Saltar para o conteúdo

Subscrevo

28 Abril, 2010
by

Este senhor é o principal culpado. É bom ter memória

Anúncios
72 comentários leave one →
  1. maria permalink
    28 Abril, 2010 15:12

    também é bom ter memória do que fez o brilhante cavaco silva ao país com a sua estrategia desmesurada de centralização assumida….mais do mesmo….

    Gostar

  2. muio permalink
    28 Abril, 2010 15:15

    30 anos de charco, convém não ter memória selectiva.

    Gostar

  3. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 15:16

    E já agora o Salazar! Que adianta lembrar agora o “bom” do Guterres quando tantos governos se lhe sucederam sem a coragem de reformar o Estado?

    Gostar

  4. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 15:19

    Que sacrilégio!
    Acusar assim uma das vacas sagradas do súcialismo.

    Esse fulano e os seus capangas entraram no governo como um elefante numa loja de porcelanas.Salvo o devido respeito pelo animal,de quem que se desconhece qualquer dívida ou trafulhice com dinheiros públicos.

    Ao fim de seis anos de má governação,esbanjamento,roubos descarados da matilha que o rodeava,fugiu e deixou o país sem dinheiro.
    Sobre ele se tem feito silêncio.E ou muito me engano ou em breve,depois de branqueada a sua incompetência e desmandos,acabará por regressar à cena com uma auréola de santo.

    É preciso notar que no que toca a criar culpados e branquear casacas,há no anfiteatro da gatunagem,a que eufemísticamente chamam AR,uma claque alargada,PCP,BE e PS,que fazem coro e dominando a imprensa,acabam por ser os criadores desse mar de enganos chamado opinião pública.

    Gostar

  5. 28 Abril, 2010 15:22

    O juiz decidiu tá dessedido.

    Gostar

  6. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 15:23

    e ninguém fala do contributo dos carvalhos da silva e das spg sindicais.

    Gostar

  7. José Carlos Antunes permalink
    28 Abril, 2010 15:32

    O Guterres ao pé desta canalha era um senhor…

    Nunca lhe deram a maioria absoluta e ficou refém das palhaçadas do Prof. Marcelo e duma ala corrupta e chucha do PS.

    Gostar

  8. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 15:33

    Estás enganado.
    É este sennhor:

    Gostar

  9. Licas permalink
    28 Abril, 2010 15:38

    NÃO É UM ELOGIO . . . MAS MESMO ASSIM:
    GORDON (CHARLIE) BROWN COMETENDO UMA GAFFE PÚBLICA (CHAMOU DE *BIGOTEN* UMA CIDADÃ) NÃO TARDOU A PEDIR REITERADAS DESCULPAS PELO SUCEDIDO . . .
    (ESTÁ PROGRAMADO PARA 2080-2100 COMPORTAMENTO SEMELHANTE PARA TODOS OS GOVERNANTES TUGAS, SE PORTUGAL CHEGAR ATÉ ESSA DATA).

    Gostar

  10. Outside permalink
    28 Abril, 2010 15:41

    Memórias selectivas JMF !!!

    …e conclusões infantis…”Aquele fez mais mal que os outros!”, “Aquele é o PIOR!!!

    Como “ANIMAL GASTRÓMANO” (expressão liquesiana) lhe lembro Cavaco e o seu séquito!

    Palha!!!

    Mas é irrelevante esta minha observação, por aqui há muita ovelha que estima e respeita o seu cajado.

    Gostar

  11. maria permalink
    28 Abril, 2010 15:49

    outside, não é irrelevante a sua observação…mas as ovelhas não estão todas do lado que pensa..aí talvez o rebanho rosa seja mais ovino…eu votei psd muitos anos…mas tb já não o faço há bastantes. econheço os erros do cavaco mas vejo muita pouca gente ps a reconhecer os erros de socrates, de guterres ou de mario soares.

    Gostar

  12. Pi-Erre permalink
    28 Abril, 2010 15:50

    O que vale é que Cavaco está atento…

    …Atento, Venerador e Obrigado!

    Gostar

  13. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 15:50

    O guterrismo foi uma verdadeira universidade de saque do país, de Sócrates a Vara, do Pina Moura ao Coelhone, tudo nasceu ali. Mas atenção, Guterres é um homem honesto, ele percebeu, infelizmente tarde, que estava rodeado de corruptos. E quanto a mim não é culpado de nada, os culpados somos nós, os portugueses todos, que ainda nas últimas eleições demos a vitória a ladrões.

    Gostar

  14. 28 Abril, 2010 15:51

    Sim é culpado. E como tal recebe sempre bons ordenados e várias reformas antecipadas de milhares de euros e actualmente exerce um dos principais cargos da ONU, instituição comandada por maçons, bilderbergers e pela CIA. E claro, os deslocados que se desloquem… Afinal não é para isso que servem as perninhas?

    Gostar

  15. José permalink
    28 Abril, 2010 15:57

    Está parcialmente enganado, a meu ver. O Guterres é responsável pelo esportular dos dinheiros aos milhões em obras sociais sem fundo, reformas à larga e com tempo encurtado, carreiras alargadas, etc etc. Coisas que Cavaco não tinha permitido e bem.

    Mas Cavaco é o principal actor da nossa tragédia grega. Foi ele e os seus governos que nos cavaram o fosso principal.

    Lembre-se que o ensino superior privado com o cortejo de licenciaturas que desembocou nessa simbólia, por todas elas, que foi a Independente daquele reitor que deu diplomas ao Domingo, foi iniciado e fomentado por Cavaco.

    Lembre-se que o Marques Mendes que agora aparece a pregar lições de moral tinha uma escola em Fafe ( de onde é natural mais o pai, advogado conhecido e do PSD) onde se formaram em tempo record, ´tirando licenciaturas ao domingo ( as aulas eram ao fim de semana) indivíduos que eram professores de trabalhos manuais e tinham como habilitações pouco mais que a 4ª classe antiga.

    Lembre-se que a abertura da banca aos privados que permitiu o fenómeno BPN foi da autoria de Cavaco.

    Lembre-se que essa aventura foi cavalgada por um Dias Loureiro e outros próximos de Cavaco.

    E se se lembrar disso, concluirá que o algarvio de Belém é o principal responsável pelas opções estratégicas que nos condicionaram e ao Guterres também

    Poderá apenas perguntar-se se este não fosse tão esportulador estaríamos como estamos e a resposta parece-me que talvez estivéssemos.

    Gostar

  16. 28 Abril, 2010 15:58

    Seria bom que os deputados arranjassem tempo e atenção para discutir o Estatuto do Aluno, apesar das naturais preocupações com a crise económica. O governo aprovou uma proposta de revisão que deveria ser rejeitada pelos deputados, pois é tão má ou pior que o actual Estatuto, uma vez que “convida” os alunos a faltarem às aulas. Ao fazê-lo promove a desresponsabilização dos alunos, para não falar do insucesso escolar. Quando daqui a uns anos houver outra crise económica encontrará cidadãos ainda menos preparados para a enfrentar que os actuais.

    Gostar

  17. Outside permalink
    28 Abril, 2010 16:02

    Maria,

    As ovelhas estão em todo o lado, dos dois lados essencialmente, exponenciam a falta de pasto do lado de lá da cerca e saltitam alegres e contentes no seu pasto, o mais verdejante na sua óptica.

    Não pensam, seguem o pastor, esperam o messias, só gostam e veêm virtudes na sua côr e defeitos na côr alheia. Dicotomáticas, acéfalas, inertes arenosos que não entendem que o pasto é o mesmo, e será sempre distribuido entre os seus pastores que quem tem o cajado é que comanda o rebanho.

    “Este senhor é o principal culpado. É bom ter memória”

    QUE É ISTO ?? OPINION MAKER ??? Isto funciona para quem não tem memória ou não sabe pensar por si, analisar o todo e retirar conclusões.

    Isto….Isto é perpectuar o estado de podridão, de indecência, de falta de carácter vigente.

    Guterres ficou célebre pela expressão “NO MORE JOBS FOR THE BOYS”. Inocência ou hipocrisia a verdade é que o problema é e sempre foi extrutural, inerente aos dois partidos, os aparelhos sempre tiveram mais peso que o indigitado, que o PM.

    O problema, o vício e o hábito já estão enraizados nesta classe política há muito e é transversal, independentemente do corante.

    Gostar

  18. Kerek Hu permalink
    28 Abril, 2010 16:09

    Falou bem,Maria.
    E o gastrómano é um deles.
    Sempre de faca afiada para os cabecilhas da quadrilha PSD e pronto a pôr panos quentes nos capos xuxas.

    Gostar

  19. Outside permalink
    28 Abril, 2010 16:10

    O José, apesar de já ter reparado que não nos encontramos sempre na mesma estrada, tem isenção, lucidez e clarividência.

    Não é por não discordar de que tenho que adorar o oposto!!!

    O comentário #15 traz-nos outras memórias, que JMF sempre ignorou por não serem convenientes ao seu partidarismo.

    Não é por estas memórias vivas serem verdadeiras que “descubro um novo mundo”, o mundo rosa que é perfeito (ANTES PELO CONTRARIO, COM ESTE PM ISTO BATEU – ATÉ À DATA- NO FUNDO!!!).

    AI PORTUGAL PORTUGAL, DO QUE É TU ESTÁS À ESPERA ???

    É triste dar razão á célebre máxima: Um povo em democracia merece os seus governantes!!!

    Gostar

  20. antonio dos santos junior permalink
    28 Abril, 2010 16:12

    Falar em nomes ? Para quê ? E tu , o que fizeste ? A culpa não é dos que lá estão(que não prestam , mas tu lá os puseste …)mas sim dos que cá estão que têm memória curta e banha de cobra em vez de miolos …Com Salazar tinhamos uma Democracia imperfeita ! Com Sócrates temos uma Ditadura imperfeita ! Aquele governava para o País ; este governa-se do País ! Mas os Tugas estão felizes por poderem meter de vez em quando um papel num buraco mal cheiroso neste Portugal tão mal frequentado .
    Mas lá vão se masturbando com auto-elogios …

    Gostar

  21. Outside permalink
    28 Abril, 2010 16:12

    Ó Kerek Hu…onde é que viu um comentário meu a defender os XUXALISTAS PÁ ???

    ESTE PS ROSINHA É UM NOJO, ABJECTO! Legitimo descendente do partido do “mestre” Boxexas !!!

    Vai pré-julgar outro pá !!!

    Gostar

  22. Outside permalink
    28 Abril, 2010 16:14

    errata a #19:

    Não é por discordar de que tenho que adorar o oposto!!!

    Gostar

  23. Licas permalink
    28 Abril, 2010 16:17

    EXTRUTURAL NÃO SEI O QUE
    É . . .
    MAS NÃO ME OBRIGUEM A SABER TUDO !

    Gostar

  24. 28 Abril, 2010 16:18

    É bom ter memória, sim senhor. Lembrarmo-nos, por exemplo, dos milhões gastos em acções de formação da treta, dos privilégios de que beneficiaram especuladores imobiliários e banca no auge da política do betão, dos subsídios para que a agricultura não produzisse, da transferência dos principais grupos económicos para os serviços… Ena pá, onde nos leva a memória!

    Gostar

  25. Outside permalink
    28 Abril, 2010 16:19

    É ver para aqui comentários de gente acéfala, toda colorida, a defender isto e aquilo, a odiar isto e o outro e muita desta gente votou Santana, votou Sócrates, votará agora PCoelho….que são o quÊ ??? DEMAGOGIA !!! RETÓRICA !!!

    Votaram neles e agora queixam-se de terem sido enganados ???

    Mas estamos aonde ? Na terrinha ? Não tinham informação antes ? Criaram e alimentaram o monstro e agora ??? Agora o destino (excepto para aqueles que como eu teem raízes, afinidades, paixões, ilusões, etc) é emigrar !!!

    Gostar

  26. joão santos permalink
    28 Abril, 2010 16:19

    Cá para mim a culpa ainda há-de sobrar para o Santana Lopes, no seu longo consolado de Primeiro-Ministro!

    Gostar

  27. Outside permalink
    28 Abril, 2010 16:20

    Mete o S na estrutura CAPS LOCK e produz algo!

    Gostar

  28. Kolchak permalink
    28 Abril, 2010 16:22

    Infelizmente, Todos, somos culpados!
    Nós que, ao longo do tempo, deixamos os políticos – que escolhemos, democraticamente, durante 36 anos!- fazer verdadeiros atentados ao bom senso da comunidade. Nós, que preferimos o «deixa andar» a uma política (seja de que quadrante idológico for) Nós, que ainda nas últimas eleições legislativas, preferimos escollher a demagógica política das promessas megalómanas; à honestidade de um (a) dos últimos políticos sérios da Pátria: Maria Manuela Dias Ferreira Leie!

    Culpado é o Povo Português!

    Gostar

  29. Kolchak permalink
    28 Abril, 2010 16:23

    «Leite», obviamente!

    Gostar

  30. Gastrómono Extrutural permalink
    28 Abril, 2010 16:34

    Aí está o sucialismo a falar mais alto.
    Até Santana entra na dança.Um fulano que esteve um par de meses no governo e fortemente condicionado por um Sampaio.
    Até esse entra na dança.Depois diz que não.

    Esqueçam essa trampa.Percebam que os partidos são mesmo o que impede o país de se desenvolver.
    Através da sua massiva produção de gente ávida de desviar dinheiros públicos e fazer negócios com a propriedade do Estado,das ligações ao submundo e às clientelas.
    E que a corrupção que consome os recursos do país está entranhada desde as mais baixas instâncias,as autarquias,onde todos podemos observar melhor o fenómeno.
    tornar isto numa batalha de deserdados é ridículo.
    São os barões que lucram com o crime e os prejudicados que se enfrentam no campo de batalha?

    Gostar

  31. lucklucky permalink
    28 Abril, 2010 16:44

    “Lembre-se que a abertura da banca aos privados que permitiu o fenómeno BPN foi da autoria de Cavaco.”

    Acontecem acidentes na estrada porque houve um tipo obviamente culpado que inventou a roda. Se não se tivesse aberto a escola C+S da Terra Redonda um aluno não teria dado uns tabefes à professora. Quem autorizou a escola é culpado. A culpa do fenómeno Sócrates é obviamente do Pároco da Aldeia que deu a benção aos Pais.

    Boa José!

    Gostar

  32. Pi-Erre permalink
    28 Abril, 2010 16:44

    O Passos Coelho também já meteu os pezinhos na poça, sabendo que está cheia de trampa.
    Já não se limpa.

    Gostar

  33. Crespo permalink
    28 Abril, 2010 16:46

    O principal culpado chamasse Cavaco Silva pois em vez de aplicar as carradas de dinheiro que vinham da CEE naquiloa a quen era destinado , aplicou-o em subsidios a industrias que a médio prazo não teriam qualquer futuro, (exemplo calçado).Toda a gente do meio industrial sabe que qualquer industria cujo o peso da mão de obra seja igual ou superior a 30% é inviável.
    O dinheiro que vinha da CEE era como se uma empresa que tinha 300 empregados(eram 300 milhões de Habitantes na altura) pusesse 10 desses empregados(nós era-mos 10 milhões)a tomar conta de uma quinta no alentejo para os outroa lá irem passar férias. só que Cavaco não foi capaz de ver isso.Hoje o país não tem industria competitiva e atrsou-se em relação ao turismo.
    Como dizia um amigo meu professor reformado Sueco, nós podia-mos ser o país mais rico da europa, pois vendia-mos o sol caro e ficava-mos cá com ele

    Gostar

  34. Licas permalink
    28 Abril, 2010 16:48

    CONTINUANDO #9 :
    EM CERTA ALTURA UMA PERSONAGEM POLÍTICA, DE QUE NÃO OUSO DIZER O NOME PARA NÃO OFENDER OS DETENTORES DAS VIRTUDES REPUBLICANAS
    E LAICAS, TEVE A OUSADIA DE AFIRMAR, HÁ 70-80 ANOS, QUE O POVO PORTUGUÊS NÃO ESTAVA SUFICIENTEMENTE EDUCADO PARA VIVER EM DEMOCRACIA.

    COMPARE-SE AS DESCULPAS DO BROWN COM
    A PARADIGMÁTICA EXCLAMAÇÃO DE UM P.M. CÁ DA TERRINHA :
    * MANSO, A TUA TIA ! *

    Gostar

  35. Licas permalink
    28 Abril, 2010 16:54

    33.Crespo disse
    28 Abril, 2010 às 4:46 pm
    O principal culpado chamasse Cavaco Silva . . . nós podia-mos ser o país mais rico da europa, pois vendia-mos o sol caro e ficava-mos cá com ele
    ************************

    UMA COISA FUNDAMENTAL NA NOSSA VIDA:
    NUNCA DESISTIR DE APRENDER:
    ___________chamasse
    ___________podia-mos
    ___________vendia-mos.

    Gostar

  36. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 16:56

    Retardado mental do Lucklucky- fanático comuna às avessas.

    Gostar

  37. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 16:57

    Deixa lá,Crespo.
    O Guterres corrigiu tudo isso.
    Além do mais,agora temos um santo a governar.
    Passaram 15 anos do governo Cavaco.
    Não falarem ainda do Salazar,já é um avanço.

    José,a abertura da banca à iniciativa privada ou mesmo das TV’s não é um mal em si mesmo.Não é afinal assim em todos os países ocidentais?
    Que o Loureiro e outros tivessem tirado proveito pode-lhe ser assacado? Então e ao Guterres,as façanhas do Vara/Sócrates/Pina Moura não?!
    Talvez eu não o tenha percebido bem…

    Gostar

  38. Anónimo permalink
    28 Abril, 2010 16:58

    Licas,não ligues.É o avençado do Coiso com a K7 gasta.

    Gostar

  39. 28 Abril, 2010 17:03

    Agora a banca privada também está mal?

    A estatizada é que está bem?

    Bem, acho que já ouvi tudo.

    Vou dormir, espero que quando acordar, não haja tantos secretários de estado.

    Gostar

  40. Outside permalink
    28 Abril, 2010 17:05

    E pronto…é assim…objectivo cumprido.

    Discute-se HOJE quem é o principal RESPONSÁVEL ? Quem é o culpado…que só pode ser um tipo (Guterres, Cavaco, Sócrates, whoever…), que o resto, os arredores, todos os outros, a cartilha, a máfia, os compadres…isso não interessa…o povo (não o povo tutti-fruti de Aguiar Branco, o povinho mesmo)fica feliz é quando tiver um na guilhotina….que é o principal culpado…os outros, são meros observadores, que assobiam para o lado, nada com eles.

    Isto vai mesmo TUDO ABAIXO!

    Gostar

  41. Crespo permalink
    28 Abril, 2010 17:06

    # 35 e 38
    Ao contrário de vocês tenho mãos calejadas pelo trabalho.Possivelmente viverão vocês com uma parte duque eu produzo

    Gostar

  42. JJ Pereira permalink
    28 Abril, 2010 17:25

    O principal culpado ? Uma entidade colectiva que dá pelo nome de Povo Português, com acentuado pendor para eleger charlatâes e/ou corruptos .
    O “torrãozinho de açúcar ” do outro transformou-se no habitat natural dos chico-espertos – e os resultados estão á vista do respeitável público.

    Gostar

  43. Licas permalink
    28 Abril, 2010 17:26

    Estou a ver o Francisco Louçã, tão amarelinho . . . parece um pintaínho.
    Os abutres (ele o disse) são os que têm cacau . . .

    Gostar

  44. Licas permalink
    28 Abril, 2010 17:32

    Esta é boa , ó Chico Louçã :
    . . . as instituições . . . ALEMÂES.
    Ò PÁ , TÁS C´OS COPOS !

    Gostar

  45. 28 Abril, 2010 17:35

    Sem dúvida: Guterres é o principal culpado pelo facilitismo, desleixo, irresponsabilidade, na economia e ns finanças do país.

    Gostar

  46. 28 Abril, 2010 17:36

    Errata:

    : Guterres é o principal culpado “pelo início” do facilitismo

    Gostar

  47. Agência de Ratos permalink
    28 Abril, 2010 17:46

    Guterres abandalhou tudo.Criou o descalabro das contas públicas.
    Além do mais,quando Cavaco quis reduzir efectivo na FP,no fim do seu mandato,levantou-se o coro das comadres lacrimejantes,onde sobressaíu o grande distribuidor de dinheiro dos contribuintes,o sr Guterres.
    Até na educação,com aquela aberração que dá pelo nome de Ana Benavente.
    Nessa ninguém fala,claro.
    Avacalhou o ensino,retirou autoridade aos professores,introduziu aquele conceito inacreditável de destruir a seriedade do processo de aprendizagem para o tornar numa brincadeira infantilizante.
    Mas é assim,a súcia tem as suas vacas sagradas…e a memória dos alienados é curta.

    Gostar

  48. OLP permalink
    28 Abril, 2010 17:46

    Com três “cliks” pode-se consultar os diversos Quadros Comunitários de Apoio.
    Por eles e fazendo a correspondência aos anos aplicados poderá ver quem governava e que destino lhe deram.Quanto o país aproveitou deles.
    Calos nas mãos não são problema…pior são os que se podem criar na cabeça.
    Esta é uma velha “estória” sistematicamente repetida tal qual a tia Efigénia ( ou o sobrinho) sobre os submarinos.
    Normalmente cospem para o ar e cai-lhes em cima.

    Gostar

  49. Tuga preto que está cá desde o terramoto de 1755+1 para o GS permalink
    28 Abril, 2010 17:48

    Cá por mim a culpa é dos pretos pá…

    Gostar

  50. oráculo permalink
    28 Abril, 2010 18:00

    Sem dúvida que o toninho foi quem começou a bricadeira.

    Gostar

  51. Licas permalink
    28 Abril, 2010 18:02

    38.Anónimo disse
    28 Abril, 2010 às 4:58 pm
    Licas,não ligues.É o avençado do Coiso com a K7 gasta.
    **************************

    Desculpa, Anónimo, como posso acreditar que as avenças dos
    abastadíssios ratos do Largo sejam tão miseráveis que apenas cheguem para recrutar indivíduos que nem o 4º ano de escolaridade têm ?

    E AINDA HÁ MAIS : A NET TEM UM LOCAL
    ONDE SE PODE APRENDER A CONJUGAR OS VERBOS EM PORTUGUÊS . . .

    Gostar

  52. Amnésia selectiva permalink
    28 Abril, 2010 18:09

    Além do mais,os prosélitos da “Cosa” fazem por calar que escancarou a entrada às hordas de maltrapilhos e delinquentes que por aqui entraram.
    Já agora,não lhes ficaria mal lembrar que apoiou o alargamento a 25 e lerem os motivos que invocava,tendo anos depois,quando caíam por ridículos,afirmado o oposto.
    Não conheço os motivos,mas conheço os processos usados para comprar opinião e votos,isso dá-me uma idéia vaga da santidade do beato Guterres.
    Nunca foi confrontado com essa posição contrária ao interesse nacional.

    Gostar

  53. Portela Menos 1 permalink
    28 Abril, 2010 18:29

    um dia desta vai aparecer aqui um comentador a dizer que jmf é o principal culpado do estado a que chegou o jornal Público.

    Gostar

  54. Portela Menos 1 permalink
    28 Abril, 2010 18:30

    …um dia destes …

    Gostar

  55. 28 Abril, 2010 18:46

    Não, António Guterres não é o principal culpado. É, quando muito, o primeiro… ou, mais correctamente, o segundo, se contarmos com o actual inquilino do Palácio de Belém.

    O principal culpado, que ninguém duvide, porque é incontestável, é o «Sr.» Pinto de Sousa.

    Gostar

  56. Que o pariu permalink
    28 Abril, 2010 18:52

    O Sócrates do caso das “casinhas”, do caso da licenciatura, do caso Cova da Beira, do caso Fripôr, do caso da TVI, do caso das escutas do caso Face Oculta, do caso Figo-Taguspark, não tem culpa nenhuma. O culpado é o Guterres. E o Cavaco. E o Durão Barroso. E o Santana Lopes. E a Manuela Ferreira Leite. E a crise internacional. E as agências de rating. E a p… que o pariu!

    Gostar

  57. 28 Abril, 2010 19:07

    Durante os governos do senhor de Boliqueime (10 anos) entraram em Portugal cerca de cinco mil milhões de contos, (contos, não euros). Q. C. A. I e Q. C. A. II.
    Para além do CCB, que mais foi feito? Para onde foram os milhões de contos?

    Gostar

  58. 28 Abril, 2010 19:47

    Caro José (#15),

    Leio, sempre com muita atenção, quer o seu blogue quer os comentários que, normalmente com grande oportunidade, aqui emite no Blasfémias. Tenho aprendido muito consigo e sido chamado à atenção para problemas que nem me tinha dado conta que existiam.

    Mas desta vez, caro José, errou manifestamente o alvo. Não que Cavaco sempre tenha acertado ou não tenha feito também a sua dose de disparates (como foi o caso, nomeadamente, do famigerado “Novo Sistema Retributivo” da Função Pública). Longe disso. Mas o sentido da realidade, pelo menos a contabilística, sempre esteve presente, nos seus três governos e, salvo erro, quatro ministros das finanças – Miguel Cadilhe, Miguel Beleza, Braga de Macedo e Eduardo Catroga. Agora, que ninguém tenha dúvidas: Cavaco Silva é, também ele, um neo-keynesiano que acredita na bondade da intervenção do estado desde que as políticas sejam as “correctas”. Se alguém tem dúvidas, que leia a sua tese de doutoramento sobre Finanças Públicas. Recordar-se-á do artigo que ele subscreveu, salvo erro em 2000, intitulado “O monstro”? Recordar-se-á de uns “avisos à navegação” quanto à necessidade de deixarmos de construir rotundas e passarmos a dedicar os nossos recursos na construção de conhecimento?

    Recordo-me, por exemplo, que Manuela Ferreira Leite, enquanto ministra da Educação, colocou um “travão” no acesso aos últimos escalões da carreira dos professores, uma primeiras medidas revertidas por Guterres pouco depois de tomar posse. Recordo das portagens na ex-ponte Salazar. Recordo-me, ainda, da luta titânica, felizmente perdida por Passos Coelho contra MFL, na questão das propinas no ensino superior.

    Não haja dúvidas: o descalabro tem um nome, e não é Cavaco. Melhor, tem dois: António Guterres e António Sousa Franco. Sim, pois ainda que os mortos já cá não estejam para se defender, é indesmentível que o grande descalabro acontece sob a sua égide. O novo ouro do Brasil (fundos comunitários) alavancado na brutal descida das taxas de juro possibilitada pela já então praticamente garantida adesão ao euro, veio permitir uma nova e gigantesca margem de manobra para despender, sem dor aparente, nas diversas “paixões” de Guterres. A educação, desde logo; as gravuras que não sabiam nadar, o extraordinário bom negócio das SCUT de Cravinho, etc., etc.

    É de supor que Sousa Franco, bem conhecido pelas suas fúrias que o levaram, semanas a fio, a não comparecer às reuniões do conselho de ministros, tenha manifestado fortes reservas ao “regabofe” mas o certo é que foi sob o seu mandato que chegámos ao “estado de tanga” que, infelizmente para o país, não era apenas uma figura de retórica. Talvez tenha suposto que a sua missão, que quase lhe permitia esquecer tudo o resto que se passava à volta, era garantir, como conseguiu a adesão ao euro, a uma taxa de câmbio aparentemente favorável (na realidade irreal e mãe de todos os nossos males, ou seja, da nossa continuada perda de competitividade).

    Quando Pina Moura sucede a Sousa Franco, há uma tentativa de pôr alguma ordem na bagunça orçamental. Fernando Pacheco e o que agora diz-que-não-quer-ser-Ministro-das-Finanças-porque-não-quer-ser-carne-para-canhão fazem parte da equipa. Mas nem mesmo Pina Moura acredita na coisa. Oliveira Martins limita-se a receber, e a passar, o testemunho.

    O resto é conhecido: ao congelamento dos salários da função pública, do aumento do IVA de 17% para 19%, o PR da altura responde com a triste frase reveladora na sua total ignorância do funcionamento de uma economia: «há mais vida para além do deficit». Não se ouviu, na altura, um murmúrio para os lados do Banco de Portugal.

    O desastre tornou-se certo logo que Campos e Cunha percebeu que José Sócrates não estava interessado em fazer o que era necessário.

    Gostar

  59. EU CLÁUDIO permalink
    28 Abril, 2010 20:00

    # 47

    Essa mesmo, a Benavente, ninguém parece lembrar-se dela, a tal para quem os alunos não precisavam de se esforçar, não precisavam de aprender, só precisavam de ter um canudo!…

    Gostar

  60. José permalink
    28 Abril, 2010 20:37

    Entendamo-nos então:

    A privatização dos bancos depois da socialização dos mesmos em 11 de Março de 1975,foi um retorno ao sistema anterior tipicamente capitalista. Este é o ponto essencial. Mas há outro: como é que se fez? Quem o fez? Para quem fez?

    Lembram-se como foi a privatização do Totta e do caso que gerou por causa do Banesto? E de onde veio afinal o BPN, tendo um Oliveira e Costa à frente do mesmo? É esse o problema: o devorismo cavaquista dos apaniguados de então e que permaneceram no sistema minando-o de um modo que não acontecia antes de 25 de Abril ( alguém se lembra de Jorge de Brito?). A ética cavaquista, dos que rodeavam Cavaco, particularmente Dias Loureiro, é execrável, a meu ver.
    E é apenas nisso que critico o cavaquismo porque foi um sinal de que o capitalismo não era como devia ser: aos privados o que é dos privados e o Estado com funções mais reduzidas e apenas regulador. Foi isso que sucedeu com o cavaquismo ou apenas uma apresentação do panorama que se seguiria com os administradores que passavam do público para o privado numa mudança que não assentava num sistema transparente ( Ferreira do Amaral, por exemplo) e que condicionou “as grandes opções do plano”?

    Por outro lado, os ministros das Finanças cavaquistas, particularmente Braga de Macedo que admiro como palestrante, foram autónomos no papel que tiveram de desempenhar?
    Quem optou pelas políticas de construção de obras públicas que agora criticam a este governo? É certo que nada havia de estradas, mas meter tudo aí, logo no início o que deu? O crescimento de empresas de obras públicas e da corrupção a eito com as verbas do Fundo Social Europeu.

    Foi este o viveiro do modo de vida que se seguiu. E Cavaco foi o pai deste sistema. O pai quase único porque Guterres foi apenas um filho bastardo ( passe a expressão) que deu em estroina. O sistema não era dele mas a estroinice paga-se cara, depois.

    Focar todo o mal nesta esctroinice sem querer ver o meio onde se desenvolveu, é não querer ver o retrato todo.

    Gostar

  61. José permalink
    28 Abril, 2010 20:40

    Depois disso é ver e comparar os nomes que ocuparam as pastas no cavaquismo e no guterrismo, os célebres cem nomes. COm Vital Moreira por exemplo e significante. E com um Dias Loureiro do outro lado como paradigma.

    Gostar

  62. José permalink
    28 Abril, 2010 20:42

    Mas já que falam no sistema de ensino e Medina Carreira acha ( e bem) que é uma brincadeira, quem o gizou de início?

    O cavaquismo. Guterres tinha uma Benavente? Pois tinha. Mas quem é que teve um Couto dos Santos?

    Gostar

  63. 28 Abril, 2010 20:54

    Caro José,

    Não sei se se terá dado conta mas não tenho qualquer simpatia pelas teorias keynesianas ou neo-keynesianas. Não sou assim, nem nunca fui cavaquista. Eu que fui aluno dele, ao tempo em que o professor de finanças públicas era incapaz de olhar um qualquer dos seus alunos olhos nos olhos, fiquei espantado quando, uns anos mais tarde, ouço-o num comício eleitoral em Portimão, num Verão (de 87?), num exercício de demagogia populista que me espantou.

    Claro que não nego que várias das figuras que estiveram com ele, vieram a revelar-se muito pouco recomendáveis (mas cuidado, José, ainda não foram julgadas, que eu saiba!). Mas como o Luckyluck bem assinala, o exercício de procurar a raíz de todos os males não nos leva muito longe. Leva-nos apenas (quem me dera!!) a ficarmos parecidos com o Vasco Pulido Valente que, justamente, sempre “acusou” Cavaco de tentar modernizar um país que não se quer modernizar.

    Gostar

  64. 28 Abril, 2010 20:57

    A Viagem a Praga (d’après Morike)

    Para os mais inocentes, convem recordar que a Viagem a Praga começou em 1985.
    Era uma vez um saloio, filho de um homem de uma bomba de gasolina, que tinha ido tirar um canudo lá fora, e, por isso, se “achava”.
    Naquelas eras, pagar um curso a um saloio, em Inglaterra, não era para todos, mas, nem por isso, deixava de ser mais uma manifestação de saloice.
    Partiu saloio, saloio voltou, e saloio se meteu num célebre Citroën, que foi à Figueira da Foz fazer a chico-espertice de uma rodagem saloia: lá dentro, ia um saloio, apostado em trair um Bloco Central, chefiado por Mário Soares, pessoa que nunca foi muito boa em contas, mas tinha acabado, com Ernâni Lopes, de equilibrar Portugal, à justinha, muito à justinha, na beira de um abismo pré-Europeu.
    O saloio era eurocético, o que quer dizer que não sabia onde ficava a Europa… não, estou a ser injusto… quando submetido a testes de aptidão, sabia dizer, dez vezes mais rápido onde ficava Boliqueime do que Praga, e eurocético continuaria, se não tivesse havido uns javardolas, da sua área de adoção — qualquer servia, já que o Antigo Regime estava extinto… — que lhe assopraram aos ouvidos de saloio que Europa=Dinheiro. Ora, o saloio tinha um doutoramento em dinheiro, e achou que era a altura de dar a facada na Política, para que os compadres enchessem os bolsos de matéria prima.
    Como qualquer saloio, era menos de roubar do que de deixar roubar, e, em seu redor, reuniu todas as estratégias que permitissem ordenhar o último Brasil e as últimas Especiarias que Portugal conheceria.
    Deixou obra feita: estradas com curvas da morte, linhas férreas arrancadas, o litoral cheio de casinhas de pacóvios, as esquinas, onde antes havia pastelarias, infestadas de bancos, ladrões, drogados e polícias. Como só conhecia a posição do seminarista, alinhou, com o seu amigo, Reagan, a sopeira Tatcher e o mineiro Ratzinger, numa coisa que matava os seres contra a Natureza, e que se chamava Sida. De caminho, foram alguns hemofílicos, mas a co-culpada foi ilibada e promovida, já que num país de cegos, o melhor é mesmo chefiar um instituto para os olhos. Inaugurou a roleta russa da Bolsa do toca e foge; abriu a banca aos apaniguados de S. Balaguer, roubou no alcatrão das estradas, e tornou célebres nomes dignos da Chicago dos Anos 20. Os Tribunais, que vinham dos tempo dos Tribunais Plenários, do Sr. Salazar, adoraram, e, em vez de prender, tornaram heróis caras muito conhecidas, como Ferreira do Amaral, Mira Amaral e o célebre Cardoso e Cunha, muito conhecido dos tráficos e da falência. Foi a era gloriosa do “Major”, do satélite português e do Centro Cultural de Belém, que custou duas vezes o Guggenheim, de Bilbao. Na Cultura, pontuava do alto do Órgão Oficial da Coisa, o “Expresso”, uma rameira, Ferreira Alves, cuja incultura ditava os “nóbèles” da casa, uma bichona, o Melo, que percebia tanto de Pintura quanto eu de Futebol, e mais uns m****s afins. Santana Lopes chegou a ser Secretário de Estado desse bolo; Ferreira Leite, da Educação (!), e os Ministros e Secretários de Estado iam caindo, ou à pala de taveiradas, ou de Pedofilia, ou com anedotas sobre o alumínio da hemodiálise, ou, tão-só, porque sim.
    Com Cavaco, passámos das árvores de plástico do Setor Primário para os depósitos diretos na Suíça, do Terciário, e quem os não fez é porque foi parvo.
    A Função Pública era então feliz, porque não se chegava a reformar: apenas se esperava que morresse, na paz do senhor Ratzinger.
    Cavaco era um cobarde, mão sempre suadas, e, pela primeira vez, desde Salazar, mandou disparar sobre uma multidão, pelo gatilho de Dias Loureiro, um gajo que o Sistema adorava e que depois chegou onde chegou, passando por onde passou. Foram os dias em que mais suou, e, quando os Portugueses se livraram da Praga, já estavam irremediavelmente na Cauda da Europa.
    O resto é ainda mais público: veio o Guterres, que achou que um país lá progredia com generosidades, e deixou crescer todo o tipo de monstros, desde Fundações a Redes Pedófilas, beatizando o Estado através do crime de colarinho branco, reciclando Comunistas mal paridos, e atirando os Portugueses para dívidas perpétuas a Bancos e Construtores Civis.
    Com Cavaco, fora o direito ao frigorífico; com Guterres, inaugurava-se o direito ao friso de azulejos, na Brandoa; para os poucos outros, era o alegre viajar pelos “off-shores”.
    Um dia, caiu uma ponte, em Entre os Rios, felizmente, por causas naturais, e o ciclo inverteu-se, com o último Ministro a demitir-se, e o Picareta Falante a fugir, depois de perceber quem eram Ferro Rodrigues, Jaime Gama e o Paulo Pedroso.
    Chamou-lhe “pântano”, porque estava com a boca pegajosa, nesse dia: eu chamar-lhe-ia hoje outra coisa bem pior…
    Inaugurado o Declínio, Barroso, um dos mais sinistros invertebrados de Cavaco, proclamou a Tanga do Livrinho Vermelho, e o Portas entretinha-se com renegociar submarinos, onde tanta a gente metera a unha que também a unha achava dever seu meter, e lá meteu.
    A viuvinha, Nobre Guedes, abatia sobreiros, e inaugurava a substituição do Banco de Portugal pelo BES.
    Um dia, à medida que as cinzas vulcânicas iam encobrindo os céus, desataram todos a fugir: um Maçon cor de cenoura a dar golpes de estado palacianos, e a surgir da sombra o derradeiro Carrasco de Portugal.
    Sócrates não era um Político, era um emissário do Fim da Coisa, não fosse a mãezinha dele daquelas de bater às portas, a anunciar o Fim dos Tempos. Brevemente, até disso ficará desempregada.
    Entre estas pragas, prosseguíamos para Praga, o Saloio de Boliqueime já senil, convencido de que estava no Estado Novo, pôs a Maria a subir-lhe as bainhas para dois mandatos, até que o Senhor Havel, na República Checa, lhe perguntou se não estava assustado com o estado do País dele, que, por acaso, até é o nosso, mas o outro não percebeu, porque, mesmo sem país, o segundo mandato é mesmo para cumprir.
    Feitos a caminho, já de “caminhete”, voltaram aos tempos áureos da sua essência, o sacolejão de estrada, a valise atada com cordões, a água-pé que oscila de boca em boca, a corcunda com a cabeça deitada nos joelhos dos fatos vincados do seu Aníbal, outra vezm vinte aninhos, cantarolando musiquinhas do tempo em que as moçoilas eram virgens, e perguntando, “amor, não percebi aquela do devermos estar preocupados?… Eu não vou voltar a ser Primeira Dama para o ano”?
    Pois é, claro que vais: estás à distância disso de um telefonema para o Garrafão de Águeda, que quer pôr o vinho a substituir a gasolina nas rodagens dos citröens, benzó-deus, e mesmo que não telefones, a Irmã Lúcia obrará esse milagre para ti.
    Na Alemanha, mandaram parar as “caminhetes”, convencidos de que ali vinha mais um bando de Turcos, para poluir as “banlieux” de Berlim, mas a Maria acenou lá do fundo, e, depois de encostada ao compartimento das bagagens, revistada, e apalpada em todas as partes — as Turcas e as Romenas traficam coca na Boca da Servidão… — foram reconhecidos “Portugueses”, pelo passaporte da mulher de bigode da Saúde, e deixados seguir viagem — quanto mais depressa fora de aqui, melhor!… — , a caminho da Bancarrota. Só a Katia Guerreiro ficou com o telefone dos “Polizei”, para o caso de precisar de algum cilindro desentupidor da garganta.
    Nós, por cá, todos bem.
    Escapámos, como escapamos sempre, às cinzas, e o Figo já começou a limpar a imagem, dizendo que “tem orgasmos com o Messi”, na velha tradição portuguesa do homoerotismo do “Esférico”.
    Assim terminou a Viagem a Praga.
    Durou 26 anos, e foi um pouco como Marco Polo, partiu ainda de Veneza próspera, mas, já chegado, tinha, à sua espera, uma bela e justificada Bancarrota.
    Arrebenta

    Gostar

  65. José permalink
    28 Abril, 2010 20:59

    Leva pelo menos a responsabilizar politicamente quem o deve ser. E só falo dessa responsabilidade, mesmo em relação ao Dias Loureiro. Como até já escrevi que não percebo que crimes cometeu o OLiveira Costa que outros não tenham comedito, noutros bancos mais respeitáveis e de tradição de anos com pais e avôs banqueiros e amigos de Salazar…

    Por isso, que não haja dúvidas: o que correu mal com o cavaquismo foi a ausência de cultura de saber e de sesntido da História. E Cavaco é isso tudo numa pessoa só, como escreveu Pulido Valente no fim de semana passado, num dos melhores artigos que jamais escreveu.

    Gostar

  66. José permalink
    28 Abril, 2010 20:59

    OLha! Eu a falar nisso e aqui apareceu o artigo. É ler porque está aí a essência do que quero dizer.

    Gostar

  67. José permalink
    28 Abril, 2010 21:00

    Ora bolas. Só li a primeira frase…ahahah!

    Gostar

  68. 28 Abril, 2010 21:04

    Caro José (#63),

    Quem mais contribuiu para o desastre na instrução (prefiro o termo a “educação”), já depois do 25 de Abril, para além da Benavente & associados, foi Roberto Carneiro, na esteira directa de Veiga Simão. Couto dos Santos foi mais um dos erros de Cavaco, e que arrasta consigo também aquela história do apartamentozito (em Corroios? na Cova da Piedade?), se a memória não me falha. Mas foi uma irrelevância. Esteve à frente do ministério pouco mais de ano e meio.

    Gostar

  69. anónimo permalink
    29 Abril, 2010 05:03

    Sim, esse coiro é um grande culpado. Mas, antes dele, os sacanas que fizeram o 25 de Abril, eram coiros da tropa que sempres foram do piorio.
    Ou esta cambada está esquecida da borrada que esses pederastas fizeram em Poertugal?

    Gostar

  70. Semelha permalink
    29 Abril, 2010 20:16

    # 71

    Esqueceste de tomar os comprimidos contra a azia ou já não te fornecem lá na António Maria Cardoso ?

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: