Saltar para o conteúdo

Grande dia para o Chavismo

16 Fevereiro, 2009

Foi um grande dia para o Chavismo, em Portugal e também na Venezuela. Em Portugal, Sócrates ganhou as eleições internas do PS. Na Venezuela, Chávez ganhou o referendo.

95 comentários leave one →
  1. 16 Fevereiro, 2009 03:54

    O Chavismo está condenado a prazo pelo petróleo. Cai por si mesmo. Ainda que o eixo de poder tenha tornado a Europa o continente marginal, como bem mostram as razões da ida da Srª Clinton ao Oriente.
    http://ovalordasideias.blogspot.com/2009/02/o-eixo-estrategico-do-extremo-oriente-e.html

    Gostar

  2. 16 Fevereiro, 2009 06:37

    grande dia para Alcochete

    Gostar

  3. 16 Fevereiro, 2009 07:40

    Tenho a impressão que os amigos Sócrates e Chavez estavam bem combinados.

    Gostar

  4. frio porte permalink
    16 Fevereiro, 2009 07:52

    enterros laicos e socialistas.
    os macacos sem rabo de darwin
    voltam a idade da pedra lascada

    Gostar

  5. 16 Fevereiro, 2009 08:21

    ««José Sócrates obteve 25.393 votos»
    Ou uma qq distorção da Democracia.
    Um país governado por um líder, numa base de 25 mil eleitores.
    Há falta de melhor, ou pela demissão dos eleitores?

    Gostar

  6. Wallace permalink
    16 Fevereiro, 2009 08:36

    Deve ser horroroso ser venezuelano. Que pouca sorte.
    Uma das características dos momentos de crise económica como o que vivemos, é a perpetuação no poder de líderes demagogos e «musculados», ou de Direita ou de Esquerda. Temos aqui o primeiro caso: de Esquerda. Quem se seguirá?

    Gostar

  7. 16 Fevereiro, 2009 08:37

    Um país governado por um líder, numa base de 25 mil eleitores.

    Que tolice!
    Sócrates governa o país porque ganhou eleições nacionais´onde até eu, e presumo que o senhor, votamos.

    Gostar

  8. Filipe permalink
    16 Fevereiro, 2009 09:15

    Chavez ganhou o referendo que possibilitará as re-eleições. Chavez não aboliu as eleições. Se ele estiver no poder é porque os venezuelanos votaram nele.

    Gostar

  9. Kowalski permalink
    16 Fevereiro, 2009 09:28

    Venezuela: portuguesa vota «não», boletim marca «sim»

    Milhares de venezuelanos, entre eles um número significativo de portugueses, afluem este domingo às urnas para votar uma emenda da Constituição para permitir a reeleição presidencial ilimitada de Hugo Chávez e de todos os cargos de eleição popular. Alguns portugueses denunciam irregularidades na votação, noticia a Lusa.

    Apesar de ser domingo, os habitantes de Caracas e outras localidades do país acordaram cedo, pelas 04:30 horas locais (09:00 horas em Lisboa). Em Caracas, segundo a Agência Lusa presenciou, era significativa a presença de imigrantes portugueses em urbanizações como La Florida, Chacao e Guaicaipuro, com as pessoas a pretenderem exercer o seu direito de voto para regressar a casa e passar um «domingo em família».

    Comparativamente com outros processos eleitorais, «o processo foi rápido», disse à Agência Lusa o engenheiro electrónico Ernesto das Sales, um emigrante de 63 anos, natural de Santa Cruz, Madeira, radicado na Venezuela desde 1957. «Tudo decorreu muito bem, o processo foi muito fácil, rápido, talvez pela facilidade de se ter que responder a apenas uma pergunta», disse o emigrante que votou no Colégio Santo António de La Florida.

    «Apareceu um sim, quando eu votei pela opção não»

    Natural do Caniço, Madeira, Maria Rodrigues, 65 anos e radicada há 38 anos na Venezuela, percorreu parte da cidade de Caracas, desde Petare (a leste de Caracas) até à urbanização de Las Palmas (nas proximidades do centro), para votar, uma atitude que, disse não teve sucesso.

    «Enquanto uma rapariga me explicava como votar, a máquina imprimiu um boletim, o voto foi nulo, mas eu não pude votar. Disseram que tinha tocado a máquina (eleitoral) o que não é verdade, porque apenas toquei com um dedo na mesa», disse, manifestando-se desencantada.

    Por outro lado, a luso-descendente Nataly Beja, 25 anos, denunciou à Agência Lusa e à RTP que o boletim imprimiu um voto com uma opção diferente daquela que tinha seleccionado. «Apareceu um sim, quando eu votei pela opção não, queixei-me, foi feita uma acta que não está devidamente carimbada e tenho que aparecer ao final da tarde para comprovar o que vai acontecer», disse. Filha de emigrantes naturais do Porto, Nataly Beja frisou ainda ter conhecimento de casos de pessoas que registaram a mesma anormalidade.

    Defensores do Não impedidos de votar em Madrid

    O consulado venezuelano em Madrid suspendeu o processo de votação por se terem registado problemas com os apoiantes do «Não». Vários membros denunciaram ao El País que, por volta das 15h, as votações foram suspensas sem que fosse dado qualquer explicação.

    http://diario.iol.pt/internacional/iol-referendo-ultimas-portugueses-venezuela/1042875-4073.html

    Gostar

  10. anómino permalink
    16 Fevereiro, 2009 09:41

    Este Miranda tem o a mania de fazer colagens disto ne daquilo. Agora colou Chaves a Socrates.
    Por acaso o sr já se viu ao espelho? Lá no fundos, onde cozinha as bactérias deve fazer colonagens disto e daquilo. Numa dessa misturas saiu o mix mirandatango. Uma mistura de miranda com orangotango.

    Gostar

  11. 16 Fevereiro, 2009 09:44

    «Que tolice»
    Soi disant, a população, confirma a escolha de um clube de 25 mil (mais alguns).
    Quanta mais abstenção, mais curto, simples e conciso.
    Quanto ás eleições nacionais, 30% do eleitorado servem para ter um PM (ou um PR).

    Gostar

  12. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 09:58

    Vão ao RESISTIR que está lá tudo explicado
    «VENEZUELA: UMA VITÓRIA DE TODOS OS POVOS
    Os 54,36% dos venezuelanos que votaram “sim” no referendo de domingo deram o seu apoio à Revolução Bolivariana e ao Socialismo. Foi uma pesada derrota da reacção interna manipulada pela embaixada dos EUA. Esta votação histórica constitui uma bela vitória para todos os povos do mundo. Ela mostra a verdadeira saída para a crise que hoje devasta o apodrecido modo de produção e de distribuição capitalista.»

    Gostar

  13. BBJ permalink
    16 Fevereiro, 2009 10:06

    Tenho a certeza que o anonimo das 11 nao deve ter mais de 18 anos. porque sera?

    “The greatest task of democracy, its ritual and feast – is choice.” H.G. Wells

    Gostar

  14. 16 Fevereiro, 2009 10:16

    Fico sem saber se o post é contra as eleições eleições internas ou contra os referendos.

    Gostar

  15. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 10:18

    Detesto esta campanha da oposição. Não são democratas, destroem a democracia. Querem roubar o governo à força da mentira,duma campanha doentia, mórbida, triste. Desprezo total. Ainda por cima nem se percebe nada de nada porque querem eleger o outro partido cheio de pessoas suspeitas com roubalheira insuportável com um banco com um buraco que se calhar é maior que o pib de caboverde e nem se sabe quem são essas pessoas.

    Gostar

  16. 16 Fevereiro, 2009 10:22

    A(s) DITADURA(s) no seu esplendor!!!

    Gostar

  17. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 10:38

    Manuela Fereira Leite eleita por maioria
    Uma maioria substancial elegeu em 31/05/08 como líder do PSD. De 77 mil militantes social democratas registados no partido 43 mil participaram na eleição do ex-novo líder.
    Manuela Ferreira Leite foi eleita com (14.450) 37% dos votos, tendo mais de 250 brancos e mais 46 nulos.

    a partir disto podem continuar a conversa

    Gostar

  18. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 10:48

    Esta vitória do Chavez vem mais uma vez provar que é muito perigoso deixar o povo decidir com o voto os altos destinos duma nação., Por causa desta e doutras é que viver numa democracia formal, tutelada e sem verdadeiras alternativas é sempre mais confortável.

    Gostar

  19. Joaquim permalink
    16 Fevereiro, 2009 10:51

    Tenho a impressão que alguns queriam mesmo era votar em boletins de voto onde, descontando os menores de 18 anos de idade, constassem uns 6 ou 7 milhões de votos.

    Se não gostam de nenhum dos partidos ou da forma como escolhem os lideres têm muitas opções:
    1. inscrevem-se num partido e mudam-no por dentro;
    2. juntam-se a outros que partilhem das mesmas ideias e formem um partido à vossa medida;
    3. engolem o sapo e votam no menos mau;
    4. emigram para um país onde os líderes dos partidos políticos não sejam escolhidos apenas pelos respectivos militantes mas antes por toda a população.

    Até fazerem uma destas coisas, não têm que se calar. A liberdade de opinião inclui o direito a dizer disparates e a fazer figura de urso.

    Gostar

  20. Joaquim permalink
    16 Fevereiro, 2009 10:52

    Correcção: Tenho a impressão que alguns queriam mesmo era votar em boletins de voto onde, descontando os menores de 18 anos de idade, constassem uns 6 ou 7 milhões de NOMES.

    Gostar

  21. Joaquim permalink
    16 Fevereiro, 2009 10:54

    José Sócrates ganhar as eleições internas com 96% dos votos não diz nada de mal relativamente a ele. Diz é muito sobre a oposição interna do PS.

    Gostar

  22. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 10:56

    Joaquim,

    A democracia não é a ditadura da maioria. Reveja os seus conceitos com urgência.

    Gostar

  23. Joaquim permalink
    16 Fevereiro, 2009 11:04

    Não sei onde possa ter escrito que “a democracia é a ditadura da maioria”.

    Mas o Zenóbio escreveu “Esta vitória do Chavez vem mais uma vez provar que é muito perigoso deixar o povo decidir com o voto os altos destinos duma nação.”, o que PARECE indicar que não deve ser o povo a decidir, bem ou mal, o seu destino. Se não é o povo, suponho que as decisões fiquem a cargo de uns “iluminados” mas não percebi como esses “iluminados” seriam escolhidos.

    SE o Zenóbio queria escrever aquilo que PARECE que escreveu, não serei eu a ter que rever os meus conceitos com urgência.

    Gostar

  24. Rxc permalink
    16 Fevereiro, 2009 11:06

    Zenóbio, muitíssimo acertado o seu comentário. O busílis da questão está precisamente em se confundir democracia com essa tal “ditadura da maioria”, que dá muito jeito à partidocracia em que actualmente vivemos. Basta ter-se mais um voto para a opinião dos adversários ser totalmente ignorada. Isto é democracia?

    Gostar

  25. Rxc permalink
    16 Fevereiro, 2009 11:08

    Joaquim, o povo vota no palhaço que lhe puserem à frente. Agora estão numa onda rosa (parecem esquecer-se que estes senhores governaram 11 dos últimos 14 anos), e após o previsível descalabro económico-social dos próximos anos, vão virar novamente para o PSD, seja quem for que lá esteja.

    Gostar

  26. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 11:24

    3 semanas de freeporcalhada. um dia de bpn.
    bora lá malhar no chavez e de caminho no socrates.
    técnica e orientação crespo.

    Gostar

  27. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 11:39

    Chavez devia ter outra estratégia para se eternizar no poder. Devia ter uma familia. Tipo familia Bush ou familia Clinton. Dá mais trabalho mas colam-se ao poder que nem lapa. Bush já disse que queria que um filho fosse próximo presidente.

    Gostar

  28. 16 Fevereiro, 2009 11:42

    Para as varejeiras antidemocráticas, os posts do JM são mel.

    Gostar

  29. 16 Fevereiro, 2009 11:43

    Viva Simon Bolivar. Viva el bolivarismo e sus extensiones, Hugo e José.
    Los liberales e otros fascistas seran reconvertidos.

    E ustedes estan echos (tradução literal, em espanhol socretino, de: vocês estão feitos). 😆

    Gostar

  30. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 11:47

    o miranda quer bater à segunda o score do amorim no domingo.
    penso que será fácil, porque hoje isto tem mais funçao pública.

    Gostar

  31. 16 Fevereiro, 2009 11:54

    Venezuela é hoje oficialmente o único país que escolhe livremente viver em Ditatura!

    http://planetaspolitik.blogspot.com/2009/02/ate-que-morte-nos-separe.html

    Gostar

  32. Doe, J permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:02

    Rxc disse
    “Agora estão numa onda rosa (parecem esquecer-se que estes senhores governaram 11 dos últimos 14 anos), e após o previsível descalabro económico-social dos próximos anos, vão virar novamente para o PSD, seja quem for que lá esteja.”

    E depois, como arrumar a casa até endireitar ou pelo menos acertar o rumo das contas é sempre impopular porque ninguém gosta de apertar o cinto, fica aberto novamente o caminho aos gastadores crónicos. E o circulo repetir-se-á, mais uma vez…

    Gostar

  33. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:04

    Joaquim,

    Leia tudo que escrevi com calma, vai encontrar um significado diferente

    P.S.Baseie a minha observação nestas suas palavras:

    “Se não gostam de nenhum dos partidos ou da forma como escolhem os lideres têm muitas opções:
    1. inscrevem-se num partido e mudam-no por dentro;
    2. juntam-se a outros que partilhem das mesmas ideias e formem um partido à vossa medida;
    3. engolem o sapo e votam no menos mau;
    4. emigram para um país onde os líderes dos partidos políticos não sejam escolhidos apenas pelos respectivos militantes mas antes por toda a população.”

    Não me parece que estjamos naquela proposta da ditadura brasileira “Brasil, ame-o ou deixe-o”

    Gostar

  34. anómino permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:05

    Caro JoaquimSubscrevo os seus comentátios e acrescento: para eles a democracia tem que ser como eles a idealizam. Se for diferente dos seus ideais é ditadura.
    Não lhe doa o pulso e continue a escrever.
    Um abraço.

    Gostar

  35. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:07

    “Venezuela é hoje oficialmente o único país que escolhe livremente viver em Ditatura”

    Pelo menos a maioria dos Venezuelanos ainda escolheram ter um regime que possibilita a escolha do “ditador” pela via dos votos, e que pode ser apeado do poder pelo mesmo método. Há muitos outros povos que nem a isso tem direito

    Gostar

  36. JoaoMiranda permalink*
    16 Fevereiro, 2009 12:09

    ««Pelo menos a maioria dos Venezuelanos ainda escolheram ter um regime que possibilita a escolha do “ditador” pela via dos votos, e que pode ser apeado do poder pelo mesmo método. »»

    Não há qualquer garantia que possa ser apeado pelo voto. Isso é wishful thinking.

    Gostar

  37. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:10

    Piscoiso,

    Quando há mel, você sempre aparece. Guloso!

    Gostar

  38. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:15

    “Não há qualquer garantia que possa ser apeado pelo voto. Isso é wishful thinking

    Não provas que não possa ser verdade. Pelo menos até hoje.
    Eu não confundo gostos pessoais com realidades institucionais. Não admiro o estilo Chavez, mas não me acho no direito de dizer que ele é um ditador.

    Gostar

  39. JoaoMiranda permalink*
    16 Fevereiro, 2009 12:20

    ««Não provas que não possa ser verdade. Pelo menos até hoje.»»

    Eu não preciso de provar nada. Um sistema democrático deve dar garantias de que não degenera em ditadura a priori. Alegar que o sistema é bom porque ainda não degenerou totalmente em ditadura não é grande consolo. Até porque, no dia em que degenerar totalmente em ditadura não haverá nada a fazer.

    Gostar

  40. 16 Fevereiro, 2009 12:21

    Zenóbio
    “Não admiro o estilo Chavez, mas não me acho no direito de dizer que ele é um ditador”

    está bem um Ditadorzinho…vá!!

    Gostar

  41. 16 Fevereiro, 2009 12:22

    Já escrevi algumas coisas a esse respeito e nunca me referi à falta de legalidade dos inúmeros processos eleitorais a que se submeteu Chávez, contudo, a minha preocupação prende-se mais com a sua legitimidade (ou falta dela) no exercício do poder. Afinal a democracia não se esgota com os votos, pelo contrário, a sua vigência é desafiada com o exercício diário do poder e nesse capítulo julgo existirem muitas e legitimas razões para preocupação.

    Gostar

  42. JoaoMiranda permalink*
    16 Fevereiro, 2009 12:24

    Parece-me evidente que as democracias devem ter mecanismos que impeçam a instituição de ditaduras pelo voto. A limitação de mandatos é um desses mecanismos, que agora vai ser ilegalmente revertido na Venezuela.

    Gostar

  43. 16 Fevereiro, 2009 12:32

    Possivelmente, Sócrates enviará uma missiva ao seu amigo Chávez, congratulando-se com o resultado… E vice-versa, claro !

    Gostar

  44. 16 Fevereiro, 2009 12:32

    ao menos o boletim de voto na Venezuela tinha um sitio com o não.A vergonha do boletim do Ps não tinha.Tenham vergonha não comparem o boletim democrático da venezuela com o boletim salazarento do Ps.

    Gostar

  45. 16 Fevereiro, 2009 12:35

    38

    Se Chavez não é um ditador, é o quê?

    Gostar

  46. lucklucky permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:35

    Noto diferenças para a União Europeia. Os Venezuelanos ainda votaram, por cá não. E aqueles que puderam votar votam até dar Sim como na Venezuela.

    Gostar

  47. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:36

    Parece-me evidente que as democracias devem ter mecanismos que impeçam a instituição de ditaduras pelo voto

    Aqui alguém que esteja 8 anos omo PM depois pode ainda candidatar-se a mais 10 como presidente. Por isso, o poder atrai certas pessoas.

    Gostar

  48. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:38

    JoaoMiranda disse: Eu não preciso de provar nada.

    pois não. e vão dois, armar confusão é connosco.

    Gostar

  49. 16 Fevereiro, 2009 12:39

    anonima 45 eu não disse que o chavez não era ditador o que eu disse é que o menos ele foi eleito democráticamente e havia onde opor o não no voto para eleição do PS não havia.No PS é que não há democracia.Uma vergonha.

    Gostar

  50. OLP permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:43

    Não há provas nenhumas de nada quando não se quer.
    Quando se cala todos os meios de comunicaçao que não façam a apologia do dito cujo é o que? antifassismo talvez.
    Quando se persegue violentamente qualquer agrupamento que não seja “bolivariano” é meiguice?
    Quando todos os domingos se põe a ouvir o “mais esclarecido” no minimo seis horas de tv é reeducação?
    Quando se ameaça de quem engula ou coma em atitude de protesto o boletim de voto, de prisão chama-se a isso o que?
    Ai provas provas.

    Gostar

  51. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:43

    “Um sistema democrático deve dar garantias de que não degenera em ditadura a priori”

    Formalmente todos os sistemas democráticos garantem o primado da lei e a liberdade dos cidadãos escolherem os governantes. Na prática sabemos que a coisa não é assim tão virginal.
    Vamos ver aquilo que é mais importante: a forma ou o conteúdo.
    No caso de Chavez a forma foi manda às urtigas, resta saber se por detrás do populista demagogo está um ditador, ou se toda a encenação se resume a marketing, e que na altura certa e sob pressão da economia, ele toma medidas anti-democráticas ou se submete ao julgamento dos votos.
    Juízos preventivos, neste momento, não me parecem o melhor caminho.

    Gostar

  52. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:47

    “”Afinal a democracia não se esgota com os votos, pelo contrário, a sua vigência é desafiada com o exercício diário do poder e nesse capítulo julgo existirem muitas e legitimas razões para preocupação””

    Concordo, e acho que poderia ser aplicado ao caso português com a maior das pontarias.

    Gostar

  53. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:48

    “”Parece-me evidente que as democracias devem ter mecanismos que impeçam a instituição de ditaduras pelo voto.””

    Está a pensar no Alberto João?

    Gostar

  54. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:50

    JP disse: No PS é que não há democracia.Uma vergonha.

    se não és ps, que diferença te faz? a não ser que estejas a pensar em votar nos gajos. nesse caso és um imbróglio.

    Gostar

  55. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 12:53

    #45

    Chávez é tão ditador como o Sócrates é democrata.

    Gostar

  56. JoaoMiranda permalink*
    16 Fevereiro, 2009 13:24

    ««“”Parece-me evidente que as democracias devem ter mecanismos que impeçam a instituição de ditaduras pelo voto.””

    Está a pensar no Alberto João?»»

    Zenobio,

    Se o seu objectivo era atacar-me com essa, tenha lá paciência. Discuta sozinho.

    Gostar

  57. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 13:34

    João Miranda,

    Lembrar-lhe que o AJJ é um caso de ditadura da maioria é um enriquecimento da discussão. Lamento se tomou isso como um ataque pessoal.

    Gostar

  58. celestine permalink
    16 Fevereiro, 2009 13:41

    Sem referendo nenhum, governa o presidente da câmara de Braga esse município há 40 anos, quase. E assim o de Guimarães, como o de de de e assim também o do Funchal.

    Gostar

  59. JoaoMiranda permalink*
    16 Fevereiro, 2009 13:45

    ««Lembrar-lhe que o AJJ é um caso de ditadura da maioria é um enriquecimento da discussão. Lamento se tomou isso como um ataque pessoal.»»

    Não tomei como ataque pessoal. Tomei mais como um desvio de conversa. Chavez e AJJ não estão bem na mesma situação. Chávez detém o poder central, com controlo do executivo, do legislativo e do judicial. AJJ é um mero líder regional que no máximo consegue controlar o legislativo e o executivo regional. Não controla o executivo nacional, nem o legislativo nacional, nem o Presidente da República, nem o judicial. Qualquer destes poderes que AJJ não controla pode pô-lo fora de jogo, como de facto aconteceu. A Assembleia da República introduziu limites de mandatos com o objectivo de limitar o poder de AJJ. O mesmo aconteceu com a alteração do financiamento da região.

    Gostar

  60. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 13:50

    “”Parece-me evidente que as democracias devem ter mecanismos que impeçam a instituição de ditaduras pelo voto.””

    Os casos conhecidos de Mesquita Machado, Isaltino, Fátima Felgueiras e AJJ demonstram que a democracia sofre entorses quando não se cuida da rotatividade no exercício do poder.

    Os vícios acumulados, as dependências, corrupção e o compadrio sistémico vão-se tornando o mote para não saírem do poder.

    Primeiro não saem porque lhes sabe bem o poder, depois não sem para que nada se saiba sobre o modo como exerceram esse mesmo poder.

    Clássico.

    Gostar

  61. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 13:53

    errata: deve-se ler –

    Primeiro não saem porque lhes sabe bem o poder, depois não saem, para que nada se saiba sobre o modo como exerceram esse mesmo poder.

    Gostar

  62. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 13:54

    “Chavez e AJJ não estão bem na mesma situação”

    Claro que não estão. Mas a tentação pela “informalidade” do poder é partilhada.

    Gostar

  63. 16 Fevereiro, 2009 14:01

    Uma opinião profundamente corporativista.

    Gostar

  64. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 14:07

    o joão miranda brilha o suficiente pata iluminar o país.

    não às renováveis.

    Gostar

  65. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 14:08

    #64 sim à biomassa

    Gostar

  66. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 14:17

    de bima$$a percebe o doutor miranda

    Gostar

  67. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 14:22

    #66 outro o tapar o bpn com energia, que não lhe faltem as forças

    Gostar

  68. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 14:24

    acho que o joão miranda usa o infantário da mulher, os putos e os magalhães para encher o caixote dos comentários.

    Gostar

  69. 16 Fevereiro, 2009 14:27

    O menino de oiro é um apreciador incondicional do ditador venezuelano.
    Imagine-se se a moda pega?!

    “Venezuela: portuguesa vota «não», boletim marca «sim»

    Emigrante denuncia irregularidades durante o referendo que poderá permitir a reeleição presidencial ilimitada de Hugo Chávez

    http://www.diario.iol.pt/internacional/iol-referendo-ultimas-portugueses-venezuela/1042875-4073.html

    Gostar

  70. Joaquim permalink
    16 Fevereiro, 2009 14:32

    (25) Rxc,
    “o povo vota no palhaço que lhe puserem à frente”
    O povo vota num dos palhaços que lhe forem colocados à frente. Quer que o povo possa votar em alguém que não seja palhaço? Dê um passo em frente.
    Até lá, chame palhaço a quem quiser mas o Rxc é um dos que votam num palhaço ou um dos que se estão nas tintas para o facto de o seu País ser governado por palhaços.

    (33) Zenóbio,
    Se há mais opções além das 4 que apresentei, liste-as.
    Nota: passar o tempo a queixar-se dos outros e não fazer nada para alterar a situação é o que muitos fazem por aqui. O que peço é alternativas a isso.

    Já agora, se a maioria decidir é “tirania da maioria”, qual é a alternativa? Não é “tirania de uma minoria”, pois não? É que, nesse caso, convinha saber a que “minoria” se refere.

    (42) João Miranda,
    Não entendo como se pode votar em alguém como Chavez mas quer mais democracia do que os eleitores poderem continuar a votar em quem querem, independentemente de há quanto tempo essa pessoa ocupa o cargo?

    E “instituição de ditaduras pelo voto” não é uma contradição?
    Ditadura não advém da limitação do tempo em que se pode ocupar o poder mas sim de como se ocupa o poder, nem que seja por 6 meses.

    Gostar

  71. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 14:39

    Joaquim:

    és um tanso, os gajos gozam descaradamente contigo e tu continuas armado em d. caixote.

    Gostar

  72. Quim permalink
    16 Fevereiro, 2009 15:00

    Também foi um grande dia para Sócrates por outra razão:
    até o Obama lhe escreveu a pedir-lhe ajuda para, juntos, construírem um mundo melhor!
    Diga lá que isso não é um motivo de grande orgulho!
    Consta que Sócrates já mandou emoldurar a carta, que vai expor no seu gabinete, ao lado dos seus diplomas de engenheiro (o de domingo e o outro).

    Gostar

  73. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 15:15

    até só o cavaco é que divulgou a carta. deu na tv. o outro ainda não vi, só ouvi.

    Gostar

  74. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 15:20

    até o Obama lhe escreveu a pedir-lhe ajuda para, juntos, construírem um mundo melhor

    onde é que leste isso? não estarás a confundir com o cavaco?

    Gostar

  75. Jacaré permalink
    16 Fevereiro, 2009 15:34

    Isso da carta é um tremendo equivoco. Obama pensa que Portugal é um país com um regime presidencialista como os USA. se hipotéticamente ele quer cooperar, essa cooperação passa mais pelo governo que pela presidencia de república.

    Gostar

  76. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 15:43

    pelo governo que pela presidencia de república

    pois. mas o broncos chamaram logo a tv. um destes “dias” revelam o correio íntimo do loureiro, ou não fosse aquilo um palácio cor de rosa. tilt.

    Gostar

  77. 16 Fevereiro, 2009 16:03

    Não há dúvida, um dia bom para o Chavismo. Têm tics semelhantes aqueles dois, para além de deterem controlo dos media mais populares, também gostam de perseguir os ricos. E Sócrates também continuará a ganhar sempre, a função pública vota em massa nele porque são os menos ameaçados pela crise e receberam um aumento chorudo.

    Gostar

  78. Jacaré permalink
    16 Fevereiro, 2009 16:08

    Tina

    Balelas!

    Gostar

  79. 16 Fevereiro, 2009 16:14

    Incrivel analogia!!!!!!

    Gostar

  80. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 16:30

    “”Têm tics semelhantes aqueles dois, para além de deterem controlo dos media mais populares, também gostam de perseguir os ricos””

    Essa é uma maravilha. Que disse que o Sócrates não gosta de ricos? Perguntem á Mota Engil, ao Amorim, ao Coimbra, ao Balsemão etc etc

    Gostar

  81. Tolstoi permalink
    16 Fevereiro, 2009 16:36

    E a analogia entre o eleitorado português e o da Venezuela , qual é?

    Gostar

  82. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 16:38

    tina devia dizer: E Sócrates também continuará a ganhar sempre, a disfunção eréctil pública volta em massa, blá…lbá…bál…

    Gostar

  83. Joaquim permalink
    16 Fevereiro, 2009 16:47

    (72) Anónimo,
    Antes ser “tanso” enquanto me tento “armar em D. Quixote” do que ser “esperto” e deixar de me importar.

    Quanto a gozarem comigo “descaradamente”, devo ser demasiado “tanso” para perceber onde e como o fizeram. Pode dar-me uma pista?

    Gostar

  84. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 17:02

    Joaquim
    tens razão. li atravessar e baralhei os comentários com as respostas. isto de teclar comentários e dar consultas ao mesmo tempo, acaba sempre por prejudicar alguém. hoje foste tu, amanhã será um doente. mas olha o mundo não é perfeito e devias levar a coisa com mais calma. podes tratar-me por AVC. ao dispor.

    Gostar

  85. 16 Fevereiro, 2009 17:02

    “Perguntem á Mota Engil, ao Amorim, ao Coimbra, ao Balsemão etc etc”

    Exactamente, convém criar ligações a este nível que podem ser muito úteis. Típico de governos chavistas. Mas os ricos anónimos, aqueles que não fazem jeito nenhum a não ser para sacar dinheiro, esses são esprimidos até à medula. Todas as medidas que Sócrates tem tomado são nesse sentido, a nível de propriedade e de impostos.

    Agora até desenvolveu um método mais eficiente para penhorar os bens pessoais dos empresários que devem ao fisco. Veja-se, para ele próprio arranja uma desculpa que o problema do mau desempenho económico de Portugal é a crise exterior. Entretanto, não demonstra nenhuma empatia pelos empresários que atravessam a mesma crise e vai-lhes vender os bens pessoais.

    Gostar

  86. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 17:21

    Zé Preto

    afinal é uma campanha preta

    Gostar

  87. 16 Fevereiro, 2009 17:41

    Esta direita é de matar a rir. Então se em eleições a esquerda ganha é a democracia que não presta. Se a esquerda se lembra de aplicar o programa pelo qual foi referendada em eleições, aqui del-Rei que não respeita as opiniões da direita . Amesma direita que perdeu as eleições! Afinal em que é que ficamos ? A esquerda tem de aplicar o programa da direita para ser democrática? E a direita apena stem de perder eleições para garantir que o seu programa vai ser implementado. É o que se chama do mundo al revés!
    Tenha,m paciência: O Chavez ganhou as eleições por margem semelhante à que o Cavaco ganhou e por isso o temos que aturar! Mais ao BPN e tudo!
    O Chavez não referendou a ditadura. Não façam figuras de urso: O que foi a plebiscito foi a possibilidade de se candidatar a eleições. Tal como na Inglaterra , não sabiam? Ali também não há limitação de mandatos para 1º Ministro e o Rei/Trono é hereditário…e repleto de fufas, de nazis, de bêbados.
    Qu ese saiba o Chavez não candidtou nenhum filho a Rei da Venezuela…
    Eu sei. É chato que um esquerdalho como ele que barafusta contra os fascistas do PP e dos EUA tenha ganho mais uma eleição. Isso é verdade. É chato. Mas o que é que se pode fazer, não é?
    MFerrer

    Gostar

  88. Anónimo permalink
    16 Fevereiro, 2009 18:02

    “A Assembleia da República introduziu limites de mandatos com o objectivo de limitar o poder de AJJ. O mesmo aconteceu com a alteração do financiamento da região.”

    João Miranda, isso é deturpar as coisas. Não foi a “Assembleia da República” que que introduziu limites de mandatos, ou melhor, fê-lo mas sob proposta do actual governo e por sua iniciativa, como uma das medidas emblemáticas exactamente para melhorar a nossa democracia e acabar com os dinossauros regionais e autárquicos.

    Este pequeno detalhe faz ruir por terra a sua tentativa forçada de comparar Sócrates com Chavez, pois o que se passa é o oposto, Sócrates tentou introduzir limites e Chavez referendou a sua eliminação.

    Digo Sócrates ‘tentou’ porque como bem se sabe o PSD não permitiu que essa limitação se aplicasse aos chefes de governo regionais. O mesmo PSD defensor da democracia também não deixou que os limites do número de mandatos autárquicos fosse aplicada nas próximas eleições.

    Gostar

  89. Tolstoi permalink
    16 Fevereiro, 2009 18:32

    Este MFerrer analisa tudo muito superficialmente , a limitação de mandatos visa evitar que a permanência no poder conduza á sua concentração com condicionamento /compra do eleitorado por meios diversos. Quanto a Chavez a questão é que admira o regime de Fidel, uma ditadura com grave supressão das liberdades individuais. È também bom relembrar as mortes impostas por El Comandante aos seus companheiros de revolução de modo a concentrar em si o poder , donde é legitimo desconfiar de Chavez.

    Gostar

  90. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 18:46

    Toni,

    Pode deixar de usar o apelido. Entende-se tudo ao ler as suas missivas.

    Gostar

  91. Zenóbio permalink
    16 Fevereiro, 2009 18:49

    “é legitimo desconfiar de Chavez”

    Ao ponto de conspirar contra ele e fomentar um golpe de estado? A bem da democracia, convenhamos.

    Gostar

  92. 16 Fevereiro, 2009 18:50

    “com condicionamento /compra do eleitorado por meios diversos”

    Tolstoi, ele sabe isso muito bem, só se está a fingir de esquecido. É assim, em certas circunstâncias aplicam-se uns certos princípios, quando não dá jeito, arranja-se outro conjunto de princípios. E lá vêm os MFerrers arranjar desculpas para tudo, que lá na Inglatarra também se faz assim, etc e tal. É assim que devagarinho os ditadores chegam ao poder absoluto com a conivência do povo.

    Gostar

  93. Hugo permalink
    16 Fevereiro, 2009 23:49

    O Socratismo está condenado a prazo pelo OGE. Cai por si mesmo. Ainda que o eixo de poder tenha tornado o Norte em região marginal, como bem mostram as razões da ida da Srª Clinton ao Oriente.

    Gostar

  94. 17 Fevereiro, 2009 08:30

    Chavez já disse que irá aumentar o período de cada mandato presidencial para 10 anos. Se puser a votação, também irá encontrar muito apoio nessa medida. E qual é o mal, se são as pessoas que assim escolhem? Ou será que não é assim tão tolerável, talvez 7 ou 8 anos ainda se aceitasse, mas agora 10!…

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: