Skip to content

em tempos de crise

2 Junho, 2011
by

«maçonaria e revolução», um post subversivo, na Revolução do costume.

Advertisements
58 comentários leave one →
  1. balde-de-cal permalink
    2 Junho, 2011 07:43

    frequentei a maçonaria do bairro alto até ser roubado pelos irmão.
    anda tudo no ‘gamanço’.
    e ainda me bateram na rua por ser velho e doente.
    linda fraternidade.
    o seminarista vai sair de grão-mestre.
    ‘grão a grão enche a galinha o papo’

    Gostar

  2. Arlindo da Costa permalink
    2 Junho, 2011 08:10

    Por falar em maçonaria, todos nós devemos recear a «maçonaria da Coelha» que está muito activa (reunem-se às escondidas em paraísos fiscais); recear a máfia bancária especializada em desfalques bancárias; recear a passagem à prática as utopias da Rapaziada do Pote, que não passam de batedores dos grandes barões do capital (já viram o sorriso do militante nrº 1 e o ar satisfeito do langeco que importa cabritos cortados a regra e a esquadro?)
    São muito piores do que o Rosbepierre…

    Gostar

  3. jose.gcmonteiro permalink
    2 Junho, 2011 09:19

    “Eles comem tudo, eles comem tudo …”
    J. Gil

    Gostar

  4. 2 Junho, 2011 09:52

    É exagero pedir a maioria absoluta?
    Pelo menos justifica-se a maioria absoluta no castigo a Sócrates…
    http://notaslivres.blogspot.com/2011/06/psd-maioria-absoluta.html

    Gostar

  5. 2 Junho, 2011 09:59

    pelo adiantado da hora do post, a PJ já deduziu onde foi parar o desaparecido cigarro de coca…

    Gostar

  6. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 10:19

    Campanhas neonazis do PS não funcionam:
    .
    http://sondagens.apphb.com/
    .
    .
    A derrota será bastante pesada.

    Gostar

  7. 2 Junho, 2011 10:29

    anti
    olhe os métodos português-suave do portas: «não há stress, podem votar cds»

    Gostar

  8. 2 Junho, 2011 10:41

    CDS (25), CDU (15) e BE (15) têm mandatos quase fixados. Mais um menos um…
    O castigo (ou não) a Sócrates definirá o resto (PS e PSD):
    http://notaslivres.blogspot.com/2011/06/assembleia-provavel.html

    Gostar

  9. 2 Junho, 2011 11:13

    pelo menos a inflação está a descer…
    graças à valorização do €/usd dollar que se reflecte no preço do brent.
    agora com os camilos lourenços a ladrar histrionicamente umas boutades ..
    cada vez me sinto mais intolerantes a morenos monhés!

    Gostar

  10. JCA permalink
    2 Junho, 2011 11:14

    .
    A E-Coli variante SDK já chegou a França:
    .
    Francia investiga a un exministro por pedofilia en Marruecos
    El extitular de Educación, Luc Ferry, señaló en televisión que un colega suyo había sido detenido durante una redada en Marraquech y liberado cuando la policía supo su identidad
    http://www.elpais.com/articulo/internacional/Francia/investiga/exministro/pedofilia/Marruecos/elpepuint/20110601elpepuint_4/Tes
    .
    Sexist French politicians ‘in trouble’ over treatment of women
    France’s male politicians are becoming increasingly anxious about their futures after one female minister warned half of the country’s male MPs were potentially “in trouble” due to their treatment of women.
    http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/france/8545979/Sexist-French-politicians-in-trouble-over-treatment-of-women.html
    .
    :)) You flirty rat! New York fashionistas splurge on designer outfits … for their pet rodents
    http://www.dailymail.co.uk/news/article-1392396/New-York-fashionistas-splurge-designer-outfits–pet-rodents.html#ixzz1O1KMk7bV
    .

    Gostar

  11. António Parente permalink
    2 Junho, 2011 11:23

    Não costumo fazer esta pergunta a bloggers nem procuro saber quem são através do google e por isso aqui fica a minha pergunta: o Rui A. tem formação em que área científica?

    Gostar

  12. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 11:23

    Caro Campo de Minas, a direita vai dar uma cabazada á esquerda e o CDS deverá subir mesmo com o PSD no limiar da maioria absoluta. (Com forte probabilidade de a conseguir.)
    .
    .
    Esta entrevista do Henrique Neto (um dos primeiro apoiantes do Sócrates para ele se candidatar á liderança do PS) é simbólica pelo que está a acontecer no país. Há bastante indecisos mas estes quase de certeza não votarão no PS. E duvido mesmo que votem na esquerda comunista pois ao oporem-se de caras às medidas do FMI, puseram-se de fora da solução e daí não aproveitarão os votos dos indecisos. Será o CDS a aproveitar bastante os votos dos que querem uma alternativa aos dois grandes partidos.
    .
    .
    http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=488267
    .
    .
    A votação do BE é para mim a maior incógnita. Tenho dúvidas que perca tantos votos como parece nas sondagens embora a colagem ao comunismo do PCP foi um erro de tal forma, que em vez de aproveitar os votos desiludidos do PS (por isso os apelos do Portas/CDS ao seu novo esquerdismo) irá perder votos. Porque, segundo o Pedro Magalhães, paradoxalmente, o eleitorado do BE é liberal em termos económicos. Logo, o BE ao mostrar que é um partido comunista muito parecido ao PCP, acaba por afuguentar este tipo de eleitorado liberal em termos económicos. Também a queda do BE mostra que o Anacleto já deixou de ser uma “novidade” e passa a ser um Jerónimo de Sousa com doutoramento em vez de operário.
    .
    .
    Provavelmente, no Domingo, o PSD obtém uma maioria absoluta e o CDS uma forte subida. Será uma viragem á direita bastante profunda.

    Gostar

  13. 2 Junho, 2011 11:34

    «Será uma viragem á direita bastante profunda.»
    isso será mais o seu wishful thinking, pois numa altura de profunda retração económica, as pessoas revelariam ser masoquistas!
    nestas coisas os analistas subestimam o voto de protesto; eu dou o meu exemplo: nunca votei ps, nosultimos tempos votava BE por protesto; agora o meu voto serve de protesto contra o anacleto por ter servido de muleta da direita!
    e o ex. da minha filha que vota pela primeira vez: vota no cds como forma de protesto contra o psd e ps! esteve uns tempos na jsd e saiu de lá enojada!
    o caciquismo enoja!

    Gostar

  14. José Pinto Basto permalink
    2 Junho, 2011 11:51

    O tipo não bateu bem de contas, será que vai fazer o mesmo com os votos?…

    Gostar

  15. 2 Junho, 2011 11:55

    Para quem for cliente partidário
    essa tal de viragem,
    pode ter vantagens.
    Se a bola vai para a direita
    ou para a esquerda,
    estou mais interessado em Roland Garros.

    Gostar

  16. JCA permalink
    2 Junho, 2011 11:57

    .
    O PC e o BE apresentam-se contra o FMI acabam a copiar os CONSERVADORES GREGOS. Aqui:
    .
    -EU works on new Greece bailout package to avoid default
    The European Union is racing to draft a second bailout package for indebted Greece to release vital loans next month and avert the risk of the eurozone country defaulting.
    http://www.telegraph.co.uk/finance/economics/8546920/EU-works-on-new-Greece-bailout-package-to-avoid-default.html
    .
    As cambalhotas que Marxismo, Trotkismo e o Conservadorismo dão na versão da parte da elite ‘Esquerda-Direita-op-dois’ :))
    .
    Alguém não se está a explicar lá muito bem. Ou na Esquerd anti- Direita ou na Direita anti-Esquerda na Terra que sonham sempre Tuga.
    .
    Assim parece.
    .

    Gostar

  17. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 12:04

    Caro Campo, acredite que está a haver uma viragem à direita do eleitorado. E mais será nítido quando o PPC no governo se revelar liberal com consciência social. Parece que o discurso liberal pode mostrar que existem alternativas ao socialismo e que o socialismo, está agora demonstrado, só trás mais pobreza, corrupção, desemprego, e o liberalismo é uma opção que merece e vai ser tentada.
    .
    .
    Já agora, indico-lhe outro voto no PSD, o do Ricardo Arroja, que à falta de alternativas a sério em termos liberais, não tem outro remédio senão votar no PPC:
    .
    .
    ” E como diz um amigo meu, que pensa como eu, nestas legislativas, dado o descalabro dos últimos 15 anos de (quase só) acção socialista e dado o Programa de Governo da chamada troika, o mais importante é contribuir para que o PS se torne dispensável de qualquer coligação parlamentar maioritária.
    .
    .
    Portanto, no próximo dia de Portugal, este ano a 5 de Junho, com algumas reservas – é certo –, vou tomar três Alka Seltzers, fechar os olhos e…seja o que Deus quiser! Oxalá, o PSD justifique o benefício da dúvida que eu e, estou convencido, muitos outros cépticos optimistas lhe daremos. E, sobretudo, oxalá, este País, de futebóis, acorde, num sobressalto cívico, e que comece a pensar com a cabeça, em vez de continuar a pensar com os pés.”
    .
    In http://oinsurgente.org/
    .
    .
    Estas palavras bastante sensatas do Ricardo Arroja são comuns a muita gente. Aliás, eu já referi aqui o caso de um parente meu, que hoje é quase radical em termos económicos. Passou do 8 para o 80 em termos liberais e económicos. Por isso ele votou no BE até há pouco tempo (pelo menos nas legislativas de 2005 votou em 2009 parece-me que nem foi votar e estava indeciso em dar o voto a alguém. Mas uma semana depois, já estava inclinado em votar no PPC, por ser… Liberal. O PPC assumir-se como liberal e assumir rupturas com o estabelecido, faz-lhe ganhar votos.
    .
    .
    Provavelmente Portugal está hoje naquela situação em que o comunismo morreu, em 89/91. Em que o povo a leste assumiu a falência do comunismo. Hoje os portugueses parecem assumir a falência do socialismo e o PSD ao assumir-se como um partido mais liberal faz-lhe ganhar votos.
    .
    .
    O problema que o Ricardo Arroja é real. Não há em Portugal um discurso liberal por parte das nossas élites e da nossa imprensa. Ou seja, aquela ideia que somos todos socialistas talvez já não seja bem assim e só as élites continuam agarradas a este socialismo porque vivem de rendas do Estado e o PS é o seu melhor e maior aliado. (E o PS, um país dito socialista, hoje é o partido mais conservador ao invés de um partido dito progressista.) Por isso, talvez o PPC ao assumir-se como Liberal e, ao mesmo tempo, a dizer que vai ser o liberalismo a salvar o chamado Estado Social (quase o mesmo que aconteceu na Dinamarca há alguns anos atrás, seguido depois pela Suécia).
    .
    .
    O PPC está a ser inteligente na campanha. Está a dizer aos portugueses: se querem um Estado Social que sobreviva então têm que ser liberais, para o salvar. Ou seja, para haver um minimo de protecção social não se pode impôr a protecção total pois isso leva-nos à falência. Assim como o PPC diz aos liberais: se queremos Liberalismo também teremos que ter um Estado Social minimo, forte nas suas áreas principais de actuação (Soberania, Defesa Externa, Segurança, Interna, etc.)
    .
    .
    O que me parece que o Passos Coelho quer fazer é seguir o liberalismo nórdico. Se for isso, além do meu aplauso terá o voto de milhões de portugueses. Porque é um Liberalismo diferente do anglo-saxónico, que é, para mim, um aborto em termos políticos, que nos conduz inevitávelmente ao… Fascismo ou comunismo económico.
    .
    .
    Ora, se o PPC seguir este liberalismo económico, poderá mudar Portugal. Um Liberalismo que não segue as cartilhas dos papas, tipo Hayek ou Friedman, que têm importantes contribuições para um bom Liberalismo, mas contêm falhas profundas, como compreender realmente bem como funcionam os mercados e o próprio capitalismo.
    .
    .
    Aliás, o facto do eleitorado do BE ser liberal em termos económicos até nem me surpreende. Lembro-me, um dia, de uma pessoa do BE, desabafar comigo: como é que te defines de direita e eu de esquerda e compartilhamos muito em termos ideológicos. Porquê? Porque o eleitorado do BE é mais liberal em termos económicos do que os principais dirigentes do BE, que até são comunistas. Pese embora as ideias shumpeterianas do Louçã.
    .
    .
    Aliás, eu gosto de me definir liberal em termos económicos mas fora das ditas escolas austriacas, monetaristas (até nem é bem liberal, mas enquadra-se bem nele) e outras istas que existem. Dou um importante valor aos mercados e suas intervenções necessárias quando existem excessos. (Na prática os austriacos também mas nem se apercebem que estão em contradição profunda quando advogam o ouro como nova moeda mundial.)
    .
    .
    Assim como dou grande valor ás ideias do Minsky, porque ele compreendeu parte do funcionamento da economia real e de como esta se monetariza se não houver controlo sobre os agentes económicos. (Que alguns confundem controlo com intervenção. E depois passam a acreditar em teorias malucas, como auto-regulação, etc. Aliás, a Máfia é/são uma(s) organização/ões tipicamente liberal, se levarmos á letra as ideias destes liberais.)
    .
    .
    O PPC se for um Liberal à nórdica e romper com o socialismo que se implantou em Portugal… Será uma profunda revolução ideológica em Portugal. Se ele for um liberal à nórdico e combater o tipo de socialismo que temos em Portugal, além de poder ganhar eleições, mudará o próprio liberalismo tuga, que alguns só t~em teias de aranha na carola, porque chegaram ao Liberalismo pelos papas económicos quando o deviam pela própria ideologia política assente na defesa dos Direitos Humanos, Democracia, etc.
    .
    .
    Parece-me que está a haver uma revolução ideológica em Portugal. E isso será fantástico!

    Gostar

  18. rui a. permalink*
    2 Junho, 2011 12:09

    Campo de minas,
    Sabe que nem sempre o fuso horário em que se escreve e edita um post corresponde ao da hora da edição do blog. Todavia, agradeço as suas preocupações, mas posso tranquilizá-lo, porquanto as autoridades não conseguiram descobrir coisa alguma no meu esconderijo particular…

    António Parente,
    Sem problemas: licenciatura em direito e mestrado e doutoramento em ciência política. O interesse pela RF é meramente amador e não propriamente académico, no sentido universitário, já que nunca o trabalhei a esse nível, e resulta do facto de me parecer que a história portuguesa contemporânea se explica integralmente a partir dela. Quem sabe, um dia tenha oportunidade de o fazer?

    Gostar

  19. Pinto permalink
    2 Junho, 2011 12:10

    foi visceralmente influenciada pelos valores saídos da revolução, entre eles o anti-clericalismo, a laicidade

    Eu diria que a laicidade, em bom rigor, nasceu com Maquiavel (cfr. O Príncipe), muito anterior mesmo ao iluminismo inglês e escocês, que bem refere como os pioneiros das ideias da liberdade e da igualdade civil, do primado da lei, da propriedade, da necessidade da contenção do poder soberano, da Constituição, da separação de poderes … .

    Gostar

  20. rui a. permalink*
    2 Junho, 2011 12:16

    Pinto,
    Diz e diz bem, embora o valor da laicidade seja muito anterior ao Renascimento. Encontramo-lo, pela natureza das coisas e das instituições, na Roma clássica, de resto, fonte inspiradora (o período da República) do jacobinismo revolucionário francês. Mas tem razão sobre o que diz de Maquiavel.

    Gostar

  21. 2 Junho, 2011 12:18

    Aprecio bastante as “palestras” do Anti-Comuna, sobre economia.
    Já quando disserta sobre política…
    passa a vendedor de banha de cobra.

    Gostar

  22. 2 Junho, 2011 12:20

    parece contraditório, no mínimo, ser fã da RF e professar um «liberalismo libertário»

    Gostar

  23. 2 Junho, 2011 12:30

    Anti,
    continue a escrever umas coisas sobre economia….vai longe!
    agora sobre política, não tenha muitas ilusões…
    «quod entrate lasciate ogni tutta speranza» Dante, divina comédia

    Gostar

  24. Fincapé permalink
    2 Junho, 2011 12:41

    Deixo a grande preocupação sobre a influência da Maçonaria na sociedade para o JMM, advogado. Estou já a tentar prever as consequência da vitória de PPC. Mas, entretanto…
    PPC vai ganhar porque:
    – Pôs de lado a sua invenção da necessidade de rever a Constituição, mais o líder do grupo que estudava a proposta, o precoce multimilionário conhecido (sobre este assunto, relembro que o PSD sempre se desculpou da má governação com a Constituição);
    – Pôs de lado a subversão liberal proposta pelos grupos de trabalho para o programa do PSD, mais os respectivos proponentes, tudo gente fina, mas com muitas provas dadas no que diz respeito ao seu próprio umbigo;
    – Pôs de lado tudo o que andou a dizer até ao meio da campanha eleitoral quanto ao modelo social que defendia;
    – Tornou-se mais defensor do Estado Social do que Partido de Sócrates (provavelmente, com medo do CDS que também se tornou mais defensora do Estado Social do que a esquerda);
    – Fez desaparecer todos os ultras cujo único Estado Social que defendia era a entrega directa dos bens do Estado nas suas próprias mão, sem grande esforço, trabalho ou inteligência;
    – Fez desaparecer todos os ideólogos que cristalizaram numa versão pessoal dos velhos, caducos e passados à pequena história liberais inconsequentes.
    Enfim, fez tudo o que nunca esteve na sua cabeça. Vai ganhar, por isso!

    Gostar

  25. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 13:08

    Hoje o Trichas (ainda vamos ter saudades deste gajo à frente do BCE!!!!) deu um portante discurso, como de despedida ou uma espécie de herança política. Como hoje tantos duvidam do BCE, do próprio euro e do próprio futuro europeu (eu não sou federalista mas admito instituições supranacionais como necessárias e imprescindíveis, à medida que a integração económica mundial se aprofunda), vale a pena ler o discurso, onde até tem este trecho:
    .
    .
    “EMU is a historical process designed to bring real economic benefits for Europe’s citizens. We should not overlook what has been achieved in this area.
    .
    EMU has brought growth. Over the first decade of the euro, GDP growth per person has been of the same order of magnitude as in the United States.
    .
    EMU has fostered trade. Not only inside the Euro area (+50% increase in trade volumes over the first years of the euro), but even more so with the European Union as a whole and the rest of the world (+80% over the same period). EMU is not a closed shop. On the contrary, it is the most open of the large economies in the world.
    .
    EMU has brought employment. Employment has increased by 14 million since the creation of the euro, compared with a rise of about 8 million in the United States.
    .
    EMU has brought price stability. The average yearly inflation rate in the euro area during its first 12 years was 1.97%. That is fully in line with our definition of price stability at the European Central Bank (ECB): an inflation rate below but close to 2% over the medium term.
    .
    And EMU has brought monetary stability. The euro is a solid and credible currency, trusted by our fellow citizens, investors and savers.
    .
    There is no “crisis of the euro”.”
    .
    In http://www.ecb.int/press/key/date/2011/html/sp110602.en.html
    .
    .
    O curriculum deste senhor antes de chegar ao BCE não era lá muito famoso para a defesa de uma nova aventura europeia, assente numa moeda única que se está a solidificar a ferros, contra mil e um ataques, tanto dentro como fora da Europa. Mas aprendi a apreciar este homem e o que fez no BCE. Espero que não, mas ainda vamos ter saudades deles à frente do BCE. O Italiano parece ter boas referências para se sentar à frente do cadeirão mas tenho medo que, abéculas como o Constâncio, consigam impôr seus pontos de vista face a um novo membro, que até já revela fragilidades do ponto de vista do suporte político.
    .
    .
    Leiam o discurso dele, porque é dos melhores que ele fez até hoje. Uma espécie de discurso de despedida.

    Gostar

  26. jose silva permalink
    2 Junho, 2011 13:29

    Caro AC,

    o Minsky e´ uma versao politicamente correcta) dos economonistas neo-marxistas. basicamente estes afirmam que a financeirizaçao pos-bretton woods foi uma tentativa de fazer crescer a economia com base em «esteroides». caso nao houvesse a financeirizaçao o capitalismo deixaria de crescer ou pelo menos crescia menos nas economias desenvolvidas. Minsky propoe solucoes para mitigar esta falta de crescimento, mas nao usa a argumentaçao neo-marxista, que seria politicamente incorrecta.

    atençao: nao confundir neo-marxismo economico com a respectiva ideologia. para mim os neo-marxistas economicos e tambem os austriacos sao as correentes de pensamento economico que melhor interpretam a economia ocidental nos ultimos 50 anos. nao significa que tenham as melhores solucoes, como e´ obvio.

    (escrito com teclado condicionado)

    Gostar

  27. lucklucky permalink
    2 Junho, 2011 13:39

    Trichet engana quem quer ser enganado. E o anti-comuna vai atrás.
    Parece que o anti-comuna não sabe que os dados foram produzidos por uma bolha criada pela aliança Estados Social + Bancos. Ou seja os dados são falsos.

    Gostar

  28. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 13:40

    Caro José Silva, muito de acordo com o que diz. Eu até gosto de chamar a este “novo pensamento económico” de economia marxiana em contraponto à marxista, para a distinguir dos que foram mais papistas que o papa. Quer dizer, quando usaram e abusaram das ideias do Karl Marx para os seus fins políticos. (Aliás tal como hoje muitos fazem em relação ao keynes, que também acabaria por renegar a sua famosa obra, que não passava de uma cópia do… Fascismo italiano! E do pensamento do Paretto.)
    .
    .
    Agora, claro, quando muita gente está mais preocupada com os rótulas em vez das ideias, seguem papas em vez de pensarem a sério nas várias correntes da filosofia económica. Invocam papas a torto e a direito, quase copiando tudo o que eles escreveram (ou pensam que escreveram) e caem em erros fantásticos, em que as pessoas passam a estar ao serviço de ideologias quando deveria ser ao contrário.
    .
    .
    Talvez por isso a Economia é hoje cada vez mais depreciada e até conotada com o charlatanismo da astrologia.

    Gostar

  29. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 13:42

    “Parece que o anti-comuna não sabe que os dados foram produzidos por uma bolha criada pela aliança Estados Social + Bancos. Ou seja os dados são falsos.”
    .
    .
    Que dados são falsos. Não entendi. Pode explicar, por favor.

    Gostar

  30. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 13:44

    Liberalismo anglo-saxónico é isto:
    .
    .
    “Birmingham council to outsource 100 jobs to India
    .
    Birmingham City Council is set to become the first local authority to outsource jobs to India in a cost-cutting move, sparking anger by the unions.”
    .
    In http://www.telegraph.co.uk/finance/jobs/8552402/Birmingham-council-to-outsource-100-jobs-to-India.html
    .
    .
    Está boa esta. Em vez de cortarem custos e aumentarem a produtividade dos serviços públicos, apenas os transferem para o exterior. lolololololololol

    Gostar

  31. lucklucky permalink
    2 Junho, 2011 13:53

    “Que dados são falsos. Não entendi. Pode explicar, por favor.”
    .
    Os dados do crescimento, do desemprego, da inflação.
    .
    O crédito desmesurado criou uma boa parte do crescimento artificial, pagou empregos, muitos deles inúteis e aumentou a inflação em muitos produtos. Podemos começar pelo Estado.

    Gostar

  32. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 14:00

    “O crédito desmesurado criou uma boa parte do crescimento artificial, pagou empregos, muitos deles inúteis e aumentou a inflação em muitos produtos. Podemos começar pelo Estado.”
    .
    .
    O crédito desmesurado, onde? É que se está a esquecer que o crédito desmesurado está agora a ser corrigido precisamente nos países onde tal aconteceu, pagando esses países com altas taxas de desemprego. Aquilo que alguns gostam de chamar PIGS.
    .
    .
    Desculpe-me que lhe diga, mas Vc. está bem enganadinho.
    .
    .
    Para mim inflação é sempre a variação dos preços não massas monetárias. Não confundo as coisas. Não confundo as doenças com as suas eventuais causas. Vc. vive num mundo virtual, onde confunde variação de preços com a massa monetária. Depois dá a entender que quer matar o doente da cura. lolololololol
    .
    .
    Os dados não são falsos, basta ter em conta a Alemanha, cuja taxa de desemprego está no nível mais baixo dos últimos 20 anos, teve inflações baixas (ou estabilidade de preços que é isso que se pretende) e não teve bolha de crédito nenhuma.
    .
    .
    Mas se me explicar melhor o que Vc. quer dizer com essas críticas… É que se quiser ir para uma dada corrente política que quer impôr deflação, então eu digo-lhe que é uma enorme estupidez, pois irá matar o doente da cura. (Quando falo de deflação, falo de variações elevadas nos preços, não estabilidade de preços como no Japão, nos últimos 30 20 anos, mesmo com quedas de preços pequenas.)

    Gostar

  33. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 14:06

    Aliás, o seu erro, meu caro lucklucky, é o mesmo dos socialistas. Querem dominar o ciclo através da intervenção sobre a criação do crédito, quando este crédito depende bastante das próprias relações microeconómicas entre ops agentes económicos, mesmo sem intervenções estatais. Basta ver o que se passou no século XIX. A estabilidade de preços a longo prazo foi conseguida com elevadas instabilidade de curto prazo (e com crises bancárias a uma cadência média de 7 anos, levando á falência muitos que não tinham problemas estruturais mas a conjuntura matava-os!). Vc. apenas advoga uma espécie de anti-keyenesanismo mas com armas iguais: intervenções do Estado na economia. loloololololol Uma contradição em si mesmo. ahahhhahhh

    Gostar

  34. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 14:18

    Repare lucklucky, eu tenho um enorme respeito pela escola austriaca mas só até certo ponto. Aliás, os seus seguidores até entram em contradição frequentemente, porque não reconhecem que a sua ideologia assenta precisamente na aceitação do ciclo boom and bust, mas depois querem fazer como os keynesianos: intervir para evitar bolhas. Os outros criam bolhas, Vcs. querem matar a actividade económica mantendo sempre a economia na fase recessiva. Por mera estupidez de serem o contrário dos seus adversários ideológicos: os socialistas. lolololololol
    .
    .
    O caso mais castiço foi o do Greepspan (que eu continua a ter um enorme respeito ao contrário dos seus anteriores seguidores que agora cospem nele e o renegam) que acreditou piamente no liberalismo económico da não fiscalização, de seguir os mercados na política monetária (é por isso que agora o odeiam, porque ele admitiu estar errado quando a sua política monetária apenas seguia as taxas de juro de curto prazo do mercado) e até em desmantelar as regras criadas na década de 30. O Greenpsan é a prova provada que os austriacos são completamente loucos porque acham que os mercados estão sempre certos. É a chamada antí-tese dos comunas. Uns acham sempre que os mercados estão errados; outros que são perfeitos. lolololololololol
    .
    .
    Hoje até os randianos renegam e cospem neste homem quando ele foi o mais “austriaco” de todos os governadores da Reserva Federal. Por isso ele era sempre enigmático nos seus discursos, porque quando discursava nunca dizia claramente o que iria fazer. Ele apenas seguia as taxas de juro de curto prazo do mercado monetário. lololololol

    Gostar

  35. jose silva permalink
    2 Junho, 2011 14:23

    O que escrevi em 20090108:
    Monetaristas, Keynesianistas, Austriacos e Marxistas: A importância destes assuntos para o Norte

    Um comentário ao post anterior de PMS, tornou-se, mais uma vez, num artigo.
    PMS, há que fazer uma precisão relativamente ao seu 3º parágrafo.
    O Keynesianismo falha porque não percebe que o crescimento económico induzido pelo investimento público será pago cedo ou tarde pelos contribuintes. Ainda ontem Pedro Arroja o explicava. Estes deixam de poder usar os impostos noutro tipo de investimentos provavelmente mais reprodutivos.
    Quem acredita no crescimento económico a partir de dinheiro criado do nada são os Monetaristas, M Friedman, a corrente neoliberal. Estes pensavam (e se calhar ainda pensam) que a emissão de moeda sem prévia poupança era inócua. Pelos vistos apesar de se ter iniciado nos anos 70, este ciclo acabou. Ainda ontem, como relata e bem o CCZ, o estado alemão não conseguiu colocar dívida pública no mercado. Isto é muito grave. Alguem sabe quando são os próximos leilões de dívida pública portuguesa ?
    Na minha opinião, estes acontecimentos dão cada vez mais razão à escola Austríaca de pensamento económico e a aos economistas Marxistas. «The adherents of Marxian economics, particularly in academia, distinguish it from Marxism as a political ideology, arguing that Marx’s approach to understanding the economy is intellectually valuable per se, independent of Marx’s advocacy for revolutionary socialism or the inevitability of proletarian revolution.» Este é o meu caso.
    Deixo aqui artigos recentes sobre as críticas ao desvio ao Capitalismo, quer da escola Austriaca, quer da Marxista:

    * Capitalism’s Crisis through a Marxian Lens (explicação da crise de 2007/2008 na perspectiva marxista);
    * The Ponzi Paradigm (crítica à financiarização da economia, ao desvio da actividade económica para o sector dos bens e serviços não transaccionáveis);
    * The medicine suggested by Keynes: Euthanasia of the ‘rentier’ system;
    * Money Out of Control (Marxistas alinham nas críticas dos Austriacos ao excesso de criação de moeda);

    Tudo isto é importante para o Norte. Novamente, Lisboa vai-nos governar na direcção errada. Passou as últimas décadas a governar segundo o padrão neo-liberal, financiarizando a economia, gerando endividamento externo crescente e apostando nos sectores de bens e serviços não transaccionáveis lá sediados (em vez das PMES exportadoras a Norte). Agora descobriu o Keynesianismo, com as suas encomendas públicas aos fornecedores lisboetas habituais pagas por todos os contribuintes. A Norte é preciso ter opinião sobre estes assuntos.

    http://norteamos.blogspot.com/2009/01/monetaristas-keynesianistas-austriacos.html

    Gostar

  36. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 14:29

    O Greenspan:
    .
    .
    “The former Federal Reserve chairman, Alan Greenspan, has conceded that the global financial crisis has exposed a “mistake” in the free market ideology which guided his 18-year stewardship of US monetary policy.
    .
    A long-time cheerleader for deregulation, Greenspan admitted to a congressional committee yesterday that he had been “partially wrong” in his hands-off approach towards the banking industry and that the credit crunch had left him in a state of shocked disbelief. “I have found a flaw,” said Greenspan, referring to his economic philosophy. “I don’t know how significant or permanent it is. But I have been very distressed by that fact.”
    .
    It was the first time the man hailed for masterminding the world’s longest postwar boom has accepted any culpability for the crisis that has engulfed the global banking system.
    .
    During a feisty exchange on Capitol Hill, he told the House oversight committee that he regretted his opposition to regulatory curbs on certain types of financial derivatives which have left banks on Wall Street and in the Square Mile facing billions of dollars worth of liabilities.
    .
    “I made a mistake in presuming that the self-interests of organisations, specifically banks and others, were such that they were best capable of protecting their own shareholders and their equity in the firms,” said Greenspan.”
    .
    In http://www.guardian.co.uk/business/2008/oct/24/economics-creditcrunch-federal-reserve-greenspan
    .
    .
    Quando me vèm com a ladaínha é toda culpa do Estado.. Das duas uma. Ou querem retorcer a História ou apenas culpar os outros pelas suas próprias culpas.
    .
    .
    Infelizmente as culpas podem ser repartidas por muitos, não apenas nos estatistas como nos idólatras da não fiscalização dos mercado que permitiram o estoiro da economia americana.

    Gostar

  37. JCA permalink
    2 Junho, 2011 14:51

    .
    AC e Rui A esta é para VExas e mui Dignos outros Doutoradas da parte dum simples mortal que só viveu do Estado quando foi mandado ‘puto de cueiros da metropole’ para os capins dos Indicos para beber as àguas do Xiveve. Ficaram-me na alma aquele Zambeze, aquele Macuti, aquela biachanda, aquela Goronzoza, aquela Rodesia etc etc
    .
    Europhrenia
    http://gonzalolira.blogspot.com/2011/06/europhrenia.html
    .
    Aguardo os pareceres economicos e politicos reservando naturalmente a minha propria opinião.
    .

    Gostar

  38. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 15:07

    Caro JCA, eu dou a minha opinião, mas vale tanto como a sua ou de outra pessoa qualquer. Não invoco autoridade que nem sequer é legitima.
    .
    .
    Mas sinceramente não percebo o que o Gonzalo Lira quer dizer. Ele aponta uma coisa bastante importante: criar instituições nas costas da população. O erro de não pedir referendos para criar instituições acaba por se virar contra os seus políticos.
    .
    .
    Se ele quer dizer que há uma distãncia entre os que querem construir uma Europa Federal e os povos, aí estou de acordo. As populações não querem federalismos, mas também há instituições supranacionais que não é federalismo europeu apesar de o parecer, com o BCE.
    .
    .
    O Gonzalo Lira cai no mesmo erro da troupe americana: analisar a Europa pela rama com o olhar americano. Ou seja, como se opõe a qualquer banco central por idolatria ao ouro (depois está apostado na hiperinflação, que trás ainda mais problemas á sua análise) pensa que o BCE é apenas um sintoma deste divórcio entre federalistas e o povo europeu. (Aliás, um bocado na esteira do Tea party e dos tolinhos idólatras do Ron Paul.)
    .
    .
    Esta é a minha sincera opinião, face ao que percebi do artigo dele.

    Gostar

  39. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 15:18

    Já agora, que também alguns tugas estão contra o BCE por ele ser ser uma criação “federalista”.
    .
    .
    Estes gajos que se opõem ao BCE são na generalidade pró-americanos e aceitam bem a NATO, uma organização que nunca foi referendada em Portugal. Mas como a NATO é liderada pelos americanos, já aceitam bem esta organização supranacional. (E se calhar até mais perigosa para a nossa soberania nacional que o próprio BCE!)
    .
    .
    Há em Portugal uma corrente política calimero, que aceita tudo o que venha dos USA (mesmo que a nossa Defesa Externa esteja nas mãos dos interesses americanos, esquecendo-se eles que mesmo pertencendo à NATO, os americanos foram os nossos principais inimigos, depois da URSS, quando estavamos em guerra!) mas não aceita que venha da Europa. São os nossos nacionalistas da treta. O sonho deles era mesmo que fossemos um protectorado americano, que em termos de Defesa Externa na prática já o somos.

    Gostar

  40. rui a. permalink*
    2 Junho, 2011 15:33

    Obrigado pela referência, caro Joaquim Simões.

    Gostar

  41. JCA permalink
    2 Junho, 2011 15:57

    .
    AC, bem esgalhado.
    O objectivo é provocar e informar e informar para discussões acima do ‘trazer por casa ou eleitoraleiras’. As eleições passam e o País fica, continua. Sem ‘autoridades’ porque o que vale ´e o Conhecimento e a Informação.
    .

    Gostar

  42. JCA permalink
    2 Junho, 2011 16:17

    .
    Sem invocar teorias e autores. Mais terra a terra.
    E fica como ? Para ganhar dinheiro e bons negocios:
    .
    é investir agora em imobiliario barato quem não imobilizou em ouro. Porque a Banca para se salvar através dos registos nos ‘books’ é obrigada a apostar no aumento do imobiliário.
    .
    Porquê ?
    Porque ganha em dois carrinhos: no que penhorou barato irá aumentar a contrapartida nlos ‘books’ e depois vende a dobrar arrastando para os bons lucros quem investir exaustivamente agora sem medo. Porque tudo se vai re-normalizar. Alguém acredita da queda da Banca Mundial como um baralho de cartas ??? Só teóricos ou fantasistas.
    .
    Se a Banca não o fizer então entrará mesma em bancarrota e será nacionalizada. Isto a nivel não só nacional como internacional. É a varinha magica, a mão oculta bem embrulhada em catastrofismos e outras psyops de panicos.
    .
    A papel quimico do que se passou algumas vezes depois do 25 de Abril nos PREC’s e outras algumas com FMI e tudo…….
    .
    Nesta àrea, é tão simples como isto.
    .

    Gostar

  43. JCA permalink
    2 Junho, 2011 16:28

    .
    Isto ao nivel de cada Cidadão. Avancemos para o novel seguinte: o nacional.
    .
    Portugal enche-se de Riqueza (e o Mundo paradoxalmente está interessado nisso) se ousar fazer-se com umas ‘bruxarias’ uma AREA ECONOMICA ESPECIAL.
    .
    Quem me seguiu com alguma atenção sabe as 9 medidas mais 3 que duma penada fazem a omolete sem ou com poucos ovos. E como no ovo de colombo respeitando todas as imposições e ‘diktats’ da UE.
    .
    Como uma diferença: fazemos disto sem parecer, uma praça suiça (ou luxemburguesa etc) como as casas das indias do unico Tempo Histórico em que fomos alguém Mundo. É simples,
    .
    Basta saber, querer e inovar mudando de elites que fizerem o seu o seu tempo que HOJE já passou.
    .

    Gostar

  44. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 16:30

    JCA, isso só mesmo se houver um terramoto económico. Se as quedas forem sustentadas, como está a acontecer nos USA, olhe que os preços não subirão.
    .
    .
    A hiperinflação só ocorrerá se houver forte criação de moeda e bastante acima da que é destruida. Ora, pode acontecer (veja o que pensa o famoso Mish) elevada destruição de crédito, pode acontecer não haver hiperinflação, pois a nova dívida não contra-balança a que se destroi.

    Gostar

  45. JCA permalink
    2 Junho, 2011 16:48

    .
    AC olhe à volta:
    o terramoto já está em marcha. O processo inflacionista já não arrancou em Portugal ? Na Europa ?
    É que não há outra saída. A União Europeia, a Banca Alemã etc cairiam como tordos.
    .
    Lembro-me que a 1ª casa que comprei o juro era de 26%. Passados 2/3 anos era pago com uma perna às costas. Está-se num processo global tentando tirar biliões da fome reconstruindo-os para mais uns biliões activos no mercado de Consumidores alavancando a Produção global.
    .
    Tal não sucederia se fossem mantidas as mesmas toneladas papel moeda actualmente em circulação.
    .
    A dimensão é tão grande que é insuficiente, pura ilusão, a politica bancária de crédito de com o mesmo papel moeada ‘fabricar novo dinheiro’ com e do mesmo para ilusoriamente meter moedas na mão desses biliões que estão a ser arrancados da Fome (BRIC’s e os que se seguirão).
    .
    É mesmo com o helicoptero a despejar papel moeda, com as impressoras a trabalhar. Neste processo há os que andam mais depressa e os que se deixam ficar mais para trás, todos com excelentes justificações e boas razões. Mas acima disso a Realidade é que manda nisto tudo.
    .
    É a vida.
    .

    Gostar

  46. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 17:02

    “o terramoto já está em marcha. O processo inflacionista já não arrancou em Portugal ? Na Europa ?
    É que não há outra saída. A União Europeia, a Banca Alemã etc cairiam como tordos.”
    .
    .
    Olhe que eu tenho as minhas dúvidas. Repare que o Bernanke ainda não conseguiu estancar as quedas no imobiliário americano. Logo, pode acontecer haver inflação mas as casinhas cairem de preço. Por isso acho que é arriscado apostar no imobiliário. Lá mais para frente talvez seja boa ideia, agora não. As pessoas querem é voltar a arrendar mas é preciso ter poder de compra para tal. Se não o tiverem vão asfixiar mais as rendas e os preços do imobiliário porque não podem deixar de comer e aquecerem-se. Ou seja, mesmo sob forte inflação, não é liquido que seja uma boa aposta meter dinheiro no imobiliário. Mas é apenas a opinião de um leigo no assunto do imobiliário pois há sempre boas oportunidades no sector, mas não para mim.
    .
    .
    Nesse caso, em vez do imobiliário, tem alternativas melhores com menos risco. Mas é apenas a minha opinião pessoal. (E nem falei da questão fiscal, pois os governos vão parasitar ainda mais os donos de casas próprias.)

    Gostar

  47. lucklucky permalink
    2 Junho, 2011 17:34

    “O crédito desmesurado, onde? É que se está a esquecer que o crédito desmesurado está agora a ser corrigido precisamente nos países onde tal aconteceu, pagando esses países com altas taxas de desemprego. Aquilo que alguns gostam de chamar PIGS.”

    Corrigido?
    Onde? os EUA e o UK estão em impressão de notas…A Portugal e Grécia com défices de 10% do PIB- ou seja se assumir-mos que o Estado são 50% da economia o défice destes Estados são 20% do gastam. Pedem emprestado 20% do que gastam.
    A Espanha Belgica, Italia, Japão são outros a gastar bem mais do que produzem. E ainda temos a França.
    Todos com défices pesados e insustentáveis várias vezes maiores que o crescimento económico.
    Ninguém nos bate nos extraodinários resultados do keynesianismo tuga 10% de défice PIB = 1% de crescimento PIB mas os outros acima só estão a descer numa escada menos inclinada, mas todos a caminhar para o Inferno.

    Gostar

  48. JCA permalink
    2 Junho, 2011 17:39

    .
    AC, ‘engenharias’.
    Por cá, basta ir ao hipermercado para atestar o processo de inflação real já em movimento em Portugal. O resto vem por arrasto.
    .
    Noutro ambito alheio ao nosso dialogo,
    acabemos com os ‘tabus’ do memorando daqui e dali, era este mas já não é, eu sabia mas deste já não sei etc etc. Directo e sem ‘esconde-escondes’:
    .
    Acima de quem ganhe as eleições e seja Governo,
    o programa do proximo Governo combinado com o FMI está aqui (69 paginas):
    .
    http://www.imf.org/External/NP/LOI/2011/PRT/051711.pdf
    http://www.imf.org/external/np/sec/pr/2011/pr11190.htm
    .

    .

    Gostar

  49. lucklucky permalink
    2 Junho, 2011 17:39

    “Vcs. querem matar a actividade económica mantendo sempre a economia na fase recessiva.”
    .
    Inacreditável…

    Gostar

  50. anti-comuna permalink
    2 Junho, 2011 17:51

    Caro JCA, eu não neguei a inflação. Eu ponho é em dúvida a tese da aposta no imobiliário. Acho que não percebeu o que que queria dizer, que se calhar não me expremi como deve ser. Nós estamos a viver um surto inflacionista e não se negue. (Mas devia fazer meditar alguns, que acham que a massa monetária explica tudo, em especial na Europa, mas enfim, também quando há teimosias…) Não chegamos ainda à hiperinflação mas se calhar é o que irá acontecer nos… USA. Pouco provável na Europa.
    .
    .
    Caro lucklucky, Vc. é que passa a vida a queixar-se que vem aí mais dívida e tal. lololololololol Se não quer crescimento do crédito e quer menos crédito, dependendo da velocidade de outras variáveis, no fundo aposta na deflação a sério e respectiva depressão económica. Parece que só alguns nâo vêm isto.
    .
    .
    Vc. não é um dos que acha que pagar dívidas com mais dívidas é um horror? lolololololol
    .
    .
    Já agora, medita no surto inflacionista na Europa e cruze-o com o crescimento do crédito. Depois venha-me cá explicar porquê que houve este surto da inflação. Será por causa do BCE? lolololololol

    Gostar

  51. licas permalink
    2 Junho, 2011 20:38

    O imobiliário apenas aparece como um abcesso de imobilização
    de capitais e que tem fraquíssima influência no ataque ao desemprego
    e para mais desvia-os de outras finalidades produtivas : comparo
    o imobiliário ao turismo (este só para benefício de alguns).
    Pós II grande guerra , Alemanha, não foi a habitação do povo, mas as fábricas
    a opção. Com todas as pessoas a produzir, o bem estar vem por acréscimo . . .

    Gostar

  52. António Parente permalink
    2 Junho, 2011 22:29

    Rui A.
    Obrigado pelas suas informações. Gosto do que escreve e reconheço na sua escrita qualidade e cultura. Posso dizer-lhe que me despertou o interesse pelo estudo aprofundado do liberalismo. Uma coisa que quero perceber é a relação entre liberalismo e ateísmo e uma certa aversão pelo catolicismo que leio por aí (sou católico).
    Cumprimentos,

    Gostar

  53. rui a. permalink*
    2 Junho, 2011 23:00

    António Parente,
    Não há qualquer relação possível entre o ateísmo e o liberalismo. Essa confusão, muito própria da cultura portuguesa, deve-se a um erro onomástico de designar indistintamente todos os movimentos constitucionais da segunda metade do século XVIII e do século XIX de “liberais”. A ideia é que eram “liberais” todos quantos combateriam a falta de liberdade que caracterizaria os regimes da monarquia tradicional, sem Constituição política, sem separação de poderes, baseados numa legitimidade não representativa, ou, no máximo, estamental, eram – como defensores da liberdade – “liberais”. Assim, foram designados pela historiografia como “liberais” coisas tão diferentes como todos os ciclos da Revolução Francesa, todas as experiências, jacobinas monárquicas e republicanas, da Europa Continental, etc.. No campo do pensamento económico, são indistintamente “liberais” todos os clássicos, os revisionistas keynesianos (que queriam “salvar” o capitalismo de si próprio, logo, são também “liberais”), etc. e por aí em diante. A coisa agravou-se quando, nos EUA, a esquerda, por razões semelhantes ao que sucedeu na Europa Continental, reivindica para si o epíteto de “liberals”, o que fez com os liberais americanos sejam mais conhecidos por “libertarians”, ou mesmo até como “conservadores”.
    Ora o liberalismo, enquanto filosofia política, defende coisas que são património seu e que, por esse motivo, podem – e devem – ser discutidas, mas não podem ser transformadas tão radicalmente que o descaracterizem noutra coisa qualquer. O individualismo, no sentido personalista do termo, se quiser, é o ponto de partida, o que implica uma série de consequências, desde logo a convicção de que nada é mais importante do que o indivíduo, com todos os seus direitos inalianáveis, desde logo o direito à propriedade e à autonomia da sua vontade, e que as sociedades humanas se baseiam no princípio da livre cooperação entre indivíduos e não entre indivíduos mediados pelo estado. Por consequência, os liberais defendem um estado mínimo, um governo reduzido, o máximo respeito pela propriedade privada, a liberdade contratual, etc., e acreditam mesmo que, entre si, os indivíduos conseguem regular melhor os seus interesses. do que recorrendo a um mediador estranho a eles. Obviamente que os liberais sabem que o princípio da cooperação está permanentemente a ser posto em causa, e, por isso, reconhecem no direito e nas instituições judiciais (de preferência direito consuetudinário ou jurisprudencial, e instituições judiciais absolutamente independentes do poder político e do governo) os mecanismos socialmente desejados para repor as situações violadas e castigar os infractores.
    Quanto à religião, obviamente que se o liberalismo é uma filosofia sobre o poder e o governo, que parte de uma convicção individualista total, ela faz parte da personalidade de cada um, que tem fatalmente de ser respeitada por todos, desde logo pelo governo e pelo estado. Em bom rigor, o liberalismo entende que o estado deve ser absolutamente distante da religião -0 isto é, deve ser laico -, mas, ao invés do laicismo jacobino, essa laicidade protege mais as instituições religiosas e os indivíduos na sua liberdade de culto, do que o estado das influências das Igrejas.
    Você encontrará este tipo de pensamento liberal clássico em autores como os padres católicos da Escolástica Tardia, ou Salamanquina (Mariana, Molina, Suarez, etc.), em Locke, Fergunson, Hume,
    Adam Smith, Acton, mais modernamente, os autores da Escola Austríaca (Hayek e Mises, principalmente), os libertarians norte-americanos, como Rand, Rothbard, entre outros, etc. É evidente que entre estes autores você encontrará diferenças profundas em muitas coisas, mas nada que ponha em causa aqueles princípios que acima lhe referi e outros que não vêm agora ao caso. Politicamente, este liberalismo anda próximo das Revoluções Americana e Inglesa, do constitucionalismo anglo-saxónico, e muito distante da tradição constitucional de origem francesa, saída, sobretudo (mas não só) da Revolução (daí o meu interesse na matéria). No século XIX, os liberais apreciaram Gladstone, no século XX muitos sompatizaram com Churchill, embora muitos o abominem, o mesmo se tendo passado com a apreciação que fazem de Margareth Thatcher e de Ronald Reagan (confesso-me um entusiasta dos três, embora reconheça que não foram – nem poderiam sêlo, porque foram chefes de governo – liberais saídos dos livros de teoria política.
    E, pronto, é mais ou menos isto, Disponha e obrigado pelos seus comentários.

    Gostar

  54. Leme permalink
    3 Junho, 2011 01:54

    Lidos os comentários, como querem provar que em Portugal ainda há gente culta e inteligente?

    Gostar

  55. JCA permalink
    3 Junho, 2011 09:56

    Temas da Inflação:
    .
    -Swiss Franc: Is It Really A Safe Haven?
    The euro needed “a strong[er] dollar” said eurozone central-bank chief Jean-Claude Trichet, 20 months later – with the single currency at $1.43.
    In October 2010 – with the euro at $1.40 – the currency zone’s finance-group chairman, Jean-Claude Juncker, got in on the act, declaring “the euro is too strong today”.
    And even at $1.30 – in January 2011 – Sarkozy still wasn’t happy: “It is still too high,” he said, again citing Airbus and vowing to beat “monetary dumping” during his presidency of the G20 economic meetings.
    Now, at last, the “strong” euro is looking very weak indeed.
    But what’s this?
    “The euro is too strong,” according to European Union president Herman Van Rompuy, speaking in… May 2011.
    With Greece, Ireland, Portugal and now Greece again lining up for injections of central-bank and taxpayers’ cash, any further rate hikes by the “inflation vigilantes” of the European Central Bank would be suicidal (literally so if the executive plan any holidays to Greece or Iberia this summer).
    http://resourceinvestor.com/News/2011/5/Pages/Swiss-Franc-Is-It-Really-A-Safe-Haven.aspx
    .
    .
    THE CHINA DOMINO HAS FALLEN!
    Analysts at Societe Generale are warning that China’s structural inflation is going to begin negatively impacting the USA. They say the inflation dominos are falling as we speak and should translate to higher rates of inflation in the coming years in the USA:
    http://pragcap.com/the-china-domino-has-fallen
    .
    .
    Suddenly Everyone Is Warning About The Next Financial Collapse ?
    http://theeconomiccollapseblog.com/archives/suddenly-everyone-is-warning-about-the-next-financial-collapse
    .
    .
    European Commission spends millions on private jets, luxury holidays and cocktail parties
    The European Commission has spent more than £8 million on private jet travel, luxury holiday resorts and cocktail parties, an investigation has disclosed.
    http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/8550210/European-Commission-spends-millions-on-private-jets-luxury-holidays-and-cocktail-parties.html
    .

    Gostar

  56. António Parente permalink
    3 Junho, 2011 14:17

    Caro Rui A.
    Quero agradecer-lhe o tempo que perdeu em responder-me. Lendo o que escreveu penso que me integro na corrente “liberal” que julga ser necessário “salvar” o capitalismo dos capitalistas. Acredito no capitalismo como o melhor regime económico para o progresso das sociedades mas vejo o Estado com um papel regulador para evitar o que considero “excessos” que prejudicam o que penso ser o “bem comum” e provocam ressentimentos e um mal-estar social que podem conduzir a soluções extremistas anti-liberais (acredito que os velhos regimes das sociedades de leste poderão ressurgir). Por isso, o “meu” conceito de liberalismo integra a noção de justiça social que entendo ser a base de construção de uma sociedade de bem estar, onde os conflitos se resolvem pelo diálogo e pela concertação, jogando para o lixo o velho conceito de luta de classes. Talvez eu encontre isso na democracia-cristã ou na social-democracia, como me disse outro dia. Talvez agora entenda as críticas que lhe fiz no passado. Reconheço que devo aprofundar o conhecimento do liberalismo de acordo com as referências que me fez o favor de facultar e com outras que encontre posteriormente. Com espírito aberto para aperfeiçoar as minhas próprias ideias e de modo a acabar de vez com o meu conhecimento superficial e avulso do liberalismo e até com alguns preconceitos.
    Agradeço-lhe o tempo que perdeu com os meus comentários e desejo-lhe felicidades com o blog. Continuarei a ler o Blasfémias mas vou abster-me de comentar. É demasiado comentário e ruído e não consigo acompanhar a “pedalada” dos comentadores residentes. Po outro lado, quero distribuir o meu tempo de lazer de outra forma.

    Cumprimentos cordiais,

    Gostar

  57. rui a. permalink*
    3 Junho, 2011 17:56

    Caro António Parente,
    Não tem nada que agradecer e, creia, que foi também um prazer trocar ideias consigo.
    Mais do que compreendendo a sua indisponibilidade para continuar a comentar no Blasfémias, não quero deixar de lhe lançar uma pequena provocação, que gostava que tivesse em conta nas suas futuras reflexões sobre estes temas: o caminho da justiça social, entendido, como julgo que o entende, a cargo do estado, enquanto mediador supostamente neutro da conflitualidade social e dos desiquilíbrios sociais, é a solução para a qual sempre nos inclinamos quando começamos à procura de uma resposta à pergunta: “quem poderá diminuir as injustiças do mundo?”. Quase todos os liberais que conheço começaram por ser socialistas e/ou social-democratas. Essa resposta, que parece óbvia, demonsta-se, contudo enganadora e até mesmo perversa, para além de ser eticamente nefasta. É isso que os liberais procuram demonstrar e que, consequentemente, existem melhores caminhos do que o paternalismo do estado para chegarmos à justiça social.
    Cumprimentos cordiais,

    Gostar

Indigne-se aqui.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: