Saltar para o conteúdo

A Ideologia de Género não é ciência, é doutrinação

18 Março, 2019

Querem-nos convencer a todo o custo que a Ideologia de Género se baseia apenas no ensino da tolerância, aceitação, conhecimento  e igualdade entre géneros. E assim perante tão nobre intenção justificam a sua implementação imposta a todos os alunos na disciplina de cidadania. Ora, se é assim tão claro que se trata de uma ideologia ” científica” imprescindível à formação do indivíduo, por que razão a lei que tornou possível a ideologia de género nas escolas, foi aprovada em total segredo e sem debate público em 2018?

Pois bem, a resposta é simples para qualquer ser pensante que não segue as patranhas progressistas: não foi a debate porque simplesmente é uma grande mentira fabricada à medida das agendas feministas e LGBTIQ que recebem muito dinheiro público para a promoção da ideologia.

A primeira grande questão que se levanta é: por lque razão não aparece documentação sobre o tema na Biblioteca Nacional como alerta Mário Cunha Reis no seu artigo “Ideologia de Estado” no Observador? Numa pesquisa simples, há zero resultados quando se procura bibliografia  sobre a ideologia de género. No entanto se a busca for “queer”, não falta bibliografia sobre o tema onde a ideologia de género está englobada. O que prova que não estamos perante uma teoria comprovada cientificamente mas sim uma teoria LGBTIQ.

Assim sendo, segue a segunda grande questão: não sendo uma teoria científica o que está ela a fazer no plano curricular dos alunos desde o pré escolar? Ora, a resposta aqui é também ela simples: isto não é ensino, é doutrinação. A prova está escrita pela própria CIG na página 5 dos Guiões onde explicitamente é dito: “(…) o conteúdo apresentado não exprime necessariamente a opinião da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género.” Ou seja,  a CIG desresponsabiliza-se  do conteúdo destes guiões em caso de queixas.

Vamos lá esclarecer: uma coisa é ensinar o respeito, aceitação e tolerância por todos os seres humanos independentemente das suas diferenças, sejam elas a que nível for; ensinar que todos os seres humanos são iguais e não podem ser discriminados no acesso à saúde, educação, trabalho pelas suas orientações sexuais, religiosas ou ideológicas, raça, etnia ou cultura; outra é defender que igualdade é  “ensinar”  que  não existem diferenças sexuais entre indivíduos porque todos nascemos neutros e que é a sociedade que constrói o nosso género; que a maternidade não é um exclusivo das mulheres; que todos os males desta sociedade está no homem heterossexual e família patriarcal; que o género não é imutável.

Foi exactamente isto que encontrei ao ler os guiões do Ministério da Educação (no pré-escolar, no 1º ciclo  no 2º ciclo, no 3º ciclo e no secundário). Na página 265 do Guião para ensino secundário pode ler-se: ” (…) deste modo a diversidade sexual humana e a compreensão das expectativas das pessoas LGBTIQ relativamente aos direitos sexuais e reprodutivos poderá ser melhor compreendida e reflectida”. Na página 270 do mesmo guião, branqueia  a ciência e diz:  “(…) a ciência é uma construção socio-histórica, portanto determinada temporalmente e espacialmente. Por isso numa perspectiva de género não basta salientar a necessidade de reconhecimento da importância das teorias e  modelos na construção do conhecimento científico mas também desconstruir os processos na sua produção”. Mas não se ficam por aqui: reclamam a reprodução assistida como um direito à igualdade; questionam a linguagem não inclusiva; questionam a história produzida; afirmam não haver complementariedade entre sexos; que as questões sociais afastaram meninas das actividades desportivas; que há uma cultura de heteronormalidade que classificam de homofóbica; impõem-se contra a existência de dois sexos bem definidos; afirmam que existe disparidades salariais; defendem o aborto como método contraceptivo; defendem quotas de forma dissimulada; defendem a desconstrução da sociedade; transformam em patologia todos os que não concordam com esta ideologia.  Ou seja, só trata da agenda feminista e LGBTIQ.  Porquê?Mais:   estes Guiões são escritos por feministas, algumas lésbicas e homossexuais.  Isto é doutrinação, sem qualquer dúvida.

Para reforçar ainda mais esta ideia, João Miguel Tavares escreveu no Público sobre uma actividade de uma escola na disciplina de Cidadania:  “A Rede Ex-Aequo [uma associação lésbica] não se limita a combater “o bullying homofóbico e transfóbico”. É da facção (o vídeo de apresentação é muito esclarecedor quanto a isso) que nos convida a dizer “oradores e oradoras”, que garante que “juntas e juntos fazemos a diferença”, e que quer esclarecer os nossos filhos sobre o verdadeiro significado da palavra “heteronormatividade”. E isso, caras associações LGBTI, é 100% ideologia.”

De acordo com  a maior defensora de género da actualidade, e cuja bibliografia serviu de base para os Guiões, a americana Judith Butller, “ninguém nasce homem, nem mulher, nem gay, nem lésbica,  pois o género deve ser construído na escola, com quantos géneros  quantos a criança deseje.” Mais claro do que isto é impossível.

A doutrinação da ideologia de género é ilegal porque viola a liberdade de consciência e crença do estudante; o princípio da neutralidade política e ideológica do Estado; o direito dos pais sobre a educação moral dos filhos.  Porque  a Declaração Universal dos Direitos Humanos no seu artigo 26º nº 4 diz claramente: ” Aos pais pertence a prioridade do direito de escolher o género de educação a dar aos filhos” e na Constituição da República Portuguesa no artigo 36º, nº 5 e artigo 43º, nº 2 está escrito:  “Os pais têm o direito e o dever de educação e manutenção dos filhos” “O Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer directrizes filosóficas (…) políticas, ideológicas”.

Perante isto, onde está a dúvida quanto à inconstitucionalidade do decreto-lei que autorizou o ensino da ideologia de género nas nossas escolas?

 

 

 

 

 

19 comentários leave one →
  1. Jornaleco permalink
    18 Março, 2019 13:21

    O termo “ciência” é só um truque, para impor autoridade, que não tem.

    A ciência não se preocupa com essas coisas. Não tem competência nenhuma.

    Só o comunismo é que finge também actuar em nome da ciência. Mas o comunismo nada tem de haver com inteligência, sapiência e muito menos com a ciência. É a mentira. É só um pretexto criminoso, para enganar.

    Esta porcaria da ideologia do género, foi passada em todo segredo, sem consultar o povo, em quase todos países europeus. E nos EUA também o tentam. Porquê?

    Só a Croácia é que a rejeitou, salvo erro.

    E mesmo que a constituição dissesse outra coisa, só os pais é que tem direito a educar os filhos. Só eles!! E quem o negar, que leve porrada em cima. Só os pais é que têm esse direito.

    Essa porcaria dos direitos humanos, esquecendo as obrigações, é da mesma fábrica, como a da ideologia do género, que foi inventada, por perversos, que vão ao cu um do outro. Pôr esses no hospital e que nos deixem em paz com essas porcarias. Mas eles não o querem, nos deixar em paz.

    O livro da cara (Facebook) discrimina entre mais de 50 (cinquenta) géneros. O Zuckerberg anda completamente doido. O gajo é um idiota.

    Gostar

  2. pedro20192019 permalink
    18 Março, 2019 13:47

    Excelente!

    Liked by 2 people

  3. Manuel permalink
    18 Março, 2019 13:49

    Moderação,porquê?

    Liked by 1 person

  4. Daniel Ferreira permalink
    18 Março, 2019 14:22

    Não só acham que as crianças já sabem para que é o sexo, como já sabem que não querem aquele… Pedofilia por pedófilos para legitimar os pedófilos que andam de fato e gravata no parlamento e nas TV’s.

    O conceito mais que milenar de “Homem + Mulher + Filhos = Família” a ser atacado de todas as formas…

    Quando o PR não assinou um decreto qualquer sobre isto, fizeram uma “manif” que tinha mais jornalistas q manifestantes, tal é o número de pessoas interessados sobre isto.

    E como salientou, fazem tudo mas deixam sempre uma ressalva para escaparem judicialmente, não fossem estas manhosices uma das poucas coisas que realmente sabem fazer

    Liked by 1 person

    • Daniel Ferreira permalink
      18 Março, 2019 14:23

      E adorava saber em que comício o P”S” disse alto e bom som que iam implementar isto nas escolas para as pessoas concordarem e votarem…

      Liked by 1 person

    • Jornaleco permalink
      18 Março, 2019 15:46

      Todas as crianças precisam um pai e uma mãe. Todas! Sem excepção.

      Isto não é nenhuma questão de maiorias ou minorias. E se gostam ou não. Ou de liberal, não-liberal ou o caraças.

      Todas as crianças precisam dum pai e duma mãe. Todas! Sem excepção. É ordem divina. Daquele, que pode destruir o corpo e alma, porque só ele tem o poder para o fazer.

      E esses, que andam a abusar com as nossas crianças, não o têm, esse poder, e nunca o terão. Eles pensam que um dia o terão, mas é impossivel e eles mentem a si próprios. E vão pagar caro por isso tudo, sem excepção. Esses só sabem matar bebés e o corpo de outros seres humanos, que se querem opor a esse crime, do mais claro e evidente.

      É só preciso esperar.

      E ai de aqueles, que ensinam essas porcarias a crianças inocentes, como aquele médico ainda não especializado, que precisava de umas batatas quentes na cara. Médicos só com lixo na cabeça, ninguém precisa. Com especialização ou sem, é igual. Não interessa.

      Gostar

  5. Mário Fernandes permalink
    18 Março, 2019 14:36

    »Pois bem, a resposta é simples para qualquer ser pensante que não segue as patranhas progressistas: não foi a debate porque simplesmente é uma grande mentira fabricada à medida das agendas feministas e LGBTIQ que recebem muito dinheiro público para a promoção da ideologia.«

    Enough said!!!

    Liked by 1 person

  6. Oscar Maximo permalink
    18 Março, 2019 15:51

    E outra pergunta. Qual é o partido que vai propor essa verificação de constitucionalidade ?

    Gostar

  7. Jornaleco permalink
    18 Março, 2019 20:24

    Citação:
    ‘De acordo com a maior defensora de género da actualidade, e cuja bibliografia serviu de base para os Guiões, a americana Judith Butler, “ninguém nasce homem, nem mulher, nem gay, nem lésbica, pois o género deve ser construído na escola, com quantos géneros quantos a criança deseje.” […]’

    Butler é uma burra. Tão simples. Essa afirmação dela, não é nenhuma prova. Nada disso. Ela ignora as premissas, do que ela diz. Ela talvez nem sabe o que é uma premissa, e a importância da mesma, para qualquer teoria.

    Butler diz uma frase absolutamente estúpida. Claro que o ser humano nasce como homem ou mulher. E mais nada. A gaja é uma doida. Uma idiota. Ela brinca com as pessoas, no melhor dos casos.

    Na wikipedia inglesa, pode ler-se o seguinte, citação:

    ‘[…] Butler stated in a 2010 interview with Haaretz [um jornal da extrema esquerda] that she began the ethics classes at the age of 14 and that they were created as a form of punishment by her Hebrew school’s Rabbi because she was “too talkative in class”.[11] […]’

    Ela gosta de falar. Muito bem. Mas a área da filosofia não é nada para essa burra. Ela seja mulher o homem. As regras são as mesmas. E depois ela mete-se com toda a porcaria da esquerda fascista. O que é que uma mulher pode aprender desses burros da esquerda? Com os maiores parvos e de ai nasce esta porcaria?

    Eu quero que esses filhas da puta façam uma curva muito grande à volta dos meus filhos e de todas as crianças em todo o mundo. Isto é o cúmulo da maldade. É só um pretexto para tirar o controlo das crianças aos pais. Completamente e destruir muitas vidas. So querem confusão. Isto nada tem de haver com progresso. Pior. É o contrário. Ninguém de livre vontada vai por esses caminhos. Só à força, e só vai dar para rir e destruir a vida de algumas pessoas. É triste tudo isto.

    Ninguém merece ter-se que preocupar com esta autêntica porcaria.

    Agora informar é a nossa obrigação. E é muito bom, o que a autora Cristina aqui faz.

    Liked by 1 person

  8. weltenbummler permalink
    18 Março, 2019 21:44

    ‘El desastre sin precedentes de la primera guerra mundial barrió una gran parte de
    la base del liberalismo decimonónico e inició una nueva era de revolución y de conflicto
    político mas intensos, de lo que jamás había habido antes ni ha habido después. Una de
    las principales fuerzas revolucionarias, el comunismo ruso, procedía directamente de la
    teoría marxista europea y revolucionaria rusa del siglo XIX. La otra gran fuerza radical
    nueva desencadenada por la primera guerra mundial, el fascismo, era más nueva y más
    original, pues fue un producto directo de la propia guerra.’

    Liked by 1 person

  9. Weltenbummler permalink
    18 Março, 2019 21:45

    El desastre sin precedentes de la primera guerra mundial barrió una gran parte de
    la base del liberalismo decimonónico e inició una nueva era de revolución y de conflicto
    político mas intensos, de lo que jamás había habido antes ni ha habido después. Una de
    las principales fuerzas revolucionarias, el comunismo ruso, procedía directamente de la
    teoría marxista europea y revolucionaria rusa del siglo XIX. La otra gran fuerza radical
    nueva desencadenada por la primera guerra mundial, el fascismo, era más nueva y más
    original, pues fue un producto directo de la propia guerra.

    Liked by 1 person

  10. Arlindo da Costa permalink
    18 Março, 2019 23:06

    Mas a Drª Cristina é alguma CIENTISTA para fazer essa afirmação?

    Gostar

    • Cristina Miranda permalink
      19 Março, 2019 12:41

      Não sou eu que afirmo. São os cientistas. Não falta documentação sobre isso.

      Liked by 1 person

      • Arlindo da Costa permalink
        20 Março, 2019 19:18

        «Cientistas»? 🙂 A ciência diz que há mais de meia centena de combinações. Até um deputado federal alemão da AfD brincou com isso.

        Gostar

  11. Jornaleco permalink
    19 Março, 2019 00:46

    No parlamento europeu, que eu não posso respeitar, porque nunca me respeitou, passa-se o seguinte.

    Dizem, que dois (2) por cento da população é perversa.
    Mas no parlamento europeu há dez vezes mais perversos, do que na média da sociedade europeia.

    A decadência e a perversidade estão sobre-representadas em Europa. Eu não posso aceitar isto e não aceito. Isto é um perigo enorme. O culto da morte a beixar o cu ao ambiente, a destruir riqueza, a querer de-industrializar, a estoirar montes de dinheiro em coisas que não fazem sentido. Milhares e milhares postos bem pagos estão e já foram destruidos. Por causa destes cabrões perversos.

    Verdes/EFA: 38 por cento de perversos.
    Socialistas: 33 por cento de perversos.
    Esquerda radical: 33 por cento de perverso.
    Liberais: 25 por cento de perversos.
    Europa da liberdade e da democracia directa: 12 por cento perversos.
    EVP: 7 por cento de perversos.
    Conservadores: 6 por cento.
    Europa das nações e da liberdade: zero por cento.
    Sem fracção: zero por cento.

    Gostar

  12. JgMenos permalink
    19 Março, 2019 17:48

    Os do género andam inquietos!
    Finalmente ouvem-se vozes a negar-lhes a fake doutrina.

    Liked by 1 person

  13. Carlos Trocado Ferreira permalink
    20 Março, 2019 19:02

    … da minha parte já optei: sou lésbico.

    Liked by 1 person

Trackbacks

  1. A Ideologia de Género não é ciência, é doutrinação – PortugalGate
  2. Carta aberta à jornalista Alexandra Borges | BLASFÉMIAS

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: