Skip to content

desapareça, minha senhora!

7 Janeiro, 2018
by

538724.pngA senhora da fotografia, que dá hoje uma entrevista auto-laudatória ao Diário de Notícias (e quem mais se sujeitaria a isto?…), foi ministra da Administração Interna do governo que assistiu impotentemente à maior tragédia humana do Portugal democrático. Uma tragédia que aconteceu uma vez, e nela morreram 65 pessoas, e, poucas semanas depois, outra vez, tendo então falecido mais 45. Pelo menos, 110 vítimas, em consequência de acontecimentos que lhe competia – a si, ao seu ministério e aos serviços sob a sua dependência – evitar. Mas estes mortos, que pesam sobre todo o país, parecem importar-lhe pouco. Do que ela mais cuida, poucos meses passados sobre a tragédia, é da sua imagem pública, fazendo-se entrevistar para se colocar no lugar de vítima, disparando para todos os lados, até mesmo usando a tão em voga «discriminação» de género («Senti que se tivesse sido um homem a passar pelas mesmas circunstâncias talvez tivesse merecido mais respeito»). Pois bem, minha senhora, caso não tenha ainda entendido, as pessoas comuns não querem saber de si para nada. Não lhes interessa saber se é uma jóia de moça, se é ou não é «calculista», se agiu ou não «a pensar no sound byte». O que as pessoas comuns querem saber é o que, de facto, ocorreu nesses dois dias trágicos de Junho e de Outubro, e por que é que morreram tantas dezenas de pessoas que os serviços do estado, ao seu cuidado, deviam proteger. Vir para a comunicação social que não seja para exigir o cabal esclarecimento de tudo o que ocorreu sob a sua responsabilidade, quando ainda pairam muitas nuvens a respeito, é de um profundo mau gosto, de um egocentrismo exacerbado e de uma falta quase autista da proporção das coisas, que só podem revelar um carácter. Por isso, minha senhora, pense mais nos outros e menos em si. E se não for capaz disso, desapareça da ribalta por uns tempos.

Anúncios
18 comentários leave one →
  1. Juromenha permalink
    7 Janeiro, 2018 19:02

    Regime de gente reles – reles, medíocre e incompetente.

    Gostar

  2. Procópio permalink
    7 Janeiro, 2018 19:09

    Quem é esta gaja?

    Gostar

    • 7 Janeiro, 2018 20:58

      Era a chefe de cozinha do Grande Churrasco Nacional.

      (Compreendam a minha crueza: a Tancinha merece tudo o que puderem dizer dela. E eu vivo e trabalho na zona dos incêndios.)

      Gostar

      • 7 Janeiro, 2018 22:52

        Então, está com sorte porque não morreu e conservou o posto de trabalho, ao contrário das 110 vítimas mortais e dos desempregados dos locais afectados!

        Gostar

  3. Mauritano permalink
    7 Janeiro, 2018 19:20

    Este bicho ainda mexe?

    Gostar

  4. licas permalink
    7 Janeiro, 2018 21:28

    Como boa esquerdista arranja sempre uma desculpa:
    até o género veio à baila. . .

    Gostar

  5. Aventino permalink
    7 Janeiro, 2018 21:29

    Que nojo de gaja!
    Tem tipo de cheirar mal pela boca.

    Gostar

  6. Arlindo da Costa permalink
    7 Janeiro, 2018 21:34

    Por este artigo constatamos a proverbial pequenez mental e física dos portugueses…

    Shame you!

    Gostar

    • alex.soares permalink
      7 Janeiro, 2018 22:03

      Espelho meu espelho meu
      Haverá alguém mais quadrado bicudo
      Do que eu ?
      Ass. Lindinho tosta

      Gostar

    • 7 Janeiro, 2018 22:45

      Da altivez mental da dita cuja e do Ares.lindos resultam 111 mortos , esturricados. São feios porcos e maus e ainda se dão ao luxo de classificar outros

      Gostar

  7. Miguel Santos permalink
    7 Janeiro, 2018 22:07

    “Não faço nada a pensar no soundbyte”.
    Que frase tão curiosa, parece mesmo um… soundbyte!

    Gostar

  8. 7 Janeiro, 2018 23:05

    «Senti que se tivesse sido um homem a passar pelas mesmas circunstâncias talvez tivesse merecido mais respeito»

    E eu sinto que se tivesse sido um ANIMAL a passar pelas mesmas circunstâncias CERTAMENTE teria sido mais competente, ó sua grande cavalgadura!

    Liked by 1 person

  9. 7 Janeiro, 2018 23:45

    uma gaja sem nivel nenhum. é xuxa, está tudo dito.

    Gostar

  10. 8 Janeiro, 2018 00:44

    Ponto. (levei)

    Gostar

  11. Gabriel Orfao Goncalves permalink
    8 Janeiro, 2018 12:51

    http://observador.pt/2018/01/07/constanca-urbano-de-sousa-nao-faco-nada-a-pensar-no-soundbyte/

    «E, olhando para esses meses, considera que “se tivesse sido um homem a passar pelas mesmas circunstâncias talvez tivesse merecido mais respeito”, diz na entrevista publicada este domingo na Notícias Magazine.»

    Se fosse um homem, tinha, com toda a probabilidade, aquando da 2ª dose de mortos, sido apanhado por populares que lhe dariam um enxerto tal de pancadaria que ou o deixariam às portas da morte ou o deixariam cadáver.

    Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      8 Janeiro, 2018 13:58

      Para isso era preciso Portugal ser um país sem gente anestesiada mentalmente, e que o indivíduo a enfardar desse dois passos na rua sem seguranças.

      O Costa é homem e continua a gozar com a situação (“2017 foi um ano muito bom para Portugal”).

      Gostar

  12. 8 Janeiro, 2018 16:03

    « “se tivesse sido um homem a passar pelas mesmas circunstâncias talvez tivesse merecido mais respeito”»

    Eu que até não sou fã das igualdades á socialista, neste caso até sou. Ela é tão incapaz com o tanso que a lá pôs. Ela e ele vão-se afogar num tanque de uma ETAR, que é o local próprio para “gentalha desta raça”.

    Liked by 1 person

  13. carlos alberto ilharco permalink
    8 Janeiro, 2018 16:45

    Vai para o meu facebook

    Liked by 1 person

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

%d bloggers like this: