Gostar

  39. e-ko permalink
    18 Outubro, 2010 23:50

    Gostar

  40. e-ko permalink
    18 Outubro, 2010 23:54

    ó AlaDura, com essa lógica, os europeus que ficaram pelas terras “americanas” também deviam voltar à precedência… porque antes de lá chegarem já lá existia gente que foi dizimada, em nome da fé e da ganância!…

    Gostar

  41. Ala Dura permalink
    18 Outubro, 2010 23:55

    Que a Alemanha se levante de vez e que toda a Europa branca lhe siga os passos!
    Parece que alguns por aqui não fazem a menor ideia qual o destino que nos espera, se nada fizermos, será ficarmos uma minoria na nossa própria terra, ele é brasileiros, pretos, muçulmanos a invadirem as nações da Europa ocidental.. quanto mais os imigrantes esticarem a corda e quanto mais os traídores invertebrados que os colocaram cá brincarem com os nativos, mais organizada e pela força será a reacção dos povos da Europa

    Gostar

  42. Euroliberal permalink
    18 Outubro, 2010 23:57

    Ó Licas, acalme-se e aprenda. Algumas ditaduras árabes corruptas, cobardes e fantoches são apoiadas pelos EUA, porque sabem que a democracia daria invariavelmente vitórias nas urnas aos islamistas, como aconteceu na Palestina (os EUA não reconheceram a vitória do Hamas, proibiram novas eleições e só falam com o ditador colaboracionista Abbas), Turquia, Iraque , Irão, etc. Na Argélia em 1992, os islamistas do FIS ganharam as primeiras eleições livres. Dias depois um golpe militar apoiado pelos EUA prendeu os vencedores e iniciou os massacres da oposição islamista. No Egipto a Irmandade Muçulmana tem 80% reconhecidamente dos votos mas as eleições são falseadas pelo traidor ao serviço da CIA Mubarak. Mas quem é democrata e quem não é ? Porque não deixam os povos votar livremente ? Por que têm medo da democracia ? De qualquer modo, vão der derrotados, tal como Israel…
    E quem lhe disse que um partido religioso não é melhor que um secularista ? Olhe a Turquia. Sabe que a Inglaterra é um estado confessional, tal como a Grécia, a Noruega, etc ?
    E quem é que apoia a ditadura terrorista e apartheidesca sionista que não deixa votar 2/3 da população de jure ? É o ocidente. E quem defende aí o democrático um homem, um voto ? O Hamas, o Irão, Hezbolah… Term a certeza de que sabe o que é a democracia ?

    Gostar

  43. Ala Dura permalink
    19 Outubro, 2010 00:05

    “ó AlaDura, com essa lógica, os europeus que ficaram pelas terras “americanas” também deviam voltar à precedência… porque antes de lá chegarem já lá existia gente que foi dizimada, em nome da fé e da ganância!…”

    Os EUA, são o exemplo flagrante daquilo que se sabe, os indios permitiram a invasão do seu território e acabaram em reservas, é isso que vai acontecer aos europeus se nada mudar, ou então a Europoa ocidental vai ficar ao estilo do brasil, um caos e uma lamaçal multiracial sem identidade, cheio de conflitos e de criminalidade violenta. No entanto todos sabemos porque razão os EUA são e foram a maior potência mundial, porque foram construídos pelos euro-descendentes – ingleses, italianos, irlandeses, espanhois, alemães, russos, polacos, portugueses etc..

    Gostar

  44. Nuno permalink
    19 Outubro, 2010 05:28


    Eu gostava de saber se o “e-ku” é o eunuco se serviça do “euroliberal”…
    Nuno

    Gostar

  45. J-K permalink
    19 Outubro, 2010 17:12

    JMF, As achas estão todas aqui, no teor de alguns destes comentários. Ainda acha que não há nada a temer? Espero que esteja orgulhoso do lamaçal que que proporcionou.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: