Skip to content

Portugal nunca será um país moderno

8 Agosto, 2010
by

Ainda não estou em mim depois de ler o elogio-mascarado-de-entrevista que a Pública de hoje edita sobre Fátima Felgueiras (link indisponível). Há muito tempo que não me deparava com uma peça jornalística tão hipócrita: anuncia que não tratará do caso do saco-azul mas começa por resumir o saco-azul à sua caricatura e prossegue dando à famosa autarca todas as oportunidades para mostrar como “sofreu”, como “chorou”, como ia vendo a vida destroçada por uma coisa que nem se tem a frontalidade de dizer qual foi.
A par com o panegírico da “mulher-heroína” vem os elogios da mãe e de sua filha, a jornalista da RTP Sandra Felgueiras. Que, ao mesmo tempo, finge defender para depois acusar: ela não teria fugido para o Brasil se os filhos não a tivessem “empurrado”. “Fiz o que me pediram…”
Custa-me que um jornal que teve um papel determinante na denúncia do “saco azul” – apenas a ponta do iceberg, acrescente-se… – publique sem um mínimo de contraditório e de enquadramento um peça deste calibre. E custa-me ainda mais porque eu próprio fui processado (e absolvido, ao contrário de Fátima Felgueiras, que foi condenada no seu processo) e tive de ir várias vezes a tribunal. Numa das sessões assisti a cenas tão deprimentes que ainda hoje as posso descrever com minúcia. Vi, por exemplo, alguém assumir, sem remorsos nem hesitações, que participava em operações de entregas de notas embrulhadas em jornais no átrio dos Paços do Concelho. Vi a próprio Fátima Felgueiras sentar-se na audiência (acompanhada pela filha Sandra) durante o depoimento de algumas das principais testemunhas, interferindo de forma tão indecorosa no meu julgamento que o Juiz, meio aflito, chegou a ameaçar expulsá-las da sala.
O Portugal do compadrio e dos esquemas que, em todo o seu esplendor, se me revelaram durante aquela sessão do julgamento ainda hoje me dá pesadelos. É um Portugal com que não é possível conciliar, só é possível renegar. Por isso, quando vejo alguém que passa por uma “jornalista-intelectual” fazer perguntas como “Em que é que o Brasil a mudou? Parece mais leve e confiante”, só posso chegar a uma conclusão: Portugal, com estas supostas elites, não tem emenda. Nunca será um país moderno.

Advertisements
112 comentários leave one →
  1. 8 Agosto, 2010 14:26

    HÁ SEMPRE COBERTURA (CAPINHA) P.S.
    AOS FORA DE LEI AMIGOS.
    A (DES)PROPÓSITO E O QUE ME DIZEM À HOMENAGEM OFICIAL A UM MANDANTE/EXCUTANTE DE ASSASSÍNIO : OTELO SARAIVA DE CARVALHO E AS SUAS BRIGADAS 25DE ABRIL?

    Gostar

  2. 8 Agosto, 2010 14:26

    O Público mudou muito desde que o MJF de lá saiu e nem sempre para melhor. Continua a ter alguns excelentes jornalistas mas tornou-se mais pressionável pelo poder socialista.
    Sou dos que pensam que é bom que haja jornais de direita e de esquerda, como no Reino Unido e nos EUA. Mas em Portugal, com excepção do CM, são todos de esquerda. Quem fica a perder é o pluralismo informativo e opinativo. Faz falta um jornal de referência que seja assumidamente de direita.

    Gostar

  3. 8 Agosto, 2010 14:26

    NEM MAIS . . .

    Gostar

  4. 8 Agosto, 2010 14:37

    O sentido de actualidade e do interesse dos nossos jornais de referência é de fugir.

    De vez em quando lá se dão ao trabalho de desenterrar um cadáver…porque, pensam, vende.

    Junte-se a justiça à imprensa e está feito o par ideal.

    P… que as pariu, a ambas!

    Gostar

  5. 8 Agosto, 2010 14:44

    Entrevista adequada para quem tem “boa imprensa”, e/ou comunicação social prestável.
    Entrevistadora afecta e “sensível”, rendida a trabalho partidário. Despudor total !

    Assim se lava a “imagem” de certas criaturas neste país…

    Estas “coisas” não acontecem por acaso. Têm um tempo certo, depois dum “período de nojo”.
    Outras criaturas surgirão nos jornais e nas TV’s absolutamente “inocentes” e injustamente acusadas — vidé Casa Pia, Face Oculta, Freeport. Basta-lhes marcar dia e hora para a grande entrevista… Preparam o terreno desculpabilizante não só para eles-próprios, mas também para incrustarem na opinião pública desatenta e ignara, a idéia de que, “afinal”, desde o autarca ao banqueiro, incluindo o PM, são pessoas “como nós”, esforçadas pelo bem público e tão maltratadas…

    Gostar

  6. da Cunha Manuel permalink
    8 Agosto, 2010 14:46

    É muito fácil dar opinião sobre aquilo que não conhecemos, aliás, muito antes de sermos um país moderno, teremos de modificar alguns comportamentos, entre eles deixar de usar e abusar da crítica fácil, da opinião demente, da procura de brilho em sapato velho. O acumular de frustrações numa sociedade deslumbrada pelo bom viver gratuito, são poucos os que conseguem objectividade de ideias e pensamentos, de rigorosa e arbitrária apreciação dos factos, de pragmatismo e lucidez de mente.
    Pouco se aproveita deste artigo feito à medida dos apetites de alguém cuja postura na vida, reflecte um estado preocupante de demência. Em Felgueiras, supostamente não há gente séria, se quisermos encontrar gente dessa, só em Lisboa e arredores onde o líquido corrompido cheira mal e escorre a céu aberto para alimentar gente demais.
    Um dia terão de trabalhar, ganhar o pão de cada dia por que este povo cá de cima já começou a perceber que é tarefa inútil tentar manter burros a pão de ló.
    Portugal não precisa de ser um país moderno, tem é que ser um país solidário.

    Gostar

  7. 8 Agosto, 2010 14:54

    Julgo que há uma pequena gralha:

    Onde está «…sua filha, a jornalista da RTP Fátima Felgueiras» deverá ser, talvez, «Sandra Felgueiras»

    Gostar

  8. 8 Agosto, 2010 14:58

    Tem razão, vou corrigir

    Gostar

  9. José permalink
    8 Agosto, 2010 15:09

    O Público tornou-se um jornal em que o PS e a “esquerda democrática” tem assento permanente no conselho de redacção ( existe?). Estou para ver se Público vai continuar a publicar artigos de José António Cerejo. Aposto que não.

    Quanto ao artigo de hoje do provedor do leitor, José Queirós , vou comentá-lo demoradamente no meu sítio porque é o exercício de uma hipocrisia que de tanta intensidade só pode ser idiossincrasia.

    Gostar

  10. 8 Agosto, 2010 15:16

    José Manuel Fernandes,

    Obviamente responderá a esta minha pergunta se quiser: não foi durante a sua direcção que Anabela Mota Ribeiro iniciou, com maior destaque, as suas autónomas e “grandes entrevistas” (coincidente com José António Pinto Ribeiro recém-empossado e inócuo ministro…) no Público ?

    Admito: JMFernandes não previu a deriva da “jornalista-intelectual”.

    Gostar

  11. 8 Agosto, 2010 15:23

    . . . ela não teria fugido para o Brasil se os filhos não a tivessem “empurrado”. “Fiz o que me pediram…”

    ***************

    SLOGANS:
    *** UMA PESSOA EMPURRADA NÃO PODE SER CULPADA ***
    *** UMA MÃE DESTE CALIBRE MERECE PERMANECER LIVRE ***
    *** LOPES DA MOTA AVISOU E A FÁTIMA
    MUITO HESITOU ***
    *** SE NÃO FOSSE A FILHARADA PERMANECERIA CÁ RADICADA ***
    *** A UMA MÃE COMO ESTA SÓ O SALAFRÁRIO A CONTESTA ***

    Gostar

  12. 8 Agosto, 2010 15:24

    José 8,

    Há dois dias, comentando (#2) o post de José Manuel Fernandes “Subscrevo triplamente”, coloquei a questão: José António Cerejo vai ter toda a liberdade e apoio para escrever e actuar como assistente no Processo, ou…o Público encerrará, abruptamente (justificando-se com a rentabilidade) se JACerejo conseguir perturbar e fazer perigar a permanência de JSócrates como PM ?
    E a entidade-mor detentora do título não beneficiará duma concessão especial ?, dum mega-negócio desejado ?
    Tudo pode acontecer e já nada me espanta neste sítio entre o Atlântico e a Europa…

    Gostar

  13. Laranjada Ovarense permalink
    8 Agosto, 2010 15:41

    Ai Belinha que estavas tão bem aqui há 20 anos a por discos na Radio Nova …
    Entretanto tens que pagar o tributo de teres tido um amante-ministro …
    Ou julgas que estas coisas são de borla?

    Gostar

  14. 8 Agosto, 2010 15:45

    O Público tem dos melhores jornalistas portugueses na área da Educação. Continuo a comprá-lo 2 ou 3 vezes por semana por causa disso. Nunca gostei dos suplementos culturais do Público, altamente elitistas e arrogantes, sem pluralismo e demasiada colagem ao lobby cultural gay. Enquanto JMF dirigiu o Público, o jornal destacou-se por um jornalismo de investigação sério e independente dos poderes político e judicial. Desde que JMF saiu do Público, é o que se vê. Este episódio é apenas mais um sinal.
    Não acredito na sobrevivência económica dos jornais em papel. No espaço de dez anos, só restarão jornais gratuitos – pagos com anúncios – para distribuir no metro e nas estações e jornais digitais. Quando quero uma informação e opinião livres não vou aos jornais de papel; vou aos jornais digitais, sobretudo blogues.

    Gostar

  15. 8 Agosto, 2010 15:49

    Aposto que a coluna de JMF no Público não vai durar um ano.

    Gostar

  16. 8 Agosto, 2010 15:50

    As melhores informações e reportagens culturais diárias, o melhor suplemento cultural é precisamente o do Público, iniciado com pujança ao tempo de JMFernandes.
    Hoje, já se nota um razoável retrocesso.

    Gostar

  17. nuno granja permalink
    8 Agosto, 2010 16:09

    Compro o Públio diáriamente desde o início, mas “eles” estão fazer tudo para que deixe de o fazer.

    Gostar

  18. José permalink
    8 Agosto, 2010 16:19

    A entrevistadora não é Anabela Mota Ribeiro?

    O que tem a ver com José Manuel Pinto Ribeiro?

    Gostar

  19. 8 Agosto, 2010 16:33

    José 17,

    Há pessoas que surgem ou resurgem, em momentos coincidentes com um “parente” entretanto na ribalta… Coincidências, claro, nada a ver com oportunos e insinuantes propósitos…

    Gostar

  20. José permalink
    8 Agosto, 2010 16:48

    O despudor disto, com odor intenso a obscenidade, como dá conta jmf1957 no escrito, é o facto de Francisco Assis ter sido agredido em Felgueiras por ocasião em que os factos que entalaram Fátima Felgueiras ocorreram. Assis é um dos porta-vozes do PS actual. Felgueiras uma das figuras do PS local. No tempo houve uma empresa por lá que incluía José S. e coisas assim.

    E depois disso tudo, ainda aparece em ressurgimento de entrevista sem objectivo definido senão por razões obscuras. Se fosse para se tentar perceber melhor o fenómeno Fátima Felgueiras que sempre reclamou inocência em relação aos crimes de que foi acusada julgada e condenada, ainda se entendia. Assim…não dá para perceber nada.

    O caso pessoal de Fátima Felgueiras é exemplar do modo como o PS trata a Justiça: totalmente instrumental. Serve se lhes servir. Não presta se lhes estragar o tacho. É mais simples do que se pode supor, mas é isto mesmo. E julgo que o fazem convencidos que fazem bem e estão mesmo inocentes. O PS padece do síndroma Vale e Azevedo.

    Gostar

  21. 8 Agosto, 2010 16:55

    José,
    Esta entrevista, tal como outras sobre esta personagem mais JSócrates, CCruz, SPereira, AVara, JardimG, & não só, já editadas ou a editar por uma “boa imprensa”, (meu # 5), tem como objectivo aplanar terreno para que a populaça-NADA sinta piedade e conceda afecto. Consequentemente, que os desculpabilize.

    Gostar

  22. 8 Agosto, 2010 16:58

    VAzevedo fez o que fez: rasurou, delapidou economica e financeiramente o SLBenfica, perturbou o prestígio do Clube, nada ganhou desportivamente.
    A justiça encarregou-se de o punir !
    Fê-lo amadoristicamente se comparado com o actual poder “socialista”.

    Gostar

  23. Sandra Felgueiras permalink
    8 Agosto, 2010 17:17

    Intriga-me que alguém que liderou uma das piores campanhas persecutórias contra alguém a quem nunca pediu uma entrevista ou sequer um comentário q permitisse exercer o direito ao contraditório exigível a qq bom jornalista, se atreva a escrever o que escreve!
    Caro JMF, o ódio nunca ajudou a descortinar a verdade. E a verdade nunca foi aquilo que alguns pretendam que seja, apenas porque não conseguem ter a liberdade de espirito para verem alem do que os outros dizem. A si, como então director do Publico, exigia-se que tivesse conduzido uma investigação seria que não se tivesse “vendido” àqueles que sempre tiveram outros interesses. Exigia-se que tivesse mandado analisar TUDO e não só a parte que permitia alimentar a história que quis montar. Exigia-se mas não o fez! E por sua causa, fez-se um dos mais ultrajantes julgamentos populares de que guardo vida e memória. Como jornalista, envergonhei-me muitas vezes. Como filha, cresci muito. Como ser humano, aprendi a nunca julgar ninguem sem conhecer profundamente os detalhes da sua história! Lamento que não tenha aprendido nada.

    Gostar

  24. Manuel Fiuza permalink
    8 Agosto, 2010 17:30

    # 21

    Não sabe o que diz, tem a mania que conhece. (JVA) ficou conhecido na Buenos Aires, como o Gica das Fotocopias e, se não fosse a Leonor Beleza, estavamos sugeitos que um dia aparecesse como Ministro, era mais um.

    Gostar

  25. Manuel Fiuza permalink
    8 Agosto, 2010 17:38

    “””nada ganhou desportivamente””

    Se ele tem ganho um campeonato de Juniores, nesse caso, ele podia ter roubado.

    O BPN e o BPP os culpados são os xuxas?

    O Gica, foi condenado no caso CGD em 74 e fugiu para Londres, os culpados os xuxas?

    Os xuxas tem as costas largas

    Mas quem anda a “gamar” sabemos nós, ou não sabe?

    Gostar

  26. Francisco Colaço permalink
    8 Agosto, 2010 17:49

    #2, Ramiro,

    Permito-me discordar de si. Os nossos jornais não são de esquerda nem de direita, são situacionistas. Defendem os interesses dos respectivos grupos económicos, ao arrepio de qualquer deontologia, mesmo se aligeirada pelo pragmatismo.

    O jornal I defende os interesses do grupo Lena, e faz passar opinião como informação (apesar disso, é o que leio). O Publico (sem acento, como o próprio jornal grafa) defende os interesses do seu grupo económico, e por isso não se irá colocar contra o governo. Por esses jornais, o nosso país está num estado um pouco menos que calamitoso num dia (quando se vai colocar dívida à venda) e no outro dia muito bem gerido. O líder da oposição é sempre pouco menos (quem quer que seja) que um acéfalo de olhos profundos, incapaz de assumir o poder, porque pode atrasar o TGV. Assim, o novo coelho vai sendo comido pelo velho coelho, para grande gáudio do pinto (de Sousa, obviamente) que anda já com ares de galo.

    Se fosse há vinte anos atrás, fundaria o meu próprio jornal, de direita, com tiragem ao menos semanal. Nestes dias, com os media impressos a morrer, o Estado não deixa formar canais de televisão em sinal aberto (e, diga-se, está completamente fora das minhas capacidades fazê-lo).

    Se não fosse a blogosfera, diria ser uma criatura singular.

    Gostar

  27. Gonçalo permalink
    8 Agosto, 2010 18:12

    A oportunidade de algumas entrevistas não tem de surgir pela sua actualidade informativa. Uma entrevista é uma entrevista, o jornalista pergunta, o entrevistado responde! Caro JMF, uma entrevista também pode marcar a actualidade, e acho que esta a está a marcar. A julgar pelo ódio que mete na sua escrita, penso que já a considera importante. Ou então o seu problema nao é nem com o entrevistado, nem com o assunto mas sim com o entrevistador! Quanto à ausência do contraditório, o senhor lá sabe do que fala…

    Gostar

  28. 8 Agosto, 2010 18:22

    A decadência de um Estado de Direito

    Essa faculdade requintada
    da memória tão selectiva
    tem sido bastante esquentada
    por uma moral inflamativa.

    A justiça sem espada
    torna-se inoperante,
    como a gnose gripada
    por um vírus ignorante.

    Sem saber usar o poder,
    fazendo tristes figuras,
    deixa o país a pender
    com mais essas amarguras.

    Gostar

  29. 8 Agosto, 2010 18:24

    Francisco Colaço 22,

    Hoje, um jornal de “direita”, mesmo semanal, não tem viabilidade alguma.
    Hoje, um jornal de “esquerda”, mesmo semanal, também não será viável.

    Hoje, um jornal assumidamente não de “direita” ,não do “centro” nem de “esquerda” mas com um nítido objectivo cívico, social e cultural, absolutamente apartidário e livre de tutelas económicas, empresariais e políticas, é viável !
    (Depende de quem o criar, depende do director e da sua equipa editorial, dos jornalistas).
    Choca-o, a si, ainda, a palavra e a hipótese “cooperativa” ?

    Gostar

  30. 8 Agosto, 2010 18:25

    Boa !, Amêijoa Fresca !

    Gostar

  31. JP Ribeiro permalink
    8 Agosto, 2010 18:27

    “Portugal nunca será um país moderno”, sim, mas não é só por isso.

    No mesmo suplemento do Publico de hoje, Domingo, uma entrevista com o actor António Banderas este afirma que “Sou um maluquinho por ciência, grande fã do fisico inglês Sir Isaac Newton, que escreveu Uma Breve História do Tempo”.

    Passa-lhe pela cabeça que esta alarvidade pudesse ter sido escrita em qualquer jornal europeu?

    Gostar

  32. F.Silva permalink
    8 Agosto, 2010 19:43

    19#
    Argúcia e sapiência, sim senhor.
    Mas, eles, são piores do que o antigo presidente do benfica!…

    Gostar

  33. Portela Menos 1 permalink
    8 Agosto, 2010 20:01

    desde que deixaram de haver editoriais arrebatados pró-Bush/invasão/armas destruição, etc, etc, o Público passou a ficar melhor frequentado.

    Gostar

  34. Gonçalo permalink
    8 Agosto, 2010 21:05

    O seu blog tem lápis azul? Não sou o único que hoje lhe escreveu e que o comentário ficou por publicar! Se não for aqui, há-de ser noutro sítio qualquer, mas as respostas que não quer ver no seu blog aparecerão com muito maior destaque!
    Direito ao contraditório…

    Gostar

  35. 8 Agosto, 2010 22:57

    Digo antes:
    Desde que anda a tentar inocentar bandidos = PINTOS , o Público deixou de ter qualquer valor Democrático , , ,
    NÃO O LEIAM, NÃO O COMPREM, ESTÁ CHEIO DE RATOS DO LARGO . . .

    Gostar

  36. 8 Agosto, 2010 23:00

    6.C. Medina Ribeiro disse
    8 Agosto, 2010 às 2:54 pm
    Julgo que há uma pequena gralha:

    Onde está «…sua filha, a jornalista da RTP Fátima Felgueiras» deverá ser, talvez, «Sandra Felgueiras»
    ************************

    O PAÍS ESTÁ UMA * FOLGAÇÃO *

    Gostar

  37. 9 Agosto, 2010 02:28

    Portugal no seu mais persistente pior.

    Gostar

  38. 9 Agosto, 2010 02:43

    Apetece dizer: fala o roto ao nu. Fala quem fez tanto panegírico de tantos e alguns só porque 1. eram bushistas, 2. eram anti-socráticos. E fala o esquecido ao desmemoriado: a pseudo-jornalista-intelectual nunca escreveu no Público de JMF em idênticos registos?! Claro que sim. Só que então, por insondáveis mistérios, não lhe fazia espécie pagar e bem à jornalista-intelectual, agora armado em virgem escreve isto.

    Percebe-se bem, a cada post seu, como enterrou o Público. Só não se percebe como ainda é da casa.

    Gostar

  39. Nuno permalink
    9 Agosto, 2010 03:28


    Este assunto, para mim, não tem o menor interesse mas acho piada ninguém rebater o comentário de

    23.Sandra Felgueiras
    8 Agosto, 2010 às 5:17 pm

    Talvez ficasse qualquer coisa esclarecida de um acontecimento que revelou a imundice socialista e, em particular, de alguns intervenientes, como o Francisco Assis, hoje com tanto destaque.

    Gostar

  40. mais um permalink
    9 Agosto, 2010 03:51

    São quase 4 da manha e não consigo dormir.
    Filhos da puta… hoje tornei-me num dos casos que vejo nos jornais à noite ou nos programas deprimentes da tarde.
    E porquê? Porque estamos prestes a perder tudo.
    A culpa? A culpa é desses filhos da puta, bixonas e drogados de merda que nos governam. Estou fudido… estou mesmo. Tudo o que conquistamos numa vida a ir por àgua abaixo.
    Somos uma família que vive dos rendimentos de um chefe de família honesto, que nunca tira férias e vivia do seu trabalho. Vivemos nós e vive o estado. Todos os meses a nossa pequena empresa sangrava aquilo que podia e não podia para pagar mil e um impostos. O dono da empresa e os seus dois trabalhadores…
    O trabalho acabou, há clientes que devem e não pagam… mas do Estado nem uma justiça celere se pode pedir. Parece demais para quem faz tão pouco.
    Os trabalhadores, dois, vão levar aquilo que já não temos. É indemnizações por tudo e por nada… nem para falir já temos dinheiro. Obrigado seus filhos da puta! Justiça nem vê-la mas dar direitos a quem não os tem com o dinheiro dos outros, isso sim, já se pode.
    Nem a casa que tantos anos demorou a pagar está agora a salvo.
    Os meus estudos também não estão a salvo e vou ter de trabalhar (mais…) para continuar.
    Estado? Vão se foder!
    De um dia para o outro perde-se tudo, logo nós que nunca recorremos ao crédito.
    Não me apetece escrever mais…

    Gostar

  41. piscoiso permalink
    9 Agosto, 2010 07:46

    Marujo (#36) desata-lhe o nó, sem peias.

    Gostar

  42. 9 Agosto, 2010 07:50

    Sandra Felgueiras não se enxerga. Primeiro, chama “campanha persecutória” a um trabalho de investigação jornalística que levou a Justiça a abrir ela também uma investigação que terminaria com (para já) uma condenação em primeira instância. Depois, o Público pediu não uma, mas dezenas de vezes, a Fátima Felgueiras que explicasse, se pudesse, tudo o que rodeava o processo do “saco azul”. A opção de não falar ao Público foi de Fátima Felgueiras.
    Sandra Felgueiras fala em “julgamento popular”. Curiosamente só me lembro é de “linchamento popular”, e esse foi o que teve como vítima Francisco Assis e foi levado a cabo por apoiantes de Fátima Felgueiras. Como cidadão, fiquei envergonhado. Mais: como cidadão também fiquei envergonhado pela forma como se tentou iludir a Justiça e como quase se conseguiu esse objectivo.
    Sandra Felgueiras fala na necessidade de analisar tudo mas esquece-se que eu estive em Felgueiras a ser julgado e assisti no tribunal a depoimentos que me deixaram envergonhado como português. E, de facto, não tenho a “liberdade de espírito” para considerar normal que circulem pagamentos, ou contribuições de campanha eleitoral, em notas embrulhadas em jornais no átrio dos Paços do Concelho. Por isso engana-se quando diz que não aprendi nada. Aprendi muito, mas não fiquei por isso mais contente ou mais feliz com o que vi e com o que aprendi sobre o país que ainda é Portugal.
    Fica bem a Sandra Felgueiras defender a mãe como filha. Não lhe fica bem fazê-lo reivindicando a qualidade de jornalista.

    Gostar

  43. 9 Agosto, 2010 08:21

    JMF é um corajoso jornalista que muito tem feito pela defesa da liberdade de expressão em Portugal. É por isso que é alvo de tantos ódios.

    Gostar

  44. piscoiso permalink
    9 Agosto, 2010 09:15

    É caso para perguntar onde estava JMF no 25 de Abril.
    Estava a acabar o liceu no Pedro Nunes.
    De então para cá, sempre houve liberdade de expressão.
    As limitações decorrem da Lei.

    Depois há quem confunda discordâncias com ódios.

    Gostar

  45. 9 Agosto, 2010 09:24

    Há um défice de pluralismo opinativo e noticioso em Portugal. Todos os jornais, com excepção do CM, são de esquerda. Como a esquerda governa Portugal há quase 15 anos, são todos situacionistas e conservadores. Não conheço nenhum país da UE que tenha uma situação destas. Até a vizinha Espanha tem 2 poderosos diários de direita: ABC e El Mundo. Portugal é o pais da UE governado pela esquerda há mais anos e é o único que não tem jornais de direita. Qualquer estagiário de jornalismo que se apresente numa redacção com uma postura de direita é corrido em três tempos. Essa é uma regra não escrita que todos os jovens jornalistas conhecem e respeitam.
    Os empresários portugueses sempre viveram sob a asa protectora do Estado e do partido do poder para fazerem negócios. É por isso que eles não apostam na criação de um jornal de direita. Chegámos a este paradoxo: os capitalistas vivem de e sustentam o Socialismo de Estado.

    Gostar

  46. 9 Agosto, 2010 09:25

    Pobre país que tem capitalistas tão medrosos e acomodados.

    Gostar

  47. honni soit qui mal y pense permalink
    9 Agosto, 2010 10:04

    mto giras e enxutas as Felgueiras ó ó

    Gostar

  48. jlcr permalink
    9 Agosto, 2010 10:19

    jmf não tem moral para criticar seja quem for. O que Sandra Felgueiras diz é inteiramente verdade. jmf deveria reduzir-se ao silêncio depois das campanhas que alimentou no jornal que tão mediocramente dirigia. jmf confunde debate de ideias, devergência de opiniões, divulgação de notícias, com boatos, ataques de caracter. jmf é um dos exemplares mais perigosos, por mediocres e facciosos, do jornalismo português.
    Também já sei que vou ser censurado e o meu comentário apagado, porque outros menos insultuosos e mais educados já o foram. É que divergir de jmf é sinónimo de censura.

    Gostar

  49. 9 Agosto, 2010 11:20

    Mais um com aquilo a que chamei
    ____________ RALE _____________
    RAIVA ASSASINA À LIBERDADE DE EXPRESSÃO.
    Tudo que seja *incómodo* ao 1º Ministro não passam de
    ____ÓDIO , ACÇÃO PERSECUTÓRIA , INFÂMIA , MANIFESTAÇÃO EXECRÁVEL.
    (Nem a JUSTIÇA , esqueleto de
    qualquer DEMOCRACIA , tem a possibilidade de ser levada a cabo até ao fim pois existem altas personalidades (Pinto Monteiro, por exemplo) que se encarregam, ou são envarregados,tanto faz,
    DE INOCENTAR À PRIORI o tal Menino de Ouro.
    PARA SE ENCONTRAR UMA DEMOCRACIA COMO ESTA TEM DE SE PROCRAR BEM EM ÁFRICA OU NA AMÉRICA LATINA .

    Gostar

  50. José permalink
    9 Agosto, 2010 11:36

    O que é mais pernicioso no caso “Fátima Felgueiras” é a completa anomia, traduzida em absoluta falta de escrúpulos para entender como criminisas certas acções. Por exemplo, o caso concreto do aviso telefónico que lhe foi feito em cima da hora e provinda do gabinete de um magistrado de tribunal superior, para que Fátima fugisse. Percebe-se que quem está entalado faça tudo para se safar. O que não se percebe é a completa ausência de pudor quando confrontadas com esse e outros factos. Porque de factos se trata e não entendem ( pelos vistos mãe e filha, “uma das melhores jornalistas” que aquela conhece…enfim)a relevância jurídico-criminal dos seus actos públicos na gestão de dinheiros públicos. O que chegou a tribunal foi o resultado de uma triagem jurídica que o advogado Artur Marques soube explorar bem como profissional que é. Mas a realidade, essa desmancha-prazeres é outra coisa. Para Fátima Felgueiras e para uma das melhores jornalistas que ela conhece, essa realidade não é a mesma que para o comum dos cidadãos. É uma realidade trasmutada na política numa alquimia indecorosa que afecta quem a manipula. O caso Isaltino é exactamente iguual nessa anomia perversa de quem não entende o que é um crime, uma contra-ordenação e uma mera falta cívica.

    Será caso para dizer que não têm consciência da ilicitude. Quase, mas como se sabe essa falta é na maior parte das vezes indesculpável porque o senso comum assim o dita e a lei o acolhe.

    Gostar

  51. 9 Agosto, 2010 11:40

    Apesar de tudo,neste caso,ainda incomodaram;noutros nem um toque ao de leve.Estes que continuem que vale a pena.

    Gostar

  52. Gonçalo permalink
    9 Agosto, 2010 12:07

    Caro JMF,

    Como jornalista sinto-me envergonhado, como leitor revoltado. A sua opinião está envenenada por ódio, neste e noutros assuntos. Basta ver a campanha diária (horária) que faz contra o seu antigo jornal. Em relação ao caso Felgueiras, nunca soube nem nunca quis saber a verdade. Pegou na parte que lhe interessava e espremeu-a ate não dar mais. Sem nunca se preocupar com o principio que norteia o jornalismo -a verdade!

    Talvez por esta, e até por outras (basta lembrar a sua aparição no pros e contras sobre escutas em Belém), os seus antigos jornalistas não o queiram ver perto da porta do publico.

    Gostar

  53. Tiradentes permalink
    9 Agosto, 2010 12:09

    #47 e não vamos começar a discutir os submarinos?
    Só para lembrar… no governo Guterres António Vitorino firmou pré-acordo para encomenda de três submarinos à razão de 1.200 milhões cada um….
    Depois a gente fala da moral dos outros…
    Eu esperarei até ser padre ou coisa parecida.

    Gostar

  54. Sandra Felgueiras permalink
    9 Agosto, 2010 12:17

    Caro JMF, as diferenças entre nós são tantas e tão profundas que precisaria de umas horas largas para lhe justificar com exemplos concretos o que é ter bom e mau carácter, ser bem ou mal-formado e querer saber a verdade ou apenas aquela que interessa a uma fonte ou mais fontes que se querem preservar para continuar a fazer as manchetes que vendem. O que fez com este caso, e com tantos outros, foram ataques inqualificáveis que difamaram pessoas, que instigaram a opinião publica, que condicionaram a justiça, numa relação doentia que mina a própria democracia. Portugal podia e devia ser um país moderno, é verdade, mas precisava de se livrar desta mesquinhez provinciana de quem escreve como se estivesse acima da lei e até da moral vigente!

    Gostar

  55. piscoiso permalink
    9 Agosto, 2010 12:21

    Gostar

  56. 9 Agosto, 2010 12:21

    Sandra, Gonçalo: esqueçam que são da família e sejam um pouco mais objectivos. Quanto ao resto, o que escreveram fala por si.

    Gostar

  57. 9 Agosto, 2010 12:33

    Nunca me imaginei a concordar com JMF. Mas a desvergonha desta malta e a forma como querem fazer de conta que a realidade (incluindo uma sentença e muito mais) não é o que é ultrapassa o que a decência permite observar em silêncio.

    Gostar

  58. APT permalink
    9 Agosto, 2010 12:34

    Só tenho uma coisa a acrescentar: Bim mesmo parar ao vrasil!!!!!

    Gostar

  59. José permalink
    9 Agosto, 2010 12:38

    Pudor. Simples pudor é o que lhes falta. Nem deviam pronunciar-se publicamente depois do que se soube judicialmente. Nem deviam por mera vergonha. Mas não é assim porque os exemplos do que deve ser o pudor em política mostram-se com o mesmo Francisco Assis que teve a atitude que teve nesse caso ( em que foi vilipendiado, note-se) e agora teve a atitude que teve no caso do mão-leve da Assembleia.

    Isto é um retrato do Portugal actual que nos lega este partido, cujos apaniguados contribuiram e contribuem para tornar infrequentável.
    E atrevem-se em falar de Verdade. Digam a Verdade, então! Toda!

    Gostar

  60. Tico permalink
    9 Agosto, 2010 12:41

    Palavras para quê se o homem é obtuso

    Gostar

  61. 9 Agosto, 2010 12:51

    6.da Cunha Manuel disse
    8 Agosto, 2010 às 2:46 pm
    ****************

    MAIS UM QUE SE DEMITIU DE PTOCURAR A VERDADE E A JUSTIÇA APANÁGIO DOS JORNALISTAS INDEPENDENTES (JOSÉ MANUEL FERNANDES) MESMO DESAGRADANDO
    AOS *POLÍCIAS* QUE CERTO PARTIDO MANTEM NAS REDACÇÕES À ORDEM DOS DIRECTORES DOS PRINCIPAIS DIÁRIOS DA CAPITAL (E NÃO SÓ).

    Gostar

  62. manuelli permalink
    9 Agosto, 2010 13:53

    Lá virá a jeito, ó zé manel, tão curioso assunto, mas quem se regala do busha e judeu, prepotentes, bem pode gritar aqui d’el rei que como ao sokas não faltará quem já não lhe dá crédito. É boa, o tipo diz em função da côdea, como assim da figadeira. E ora então já estará a ver por que tipos zé manel ou sokas nem se distinguem lá tanto. Questo è vero.

    Gostar

  63. 9 Agosto, 2010 13:57

    52.Sandra Felgueiras disse
    9 Agosto, 2010 às 12:17 pm

    Mas afinal a senhora sua Mãe recebeu ou não o dinheiro que um fulano em Tribunal disse ter entregue.
    Não me diga que não reparou nessa afirmação no post?

    Gostar

  64. José permalink
    9 Agosto, 2010 14:06

    E quem pagou os serviços jurídicos de Artur Marques? A Câmara, pois claro. Ilegalmente segundo um parecer jurídico sustentado.

    Quem vai devolver o dinheiro ao erário público?

    Estas coisas não são apenas “ódio”, como ousam dizer quem não tem argumentos melhores.

    Gostar

  65. manuelli permalink
    9 Agosto, 2010 14:10

    #52
    Sandra Felgueiras

    “Portugal podia e devia ser um país moderno, é verdade, mas precisava de se livrar desta mesquinhez provinciana de quem escreve como se estivesse acima da lei e até da moral vigente!”

    Muito bem dito, como a resumir um programa todo de elevação e decência.
    Para mais, no caso que envolveu a presidente da câmara do concelho de Felgueiras, parece-me que o que esteve logo em causa, desde início, foi a dose enorme de inveja e despeito de uns que lá sabem a enorme família que contam.
    Olhe, a lembrar a persegução estridente, aberrante e assim histérica, invejosa, de benfiquistas contra o meu clube.

    E bem deus nos guarde, a si e a mim, Sandra, que não temos culpa de fazer a nossa parte, o bem que se pode, não é assim?, honestamente. Aceitando, ainda assim, que por mais que não invejemos alguém, demasiadamente, não falte quem se arrepanhe por causa de nós, inocentes.

    Gostar

  66. José permalink
    9 Agosto, 2010 14:20

    “moral vigente”…qual a moral vigente no Portugal político que temos?

    Vale quase tudo desde que não se descubra como foi obtido.Dinheiro para o partido? Sempre em violação da lei, mas aceitável desde que não se saiba que o é. Sacos azuis para pagar o futebol? Idem aspas. Confusão entre negócios públicos e interesses bem privados de alguns? Plenamente aceitável desde que não se prove corrupção. Prova, aqui, no sentido judicial do termo: com atestado passado por notário e com a presença de duas testemunhas, pelo menos. Ora se nós neste casos temos sempre centenas de testemunhas a a atestar a inocêcia de suspeitos, ( mesmo bispos) está feita a prova e o que o tribunal aprecia é apenas o fruto do ódio de alguns invejosos que gostariam de fazer o mesmo em nome do partido deles.

    É esta a moralidade reinante.

    Quanto à entrevistadora Anabela Mota Ribeiro também é um perfeito exemplo da moralidade vigente. Foi ela quem deu voz a Paulo P. um inocente que não consegue provar que os que o difamaram cometeram um crime. E ainda no outro dia, um deles repetiu tudo tim tim por tim tim. Por ódio, claro.

    Gostar

  67. manuelli permalink
    9 Agosto, 2010 14:20

    E ora então lá vejam, que a Câmara de Felgueiras ajudou um clube, a presidente escolheu uma empresa de serviços, coisas do género, tão apregoadas, desde início, por jornaleiros, de Sul a Norte, por exixos do mal e mais highs lisboetas, desses que dizem ao sabor das encomendas, como dos gostos.

    Mas, oh, rais os parta, e então há aí tão poucas câmaras, assim tão poucospresidentes, que se tenham coibido de escolher as empresas de serviço e mais trafulhice que querem, de ajudar clubes como ao Benfica? Vão-se à Madeira, vão-se a Lisboa, que não lhes há-de faltar matéria a remoer e molhar de cerveja, nestes dias quentes, e por lá se fiquem, meus ricos.

    Gostar

  68. José permalink
    9 Agosto, 2010 14:24

    “moral vigente”, continuação:

    Como comprova o comentador anterior, o que importa é perceber que um clube é o mais importante que há no mundo, se calhar antes mesmo da própria família.

    Assim, se se incomoda uma pessoa por favorecer um clubezeco de futebol, fica a mesma desculpada porque os grandes clubes têm todos culpas no cartório, idênticas. E por isso, haja moralidade ou comam todos. Estes preferem que sejam todos a comer. À custa do zé pagode.

    Gostar

  69. 9 Agosto, 2010 14:29

    47.jlcr disse
    9 Agosto, 2010 às 10:19 am
    jmf não tem moral para criticar seja quem for. O que Sandra Felgueiras diz é inteiramente verdade. jmf deveria reduzir-se ao silêncio depois das campanhas que alimentou no jornal que tão mediocramente dirigia. jmf confunde debate de ideias, devergência de opiniões, divulgação de notícias, com boatos, ataques de caracter. jmf é um dos exemplares mais perigosos, por mediocres e facciosos, do jornalismo português.
    Também já sei que vou ser censurado e o meu comentário apagado, porque outros menos insultuosos e mais educados já o foram. É que divergir de jmf é sinónimo de censura.
    *******************************

    ESTÁ A VER, ESTÁ A VER, QUE O INSULTUOSO É VOCÊ jlct.
    ESTÁ A VER QUE AS TAIS DIVERGENCIAS (MESMO PARA SUSTENTA O INSUSTENTÁVEL)
    TEM AQUI ACOLHIMENTO.
    ESTÁ A VER, ESTÁ A VER QUE ESTÁ A TER O PAOEL HEDIONDO DE UM AGIT-PROP.
    ESTÁ A VER, ESTÁ A VER QUE QUEM QUER TENTAR ESCONDER CRIMES DEVIA SER CONSIDERADO TÃO CRIMINOSO QUANTO OS AUTORES.
    E ESTÁ-SE MESMO A VER QUE NÃO LHE INERESSA MESMO NADA A DRSCRIMINAÇÃO DAS OVELHAS RONHOSAS DESDE QUE PERTENÇAM AO REBANHO.
    ESTÁ VISTO. . .

    Gostar

  70. Romão permalink
    9 Agosto, 2010 14:48

    Sandra & Gonçalo,

    A mãezinha não fugiu para o Brasil, informada pela própria justiça que a deveria julgar, para não se submeter civica e ordeiramente aos trâmites do processo pela qual ia ser julgada e, a posteriori, depois de um rocambolesco regresso de terras de Vera Cruz numa declinação paupérrima de Evita Perón, que a todos os portugueses moralmente neutros deixou incrédulos e enojados, condenada em tribunal? Não ajudou a mãe de V. Exas. a constituir no imaginário português Felgueiras como um enclave africano ou sul-americano, uma terra onde se glorifica o chico-espertismo e o conluio descarado, onde se substitui a honra pela força e a justiça pelo poder? Nem mil julgamentos poderiam lavar essa imagem, nem mil absolvições seriam suficientes para realocar Felgueiras e os seus habitantes no exigente espaço Europeu. Esse é legado que a mãe de vossas Exas. deixa a Felgueiras, aos felgueirenses e a todos os portugueses.

    A pessoas como v. Exas. não se deviam fazer reportagens-Omo. Devia seguir-se a regra de ouro de Fergusson quando falava do ex-presidente do Real Madrid: “These people? I wouldn’t sell them a virus!”.

    Gostar

  71. 9 Agosto, 2010 14:48

    51.Gonçalo disse
    9 Agosto, 2010 às 12:07 pm

    Talvez por esta, e até por outras (basta lembrar a sua aparição no pros e contras sobre escutas em Belém), os seus antigos jornalistas não o queiram ver perto da porta do publico.

    *******************

    NRMALÍSSIMO O ASCO : UMA PESSOA COM COLUNA VERTEBRAL FAZ SEMPRE MÁ IMPRESSÃO AOS ACOMODATÍCIOS/ CONIVENTES/ APROVEITADORES:
    É DOS LIVROS . . .

    Gostar

  72. hajapachorra permalink
    9 Agosto, 2010 14:56

    A vida está difícil e há quem tenha de ser jornalista ou da famiglia socretina. Escusava era de o confessar. Haja pudor.

    Gostar

  73. manuelli permalink
    9 Agosto, 2010 15:01

    #66

    Não é isso, zé, é que havido o julgamento, vocês fiquem fulos, ainda, e passados de mau fígado, se a gente que não gostam, que invejam, por alguma coisa, não vai dentro e não se enforca.

    Todos os dias isto, isto e mais isto.
    Carago, vocês não trabalham?, não fazem se não merda?, que é que ainda querem, se se excedem de inveja que lhes pesa tanto, porra?!

    Gostar

  74. José permalink
    9 Agosto, 2010 15:19

    Nelinho:

    Por circunstâncias profissionais até conheço a senhora em causa e nada me move contra a mesma, porque é muito simpática.

    O problema é outro mas V. caro nelito não o entende. Deve ser dos efeitos da cosa nostra…

    Gostar

  75. 9 Agosto, 2010 15:23

    43.piscoiso disse
    9 Agosto, 2010 às 9:15 am

    . . . Depois há quem confunda discordâncias com ódios.
    *********************+

    A PISCOSICA INDUZIDA CONFUSÃO DO MORALISMO ANTI-ÓDIO SERVE PARA AS
    INGÉNUAS/PIEDOSAS CRIATURAS SERM INDUZIDAS À BOVINIDADE DE NÃO CONTRIBUIREM PARA O SANEAMENTO DOS PROCEDIMENTOS DO EXECUTIVO, PORTANTO DA MANUTENÇÃO DO SEU ESTADO DE IMPUNIDADE
    *** QUEM ME DERA SER CORROMPIDO : A ORAÇÃO DOS QUE AINDA NÃO PROVARAM DO BODO DO ESTADO ****

    Gostar

  76. manuelli permalink
    9 Agosto, 2010 15:29

    E eu não conheço, mas desde início tive por exagerada a fúria do zé lisboeta, que se julga mais que o lusitano acima de Loures, abaixo do xristo rei, o tolinho da ponte.

    Gostar

  77. 9 Agosto, 2010 16:40

    71.manuelli disse
    9 Agosto, 2010 às 3:01 pm
    #66

    Não é isso, zé, é que havido o julgamento, vocês fiquem fulos, ainda, e passados de mau fígado, se a gente que não gostam, que invejam, por alguma coisa, não vai dentro e não se enforca.

    ***********

    MANUELLI , DEVE ESTAR A GOZAR-NOS :
    GENTE DO * JET SET * DENTRO?
    E DEPOIS * COMMITTING
    SUICIDE * POR VERGONHA ?
    ONDE E QUE SE VIU COISA SEMELHANTE CA?
    ******* NEM PÓ !!!! ********

    Gostar

  78. ferreira permalink
    9 Agosto, 2010 16:50

    querem maior assasinato o despedimento colectivo de 112 familias do casino estoril uma empresa com milhoes de lucros para dar lugar a precarios e o governo nada faz.

    Gostar

  79. JJ Pereira permalink
    9 Agosto, 2010 17:04

    Há que compreender , aceitar e, até, respeitar o “arroubo” de Sandra Felgueiras : por definição, uma filha é sempre filha da mãe…

    Gostar

  80. 9 Agosto, 2010 18:43

    Licas 75,

    Atenção, sff: também em Portugal, há uma confusão na populaça (e não só) entre o jet 7 e… o jet 3,5. E, entre o jet 3,5 e o jet 0,7.
    Todas estas aparências e graduações, são reais e pululam por aí !

    Há umas senhoras & meninas, mas também senhores & meninos, que ganham a vidinha em festarolas, leem e escrevem as sinas, agenciam partys, representam e promovem discotecas, levam “famosos” a um e outro jogo de futebol, etc, etc. Por tudo isto, cobram, e bem.
    Pagam impostos ? O ministério das finanças não reage ?

    Gostar

  81. 9 Agosto, 2010 19:56

    P. G. R NÃO QUER OUVIR O LOPES DA MOTA . . .
    ****** PORQUE SERÁ ? *******
    QUEM É CAPAZ DE ME DIZER ?

    PORQUE
    NÃO HAVERÁ MAIS NADA A ESCLARECER ?
    PORQUE
    JÁ CONTACTAEAM *INFORMALMENTE* ?
    PORQUE
    É PREFERÍVEL FICAREM POR AQUI QUANTO A ESCLARECIMENTOS ?
    PORQUE
    LOPES DA MOTA QUER SER PAGO PELO MÊS DE SUSPENSÃO QUE A QUE FOI CONDENADO ?
    OU APENAS POEQUE NÃO , PRONTO !!!!!!

    Gostar

  82. 9 Agosto, 2010 22:11

    PORQUE NÃO, PRONTO !!!

    Gostar

  83. Francisco Colaço permalink
    9 Agosto, 2010 23:14

    Sandra Felgueiras,

    Espero que não se ofenda, mas os claros erros semânticos e de pontuação das suas prosas mostram que o critérios que hoje é relevante na selecção de jornalistas é a Parcialidade Sicofântica (as iniciais são obviamente intencionais). Se, como compreensivamente acredito, está alterada, sugiro-lhe que escreva frases mais curtas.

    Agora, o dito Portugal Moderno é desculpa para tudo? Aliás, o que é isso de moderno: é que segue as modas? É provincianismo desejar um estado probo?

    Sabe quando os «provincianos» (palavras suas) foram desdenhados? Digo-lhe, no fim da República Romana, as ordens equestres perderam poder para as urbanas. Os burros, infelizmente, não estão onde estão os cavalos, e pelo que parece sempre estiveram refugiados nas cidades, em calma boçal.

    Já agora, conhece certamente Cincinato. Este provinciano é o exemplo de um bom governante. Veja na Wikipedia o que ele fez quando deixou o poder. E julga que no Império não havia corrupção, que os fornecimentos para as legiões não eram desejados pelos comerciantes ou que os favores não se trocavam?

    Precisamos de mais provincianos. O Portugal Moderno parece apenas gerar ladrões arrogantes.

    Gostar

  84. manuelli permalink
    10 Agosto, 2010 00:02

    Li ora o Francisco Colaço e fui ver “claros erros semânticos e de pontuação das suas prosas mostram que o critérios que hoje é relevante na selecção de jornalistas é a Parcialidade Sicofântica (as iniciais são obviamente intencionais)”…

    Oh, my god, que de pedância, se o escrito de Sandra é lídimo, claro, como cheio de verdades consequentes.

    E a que fim vem, pois, o grave reparo, ó Francisco?

    Gostar

  85. Romão permalink
    10 Agosto, 2010 01:04

    #82.

    Amigo Manel, ninguém que tenha seguido a sua prosa até agora se lembraria da tortura de fazer de si caça-gralhas ou revisor ortográfico.

    Cada um é para o que nasce, amigo Manel.

    Gostar

  86. 10 Agosto, 2010 02:52

    Falta de dinheiro retira vigilância do Parque Nacional da Peneda-Gerês
    06 AGO 10
    Mais de 20 fiscais do Parque Nacional da Peneda-Gerês não podem trabalhar há mais de um ano, por causa da falta de dinheiro. Em época estival, esta situação torna-se ainda mais preocupante.
    http://www.fliscorno.blogspot.com/2010/08/contadores-de-verao.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+Fliscorno+%28Fliscorno%29

    Gostar

  87. 10 Agosto, 2010 10:10

    Mais 72 reformas milionárias. O campeão é…
    Antigo ministro de Santana Lopes, Daniel Sanches, é magistrado jubilado e recebe mais de 7.300 euros de reforma. Pensões acima dos 5 mil euros cresceram mais de 20% desde Setembro do ano passado

    Número de milionários aumenta mais de 5% em Portugal
    http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/reformas-pensoes-reformas-milionarias-dinheiro-daniel-sanches-agencia-financeira/1183520-1730.html

    Gostar

  88. 10 Agosto, 2010 10:12

    Empresas declaram prejuízos só para fugir ao Fisco

    Um terço das empresas portuguesas declara prejuízos que ocorrem independentemente do ciclo económico. São indiciadores de crescente evasão fiscal por parte do mundo empresarial

    Mais de um terço das empresas portuguesas declararam prejuízos entre os anos de 1997 e 2007, o que representa cerca de cem mil milhões de euros, de acordo com as últimas estatísticas oficiais do IRC.

    Os prejuízos acontecem independentemente do ciclo económico, o que significa que para fugir ao fisco uma grande parte das empresas terá anulado os resultados, carregando nos custos ou aliviando as facturas, escreve o jornal «Público» esta segunda-feira.
    http://www.agenciafinanceira.iol.pt/empresas/prejuizos-irc-fisco-empresas-devedores-agencia-financeira/1183388-1728.html

    Gostar

  89. 10 Agosto, 2010 10:16

    Deputados deram mais de 1500 faltas em nove meses
    Cinco comissões já passaram a barreira das cem faltas

    Os deputados deram 857 faltas em 382 reuniões das comissões parlamentares e 667 em plenário, o que dá um total de 1524 ausências nos pouco mais de nove meses desta sessão legislativa.

    No entanto, as actas de 260 reuniões não foram disponibilizadas na Internet, pelo que não entram nas contas efectuadas pelo «Diário de Notícias». E tendo em conta a média de faltas por reunião nas comissões (2,24), esta ausência de dados pode significar mais cerca de 580 faltas, o que faria o total ultrapassar as 2000 faltas.

    Proporcionalmente, os parlamentares são mais faltosos em plenário (a média é de 8,5 faltas por sessão).

    É na Comissão do Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local que os deputados mais faltam: nas 36 reuniões analisadas há 132 faltas. Mais quatro comissões já passaram a barreira das cem faltas: a de Educação e Ciência (132), a da Saúde (110), a de Assuntos Económicos, Inovação e Energia (106) e a de Orçamento e Finanças (102).

    Os mais cumpridores encontram-se na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias: nas 37 reuniões analisadas só se contam 20 faltas.
    http://www.tvi24.iol.pt/portal-iol/deputados-faltas-ausencias-parlamento-tvi24/1183528-5281.html

    Gostar

  90. 10 Agosto, 2010 10:18

    “MLR prestou um grande serviço aos “boys” e aos corruptos portugueses: desviar as atenções para os professores no momento alto da tomada do aparelho de Estado pelos “boys” e da monopolização dos grandes negócios de Estado pela rede que gira à volta do ainda primeiro-ministro. Por isso foi premiada com a presidência da FLAD.”
    Álvaro Teixeira

    Gostar

  91. Francisco permalink
    10 Agosto, 2010 13:07

    «Portugal nunca será um país moderno». Isto é falso.
    A verdade é que Portugal já é uma país moderno. Se quiserem fazer um favor aos portugueses, digam coisas positivas deles mesmos e do país – que tem tantas. Por certo, já bastante deprimidos (porque muitos, pobres e mal alimentados, passaram anos a fio a levar pancada não apenas em casa, mas também nesse lugar de repressão, que era a escola, com «réguas» e canas – coisa que não contribui muito para a pessoa se sentir com auto-estima), os portugueses dispensam que lhes venham dizer que o seu país «não é e nunca será moderno» ou que fazem parte de um «Estado exíguo». Ainda por cima, estas afirmações são redondamente falsas.
    Vocês têm coisas positivas a dizer? Digam-nas; têm coisas negativas (sempre há e muitas) a dizer? Agradecemos que nos ajudem a superá-las, mas, por favor, não nos massacrem com essas coisas – que nos tiram a paz interior e nos deprimem, desnecessariamente.

    Gostar

  92. Palnira permalink
    10 Agosto, 2010 14:54

    Para a Sandrinha

    Cagando estava a dama mais formosa,
    E nunca se viu cu de tanta alvura;
    Porém o ver cagar a formosura
    Mete nojo à vontade mais gulosa!
    Ela a massa expulsou fedentinosa
    Com algum custo, porque estava dura;
    Uma carta d’amores de alimpadura
    Serviu àquela parte malcheirosa:
    Ora mandem à moça mais bonita
    Um escrito d’amor que lisonjeiro
    Afetos move, corações incita:
    Para o ir ver servir de reposteiro
    À porta, onde o fedor, e a trampa habita,
    Do sombrio palácio do alcatreiro!

    Bocage

    Gostar

  93. Francisco Colaço permalink
    10 Agosto, 2010 18:33

    #27,

    A palavra cooperativa nada me choca. Uso quase exclusivamente Linux há mais de quinze anos e tenho grandes amigos em Kibutzim, embora não seja judeu. Aliás, é bem melhor «cooperativa» que «empresa pública», PPP ou Sociedade Anónima de Capitais Exclusivamente Públicos.

    É uma excelente ideia.

    #90,

    Veja lá se lhe não sai o «É pau, é grande pau, não marmeleiro», do mesmo autor, na rifa. Além disso, fica a saber que muito antes de Barbosa du Bocage, o soneto que transcreveu é escrito pelo Abade de Jazente (cujo nome não me lembro de memória) e aliás, muito pouco alterado pelo Elmano Sadino.

    #89, Francisco,

    Temos coisas positivas para dizer: alguma vez o Sócrates, O Fidel Castro e o Chavez serão levados pelo manto ebúrneo da morte, e ficaremos livres deles de vez.

    Gostar

  94. Francisco permalink
    10 Agosto, 2010 20:11

    #91
    Quanto a mim, aí está, de facto, uma coisa positiva: a de saber que governantes fracassados não governarão muito tempo (se saíram do poder antes da respectiva morte também é positivo).

    Gostar

  95. não importa permalink
    10 Agosto, 2010 23:39

    bonito

    Gostar

  96. 11 Agosto, 2010 14:50

    Narciso Miranda e o Bando dos Cem

    E depois venham-me dizer que o P.S. não é um Partido Stalinista . . .
    Uma depuração deste tamanho é Mao, muito Mao.

    Gostar

  97. 11 Agosto, 2010 15:14

    Eu não gosto de fazer alusões a acontecimentos passados para criticar
    abusos actuais semelhantes. . .
    PORÉM lembram-se das *virgens* ofendidas do P.S. quando o P.S.D. aprovou uma norma que proibia *durante 30 dias antes de Eleições* críticas às posições oficiais do Partido ? LEMBRAM-SE DA LOGO ALCUNHADA LEI DA RÔLHA? LEMBRAM-SE?

    Gostar

  98. Francisco Colaço permalink
    11 Agosto, 2010 21:38

    #96,

    E tanta coisa com a lei da Rolha, esbracejaram os arautos do PS, do BE e do PCP, e afinal só o CDS não tinha regras semelhantes. Todos os outros partidos com assento parlamentar, do PCP e Verdes ao PS e BE, deviam levar com as suas próprias rolhas por um orifício inominável.

    Gostar

  99. 11 Agosto, 2010 22:15

    E não estou a defender o P.S.D. e muito menos Leis da Rôlha , sejam elas quais forem:
    Não tenho Partido, NÂO VOTO, NUNCA O FIZ, ATÉ TINHA VERGONHA: O DIABO ME LIVRE.

    Gostar

  100. Licas permalink
    12 Agosto, 2010 11:32

    Só um povo vuvuzelado até à imbecilidade total pode tolerar (digo, aplaudir!) as cretinices de um Marcelo Rebelo de Sousa (M. R. S.). Digo já, para que tudo fique cristalino, que não é único a caber nesta classificação, apenas é o mais visível. Político, que já foi, ex-jornalista, professor universitário especializado em Direito Administrativo, aliás sua única e consabida recomendação, poderia ficar por esta qualidade, e ninguém se incomodaria.
    Porém a toleima que lhe está subjacente, inata, não permite tal, humilhante, para o seu ego, limitação de actividade pública nessa matéria: ensinar. E não se trata de pontuais, exercício de extroversão, é mais grave, mais doentio, mais a pedir cuidados especializados: julga-se tão excepcional, tão apelativo, que os portugueses anseiam, estão famélicos, insaciáveis, carentes, de conhecer ao pormenor quais as suas ideias, opiniões, as mais secretas confabulações da própria alma, anseios, premonições, que a sua pessoa produz, rara e única, com tanta abundância.
    E, maravilha das maravilhas, o seu naipe de preocupações estende-se, até, vejam a matéria tão árdua, difícil, abstracta, enredada, pérfida, como seja . . . o futebol.
    Mesmo esquecendo o seu *aparelho fónico* funcionando no registo do Pato Donald (este, sim, de boa memória).
    Tenho para mim que as prebendas na Televisão são tão *insignificantes* que até os mais gordos *zângãos* não lhes resistem ao cheiro . . .

    Gostar

  101. Francisco Colaço permalink
    12 Agosto, 2010 12:16

    #98, #99, Licas,

    Votar é um dever. Podes sempre votar em branco, expressando isto: nenhum dos palhaços que vai a eleições me serve, e logo não voto em nenhum. Se te absténs, nem contas nas estatísticas. Não vales nada, nem um chavo, para mudar as políticas neste país.

    Uma percentagem significativa de votos em branco (ou nulos, o que aconselho, para não adulterarem o boletim nas contagens) daria um sério aviso aos nossos eleitos.

    Não me leves a mal, mas não deves ser o único descontente neste país que tem as mesmas ideias para a acção governativa e legislativa. Podes, como não vivemos nos tempos da União Nacional, com os que partilham do teu ideal, formar um partido político e concorrer a eleições; ou, em alternativa, um movimento legítimo de lóbi, como o «Movimento para a Defesa do Cidadão que se se sente Espoliado até ao Tutano» ou o «Plataforma Zezé Camarinha a Ministro dos Negócios Estrangeiros»— quem não tem tomates para formar um partido, forma uma plataforma, um movimento ou um grupo de reflexão e até consegue um comentário carinhoso e paternalista na RTP.

    Criticar simplesmente sem agir com os instrumentos que a lei permite para mudar a situação é como o casamento de duas pessoas do mesmo sexo: muito folclore para fruto nenhum.

    Francisco Colaço

    Gostar

  102. Licas permalink
    13 Agosto, 2010 00:33

    POIS . . .

    Gostar

  103. André permalink
    2 Setembro, 2010 23:33

    Não sei o que é pior: ter uma mãe assim ou ter uma filha com esta postura.
    Como é que esta senhora pode vir dizer que fugiu por causa dos filhos se ela sempre se assumiu como refugiada política? E como pode este pais suportar a ideia de o regresso desta senhora ter sido orquestrado com as autoridades?
    Tenho dó desta gente e nem sei como conseguem dormir à noite depois de tudo o que fizeram! Fátima sempre clamou inocência mas que eu saiba ficaram provads em tribunal os crimes de corrupção.
    Também não consigo entnder como é que a RTP aposta na filha da ex-autarca para realizar reportagens de justiça e crime. Senhores directores: uma pessoa que promoveu a fuga da sua mãe, enxovalhou a justiça não tem credibilidade pata tratar estas materias. Permita-ate dizer caro jmf que esta menina prestou-se a tristes espectáculos na cobertura do desaparecimento de maddie…
    A fama e a projecção já ninguém lhas tira… É o que conta na vida para esta gente!
    Cumprimentos

    Gostar

  104. Sandra permalink
    9 Setembro, 2010 00:26

    O Jmf já teve oportunidade de ler o texto que escrevi para o livro “Historias sem aquele era uma vez”? Esta lá tudo!!

    Gostar

  105. 27 Setembro, 2011 15:22

    ho sandra tu nõa tens moral nenhum para falares da çidade de felgueiras eu sou de felgueiras andem a defender o teu irmão o joao felgueiras que saiu no meio das pernas da tu avelha difiçiente qual é o meu espanto defendi , defendi e gente da vossa augalha de ricos ainda tratam mal a quem defendi um difiçiente o salazar se tivesse vivo era o primeiro a fugir da vosas figura mas ele ta no çeu não ta a rir da cara dos ricos e da cara dos inoçente que caiem na vossa çilida …

    Gostar

  106. 5 Maio, 2012 15:36

    a sandra felgueiras esta nao vai ter tempo de parir filhos ,o velho abre a boca que cabra da fatima felgueiras nao e normal como nos e por isso que o velho manda as pessoas para cadeia quem defende o alaxado do joaofelgueiras a sandra felgueiras nao e consederada normal e por isso que o velho foi parar ao hospital por um aparelho dentro do coraçao nao era so do coraçao era na alma para determinar um pouco tempo que lhes resta na terra estes malditos ladroes morrem mas a alma fica no inferno nao lhes da tempo das almas subir para o çeu .

    Gostar

  107. 5 Maio, 2012 15:39

    estes caes do diabo fazem vitimas ainda tem alma toda a cheirar mal a podre em meter as vitimas na cadeia aconteçeu comigo tenho provas disso e nas proximas eleçoes a puta e morta em pleno dia nem chega aqueçer o cu no poleirp para roubar mais dentro da camara sei de muita coisa sei como a cabra da fatima felgueiras calou a boca do julio faria

    Gostar

  108. 5 Maio, 2012 15:41

    sei como o velho apanhou a fatima felgueiras com o julio faria e como calou a boca do velho do julio faria tenho o poder de entregar tudo ao horaçio costa faz muito bem o horaçio costa meter a puta da fatinha mais anos em julgamentos que va para frente que ajudo o horaçio costa .a puta de duas uma ou morre ou vai parar a cadeia da cadeia vai para cova do inferno

    Gostar

  109. 9 Junho, 2012 15:49

    pessoal começem a dar os sentimentos a jornalista sandra felgueiras a cabra da velha morre agora nas proximas eleçoes em pleno dia do sol

    Gostar

  110. 9 Junho, 2012 15:50

    a cabra vai-se candidatar-se mas para morte e nao para ir pro poleiro

    Gostar

Trackbacks

  1. Portugal nunca será um país moderno « BLASFÉMIAS | Info Brasil
  2. O Público e Fátima Felgueiras « O Insurgente

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: