Saltar para o conteúdo

Nem sabia quem era esta…

14 Março, 2019

Desconhecia esta parasita que vive do trabalho dos contribuintes para produzir coisas sem interesse nenhum… 

Por isso a minha pergunta é: à parte o que a senhora pensa politicamente, que fez ela de útil na vida? Atentem nos pormenores (disparates que a senhora diz):

  1. “Não me revejo como artista portuguesa, sou uma artista que por acaso nasceu aqui. O nosso público é um público internacional.” A minha pergunta então é: porque pagam os Portuguese a viagem e a estadia a alguém que não se sente Português?
  2. ““São exposições que jogam muito com o sentido de verticalidade e da suspensão de esculturas”, resumiu. Quanto ao palácio Giustinian Lolin, classificou-o como “espaço muito complicado, porque não se pode tocar nas paredes, no chão e no teto”, o que contende com o tipo de intervenção a que está habituada. “Há presenças de quatro pinturas enormes, são frescos, não fui eu que escolhi, para mim era importante não lidar com aquele artista, era importante ocultar a presença de um outro artista naquela sala.” Uma dificuldade que a artista disse também ver como desafio e mais-valia.” O problema existencial da senhora é que há quatro pinturas num palácio em Veneza que a atrapalham… a artista (quem diria…) vê nisto “uma dificuldade”, um “desafio”…

Dramas de quem vive do dinheiro dos outros…

Anúncios
13 comentários leave one →
  1. JMS permalink
    14 Março, 2019 12:51

    Esta ilustre desconhecida, pelo menos para mim, deve ser uma das vacas voadoras do Costa.

    Liked by 1 person

  2. 14 Março, 2019 12:57

    Pendura porcarias do tecto.

    Era pendurá-la também por uma guita numa barraquinha de feira

    Liked by 1 person

  3. Antonio Maria Lamas permalink
    14 Março, 2019 14:23

    Deve ser mais uma artista plástica da tendência “Tupperware” a fazer sessões para as senhoras do largo do Rato.

    Gostar

  4. 14 Março, 2019 15:34

    Um bom local para este(a) senhor(a) fazer exposições seria o meu liceu: muitas vezes atirei pega-monstros tão ou mais feios ao tecto e demoravam meses a cair.

    Ele(a) estava a falar em pendurar-se no tecto, certo? Se fôr preciso dou uma ajudinha.

    Gostar

  5. 14 Março, 2019 18:28

    Como não voto nunca à esquerda e às vezes até voto em branco, posso concluir que esta senhora que representa o Portugal de esquerda, não me representa a mim.
    Deveria ser possível exigir à rapaziada da p’lítka mais esquerdóide que os meus impostos sejam destinados a alguma coisa que nos represente a todos ou, em alternativa, a uma instituição de solidariedade social.

    Gostar

  6. SRG permalink
    14 Março, 2019 18:45

    Esta senhora até poderá ser uma artista com talento, mas deve ter um cérebro de formiga, aliás a comer o que é dos outros é bem capaz de ser uma cigarra.

    Gostar

  7. 14 Março, 2019 19:08

    Tudo muito mal avaliado.
    Ser artista nesta modernidade é sobretudo lidar com o absurdo e esperar que outros lhe definam um qualquer sentido. Sentido da verticalidade e da suspensão é um bom indicador…

    Gostar

  8. basto_eu permalink
    14 Março, 2019 19:12

    Esta “artista” não é uma senhora, ela apenas é só mais uma escrava do PS.

    Gostar

  9. MJRB permalink
    14 Março, 2019 23:09

    Eu, sem dificuldade alguma desfazia aqui estas oportunistas afirmações (políticas, partidárias, artísticas) da “socialista”, propositadamente parva Leonor Antunes. Colocava-a no sítio, e a Joaninha-do-regime sua defensora (naturalmente, olha quem, sempre braço-dado com o poder) também não escaparia.

    Ó Leonor, não “representarias” Portugal com um governo do PSD e do CDS, o “carago” !, até hipocritamente lhes lambias os sapatos e ficarias de olhos arregalados com as inerentes benesses pessoais e curriculares !

    E ninguém pergunta –raio de acomodados jornalistas…– à representante do P”S” se sabe que o MCThomaz foi eleito com maioria de votos do PSD, do CDS e simpatizantes destes partidos ? Óbvio: para ela o MCT “é o máximo !”.
    Mas não me merecem –A Leonor e a Joninha– tempo perdido. Leiam os comentários no Blasfémias e no Observador.
    E assim vai o regime geringonço economica, financeiramente remediado até-que, e socialmente encantado sob a batuta do hipnotizador de Belém.
    Para terminar: vou à Bienal de Veneza, talvez visite o pavilhão tuga, mas não por ela “representar” o regime. Tenho outras e muitíssimo mais importantes prioridades.

    Outra: leiam o recente post no Corta-fitas sobre um “projecto” da câmara e junta de freguesia de Arroios.

    Gostar

  10. MJRB permalink
    14 Março, 2019 23:11

    Adenda: a Leonor tem alguns bons trabalhos. Mas a maioria, “naquela cena” já feita por outros…no estrangeiro.

    Gostar

  11. MJRB permalink
    14 Março, 2019 23:26

    É por causa também destas alarves, destes e doutros casos, que entendo a necessidade do MOV 5.7
    Que o MOV 5.7 tenha sucesso mas… não se feche numa concha opinativa sem os tugas em geral saberem o que “sai” das suas conclusões.
    Não adiro ao MOV 5.7 porque o núcleo duro está constituído, “inviolável”, só se o integra por convite-pois-claro, e qualquer opinião extra será só “engraçada”, “porreira pá” e, tolerada… Sei bem como “as coisas” funcionam.

    Gostar

  12. MJRB permalink
    14 Março, 2019 23:32

    Rectifico: o caso da junta de Arroios está no Blasfémias.

    Gostar

  13. lucklucky permalink
    20 Março, 2019 12:19

    Mas ela já não recusa os impostos pagos pela não esquerda.

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: