Skip to content

Estou a reflectir demais

30 Setembro, 2017

Acordei hoje de manhã e reparei que estava a reflectir. Não sei se foi algo que comi, se fui polido durante a noite ou se, simplesmente, fui obrigado pela Constituição a reflectir na véspera das eleições; sei, sim, que isto é muito incómodo, principalmente para quem está comigo quando estou ao sol. Não sei porque é preciso estar a reflectir assim: já sei em quem vou votar, a campanha só me afecta negativamente e quanto mais tempo demorar até ir lá registar o voto menor a probabilidade de me dar ao trabalho. Mas, pronto, estou a reflectir e é como é. O meu filho penteou-se em mim, o gato eriçou o pêlo ao ver o seu reflexo e receio ir contra uma esquina e lascar-me em sete anos de azar. Enfim, é a minha cruz.

Por falar em cruz, não concordo nada que seja esse o símbolo pré-estabelecido para assinalar a nossa preferência. Desde que não saia para fora dos riscos, qualquer símbolo deveria ser aceitável. Porque tenho que fazer uma cruz em vez de um crescente com estrela ou um pénis, sinais que mostram uma devoção mais intensa pelas causas? Somos todos diferentes, todos iguais. Porque perpetuar um símbolo cristão no boletim de voto se acreditamos noutras coisas, como no seitan?

Enfim, isto de reflectir nem sempre é uma grande ideia. Boa tarde para todos os espelhados à força.

Anúncios
140 comentários leave one →
  1. Procópio permalink
    30 Setembro, 2017 15:57

    Reflectir é perigoso, não duvide. Tenho uma receita para não se dar ao incómodo.
    Ande sempre com telemóvel na mão, envie e receba mensagens ininterruptamente mesmo quando esteja a conduzir. Aprecie à sua volta, não está só. Veja telenovelas nos intervalos. Nos momentos críticos vá o café das redondezas e veja futebol, discuta os lances com os diferentes clientes sem se zangar. Acuse o árbitro, maldiga o fiscal de linha, explique porque se fosse treinador ganhávamos mesmo o campeonato do mundo, sem desmerecer o santos, oiça com atenção as intervenções sempre originais e profundas dos treinadores, deixe-se arrebatar pelos improvisos da artista de bairro, chore de emoção sempre que o tio celinho beija uma criança, faça a saudação nazi sempre que veja o geróimo, deixe-se invadir pela publicidade da tv, lamente os assaltos às caixas do muiltibanco pelo ruído que acorda a vizinhança, frequente as prais dos nudistas enquanto não chove.
    Se ainda assim não der resultado venha comigo ao Procópio à tardinha. Têm lá tudo o que precisa para partar a reflexão e para perceber a vantagem de ser mais um estúpido entre morcões inocentes, ignorantes, descrentes, estéreis que fazem do sítio um local apreciado por turistas, saqueadores de bancos, autarcas sabidos, pássaros e passarões.
    Não tem nada que me agradecer. A experiência deve ser partilhada com os amigos.

    Gostar

    • João Mesquita. permalink
      30 Setembro, 2017 17:41

      Importante não esquecer, enquanto se frequente o café, calcular o tempo que tenho para “ mamar “ uma mini tendo em conta os 90 minutos do jogo…….

      Gostar

  2. Zé Manel Tonto permalink
    30 Setembro, 2017 16:35

    “Desde que não saia para fora dos riscos, qualquer símbolo deveria ser aceitável.”

    Estive nas mesas de voto duas ou três vezes e li o livrinho explicativo que distribuem com resposta a dúvidas deste género.

    Do que me lembro, qualquer símbolo, desde que indique sem margem de dúvida o sentido do voto, é válido. Penso até que uma cruz fora de qualquer quadrado, desde que adjacente a um dos quadrados, pode no limite, e dependendo de quem conta, ser considerado válido para o candidato/lista.

    Gostar

    • 30 Setembro, 2017 17:17

      Não pode a adjacência, ser também considerada na vertical ?

      Gostar

    • Adriana Lima permalink
      30 Setembro, 2017 17:21

      Você entendeu o que o articulista escreveu? Ou melhor, o que ele quis transmitir?

      Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        1 Outubro, 2017 11:00

        Sim, entendi.

        Estou só a explicar porque é que não faz muito sentido.

        Gostar

  3. Adriana Lima permalink
    30 Setembro, 2017 17:20

    Este vitorcunha é simplesmente GENIAL!

    Liked by 1 person

    • 30 Setembro, 2017 21:03

      O que Portugal precisa mesmo é de um partido que não tenha medo de dizer a verdade. Que grite com força e clareza a pouca vergonha a que a Esquerda conduziu este país.
      Que acuse os trafulhas!
      Que chame mentiroso a quem mente!
      Que associe a floresta ardida às falsas licenciaturas dos vigaristas da Proteção Civil mais de quem os nomeou!
      Que diga com clareza que os sindicatos em geral não representam os trabalhadores mas sim o PCP!
      Que é preciso acabar com pagamentos aos sindicalistas do dinheiro dos nossos impostos e mandar trabalhar os sindicalistas para ganharem a vida como os outros cidadãos!
      Que informe as pessoas de que o PCP o que quer é quanto pior melhor para arruinar mais Portugal e vir a seguir impor uma ditadura sanguinária!

      QUE PREPARE A SOCIEDADE PORTUGUESA PARA A MUDANÇA QUE URGE!!!

      Liked by 1 person

  4. rão arques permalink
    30 Setembro, 2017 17:34

    Um par de sapatos é mais prático. Comprar depois de experimentar.

    Gostar

  5. Alain Bick permalink
    30 Setembro, 2017 17:34

    mm biltre comprou
    uma ‘pénis de 16 gigas’

    Gostar

  6. Procópio permalink
    30 Setembro, 2017 18:08

    Vamo-nos lascar em sete anos de azar, não culpem os gatos.
    Desculpem, lá estou eu a reflectir!
    Quando vier o Rendimento Básico Incondicional (RBI) estou safo.

    Gostar

    • Luis permalink
      30 Setembro, 2017 21:53

      Em inumeras situacoes o Estado pouparia muito dinheiro se desse os apoios sociais directamente sem intermediarios, falo das autarquias ou IPSSs… o RBI em Portugal nao sera possivel pois havera maneira de se meterem intermediarios pelo meio… parece que os apoios para as vitimas dos incendios terao como intermediarios as Misericordias.

      Gostar

  7. 30 Setembro, 2017 18:21

    Pois eu já estou baralhado sobre o que são as “autárquicas” e se influenciam a continuação ou não da geringonça, e quanto à prioridade para amanhã. Espero decidir-me até às 06h00 se devo ir ao Funchal para assistir ao Marítimo-SLBenfica e não votar, ou ficar para votar.
    O mais provável será ficar e começar pelas 07h00 da manhã a antever como jogará o SLB. Vou às Docas tomar o pequeno-almoço, ligo de quando em quando o telemóvel para saber notícias da Madeira (o resto do mundo que se lixe), se estiver sol deixo-me ficar, compro todos os jornais de futebol e almoço à beira-Tejo. Porque não ouço rádio nem tenho a Sport TV lancho, religo a net para acompanhar o jogo e simultaneamente começo a reflectir em quem votar: Se o Marítimo ganhar não voto no P”S”; se o SLB empatar voto no professor Marcelo, se ganharmos voto em todos . Tenho tempo para, até às 22h00, deslocar-me até à assembleia de voto.

    Gostar

  8. piscoiso permalink
    30 Setembro, 2017 18:22

    Só falta mesmo é não deixarem votar as pessoas que não reflectiram.

    Gostar

  9. 30 Setembro, 2017 18:30

    Decerto por esquecimento o Governo proíbo o futebol e outras divagações no dia das autárquicas mas esqueceu-se de proíbir que chovesse! Parece que apesar disso vai ter sorte.

    Gostar

  10. 30 Setembro, 2017 19:20

    ehehehe

    Eu votaria numa brigada de polícia que mandasse de cana os grafitteiros.

    Gostar

  11. Alain Bick permalink
    30 Setembro, 2017 19:54

    refecti
    com a dupla citadina PR- antonio das mortes
    morreu o rectângulo rural.
    nele não havia licenciaturas falsas
    nem amigalhaços a comer à palla dos contribuintes

    Gostar

  12. Procópio permalink
    30 Setembro, 2017 20:05

    O pior é que as pessoas não reflectem e ainda por cima votam.
    Eu não reflicto, não voto.
    Se votasse votava mal de qualquer das maneiras.

    Gostar

    • 30 Setembro, 2017 20:37

      Então, pelo “mau” exemplo por não votar, e a sua putativa candidatura à PR ? Fica-se pelo Procópio ? Também não ficará mal na sala do Procópio uma presidência à distância, se rodeado de bons amigos.

      Gostar

  13. Manuel permalink
    30 Setembro, 2017 20:56

    Eu estou em reflexão e para melhor decisão aguardo:
    1. Relatório sobre a responsabilidade dos 65 mortos de Pedrogão;
    2. Relatório sobre a responsabilidade das armas roubadas em Tancos;
    3. Relatório dos políticos e jornalistas avençados do BES/GES;
    4.Relatório dos maiores credores da Caixa Geral de Depósitos;
    5. Relatório da despesa com cartões de crédito dos governantes de Sócrates;
    6. Etc.

    Liked by 1 person

    • Luis permalink
      30 Setembro, 2017 21:54

      Se houvesse jornalistas em Portugal… veja o que fizeram a Manuela Moura Guedes.

      Liked by 1 person

      • Manuel permalink
        30 Setembro, 2017 22:04

        O jornalismo acabou. Os governos compram a informação publicada controlando a publicidade. A informação é mais controlada do que no Estado Novo, onde se podia ler nas entrelinhas, agora nem isso. Atenção que a esquerda e a direita praticam a mesma política, mas a esquerda é mais eficaz.

        Gostar

  14. Luis permalink
    30 Setembro, 2017 21:58

    A unica coisa interessante no dia de amanha sera o resultado do referendo. O Podemos quer destruir a Espanha e apoio o separatismo unilateral. O resultado sera o repudio da quota parte da divida espanhola que cabe ao catalaes e da divida do Governo Regional a Madrid. Contam viver apenas com o dinheiro dos impostos e sem credito internacional. Dizem que a moeda em circulacao sera o euro. Obviamente Madrid impedira. Seria a falencia de Espanha, o possivel fim do euro e a bancarrota de Portugal.

    Gostar

    • Manuel permalink
      30 Setembro, 2017 22:11

      Se for sem sangue já é bom. Quem lê a história da Catalunha sabe que estas lutas custam sempre umas cabeças e ainda no século passado houve fuzilamentos, depois acalma e voltará novamente. Espanha, no dia 02 de Outubro de 2017 devia negociar uma nova relação com Catalunha, mas não com estes traidores de forcadell, Colau, Junqueras e Puijdemont, etc.

      Gostar

      • Luis permalink
        30 Setembro, 2017 22:20

        Nao sei como se podera negociar seja o que for. Que querem mais? Conseguiram proteccionismo no seculo XIX o que enriqueceu a burguesia local mas fez com que milhoes de consumidores espanhois ficassem prejudicados. Sacrificou-se o pais para se industrializar a Catalunha. Tem uma divida brutal e poderes que as outras regioes nao tem. Parte da riqueza foi conseguida a custa do empobrecimento de outras regioes. Uns sao filhos em Espanha, outros sao enteados.

        Gostar

  15. Luis permalink
    30 Setembro, 2017 22:22

    E curioso mas segundo um estudo de opiniao recente sao as classes altas as mais favoraveis a independencia. Uniu-se a alta burguesia catala aos radicalismos comunistas e anarquistas! Ora que bela geringonca!

    Gostar

  16. Manuel permalink
    30 Setembro, 2017 22:29

    Luis: acompanho a comunicação social Espanhola diariamente e constato que as relações estão inquinadas, juridicamente Madrid vai vencer, mas politicamente a Catalunha como movimento independentista fica mais forte. Como se desata este nó? Na guerra civil a Catalunha ficou para o fim, mas não acredito que os Espanhóis queiram morrer numa nova guerra, nem são possíveis os fuzilamentos do Franco.

    Gostar

  17. Procópio permalink
    30 Setembro, 2017 23:49

    MJRB
    “Então, pelo “mau” exemplo por não votar, e a sua putativa candidatura à PR” ?
    Tem razão em apontar a incongruência. Acabarei por ser PR, só não sei quando.
    Neste momento em que a Pátria atinge um fulgor inesperado estou em repouso, gozo o deleite de uma economia pujante e de um governo modelo.
    Haverá um momento em que voltarei à carga.Terei que treinar no beijinho, no abracinho e no fofinho. Custa, não é para qualquer um. Veja o que aconteceu ao Hugh Hefner!
    Eu espero morrer muito depois dos 91, tenho que ter algum cuidado.
    Sou dos tais como o Manuel que aguarda:
    O relatório sobre a responsabilidade dos 65 mortos de Pedrogão, sobre a responsabilidade das armas roubadas em Tancos, o relatório dos políticos e jornalistas avençados do BES/GES, o relatório dos maiores credores da Caixa Geral de Depósitos e o relatório da despesa com cartões de crédito dos governantes de Sócrates.
    Temos que aguardar sentados, né?
    Talvez o etc seja o que oferece maiores probabilidades de vir a ser entregue.

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:00

      Procópio,
      OK, até à campanha eleitoral para PR, goze como o HHefner. Eu tento, embora sem aquela e tal mansão.
      Quando houver a campanha eleitoral para PR, estamos mais revigorados, carago ! Não se esqueça da prometida direcção da copa, dos charutos, das cheerleaders, etc.

      Gostar

  18. Procópio permalink
    30 Setembro, 2017 23:53

    Vão-se entretendo com a comanhia El Conde de Terrafiel em Teatro em Palma de Maiorca.
    http://z.uecdn.es/p/108/sp/10800/thumbnail/entry_id/0_sgez8qay/version/100001/width/660/height/402

    Gostar

  19. Procópio permalink
    1 Outubro, 2017 00:17

    Pensão de Ricardo Salgado foi cortada em 25% para 39 mil euros.
    Coibam-se de reflectir. O vitor é nosso amigo.

    Gostar

  20. licas permalink
    1 Outubro, 2017 01:17

    Ponha-se o ordenado minimo em 600 Euros e o fulano ganha
    exactamente 65 vezes mais . . .

    Gostar

  21. piscoiso permalink
    1 Outubro, 2017 09:03

    O que está a acontecer na Catalunha (estou a ver em directo) chega a ser ridículo.
    Impedir pela força um referendo numa democracia é uma contradição.

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 09:32

      Como o Blasfémias é uma democracia, vou iniciar neste momento o referendo a comentadores pela expulsão do piscoiso deste reino. Podem começar o voto. Viva a democracia!

      Liked by 1 person

      • 1 Outubro, 2017 09:41

        Se um referendo com os mesmos objectivos surgisse em Portugal governado pelo P”S” ou por uma geringonça P”S”+PC+BE, de certeza o piscoiso e o arlindo não acharia ridícula a intervenção policial.

        Liked by 1 person

      • piscoiso permalink
        1 Outubro, 2017 11:02

        O Blasfémias, ou pelo menos alguns dos seus membros, já me impediram de comentar durante algum tempo, sem qualquer referendo.
        A mim não me incomoda nada.

        Gostar

      • Expatriado permalink
        1 Outubro, 2017 11:02

        Voto pelo “SIM”!! Pisco e Arre-lindo (bónus) para o desterro. JÁ!!!!

        Gostar

      • piscoiso permalink
        1 Outubro, 2017 14:54

        Ó Vitor, onde é que pôs a urna, para os dois dos seus bovinos votarem?

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 18:45

        Olhe antes de descarregar o autoclismo que encontrará.

        Gostar

    • 1 Outubro, 2017 09:36

      E qual é o objectivo do referendo ?
      Alguma lei extraordinária surgiu entretanto para o permitir na Catalunha ou em qualquer outra região de Espanha ?
      Não há um Estado e uma Constituição ?
      Do que acontecer hoje e supondo que o “si” vence, de certeza não surgirá já a partir de amanhã ou de hoje a 1 ano um novo Estado. Hoje, com o “si”, os independentistas reganham forças várias, principalmente políticas para as negociarem futuramente.

      Nota: entendo que os catalães devem defender a sua independência. Mas entretanto, há leis para cumprir.

      Gostar

      • 1 Outubro, 2017 09:37

        comentário acima para o piscoiso

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 09:41

        Quem paga as contas? Isto ainda ninguem disse.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 09:45

        Isto e como a historia do burro. Se faz e porque faz, se nao faz, nao faz. A policia esta apenas a fazer cumprir a lei como se espera num estado de Direito. Se nao actuasse a Espanha seria vista como um reino das bananas.

        Gostar

    • piscoiso permalink
      1 Outubro, 2017 10:59

      A minha opinião é que o referendo da Catalunha é ilegal, por isso, seja qual for o resultado, é impugnado, não é válido.
      Impedir a sua realização pela força, não concordo.

      Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:17

        Este referendo, porque ilegal, é portanto não reconhecido pelo Estado espanhol.
        Desde há semanas, pessoas e não fantasmas têm-no defendido no espaço público. Ocuparam espaços para a sua efectivação. Estão centenas de milhar na Catalunha para votarem no que é ilegal. A lei tem de ser cumprida, impedindo-o.
        Mas presumo que tacitamente e para serenar ânimos, as forças policiais e o Estado vão, qb, permitir que umas dezenas de milhar votem.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:20

        vc. não percebeu a “proibição em democracia” para o expulsar, proposta pelo VCunha.

        Gostar

    • PiErre permalink
      1 Outubro, 2017 13:46

      O que o Arlindo quer dizer é que em democracia não há leis.

      Gostar

  22. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 09:40

    Ridiculo e o seu comentario.

    Ridiculo e utilizarem criancas, idosos e ate pessoas doentes como escudos humanos. A lei espanhola e clara e foi aprovada por referendo 4 decadas atras por 90% dos catalaes.

    Voce e um valente asno. Caso nao saiba se esta independencia fosse para a frente de forma unilateral quem pagaria a quota parte da divida soberana espanhola que pertence a Catalunha? E quem pagaria a divida do Governo Regional? Sabe o que sucederia? Uma crise pior que a grega, a Espanha a beira da bancarrota e Portugal a beira de um novo resgate.

    Esta moda das causas mete nojo. Pergunto, que podera melhorar na vida do cidadao comum? Nada. Umas centenas de politicos nacionalistas e de extrema-esquerda ficarao com mais poder. Mas que ganha o cidadao comum? Nada.

    Ja se esperava o apoio desmiolado da Esquerda tuguinha das causas. Estao a apoiar radicais anarquistas e nacionalistas xenofobos. E a Igreja catala! ahah

    Liked by 1 person

    • 1 Outubro, 2017 09:56

      Achei curiosas as posições do Jaime Nogueira Pinto e do Jaime Gama acerca do assunto, no Conversas às Quinta.

      O Jaime Nogueira Pinto, que faz do “fassista” de amostra para o que é preciso, tem uma posição curiosa e muito liberal.
      Em termos gerais, claro, não em relação à política que se aproveita do nacionalismo catalão para outras cavalgadas mais perto de Reino das Taipas.

      Mesmo assim- essa ideia de “cidades estado” ou “protectorados” ou outras variantes como existia na Idade Média, não sei se será de tal modo descabida.

      Quero eu dizer com isto que aqui, nesta forma de “Estados” e “países” como conhecemos modernamente, também já houve variantes e, teoricamente, nada nos diz que os “Ventos da História (à portadloja) não soprem nessa direcção.

      Gostar

  23. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 09:42

    Aposto que la no Inferno o General Franco deve estar muito arrependido de ter desviado a industrializacao para a Catalunha.

    Gostar

  24. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 09:44

    A Catalunha enriqueceu em parte empobrecendo as outras regioes…

    Segundo estudos de opiniao as classes sociais mais baixas sao fortemente unionistas, parece que a independencia e coisa de ricos…

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 09:57

      E das gerações mais novas que só falam catalão. Na Escócia a coisa vai no mesmo.

      Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 09:59

        Houve malta da Direita que avisou contra a criacao das regioes autonomas. Previram isto 40 anos atras.

        O mal ja esta feito, sao 40 anos de doutrinacao por parte dos professores.

        Liked by 1 person

  25. 1 Outubro, 2017 09:47

    Perante a Lei vigente, os catalães têm de defender a sua independência cultural (que é vasta e riquíssima), o seu estatuto especial de região, desenvolver a economia, as finanças, o turismo, enfim, tudo o que têm, e é muito !
    Não sou contra a manutenção da sua língua e escrita própria.

    Duvido que a UE reconhecesse esse estado independente após este referendo

    Gostar

    • Luis permalink
      1 Outubro, 2017 09:50

      Nao precisam de ser independentes para fazer isso. Nem de encenar golpes de Estado.

      Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:00

      Eles já têm toda essa independência. A língua oficial é o catalão e praticamente ninguém sabe falar castelhano (o que culturalmente é tramado e com efeitos perfeitamente anti-culturais)

      A questão é mais vasta. É independentismo e não vai ser travado com polícia ou com lei. Pode é ter efeito dominó.

      As coisas mudam, o problema é terem por lá as Taipas fabricadas por racismo castelhano da escardalhada dos reviralhos e que quer a arruaça.

      Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:07

        Eles baseiam o direito a independencia na lingua, mas se formos por ai a Galiza, o Pais Vasco e ate a regiao que fala astur-leones onde se inclui Miranda do Douro podem tambem pedir independencia.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:21

        De modo nenhum. Miranda nunca foi região englobada por outro poder qualquer.

        Nós não são fruto de um aglomerado de regiões ocupadas por outros que se tornaram poder central.

        A Béliga é e é uma mentira. Não existe. Só da boca para fora,

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:22

        Não confundir dialectos com regiões que eram autónomas e foram conquistadas.

        Portugal tem as fronteiras mais antigas por ser diferente. E a unidade não foi fabricada pela força.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:27

        Miranda fala leones. Ca chamam-lhe mirandes, mas e leones. Ha mais terriolas na fronteira a falar leones, mas do lado espanhol.

        Se formos pela logica dos nacionalistas catalaes, entao Portugal podera reclamar a Galiza com base na lingua.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:37

        Isso das diferentes línguas é demasiado controverso. O contínuo linguístico é natural e só desfeito por decreto contra-natura. Os galegos falavam como os minhotos até passarem a ter mais influência de Castela do que das terras do Lima. Mais cedo ou mais tarde isso gera uma “nova língua” para o contínuo de inteligibilidade. Catalão é a mistela da influência de Castela com a influência de Languedoc. Já Guipúscoa basta ver os montes para perceber porque é um isolado.

        Gostar

  26. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 09:50

    O Junqueras e o Puigdemont para sobreviverem politicamente tiveram que se juntar a CUP, partido recheado de marxistas e anarquistas que defendem uma Republica de “paises catalaes” (Catalunha, Valencia, Baleares, regiao de Perpignan e municipios de Aragao e Murcia). Ficaram a merce dos radicais e dai ao referendo foi um passo.

    Os nacionalistas controlam a Educacao e nomeiam os directores das escolas. Os programas escolares estao claramente manipulados. Controlam tambem os meios de comunicacao regionais.

    Podemos agradecer ao povo Portugues ter tido o bom senso de ter votado contra a Regionalizacao. Hoje teriamos problemas semelhantes…

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:02

      Não teríamos pelo simples facto que nunca tivemos regiões.

      A Catalunha é uma região onde foi proibida até a própria língua.

      Há coisas que não se comparam e nem se moralizam. Têm de se compreender historicamente.

      Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:04

        Se tivessemos regionalizacao, hoje em dia teriamos as dividas regionais, mais milhares de funcionarios regionais, empresas publicas regionais com dividas monstruosas…

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:07

        Mas as regionalizações nada têm a ver com divisões administrativas. Nós somos um país coeso que não é fruto de agregado de povos diferentes.

        Eles são. Não se trata de burocracia por decreto. Trata-se de coisas bem mais antigas e difíceis de resolver por forma de lei.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:26

        Tivemos essa regionalização feita pela República. As províncias são fruto de decreto burocrático.

        Também tínhamos ainda as imensas freguesias que vinham da igreja- das divisões naturais das paróquias.

        Ainda hoje as missas se dividem dessa forma- por paróquia de igreja correspondente ao que era uma freguesia.

        Agora juntaram uma data delas e isso é que é contra-natura.

        Os gastos não derivam disso- derivam da forma de gestão partidária.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:28

        Os gastos derivam de coisas como as empresas municipais.

        De facto essa reforma das freguesias foi contra-natura.

        Gostar

  27. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 09:51

    Curiosamente a Franca e a Alemanha nao tem estes nacionalismos exacerbados. Curioso…

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:02

      Porque as “regiões” que tinham se tornaram países há muito.

      Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:06

        Ou porque foram muito mais duros no passado. Os franceses, por exemplo, proibiriam o occitano no Sul.

        E o Marques de Pombal proibiu as linguas indigenas no Brasil. Se nao o tivesse feito se calhar hoje nem haveria Brasil.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:11

        O espaço era menor. E há independentismos próximos dos catalãos em França, assim como na Córsega, na Sardenha e em mais lados.

        Podiam até querer criar uma espécie de “Liga” como existia na Idade Média e renascimento.

        Nós vemos a História sempre aos olhos do presente mais curto qhe herdámos e esquecemo-nos que não foi sempre assim e não está escrito em parte alguma que as civilizações nascem e acabam juridicamente com as mesmas linhas e estratificações com que nasceram.

        Não sei mesmo se não vai mudar muita coisa. Os ancap defendem isso- as secessões e ainda andam com o modelo de outro país e outro estado igual àquele de onde se separam mas pode vir a ser diferente.

        Se for diferente, será como era na Idade Média e Renascimento com muitas variantes a Norte e a Sul, para além do Império dos Habsburgos.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:15

        E estou à vontade porque não tenho a menor simpatia pelo espírito de “revanche” e rancor que prefere nunca esquecer o passado por despeito ao inverso. Ao que prefere a união pacífica.

        Não gosto de independentismos.

        Posso é aceitar que historicamente sempre existiram outras variantes a Estado Central poderoso e único e cidades estado. E isso não vejo como negar.
        Porque não encontro justificação histórica para que o modelo tenha de ser sempre o moderno- o do centralismo do poder e um Estado-País-Nação apenas com um formato.

        Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:18

      Existem ou não existem ainda hoje protectorados e coisas assim, como espécie de cidades-estado?

      Existem. Algumas anacronicamente e caras, como Ceuta. Outros nem tanto. Essas variações só podem ser perigosas porquepodem tornar-se um meio de “comunas-livres” a que os sacanas dos comunas deitam mão e o islão aproveita.

      Nunca substimar o poder de visão dos comunas. O problema não é deles. É dos outros que o não têm.

      Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:19

        Mas o poder dos comunas nasce sempre do “martírio” e das vitimizações. Eles precisam de repressão como adubo.

        Os espanhóis estão-lhes a dar.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:23

        Mas nao ha alternativa. Se nao forem parados agora vao em frente. E vao levar a Espanha a bancarrota.

        Consta que ja ha plano para viverem apenas com o dinheiro dos impostos.

        Sabe que se isto avancasse assim Portugal era arrastado na tempestade… nem sei como ha malta do BE a apoiar isto! E ninguem em Portugal grita que o rei vai nu!

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:29

        São parados agora e acha que a coisa se fica por aqui.

        Nao fica. Madrid vai mudar legislação, de uma forma ou de outra.

        Com repressão a coisa só agudiza.
        Sempre foi assim em toda a parte. Se houver mártires até podem entrar em luta armada.

        Sei lá. Ainda por cima com a tradição anarquista que por lá têm. E aquela gente não é de brandos-costumes como nós.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:39

        Eu sei como há malta do BE a apoiar.

        Isso sei. Isso é o mais fácil de se perceber- kale borroka.

        O Rui Ramos escreveu uma boa síntese acerca disso. Eles querem pretexto sempre para o mesmo- o poder cair na rua.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:40

        A unica maneira de parar seria extinguir temporariamente a autonomia, mexer nos programas escolares, colocar Madrid a nomear os directores das escolas, proibir os partidos nacionalistas…

        Rajoy nao tem coragem para isso.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:12

        Isso só piora.

        Liked by 1 person

      • 1 Outubro, 2017 10:59

        Que importa os “directores escolares” se a língua oficial já é, há muito, o catalão?

        Quer retirar isso?

        Não retira. É tarde. A história já foi vendida e não têm sequer outra para mandarem para lá.

        Acaso temos nós historiadores que se imponham contra Rosas, Flunsers & Varelas?

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:00

        E os nossos historiadores do Regime são uns vendidos anti-nacionalistas.

        Vendem o nojo ao passado histórico.

        E vendem-no.
        Agora imagine numa região com traumas de passado, venderem o orgulho dessa região e dessa história.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:02

        E com traumas que não são invenção…

        Os nossos são inventados, vendem vergonha nacional e meio mundo cumpre e bate a pala em sentido.
        Por respeitinho à vergonha da vergonha nacional.

        Gostar

  28. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 09:53

    Os radicais nao param. O Iglesias, a Colau… que pena que nao se tire a mascara a estes palermas.

    Gostar

  29. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 10:14

    O PP e Ciudadanos tem estado a disparar a nivel nacional.

    O lider do PSOE desapareceu ha dias. O Podemos tem caido…

    Gostar

  30. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 10:17

    Pessoas a votar que papeis que levam de casa. Cada um vota onde quer, nao ha listas eleitorais. Ha pessoas a votar mais que uma vez. Os observadores internacionais vem da Galiza e do Pais Vasco e sao membros de partidos nacionalistas. Urnas de plastico da loja dos chineses. Meteram os filhos e os netos a dormir dois dias dentro das escolas.

    Razao tem o professor Pedro Arroja quando descreve a malta dos paises catolicos ahah.

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:32

      ehehe

      Estas coisas de sangue a ancestrais são sempre assim.

      De certo modo são o oposto à anomia que temos. Nós só nos lembramos do orgulho nacionalista quando há campeonato de bola.

      Por lá os profs mudaram a História e fizeram a cabeça das nova gerações com um nacionalismo regionalista exacerbado e fascista.

      Por cá apagaram e alteraram todo o orgulho nacional em nome de uma vergonha histórica que só terminou com o 25 de Abril.

      Somos um povo com 45 anos de lei e identidade aceite. O resto é opróbio que se deve silenciar ou combater.

      eheheheh

      Liked by 1 person

  31. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 10:25

    Ontem um ingles contou-me que o deixou de simpatizar com os catalaes depois de ler o que se passou na Guerra Civil e o que escreveu o George Orwell sobre a esquerda catala.

    Alem do mais…

    ha aqui dedo do aventalzinho de cozinha. Convem nao esquecer.

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:34

      Há uma série de dedos. Mas é uma coisa incontornável que não me parece arrumar-se como as outras por meras etiquetas históricas e partidárias do presente.

      Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:37

        O que me faz desconfiar ainda mais disto da Catalunha e o facto de na regiao de Aragao, que foi reino, nao haver independentismo. E em Valencia e nas Baleares, pelo que me dizem, detestam os catalaes.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:40

        Historicamente esses englobaram estes.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:40

        Coisas de guerreiros do Norte contra poetas e heréticos do Sul.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:44

        Pois com a desculpa da heresia o Norte de Franca limpou o Sul no seculo XIII. Com a desculpa da heresia catara arrasaram a Occitania. E com o apoio da Igreja, que sonhava com a uniao politica da Europa Ocidental debaixo de um imperador.

        Liked by 1 person

      • 1 Outubro, 2017 10:48

        E esses não tiveram nenhum movimento de professores de História a fazer lavagem cerebral e a imporem língua única regional.

        Na Catalunha a terceira geração ficou assim e nem foi preciso irem pela luta armada como os Bascos.

        Foi mais pela escola eheheh

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:55

        Pois arrasaram e não era desculpa.

        A igreja tinha mesmo acabado com essas heresias.

        Não acabou mas a Reforma foi o continuar delas por migração para Norte.

        Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:36

      De todo o modo, não adianta nada reagir por emoções.

      Eu andei pela escócia, uns meros dias e, às tantas, também já me encanitava aquilo.
      Mas não é assim, a olho, que se entende nada e nem interessa gostar ou não gostar.

      Gostei de um discurso fabuloso a favor da união inglesa. Não me recordo de quem foi mas até o postei.

      Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:41

        Pela lei espanhola, meio parlamento regional catalao arrisca multas e cadeia.

        E obvio que agora nao vao parar pois muitos ja estao com a vida destruida. Agora e o tudo ou nada.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 10:50

        Talvez. Não sei. Estou a observar com maior distância até da que tenho por simpatias ou empatias.

        A minha tendência natural é centralista e anti-divisionista ou anti-revolcuionária. Sou conservadora.

        Mas gosto de entender a História e os modelos de governo e nacionalidades não têm de ficar agora como estão porque o passado não foi esse.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 10:56

        Actualmente faz mais sentido grandes espacos. Estamos na era na digital e dos problemas globais. Alem do mais, favorece o desenvolvimento economico e ate o crescimento dos salarios. Ao contrario do que pensam, uma Catalunha independente sera mais pobre. E Espanha tambem. Num caso extremo, Portugal ate poderia ficar a regiao mais rica da Peninsula, mas nao temos politicos com esperteza para isso.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 11:02

        Portugal, por exemplo, precisa de um espaco. Em parte por isso apostou-se no Imperio. E quando acabou, na UE. Somos muito pequenos e relativamente pobres em recursos. Um pais como os EUA pode fechar-se pois tem (quase) tudo o que precisa. Nos nao. Teremos de ter sempre um espaco a quem comprar e vender sem restricoes algumas e com livre circulacao de pessoas. A experiencias de pais fechado correram muito mal, uma das ultimas foi as campanhas do trigo iniciadas no final do seculo XIX, que deram cabo dos solos de meio pais (teria sido mais inteligente exportar citrinos e frutos secos em massa e importar o trigo, ate Salazar defendeu isto e criticou a miseria da cultura do trigo).

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:15

        O que o Jaime Nogueira Pinto diz e eu acho historicamente pertinente, é que os grandes espaços imperiais sempre coesistiram, no passado medieval e renascentista com oturas formas e extensões de poder diferente. Dos protectorados, às Ligas, às cidades-estado.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:16

        Não vejo que tenha de ser sempre assim, até porque a UE é a prova que a coisa já não se resume a Estado/Nação com modelo único.

        A partir daí, como no tempo dos Habsburgos, não me parece nada irreal que outras variações, noutras configurações e noutras escalas, renasçam.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:18

        Não apostou em Império algum porque geograficamente nem se sabia onde terminava a Ilha Cristã e o que era a Europa.

        Foi-se empurrado.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:19

        Era uma Ilha pequenina a boiar no meio de um Oceano enorme, com ilhas desabitadas.

        Foi com esta noção e sem se saber gegraficamente praticamente nada que se navegou em busca das “Índias”.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:20

        Uma esfera da Cristandade. A boiar.

        Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:22

        Quando diz que estamos na era digital e depois fala na necessidade de grandes espaços territoriais, está a expressar uma contradição.

        Gostar

  32. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 10:49

    Para mim este nacionalismo e todo fabricado. Em 78 votaram 90% a favor da Constituicao que tem. 90%. Em 40 anos de accao silenciosa de uma minoria radical chegamos a isto.

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:52

      78 é muito tempo.

      Eu também vivi o Estado Novo e achei que o PREC só podia ser uma invenção.

      E o espírito da coisa ficou até ao presente.

      Quem estava enganada era eu.

      Gostar

    • 1 Outubro, 2017 10:53

      Uma terra espanhola onde ninguém fala espanhol não é uma invenção partidária.

      Gostar

  33. 1 Outubro, 2017 11:08

    Luís,

    qualquer que seja o resultado de hoje, a Catalunha ficará tal como ontem. Os independentistas ganham unicamente, se o “si” vencer, mais poder político para negociarem o que quiserem junto de Madrid.

    Não há região alguma em Portugal que esteja em “lume brando” para reivindicar a sua “independência”.
    Língua e escrita própria é uma coisa, regiões outra, e como sabe, regiões autónomas (Açores e Madeira) ainda outra.
    Se tivesse havido (ou se houver) regionalização, seria um disparate. Com os contribuintes a suportarem mais incompetências, devaneios, abusos de poder. A “classe” política tuga não tem honestidade nem independências várias para governar regiões.
    “O povo é sereno”.

    Liked by 1 person

  34. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 11:18

    Curiosamente, o Algarve perdeu o estatuto simbolico de reino com a Republica…

    Gostar

    • Luis permalink
      1 Outubro, 2017 11:19

      As duas regioes portuguesas com maior singularidade sao o Algarve e o Minho…

      Gostar

      • 1 Outubro, 2017 11:27

        O Algarve perdeu esse estatuto simbólico(!) muito antes da implantação da República.
        Creio que hoje, o Algarve já perdeu singularidades, desleixou-se, vendeu-se ao dinheiro fácil.
        O Minho tem (ainda) muita força não só cultural.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 11:29

        Em termos paisagisticos o Minho esta destruido com o eucalipto e os mamarrachos, especialmente o Baixo Minho.

        Gostar

  35. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 11:22

    Quando os nordicos nao querem transferir dinheiro para o Sul da europa, a Esquerda portuguesa reclama.

    Mas quando na Catalunha os independentistas dizem que os andaluzes sao preguicosos e que nao querem que os seus impostos ajudem as regioes mais pobres, a Esquerda portuguesa nada diz… alias, que dira o BE disto?

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 11:28

      A escardalhada não tem moral. É oportunista.

      Querem sempre arruaça para depois imporem lá as ditaduras deles, a partir do mesmo modelo fechado estatal.

      Gostar

    • 1 Outubro, 2017 11:29

      A escardalhada deve ser das poucas coisas que não muda.

      Desde as heresias, desde os milenarismos. Sempre foram assim.

      No tempo dos milenarismos faziam a matança e pronto. Ali, pelo menos, a coisa acabava.

      As matanças também acabaram. Pela metade, se não houver inteligência, eles ganham e venezueilzam tudo.

      Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 11:37

        Nos tambem as tivemos no tempo dos visigodos. Ando a ler sobre Patrologia, pouco sabia sobre os arianos e o priscilianismo. Os adeptos dos jejuns e da pobreza eram logo alvo de desconfianca de heresia. A Igreja desconfiava do culto da pobreza e da igualdade e os franciscanos surgiram, creio, no contexto da cruzada contra os Cataros. Os protestantes nao tiveram esses cultos da pobreza e da pelintrice e punham na cadeia quem mendigava ou nao tinha trabalho, mas em Portugal os franciscanos foram muito influentes e talvez esteja ai uma das raizes da nossa pelintrice.

        Liked by 1 person

      • 1 Outubro, 2017 11:44

        V. está a falar dos protestantes oficiais que esmagaram os heréticos reformistas antes deles ganharem.

        A Reforma começou com anabaptistas como o Muntzer que acabou numa gaiola pendurada na catedral.

        Gostar

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 11:52

        Verdade, aqui em Inglaterra correram com os puritanos que fugiram depois para os EUA. A cidade onde vivo teve uma imigracao enorme de calvinistas dos Paises Baixos. Aqui dava cadeia ser desempregado ou mendigar, ou nao ter um tecto para viver. Ser pobre nao era Fado, era visto como uma decisao pessoal inaceitavel face a moral protestante. So saiam da cadeia com emprego garantido. Hoje em dia a cadeia e um museu e la dentro os presos trabalhavam par as fabricas, ja no seculo XVI. Em Portugal tinhamos pelo contrario muito culto da pobreza com os franciscanos, e Lisboa sempre foi conhecida por estar cheia de mendigos e pendintes, marialvas e fidalgos ociosos.

        Liked by 1 person

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 11:55

        E por viver no meio de protestantes, e frequentar a Igreja Anglicana, que compreendo cada vez mais muito do que o Professor Pedro Arroja escreve quando distingue catolicos de protestantes.

        Aqui tambem sempre houve uma cultura de mecenato e filantropia voluntaria, com os donos das fabricas a dar avultadas quantias para accao social. Em Portugal pelo contrario o patronato nao raras vezes gostava de explorar e abusar sem nada dar em troca a sociedade, de certa forma nao soube conquistar o pais… ha aqui jardins publicos oferecidos por homens ricos a populacao, ou hospitais, escolas… nao conheco nada assim em Portugal.

        Liked by 1 person

      • Luis permalink
        1 Outubro, 2017 12:04

        Alias essa malta que em Portugal diz que somos muitos conservadores porque ha umas decadas nao havia divorcios nem casamentos de homens so o faz por pura ignorancia. Nao sabem o que foi a moral protestante nem a moral vitoriana, historicamente no Sul sempre houve mais liberdade e a Inquisicao portuguesa foi essencialmente anti-semita. Uma suica calvinista que foi viver para o Algarve disse-me que ao fim de uns anos ficou impressionada com o excesso de liberdade sexual em Portugal, pois diziam que era um pais catolico. Mesmo no tempo do Salazar havia mais liberdade sexual que no resto da Europa protestante e o Jorge de Sena fala disso. Como as pseudo elites sao parolas importaram os feminismos e as agendas rosa do mundo protestante, sem perceberem o contexto.

        Gostar

    • lucklucky permalink
      1 Outubro, 2017 14:11

      “Mas quando na Catalunha os independentistas dizem que os andaluzes sao preguicosos e que nao querem que os seus impostos ajudem as regioes mais pobres, a Esquerda portuguesa nada diz…”

      Não foi sempre assim? A única causa do Marxismo é obter o Poder.
      O resto são tácticas A pobreza na China não interessava nada até ao momento em que começaram a enriquecer, a partir daí começaram os “problemas sociais” a aparecer nos jornalismo marxista.

      Gostar

  36. 1 Outubro, 2017 11:26

    Polícia, feridos, continuam a votar.

    Não estou nada a ver que o resultado seja cadeia e kaput.

    Mesmo nadinha…

    Começo é a achar que foi triste ideia acharem que a repressão resolve o que não está resolvido.

    Gostar

    • Luis permalink
      1 Outubro, 2017 11:31

      Esta visto que ganha o Sim. Quem nao concorda, nem vai votar. O referendo e invalido mas se nao removerem pelo menos mais de 50% das urnas amanha declaram a independencia e vai a coisa vai ficar feia.

      Liked by 1 person

      • 1 Outubro, 2017 11:44

        Mas desde há semanas sabe-se que o “si” vence, porque são os que verdadeiramente querem o referendo. Poucos, por uma questão de nacionalismo votarão contra e grande percentagem, por não reconhecer a legalidade do referendo e por tal estando descansados, nem se desloca aos locais para votar.

        Gostar

    • Luis permalink
      1 Outubro, 2017 11:33

      As sondagens recentes davam vitoria ao Nao a independencia com margem confortavel. A questao e que o referendo nao e valido. Quem esta a participar em massa sao os independentistas. E nestas coisas quem manda e a abstencao por grupo etario ou classe social. No referendo do Brexit se a abstencao nos jovens tivesse sido igual a dos idosos o Sim teria vencido por curta margem.

      Gostar

    • 1 Outubro, 2017 11:38

      Madrid devia excepcionalmente e devido às movimentações desde há semanas, deixar votar…o que é ilegal. Chegado o resultado a Madrid, obviamente mais uma vez não reconhecia o referendo e muito menos o resultado. Assunto arrumado. A Catalunha–“si” (que sabe não seria reconhecida com Estado Independente pela UE), fica entusiasmada com mais poder político a negociar e isso basta-lhe, porque é o que quer.
      E tudo ficaria no final de hoje sob festança, com rastas a tocar tambores com mais força, vegans a comer carne, “podemos” e “bloquistas” a beijarem-se na boca e um comunicado do MCThomaz a felicitar o “bom senso” de nuestros hermanos.

      Gostar

  37. 1 Outubro, 2017 11:37

    Não faço a menor ideia de como vai ficar.

    ehehehe

    Há momentos em que não mando papites nem contra o que não gosto.

    Hoje estou num dia neutro. Também não vou votar. Nem contra a cabra da Guida Gorda.

    Que se lixe, o putedo. Não limpam as paredes, não metem polícia, não mudam leis nem semáforos- estou-me nas tintas.

    Gostar

    • 1 Outubro, 2017 11:58

      Pois eu vou agora almoçar numa esplanada das Docas e levo todos os jornais futeboleiros e revistas dos “famosos” tugas.
      Peço a todos os santinhos que surja à minha frente um ministro ou secretário de estado (a freguesa Guida também serve), cumprimento-o, digo-lhe que já estou em reflexão exibindo-lhe os jornais e as revistas como ajudas, que a partir das 17h00 ligarei a net para acompanhar o Marítimo-SLBenfica. Se o SLB perder, não votarei no P”S”; se empatar, votarei no MCThomaz, se vencer votarei em todos. Até às 22h00 terei mais tempo para reflectir e deslocar-me à escola com um óptimo jantar (também nas Docas) na pança.

      Liked by 1 person

      • 1 Outubro, 2017 12:01

        Eu tenho muito trabalho para fazer no meu jardim.

        Levantar as lages, forrar a terra com a tela, prender com agrafes, colocar as pedrinhas em cima e as sebes de madeira nos canteiros.. não falta que fazer em dia de eleições.

        “:OP

        Gostar

  38. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 11:41

    La caída al suelo de una bolsa de basura negra en la que iba una urna electoral y papeletas de votación está creando debate en las redes sociales. Las imágenes han sido grabadas por una cámara de Tele 5 a primera hora de esta mañana, cuando los independentistas estaban intentado introducir las urnas de votación en la Escuela Industrial, abriendo un pasillo entre la gente que estaba concentrada en ese lugar. Se ve cómo corren con cada una de las bolsas negras en las que se adivina, por la forma, una urna en cada una. Pero una de las mujeres que llevaba una de estas bolsas resbala con el suelo, que está mojado por la lluvia. La mujer cae por el pavimento y también la bolsa con forma de urna, que se abre y se ve como salen de ella montones de papeletas de votación, así como precintos de color rojo sin usar.

    http://www.abc.es/espana/abci-directo-sigue-ultima-hora-referendum-ilegal-cataluna-201710010727_directo.html

    Gostar

  39. Luis permalink
    1 Outubro, 2017 12:08

    Votacao por blogue: https://1deoctubreblog.wordpress.com/

    Ahah que palhacada.

    Gostar

  40. 1 Outubro, 2017 12:26

    Zazie,

    Então, boa jardinagem !
    Jante bem e como eu, vote até às 22h00

    Sem ironia, votei. Num partido e não nos seus candidatos: um, para a Junta, não sei quem é; noutro para a Assembleia Municipal, irrelevante e quando chegou a vez da desatinada mental para a Câmara, pensei, “como é possível, isto ?”

    Liked by 1 person

  41. Tiro ao Alvo permalink
    1 Outubro, 2017 12:30

    Tenciono ir votar daqui a um bocado e estou receoso: cansado de reflectir desde a madrugada de ontem por força da lei, será que tenho que fazer prova da minha reflexão?

    Gostar

  42. Procópio permalink
    1 Outubro, 2017 13:02


    O meu avô diz que as pessoas têm a memória curta.

    Gostar

  43. Manuel permalink
    1 Outubro, 2017 13:06

    Luís e Zazie, obrigado pelos excelentes comentários que acrescentaram ao blog, deu gosto ler.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: