Saltar para o conteúdo

Socrelho

19 Maio, 2010

Recebida por e-mail.

53 comentários leave one →
  1. Meme permalink
    19 Maio, 2010 15:50

    LOL!!!

    Muito bom!!!

    Gostar

  2. Outside permalink
    19 Maio, 2010 15:52

    Falta apenas o nariz à Pinóquio, fisionomia similar aos dois marretas.

    Gostar

  3. faustífero permalink
    19 Maio, 2010 16:13

    Enojam.

    Gostar

  4. Camisa Vermelha permalink
    19 Maio, 2010 16:17

    Um país governado por esta parelha só tem um fim: IR AO FUNDO!

    E o PR continua a contar histórias da carochinha aos netinhos….

    Gostar

  5. tina permalink
    19 Maio, 2010 16:28

    Brilhante, parabéns ao artista!

    Gostar

  6. Romão permalink
    19 Maio, 2010 16:31

    Agora só falta o Albergue Espanhol fundir-se com a Câmara Corporativa. Sugestão de título: Cama a Espanhola.

    Gostar

  7. 19 Maio, 2010 16:34

    Socrelho rima com quê?

    Gostar

  8. faustífero permalink
    19 Maio, 2010 16:41

    “Pedro Ferraz da Costa garante não haver dinheiro para fazer obras e afirma que o país está à deriva. Em nome de um conjunto de empresários, o antigo presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) responsabiliza o primeiro-ministro, o Presidente da República e o governador do Banco de Portugal por nada terem feito, apesar de terem perfeita noção há mais de um ano da situação difícil em que Portugal se encontra.

    Pedro Ferraz da Costa lembra as dificuldades da banca em ter acesso a financiamento externo e critica em particular o lançamento do concurso para a terceira travessia do Tejo. Pedro Ferraz da Costa diz que é “assustador, porque o primeiro-ministro ainda não percebeu onde está metido”.

    “Quando tem os bancos a dizer que não podem estar dentro dos consórcios, porque não têm condições de financiar em condições aceitáveis, a mentira que o Governo andou a dizer que aquilo não pesava muito sobre do Orçamento do Estado, porque uma parte era empréstimo… a parte do empréstimo desapareceu… quem é que empresta e como?”, interroga o ex-presidente da CIP.

    Pedro Ferraz da Costa avisa ainda que o pior para Portugal agora era ser forçado a sair do euro”.
    E vai digo eu, talvez até ao fim do ano. O Medina Carreira também era pessimista.

    Gostar

  9. 19 Maio, 2010 17:03

    Está mais crelho do que socres.

    Gostar

  10. Joaquim permalink
    19 Maio, 2010 17:04

    Caro Amigo Luis Rocha,
    Grande sentido de humor.

    Gostar

  11. 19 Maio, 2010 17:14

    Esse nome é que deixa muito à imaginação da populaça!

    Gostar

  12. António Alves permalink
    19 Maio, 2010 17:26

    Passócrates!

    Gostar

  13. Pi-Erre permalink
    19 Maio, 2010 17:58

    Está mais piscoiso do que gente.

    Gostar

  14. simprex permalink
    19 Maio, 2010 18:32

    Eh, visível é no retrato que, em piscando os olhos, sai mentirola à mestre.

    Gostar

  15. OLP permalink
    19 Maio, 2010 18:46

    Agora já temos exemplos de “homofobia positiva”.
    O que uma lei é capaz de fazer numa “civilização”.
    E não é em 15 dias é de um dia para o outro.

    Gostar

  16. floribundus permalink
    19 Maio, 2010 19:02

    dignou-se conceder uma entrevista a si próprio

    Gostar

  17. Fuas Roupinho permalink
    19 Maio, 2010 19:10

    Espero que o Dr. Paulo Portas e o CDS-PP desligue definitivamente com este regime pôdre, corrupto e espoliador e que congregue à sua volta todo o centro, direita e até extrema direita.

    Bons exemplos não faltam: Reino Unido, Hungria, Alemanha, Belgica, Holanda, República Checa, Itália,etc.

    PSD e PS É PARA ENTERRAREM VIVOS!!!!

    Gostar

  18. faustífero permalink
    19 Maio, 2010 19:16

    Os coisos e os anónimos andam nervosos, perderam todo o sentido do equilíbrio, recorrem estritamente a argumentos ad hominem abusivos à falta de melhor. Eles sabem que a partir de agora vai ser a doer também para eles, só não imaginam até onde vai chegar porque no fundo, desde sempre acreditam nos aldrabões de feira. Na Alemanha dos anos 30 também foram muitos. Deu o que deu. No protectorado não vai ser assim, já nem para as negociatas de armas e veículos têm cacau. Também vai ser negro mas silencioso.
    Por isso, para admiração de muitos, quando os fundos das algibeiras desesperarem de tanto bulício, o voto deles já está a mudar na esperança de outro aldrabão que os engane ainda melhor. Desiludam-se, melhor que este mitómano é impossível.

    Gostar

  19. 19 Maio, 2010 19:24

    O Dr. Pedro Passos Coelho foi eleito presidente do PSD em 27-3-2010. Estamos em 16-5-2010. Teve, por aqui, cinquenta dias de graça.

    A minha opinião sobre a sua candidatura e o que representava foi clara no período anterior à sua eleição e no acto da sua vitória: entendia que representava alguns interesses muito prejudiciais ao País e ao PSD e que a sua eleição seria, por isso, muito desastrosa, ainda mais pela época crítica que se atravessava. Mas o facto da sua eleição devia ser respeitado, com a concessão de um tempo de graça, um tempo de prova em que ele pudesse contrariar a minha análise e enfileirar uma linha justa ou perder-se sem remédio na teia que já o envolvia.

    Pedro Passos Coelho não contradisse a expectativa que eu tinha e expressei. Pelo contrário, agravou-a. Depois de um período inicial em que, distanciando-se da imagem de criado da profana eminência parda Ângelo Correia, mostrou prudência e sentido de Estado, nomeadamente na questão presidencial, e certa ousadia ideológica – em seguir a proposta de que, com excepção de doentes e inválidos, não deve haver prestação social sem trabalho social -, não demorou a ceder aos interesses económicos de bancos e construtoras. Não era uma inevitabilidade: após a eleição, Passos Coelho podia seguir um caminho próprio, passar a representar a vontade do PSD e a interpretar o desígnio nacional, renegando a imagem de testa di ferro* – de interesses económicos e que excedem, agora, muito o universo pardacento da Fomentinvest. A eminência parda é agora uma hidra com várias cabeças, muito mais poderosa.

    Tenho para mim, e para os leitores, que o acudir de Pedro Passos Coelho a José Sócrates, na véspera da quarta-feira negra, de pânico na dívida soberana de Portugal e de queda das bolsas, que redundou no pré-acordo de 28 de Abril de 2010, foi um movimento ditado pelos interesses económicos em questão. A bancarrota do Estado português, em 7-5-2010, que aqui denunciei, e a submissão de Portugal a um regime de protectorado da UE-FMI, na cimeira europeia de 9-5-2010, consolidaram o entendimento. E foram esses mesmos interesses que se lhe impuseram no inédito pacto de governo da madrugada de 13-5-2010, em que, à parte os interesses que mamam, um partido chucha e o outro chora, e o obrigaram a «dar a mão» a José Sócrates. A maratona negocial entre os lugares-tenentes Fernando Teixeira dos Santos e António Nogueira Leite, que, segundo o Expresso (de 15-5-2010) foi concluído às 6:55 da manhã, que entretanto promete uma redução adicional do défice em 2011 para 4,6% do PIB, foi motivada pela necessidade de enterrar o pacote da austeridade (o tal segundo Programa de Estabilidade e Crescimento, para substituir a irresponsabilidade do primeiro), debaixo da ubiquidade noticiosa da celebração papal de Fátima, no 13 de Maio de 2010, esvanecendo a indignação imediata pela dureza das suas medidas. Com natureza de escorpião, o primeiro-ministro fez constar que era mais suave no plano fiscal, e mais preocupado com as pequenas e médias empresas, do que o PSD queria, quando, segundo o Expresso de 15-5-2010, subiu, nesse acordo, a isenção de aumento do IRC para as empresas até dois milhões de euros de lucro; e mandou criticar o parceiro de acordo pelo facto de Passos Coelho ter pedido desculpa aos portugueses pelo apoio à austeridade e aumento dos impostos do Governo Sócrates!…

    A reunião de pré-acordo PS-PSD entre Sócrates e Passos Coelho, no fatídico 28-4-2010, quando o Estado se encontrava à beira da bancarrota (que aconteceu em 7-5-2010), decorreu na mesma manhã em em que o Governo socialista celebrou o contrato de concessão rodoviária do Pinhal Interior (variante do Troviscal e outras obras absolutamente urgentes e imprecindíveis) no valor de 1,244 mil milhões de euros (que fez crescer a dívida portuguesa em mais de cerca de 1% face ao Produto Interno Bruto-PIB) ao consórcio Mota-Engil/BES. Não acredito que essa concessão, que faz crescer a dívida portuguesa face ao PIB em cerca de 1%, não tenha sido discutida, nem que Passos Coelho se tenha oposto veementemente a que tal sucedesse – se assim fosse, o líder do PSD expressaria a sua indignação específica com tal procedimento de má-fé negocial e denunciaria o pré-acordo logo nessa noite ou nos dias seguintes. Porém, nada li da indignação do líder do PSD com esse absurdo despesismo do Pinhal Interior na pré-eminência da bancarrota nacional, o que me leva a supor ter sido consentida essa concessão. Mais ainda, o Governo socialista celebrou o contrato de adjudicação do patético troço do TGV Caia-Poceirão em 8-5-2010, no valor de 1,494 mil milhões de euros ao consórcio liderado pela Brisa e Soares da Costa, que representa mais de 1% da dívida pública portuguesa face ao PIB, na mesma altura em que decorria em Bruxelas a reunião crítica em Bruxelas para impor a José Sócrates as medidas de austeridade a tomar por Portugal face à bancarrota do Estado português, que tinha ocorrido na véspera, medidas essas em contrapartida de uma linha caritativa de crédito adicional e do compromisso dos bancos centrais em comprar dívida portuguesa para evitar a subida exponencial dois juros… E também neste caso não vi o PSD a denunciar o acordo por má-fé socratina, o que me leva a crer que esta concessão tenha sido consentida, por mais que se disfarce. Como se vê, cerca de dois por cento de aumento de dívida face ao PIB consignados a obras públicas não urgentes e de escassa utilidade imediata, mais ou menos o que se pretende poupar no défice em dois anos à custa do bem-estar do povo, nos salários, pensões, subsídios e impostos – e não se diga que essa questão não se põe por causa da diluição dos encargos ao longo de dezenas de anos, pois a dívida aumenta, o serviço da dívida aumenta, os juros aumentam e a credibilidade financeira da República Portuguesa diminui. Em conclusão deste assunto, verifica-se também um pacto de grandes obras públicas entre Sócrates e Passos Coelho, em que metade desta despesa de cerca de 2% da dívida pública face ao PIB, é para a Mota-Engil/BES e outra metade para a Brisa, do Grupo José de Mello, e a Soares da Costa, da Investifino, que aumentam o endividamento do País e diminuem o bem-estar dos portugueses, sem que o povo se tranquilize quanto à solvência do Estado. E, estranhamente, Bloco de Esquerda e PC alinham nesse despesismo absurdo das grandes obras públicas, realizadas á custa do bem-estar do povo.

    Para os interesses económicos predominantes no País, Pedro Passos Coelho significa uma emulação fresca de José Sócrates e mais defensável. Não, por acaso, as sondagens começam a fazer um caminho inverso, numa tentativa sistémica de reciclagem ambiental do primeiro-ministro que tem o consenso geral, mesmo no PS – com a excepção do próprio Sócrates… Sócrates, que veio da Cova da Beira para a capital ainda agarrado aos conhecimentos regionais, evoluíu, depois de chegar ao Governo, para um entendimento trinitário, sem perder a tutela profana omnipresente, que se junta nas alturas mais críticas quando teme que o poder possa cair… no povo. A mesma tutela, e os interesses do mesmo género, têm confiança de que Passos Coelho seguirá a mesma política promíscua e de submissão áquilo que posso chamar, na acepção do general Eisenhower, o complexo bancário-construtor. O desperdício do dinheiro do Estado em investimentos faraónicos absurdos tornou-se um problema tão grave quanto o ócio socialista da subsidio-dependência.

    Nenhum líder da oposição ignora que a co-responsabilização por um programa de austeridade, de um governo mortalmente afectado pela corrupção, lhe é prejudicial e ao seu partido: o consolo dos eleitores socialistas pela atitude de Passos Coelho não traz um voto ao PSD. Pedro Passos Coelho poderia ter feito como Mariano Rajoy, que responsabilizou o Governo Zapatero pela situação dramática de Espanha e apresentou um plano alternativo ao plano de austeridade do Governo socialista, deixando ao Governo de José Sócrates a responsabilidade pela tragédia das finanças públicas e da economia nacional e pela decisão de um pacote de austeridade que aumenta a receita à custa do bem-estar do povo em vez de diminuir a despesa das obras públicas socraónicas. Não é do seu interesse eleitoral arrostar com a culpa e o contágio do socratismo.

    Nem é do interesse do País a aliança com José Sócrates. A decisão de Passos Coelho apoiar o pacote de austeridade de José Sócrates não se pode justificar com o patriotismo. A linha patriótica não consente qualquer aliança com este PS ou co-responsabilização do PSD pelo pacote de austeridade do Governo Sócrates. Por dois motivos: porque a substituição do Governo socialista e a sua responsabilização é uma necessidade da recuperação nacional e porque o pacote de austeridade, mais o que tem escondido, é nefasto para as finanças e a economia do País. A constituição do novo bloco central de Sócrates-Coelho prolonga a agonia do povo e penhora ainda mais o Estado à satisfação dos interesses de grupos bancários e de obras públicas.

    Por tudo isto, julgo que a liderança de Passos Coelho, e da sua direcção, está a ser um desastre para o PSD e o País. Portanto, deve ser criada no PSD uma alternativa justa, moderada, reformista e sem qualquer compromisso com o socratismo que se prepare, durante esta inevitável erosão do governo socialista e as elições presidenciais, para servir o País em representação do povo.

    Pós-Texto (23:45 de 17-5-2010): Beijos de Judas e o tango de Sócrates com Passos Coelho
    A alegada posição de Miguel Frasquilho, o economista do grupo Espírito Santo que faz parte da entourage de Passos Coelho, expressa no relatório «A Economia Portuguesa – Maio de 2010» da Espírito Santo Research, de elogio da «consolidação das contas públicas do Governo de José Sócrates» e onde, de acordo com o jornal, «assegura que Portugal não enfrenta riscos de liquidez, evoca o PEC para realçar os esforços do Governo para reduzir o défice das contas e reafirma a sua confiança no crescimento económico impulsionado pelas reformas estruturais» é mais outro ferroada de Sócrates a Passos Coelho, por intermédio da central governamental de informação, produtora dos tais conteúdos e veiculada pelos meios de confiança, neste caso o DN, de 17-5-2010. Beijos de Judas que culminam na frase assassina, e de muito mau gosto, de Sócrates que, hoje, no Foro ABC, em Madrid , revelou Passos Coelho como seu parceiro de… tango (i, de 17-5-2010):
    «Como se diz em espanhol [sic] para dançar o tango são precisos dois. Durante muitos meses não tinha parceiro para dançar. Felizmente houve uma mudança na oposição. Tem agora um líder que olha para a situação com responsabilidade e patriotismo».
    Sócrates é um dançarino que morde depois de beijar. E Passos Coelho não recuperará desta ferida.

    * A expressão «testa di ferro» terá origem no elmo fechado (e no serviço de Felipe II de Espanha…) de Emanuel Felisberto de Sabóia (1528-1580), que, após a morte de D. Sebastião, no desastre de Alcácer Quibir, em 4 de Agosto de 1578, foi pretendente ao trono de Portugal por ser filho da infanta Beatriz de Portugal, segunda filha de D. Manuel I e de D. Maria de Aragão, e cunhada do imperador Carlos V.
    http://www.doportugalprofundo.blogspot.com/2010/05/passos-coelho-e-o-complexo-bancario.html

    Gostar

  20. Faustífero permalink
    19 Maio, 2010 19:29

    Felizmente que este mitómano aldrabão fez alguma coisa de jeito, ao permitir o casamento de homossexuais, o que me vai permitir mudar de vida.

    Gostar

  21. Anónimo permalink
    19 Maio, 2010 19:44

    Portugal é um pesadelo!

    Gostar

  22. Anónimo permalink
    19 Maio, 2010 19:49

    Este país tem mesmo de afundar, vai afundar e merece-o plenamente, porque quer queiram, quer não, é a única maneira de a fantochada acabar. O país foi tomado por bandos de diversas cores que não têm remédio possível.

    Gostar

  23. Cooper permalink
    19 Maio, 2010 20:23

    Há umas patologias do foro psíquico em que o paciente se sente afundar e com ele tudo o que o rodeia.

    Gostar

  24. faustífero permalink
    19 Maio, 2010 20:40

    # documento apócrifo.

    Gostar

  25. faustífero permalink
    19 Maio, 2010 20:41

    #20, documento apócrifo.

    Gostar

  26. faustífero permalink
    19 Maio, 2010 20:45

    # 18, eu bem dizia. Ou: É preciso que algo mude para ficar tudo na mesma.
    “Mário Soares diz que Passos Coelho é um líder «razoável»
    O ex-Presidente da República Mário Soares considerou hoje que o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, é «um líder razoável e sensato»

    Gostar

  27. Observador da decadência permalink
    19 Maio, 2010 21:07

    FERNANDO NOBRE À PRESIDÊNCIA

    Gostar

  28. tina permalink
    19 Maio, 2010 21:09

    “Mário Soares diz que Passos Coelho é um líder «razoável»

    Pois, PPC quis ser razoável mas o pedante e parolo Sócrates aproveitou-se. Agora, nas suas últimas decalarações, hoje à hora do almoço, PPC já se retraíu. Pudera, lidar com analfabrutos embevecidos da Covilhã, que vestem Pravda e Ray Ban, que se pode esperar!

    Gostar

  29. anónimo permalink
    19 Maio, 2010 21:26

    além de pravda és parola

    Gostar

  30. 19 Maio, 2010 21:29

    Ao Presidente do Partido Social-Democrata
    Carta Aberta

    http://www.pleitosapostilas.blogspot.com/2010/05/ao-presidente-do-partido-social.html

    Gostar

  31. 19 Maio, 2010 21:33

    Para além doutras questões, há cada vez mais, também esta:
    Têm, o PS e o PSD militantes com inequívocas capacidades para governarem o país ?
    Se os têm, quererão candidatar-se ?

    Sócrates, é útil ou inútil ao país ?
    Coelho é útil ou inútil ao país ?

    Recomendo que tomem conhecimento das declarações de Coelho, hoje proferidas a propósito deste destrambelhado governo.

    Gostar

  32. Anónimo permalink
    19 Maio, 2010 21:34

    Socrelho? Typing error. Acho que ambos são sócaralhos.

    Gostar

  33. Embuçado permalink
    19 Maio, 2010 21:38

    Um desastre de entrevista!

    Sócrates deve ter chorado a rir.

    Genial a sua imagem!

    Gostar

  34. Piscoisinho permalink
    19 Maio, 2010 21:54

    Brasa
    Parece que é mas não é
    que gosto que satisfação
    Brasa é a bebida que aquece o coração!
    Cevada, chicória e centeio
    É a sua composição
    Brasa é a bebida que aquece o coração!
    Brasa é a bebida que aquece o coração!
    Mokambo
    Tenha um bom dia com Mokambo
    Mokambo, Mokambo!
    Mokambo, Mokambo!
    Mokambo, Mokambo!
    Nescafé
    I can see clearly now the rain has gone
    I can see all obstacles in my way
    Gone are the dark clouds that had me blind
    It’s going to be a bright, bright sunshiny day

    Gostar

  35. Amonino eremitão permalink
    19 Maio, 2010 21:56

    .
    Como os Banqueiros resolveram falar hoje sobre o tema, então lá vai:
    .
    dum lado:
    .
    Swap Spreads Signal Alarm – PORTUGAL
    http://www.bondsquawk.com/2010/05/swap-spreads-signal-alarm/
    ,
    Global Macro’s Raoul Pal: Here’s Why A Crash Is Coming In Two Days-To-Two Weeks

    http://www.businessinsider.com/global-macros-raoul-pal-heres-why-a-crash-is-coming-in-two-days-to-two-weeks-2010-5#ixzz0oL3Ovs00
    .
    DEBT CRISIS COULD DEVELOP INTO CREDIT CRUNCH
    http://pragcap.com/debt-crisis-could-develop-into-credit-crunch
    .
    do outro:
    .
    ‘ESTA VERSAILLES DO TEJO’:
    The European economy is in its worst situation since 1789 and the eve of the French Revolution. Indeed, the parallel is uncanny.
    http://blogs.telegraph.co.uk/news/geraldwarner/100040178/the-eu-is-as-doomed-as-its-currency-lets-get-out-from-under-this-collapsing-monstrosity/
    .
    -EU crackdown on hedge funds set to land Osborne his first defeat as Chancellor
    Read more: http://www.dailymail.co.uk/news/article-1279282/George-Osborne-faces-defeat-Chancellor-EU-crackdown-hedge-funds.html#ixzz0oPBcYexp
    .
    -She said that European leaders had to ensure that banks could not pressure the state any more and that the EU would introduce its own financial transaction tax or levy if the Group of 20 nations did not reach such an agreement in June
    http://business.timesonline.co.uk/tol/business/economics/article7130448.ece~
    .
    -Germany’s short-selling ban is short on common sense
    http://blogs.telegraph.co.uk/finance/tracycorrigan/100005764/germanys-short-selling-ban-is-ludicrously-short-on-common-sense/
    .
    .
    Murro em cima da mesa. Vamos lá acabar com as demagogias de certos politicoa de vão de escada e analistas de chafaricas.
    .
    O que são Finanças Publicas sãs ? Essa coisa dos 9% ?
    .
    Finanças Publicas sãs são NADA. Se o nosso PIB fosse 10% superior, as nossas Finanças Publicas não eram sãs, eram ‘perpetuamente saudaveis’. Portugal apenas não tem criação de riqueza. Não tem, proibe, um tecido Economico LUCRATIVO para empregados e empregadores.
    .
    .
    Meus amigos, com pena alerto. O actual Programa de Austeridade defendido pelas ‘maiores competências’, para Portugal é devastador e ….. tem EFEITO MENOS ZERO internacionalmente, enterra-nos ainda mais.
    .
    Como dizia o outro, esta hã.

    Gostar

  36. Piscoisinho permalink
    19 Maio, 2010 22:01

    Gostar

  37. Amonino eremitão permalink
    19 Maio, 2010 22:07

    .
    Sá assim pelo soft ….
    .

    Gostar

  38. J.F.Transmontano/Beirão. permalink
    19 Maio, 2010 22:08

    Dançaram o Tango, entusiasmaram-se e o resultado foi um hibrido.

    Gostar

  39. Piscoisinho permalink
    19 Maio, 2010 22:14

    Gostar

  40. Piscoisinho permalink
    19 Maio, 2010 22:15

    Gostar

  41. ,,,, permalink
    19 Maio, 2010 22:20

    .
    Esta de não poder haver eleições porque …. porque …. porque …
    .
    então, por exemplo, Israel em permanente estado de guerra há 30 anos que teria eleições … E elas fazem-se, os Governos caiem, quando correspondem menos melhor à vontade popular.
    .
    Outra à tuga.
    .

    Gostar

  42. 19 Maio, 2010 22:29

    O Zé Passos Coelho é um bocado esquito. E velho como o caraças, para 48 anos…

    Gostar

  43. António Lemos Soares permalink
    19 Maio, 2010 22:36

    Pedro Passos Coelho teve hoje uma das piores actuações televisivas de que tenho memória ver fazer a um político.
    Pouco ou nada conseguiu explicar ao País, acerca do acordo que estabeleceu com o PS. Dá a sensação que nem o próprio sabe, propriamente, aquilo que fez.
    O momento da entrevista ocorreu, quando Constança Cunha e Sá lhe perguntou se não considerava, pedir desculpa a Manuela Ferreira Leite, pelas críticas que teceu à sua liderança.

    PPC parece um Sócrates II e como diz o nosso Povo: – «Mal por mal, antes Pombal!»

    Gostar

  44. Anónimo permalink
    19 Maio, 2010 22:37

    “Há umas patologias do foro psíquico em que o paciente se sente afundar e com ele tudo o que o rodeia.”

    Em alguns casos chama-se “Realismo”. Também existe outra importante, designada por “Optimismo”, mas esta é mais problemática porque a perpcepção do tal afundamento só surge depois de acontecer. Frequentemente até há negação muito para além dos eventos. No casos mais graves o paciente acaba por entrar numa espiral de culpabilização de terceiros, o que por si só revela outros problemas do mesmo foro.

    Gostar

  45. mile permalink
    19 Maio, 2010 23:03

    Com cara de fedelho
    Não nasceu de nenhum conelho
    Como diz o Guterres em espanhol
    Nasceu pelo cú de algum anormal
    Num tango panasca sem igual

    Gostar

  46. Tolstoi permalink
    20 Maio, 2010 00:33

    Onde está a má moeda?
    Para Cavaco a má moeda era só Santana?
    Este Cavaco é muito má moeda. Sr. Cavaco vá lá pedir desculpa á sua amiga Manuela,
    pela ajuda que deu a Sócrates com as jogadas em que se deixou enredar com as escutas. Cavaco não conhece bem o eleitorado que o elegeu, parte dele dificilmente voltará a repetir o voto. A lógica do equilíbrio de poderes desfez-se.

    Gostar

  47. Tolstoi permalink
    20 Maio, 2010 00:36

    Não vale a pena comentar Sócrates, já há muito que o seu mundo não é o real, pena que ponha os Portugueses a pagar a suas fantasias. Apenas uma nota: para quem se quis guindar a combatente de interesses e corporações, a sua vénia aos interesses do betão é paradoxal.

    Gostar

  48. JLeme permalink
    20 Maio, 2010 05:36

    Os casais, com o decorrer do tempo, tomam uma fisionomia parecida.
    Pois bem, a fotografia apresentada acima é uma boa projecção do que virão a ser os dois panascas que vão dançar o tango…

    J.

    Gostar

  49. Rita permalink
    20 Maio, 2010 14:13

    tem piada, mas faltam os óculos do ângleo correia e a orelha do jorge coelho.

    Gostar

  50. informado e conhecedor permalink
    20 Maio, 2010 16:33

    O piscoiso NÃO PASSA DE UM PIDE SOCRETINO.

    Gostar

Trackbacks

  1. Inglês Técnico Para Tótós (1) | Aventar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: