Saltar para o conteúdo

O que é o Hamas? (2)

4 Janeiro, 2009
by

Não esquecer o Hamas Covenant. Alguns extractos. (Texto completo aqui):

“Israel will exist and will continue to exist until Islam will obliterate it, just as it obliterated others before it.”
“The Islamic Resistance Movement believes that the land of Palestine is an Islamic Waqf consecrated for future Moslem generations until Judgement Day. It, or any part of it, should not be squandered: it, or any part of it, should not be given up.”
“The Movement is but one squadron that should be supported by more and more squadrons from this vast Arab and Islamic world, until the enemy is vanquished and Allah’s victory is realised.”
“The Islamic Resistance Movement aspires to the realisation of Allah’s promise, no matter how long that should take. The Prophet, Allah bless him and grant him salvation, has said: “The Day of Judgement will not come about until Moslems fight the Jews (killing the Jews), when the Jew will hide behind stones and trees.”
“Initiatives, and so-called peaceful solutions and international conferences, are in contradiction to the principles of the Islamic Resistance Movement. Abusing any part of Palestine is abuse directed against part of religion. Nationalism of the Islamic Resistance Movement is part of its religion.”
“There is no solution for the Palestinian question except through Jihad. Initiatives, proposals and international conferences are all a waste of time and vain endeavors.”
“After Palestine, the Zionists aspire to expand from the Nile to the Euphrates. When they will have digested the region they overtook, they will aspire to further expansion, and so on. Their plan is embodied in the “Protocols of the Elders of Zion”, and their present conduct is the best proof of what we are saying.”
“The day the Palestine Liberation Organization adopts Islam as its way of life, we will become its soldiers, and fuel for its fire that will burn the enemies.”
“Under the wing of Islam, it is possible for the followers of the three religions – Islam, Christianity and Judaism – to coexist in peace and quiet with each other. Peace and quiet would not be possible except under the wing of Islam. Past and present history are the best witness to that.”

Vamos lá, todos às manifs, louvar a besta.

97 comentários leave one →
  1. celestine permalink
    4 Janeiro, 2009 20:06

    De usurpador da terra, da água e da gente, terrorista entre todos, Israel é aquele país inviável a prazo. Ou como diz Nicolas Cage, ali na 1, a sua alma infestada de sangue não tarda a sentir a dor incomensurável dos inocentes.

    Gostar

  2. 4 Janeiro, 2009 20:07

    Bem lembrado jcd.

    Gostar

  3. celestine permalink
    4 Janeiro, 2009 20:19

    E se tivéssemos igual um país dentro do nosso, que nos usurpasse a terra, a água, a liberdade, a gente, sufocando-nos à humilhação constante, também só anelaríamos um messias, por um Hamas que, intrépido, nos devolvesse à esperança.

    Esse país é Israel, que desculpamos, por mais forte e prepotente.

    Gostar

  4. 4 Janeiro, 2009 20:25

    Em português neste livro:
    http://via-occidentalis.blogs.sapo.pt/12020.html

    Ninguém organiza uma contramanifestação?
    Segundo o Jihad Watch (http://www.jihadwatch.org/archives/024225.php#comments), em Toronto a proporção seria de 5000 para 300? Em Lisboa quantas pessoas com coragem para se pôr diante de uma manifestação da esquerda, conhecida por ser tolerante com os que concordam com ela?

    Gostar

  5. Salah al-Din permalink
    4 Janeiro, 2009 20:26

    A besta nazi-sionista deve desaparecer da face da terra. É UM TUMOR FEDORENTO A SER REMOVIDO DE URGÊNCIA. E ISSO ACONTECERÁ, custe o que custar. Um estado nazi, ditatorial, terrorista, fundamentalista, apartheidesco, militarista NÂO TEM O DIREITO DE EXISTIR. Tal como o regime nazi não tinha o direito de existir. Os judeus anti-sionistas poderão sempre viver na Palestina, MAS ACEITANDO O ONE MAN, ONE VOTE, ONE LAND. É A DEMOCRACIA, ESTÚPIDOS !

    Gostar

  6. lucklucky permalink
    4 Janeiro, 2009 20:38

    A Extrema Esquerda continua a sua História de sacrificar os Palestinianos a Gangsters e Genocidas. Depois da Fatah e outros grupos terroristas chegou a vez de apoiar os Islamitas do Hamas. Dois anos atrás foi aos Islamitas do Hizbalá.

    Gostar

  7. portela menos 1 permalink
    4 Janeiro, 2009 20:48

    vamos lá louvar as bestas:

    Gostar

  8. 4 Janeiro, 2009 20:53

    Os Hamas são umas bestas. Uns terroristas. Deviam estar todos presos. E que culpa têm os palestinianos disso? Votaram neles. Em massa, pois foi. Pudera. Vivem cercados, todos têm um pai, um irmão, um primo que morreu sob as balas dos israelitas. Que, para eles, lhes ocupam as terras. Chamam-lhes sionistas.

    “Zionism did not spring full blown from a void with the creation of the Zionist movement in 1897. Jews had maintained a connection with Palestine, both actual and spiritual, even after the Bar Kochba revolt in 135, when large numbers of Jews were exiled from Roman Palestine, the remains of their ancient national home. The Jewish community in Palestine revived and, under Muslim rule, is estimated to have numbered as many as 300,000 about 1000 AD, prior to the Crusades. The Crusaders killed most of the Jewish population of Palestine or forced them into exile, so that only about 1,000 families remained after the reconquest of Palestine by Saladin. The Jewish community in Palestine waxed and waned with the vicissitudes of conquest and economic hardship, and invitations by different Turkish rulers to displaced European Jews to settle in Tiberias and Hebron. At different times there were sizeable Jewish communities in Tiberias, Safed, Hebron and Jerusalem, and numbers of Jews living in Nablus and Gaza. A few original Jews remained in the town of Peki’in, families that had lived there continuously since ancient times.
    In the Diaspora, religion became the medium for preserving Jewish culture and Jewish ties to their ancient land. Jews prayed several times a day for the rebuilding of the temple, celebrated agricultural feasts and called for rain according to the seasons of ancient Israel, even in the farthest reaches of Russia. The ritual plants of Sukkoth were imported from the Holy Land at great expense.”

    Gostar

  9. 4 Janeiro, 2009 20:54

    E quem é que dizia que o mundo ia ficar um lugar menos perigoso? Era o Bochechas, não era?

    Gostar

  10. Levy permalink
    4 Janeiro, 2009 20:56

    Mais uma vez, vamos ver os do costuem a gritar pelas ruas, e as maiorias silenciosas em casa. Não estivesse eu a trabalhar, ia para lá com uma bandeira de Israel defender a intervenção contra o Hamas. Ai iriamos ver os democratas que vivem no PCP e no BE.

    Gostar

  11. Levy permalink
    4 Janeiro, 2009 20:57

    6#

    EuroLiberal disfarçado de terrorista palestiniano.

    Gostar

  12. Já volto permalink
    4 Janeiro, 2009 21:08

    Não percebo.

    A ONU, leia-se EUA, Russia e alguns paises Europeus dividem a Palestina em 2. Este pedaço é para os judeus, este é para os palestinianos. Resolução feita. O zé palestiniano diz que não concorda mas a ONU diz que é assim e acabou. Este pedaço já não é teu é destes.

    E alguém espera que o zé aceite isto? Roubam-me a terra só porque sim e que viveram aki há não sei quantos anos.

    Esperavam o quê? Compreensão?

    Depois o zé fraquinho mas orgulhoso revoltou-se e apanhou na tromba. Mas nunca vergou. A terra é minha. E apanhou mais e foi cada vez mais humilhado e cada vez ficou com menos terra. Humilhação atrás de humilhação e chegou o dia em que só sobrou bombas humanas. E depois mais humilhação.

    E agora, hoje, mais e mais.

    Esperam que o zé ainda vá aceitar as condições do humilhador?

    Curioso é neste blog levarem carimbos de BE quem tem opinião diferente da do rebanho.
    Uma pobreza este espaço. Até li num comentário ao post anterior que as ONG mamam os recursos do estado e que deviam fechar portas. Até as comparam a organizações ditas terroristas. Como se toda a gente nascesse num berço igual aos vossos.

    Um bando de gordos ociosos é o que se vê por aqui. E o ócio não é só físico.

    Os chupistas do estado estão aqui todos.
    O Tugal que somos deve-se a esta gente.

    Gostar

  13. Pi-Erre permalink
    4 Janeiro, 2009 21:12

    In The Name Of The Most Merciful Allah

    A manifestação sairá da igreja de S. Domingos e dirigir-se-á, em oração, para a Mesquita de Lisboa, onde serão servidas sandes de couratos regadas com vinho do Cartaxo.

    Allá Alli Babbá

    Gostar

  14. Já volto permalink
    4 Janeiro, 2009 21:14

    E que tal um post com um video das IDF a chacinar palestinianos no Libano na decada de 80?

    Se eu vir o video concluo que Israel é apenas isso?

    O video anterior está fora de contexto. Gerou-se uma guerra civil na Palestina. Existem episódios destes em qualquer guerra civil.

    Essa xenófobia devia ser tratada.

    Gostar

  15. Já volto permalink
    4 Janeiro, 2009 21:17

    Matar inocentes com uma bomba humana não é aceitável.

    E matar 60 criançs com bombas de 2 toneladas mandadas por aviões que visam matar meia dúzia de “terroristas” é?

    Gostar

  16. celestine permalink
    4 Janeiro, 2009 21:18

    E quem é que dizia que o mundo ia ficar um lugar menos perigoso?

    Ora, mas eram vocês, adoradores da invasão ilícita, prepotente e suja, do vale da Babilónia, ó seus pederastas.

    Gostar

  17. Já volto permalink
    4 Janeiro, 2009 21:23

    Estão todos de barriguinha cheia sentadinhos no quentinho do sofá não é?

    Por lá tem 1,5 milhões de pessoas sem água, electricidade ou aquecimento faz uns dias.

    Mas em pelo menos 100 (60 crianças) houve bombas. Não humanas mas de 2 toneladas.
    Tão terroristas que elas eram.

    Experimentem passar por isto e depois chamem lá BE e comunas a quem tem opiniões diferentes.

    Gostar

  18. Sem Anestesia permalink
    4 Janeiro, 2009 21:32

    Se nao fosse triste, mesmo triste, eu gostaria de ver esta gente das manifs a viver pelo regime do Hamas. Em especial as senhoras.
    Seria uma excelente oportunidade para serem coerentes.

    Gostar

  19. 4 Janeiro, 2009 21:35

    “Se nao fosse triste, mesmo triste, eu gostaria de ver esta gente das manifs a viver pelo regime do Hamas. Em especial as senhoras.
    Seria uma excelente oportunidade para serem coerentes.”

    E eu gostava de ver todos os sem anestesia a viver num território cercado onde todos odeiam o vizinho, sem bens essenciais e , agora, com bombas a cairem do céu.

    Gostar

  20. Já volto permalink
    4 Janeiro, 2009 21:39

    “Se nao fosse triste, mesmo triste, eu gostaria de ver esta gente das manifs a viver pelo regime do Hamas”

    Por o regime do Hamas ser medieval justifica-se a morte, à bomba de 2 toneladas, de crianças? Justifica 1,5 milhoes de pessoas estarem sem água, sem electricidade, com temperaturas de menos de 10 graus à noite e sem comida?

    Mas está tudo doido?

    É esta a direita portuguesa?
    E ainda se admiram por não haver alternativeis crediveis ao PS?

    Eu pasmo-me!

    Gostar

  21. 4 Janeiro, 2009 21:40

    essa descrição, suficiente e completa, só prova k o islamismo não é nenhuma religião (no sentido k damos ao Cristianismo), mas uma corrente ideológica fundada no ódio, violência, crueldades, selvajarias. Daí a natural convergência com a barbárie stalinista e trotzkista: processos iguais. Daí k seja a esquerda caviar e jacobina, mais os idiotas úteis, quem mais fala em religião, “orações”, “cidades santas”. Maomé e seguidores eram assaltantes e assassinos e violadores: não há dúvidas históricas. Toda a expansão do islamismo, e submissão dos povos, se deu a fio da espada, incluíndo Norte de África e Pen Ibérica, sob a ideologia do Al Corão. Ainda hoje se praticam selvajarias em nome do islão um pouco por todo o mundo- tenho vários posts, fotos e vídeos no blog. Era importante contra manifestação pacífica contra as selvajarias.

    Gostar

  22. lucklucky permalink
    4 Janeiro, 2009 21:43

    “Por lá tem 1,5 milhões de pessoas sem água, electricidade ou aquecimento faz uns dias.”

    Durante quanto tempo pensa que esse tipo de argumentos românticos idiotas funcionarão?

    Enquanto as V1 e depois as V2 choviam em Inglaterra os Bombardeiros Ingleses atacavam a Alemanha. Mas você escolhe defender as V1 e V2 e um Governo do Hamas com uma ideologia semelhante.

    Gostar

  23. 4 Janeiro, 2009 21:46

    mesmo na Palestina de hoje há lapidação de mulheres e “crimes de honra”: o livro ” “Queimada Viva”, edições Asa, é um bom exemplo.

    Gostar

  24. Já volto permalink
    4 Janeiro, 2009 21:47

    Já perceberam que ao chamarem BE e comunas aos de opinião diferente mais a sociedade portuguesa percebe como pensa a direita tuga e mais se afasta dela?

    É esta a direita que quero ter? A que diz que as ONG são “chupistas” e que matar à bomba dezenas (se não centenas a esta hora) crianças é justificável porque o Hammas chacinou a OLP em gaza e manda morteiros para Israiel?

    É esta direita egoista, populista, ignorante e insensível que eu quero a mandar no meu país?

    Ignorantes de barriga cheia. A arrotar e a passar a mão pela barriga a passear na net… Mas com o seu perfume boss.

    Gostar

  25. Já volto permalink
    4 Janeiro, 2009 21:51

    “Enquanto as V1 e depois as V2 choviam em Inglaterra os Bombardeiros Ingleses atacavam a Alemanha. Mas você escolhe defender as V1 e V2 e um Governo do Hamas com uma ideologia semelhante.”

    Defender o Hamas? Longe disso. Não gosta NADA deles. O mundo todo não gosta deles. Isso não justifica a acção de Israel.

    E não é argumento romantico. São vidas humanas! MILHÕES!

    É uma chacina!

    Argumento romantico? Mas já percebeu que na sua televisão não está a passar umm filme? Já?

    Romantico?
    E o idiota sou eu?!
    Sério?!

    Gostar

  26. Já volto permalink
    4 Janeiro, 2009 21:54

    “mesmo na Palestina de hoje há lapidação de mulheres e “crimes de honra”: o livro ” “Queimada Viva”, edições Asa, é um bom exemplo.”

    Pois. E isso justifica Israel estar a mata-las.
    Se as matar todas já não há lapidação!

    Belo argumento. Bela solução.

    Agora lapida-se mulheres. Vai boooomba. Pronto. Acabamos com os crimes que o Hammas lhes estavam a impor!

    Está de facto tudo doido. Tudo cego.

    Gostar

  27. 4 Janeiro, 2009 22:00

    Um combate desigual, a fisga contra a bomba!

    E se os palestiniano tivessem nuclear, Israel invadia?

    Gostar

  28. 4 Janeiro, 2009 22:00

    Um combate desigual, a fisga contra a bomba!

    E se os palestiniano tivessem nuclear, Israel invadia?

    Gostar

  29. 4 Janeiro, 2009 22:15

    “E se os palestiniano tivessem nuclear, Israel invadia?”

    Já não havia Israel.

    Gostar

  30. lucklucky permalink
    4 Janeiro, 2009 22:18

    “manda morteiros para Israiel?”

    Morteiros e mais 4500 Rockets, cada um capaz de destruir o apartamento onde vive.

    Gostar

  31. 4 Janeiro, 2009 22:19

    Estes terroristas adeptos de um estado pária como Israel que nem fronteiras tem.
    São combatentes de sofá Israel não pode contar com estes defensores é só garganta.
    E detestam é tem raiva a quem não vira a cara há luta por isso tem raiva dos palestinianos e daqueles que os defendem, não passam de cobardes de sofá nunca fizeram a guerra.
    São 0 não contam para nada a não ser despejar o lixo que lhe despejam na cabeça.
    JOJORATAZANA

    Gostar

  32. lucklucky permalink
    4 Janeiro, 2009 22:23

    “E não é argumento romantico. São vidas humanas! MILHÕES!”

    Não seja pateta e populista, só a conquista da França pelos Aliados fez 70000 franceses civis mortos. Deveriam os Nazis continuar a Governar a França?

    O Bloco de Esquerda também irá apoiar estes? Desde que não haja resistência ao Islão Radical está bem para o Bloco.

    “We tell the Mujahideen (fighters), all of them, not to turn their guns against each other but rather to direct it at the enemy forces in our country,” said Sheik Muqtar Robow, spokesman for Al-Shabaab, in a press briefing held in the southern Bay region.

    Robow vowed that his forces would continue attacking the Ethiopian troops, who began withdrawing from Mogadishu on Friday.

    He pledged that the fighting would not stop even after the Ethiopian troops’ withdrawal is completed.

    “As long as there are crusader forces, be they from Africa, IGAD or the UN, or forces of the apostate government, the Jihad (holy war) would go on,” He said.

    http://news.xinhuanet.com/english/2009-01/04/content_10602313.htm

    Gostar

  33. Sem Anestesia permalink
    4 Janeiro, 2009 22:30

    Combate desigual?

    http://en.wikipedia.org/wiki/1948_Arab-Israeli_War

    A dialética aqui é que estes srs indignados de esquerda não conhecem História, mas os Israelitas conhecem-na muito bem, pois são dos que mais a têm vivido neste planeta.

    Perseguidos durante séculos, expulsos da sua terra, forçados a fugir.

    E agora estes srs de esquerda vertem juras de amor e lealdade a um bando de assassinos que mal vos escutassem logo vos tratariam da saúde.

    Gostar

  34. lucklucky permalink
    4 Janeiro, 2009 22:44

    Começou cedo…Barack Obama já está ser morto em Manifs… ainda antes de ser Presidente:

    http://news.yahoo.com/nphotos/slideshow/photo//090104/481/0c6f73d8856d4995b2938583e29d4f5f/

    Gostar

  35. Zenóbio permalink
    4 Janeiro, 2009 22:57

    Diferenças entre Israel e Hamas?

    Parte I

    Hamas envia rockets taralhoucos contra cidades judias.
    Israel despeja bombas de fragmentação sobre populações civis.

    Gostar

  36. Zenóbio permalink
    4 Janeiro, 2009 22:59

    Diferenças entre Israel e Hamas?

    Parte II

    Hamas mata 5 civis israelitas em 2008
    Israel só em 2009, já vai em 530

    Gostar

  37. Zenóbio permalink
    4 Janeiro, 2009 23:04

    Diferenças entre Israel e Hamas?

    Parte III

    Hamas defende ( não qualifico) a sua terra de invasores.
    Isarel, ocupa, desocupa e volta a ocupar a terra dos outros.

    Gostar

  38. 4 Janeiro, 2009 23:07

    Lucky

    Se vocè vai começar a desculpar uns porque na WWII os aliado também mataram civis em massa… Por acaso as v1 e v2 em Londres provocaram poucas vitimas (para numeros de WWII), comparando com os bombardeamentos a civis na Alemanha e Japão que foram mesmo massacres totais.

    Seja lá quanto pior o Hamas seja nos seus objectivos (a própria existència do Estado israelita destruiu a possibilidade de um Estado islâmico, portanto o que o Hamas ameaça os israelitas conseguiram), isso não desculpa a desproporcionalidade, que em si, pode ser considerado um crime de guerra.

    Olhe por mim, os israelitas podiam se o quisessem voltar para a Peninsula ibérica, ganhavamos nós e eles.

    Gostar

  39. 4 Janeiro, 2009 23:17

    Foi mesmo uma chacina.
    Na Trofa.

    Gostar

  40. 4 Janeiro, 2009 23:21

    o islão tb invadiu e roubou terras. Começou no séc. VIII e ainda continua. Ramallah foi mais de 90% roubada por “palestinianos” nos últimos 50 anos. Tb em gaza roubaram e expulsaram, bem como na West Bank. A diferença é k as vítimas fugiram para todo o mundo, em vez de mandarem rockets e bombistas aos novos donos. Ah!, claro, e não tinham os amigos da barbárie islâmica nos media para contar isto.

    Gostar

  41. 4 Janeiro, 2009 23:28

    Allah sabia de tudo.
    Allah disse para respeitarem os judeus.
    É tudo por vontade de Allah.
    Os maometanos só têm e devem agradecer que os judeus façam cumprir a vontade de allah.

    Gostar

  42. Já Volto permalink
    4 Janeiro, 2009 23:29

    “Não seja pateta e populista, só a conquista da França pelos Aliados fez 70000 franceses civis mortos. Deveriam os Nazis continuar a Governar a França?”

    Aqui o pateta acha que o invasor, ocupante e o humilhador era o zé alemão.

    Uma coisa é estar disposto a morrer pela libertação do seu povo.

    Outra é ser invadido, humilhado e ainda morto pelo invasor.

    Percebe ou precisa de um desenho?

    Além disso, o que o faz pensar que esta acção resolve o problema? 60 anos de esmagamento dos Palestinianos resolveu? O Hammas só tem 10 anos. Mesmo que matem todos os militantes armados do Hammas não acha que virá outro Hammas com outro nome qualquer com ainda mais apoio? Conhece algum povo que tenha sito subjugado e absorvido pela força? Então estas crianças estão a morrer para quê?

    Será que não percebe que está a ser usado? Será que não percebe que ambas as partes não passam de puppies dos EUA e do Irão na defesa dos seus interesses? Não percebe que ambos os lados exploram à exaustão a afinidade cultural dos Cristão/Judeus e dos Islamicos (Xiitas e sim também sunitas que aqui as divergências com a al qaeda não são do seu interesse) para apoio às aparentes acções dos que estão no teatro de guerra? Percebe que é um fantoche usado na sua nunca percebida xenofobia cultural? É o que se vê nestes comentários. Nos das lapidações e no das mulheres é que deviam viver na cultura do Hammas etc. Fica logo justificada qualquer aberração moral.

    O populista sou eu?
    Tem a certeza? E o fantoche é quem?

    Gostar

  43. portela menos 1 permalink
    4 Janeiro, 2009 23:34

    jcd vai responder a essas questões com “extrema esquerda, cuba, be, sindicatos…” esses argumentos que arrasam qualquer um.

    Gostar

  44. Já Volto permalink
    4 Janeiro, 2009 23:38

    Não é só nos comentários que se vê.
    É também nestes dois últimos posts de quem se acha com uma cultura do tamanho do mundo.

    Fantoches. Manietados com mestria. Usados na sua sede de pertença a grupo. Matilha a seguir cegamente o alfa que se ri do outro lado do atlantico.

    É esta a direita que temos. Uns patetas da playstation que deixaram de pensar por si. Dá muito trabalho. É mais fácil ir com a matilha.

    Gostar

  45. lucklucky permalink
    4 Janeiro, 2009 23:41

    Há muita gente que acha que a Segunda Guerra Mundial foi uma Guerra Justa mas não gosta de arcar com as consequências nem as difíceis escolhas morais. Difíceis escolhas que provocaram milhares de mortos.
    São Hipócritas ou estão simplesmente de Má Fé.

    “…isso não desculpa a desproporcionalidade…”

    Pois não não desculpa a desporporcionalidade do Hamas. Não há mais mortos Israelitas porque estes protegem os seus civis. Há mais mortos Palestinianos porque estes o usam como escudos e continuam a usar porque há pessoas como você que os incentivam a usar como escudos.
    A sua incapacidade para ver além da propaganda e narrativa é abismal.
    Que tal Israel enviar para Gaza os mesmo 4500 rockets Palestinanos que recebeu Indiscriminadamente?
    Prefere assim? Morreriam mais mulheres e crianças Palestinianas e menos Homens e certamente muito menos membros do Hamas. Tamém se resolveria o seu problema da “proporção” com mais mortes Israelitas.
    Quer mais proporcionalidade? o Hamas quer destruir Israel proporcionalmente o Governo Israelitas deveria querer destruir Palestina? Não há Judeus na Faixa de Gaza proporcionalmente Israel deveria Expulsar os Árabes?
    Se não percebe a imoralidade de tal pensamento…

    “Olhe por mim, os israelitas podiam se o quisessem voltar para a Peninsula ibérica, ganhavamos nós e eles.”

    A liberdade acabou com essa frase imoral.

    Gostar

  46. 4 Janeiro, 2009 23:45

    Curioso: não vejo grande diferença entre este discurso e a versão mais ocidentalizada da Esther qualquer-coisa na SIC-N. Radicais, sabemo-lo bem – e a história ocidental recente não nos deixa esquecê-lo – existem em todo o lado. Não me parece deixar de ser relevante, contudo, o facto dos palestinianos lutarem diariamente pela sobrevivência ao passo que os israelitas continuam no conveniente registo da autocomiseração. (Faz lembrar aquele episódio do Sexo e a Cidade em que a Charlotte, acabadinha de se converter ao judaísmo, invoca séculos de perseguição para justificar a resiliência dos judeus como ela)

    Já agora, não era este mesmo HAMAS que era “auxiliado” na sua luta interna contra Arafat e os seus próximos, nos anos 90? Boomerang!

    A ver: Israel estará disposto a retrair até ao território que lhe foi atribuído; perder o controlo sobre as fronteiras (o que implica que perda a capacidade de reter os produtos palestinianos até que pereçam e não possam fazer moça no mercado israelita); deixar a política de ocupação de territórios palestinianos? Porque se estiverem de boa fé e a resposta for afirmativa a todas estas perguntas, a solução para o problema parece estupidamente fácil: mete-se uma força internacional a controlar a fronteira de modo a que não haja repressão de um lado e rockets do outro.

    E, por fim, um dia destes compro uma máquina fotográfica descartável (não vou correr o risco de me confiscarem a minha) e tento tirar uma fotografia ao estado da rua onde está instalada a embaixada de Israel, em Lisboa. Vergonha total! Se ultrapassarmos o Senhor com a metralhadora em riste (que no fim de costas é o de menos) o trambolho que corta o trânsito no acesso à rua quase que nos faz temer que um dia destes somos nós os anti-semitas se reclamarmos o direito à livre circulação pelas ruas da capital.

    Gostar

  47. Já Volto permalink
    4 Janeiro, 2009 23:48

    “Não há mais mortos Israelitas porque estes protegem os seus civis. Há mais mortos Palestinianos porque estes o usam como escudos e continuam a usar porque há pessoas como você que os incentivam a usar como escudos.”

    Não há mais mortos Israelitas porque estes desde 48 que foram “criados” e armados pela maior potencia do mundo com a melhor tecnologia, com as melhores mentes e treino enquanto os outros foram privados de tudo… até de água. Os primeiros sempre foram usados com mais mestria.

    Se tivesse sido o contrário seria igual. Mas os primeiros estariam no lugar dos segundos e vice versa.

    Gostar

  48. 4 Janeiro, 2009 23:49

    «Já agora, não era este mesmo HAMAS que era “auxiliado” na sua luta interna contra Arafat e os seus próximos, nos anos 90? Boomerang!»

    Por Israel, leia-se.

    Gostar

  49. lucklucky permalink
    4 Janeiro, 2009 23:49

    “Aqui o pateta acha que o invasor, ocupante e o humilhador era o zé alemão.”

    Para recordar o que escreveu e a que eu respondi citando:
    “E não é argumento romantico. São vidas humanas! MILHÕES!”

    A frase acima foi você que a escreveu. Por isso a pergunta é:

    Então os 70000 franceses deixaram de ser “vidas Humanas” num ápice?

    Como o ocupante era Alemão os mortos Francesas deixaram ser Humanos. Brilhante e uma boa demonstração da incapacidade de lógica que é um dos grandes elementos do Romantismo.

    Gostar

  50. Zenóbio permalink
    4 Janeiro, 2009 23:52

    Sofia

    “mete-se uma força internacional a controlar a fronteira de modo a que não haja repressão de um lado e rockets do outro”

    Alguma vez Israel iria permitir isso? Nem isso nem inspecções ao programa nuclear….lol

    Gostar

  51. Ibn Erriq permalink
    4 Janeiro, 2009 23:57

    sátiro, pois foi, mas depois vieram os cruzados e depois …., depois …., depois… e depois novamente os europeus e por fim fizeram a merda que está à vista!

    Gostar

  52. 4 Janeiro, 2009 23:58

    «Alguma vez Israel iria permitir isso?»

    Precisamente. Então, honestamente, só se pode concluir que Israel não está de boa fé.

    Gostar

  53. lucklucky permalink
    5 Janeiro, 2009 00:00

    “Não há mais mortos Israelitas porque estes desde 48 que foram “criados” e armados pela maior potencia do mundo com a melhor tecnologia”

    Com esse nível de ignorância está explicado todo o Romantismo . É mais um daqueles que só vê Telejornais.
    Israel foi apoiado em 48 pela Checoslováquia .
    Em 67 a maioria do armamento Israelita era Francês e Inglês. Enquanto o Armamento Egipcio e Sírio era Soviético (“a maior potència do mundo”). Só no fim por volta de 70 os EUA começaram a apoiar decisivamente Israel.

    A Europa Ocidental foi armada “pela maior potencia do mundo com a melhor tecnologia” e só resistiu aos Comunistas não só com o Armamento mas também com os Soldadinhos, sabe quantas Divisões Americanas estavam na Europa? E Armas Nucleares.

    E provavelmente é essa razão da sua obsessão Americana.

    Gostar

  54. lucklucky permalink
    5 Janeiro, 2009 00:07

    “Precisamente. Então, honestamente, só se pode concluir que Israel não está de boa fé.”

    Mais uma vez a dualidade de critérios…
    Parece que há quem não leia as declarações do Hamas.

    Gostar

  55. Sem Anestesia permalink
    5 Janeiro, 2009 00:08

    E continuam os apaixonados de esquerda.

    Se gostam tanto do HAMAS e da saudosa UNIAO SOVIETICA, da sempre esperança Coreia do Norte, por que nao vivem em rigor com essas ideologias?
    Deixem de viver sob a alçada ideologica de quem tanto detestam. Mas é indo para esses sítios, não é incomodando quem opta por viver sobre a má ideologia.

    Ide para lá, e continuem a defender as causas. Pelo menos enquanto vos deixarem.

    Cospem mto no prato onde comem. Queria vê-los com a crista assim tão erguida em Cuba, Irão, Coreia do Norte …

    A receita é antiga: se gostam tanto, juntai-vos a eles. Não fiquem apenas aqui no quentinho de uma Democracia, sentadinhos no sofá, teclando insultos conta Israel e os Estados Unidos.

    SEJAM COERENTES!

    Gostar

  56. Já Volto permalink
    5 Janeiro, 2009 00:08

    “Então os 70000 franceses deixaram de ser “vidas Humanas” num ápice?”

    Não, não deixaram.
    Parece que ainda não percebeu.
    Na segunda guerra não havia outro caminho. O interesse era comum. Deixar o hittler continuar o seu império seria sinónimo de um desastre de milhões de vidas (não de umas dezenas de milhar). Além disso, para o amigo americano mais fraco que hoje, era sinónimo do fim do controlo das fontes de energia. Não havia opção. Era preciso o que fosse preciso passe o pleonasmo. Os franceses apanhados na recuperação de território sabiam que não havia outra opção aos aliados que não a força total. A força total era a ÚNICA solução.

    Aqui, a força total é o problema. Aqui, a força total não resolveu nada em 60 anos. Aqui há opções mas não são seguidas porque a esmagadora maioria das mortes fica do outro lado. Do lado dos que se poem de cu para o ar a rezar, do lado dos que têm várias mulheres, do lado dos que lapidam. E se os contar bem verá que são muito mas MUITO mais que 70000. Mas isto é ir para off topic.

    Comparar a segunda guerra mundial ao conflito Israel/Palestina é que não é nada populista.
    Reduzir as coisas como está a reduzir é que não é nada populista.

    Gostar

  57. portela menos 1 permalink
    5 Janeiro, 2009 00:10

    “É esta a direita que temos. Uns patetas da playstation que deixaram de pensar por si”

    é com a frase do dia que me despeço!

    Gostar

  58. 5 Janeiro, 2009 00:12

    Lucklucky Diz:
    5 Janeiro, 2009 às 12:07 am

    Não há dualidade de critérios. O comentário que cita vem na sequência de outro onde eu dizia isto: “Israel estará disposto a retrair até ao território que lhe foi atribuído; perder o controlo sobre as fronteiras (o que implica que perda a capacidade de reter os produtos palestinianos até que pereçam e não possam fazer moça no mercado israelita); deixar a política de ocupação de territórios palestinianos? Porque se estiverem de boa fé e a resposta for afirmativa a todas estas perguntas, a solução para o problema parece estupidamente fácil: mete-se uma força internacional a controlar a fronteira de modo a que não haja repressão de um lado e rockets do outro.”

    O que é que o Lucklucky quer dizer? – que Israel estaria disposto a aceitar uma solução destas ou que é possível que Israel recuse esta alterativa sem que isso implique que esteja de má fé? Se a sua resposta for a segunda hipótese, a minha pergunta é: COMO?

    Gostar

  59. 5 Janeiro, 2009 00:23

    O Islão é sobretudo a habilidade em obter lucro criando problemas, nomeadamente com o espectáculo da morte.

    Foi já assim que Maomé conseguiu obter o poder ditatorial que teve.

    O mesmo querem fazer a corja de parasitas que gravitam em torno das casa de maldade, vulgo mesquitas, e que procuram imitar a Maomé.

    Gostar

  60. Já Volto permalink
    5 Janeiro, 2009 00:30

    “Israel foi apoiado em 48 pela Checoslováquia .”
    Sim, foi a Checoslováquia que decidiu criar Israel e pressionou a ONU.

    “Em 67 a maioria do armamento Israelita era Francês e Inglês.”
    Sim, ninguém pensa que em 67 houvesse misseis de precisão guiados a laser. o armamento Francês e Inglês era do bom. A tecnologia usada e patenteada era Americana. A guita acabava em boa parte na America.

    Mas não é essa a questão. O saber e tecnologia, o usar de novas técnicas, a informação etc foram criadas e usadas na maior potencia do mundo e seus muito aliados e dependentes na altura (Europa). Os cientistas da BOMBA, os homens do saber de tudo e mais alguma coisa tinham afinidades com Israel. Muitos eram judeus. A alta finança mundial que tudo financiou era a da maior potência do mundo e seus aliados. Os EUA, SEMPRE tiveram lá desde o início. Discretos, com um primeiro ministro inglês tanso a fazer o papel sujo até no egipto. As fontes de energia teriam de ter um “porta aviões” à disposição ali bem perto. Quando perceberam que os aliados não estavam à altura da tarefa deixaram de disfarçar e assumiram sem vergonha as rédeas da situação. Israel não tinha como não ser Israel.

    Leia a Grande Guerra pela Civilização – A Conquista do Médio Oriente. Robert Fisk. Já percebi que se interessa verdadeiramente pelo tema. Vai devorá-lo num ápice. E vai achar que estes post sobre o Hammas são de um populismo e de uma xenofobia explorada muito primários.

    “E provavelmente é essa razão da sua obsessão Americana.”

    Obsessão? Como assim? Tipo não gostar nada deles? Isso não é verdade. Sinto-me culturalmente muito próximo deles. Vejo que têm uma mestria sem igual a conseguir levar a água ao seu moinho. Mas isso não quer dizer que esteja sempre de acordo com eles.

    Se os prefiro a qualquer cultura com base no Islão? Sem qualquer dúvida. Até mesmo mais que alguns Países Europeus. Como a Itália por exemplo.

    Deste lado não há fanático. Há curioso.

    Gostar

  61. Kowalski permalink
    5 Janeiro, 2009 00:47

    New Mexico Gov. Bill Richardson is withdrawing his nomination to be commerce secretary, citing the distraction of a federal investigation into ties to a company that has done business with his state.

    http://edition.cnn.com/2009/POLITICS/01/04/richardson.withdrawal/index.html

    este nem chegou a aquecer o lugar

    Gostar

  62. 5 Janeiro, 2009 02:08

    54- muito mais m… do k cruzados e europeus fazem os islâmicos na Palestina no séc XXI, como os crimes de honra e a lapidação de mulheres e exposição asquerosa de crianças às bombas israelitas. Mas se vc é tão admirador dos métodos do maomét e desta cambada, e tão crítico dos cruzados e europeus, o k está aki a fazer no meio da m…? Pq não vai viver com eles (marrocos, irão…) , longe da m…? Pode ter a sorte de pôr umas bombas à cintura e ir ter com as 72 virgens ao inferno, perdão, ao cemitério.

    Gostar

  63. 5 Janeiro, 2009 02:25

    os gajos do Hamas deviam ser julgados por crimes contra a Humanidade. Em todas as zonas de guerra há abrigos para civis, mas tanto hamas como fatah, corruptos até à medula, embolsaram os milhões da UE, USA. Os irmãos arábes arrotam petrodólares e marimbam-se para os palestinianos. Os assassinos do Hamas, covardes, escondem-se atrás dos civis, em vez de os mandarem para abrigos, para mostrar aos media acéfalos ou admiradores das selvajarias islâmicas e sucessores do ódio nazi aos judeus. Os mesmos media k não mostram os milhares de crianças do tibete assassinadas pelos comunistas chineses, ou negras do Darfur vitimas do regime racista islâmico do sudão.

    Gostar

  64. lucklucky permalink
    5 Janeiro, 2009 03:21

    @ Sofia Ventura
    “perder o controlo sobre as fronteiras”

    Obrigado por demonstrar o meu ponto. Israel não tem de aceitar produtos de ninguém tal como os Palestinianos não têm de aceitar produtos Israelitas. Mostra que nem entende o que é Liberdade.
    —–

    “Parece que ainda não percebeu.”

    Eu percebi que se explora as vítimas e as mortes quando convém.
    A conclusão a tirar é que você é simplesmente um explorador de emoções, ou por outras palavras um Populista.

    “Na segunda guerra não havia outro caminho. O interesse era comum. Deixar o hittler continuar o seu império seria sinónimo de um desastre de milhões de vidas (não de umas dezenas de milhar).”

    Elucidativo quando passa a ser o “nosso” interesse as regras mudam não é? Típico.
    Ora Hamas a comandar os Palestinianos assegura precisamente o desastre quer com Israel ou sem. O que é que não entende nas frase “destruir Israel”. E o que é que não entende da natureza de um Grupo que usa civis para proteger combatentes e instalações militares?

    “Sim, foi a Checoslováquia que decidiu criar Israel e pressionou a ONU.”

    Sem as armas Checoslovacas não havia Israel. Santa ingenuidade.

    “Sim, ninguém pensa que em 67 houvesse misseis de precisão guiados a laser. o armamento Francês e Inglês era do bom. A tecnologia usada e patenteada era Americana. A guita acabava em boa parte na America.”

    Que tal dizer qual a tecnologia americana nos tanques Centurion, AMX-13, Mirage III? Os esteios do Exército Israelita na altura…pst…já havia mísseis e bombas de precisão na segunda guerra mundial, descubra o que aconteceu ao Couraçado Roma e as bombas laser começaram a ser empregues em 68…

    “As fontes de energia teriam de ter um “porta aviões” à disposição ali bem perto.”

    Hahaha! Israel e petróleo! O Irão, Sauditas, Koweit e os Emiratos não existiam…

    “Aqui, a força total é o problema. Aqui, a força total não resolveu nada em 60 anos. Aqui há opções mas não são seguidas porque a esmagadora maioria das mortes fica do outro lado. Do lado dos que se poem de cu para o ar a rezar, do lado dos que têm várias mulheres, do lado dos que lapidam. E se os contar bem verá que são muito mas MUITO mais que 70000.”

    Lá está você a ser populista… Qual força total quando essa “Força Total” recebe nas casas dos seus habitantes com 4500 rockets em 3 anos? Não há tantos mortos porque essa civilização se preocupa com os seus cidadãos ao contrário do bando de gangsters Islâmicos que ainda usa a “sua” própria população como escudos .E você e muitos outros recompensam o Hamas com o seu apoio.

    “Grande Guerra pela Civilização – A Conquista do Médio Oriente. Robert Fisk.”

    Ora bem um apologista do Arabismo. Um defensor da Supremacia Árabe sobre todos os outros povos do Médio Oriente. E um anti-Ocidental. Leu alguma coisa dos outros lados? Já se perguntou porque é que os Beduínos e os Druzos se aliaram a Israel apesar de serem Muçulmanos?

    Gostar

  65. 5 Janeiro, 2009 06:55

    Salah al-Din (O Panasca do Maomé)

    Utente: EUROLIBERAL (ou o Juiz José ou Arrojado)
    Nome de Registo: Rafeiro
    Local de Trabalho
    comentador menor

    De um estudo feito sobre este indivíduo (análise em grupo) concluiu-se que sofria de Distúrbios Comportamentais Complexos.
    Revela Falta de Convicções que o levam a ser um indivíduo sem escrúpulos, tentando impôr a sua vontade de qualquer forma, normalmente através do insulto, o que nos leva a concluir que apresenta graves danos na personalidade, ao nível das Emoções Secundárias.
    Revela uma falta de criatividade que leva a uma flutuação das convicções, sinal de perturbação na personalidade, através de danos na coerência.
    As contradições nos textos são assinaláveis, revelando isto Pouca Maturidade Emocional e Intelectual. O discurso inverte-se ao sabor das emoções. Detecta-se uma esquizofrenia com tendência para a efabulação. Nota-se uma tendência para actos anti-sociais.
    Tratamento: Zipyran Plus 4 comprimidos de 3 em 3 meses.

    Gostar

  66. 5 Janeiro, 2009 07:01

    “O Cunhal sempre teve obsessões sexuais com os seios perfumados das francesas burguesas, principalmente com a jornalista Christine, mas teve de se contentar com as tetas com cheiro a coentros da camarada Odete”. – Quitéria Barbuda

    Gostar

  67. Acção Directa permalink
    5 Janeiro, 2009 08:47

    Notícias dos ” tolinhos ” na Grécia.

    http://bandeiranegra1.wordpress.com/2009/01/05/grecia-a-revolucao-faz-se-na-rua-olho-por-olho-dente-por-dente-aprenda-se/.

    Apertem o rabinho que um dia destes os tolinhos ainda ficam também por cá tolos. Querem lá ver?

    Gostar

  68. 5 Janeiro, 2009 09:33

    Euroliberal
    Análise Existêncial
    Utilizámos as Tabelas de observação da Personalidade de Harris (At23UE2005)
    Relatório
    Adora ver-se ao espelho, a sua imagem é o seu bezerro de ouro e fá-lo por uma questão de sobrevivência. É desprezado, mas ele sabe que faz rir de gozo a maioria dos comentaristas. Está cansado, satisfaz-se com pouco. Mas há dias em que se olha ao espelho e não ri: confessa-se! Encontra no gesto uma gravidade inesperada, a voz é delambida e choraminga. Abre o monitor e vinga-se no mundo, deixando-se enredar por esquemas mentais megalómanos, previsíveis volte-faces e tiradas morais compradas na loja dos 300, que levam a um tom confuso durante situações de subjectividade.
    Este indivíduo é um ser radical cínico sem crença alguma, um sibarita pedófilo, pateta e ordinário, que tem nojo de si próprio, abomina a sua condição, é o que chamamos na gíria “um fumador antitabagista”. Deseja ardentemente um “estímulo” para que possa rapidamente abandonar as suas desconfortáveis posições de degenerescência física e moral. O irracionalismo vai-o destruindo.

    Euroliberal
    Análise Sofrológica
    Utilizámos as Tabelas Sofrológicas de Sande (HTP567-TINO)
    Classe 1 (A340)
    Este indivíduo dirige-se a um povo imbecilizado e resignado. É por isso que a morte dele se aproxima através do cheiro ácido das expectativas.
    Classe 2 (B010)
    O EUROLIBERAL é destituido de pensamento autónomo e insiste em sublinhar a irrelevância dos que pensam por si.
    Classe 3 (T=90)
    O EUROLIBERALnão é mais do que uma sucessão de atitudes incessantemente esboçada e apagada, num cortejo de comentários censurados e ressuscitados, que revela um indivíduo inclinado pelo olhar intranquilo dos fantasmas do comunismo.
    Classe 4 (T=60)

    O EUROLIBERAL é um indivíduo feito de palavras gritadas, exasperadas, extenuadas e vazias. Não tem identidade, não tem nem determinações de espaço nem de tempo, esvaziando-se num débito verbal sem fim. É um apelo evidente ao nada.
    Classe 5 (TX08)
    Desde que o EUROLIBERAL apareceu, oindivíduo tentou, de cento e dezassete maneiras diferentes, levar os seus leitores a atingirem um orgasmo. Falhou a missão. A Revolução foi uma frustração.
    Classe 6 (YU00)
    O EUROLIBERAL alterna entre um anjo da guarda e um demónio obcecado, eliminando por completo a neutralidade a que se propôs de início. O seus indivíduo tem uma imagem muito negra da sua obra, pois tem consciência de que nunca conseguirá alcançar a pureza da vida. É por isso que se nota uma compulsão para renuciar à verdade dos factos, tentando assim aproximar-se das promessas nunca cumpridas. É lento de compreensão, anda descalço e inseguro.
    Classe 7 (SS45)
    O destino de todos aqueles que criticam o EUROLIBERAL ficará assinalado por um “orifício de bala”.Quem tem a facécia de figurar como comentador dum comentário do Euroliberal, dando um pouco de cor ao ambiente cinzento, complica sempre o esquema mental do paciente. O EUROLIBERAL anda desesperado na busca da perfeição. Tão depressa vagueia pelas ruas da serenidade, como pelas alturas do desespero.
    Classe 8 (004W)
    O EUROLIBERAL dá-nos uma demonstração do anacronismo ideológico dos grandes inquisidores e falsos liberais, que continuam a promover a discriminação com base nas preferências políticas. É um bom exemplo do homem que é capaz de vender, de um modo ou de outro, a alma ao diabo para atingir o seu fim, que é a abundância vadia da sobrevivência. Será, assim, racionalmente justificável a sua constante Censura?

    Gostar

  69. Tininha permalink
    5 Janeiro, 2009 09:36

    Euroliberal confessa-se!

    O Hitler também foi eleito democraticamente!

    Gostar

  70. 5 Janeiro, 2009 10:09

    Parece haver uma certa confusão entre proporcionalidade e reciprocidade. O critério da proporcionalidade (que é o que vale em Direito internacional) requer a utilização dos meios adequados e não excessivos à cessação da agressão. A reciprocidade reclamaria o uso dos mesmos meios do agressor. Fazer a contabilidade dos mortos de um lado e do outro não conduz a qualquer conclusão sobre a existência -ou não -de um critério de proporcionalidade, é mera (e má) propaganda, e que não responde a uma qustão essencial – como é que um Estado, que vê a sua população continuadamente atacada, provindo tais ataques do outro lado da fronteira pode, pelo recurso à força ( que é um direito que o Estado agredido tem) fazer cessar essa agressão? As guerras em que ninguém morria eram as guerras do Raul Solnado. Quanto a assassinatos, conviria talvez lembrar os ataques suicidas, os rockets e morteiros atirados para cima de escolas, os soldados raptados, os membros da fatah sumariamente fuzilados, Issam Sartawi, o massacre de Munique, o “Achile Lauro” – tenho de continuar?

    Gostar

  71. OLP permalink
    5 Janeiro, 2009 10:16

    A querida Celestine (eurocelestine diria)lá em cima nos primeiros comentários, quando aventa a que se acontecesse em Portugal..o que faríamos ou sentiríamos nós, esquece apenas um pormenor:
    “Querida amiga”….foi assim mesmo que um tal ladrãozeco de condados de nome afonso começou e depois feito cruzado matador continuou.

    Gostar

  72. 5 Janeiro, 2009 10:26

    “”“mesmo na Palestina de hoje há lapidação de mulheres e “crimes de honra”: o livro ” “Queimada Viva”, edições Asa, é um bom exemplo.”
    Pois. E isso justifica Israel estar a mata-las.
    Se as matar todas já não há lapidação!
    Belo argumento. Bela solução.
    Agora lapida-se mulheres. Vai boooomba. Pronto. Acabamos com os crimes que o Hamas lhes estavam a impor!
    Está de facto tudo doido. Tudo cego.””

    Não fora Já Volto voltar, e não havia por onde se lhe pegar por muitas voltas que se lhe desse.

    “”Está de facto tudo doido. Tudo cego.”” – E a cegueira é tal que assim que aparece alguém que se vê que sabe além desta cegueira, logo lhe atiram com um disco gravado que repete “esquerdalhada”.

    69 e 63. Assim são os factos, me parece.

    Mas a condição de avestruz é mais fácil e, com os olhos fechados, atirar soberbos insultos e asneiradas gratuitas para as outras pessoas.

    Realmente, quem critica a política internacional americana, é porque é pelo Hamas. Então não!!? E forçosamente defensor do Islão e tudo.

    De resto, Já Volto, eu cá não me podia sentir mais longe de tal “mestria”. Sinto-me perto é de Sócrates. Do outro. Esse e a Europa é que gritam por nós.

    Gostar

  73. 5 Janeiro, 2009 11:04

    Já Volto e mais alguns outros que fazem o esforço de trazer alguma luz a uns monólogos de cegos aqui neste blogue, em que todos os que não concordam com eles em algo, têm que ser “esquerdalhada”.

    Engraçado. Então porque é que há tanta gente que não me tem nos seus links, porque PENSAM que eu sou demais de direita? Hehehe.
    Só para dar dois exemplos, o Paulo Guinote do a Educação do meu umbigo até me tirou de lá do blogue, quando “descobriu” que eu “era de direita”, e deixou de falar comigo enquanto que estivéramos em diálogo até aí. Os Cinco dias, a mesma coisa. Bastou eu ter defendido aquilo que um deles acusara num postal: o “escândalo de haver assistência religiosa nos Hospitais”.

    A pior doença de Portugal é esta politiquice. Esta asneirada e esta obcecação é que nem por sombras existe no que vocês chamam de países avançados.
    Aliás basta falarem nesses “países avançados” para a politiquice desaparecer instantaneamente. Basta falarem nesses “países avançados” ou com pessoas desses países e começam a fazer o que se chama trocar de impressões, aprender uns com os outros, dialogar.

    Mas sendo compatriotas, não pode haver diálogo. Tem que ser um jogo dividido entre duas equipas, pois claro.

    Gostar

  74. 5 Janeiro, 2009 11:05

    Para o Euroliberal,

    1-Faça o favor, quanto ao uso da força em Direito Internacional, de consultar as seguintes obras

    -“International Law and the use of force by States”, Brownlie, Ian, Clarendom Press, Oxford

    -“War, aggression and self-defense” Dinstein, Yoram, Cambridge University Press, Cambridge

    -“International Law and the use of force”, Gray, Christine, OXford University Press, Oxford

    -“Recourse to force- State action against threats and armed attacks”, Franck, Thomas M., Cambdridge University Press, Cambridge.

    2- Que eu saiba, os rockets e morteiros do Hamas estavam a cair em “terra” que, de acordo com a decisão de partição de 1947 ( e conforme os armistícios posteriores à guerra de 1948 – levada a cabo, aliás, pelos países árabes contra Israel, e não ao contrário) se situa dentro das fronteiras de Israel -donde, não se percebe de que “usurpação” fala.

    3- Quanto ao epíteto de “burrinho”, reveja-se não ao espelho, mas na pobreza dos seus argumentos

    Gostar

  75. 5 Janeiro, 2009 11:24

    Jogarem este jogo de obcecação com o que é de uma direita e de uma esquerda, e este estilo de peixeira, é que é fazer o jogo do vosso pior inimigo, – nosso pior inimigo – que nos divide para continuar alegremente a reinar.

    E o que mais me impressiona, é que vem aqui gente com conhecimentos, que informa de factos (que provam aquilo que é possível compreender de outra maneira… ) e os politiqueiros continuam impavidamente repetindo o seu disco encravado, rejeitando completamente a informação de que dispõem.

    Com esta isenção de consciência na direita… não admira a situação em que Portugal se encontra – tipo Torre de Pisa, mas sem as cordas para a segurarem.

    Gostar

  76. 5 Janeiro, 2009 11:59

    nestes dias de ressentimento holocáustico em que a histótra se repete-quando eram fraquinhos levaram da besta alemã e agora fortes,qual besta fortemente armada pelos madofes ianques, dão porrada nos fraquinhos encurralados-só me desgosta a educação judia de james joyce

    Gostar

  77. 5 Janeiro, 2009 12:28

    Euroliberal
    NOVOS DADOS
    O EUROLIBERAL FONSECA vive a angústia da solidão. É por isso que assina com outros nomes. Mas isto é um reconhecimento da sua própria vergonha, do seu erro existêncial. Nas alturas de crise grita sempre “Allah U Akhbar”, que ao contrário do que pensa é traduzido como “Alá é rabo”. É um grito de ódio, não contra os outros, mas sim contra a sua própria assombração. Tem sempre pressa em arranjar culpados, porque está morto para o mundo, é uma coisa de verbos conjugados no passado, uma mistura fatal de esquizofrenia e coca, que o tornam um morto-vivo (nobody knows where you are, how near or how far). Os comentários não têm sentido, são lengalengas, com referências a efeitos alucinogénios, ao fantástico, a culturas estranhas. Não consegue manter uma conversa.

    Gostar

  78. 5 Janeiro, 2009 12:35

    Correção:

    Em cima, onde digo “69 e 63. Assim são os factos, me parece.” É 59 e 63.

    Gostar

  79. 5 Janeiro, 2009 12:57

    “Enlacei-o” Armando – mas garanto que não é para o “encurralar” 🙂

    “só me desgosta a educação judia de James Joyce” – então tem muito que se desgostar. A quantidade de grandes artistas judeus é impressionante. Penso que sabe, mas a lista tende a ser bem maior do que aqueles de que sabemos. E uma razão para isso ser assim, precisa de ser considerada e aprendida pelos portugueses.

    Sumariamente, entre eles, os judeus homens – SÓ os homens – aprendem a sua religião a discutir, e a pensar por si próprios, numa dinâmica comparável ao diálogo socrático.

    Em Portugal fazemos o oposto disto. Tendemos a congelar por completo e a ignorar todo o pensamento livre que emerja, todo aquele que quer aprender e AMEAÇA escancarar as janelas e varrer de ar fresco os quartos escuros cheios de mofo.

    Gostar

  80. ingénuo permalink
    5 Janeiro, 2009 14:48

    Deixem-me lá abrir o guarda-chuva, porque ao ler os posts escritos pelo troll-mor Euroliberal (nazista ressabiado disfarçado em idiota compulsivo) quase que sinto a baba e os gafanhatos que ele solta quando os escrevinha á boa maneira “pica-pau”, naquele teclado martirizado (e bem babado).

    Ó homem, acalme-se lá… Cada vez que eu vejo um post seu em letras garrafais, só o consigo imaginar em frente ao computador (com o bustozinho do tio Adolfo ao lado) a escrever esta peçonha com os olhos assim:

    ttp://www.youtube.com/watch?v=8OEQeJD9KgE

    Tanta provocação nacional-socialista já não causa efeito nem repulsa… já todos os frequentadores sabem que quando o assunto é Israel, Hezzbolah ou Hamas que aparece sempre o papagaio do Euro(nazi)Liberal a debitar a cassete do costume: daka daka daka… rálhah cásbah rónhónhó… piroliu tiotio… xixi cócó ranheta!

    O meu caro amigo deveria se chamar Eurocassete… pimbas! Ou então o Eurofitas (de fita magnética).

    Beijinhos e abraços, e um queijinho da serra para papares com pãozinho. Xauzinhos pá.

    Gostar

  81. 5 Janeiro, 2009 15:11

    «Obrigado por demonstrar o meu ponto. Israel não tem de aceitar produtos de ninguém tal como os Palestinianos não têm de aceitar produtos Israelitas. Mostra que nem entende o que é Liberdade.»

    Então não sei? Liberdade de circulação, por exemplo. Que de resto Israel não nega, pelo menos formalmente (que a imagem é muito importante – quase tudo, diria mesmo!). No papel, o produto circula livremente (liberalismo), na prática, circula se já estiver podre.

    Mas se o Lucky acha que isso é procedimento sério, temos que experimentar isso com os espanhóis.

    Gostar

  82. Pi-Erre permalink
    5 Janeiro, 2009 15:14

    O EUROLIBERAL anda por aqui? E eu a julgar que o gajo estava em Gaza a ajudar os seus amiguinhos do Hamas, que bem precisa de voluntários com bombinhas à cintura para atacar os judeus!…

    Gostar

  83. 5 Janeiro, 2009 16:08

    81 sabemos mto bem como a esquerdalha é totalitária, custa a aceitar debates, ideias diferentes, só as deles é k são evoluídas (dá vontade de rir…), defendem as maiores atrocidades da Humanidade desde k sejam anti USA e anti ICAR, censuram as maiores atrocidades dos anti USA (tibete, darfur, núbios, Kim da Coreia, Laos, Myanmar, MPLA, fuzilamentos em Cuba, Lapidação de mulheres e crimes de honra(???) e quase todo o mundo islâmico, mesmo na Europa…), enfim, defendem qdo é mediático, censuram qdo não é, os actos mais asquerosos do planeta.

    Gostar

  84. 5 Janeiro, 2009 16:57

    Os comentários do Euroliberal são feitos de palavras gritadas, exasperadas, extenuadas e vazias. Não tem identidade, não tem nem determinações de espaço nem de tempo, esvaziando-se num débito verbal sem fim. É um apelo evidente ao nada, típico da Deficiência Mental.

    Gostar

  85. Zenóbio permalink
    5 Janeiro, 2009 18:13

    62

    “O Islão é sobretudo a habilidade em obter lucro criando problemas, nomeadamente com o espectáculo da morte”

    Quer melhor aproveitamento do espectáculo da morte que o merchandising do holocausto? A chantagem sobre a Europa a propósito dos terríveis acontecimentos de há 65 anos, continua a dar frutos. Cada vez que um país europeu tenha ser imparcial, logo aparece o Lóbi judeu a ameaçar.
    Tantos anos depois, a morte de milhões de judeus não foi em vão – continua a gerar lucros.

    Gostar

  86. 5 Janeiro, 2009 23:06

    Parece que a propaganda dos judeus é muito bem aceite pelos ocidentais. Mas, toda a gente séria sabe a diferença entre o Hamas e os Judeus é nula – são terrosista de igual quilate.

    Quem, de entre os presentes, aceitaria ser escravizado pro um ocupante estrangeiro que dita regra piores que Hitler e semeia a morte e destruição em todo o lado.

    Dou um exemplo: Depois de um toque de recolher obrigatório, num dia muito calmo e sem qualquer conflito, uma criança palestiniana de uns quatro anos sai à rua impelida pela vontade de apanhar uma bola. Imediatamente uma chuva de balas criva o petiz indefeso. Os pais, impotentes, vêem o filho agonizar na rua e nada podem fazer até que a boa-vontade dos judeus invasores permita levantar o corpo…

    Venham-me cá dizer que se fossem pais não estaria do lado do Hamas. Tretas… Tretas apenas!

    Gostar

  87. Já Volto permalink
    6 Janeiro, 2009 03:17

    O que é o Blasfémias?

    Desta vez o Alfa Irão (com a ajuda da Russia, Alfa da Ucrânia) está a bater aos pontos o Alfa EUA. Não que tenham combinado entre eles. Foi um feliz acaso.

    A Rússia, a par com o Irão viram os preços da energia cair a pique até 26 de Dezembro onde andava à volta dos 40 dólares barril (FTSE) com tendência de descida.
    Pouco antes disso a Rússia mexia-se com o que podia fazer. O pretexto estava lá… propositadamente à espera: a Ucrânia. É um dos instrumentos que a Rússia tem à disposição para destabilizar o mercado e com isso (ajudar a) aumentar os preços da energia ou a travar a descida. Nunca resolvem definitivamente o tema porque é do seu interesse que esse instrumento fique disponível. É um investimento valioso os 200 euros de saldo que beneficia a Ucrânia na compra do gás Russo. O timing era o ideal: ano novo vem aí. Dizia o Medvedev alto e bom som que se após o corte de fornecimento de gás à Ucrânia esta desviasse ou boicotasse o abastecimento Russo à Europa os Russos pegavam no martelo e a Ucrânia ia sentir o destino da Georgia. O preço do petróleo começou a suavizar a descida. O discurso aumentou de volume ao ritmo das ameaças cada vez mais agudas. O mundo levantou o sobrolho para a questão. O preço oscila na corda bamba.

    Entretanto o Irão percebe a oportunidade. A data de fim do cessar fogo na Palestina estava perfeito. O pretexto estava lá: O cerco, as eliminações cirúrgicas de elementos do Hammas pela Mossad. Estava na hora de pôr os puppies em acção. Dia 1 após o cessar fogo começam os lançamentos de mísseis (fogo de artificio?) por parte do Hammas. A armadilha estava lançada.
    Os EUA mordiam o isco? Valia a pena a tentativa já que com um presidente tão pouco inteligente e uma administração minada de pessoas que só aconselham o que o presidente quer ouvir podia ser que pegasse. O preço do petróleo começa a oscilar fortemente, desta vez com tendência de subida, após seis meses a descer. Sorriso a oriente. Os mísseis passam de 10/20 por dia para 60! Era preciso mais, era preciso uma reacção verdadeiramente forte por parte de Israel. Era preciso por o mundo a olhar para lá. O petróleo estava a 42 dólares depois de ter parado de descer nos 40 com a manobra da Rússia na Ucrânia (mínimo de 38 antes de tudo isto).

    Israel começou os bombardeamentos aéreos a Gaza.

    Aposto que nesta altura o Obama percebeu tudo. Por isso calou-se.
    Sarkozy e Burroso (n é gralha), que são muito mais “sharp” do que parece(m) perceberam tudo também. O primeiro arregaçou as mangas e fez-se à estrada com o apoio do segundo. A Europa tem de tentar evitar a nova subida do crude.
    Quem percebeu logo tudo e a nova oportunidade caída do céu foi Moscovo. Ficou calada uns 2 ou 3 dias a ver se os tontos mordiam o isco. Afinal a mestria dos tontos a ocidente teve um intervalo de 8 anos e ainda não tinha acabado. Será que iriam cair assim tão facilmente? Silêncio. Expectativa. Pelo sim pelo não reforçam a pressão no pipeline do norte e quase que encorajam a Ucrânia a roubar (desviar) parte do gás que vai para a Europa. Estava tudo no sítio. Estava tudo montado.

    A cada dia que passava o petróleo fecha o dia com o preço um pouco mais alto.

    Dá-se a invasão terrestre e há sorrisos em todos os líderes cujos países exportam petróleo.

    Há aqui uma dupla vitória por parte do Irão e mesmo da Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, principalmente o Dubai que está afogado e em perigo de ver a economia resvalar fortemente por causa dos investimentos desastrosos que por lá se têm feito.
    Por um lado o bendito petróleo deixa de ver o seu preço descer e começa, dia após dia, a subir até chegar aos 46 dólares.
    Por outro (e aqui não deixa de ser de mestre) usa-se a formatação dos seus próprios puppies (sunitas e xiitas) para berrar baixinho contra a “invasão” do opressor. Mas apenas no melhor estilo de hollywood. Fica-se bem na fotografia perante o próprio povo que grita assassinos aos Israelitas. Usa-se ainda a formatação feita ao mundo ocidental pelos EUA/Inglaterra/Israel de modo a que essa parte do mundo apoie Israel. Aqui entra este blog (blasfémias) por exemplo.

    Como eles devem estar a esfregar as mãos de contentes ao ver os CAA e jcd deste mundo a trabalhar para eles. Tanto pateta a ser usado com tanta mestria que, goste-se deles ou não – e eu não gosto nada, tem de se lhes tirar o chapéu.

    Percebe CAA o serviço que está a prestar ao seu “inimigo”? Essa xenofobia vem-lhes mesmo a calhar.

    Entretanto a Rússia deixa de falar agressivamente e passa a falar em tribunais na questão da Ucrânia (mas alguma vez a Rússia fala de tribunais?). É do seu interesse deixar arrastar a questão do gás.

    Sem ninguém ter telefonado a ninguém, sem a NSA ter ouvido qualquer conversa o alfa mais ocidental caiu na armadilha. O Obama está contente. Silêncio até à semana de dia 20.

    Quando finalmente os gráficos mostrarem os verdadeiros custos desta guerra para os EUA estes vão puxar a coleira ao puppie do porta aviões do middle east.
    O dia 20 aproxima-se rápidamente. Obama sorri.
    Obama toma posse, a guerra pára porque a administração cessante puxou a coleira. O petróleo desce. Obama pega num plano de paz com base noutro qualquer e faz um esforço para apaziguar a coisa um pouco mais a prazo.
    O mundo olha para Obama com expectativa. Começa o seu mandato como o salvador da opressão para os Islâmicos e como salvador do aumento do preço do petróleo para os ocidentais. Uma win-win situation.

    Os aliados olham-no com admiração, os adversários e “inimigos” também. Ele não fez nada. Só geriu o silêncio.

    O Alfa do ocidente está de volta. Os a oriente sabem-no. Todos de volta à economia.

    (Tudo isto debaixo do nariz do CAA e jcd cegos e usados na sua intolerência e xenofobia plantada e na seu orgásmico auto convencimento de inteligência. Puppies.)

    Gostar

  88. 6 Janeiro, 2009 06:57

    “Os mongóis inventaram o pólo a cavalo, mas na altura em vez de usarem a bola, usavam as cabeças dos Ocidentais” – Kitéria Bárbuda in “Balatuca, o Mourinho de olhos em bico”, Revista “Espírito”, nº 29, 2006.

    QUAES CUNQUE FINDIT

    Gostar

  89. Anónimo permalink
    6 Janeiro, 2009 20:11

    54- muito mais m… do k cruzados e europeus fazem os islâmicos na Palestina no séc XXI, como os crimes de honra e a lapidação de mulheres e exposição asquerosa de crianças às bombas israelitas. Mas se vc é tão admirador dos métodos do maomét e desta cambada, e tão crítico dos cruzados e europeus, o k está aki a fazer no meio da m…? Pq não vai viver com eles (marrocos, irão…) , longe da m…? Pode ter a sorte de pôr umas bombas à cintura e ir ter com as 72 virgens ao inferno, perdão, ao cemitério.

    Oh Satiro é a unica coisa que tem para dizer? Pois então tome atenção. Quem vê só de um olho é vesgo, ou seja é meio “cego”. Quem não tem capacidade de “autocrítica” é …..

    Islão e árabes tem tanto a ver como canadianos e cristianismo! confundir as duas coisas é burrise, há árabes, islâmicos, cristãos, etc. Aliás, a maiorias dos muçulmanos nem sequer é árabe, compreendeu?

    Gostar

  90. KiKaS permalink
    6 Janeiro, 2009 21:34

    91 Já Volto

    Fantástico!!!

    Gostar

  91. Arsénico permalink
    6 Janeiro, 2009 22:34

    “Burrise”? ” a maiorias dos muçulmanos”? ” Quem vê só de um olho é vesgo”? Isso foi do fumo dos “Qassam” ou das brocas, broda?

    Gostar

  92. Anónimo permalink
    6 Janeiro, 2009 23:12

    Sim Arsénico

    Sim, a maioria dos muçulmanos não é árabe! Qual é a dúvida?

    Sim, vesgo, É aquele que vê argueiros nos olhos dos outros mas não vê trancas nos seus! Qual é a dúvida?

    Sim, burrice, qualidade de quem é burro, sem, contudo, fazer parte do gado asinino! Qual é a dúvida?

    Gostar

  93. David permalink
    16 Dezembro, 2009 19:17

    Hamas Resiste . Israel e os zionistas assassinos d crianças covardes, Racistas,
    Fuck Zionistas.

    Gostar

Trackbacks

  1. Vamos lá, todos às manifs, louvar a besta. «
  2. O que é o HAMAS ? « Islão a nu - Para tomar consciência do terror
  3. A lógica do “mas…” « BLASFÉMIAS

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: