Saltar para o conteúdo

Bloco quer taxar o património mobiliário

3 Maio, 2011

João José Cardoso explica-nos que “bens mobiliários são aqueles que podem ser mexidos de um lado para o outro: acções, depósitos, etc.”. Dito de outra forma, são bens que quando taxados acima de um determinado nível movem-se para a Suiça, e os suiços agradecem.

14 comentários leave one →
  1. Portela Menos 1 permalink
    3 Maio, 2011 07:53

    JM era para fazer um post sobre isto mas a vida é feita de escolhas:
    “FMI quer taxar (fazer cortes) em pensões ABAIXO de 600 euros.”

    Gostar

  2. Joao Branco permalink
    3 Maio, 2011 08:17

    Sinceramente, o capital é mais móvel o trabalho, mas o capital não é muito mais móvel que o rendimento, e este é supostamente taxado.

    Discordo dos valores de taxas propostas pelo BE (mesmo o valor de 0,7% inicial parece-me muito elevado), mas não vejo porque é que todos os bens não hão de ser taxados a uma flat tax de digamos 0,3%. Se alguém mudar o capital para outro país por causa disso não é por causa do valor em causa (o custo de transportar vai ser de uma só vez superior à poupança durante muitos anos) é por outras razões…

    Gostar

  3. Portela Menos 1 permalink
    3 Maio, 2011 08:25

    “ABAIXO” … deve ler-se ACIMA, apesar de não ter a certeza da intenção do FMI 🙂

    Gostar

  4. castanheira permalink
    3 Maio, 2011 08:32

    O ataque exagerado á propriedade , seja ela qual for , por parte do governo ou por parte de mafias ou por parte de vulgares ladrões tem dois efeitos principais:
    1º Fuga de riqueza para países mais seguros
    2º Desincentivo ao trabalho e consequentemente menor criação de riqueza.
    3º Em consequencia das duas alineas anteriores virá o empobrecimento generalizado do país.

    Gostar

  5. 3 Maio, 2011 08:35

    Só é pena que o João Miranda nunca leve os seus raciocínios até às últimas consequências. Por essa ordem de ideias, não só é impossível aplicar qualquer medida contra a malta que pode mover os “cobres” para a Suíça, como nem vale a pena estar a “perder tempo” com essa coisinha chamada democracia. Mas, também por essa ordem de ideias, é inevitável tirar os “cobres” a essa malta, antes que eles se mudem para a Suíça. Querem ver que o João Miranda é marxista…

    Gostar

  6. António permalink
    3 Maio, 2011 08:46

    Com custos de transacção de quase zero (não há custos de troca de moeda, a existência do mercado europeu de transferências bancárias, e para volumes grandes qualquer banco paga para ter depositos/carteiras) se uma vizinha espanha não tiver uma taxa parecida o movimento é quase instantâneo. O custo de enviar capital para lá é bem abaixo de 0,7%.

    Hoje em dia qualquer pessoa pode abrir uma conta em espanha, e o rendimento ser lá depositado, e paga muito pouco por isso. Depois pode usar cá todos os serviços bancários cá como se nada fosse.

    Isto ou é feito a nível europeu ou é a maneira mais rápida de empurrar todas as poupanças do país para fora… (ou não tivessem a austria, dinamarca, alemanha, espanha, finlândia e luxemburgo abandonado algo parecido na ultima decada e tal)

    Gostar

  7. FMA permalink
    3 Maio, 2011 09:30

    Podem começar por taxar a colecção de porcelana do camarada Louçã, que por tão vasta lhe ocupa quase todos os 300 m2 do humilde apartamento das avenidas novas.

    Gostar

  8. Carlos Dias permalink
    3 Maio, 2011 11:19

    Bens móveis é o carro do pai.
    Bens imóveis é a casa do pai.
    Os impostos são os custos do whisky, da gasolina e dos I-pods.
    Crise? Que crise?
    O BE é a Académica da política.
    Fica bem.

    Gostar

  9. 3 Maio, 2011 13:05

    O Bloco de Esquerda não se distingue no PS no essencial. Bom é aumentar impostos. Lá reduzir a despesas pública, não pode ser. Os boys que vivem de mamar nas tetas dos institutos públicos, empresas municipais e comissões disto e daquilo agradecem este desvelo dos revolucionários do caviar. Por alguma coisa o BE e o PS apoiaram o mesmo candidato à presidência da república.

    Gostar

  10. PLus permalink
    3 Maio, 2011 14:47

    Quem ver que o que o Bloco quer é dar dinheiro à malta ?

    0.7% 100.000__700 eurozitos
    0.21%(?) dos rendimentos de um deposito de 100k ( taxa 4.5% )= 945€.

    O estado perdia 245€. Grande negocio senhor Louça.

    Gostar

  11. Arlindo da Costa permalink
    3 Maio, 2011 16:31

    Não se pode «taxar» os mobiliários, então que se isenta os «imobiliários».
    Afinal, não haver impostos é a melhor coisa do mundo!

    Gostar

  12. 3 Maio, 2011 18:43

    Ó Plus: Expplique lá essa “matemática”…

    Gostar

  13. 3 Maio, 2011 20:49

    PLus, parece-me que a ideia é ter os dois impostos. Por isso, o estado receberia os 700€+945€.

    Mas esta medida era boa para “forçar” os portugueses a investir outra vez nos produtos de dívida do estado (se o estado não taxasse estes produtos).

    Gostar

Trackbacks

  1. Mas ainda não fugiram todos? | Aventar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers gostam disto: