Saltar para o conteúdo

Contra o suicídio das civilizações

20 Maio, 2022

Segue-se um excerto de interessante discurso de Václav Klaus, na The Conservative Political Action Conference, em Budapeste (Hungria), ontem, 19 de Maio.

Tradução livre minha para Português:


O mundo pós-democrático contemporâneo, mais ou menos socialista, conjugado com um progressismo agressivamente imodesto e quase anárquico, com uma cultura arrogante do cancelamento e os excessos quase inimagináveis ​​da revolução de género, é o oposto do mundo que queríamos construir.

Como aconteceu? Terá sido porque as nossas velhas, bem definidas e amplamente aceites ideias conservadoras se tornaram obsoletas, inadequadas, talvez inaplicáveis ​​no atual admirável mundo novo, que ainda está à espera dos seus recém-nascidos Huxleys e Orwells? Devemos, portanto, renovar, modernizar, reformular essas ideias? Ou nós “só” temos que regressar a elas?

A minha resposta a esta pergunta é simples e bastante modesta: creio que é suficiente voltar às nossas ideias. No entanto, fazê-lo seria uma conquista revolucionária – não apenas pela força inegável dos nossos oponentes e inimigos, como muitas vezes se argumenta.

Vejo muitos problemas e inconsistências do nosso lado. As nossas ideias conservadoras não foram suficientemente expostas e promovidas durante muito tempo – pelo menos desde os anos 1960, desde as barricadas em Paris de 1968 e a Students for Democratic Society in America. O problema foi ampliado pela evidente passividade dos pensadores conservadores após a queda do comunismo, quando o mundo ocidental ingenuamente aceitou a tese do “fim da história” de Fukuyama e se tornou injustificadamente garantido que as ideias sobrevivem, funcionam e vencem sem serem constantemente defendidas e promovidas.

As perdas que vejo estão tanto no campo das ideias quanto nos arranjos institucionais radicalmente modificados do mundo ocidental, especialmente aqui na Europa. No campo da ideologia, vejo as principais mudanças para pior nos seguintes campos:

˗ na vitória dos «direitismos-humanos» sobre os direitos cívicos entendidos de forma conservadora e sobre o princípio tradicionalmente definido de cidadania;

˗ numa perda de liberdade ligada ao facto de a democracia liberal progressista ter conseguido substituir a liberdade por direitos. A ideologia dos direitos positivos alcançou o status de religião cívica;

˗ na vitória do ONGismo, do poder de grupos de pressão não eleitos e interesses adquiridos sobre a democracia parlamentar pluralista;

˗ na vitória do ambientalismo agressivo sobre a racionalidade elementar e o bom senso, sobre a sabedoria do cidadão comum, sobre o pensamento económico conservador;

˗ nas consequências do facto de os crentes no Estado-nação terem mais ou menos capitulado no seu confronto com as organizações internacionais (na Europa com a UE);

˗ na interrupção da continuidade. A sociedade ocidental começou a distanciar-se das suas raízes culturais e históricas e da longa tradição de moderação e decência;

˗ na negação da existência da natureza humana. Os expoentes da revolução sexual conseguiram transformar homens e mulheres, o hardware biológico da sociedade humana, num software cultural e social;

˗ e, finalmente, nos novos padrões morais e comportamentais que substituíram tradições e valores conservadores.

Tem também uma componente institucional. Todas estas mudanças foram possibilitadas pela negação do papel dominante dos Estados-nação na estruturação da sociedade humana e pelo crescente papel das organizações e instituições internacionais. O movimento em direção a uma governança global e sub-global, o que significa Europeia, levou à supressão do único garante eficiente da Democracia, o Estado-nação.

Os Estados-nação soberanos tornaram-se uma unidade política fundamental dos assuntos internacionais. O modelo existente do processo de integração europeia, em que a integração se transformou numa unificação e centralização europeia da tomada de decisões, e em que a liberalização se transformou em harmonização, padronização e uniformidade, tornou-se o principal veículo para a perda do pensamento conservador nesta nossa parte do mundo.

Estamos na defensiva há muito tempo. Uma ofensiva autoconfiante baseada na convicção de que as ideias importam e que as ideias conservadoras são parte fundamental e insubstituível deve ser iniciada. Há uma necessidade desesperada de defender o muito frágil Ocidente dos seus inimigos intelectuais internos. Não é só na Hungria que temos que lutar contra o crescente protagonismo dos expoentes do «Homo Sorosensus» e a ascensão das elites cosmopolitas.

Não devemos permitir que os progressistas dominem a política, os media e o sistema educacional atuais. James Burnham disse que “as civilizações morrem apenas por suicídio”. Receio que a nossa falta de actividade possa facilmente levar a tal fim. Como disse antes, a queda do comunismo e o fim da Guerra Fria minaram a consciência e o estado de alerta anteriores.

O mesmo erro não deve ser cometido novamente. O conservadorismo nunca significou uma rejeição a priori de mudanças fundamentais e de uma descontinuidade radical com o passado. Certamente não sou o único que sente que chegamos a um ponto de viragem. Devemos começar a defender e promover activamente as ideias que herdamos dos nossos antecessores.


Acima, excerto do discurso de Václav Klaus, na The Conservative Political Action Conference, em Budapest (Hungria), a 19 de Maio de 2022.

O original completo pode ser lido aqui.

20 comentários leave one →
  1. FreakOnALeash permalink
    20 Maio, 2022 16:32

    Sou europeísta convicto, desejo muito uma Federação Europeia à imagem dos EUA, mas sem a selvajaria capitalista que os carateriza.

    Sou conservador nos valores e já fui mais pró Orbán, mas perdi apreço pelo estado húngaro ao ver que a linha vermelha da corrupção foi claramente ultrapassa e que orbita à volta de Viktor. Neste momento até sinto nojo dos representantes políticos dessa nação ao ver que vergam-se perante o nazismo Putanesco.

    Gostar

    • Duarte de Aviz permalink
      22 Maio, 2022 23:10

      Percebe-se que está com as ideias baralhadas, mas não faz mal. Acontece quando estamos sem direção. Vou tentar ajudar.
      O que o senhor gosta acerca dos estados unidos foi resultado do tal capitalismo que classifica de “selvagem”. Aliás o capitalismo que fez a América era bem mais “selvagem” do que é hoje.

      Gostar

      • FreakOnALeash permalink
        23 Maio, 2022 10:59

        Foi também o capitalismo selvagem que gerou a UE?
        Ou terá sido antes o desejo de um futuro de paz e solidariedade entre as várias nações?

        Gostar

      • Zé Manel Tonto permalink
        23 Maio, 2022 23:32

        “Ou terá sido antes o desejo de um futuro de paz e solidariedade entre as várias nações?”

        Se tem idade para saber escrever então já nõ tem idade para ser tão ingénuo.

        Gostar

      • FreakOnALeash permalink
        24 Maio, 2022 08:41

        Talvez seja ingénuo mas não vejo outro conceito senão o da solidariedade por detrás dos rodos de dinheiro que a UE enterrou em Portugal.

        Gostar

  2. 20 Maio, 2022 18:16

    A Caminho do Transumanismo -do livro “Acorde” de Fernando Paz — A Chegada do século XXI trouxe-nos a imposição da chamada ideologia de género,embasamento pseudo-intelectual de toda essa política chamada “ampliação de direitos”.Compreender o impacto da ideologia de género é essencial para explicar o futuro projetado pelas elites para o novo mundo. — Sem a ideologia de género(sem essa negação da essência e da sua deriva degradante da natureza humana),não seria possível a afirmação transumanista,que representa a hibridação entre o homem e a máquina,com uma renúncia inevitavelmente progressiva do primeiro em favor da segunda.Apenas um homem desconstruído pode aceitar o trinfo do ciborgue,onde se entram os “sonhos” da ideologia de género e da confiança infinita no progresso.

    Gostar

  3. Ricardo Amaral permalink
    20 Maio, 2022 18:26

    Os globalistas querem contruir um mundo novo,na crença de que o caminho que temos percorrido até agora(texto editado em fevereiro antes de rebentar a invasão da Ucrânea)é errado e levou-nos a um beco sem saída.Esse projeto de um novo mundo é conhecido como Nova Ordem Mundial,um conceito que ultrapassa muito a ideia de ummero ordenamento da política externa para incluir um recheio ideológico muito preciso.Contudo ,não nos esqueçamos de um ponto muito importante: tudo isto afecta fundamentalmente o Ocidente. A Nova Ordem Mundial assenta numa série de pilares: A. No ideológico,a supressão das culturas nacionais através do multiculturalismo,caminho certo para a destruição do Ocidente.Há que eliminar as fronteiras e impedir toda a protecção nacional.Essa destruição cultural vem acompanhada da supressão da moral social tradicional para substituí-la por moralidades parciais ou pela ausência de toda a moral. B. Pelo económico,um capitalismo liberal,ou um capitalismo público,tanto faz,que desemboque num capitalismo transnacional. C. No espiritual,o sincretismo religioso deverá substituir o cristianismo pela Nova Era,uma espécie de espiritualismo não confessional;pelo agnosticismo ; e,sobretudo, pelo indiferentismo. Para alcançar esses objectivos o globalismo sustenta-se num conjunto de contribuições(ideologia não sistematizada) que reúnem uma concepção materialista do mundo,procedente de uma corrente de esquerda(marxismo cultural)e de uma corrente de direita(liberalismo globalista). —do livro Acorde de Fernando Paz

    Gostar

  4. Euro2cent permalink
    20 Maio, 2022 23:57

    os crentes no Estado-nação

    Foi assim que isto foi por água abaixo.

    Se não topam que a teoria do direito dos povos à auto-determinação, como promulgada pelos camaradas Wilson e Lenine, que tinham recentemente extinto a mesma nos seus impérios, é a melhor charada já perpetrada, estão a precisar de ligar os miolos.

    O melhor que os povos têm a fazer é obter um bom negócio com o melhor império da vizinhança.

    (Coisas que não ensinam na escola, parte CXXIII)

    Gostar

  5. Atento permalink
    21 Maio, 2022 03:13

    O primeiro problema do conservador é que, por definição, quer conservar as coisas como estão. Conservar esta trampa de país e de mundo? Porra.

    Sim, já foi pior e pode sempre piorar. Mas podia e devia ser melhor. Muito melhor. Quem se contenta com trampa merece trampa.

    Devíamos estar – sempre – a discutir como melhorar, não como manter a trampa. Um conservador é geralmente um acomodado, amiúde um chuleco e/ou egoísta a quem a vidinha corre bem. Por isso a direita é geralmente conservadora.

    Gostar

  6. Atento permalink
    21 Maio, 2022 03:18

    “…desejo muito uma Federação Europeia à imagem dos EUA, mas sem a selvajaria capitalista que os carateriza.”

    Quando se lê estas coisas de direitalhas como o FreakOnLeash, quase se fica optimista: sempre têm alguma noção!

    Torna-se, no entanto, mais estranho que continuem direitalhas. Será só ódio pavloviano à esquerda? Décadas de propaganda americana e anti-comuna, de chavões sobre Estaline, Castro e a Coreia do Norte?

    Mesmo desprezando a esquerda, quando se tem alguma noção de justiça, como permanecer direitalha? É como descobrir que nos estão a dar merda a comer há décadas, e continuar a comê-la mesmo depois disso.

    Gostar

    • Duarte de Aviz permalink
      22 Maio, 2022 23:37

      Viva a “justiça” Cubana, Bolivariana, do Lula, do novo Peru, da Bolívia, da Nicarágua, da dianstia Kim, dos Sovietes, do comunista Putin, dos palhaços do BE e das conquistas do PC. Enfim, a justiça dos que só comem comida “gourmet”.

      Gostar

    • FreakOnALeash permalink
      23 Maio, 2022 10:35

      Atento! Só em Portugal num espetro político extremamente enviesado para a esquerda e que endeusa a mesma é que eu posso ser considerado direitalhas.
      A nível europeu estou muito mais próximo de uma CDU de Merkel…portanto centro.
      Não tenho ódio à esquerda, mas a esquerda portuguesa tem ódio a construir um país próspero e ama a corrupção…logo não gosto muito dela.

      Gostar

    • Zé Manel Tonto permalink
      23 Maio, 2022 23:36

      “Mesmo desprezando a esquerda, quando se tem alguma noção de justiça, como permanecer direitalha?”

      Porque há quem, por desprezar invejosos, e amigos do alheio, nunca supere o desprezo pelas politicas de esquerda.

      Gostar

      • Atento permalink
        24 Maio, 2022 19:33

        “Porque há quem, por desprezar invejosos…”

        É natural os ricos e os mamões passarem a vida com a ‘inveja’ na boca: querem denegrir a justa indignação pela injusta distribuição da riqueza. Chamam-lhe inveja para disfarçar.

        No caso de direitalhas pobres é mais estranho: serão só otários? Engoliram a patranha de que todos podem ser ricos se ‘trabalharem muito’? Ou gostam de ser capachos de mamões?

        O que acha, Zé?

        Gostar

  7. balio permalink
    21 Maio, 2022 08:35

    Eu julgava que o Telmo A F fosse um liberal. Afinal é conervador?

    Gostar

    • FreakOnALeash permalink
      23 Maio, 2022 11:09

      Não são conceito antagónicos. Podemos ser liberais a nível económico e conservadores nos valores. Eu sou certamente conservador nos valores, no campo do liberalismo económico estarei mais a meio da escala, ou seja, nem fazer um diabético entrar em falência para poder continuar vivo, nem deixar a alguém que contribui zero para o sistema sair de um hospital em liberdade depois de agredir um funcionário!

      Gostar

      • balio permalink
        24 Maio, 2022 11:16

        Podemos ser liberais a nível económico e conservadores nos valores.

        Uma pessoa que é isso não é nem liberal nem conservadora. É oportunista. É uma pessoa que escolhe de cada teoria política somente os aspetos que pontualmente lhe convêem. Não é portanto nada se não uma oportunista.

        Gostar

      • FreakOnALeash permalink
        26 Maio, 2022 12:02

        Devo ser um oportunista muito fraco então…
        A sua conclusão de que eu sou oportunista por ser conservador nos valores e mais liberal nas políticas económicas parece-me manifestamente mal fundamentada.
        Então como classifica quem é conservador nas políticas económicas e liberal nos valores?

        Gostar

  8. 21 Maio, 2022 11:24

    A ver o Hotel Felfudo no canal 2 às 8.30 desta manhá Entretanto fiz zapping para o canal 1 e havia uma daquelas “última hora” e o que era afinal?-Era só mais um “turista”(ou peregrino)a visitar a Ucrânia para tirar “selfies” e aparecer nos telejornais. De modos que voltei logo para o canal 2 para ver o Hotel felpudo(bem dito canal 2,assim não custa tanto pagar a taxa audiovisual) ver grandefantochada blogspot

    Gostar

  9. Albino manuel permalink
    25 Maio, 2022 16:01

    hoje é dia 25. Um blog morto. Falhou,

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: