Skip to content

Para uma Europa que vive obcecada com a laicidade não será de uma fé cega desatar tudo a rezar pelas vítimas de terrorismo…

23 Março, 2017

mais pelas cidades onde os terroristas atacam em vez de mais laicamente se apostar nas polícias e nas leis para tornar mais difícil a vida na terra aos terroristas propriamente ditos?

Advertisements
37 comentários leave one →
  1. Juromenha permalink
    23 Março, 2017 21:24

    Minha senhora, não se trata de um assunto de polícia : estamos em guerra. e não é o folclore verbal (oficial, oficioso ou dos idiotas, tanto úteis como inúteis) que vai modificar a realidade. Bem sei que, aqui à pontinha, ninguém acredita nisso…
    E, neste tipo de guerra , liquida-se , não se prende – ou será uma simples questão de tempo haver um que “nos trata da saúde”.
    A nós e aos nossos.
    E atenção, muita atenção , aos “Cavalos de Troia”…

    Liked by 2 people

  2. javitudo permalink
    23 Março, 2017 21:44

    Há que abrir os olhos e observar o júbilo expresso por uns e a satisfação encapotada de outros que verberam a “sociedade capitalista” e a “direita” que a sustenta.

    Ouvir os idiotas úteis, peritos em explicar o inexplicável. Tipos com empregos artificiais, bolseiros da arte e da sociologia obtidos na base de “amizades”, sempre subsidiados pelo Estado. Eles sabem como os plebeus se devem comportar, caso contrário levam com o epíteto de ignorante ou com a “direita ” no lombo. Sem se darem conta que a direita e a esquerda acabaram há muito. vomitam os impropérios.
    À porta da Nova:
    “Ó filha, temos que nos opôr aquele fascista que vinha cá lançar bitaites!”.
    “Toma lá este pincel e pinta nas nádegas NUNCA!”.
    “Olha que apareces na SIC?”
    Em termos de participação política estes animais de estimação usam regras simples: “democracia” quando seguem os seus dogmas e “populismo” quando os plebeus se atrevem a questionar as suas cantorias.

    Liked by 2 people

  3. licas permalink
    23 Março, 2017 22:26

    Juromenha PERMALINK
    23 Março, 2017 21:24

    1. Dado que o terrorismo islâmico, com toda a certeza, apenas
    compreende uma fração mínima do total de emigrantes,
    2. Dado que eles, por essa mesma razão, se intitulam autores,
    de todos os atentados cometidos na Europa para fins propagandísticos,
    3. Dado que, não obstante, o perigo para a vida das pessoas, é bem real,

    proponho

    a) Que se endureçam os castigos dos assassinos apenas na proporção do crime,
    b) Que se inicie um projeto de informação completo e inteligente no sentido de
    mostrar aos refugiados ser-lhes mais ético e também mais conveniente à sua segurança
    eximirem-se de ajudar o terrorismo.

    Tenho dito
    (mesmo com o risco evidente de me acusarem estar a ser
    cavalo de Tróia, agente encoberto do M.L., talvez um Podemos, etc.,etc., etc.)

    Gostar

    • carlos alberto ilharco permalink
      23 Março, 2017 23:11

      Estou um bocadinho farto de ouvir falar em refugiados.
      Um “refugiado” sai da Síria e atravessa meia Europa para se “refugiar” em Londres porquê?
      Onde é que tinha esse dinheiro.
      Olhe eu ando há meses a juntar para ir passar uma semana lá.
      Acha que se me der como refugiado posso aproveitar uma boleia?

      Liked by 3 people

    • Rafael Ortega permalink
      24 Março, 2017 05:04

      “Dado que o terrorismo islâmico, com toda a certeza, apenas
      compreende uma fração mínima do total de emigrantes,”

      Tão mau é o que rouba como o que fica à porta a vigiar. No caso das comunidades islâmicas na Europa, a maioria, não a minoria, apoia estas acções.

      “Que se endureçam os castigos dos assassinos apenas na proporção do crime,”

      Eu prefiro evitar que os cometam.

      TODOS, mas mesmo todos os atentados são cometidos por pessoas que já estavam referenciadas. Está na altura de começar a pô-los “fora de circulação” antes de fazerem alguma coisa. Uma Guantánamo nas Berlengas, que os franceses, britânicos, belgas pagassem para meter lá uns destes animais. Não temos olho para o negócio!…

      “Que se inicie um projeto de informação completo e inteligente no sentido de
      mostrar”

      Isso não funciona. Essas pessoas vêm de uma cultura onde resolver os problemas com diálogo e sem violência é visto como fraqueza. Só entendem porrada nos cornos. Por algum motivo não há país muçulmano que funcione sem ditadura.

      Portugal não tem problemas com extremistas islâmicos (ainda) por dois motivos: poucos muçulmanos e a sua origem. A maioria dos muçulmanos portugueses vieram de Moçambique e de Guiné, onde, à conta dos nativos levarem porrada no lombo quando não seguiam as leis portuguesas, aprenderam que estas são para cumprir. Deixem uns milhares de paquistaneses continuarem a instalar-se em Lisboa, ofereçam-lhes a mesquita que o Medina quer cosntruir com os nossos impostos, e depois queixem-se.

      Liked by 2 people

  4. 23 Março, 2017 23:04

    As únicas leis em que podiam apostar não são permitidas. Seria retirar nacionalidade já dada e revertê-la para a dos antepassados emigrantes e poder deportar criminosos.

    Como nada disto é possível, não há polícia alguma passível de controlar a loucura de quem se mete num carro ou camião e decide atropelar pessoas.

    Gostar

  5. 23 Março, 2017 23:06

    Na verdade, os únicos que ainda podem travar alguma coisa são os americanos.

    A guincharia toda contra o Trump existe por ele ter tentado reverter essa loucura de direitos e cidadania a quem entra portas dentro.

    E mesmo ele não consegue. Só impedindo mais entrada- coisa que qualquer dia vão querer todos e já não vai servir para alterar grande coisa

    Liked by 1 person

  6. 23 Março, 2017 23:08

    Sim- “endurecer castigos dos assassinos jihadistas islâmicos” há-de traduzir-se por empalá-los e embalsamá-los depois do suciício dos ataques.

    Gostar

    • Francisco Miguel Colaço permalink
      25 Março, 2017 09:00

      Não seria mais fácil cortar os chamados apoios sociais? Aposto, Zazie, que sem esses ditos apoios a parte problemática se deportaria por moto próprio em menos de seis meses.

      O Sonasol e um pano fazem mais para eliminar as formigas de uma cozinha que o insecticida.

      Gostar

  7. 23 Março, 2017 23:09

    É por estas e por outras no género que eles só não tomam isto porque ainda conseguem ser mais estúpidos que os “licas-laricas” do Ocidente.

    Gostar

    • licas permalink
      23 Março, 2017 23:53

      La Putain Respectueuse- Jean Paul Sartre

      Gostar

      • licas permalink
        24 Março, 2017 00:31

        Explico:

        Associação de ideias_______B.E.______Catarina Martins___Marxismo
        Teatro do Absurdo_______repetição de “slogans politicamente corretos”

        Gostar

  8. javitudo permalink
    23 Março, 2017 23:18

    licas, a intenção é louvável, mas as medidas que sugere são insuficientes.
    Eu não sou especialista mas arrisco. As famílias e amigos dos assassinos são cúmplices. Já viu algum deles ter coragem de os denunciar? Embora a maioria não deseje perpretar actos dessa natureza, os mais novos são presa fácil na Europa, têm dificuldade de se adaptar ao nosso modo de vida, bastante problemático por sinal.
    Queira consultar.
    http://www.sabado.pt/mundo/detalhe/denuncia-da-hrw-isis-ensina-criancas-a-fazer-bombas-nas-escolas
    Se isto se passa nas escolas na UE, imagine o que aprendem nas madraças.
    Há outras faces sombrias. Os abutres da nossa sociedade querem aproveitar mão de obra barata. Há grupelhos pulhíticos que vêm neles um manacial por duas razões. Fazem o trabalho sangrento que pretendem evitar de modo a pôr o mundo ocidental em cheque e em muitos casos ainda votam neles. São cada vez mais, lembre-se do tirano erdogan:
    “Façam pelo menos 5 filhos por cada casal!”. São muitos votos.
    O assunto é demasiado complexo para ser analisado aqui. Á medida que matam, as ideias vão surgindo nas cabecinhas distraídas e as teorias ensonsas darão lugar à sobrevivência.
    Vamos pagá-las até porque eles já estão entre nós há muito. Até em lugares simbólicos… Sabe o que dizem as entidades encarregadas de nos proteger quando alguém os avisa e localiza centros de culto? Sem provas concretas não podemos fazer nada.
    Quaquer um pode ir à igreja rezar. Rezemos pois.
    Será que o banhista aida vai virar-se para meca e enfiar o barrete?
    Ficava bonito para a fotografia e equilibrava o número de votantes.
    Vamos ver. O ano promete.

    Liked by 2 people

    • licas permalink
      23 Março, 2017 23:36

      Tudo o diz é verdade, mas se calhar, esse panorama tambem se verifica
      em todas as frações da População com níveis de vida infrahumanos. É triste,
      mas humano o rebelarem-se. Eu concordo que a tal integração no estilo
      de vida do ocidente tem fracassado e que a exclusão é enorme.
      Mas pense: Eu não preconizo um tratamento “soft” para os emigrantes não fanáticos “para ficar bem na fotofgrafia”, o objectivo é bem diferente: o de não propagação do número de
      terroristas devido a dureza extrema dos meios de repressão. “Eles”, os muçulmanos,
      são muito susceptíveis à radicalização, como se sabe, é preciso trar o caso “com pinças”-
      E até posso estar enganado . . . Quem sabe?

      Gostar

    • Francisco Miguel Colaço permalink
      25 Março, 2017 08:55

      Javitudo,

      Não precisamos de complicar o que não é complicado. A islamotralha está a ser convidada para a Europa, terra das liberdades. Até diria forçada. Daqui a pouco os europeus vão querer submeter-se a um regime militarizado, aka soviético, por segurança. Já esteve mais longe.

      Esqueceram-se de Esopo.

      Gostar

  9. licas permalink
    23 Março, 2017 23:20

    Pois é

    Como está a Economia, há só – e não é certo – um País cujo Governo pode dizer:
    aqueles gajos estão a chatear-nos, estão? . Pois o Congresso nos permita
    um Orçamento suplementar de um bilhão de dólares e nós envieremos umas centenas de milhares de “troops” e vão ver como “elas mordem”. Arrazemo-los!
    Nõs, os Europeus temos que ser mais inteligentes que os da “força bruta”. cada potencial
    extermista persuadido a manter-se calmo, é um ganho em segurança de todos nós.

    Gostar

  10. licas permalink
    24 Março, 2017 00:33

    nós enviaremos.

    Gostar

  11. Expatriado permalink
    24 Março, 2017 01:18

    Falando claro e bom som é isto (ex-muçulmana)

    Gostar

    • Monti permalink
      24 Março, 2017 08:12

      O que devia ser feito: levar este pequeno filme ás TV e escolas do ocidente europeu.
      Uma cópia a Mr Ergodan, com aviso de recepção.
      Disse.

      Gostar

    • carlos alberto ilharco permalink
      24 Março, 2017 19:46

      Mas esta fulana ainda está viva?

      Gostar

  12. licas permalink
    24 Março, 2017 08:31

    Por vezes, neste espantoso mundo. acontecimentos absolutamente a-priori impossíveis – de probabilidade ínfima – acabam por ocorrer. O exemplo mais flagrante neste momento, parece ser o da Colômbia onde um Movimento Guerrilheiro (FARC) e o Governo Constitucional entabulam conversaçõies de paz afim de terminar uma guerra que já tem 50 anos.
    A Boa Vontade pode fazer milagres.
    Vem a-propósito do Terrorismo Islâmico e da melhor tática de lhe pôr cobro.
    Um aparte: Não, de maneira nenhuma, repito, eu, anónimo, firmemente disposto a permanecer como tal, nunca pretendi ficar bem na fotografia como disse. Para quê? Repare, Blasfemias é um blog entre centenas, Portugal um “piolho” entre os grandes, logo seria completamente estulto qualquer pretensão de protagonismo da minha parte. Se tem idade para isso compare que o antecessor dos bloggs, aí pelos anos 40 a 60 eram as conversas de café, as tertúlias, prazenteiras mas inócuas. Aliás, o Salazarismo, sempre de má consciencia, em certa altura, talvez pelos anos 60, proibiu Camaráriamente ajuntamentos de pessoas nas ruas, pelo menos em Lisboa. O Lisboeta ironizava (baixinho, pois): São proibidos ajuntamentos de mais de uma pessoa.
    Voltando ao assunto: Porque não somos inteligentes, pergunto, e em vez da repressão à bruta, bem propícia a engrossar por reação o exército dos assassinos, enveredarmos pela persuasão em vista de secar o recrutamento?
    Claro que a ação policial, de prevenção, despiste, e a Judiciação/Condenação têm de permanecer, quiçá de serem reforçadas, porém, sempre nos limites da lei, evitando regimes de excepção? Como disse estou longe de estar convencido a 100% da eficácia . . Mas,
    porque não tentar?

    Gostar

    • Rafael Ortega permalink
      24 Março, 2017 13:06

      “Porque não somos inteligentes, pergunto, e em vez da repressão à bruta, bem propícia a engrossar por reação o exército dos assassinos, enveredarmos pela persuasão em vista de secar o recrutamento?”

      Porque isso é o que se tem feito nos últimos 15 anos e qualquer pessoa honesta na análise já percebeu que não funciona.

      A persuasão poderia funcionar com grupos terroristas ocidentais (e em alguns funcionou). Mas estas pessoas vivem no ocidente, nasceram no ocidente, mas nunca foram ocidentais.

      http://10news.dk/?p=323
      Por um psicólogo que trabalhou numa prisão dinamarquesa para jovens entre os 12 e os 17, baseando-se em consultas com 100 dinamarqueses e 150 imigrantes, a maioria muçulmanos:

      “we [ocidentais] see peoples’ ability to use logical arguments, to compromise, to see the situation from our opponent’s side and their knowledge of the facts, and to remain calm when challenged as clear signs of strength and authenticity.

      My Muslim clients saw these normal Western social tools for negotiation during social conflicts as signs of weakness. They saw the lack of readiness to use threats and engage in a physical fight as a sign of fear.”

      Por isso é que tentar compreender e apaziguar nunca nos vão levar a lado nenhum.

      “These psychological insights should be used on a wider scale. One important example is that Western diplomacy and foreign policy must take such cultural differences into account. There is no doubt that when we meet extreme Islamic governments and organizations with suggestions of compromise and dialogue, the average Muslim voter on their streets expect their Islamic leaders to exploit such Western weaknesses to the maximum.”

      Gostar

  13. piscoiso permalink
    24 Março, 2017 09:52

    O terrorismo, como tudo, ataca-se pelas causas e são estas que se devem discutir.

    Gostar

    • António C. Mendes permalink
      24 Março, 2017 10:56

      E as causas são?????

      Gostar

      • 24 Março, 2017 13:35

        A causa suprema é o islão, que determina que os bons muçulmanos devem seguir o exemplo do profeta e implementar pela força a sua religião, matando os infiéis caso estes não se submetam. O que une os terroristas não é a nacionalidade ( nasceu na GB, nasceu em França etc) ou a etnia ( era de origem paquistanesa, ou somali etc ) ou o estado social ( era pobre, era um sem casa etc ). O que os une é a religião, o islão. E o islão é uma religião supremacista, misógina, violenta e intolerante incompatível com os direitos universais do ser humano defendidos pelo ocidente.

        Gostar

      • piscoiso permalink
        24 Março, 2017 15:05

        “…o islão é uma religião…incompatível com os direitos universais do ser humano defendidos pelo ocidente”. Os valores “universais” defendidos pelo ocidente, não abrangem portanto um bilião (pelo menos) de terráqueos que outros valores têm.

        Gostar

      • Francisco Miguel Colaço permalink
        25 Março, 2017 08:50

        E acha, Piscoiso, que o problema está em nós?

        Gostar

  14. A.Silva permalink
    24 Março, 2017 10:41

    A leninha é o exemplo e a prova, de que a direita e os fascistas islâmicos, têm o mesmo objectivo e desejo de acabar com a liberdade

    Gostar

    • Francisco Miguel Colaço permalink
      25 Março, 2017 08:43

      Logo, o A. Silva deve ser um completo, perfeito imbecil. Quem está a pedir a vinda da refugitralha é a esquerda, e o A. Silva, que pelo entendimento deve ser professor de letras, não o consegue entender.

      Mais um dejectos do ensino Fenprof. De certeza.

      Gostar

  15. 24 Março, 2017 10:49

    http://www.amazon.com/Babel-Multiculturalism-Globalisation-World-Order/dp/0992736528

    Em seu livro Jihad vs. McWorld(dos anos 90 século XX), Benjamin Barber foi incrivelmente profético ao descrever nosso mundo complicado, em que dois cenários aparentemente contraditórios desenrolam-se simultaneamente: um, onde ‘cultura é lançada contra cultura, pessoas contra pessoas, tribos contra tribos’ e outro, onde ‘ímpeto de forças econômicas, tecnológicas e ecológicas (…) exigem integração e uniformidade e (…) hipnotizam as pessoas em todo o planeta com o universo fast de música, computador, comida (…), um McMundo unido pela comunicação, informação, entretenimento, comércio’.”Djiad(radicalismo islâmico)e McWorld(interesses americanos)têm um ponto em comum: eles estão,ambos,em guerra contra o Estado-Nação soberano(…)Djiad revolta-se contra McWorld mas é também sua cúmplice(…)Na realidade,estas duas dinâmicas,aparentemente opostas,parecem trabalhar secretamente para o mesmo objectivo,e o beneficiário não será a democracia”. Benjamim R. Barber in Djiad Versus McWorld,Mundialização e Integrismo contra a Democracia

    Liked by 1 person

    • Francisco Miguel Colaço permalink
      25 Março, 2017 08:49

      Quando explicações convoluídas são visadas para problemas elementares, é tudo um desperdício de uma boa árvore.

      Gostar

  16. licas permalink
    24 Março, 2017 11:17

    Pois é, pá . . . , o Capitalismo assassino, o Império . . .
    contra o Socialismo redentor, pá . . .

    Gostar

  17. JPT permalink
    24 Março, 2017 15:15

    Diz tudo quanto ao nível do “debate”, a obsessão sobre se o assassino de Londres se chamava Adrian Russell ou Adrian Elms, ou Adrian Russell Ajao, ou Khalid Massood, como se isso tivesse algum interesse. Não tem. Desde o tal Heróstrato, que deitou fogo ao templo de Artémis para ficar na História (e ficou), temos uma quantidade de pequenos criminosos com patologia narcisista que querem, como se diz em inglês, “go out with a bang”. Ora, existe modo mais fácil de um merdas destes, que anda a praticar pequenos crimes desde os 19 anos (tal como o de Nice, tal como o de Berlin, tal como tantos outros) se conseguir (na mente dele) “imortalizar”? Pois. A pornografia mediática em volta destas atrocidades é o maior incentivo a que eles se repitam. E os verdadeiros terroristas (o ISIS, que existe, que e é triste, mas que não é isto) são os maiores beneficiários da mesma… desde que o assassino se chame Khalid Massod e não Adrian Russell ou Karst Roeland Tates (ou o nome do gajo de Barcelos que hoje matou 3 pessoas). PS: é o ISIS que ganha com isto e é a Helena Matos, que, com “posts” de duas linhas, factura dezenas de comentários (incluindo o meu, burro que sou) .

    Gostar

  18. Arlindo da Costa permalink
    24 Março, 2017 17:25

    O Neo-Liberalismo inventou o fundamentalismo islâmico terrorista e até o financiou.

    Agora a Drª Helena que vá a Fátima rezar e pedir perdão pelas Infâmias que estão a acontecer na Europa Cristã.

    Gostar

    • Francisco Miguel Colaço permalink
      25 Março, 2017 08:46

      Ó mestre Arlindo, que é o neoliberalismo?

      Sem me responder a isso, a sua proposição é meramente satisfatível. Não válida nem falsa. Uma questão de lógica ou de falta da mesma.

      Gostar

    • 25 Março, 2017 12:03

      És um triste. Os teus comentários, embora sendo sempre do contra, podiam acrescentar algo de útil à discussão e eram bem vindos. Mas para isso era preciso que tivesses uma mente aberta e conseguisses pensar fora dessa caixinha negra. Um zero à esquerda.

      Gostar

  19. Prova Indirecta permalink
    26 Março, 2017 13:02

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: