Saltar para o conteúdo

Senhora ministra, se o SNS funcionasse como os supermercados éramos nós bem mais felizes

13 Janeiro, 2020

“Nós não acreditamos num modelo de saúde de supermercado baseado em vales”, diz ministra da Saúde
A nossa sorte senhora ministra é nunca se ter criado um Serviço Nacional de Abastecimentos Alimentares e confiar-se esse papel aos supermercados. Caso tivéssemos para os alimentos um Serviço nacional de Abastecimentos comprar batatas seria agora pretexto para filas, senhas e pancadaria. Em vez de depreciar o  modelo de supermercado tem é muito para aprender com ele!

20 comentários leave one →
  1. procópio permalink
    13 Janeiro, 2020 22:49

    Nós sabemos no que ela acredita.
    Está à vista e vai tornar-se cada vez mais nítido.A aniquilação do sns.
    O limiar de sofrimento dos profissionais está a ser ultrapassado
    O tuga perceberá que bater nos profissionais não ajuda.

    O sns merece.um epitáfio inspirado no Soneto do Epitáfio de Bocage com alteração dos últimos versos, com a sua autorização, depois de morto.

    Lá quando em mim perder a humanidade
    Mais um daqueles, que não fazem falta,
    Verbi-gratia — o teólogo, o peralta,
    Algum duque, ou marquês, ou conde, ou frade:

    Não quero funeral comunidade,
    Que engrole “sub-venites” em voz alta;
    Pingados gatarrões, gente de malta,
    Eu também vos dispenso a caridade:

    Mas quando ferrugenta enxada idosa
    Sepulcro me cavar em ermo outeiro,
    Lavre-me este epitáfio mão piedosa:

    “Aqui dorme Bocage, o putanheiro; “Aqui dorme o sns, muito brejeiro;
    Passou vida folgada, e milagrosa; Passou a vida de início bem airosa;
    Comeu, bebeu, ……, sem ter dinheiro”. Emprego deu a muitos…sem ter dinheiro”

    Gostar

  2. Procópio permalink
    14 Janeiro, 2020 00:02

    A personagem não tem a mais pequena noção de como se gerem serviços de saúde.
    O objetivo deste governo, na saúde como noutros campos, não é tornar os portugueses felizes, mas subjugá-los, reprimi-los, torná-los escravos de um grupelho que se apossou do estado com a ajuda de oligarquias inatingíveis, com a cumplicidade do banhista.
    Com excepção dos fiéis lacaios que a rodeiam e da extrema esquerda, merece o repúdio generalizado dos profissionais de saúde de todas as categorias. Se mais não houvesse os internos, futuros especialistas, deixaram de ter um mínimo de formação útil nas instituições. O resultado funesto em breve será repercutido nos utentes. À paulada nada mudará. Com conversa fiada ainda menos. A brecha que abriu no sns não se deve só falta de dinheiro.
    Deve-se a amiguismos, gestão irresponsável, desactualização de processos e um desânimo pesado, antes de fazer as malas e partir para o mais longe possível.

    “The future depends on more than training. Equal attention must be focused on
    addressing medical practice burdens that have downstream consequences for patients”
    Stanford Medicine 2020 Health Trends Report

    Liked by 2 people

  3. mariojgcfernandes permalink
    14 Janeiro, 2020 00:03

    Só o facto de recebermos as promoções e o encerramento de urgências, e outros serviços, do SNS como recebemos dos supermercados por e-mail, era bacano.

    Por exemplo,
    »Durante o mês inteiro, faça uma gastroscopia e receba grátis uma colonoscopia«

    Gostar

  4. Carlos Rosa permalink
    14 Janeiro, 2020 00:38

    Eh pessoal,
    Deixem-nos pousar.

    Já que o Povo anda embalado com as bujardas populistas do Costa, distraído coitadinho o povo vai-se deixando encavar;
    mas um dia, quando perceber o buraco em que caiu vai parecer um touro bravo. Leva tudo à frente. E nesse dia queremos que seja ainda o Costa a mandar.

    Liked by 1 person

    • Manuel Assis Teixeira permalink
      14 Janeiro, 2020 10:02

      Esperemos que sim! Não é possivel mentirem tanto a tanta gente e durante tanto tempo sem castigo!

      Gostar

      • Expatriado permalink
        14 Janeiro, 2020 11:45

        Em Portugal, É!!! (desde que os 10 euritos de aumento na pensão continue a escorrer…)

        Gostar

    • 14 Janeiro, 2020 17:36

      O Carlos Rosa é um claro optimista. Eu recordo sempre que em 2011, depois de uma bancarrota e de sérias desconfianças sobre a sua conduta que já existiam, José Sócrates teve quase 30% dos votos. O nosso povinho, como Deus ao borracho, está sempre pronto a amparar a queda aos socialistas, vendendo-se-lhes pela ilusão de um punhado de lentilhas.

      Gostar

  5. Manuel Assis Teixeira permalink
    14 Janeiro, 2020 08:49

    Esta ministra nem merece comentário! Só diz alarvidades condicionadas pelo seu esquerdismo politicamente correcto! Tem a mesma categoria de uma recepcionista de hospital! E como tal deve ser encarada! Não deve aliás durar muito no posto!

    Gostar

    • Expatriado permalink
      14 Janeiro, 2020 11:48

      Vai durar, vai. O Costa não quer as atenções viradas para ele e enquanto ela lá estiver…

      Gostar

  6. José Reis permalink
    14 Janeiro, 2020 09:04

    Os hospitais, hoje em dia, mais parecem matadouros de seres humanos.
    Chegadas ali, as pessoas, sejam elas crianças ou idosas, são arrumadas e despachadas como animais. Fazer os necessários exames e análises é um desperdício de tempo e dinheiro. As camas têm que se desocupar, não para quem chega, mas para quem ainda possa chegar. Os doentes ficam abandonados à sua sorte, que não é nenhuma, e quem não morre logo ali ainda volta para casa com o bilhete de volta de uma possível má avaliação.
    A angústia do trajecto entre casa e hospital é a mesma no sentido inverso, porque nunca sabemos se fomos bem diagnosticados ou ainda vimos pior, depois de horas e horas de espera pelo desespero de um atendimento que não funciona, no desvario e desatino do improviso e da anarquia dos hospitais.
    Já não se pode adoecer em Portugal, porque na verdade, a saúde passou a ser um negócio de euromilhões. E uma gripe mal curada vale tanto como uma hérnia estrangulada, a remoção de um quisto sebáceo vale tanto como uma infecção pulmonar, uma amigdalite aguda vale tanto como um implante mamário, um médico que decide dar alta vale tanto como mais uma cama desocupada.
    Porque tudo afinal, é misturado no mesmo saco da gestão hospitalar, que por ordens emanadas de cima, é obrigatório fazer-se cortes e poupanças, em apertados critérios de escolha, nem que seja num simples comprimido ou mudança de penso.
    E se não se acredita num modelo de saúde de supermercado baseado em vales, muito menos de confiará nas vantagens de um curso intensivo de auto defesa a todos os funcionários da saúde, para estarem melhor preparados em resposta a eventuais cenas de pancadaria e a atitudes menos correctas por parte dos utentes.
    Daqui para amanhã, não se admirem que ocorra uma qualquer notícia, que um determinado clínico deu cabo do baço a um doente, com um golpe de karaté, quando este foi ofensivo e desrespeitoso quando estava a ser auscultado, ou quando uma senhora enfermeira, sentindo-se coagida e ofendida por uma paciente mais impaciente, lhe aplicou na hora um soco forte no queixo, que arrumou com ela para os cuidados intensivos.
    No fundo, no fundo, a saúde, hoje em dia, é violenta, que exige um acto de coragem a quem a exerce cabalmente, por todos os motivos que sabemos e lhe estão associados, e sendo assim, nada melhor que a pôr em prática.
    Entretanto, a senhora ministra da saúde, com mais ou menos dificuldade, lá toma mais um prozac para disfarçar as suas insónias e olheiras, desresponsabilizando-se por completo pelas mortes que estão a ocorrer.

    Liked by 1 person

  7. Beirao permalink
    14 Janeiro, 2020 09:22

    “Essa coisa que diz coisas” pior do que ser uma criatura que não seria lá grande coisa como simples serventuária de limpeza de um qualquer hospital privado, é estar a lixar a saúde dos doentes que precisam ser curados como deveb ser e a tempo e horas.
    Essa do supermercado é sintomática do que vai na cabecinha desgovernada do pau mandado do Kosta.

    Gostar

  8. ATAV permalink
    14 Janeiro, 2020 10:21

    Ahhhh! Que bela ideia! O modelo de supermercado aplicado à saúde.

    Ou seja, aproveitar-se da debilidade económica das pessoas que não têm outra escolha para tratar os clientes como gado, espremer os fornecedores e escravizar os funcionários.

    Hum?!?? Mas o pessoal daqui não passa a vida a dizer que o SNS já é basicamente isto? Então qual é diferença?

    Já sei!! No topo da estrutura empresarial dos supermercados estão “gestores de primeiríssima água” pagos que nem nababos e algumas das famílias mais ricas de Portugal. No SNS está um ministro que ganha menos de 5000 euros ao mês e que irá ser corrido sem cerimónias quando o governo perder as eleições ou quando o primeiro-ministro deixar de ir com a cara dele.

    Portanto para aplicar o modelo de “grande superfície” à nossa saúde basta instalar gestores pagos principescamente que são corridos com reformas douradas e pagar dividendos opíparos a uma das famílias mais ricas de Portugal. Eu sugiro os Mello visto que eles já têm experiência em receber dividendos deste sector.

    Já está! Problema resolvido para o pessoal do Blasfémias…

    Gostar

    • Expatriado permalink
      14 Janeiro, 2020 11:55

      Não vás ao medico (privado), não. Porque no SNS estás phodido…

      Gostar

      • ATAV permalink
        14 Janeiro, 2020 15:04

        Eu uso o tanto o sector privado como o público. Fui bem tratado até agora.

        Gostar

      • lucklucky permalink
        14 Janeiro, 2020 18:46

        A aristocracia do privilegio socialista bem evidente.
        Odeiam que as pessoas escolham.

        Claro que não têm nada a dizer sobre a ADSE. Liberdade só para alguns.

        Veja-se ainda o desprezo aristocrático que os socialistas têm pelos supermercados onde as pessoas compram os alimentos para viverem – nem falemos do desprezo que têm pelas mercearias.

        Tudo o que não seja coercivo é desprezado pelos socialistas.

        Gostar

      • lucklucky permalink
        14 Janeiro, 2020 18:50

        Porque a coerção é o que faz a identidade do socialista.

        Gostar

      • ATAV permalink
        15 Janeiro, 2020 11:07

        lucklucky

        Declaração de interesses: não beneficio de ADSE actualmente. Um dos meus progenitores era funcionário público e eu tinha ADSE em criança.

        A ADSE actualmente um sistema insustentável que está a tender para o colapso. E qual é a causa da insustentabilidade? O facto de não ser obrigatória (agradeça ao Passos Coelho). Ou seja o sistema está nas últimas por causa daquilo que você chama de “liberdade de escolha”. Creio que a Vera Gouveia Barros e a Susana Peralta já escreveram sobre isso.

        Mas eu sei que o sistema que você defende é o americano pré-obamacare mas sem a insenção fiscal para os empregadores. Ou seja ainda mais caro, cruel e fomentador de exclusão que o sistema deles antigo. Assim ainda mais pessoas poderão “escolher” entre morrer por causa de falta de tratamento ou entrar na falência por causa de dividas médicas. VIVA A LIBERDADE DE ESCOLHA!

        “Veja-se ainda o desprezo aristocrático que os socialistas têm pelos supermercados onde as pessoas compram os alimentos para viverem – nem falemos do desprezo que têm pelas mercearias.”

        Não tenho problema nenhum com supermercados e mercearias. As pessoas precisam de comprar comida, os fornecedores precisam de compradores para os seu produtos e as pessoas precisam de empregos.

        No entanto, tenho bastantes problemas com assimetrias de poder em relações comerciais ou laborais. Como no caso dos supermercados que utilizam o seu tamanho e capacidade financeira para baixar os salários dos trabalhadores, obrigar os fornecedores a fazerem promoções a baixo de preço de custo ou deixarem os clientes acumularem-se nas caixas durante imenso tempo. Sabe ao que chama quando alguém que abusa de quem não tem outra escolha? Coerção…

        Mas quando são empresários a fazê-lo, você deixa logo de brandir essa palavra. Já passa a ser o “mercado a funcionar normalmente”.

        E querer aplicar este modelo comercial num sector tão específico como a saúde é completamente desmiolado. E desumano também… Mas para você ” the cruelty is the point”, como diria o outro…

        Gostar

  9. EMS permalink
    14 Janeiro, 2020 18:59

    Já tenho apanhado filas bem grandes em supermercados….

    Gostar

    • André Miguel permalink
      14 Janeiro, 2020 20:05

      E os clientes a morrer na fila, de certeza…

      Gostar

      • EMS permalink
        14 Janeiro, 2020 21:45

        Por acaso já vi acontecer.
        Mas é suposto que os clientes dos supermercados sejam em geral mais saudaveis que os dos hospitais.

        Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: